Fundação Estudar - Relatório Anual 20 anos

4.416 visualizações

Publicada em

Você quer entender melhor sobre o que é a Fundação Estudar? Quer conhecer o nosso sonho? Leia o "Relatório Anual 20 Anos - Fundação Estudar 2011" e conheça um pouco da nossa história e do que somos hoje.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.416
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
101
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fundação Estudar - Relatório Anual 20 anos

  1. 1. RELATÓRIO AnuAL 20 ANOS2010-2011
  2. 2. 1Sumário2 Mensagem do Conselho Nosso grande sonho é que um dos bolsistas da Fundação Estudar possa se tornar um futuro Presidente da República ou ter sua importante contribuição para a sociedade reconhecida por meio de um Prêmio Nobel. pg. 4 — 5 3 Missão, Visão e Valores Queremos ser a melhor comunidade de transformadores brasileiros unidos pelo conhecimento, mérito e ética, e reconhecida pela excelência em inspirar e contribuir para o desenvolvimento do Brasil. pg. 6 — 7 Cenário Brasileiro4 O ensino superior vem passando por mudanças significativas, que lançam um novo olhar para a educação enquanto propulsora do desenvolvimento não só das pessoas individualmente, mas também de toda uma nação. 5 pg. 8 — 11 Linha do Tempo Alguns dos principais acontecimentos na Fundação Estudar ao longo de seus 20 anos de história. pg. 12 — 13 Modelo de Atuação O objetivo é oferecer cada vez mais oportunidades de desenvolvimento pessoal e6 profissional a jovens brasileiros inteligentes, determinados e que acreditem em sua capacidade transformadora de mudar o país. pg. 14 — 15 Posicionamento Foco na disseminação de conteúdos relevantes, no apoio a projetos que identificam e premiam alunos talentosos e na ampliação de parcerias com universidades. pg. 16 — 17
  3. 3. 7 Eventos8 Workshops, cursos e palestras que permitem aprimorar o desenvolvimento profissional e pessoal de jovens com potencial para se tornarem líderes no futuro. pg. 18 — 21 9Bolsistas de 2011São 31 jovens bolsistas da FundaçãoEstudar em cursos de graduação,pós-graduação e intercâmbio acadêmico.pg. 22 — 3310 Impacto A maioria dos bolsistas da Fundação Estudar já tem dado sua parcela de contribuição à sociedade brasileira. Conheça quatro exemplos. pg. 34 — 43 Parceiros Empresas, universidades e pessoas comprometidas com o incentivo à 11 educação de alta qualidade como forma de garantir a formação de jovens com potencial de gerar impacto positivo no país. pg. 44 — 4512 Doações Alguns bolsistas, além de quitarem sua bolsa, também fazem doações à Fundação Estudar, contribuindo, assim, com a perenidade de suas atividades. pg. 46 — 50Expedientepg. 52
  4. 4. MENSAGEM DO CONSELHO Crescer para transformar A história nos mostra que países que, anos atrás, investiram por apostar decididamente na produção e disseminação do conhecimento elevaram não só sua capacidade intelectual e produtiva, como também sua relevância no cenário internacional. Ao priorizar a educação, as nações hoje consideradas mais desenvolvidas também tem conseguido reduzir as diferenças socioeconômicas e, assim, melhorar a qualidade de vida de todos. Oferecer aos jovens talentos uma educação de qualidade é, portanto, gerar condições mais adequadas para que possam fazer maior diferença em suas nações.  Foi com esse pensamento que, há 20 anos, a Fundação Estudar iniciou suas atividades no Brasil. Naquela época, poucos eram os jovens brasileiros que tinham acesso às melhores universidades do mundo. Também eram raras as iniciativas de apoio ou financiamento que pudessem garantir uma educação de alto nível àqueles que demonstrassem elevada capacidade de realização e grande comprometimento com o crescimento do país.  Ao longo dos anos, para melhor contribuir com a formação e orientação da comunidade de bolsistas, a Fundação Estudar foi aperfeiçoando suas diretrizes e frentes de atuação. Conquistou novos patrocinadores e apoiadores, firmou diversas parcerias educacionais estratégicas e criou um Fundo Patrimonial para promover a perpetuação da instituição.  Recentemente, também aprimorou seu posicionamento, adotando como foco identificar,-4-
  5. 5. integrar, desenvolver e incentivar jovens potenciaistransformadores brasileiros, sendo eles futuros bolsistasda Fundação Estudar ou não. Para isso, além deinvestir na disseminação de conteúdos relevantes paratoda essa comunidade estendida, a instituição passa,a partir deste ano, a apoiar importantes prêmios dedesenvolvimento e excelência. Como resultado dessas ações, esperamos que umnúmero cada vez maior de jovens possa ter acesso nãosó ao ensino das melhores universidades do país e domundo, como também a programas e eventos que tempor objetivo compartilhar conhecimento e inovaçãoe estreitar o relacionamento com referências em suasáreas de atuação. Assim, ampliarão as oportunidadesde crescimento pessoal e profissional de toda acomunidade e poderão multiplicar essas experiências. O Brasil é grande e de uma população muitojovem. São milhares os estudantes promissores e depotencial transformador, que por meio de orientação,acompanhamento e acesso a oportunidades deexcelência podem chegar muito mais longe do quechegariam sozinhos. Nosso grande sonho é ajudar aformar um futuro Presidente da República ou umfuturo Prêmio Nobel brasileiro. Sabemos que ospróximos 20 anos serão de sonhos, desafios e muitotrabalho. Para isso, esperamos contar com o apoio, agarra e o talento de pessoas, universidades e empresasque, como nós, apostam em gente boa para fazerum Brasil melhor. Conselho da Fundação Estudar -5-
  6. 6. Missão, Visão e Valores Desde o início de suas atividades, a Fundação Estudar sempre se pautou em diretrizes sólidas, que pudessem guiar sua atuação de forma estruturada, visando alcançar os objetivos traçados. No final de 2010, o Conselho daDiretrizeSFOrtAleCiDAS Fundação Estudar, juntamente com a equipe, reavaliou seus desafios e metas e, após realização de uma pesquisa focada nos perfis e anseios dos jovens brasileiros, decidiu aprimorar seu posicionamento, reformulando também a missão, a visão e os valores da instituição.-6-
