ADOLESCÊNCIA E VIDA

2.256 visualizações

Publicada em

Palestra espírita "Adolescência e Vida", elaborada por Jorge Luiz - Fortaleza - Ceará - Brasil.
e-mail: jorge.grauca@gmail.com

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.256
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
83
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ADOLESCÊNCIA E VIDA

  1. 1. O QUE É ADOLESCÊNCIA? período próprio do desenvolvimento físico e psicológico; Períodos: Homens: 14 aos 28 anos; Mulheres: 12 aos 28 anos(FRANCO, Divaldo in Adolescência e Vida)
  2. 2. TRANSIÇÃO E CONFLITOS“Inseguro, quanto aos rumos dofuturo, o jovem enfrenta o mundoque lhe parece hostil, refugiando-se na timidez ou expandindo otemperamento, conforme sejam ascircunstâncias nas quais seapresentem as propostas de vida”(FRANCO, Divaldo in Adolescência e Vida)
  3. 3. FAMÍLIA – a casa o lar“A casa é meramente a estruturafísica que nos abriga das intempéries.É onde nos reunimos para fazer asrefeições, repousar, providenciar oscuidados com o corpo e retomarnossos afazeres. Poucos têm um lar.O lar implica a existência de umcomponente afetivo que se reflete naprópria psicosfera doméstica.”(SANTOS, Paulo R. in Adolescência, mas de passagem)
  4. 4. “Sem uma compreensão da importância da família fica muito difícil nos ajustarmos a ela, quaisquer que sejam as bases desse ajuste.”(SANTOS, Paulo R. in Adolescência, mas de passagem)
  5. 5. “(...) Honraao teu pai e atua mãe, eamarás aopróximo coma ti mesmo.”(Jesus, Mt 19:19
  6. 6. ADOLESCÊNCIA E SEXUALIDADEo conhecimento do corpo;o proibido e o liberado;a responsabilidade pela educaçãosexual;“fazer amor” x “fazer sexo”;conflitos, medos e insegurança;
  7. 7. “O controle mental, a disciplina moral,os hábitos saudáveis no preenchimentodas horas, o trabalho normal, a oraçãoungida de amor e de entrega a Deus,constituem metodologia correta para atravessia da adolescência e o despertarda idade da razão com maturidade eequilíbrio.”(FRANCO, Divaldo in Adolescência e Vida)
  8. 8. IDENTIDADE E IDEALISMO “A busca da identidade no adolescente é demorada, qual ocorre com o indivíduo em si mesmo, prolongando- se pelo período da razão, amadurecimento e velhice”(FRANCO, Divaldo in Adolescência e Vida)
  9. 9. AS APARÊNCIASAS IDENTIDADES, INDIVIDUAIS, GRUPAIS E COLETIVAS A IDENTIDADE SEXUAL
  10. 10. “(FRANCO, Divaldo in Adolescência e Vida)
  11. 11. O ADOLESCENTE E A SOCIEDADEa vida social;“ser” ou “ter”;o avanço do conhecimento;as conquistas tecnológicas;os veículos de comunicação demassa.a violência no corpo e na mente doadolescente;
  12. 12. (FRANCO, Divaldo in Adolescência e Vida)
  13. 13. O JOVEM E A RELIGIÃODeusReligião # ReligiosidadeFé raciocinada x Fé cegaFanatismoIntolerância ReligiosaSalvação
  14. 14. “Direcionada ao adolescente, a religiãomarcha com ele pelos labirintos dasperquirições e deve estar aberta a discutiras colocações que o perturbam ou odespertam, de tal forma que se lhe torneauxiliar valiosa para as decisões livresque deve assumir, de maneira a estar empaz interior.”(FRANCO, Divaldo in Adolescência e Vida)
  15. 15. O ADOLESCENTE E O NAMORO“Trata-se de um período deaproximação pessoal de intercâmbioemocional, através de diálogos ricosde idealismos, de promessas – quenem sempre se cumprem, mas quefazem parte do jogo afetivo – esonhos, quando a beleza juvenil seinspira e produz.”(FRANCO, Divaldo in Adolescência e Vida)
  16. 16. “Quando o namoro derrapa emrelacionamento do sexo, por curiosidade eprecipitação, sem a necessária maturidadepsicológica nem a conveniente preparaçãoemocional, produz frustração, assinalandoo ato com futuras coartactações, quepassam a criar conflitos e produz fugas,gerando no mundo mental dos parceirosreceios injustificáveis ou ressentimentosprejudiciais.” (FRANCO, Divaldo in Adolescência e Vida)
  17. 17. O JOVEM E AS DROGAS“O motivo básico para a procura pordrogas, segundo os entrevistados, foi„fugir de problemas com afamília/pais‟ (35%). Logo depois, comboa diferença, veio „querer ser aceitonum grupo de amigos‟ (15%), emterceiro, „experimentar sensaçõesnovas‟.” (O Reformador/agosto/2000 – nº 2.057)
  18. 18. “Quando se está desperto para asfinalidades existenciais queconduzem à autorealização, à auto-identificação, de todos osproblemas que constituem aexistência terrena, realizando-se emplenitude, na busca dos objetivosessenciais da vida e aqueloutrosque são consequências dosprimeiros.”(FRANCO, Divaldo in Adolescência e Vida)
  19. 19. “O dia em que alguém for dominado pelo prazer, também o será pela dor; vês a quão dura e funesta escravidão te sujeitarás. Serás possuído alternadamente pelo prazer e pela dor, os mais arbitrários e tirânicos senhores; portanto(Sêneca – 4 a.C saiamos em busca da – 65 d.C) liberdade.(...)”
  20. 20. “A grandemultidão Oouvia com prazer.” (Lc 12:37)
  21. 21. O JOVEM E O PROJETO DE VIDA“(...) É a definição das questõesrelativas à vida profissional, familiar,social e particular. O jovem pode e devepensar nessas coisas. As mutaçõesnormais da puberdade e adolescênciasão demais passageiras para que nosliguemos unicamente a elas eesqueçamos porque estamos aqui.”(SANTOS, Paulo R. in Adolescência, mas de passagem)
  22. 22. busca do conhecimento;vivência das disciplinas morais;a alegria de viver;os prazeres éticos;a recreação;seu processo evolutivo.
  23. 23. “(...) o projeto existencial do adolescente não pode prescindir da visão espiritual da vida; da realidade pessoal dele mesmo; das aspirações do nobre, do bom e do belo, que serão as realizações permanentes no seu interior, direcionando-lhe os passos para a felicidade.”(FRANCO, Divaldo in Adolescência e Vida)
  24. 24. “Quantas vezes a gente, em busca de ventura, Procede tal e qual o avôzinho infeliz: Em vão, por toda parte, os óculos procura,Tendo-os na ponta do nariz!” (Mário Quintana – Da Felicidade)

×