A Nova História e seus problemas (segundo Peter Burke)

4.769 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.769
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
59
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Nova História e seus problemas (segundo Peter Burke)

  1. 1. A Nova História e seus problemas Prof.a Dr.a Susane Rodrigues de Oliveira Introdução ao Estudo da História
  2. 2. NOVO PARADIGMA <ul><li>Movimento de mudança surgiu a partir de uma percepção difundida da inadequação do paradigma tradicional. </li></ul><ul><li>Crise do Paradigma Tradicional da escrita da História. </li></ul><ul><li>Mudanças no mundo mais amplo – impactos na escrita da História. </li></ul><ul><li>Movimentos – descolonização e Feminismos. </li></ul><ul><li>Novo Paradigma – apresenta problemas de definição, problemas de fontes, problemas de método, problemas de explicação. </li></ul>
  3. 3. 1. PROBLEMAS DE DEFINIÇÃO <ul><li>Historiadores estão avançando em território não familiar. </li></ul><ul><li>Problemas de generalização e preconceitos. </li></ul><ul><li>“ História vista de baixo” – originalmente conceitualizada com a inversão da “história vista de cima”. “Baixa” cultura no lugar da “cultura erudita”. </li></ul><ul><li>Problemas inerentes a essa dicotomia. </li></ul>
  4. 4. PROBLEMAS DE DEFINIÇÃO <ul><li>Conceitos de “cultura popular”, “educação”, “cotidiano”. </li></ul><ul><li>Importância de distinguir a história das mulheres daquela dos homens é enfatizada por Joan Scott. </li></ul><ul><li>Diferenças entre as experiências das pessoas comuns – “classes subalternas”. </li></ul><ul><li>“ História vista de baixo” – muda seu significado em contextos diferentes. </li></ul>
  5. 5. 2. PROBLEMAS DAS FONTES <ul><li>Maiores problemas para os novos historiadores = fontes e métodos. </li></ul><ul><li>Novas perguntas sobre o passado e escolha de novos objetos. </li></ul><ul><li>Novos tipos de fontes, para suplantar os documentos oficiais. </li></ul><ul><li>História oral, Imagens, estatística. </li></ul><ul><li>Releitura de alguns registros oficiais. </li></ul><ul><li>Exemplo: Carlo Ginzburg em “ O queijo e os vermes” (1976). Trabalho de Micro-história. </li></ul>
  6. 6. PROBLEMAS DAS FONTES <ul><li>Multiplicidade de fontes – suscitam problemas. </li></ul><ul><li>Retratar o socialmente invisível ou ouvir o inarticulado, a maioria silenciosa dos mortos, é um empreendimento mais que arriscado do que em geral é o caso na história tradicional. </li></ul><ul><li>Na história oral a influência do historiador-entrevistador e da situação da entrevista sobre o depoimento da testemunha tem sido discutida. </li></ul>
  7. 7. PROBLEMAS DAS FONTES <ul><li>Fotografias = representações da realidade. </li></ul><ul><li>Crítica da fonte das imagens fotográficas. Longo caminho a percorrer. </li></ul><ul><li>Cultura material e fontes literárias (descrições de viajantes). </li></ul><ul><li>Difusão de métodos quantitativos (estatística). </li></ul>
  8. 8. 3. PROBLEMAS DE EXPLICAÇÃO <ul><li>Anos 50 e 60 – historiadores econômicos e sociais foram atraídos pode modelos deterministas de explicação histórica. Deram primazia aos fatores econômicos (marxistas), à geografia (Braudel), ou aos movimentos da população. </li></ul><ul><li>Expansão da campo do historiador implica o repensar da explicação histórica. </li></ul><ul><li>Tendências culturais e sociais não podem ser analisadas da mesma maneira que os acontecimentos políticos. </li></ul>
  9. 9. PROBLEMAS DE EXPLICAÇÃO <ul><li>“Modelos mais atraentes são aqueles que enfatizam a liberdade de escolha das pessoas comuns, suas estratégias, sua capacidade de explorar as inconsistências ou incoerências dos sistemas sociais e políticas, para encontrar brechas através das quais possam se introduzir ou frestas em que consigam sobreviver” (Burke, 1992, p. 32). </li></ul>
  10. 10. PROBLEMAS DE EXPLICAÇÃO <ul><li>“ (...) os novos historiadores – de Edward Thompson a Roger Chartier – foram muito bem-sucedidos ao revelar as inadequações das explicações materialistas e deterministas tradicionais do comportamento individual de curto prazo, e na demonstração de que tanto na vida cotidiana, quanto nos momentos de crise, o que conta é a cultura” (Burke, 1992, p. 35). </li></ul>
  11. 11. 4. PROBLEMAS DE SÍNTESE <ul><li>Dialogo crescente do historiador com outras disciplinas , desde a geografia até a teoria literária. </li></ul><ul><li>Fragmentação da disciplina História. </li></ul><ul><li>Formação de grupos de historiadores que conseguem dialogar. </li></ul><ul><li>Há uma esperança de síntese? Reaproximações? </li></ul>
  12. 12. PROBLEMAS DE SÍNTESE <ul><li>Proliferação de subdisciplinas – movimento generalizado nas ciências. </li></ul><ul><li>Exemplo da crescente divisão do trabalho em nossa sociedade industrial tardia. </li></ul><ul><li>Vantagens – contribui para o conhecimento humano e encoraja métodos mais rigorosos, padrões mais profissionais. </li></ul><ul><li>Custos e benefícios. </li></ul>
  13. 13. PROBLEMAS DE SÍNTESE <ul><li>Oposição entre historiadores. </li></ul><ul><li>História política X História Cultural. </li></ul><ul><li>Oposição entre historiadores políticos e não políticos está finalmente se dissolvendo. </li></ul>
  14. 14. PROBLEMAS DE SÍNTESE <ul><li>“(...) os historiadores políticos não mais se restringem à alta política, aos líderes, às elites. Discutem a geografia e a sociologia das eleições e ‘a república na aldeia’. Estudam as ‘culturas políticas’, as suposições sobre política que fazem parte da vida cotidiana, mas diferem amplamente de um período para outro, ou de uma região para outra” (Burke, 1992, p. 37). </li></ul>
  15. 15. PROBLEMAS DE SÍNTESE <ul><li>“(...) a sociedade e a cultura são agora encaradas como arenas para a tomada de decisões, e os historiadores discutem ‘a política da família’, ‘a política da linguagem’ ou as maneiras como o ritual pode expressar-se até, em certo sentido, criar poder” (Burke, 1992, p. 37). </li></ul>
  16. 16. PROBLEMAS DE SÍNTESE <ul><li>“(...) o conceito de ‘cultura’, em seu sentido amplo, antropológico, pode servir como uma ‘base possível’ para a ‘reintegração’ de diferentes abordagens à história” (Burke, 1992, p. 37); </li></ul>

×