  7. 7. MiSSãO Criar oportunidades para gente boa agir grande e melhorar o Brasil.ViSãOSer a melhor comunidade de transformadores brasileiros unidospelo conhecimento, mérito e ética, e reconhecida pela excelênciaem inspirar e contribuir para o desenvolvimento do Brasil. VAlOreS • Meritocracia • Excelência • Ética • Crença no conhecimento como elemento transformador • Senso de Comunidade • Garra e Superação • Capacidade de Retribuir -7-
  8. 8. CENÁRIO BRASILEIRO Potencial para crescer No mundo todo, o ensino superior vem passando por mudanças significativas, que lançam um novo olhar para a educação enquanto propulsora do desenvolvimento não só das pessoas individualmente, mas também de toda uma nação. “Este é um momento particular e excitante para o ensino superior nos Estados Unidos, no Brasil e em todo o mundo. É um tempo de extraordinários desafios e mudanças – e de grandes oportunidades também – para as universidades”, disse Drew Gilpin Faust, presidente da Harvard University, em sua primeira visita ao Brasil a convite da Fundação Estudar. No Brasil, os desafios são realmente grandes. Apesar de ser uma das maiores economias do mundo, com positivas perspectivas futuras para seu desenvolvimento econômico, político e social, o país precisa expandir, e muito, sua oferta do ensino, mas sem abrir mão da qualidade. Dentro desse contexto, as instituições de ensino superior desempenham um importante papel, como atores das mudanças mais proeminentes. “É nossa responsabilidade [das universidades] educar estudantes que possam entender o mundo em toda a sua complexidade e que, especialmente diante de desafios e diversidades, sejam determinantes para fazer uma diferença positiva na vida de outras pessoas”, afirma Drew. Segundo o último Censo de Ensino Superior, o Brasil tem hoje cerca de 6 milhões de universitários. Em números absolutos ou em relação a um passado não muito distante, pode até ser considerado um quantitativo expressivo. Por outro lado, ainda é pouco. Levantamento feito pelo especialista em análise de dados educacionais Ernesto Faria, a partir de relatório da Organização para a Cooperação-8-
  9. 9. e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), coloca InTErnACIonALIzAção - Os especialistaso Brasil no último lugar entre 36 países ao avaliar o em educação também concordam que apercentual de graduados na população de 25 a 64 anos. internacionalização do ensino é palavra de ordem paraOs números – que se referem a 2008 – indicam que universidades de todo o mundo. Esse é, por exemplo,apenas 11% dos brasileiros nessa faixa etária tem um dos pilares da estratégia do Insper, estabelecidadiploma universitário. Entre os países da OCDE, em 2007. “Infelizmente o ambiente brasileiro dea média (28%) é mais do que o dobro da brasileira. pesquisa e desenvolvimento ainda não cria incentivos suficientes para o aprimoramento contínuo e a busca“A educação avançou bastante nos últimos anos, mas por excelência”, afirma Claudio Haddad, presidente doainda precisa evoluir muito”, afirma Marcelo Knobel, Insper. Daí a importância de as instituições de ensinopró-reitor de graduação da Unicamp. De acordo brasileiras estabelecerem parcerias e intercâmbios comcom ele, apenas 13% dos jovens brasileiros em idade universidades de fora.universitária (18 a 24 anos) estão no ensino superior.“Na Coreia esse índice é de 80% e a média mundial é Fazer curso superior no exterior é uma prática que, dede 35% a 40%. Então, falta muito para chegar lá.” fato, vem novamente ganhando mais adeptos no Brasil. Para ter uma ideia, 8.786 brasileiros estão matriculadosPúBLICo E PrIVADo - O número de vagas em escolas de ensino superior nos Estados Unidos,em universidades públicas conceituadas e que cursando graduação, pós-graduação ou estudandodesenvolvam pesquisas de ponta ainda é insuficiente, inglês, segundo a última edição do relatório anual Openforçando mais de 75% dos jovens brasileiros a se Doors, elaborado em 2010 pelo Instituto de Educaçãomatricular em instituições de ensino superior privadas. Internacional (IIE). Os números ainda são bem“O preocupante é que muitas dessas faculdades são inferiores aos da China, que tem 128 mil estudantesfocadas em lucratividade, com qualidade de ensino nos Estados Unidos, e da Índia, com 105 mil alunos.mais do que duvidosa”, ressalta Marcelo. Mesmo assim, garantem ao Brasil a primeira colocação entre os países latinos. “A internacionalização do ensinoEssa opinião é compartilhada por João Grandino superior é hoje uma realidade e eu acredito fortementeRodas, reitor da Universidade de São Paulo (USP), no papel de ONGs e instituições que como a Fundaçãoque também participou do Ciclo Fundação Estudar Estudar apoiam a educação em seus diversos níveis,Grandes Universidades sobre Harvard. “Se de um lado ajudando a formar líderes que, a médio ou longotemos um pequeno número de universidades mais prazo, poderão transformar a realidade do nosso país”,antigas e tradicionais, que são em sua maior parte finaliza Marcelo Knobel, da Unicamp.consideradas as melhores, de outro lado temos umgrande número de instituições privadas, mas poucasdelas de extrema importância”, diz. Para ele, o maiordesafio das universidades públicas é querer ser excelente “Harvard orgulha-se dee, ao mesmo tempo, tentar servir a todos. “Sabemosque isso é difícil, para não dizer impossível.” estar associada não apenasOutro problema do ensino superior brasileiro é que com a Estudar e seushá um excesso de cursos oferecidos pelas universidades fundadores, mas tambémprivadas em áreas como Administração e Direito,teoricamente mais baratas e acessíveis aos jovens que com os muitos estudantesnão conseguem ingressar nas universidades públicas. extraordinários cuja educação“É preciso rever essa distribuição e padronizar o nívelde qualidade do ensino superior”, defende Marcelo. se tornou possível com o apoioPara ele, a educação brasileira precisa diversificar aspossibilidades de acesso dos jovens às universidades, da Fundação Estudar.”reformulando o vestibular, por exemplo, e criar maiorcapilaridade entre as instituições de ensino para que Drew Gilpin Faust, presidenteos estudantes mudem de curso com mais facilidade. da Harvard University“É necessário repensar os currículos, que são maisengessados que nas universidades de outros países.” -9-
  10. 10. Cenário Brasileiro BRASILEIROS NOS EStADOS UNIDOS Número de estudantes brasileiros matriculados em universidades americanas 8.786 2009/10 8.767 2008/09 7.578 2007/08 7.126 2006/07 7.009 2005/06 7.244 2004/05 7.799 2003/04 8.388 2002/03 8.972 2001/02 8.846 2000/01 8.860 1999/00 8.052 1998/99 6.982 1997/98 6.168 1996/97 5.497 1995/96 * Fonte: Open Doors: Report on International Educational Exchange, 2010.- 10 -
  11. 11. DE LÁ pARA CÁNúmero de alunos de outros paísesmatriculados em universidades brasileiras n/a 2.777 10 9 2.702 09/ 8 /020 200 8 2.524 7 /0 00 7 2 /0 06 20 2.328 0 6 05/ 20 1.994 05 0 4/ 1.554 20 / 04 1.345 03 20 03 / 1.064 02 2 20 /0 760 01 717 20 1 0 594 0 0/ 00 20 / 99 99 / 555 19 98 424 19 8 /9 97 386 97 6/ 19 9 6 19 /9 95 19* Fonte: Open Doors: Report on InternationalEducational Exchange, 2010.OS MAIORES CURSOS DE GRADUAçãO DO BRASILAdministração é o curso com maior número de matrículas no país administração 17.1% direito 12.7% pedagogia 8.2% engenharia 5.6% enfermagem 4.6% com. social 4.0% c.contábeis 4.0% ed. física 3.2% letras 2.8% c.biológicas 2.6%outros cursos 35.1%* Fonte: Último Censo da Educação Superior, divulgado no início de 2011.Considera apenas cursos presenciais. - 11 -
  12. 12. Linha do Tempo1991Início das atividades daFundação Estudar 1999 Criação da Diretoria de bolsistas como instrumento de perpetuação da Fundação Estudar 2002 Mudanças no processo seletivo e concessão de bolsas também para cursos de Políticas Públicas 2003 Ampliação do número de membros no Conselho 2004 Estruturação das atividades em três frentes de trabalho: Processo Seletivo, Carreiras e Networking 2005 Concessão de bolsas para Engenharia e crescimento do número de parceiros- 12 -
  13. 13. 2006 2007Abrangência Modernização das diretrizesnacional do estratégicas da instituiçãoprocessoseletivo, coma realizaçãode etapaslocais 2008-2009 Criação do Fundo Patrimonial e da nova estrutura de Desenvolvimento Institucional (captação de recursos)2010Concessão de bolsaspara graduação em 2011Direito, criação do ComitêExecutivo e entrada doprimeiro bolsista parao Conselho Novo posicionamento da marca da Fundação Estudar, buscando oferecer conteúdos mais relevantes para os jovens talentos de forma abrangente e ampliar o relacionamento com universidades de todo o mundo - 13 -
  14. 14. Modelo de Atuação A Fundação Estudar vem continuamente aperfeiçoando seu modelo de atuação para oferecer cada vez mais oportunidades de desenvolvimento pessoal eeM CONStANteeVOluçãO profissional a jovens brasileiros inteligentes, determinados e que acreditem em sua capacidade transformadora de mudar o país.- 14 -
  15. 15. No início de suas atividades, a Fundação Estudar Muitos bolsistas também tem ajudado na captação deteve como foco os cursos de graduação e recursos para o Fundo Patrimonial. Lançado em 2008,pós-graduação em Administração e Economia, mas esse Fundo segue o modelo dos Endowment Funds dasgradativamente foi incorporando em seu programa grandes universidades americanas e tem como objetivode bolsas cursos em áreas como Direito, Políticas permitir que a Fundação Estudar continue crescendo ePúblicas, Educação e Engenharia. Para estreitar ainda impactando um número cada vez maior de pessoas.mais o relacionamento com os bolsistas e propiciar aeles contínuo crescimento, também passou a atuarmais fortemente nas áreas de desenvolvimentoprofissional e networking. FONtES DE RECURSOS EM 2011Atenta às evoluções do ensino superior no Brasil,a Fundação Estudar também adotou um novoposicionamento no começo de 2011 para apoiar ecompartilhar conhecimento com toda a comunidadede jovens transformadores, independentemente de eles pessoas fisícasserem ou não bolsistas da instituição. Para isso, passou 14.9 %a focar suas atividades na disseminação de conteúdos empresasrelevantes, no apoio a projetos que identificam e 53.4 %premiam alunos talentosos e na ampliação deparcerias com universidades.GoVErnAnçA - Em dezembro de 2010, paragarantir um acompanhamento ainda mais estruturadode suas atividades, a Fundação Estudar decidiu instituidores 16.7 % bolsistas 15 %reformular sua estrutura de governança e criar oComitê Executivo. Reunindo membros do Conselho,bolsistas que já participaram da então Diretoria deBolsitas e a equipe executiva da instituição, o ComitêExecutivo se reúne todos os meses para acompanharo andamento dos diferentes projetos da Fundação DIStRIBUIçãO DO ORçAMENtOEstudar e discutir novas oportunidades e propostas. ANUAL pOR FONtE DE RECURSOSOutra iniciativa adotada recentemente é a política do (2006 A 2010) – EM % CAPTAÇÃO DE RECURSOSvoluntariado. Por meio dela, os bolsistas de destaque eenvolvidos com a Fundação Estudar passam a liderar instituidores: 7.9% pessoas físicas: 0.8%alguns projetos estratégicos, em especial aqueles que 2006 empresas: 48.5%necessitem mobilizar toda a comunidade de bolsistas. bolsistas: 42.8% instituidores: 33.2%PErPETUAção - Para garantir a perenidade de 2007 pessoas físicas: 2.5% empresas: 34.1%suas ações, a Fundação Estudar conta com a valiosa bolsistas: 30.2%contribuição de diversas empresas e pessoas que instituidores: 23.9% pessoas físicas: 12.7%acreditam na transformação do Brasil por meio do 2008 empresas: 27.7% bolsistas: 36%incentivo à formação de seus futuros líderes. instituidores: 25% pessoas físicas: 9.4% 2009O caminho para atingir a autossustentabilidade empresas: 34.4% bolsistas: 31.2%da instituição também envolve o engajamento dacomunidade de bolsistas. Além de participar de instituidores: 18.43%diversas atividades e compartilhar suas experiências 2010 pessoas físicas : 17,07% empresas: 37.45%com os mais novos, 58% dos bolsistas formados já bolsistas: 26.4%retornaram à Fundação Estudar o valor integral dabolsa de estudos concedida. - 15 -
  16. 16. pOSICIONAMENtO Mais conteúdos e parcerias, com excelência Com o posicionamento adotado em 2011, a Fundação Estudar passou a focar suas atividades voltadas à disseminação de conteúdos e iniciativas relevantes para o desenvolvimento dos jovens brasileiros. Para isso, além de ampliar suas parcerias, a instituição também decidiu investir no crescimento de sua reputação, tornando sua atuação mais conhecida em todo o país. Dentro da frente Parcerias Educacionais, estão as ações relacionadas a parcerias com escolas e universidades do Brasil e do exterior para divulgar o trabalho desenvolvido pela Fundação Estudar e atrair novos talentos. “Essa missão, que sempre existiu, foi ampliada com o objetivo de desenvolver um relacionamento mais profundo com as instituições de ensino, formando parcerias de longo prazo”, explica Renata Moraes, coordenadora do projeto dentro da instituição. Uma das iniciativas nessa linha é o Ciclo Grandes Universidades, programa que tem como objetivo apresentar aos estudantes, jovens profissionais, executivos e acadêmicos brasileiros as oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional oferecidas pelas mais prestigiadas instituições de ensino superior do Brasil e do exterior. Além de trazer à discussão o papel do ensino superior, as palestras transmitem aos participantes o espírito das universidades e proporcionam debate e intercâmbio de conhecimento entre atuais estudantes e ex-alunos renomados. Realizado em março de 2011, o primeiro evento desse ciclo teve como tema uma das universidades mais conceituadas do mundo: Harvard. Entre a plateia, composta de bolsistas da Fundação Estudar, executivos e empreendedores de diversas áreas, esteve presente Pedro Ferrazoli Ciambra, de apenas 17 anos. Aluno do 4º ano do Ensino Técnico Integrado ao Médio em Mecânica, no IFSP - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (antiga CEFET), Pedro foi convidado a participar do evento por ter conquistado duas medalhas de prata na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, além de uma medalha- 16 -
  17. 17. de ouro na olimpíada de robótica da escola. “Achei enfrentando, que é o de revelar talentos emque seria uma simples palestra sobre possibilidades diversas áreas”, afirma.de intercâmbio, e não que fosse reunir pessoas daimportância das que estavam presentes. Foi realmente MAIs ConTEúDos – A frente de Marketinguma experiência muito gratificante”, revela. da Fundação Estudar reúne quatro áreas: Eventos, Digital, Institucional e Relações Públicas. Dentro deEssa também foi a impressão de Kawoana Trautman Eventos a ideia é promover encontros periódicos comVianna, de 18 anos. Matriculada no 5° ano (estágio especialistas em suas áreas de atuação, que possamcurricular) da Fundação Escola Técnica Liberato compartilhar suas experiências com os mais novos.Salzano Vieira da Cunha, Kawoana – que em 2011 Já a área Digital tem como missão divulgar conteúdosficou em 4º lugar na área de Medicina e Ciências relevantes – como estudos, blogs e vídeos - para ada Saúde da International Science and Engineering comunidade de potenciais líderes no futuro.Fair (INTEL ISEF) – conta que os depoimentos dos “O objetivo é que esse material possa impactar umestudantes brasileiros que vivenciaram a experiência número cada vez maior de pessoas, independentementede estudar em Harvard foi o que mais chamou sua de elas serem bolsistas da Fundação Estudar ou não”,atenção. “Eram pessoas que haviam passado pelas explica Rodrigo Carraresi, da área de Marketing.mesmas experiências que estou passando, que secriaram dentro da mesma cultura, compartilhando BoLsAs E ProGrAMAs – É dentro da nova áreaa mesma língua e a mesma realidade. Ver que foi de Produtos que estão reunidas todas as iniciativaspossível que eles chegassem à Harvard me fez que a Fundação Estudar desenvolve para apoiar eacreditar que eu posso conseguir o mesmo”, afirma. influenciar jovens que tenham perfil de liderança identificado. “Esse jovem pode ser tanto um potencialAPoIo A PrEMIAçõEs - É como parte dessa bolsista como qualquer outro que, por diferentesestratégia de reconhecer e inspirar novos jovens razões, não chegará a participar do processo seletivo datalentosos como Kawoana e Pedro que a Fundação instituição”, explica Tiago Mitraud, responsável pelaEstudar também está lançando um prêmio em 2011. área de Produtos.O objetivo é reconhecer universitários recém-formadosde quaisquer cursos e universidades que tenham Para isso, a Fundação Estudar pretende replicar seusinteresse e potencial de mudar o Brasil para melhor, já tradicionais programas de mentoring para outrasseja atuando no governo, seja gerando inovações ou instituições por meio de parcerias com redes quetrabalhando em prol da educação. possam beneficiar outras pessoas. O Programa de Orientação de Carreiras (POC) também deverá serTambém estão sendo firmadas parcerias para ampliado para toda a comunidade estendida. Opremiar os estudantes do ensino médio com mesmo deve acontecer com os eventos de networking.melhor desempenho em competições de Ciênciase Exatas com inserção na comunidade Estudar,orientação profissional e bolsa de estudo de inglês.Entre as competições que serão apoiadas a partir EStRAtéGIA DE CRESCIMENtOde 2011 estão a Olimpíada Brasileira de Matemáticadas Escolas Públicas (OBMEP), que possui 19milhões de participantes, e a Olimpíada Brasileira FEde Matemática (OBM), com 100 mil estudantes, Prêmiosalém de outras nas áreas de Química, Física, Cases deAstronomia e feiras de Ciências e Tecnologia. ExemplosSegundo a professora Suely Druck, do Instituto deMatemática da Universidade Federal Fluminense Parcerias de Excelência(UFF) e diretora acadêmica da OBMEP, o povo Comunidade FEbrasileiro tem talento e inteligência de sobra, mas épreciso apoio da iniciativa privada e de órgãos nãogovernamentais para desenvolver essas competências. Relacionamento com qualifiers Conteúdo amplo e aberto“Com essa iniciativa, a Fundação Estudar se colocaem uma posição de colaboração extremamenteimportante para resolver um problema que o país vem - 17 -
  18. 18. Eventos A Fundação Estudar acredita que, para se sobressair no mercado de trabalho, na vida pública ou em seu próprio empreendimento, as pessoas precisam ter não só uma excelenteeNCONtrOSiNSPirADOreS formação acadêmica como também acesso a conhecimentos e experiências que potencializem seu desempenho e colaborem para seu sucesso.- 18 -
  19. 19. Para formar líderes cada vez mais completos, a temas como empreendedorismo e gestão de negócios,Fundação Estudar organiza ao longo do ano diversos que são as áreas que mais me interessam.”workshops, cursos e palestras com o objetivo defazer com que eles reflitam acerca de suas escolhas Foi o que aconteceu em abril de 2011 na estreia daprofissionais e pessoais e tracem seus objetivos de série Transformadores Brasileiros, que tem comoforma planejada. objetivo convidar pessoas que sejam referências em suas áreas de atuação e completamente comprometidasOs programas da frente de Carreiras, por exemplo, com a transformação do país para compartilhar suastem a preocupação de atender aos bolsistas em seus experiências e opiniões com jovens que buscam seguirdiferentes momentos profissionais. Para os que ainda esse mesmo caminho. No primeiro evento dessa série,estão na universidade, o Programa de Orientação de o convidado foi Vicente Falconi, consultor de grandesCarreiras (POC) leva informação sobre o mercado de empresas e orientador técnico do INDG. “Gestão étrabalho de maneira individualizada. Já o Workshop de método. E método não é bom senso, é humildade.Formação de Mentores oferece aos bolsistas formados a É você colocar uma meta e reconhecer que não sabeoportunidade de avaliarem sua trajetória e os processos como chegar lá. Isso é que uma boa meta, porque paraorganizacionais onde estão inseridos para se tornarem atingi-la você precisa buscar conhecimento”, disse omelhores coaches e mentores. consultor na abertura de sua palestra.Uma das atividades de maior impacto para os bolsistas Todos os anos, após a seleção dos novos bolsistas,é, certamente, o Programa de Mentores. Nele, são a Fundação Estudar também realiza uma reuniãoformadas duplas em que os mais experientes orientam, com toda a comunidade de bolsistas, parceiros epor meio de reuniões mensais, os mais novos em patrocinadores. A cada edição são convidados novosrelação à carreira. No último ano, cerca de 25% dos palestrantes e anunciados dois prêmios: o Bolsistabolsistas da Fundação Estudar manifestaram interesse do Ano, premiação que homenageia um membro dano programa. Agora, com o reposicionamento da comunidade por sua trajetória de sucesso, impactoinstituição, a ideia é que um número maior de pessoas social e comprometimento com a Fundação Estudar, epossa se beneficiar da iniciativa. o Voluntário do Ano, bolsista que mais colaborou com as atividades da instituição naquele período.TroCA DE ConHECIMEnTos - Durante o anotodo, a Fundação Estudar promove a interação entre Guilherme Leal, sócio da Natura e fundador doa comunidade de bolsistas, parceiros e profissionais Instituto Arapyaú, foi o convidado de honra nade diversas organizações. Em encontros informais, Reunião Anual de 2010. Na ocasião, Colin Butterfield,profissionais de destaque em suas áreas de atuação são bolsista de 2002, de MBA em Tuck School of Business,convidados a compartilhar suas experiências. Essas e Carlos Henrique Lobão Pegurier, bolsista de 1996reuniões constituem ainda uma ótima oportunidade no MIT, ganharam os prêmios Bolsista do Ano epara os participantes aumentarem seus conhecimentos Voluntário do Ano, respectivamente.e sua rede de relacionamento.Entre julho de 2010 e julho de 2011, foram realizadosdiversos encontros desse tipo, abordando assuntosvariados, como as oportunidades de negócios nomobile marketing, as reflexões sobre a biodiversidadee o clima nos negócios e a transição do governo para ainiciativa privada.Bolsista de 2006 de Economia no Ibmec-MG, DanielRodrigues Ribeiro é um dos participantes assíduos doseventos promovidos pela Fundação Estudar. “Nessesencontros, sempre faço bons contatos e amizadescom pessoas que, como eu, querem fazer a diferençano mundo ou naquilo que se propõem a executar”,afirma o jovem de 24 anos que atualmente trabalha naAmBev. “Procuro ir a todos, em especial aos ligados a - 19 -
  20. 20. Eventos Transformadores Brasileiros com Vicente Falconi Café da manhã com Paulo Basílio, presidente da ALL Logística Harvard no Brasil: Drew Faust (Harvard), Susan Lyons (Harvard), Claudio Haddad (Insper) e Jorge Vicente Falconi, fundador do INDG Dominguez (Harvard) Público durante o evento Grandes Universidades: Fundação Estudar apresenta Harvard no Brasil A Presidente de Harvard Drew Faust- 20 -
  21. 21. Guilherme Leal, do Instituto Arapyaú, fala na Reunião Anual 2010 Os bolsistas Carlos Henrique Pegurier e Henrique FreitasO bolsista Renato Mazzola emdiscurso durante a Reunião Anual 2010 Interação e troca de experiências no encontro anual de 2010Bolsistas conferem evento da sérieLiderança na Prática A bolsista Lycia Hossaka - 21 -
  22. 22. Bolsistas 2011próxima geraçãoCriterioso e baseado em meritocracia, o processo seletivo daFundação estudar para concessão de bolsas de estudo paragraduação e pós-graduação é realizado todos os anos, sempre noprimeiro semestre. As bolsas concedidas variam entre 5% e 95% dovalor pleiteado pelo candidato. No caso de bolsistas que ingressamem universidades públicas, a bolsa ajuda a custear gastos commaterial didático, cursos de idiomas e moradia.- 22 -
  23. 23. Nesta página, da esquerda para a direita, Emanuel de Abreu Pessoa,Em 2011, o Processo Seletivo passou a ter como Cássio Kendi Takamori ecarro-chefe as bolsas para cursos de graduação. Guilherme Malik Parente.“Decidimos expandir nossa atuação nessa área, Na página ao lado, Maria Luísa Cantadori, Marco Aurélio de Barcelosbuscando identificar perfis de alunos com excelência Silva e Dorival Bordignon Júniorque possam aproveitar melhor as oportunidades decrescimento pessoal e profissional que a Estudaroferece”, afirma Thais Junqueira Franco Xavier,diretora executiva da Fundação Estudar. - 23 -
  24. 24. Bolsistas 2011 Da esquerda para a direita, Pedro Montebello Milani,“Dessa forma, ao acompanharmos de perto a Ronaldo Rozenbaum Paiva,evolução desses jovens desde o início de sua Gabriela Schneider Gugelmin, Tales de Mileto Sousa eformação universitária, nossa contribuição se Pablo Marcello Baquerotorna mais efetiva”, explica.As inscrições para o Processo Seletivo de 2011foram abertas no dia 12 de janeiro, encerrando-seem 28 de março. Durante esse período foram- 24 -
  25. 25. Da esquerda para a direita, Renan de Paula Pereira Henrique,realizadas 28 palestras e sessões informativas em Gabriel de Souza Gariglio e Rafael De Simone Matioliescolas e universidades de todo o país, além de açõespromocionais em formaturas em diversos estadosbrasileiros. Como resultado, foram recebidas 5.891inscrições para bolsas de graduação, pós-graduaçãoe intercâmbio. Depois de serem submetidos a testes,dinâmicas de grupo e entrevistas, 31 bolsistas foramaprovados, sendo 23 estudantes de graduação - 25 -
  26. 26. Bolsistas 2011 Da esquerda para a direita, Felipe Diogo Camêlo,(15 no Brasil, 5 no exterior e 3 intercâmbios Tatiana Miranda Gaspar de Souza,acadêmicos) e 8 alunos de pós-graduação. Ciências Bernardo Dantas Bandeira, Tiago Tavares Flórido eEconômicas, Engenharia Civil e Engenharia da Renan R. DinizComputação estão entre os cursos mais pleiteados pelosbolsistas de graduação, que tem entre 16 e 23 anosde idade. A maioria deles é do sexo masculino (78%)e vem da região Sudeste do país (83%). Esse mesmoperfil é observado entre os bolsistas dos- 26 -
  27. 27. Da esquerda para a direita, Edgar Lessa Venâncio,cursos de pós-graduação, com 88% homens e 62,5% Felipe Navarro Balbino Alves,deles de algum estado do Sudeste. A faixa etária varia Marina Palma Copola, Alexandre Souza Ferraz eentre 25 a 30 anos, sendo que 62% dos bolsistas Rafael Rebouças Peixotoaprovados em 2011 pleitearam cursos de pós-graduaçãoem Direito (LL.M.) e 38% para Administração deEmpresas. Independentemente do curso pleiteado,todos os bolsistas aprovados tem em comum o fato dereunirem características como excelência acadêmica e - 27 -
  28. 28. Bolsistas 2011 Da esquerda para a direita, Thiago José de Melo Cardoso,profissional, alto potencial intelectual e elevado Fábio Faria de Oliveira Filho,padrão ético. Em todas as etapas do processo Deborah Barbosa Alves, Rafael Rabelo de Carvalho eseletivo também demonstraram ter competências Ricardo Cavalcanti de C. Sansolocomo liderança, empreendedorismo, proatividade,criatividade e gosto por desafios, além decomprometimento com o Brasil e capacidadede sonhar grande.- 28 -
  29. 29. DIStRIBUIçãO GEOGRÁFICA DOS CANDIDAtOS (números do Processo Seletivo em 2011) Graduação Brasil 60 inscritos Exterior norte 12 inscritos nordeste Exterior 411 centro- inscritos 12 oeste inscritos 153 inscritos sudeste411inscritos 2.370 inscritos 361 sul inscritos Pós-Graduação DIStRIBUIçãO GEOGRÁFICA DOS CANDIDAtOS (números do Processo Seletivo em 2011) Brasil 59 ins Pós-Graduação Brasil norte 59 inscritos nord Exterior centro- norte 20 oeste inscritos nordeste 150 inscritos sudeste centro- 393 inscritos oeste 150 247 sul inscritos sudeste inscritos 1.655 inscritos 247 sul inscritos - 29 -
  30. 30. Bolsistas 2011 BOLSAS DA FUNDAçãO EStUDAR Programas de estudo, por categoria de bolsa Cursos Critérios de escolha das instituições Administração, Exame Nacional Direito, de Desempenho de Graduação no Brasil Economia, Estudantes (Enade) e avaliação dos cursos de Engenharia e graduação realizada pelo Relações Internacionais Guia do Estudante Administração, Ciências da Computação, Rankings das Ciências Políticas, melhores faculdades e Graduação no exterior Economia, universidades estrangeiras Engenharia, realizados pela US Matemática e NEWS Relações Internacionais Rankings das melhores faculdades e universidades estrangeiras Master in Laws realizados pela US (LL.M.) NEWS e instituições consideradas pelo LLM Guide Rankings das melhores faculdades e universidades Master in Business estrangeiras realizados pela Administration (MBA) US NEWS e o Global MBA Ranking, realizado pelo Pós-graduação Financial Times no exterior Master in Arts (M.A.) - com foco em negócios, Master in Public Administration (MPA), Master in Public Rankings das melhores Policy (MPP), faculdades e universidades Master in Science estrangeiras realizados pela (M.Sc), MIA (Master of US NEWS 2004 2005 2006 2007 International Affairs), 2009 2008 2010 2011 Master in Engineering (MEng) e Master in Education (EdM) 1102 0102 9002 8002 7002 6002 5002 4002 EvOLUçãO DO pROCESSO SELEtIvO Números de inscritos por ano 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 280 444 838 1.517 6.160 4.234 5.064 5.891- 30 - 198.5 460.5 432.4 061.6 715.1 838 444 082
  31. 31. Graduação no exterior e intercâmbio acadêmico Bernardo Dantas Bandeira, 20 anosLIStA DE ApROvADOS Engenharia Mecânica UFRJ / École Centrale de NantesGraduação no Brasil Deborah Barbosa Alves, 18 anosAlexandre Souza Ferraz, 23 anos Ciência da Computação – Harvard UniversityEngenharia Elétrica – Unicamp Gabriela Schneider Gugelmin, 17 anosCássio Kendi Takamori, 21 anos Ciências Econômicas – Columbia UniversityEngenharia da Computação – ITA Lucas Daniel Gonzaga de Freitas, 18 anosEdgar Lessa Venâncio, 22 anos Ciência da Computação – Harvard UniversityEngenharia Hídrica – Unifei-MG Maria Luísa Cantadori, 21 anosFelipe Diogo Camêlo, 18 anos Engenharia Biomédica –Poli–USP /Ciências Econômicas– FGV RJ Politecnico di TorinoFelipe Navarro Balbino Alves, 19 anos Pedro Montebello Milani, 17 anosEngenharia Eletrônica – ITA Engenharia Mecânica – Stanford UniversityGabriel de Souza Gariglio, 22 anosEngenharia Civil – IME Tatiana Miranda Gaspar de Souza, 18 anos Relações Internacionais – Brown UniversityRafael De Simone Matioli, 21 anosAdministração de Empresas – EAESP/FGV Tiago Tavares Flórido, 20 anos Ciências Econômicas – PUC – Rio /Rafael Rabelo de Carvalho, 19 anos University of California – BerkeleyEngenharia Eletrônica – ITARafael Rebouças Peixoto, 21 anos Pós-graduaçãoEngenharia da Computação – ITA Dorival Bordignon Júnior, 30 anosRenan de Paula Pereira Henrique, 21 anos MBA – ChicagoEngenharia Civil – IME Emanuel de Abreu Pessoa, 27 anosRenan R. Diniz, 23 anos LL.M. – HarvardEngenharia Civil Aeronáutica – ITA Fábio Faria de Oliveira Filho, 30 anosRicardo Cavalcanti de C. Sansolo, 20 anosEngenharia Aeronáutica – ITA MMM-MBA + Mestrado em Engenharia (dual degree) – KelloggRonaldo Rozenbaum Paiva, 21 anosEngenharia Química – UFRJ Guilherme Malik Parente, 26 anos LL.M. – StanfordTales de Mileto Sousa e Sampaio, 16 anosAdministração de Empresas – UFC Marco Aurélio de Barcelos Silva, 30 anos LL.M.– UCLVivian Fowler, 18 anosAdministração de Empresas – FEA/USP Marina Palma Copola, 26 anos LL.M. – Columbia Pablo Marcello Baquero, 25 anos LL.M. – Harvard Thiago José de Melo Cardoso, 28 anos MBA – Wharton - 31 -
  32. 32. Bolsistas 2011pOR DENtRO DE CADA EtApA(números do Processo Seletivo em 2011) Bolsas para graduação 3.367 insc rito s test e s env iado 1.760 s ná lise aa par os ção ad ta 551 voc n con ocume d de conv dinâ ocados 368 mica p de g ara rupo a par ual os id cad indiv 162 vo a con evist r ent entr conv evis ta c ocados om e x-bo para 88 lsist a a tap ae to s n final dida ista 27 can ntrev e de 23 candidatos aprovados * Fonte: Cia de Talentos- 32 -
  33. 33. Bolsas para pós-graduação 2.524 insc rito s test e s env iado 805 s ná lise aa par a dos ação 238 voc nt con ocume d de conv dinâ ocados 158 mica p de g ara rupo a par ual os id cad indiv 60 vo a con evist r ent entr conv evis ta c ocados om e x-bo para 37 lsist a a tap ae to s n final dida ista 13 can ntrev e de 08 candidatos aprovados* Fonte: Cia de Talentos - 33 -
  34. 34. IMpACtO liderança pelo exemplo Líderes fortes, inspiradores e eficazes são o denominador comum de empresas, instituições e órgãos do governo que, em suas diferentes áreas de atuação, promovem inovações que favorecem o desenvolvimento social e econômico de toda uma nação. Felizmente, a maioria dos bolsistas da Fundação Estudar já tem dado sua parcela de contribuição à sociedade brasileira, gerando, inclusive, novos empregos. A cada 10 bolsistas, pelo menos um decide empreender seu próprio negócio e outro se torna sócio de alguma empresa. Muitos também ocupam cargos de alto nível hierárquico em companhias de destaque no cenário nacional, seja na área financeira, seja no setor industrial ou no segmento de serviços. Além disso, mais de 9% dos formados atuam hoje na área de educação, no governo e em instituições do terceiro setor, ajudando a desenvolver programas e a criar políticas públicas que, de fato, possam fazer diferença no país. Na bagagem, todos tem em comum uma boa formação acadêmica. Desde 1991, a Fundação Estudar já concedeu 519 bolsas de graduação e pós-graduação nas melhores universidades do Brasil e do mundo, em países como Estados Unidos, Inglaterra e França. Desse total, 164 foram para estudantes de MBA em instituições fora do país e 171 bolsas para cursos de graduação, sendo as outras bolsas distribuídas em intercâmbios acadêmicos, mestrados e outras categorias de pós-graduação em diversas áreas.- 34 -
  35. 35. BOLSAS DE EStUDO Divisão por categoria, de 1991 a 2011* tipo de Bolsa Até 2010 2011 Graduação no Brasil 146 15 Graduação no exterior 35 5 MBA no exterior 159 3 ll.M. 26 5 Ph D 6 0 Outros (intercâmbios e outras 116 3 categorias de pós-graduação) * Não inclui bolsas canceladas e bolsas de curta duração SERVIÇO ÁREAS DIvERSAS Distribuição dos bolsistas já formados por segmento de atuação 30% serviços instituições financeiras/investimentos 30% 22% indústria 9% comércio 5% educação 2% 2% terceiro governo setor - 35 -
  36. 36. Perfil foto: Dani Dacorso Ronaldo lemos, 35 ANOS Bolsista de 2001, ll.M.,ConECTADo Harvard university, Harvard law School (euA) Ocupação atual: ProfessorCoM o PAís visitante do Centro de Políticas para Tecnologia da Informação da PrincetonQuem deixaria para trás a possibilidade de uma Universitycarreira como advogado em Wall Street para abraçarum projeto educacional no Rio de Janeiro, emum momento particularmente difícil para a cidade,que enfrentava sérios problemas de segurançapública? Ronaldo Lemos, mineiro de Araguari,fez essa escolha corajosa e hoje desfruta deexcelentes resultados.Formado em Direito pela Universidade de São Paulo(USP), Ronaldo iniciou sua carreira em duas linhasparalelas: como advogado, trabalhando no setor deTelecomunicações, e como acadêmico, lecionandoSociologia do Direito na Universidade de São Paulo(USP). Esse “curto-circuito” entre Telecomunicaçõese Sociologia o levou a trabalhar com Internet, suaprincipal motivação para que decidisse por ummestrado em Direito, em Harvard, que possui umdos principais centros de pesquisa a respeito dotema. Como bolsista da Fundação Estudar, Ronaldoconheceu várias pessoas com o espírito de assumirdesafios e contribuir para o desenvolvimento do país.
  37. 37. com os desafios relativos ao desenvolvimento“O Brasil oferece muitas do país”, afirma.oportunidades para O plano de Ronaldo é voltar ao CTS, onde já foramquem estiver disposto fechadas diversas parcerias, entre elas uma com oa trabalhar com os Banco Interamericano de Desenvolvimento em um projeto sobre música e tecnologia e outra com odesafios relativos ao IDRC (Centro de Pesquisas para o Desenvolvimentodesenvolvimento Internacional), que dará início a um piloto envolvendo games e educação como formas dedo país.” repensar a escola.Os conselhos recebidos pela Fundação Estudar Ronaldo tem ainda interesse pela área musical, o querefletiram determinantemente em sua carreira. acabou fazendo com que ele fosse convidado para“Lembro-me do Jorge Paulo Lemann falando: ser curador do Tim Festival, considerado por muitos‘vão para o exterior, estudem, cresçam sua rede anos o maior festival de música do país. Hoje, alémde contatos, divirtam-se e depois voltem para o de escrever semanalmente para o jornal Folha deBrasil, as oportunidades estão aqui’.” Ao terminar S.Paulo e mensalmente para a revista Trip, Ronaldoseu mestrado, em 2002, Ronaldo voltou ao Brasil apresenta um programa para a MTV chamado Modpara ser cofundador da Escola de Direito da MTV, no qual fala de tecnologia, vida e seu impactoFGV Rio. Ao trabalhar com educação, recebeu para a economia e a sociedade.inúmeras oportunidades de carreira e a partir daíos projetos se multiplicaram. O que lhe permite fazer tudo isso? Em sua opinião é a curiosidade. “Em um mundo com tantaEm 2002, criou o Centro de Tecnologia e Sociedade informação, foi importante para mim ser curioso e(CTS) da Escola de Direito da FGV Rio, com ter uma relação emocional com as coisas que faço”,o objetivo de pensar a questão da inovação e do conclui Ronaldo.desenvolvimento do país em face da tecnologia.Por meio das pesquisas desenvolvidas no CTSsurgiu o projeto de lei do Marco Civil da Internet,resultado de uma parceria com o Ministério daJustiça, que incentiva o empreendedorismo e protegea inovação na rede. Também lançou no Brasil oCreative Commons, projeto que tem por objetivoexpandir a quantidade de obras criativas disponíveisao público, permitindo criar outras obras sobreelas, por meio de licenças jurídicas. Outro projetoelaborado por Ronaldo foi o Overmundo, um portalcolaborativo voltado para a cultura brasileira, que é oúnico site brasileiro a ter recebido o principal prêmiode cultura digital do mundo, o Prix Ars Electronica.APosTA no BrAsIL - Hoje, aos 35 anos, RonaldoLemos está na Princeton University, trabalhando noCentro de Políticas para Tecnologia da Informação,passando um ano como professor visitante. Mas em2012 ele deve retornar para o Brasil. “Se há algoque pode servir como exemplo na minha trajetória éo fato de eu ter apostado no Brasil, onde há muitasoportunidades para quem estiver disposto a trabalhar - 37 -
  38. 38. PerfilEM BUsCA DEMELHorEsTrATAMEnTosQuando criança, Wilian sonhava em ser médico. Depois de abraçar o projeto, Wilian conheceu oAluno dedicado, ele bem que poderia ter seguido Laboratório de Malária da Fundação Oswaldoa profissão, mas aos 15 anos de idade outra área Cruz (Fiocruz) e encantou-se com a infraestruturachamou sua atenção. Ao ingressar no Colégio da linha de pesquisas. “Percebi quão poderosaMilitar de Belo Horizonte, cidade onde nasceu, era a Medicina e quis entender o processo deWilian teve a chance de realizar uma iniciação desenvolvimento de novos medicamentos ocientífica júnior na Universidade Federal de mais profundamente possível.” Resolveu, então,Minas Gerais e desenvolver o projeto “Bases ingressar no Instituto Militar de Engenhariapara elaboração de novos fármacos antimaláricos”. (IME), no Rio de Janeiro, que realizava pesquisas“Essa pesquisa relacionando a Química à nessa área. Para isso, abandonou o terceiro ano doMedicina me fascinou muito, pois, na época, ensino médio em Minas Gerais e foi para o Colégiomeu pai estava com câncer no pulmão e eu queria Roquette, no Rio.entender o que poderia fazer para ajudar notratamento dessa doença”, lembra. Ao não ser aprovado no IME, decidiu mudar de curso. Mas pouco depois, seu pai faleceu, sem antes pedir à sua mãe que estimulasse Wilian a não desistir dos seus sonhos. “Foi bastante difícil, pois até aquele momento eu queria muito poder fazer algo pelo meu pai, mas já não tinha mais jeito”, recorda. Contudo, a força e o apoio de sua mãe e irmãs fizeram com que Wilian saísse do luto e tentasse novamente entrar no IME. Aprovado, Wilian começou a aprender como a Engenharia, juntamente com a Química e a Biologia, poderia tornar possível seu desejo de desenvolver novos medicamentos. Wilian CoRtopassi, 21 ANOS Bolsista de 2010, engenharia Química, PuC-rio (Brasil) Ocupação atual: sócio da Fornix Drug Design e analista de inovação da DMBranco- 38 -
  39. 39. Ainda no primeiro semestre, Wilian participou Paralelamente ao projeto da Fornix, Wilian temde dois congressos apresentando seus primeiros desenvolvido várias pesquisas na PUC-Rio e notrabalhos relacionados à pesquisa. Foi no segundo IME e, somente no primeiro semestre de 2011, teveano, em uma palestra no IME, que conheceu a três artigos aceitos para publicação em periódicosFundação Estudar e decidiu participar do processo científicos de destaque internacional. Aos 21 anos deseletivo. Na época, Wilian era militar, mas buscava idade, sua meta é participar ativamente de projetosalgo além dos quartéis que permitisse que ele se relacionados à saúde no mundo todo, sempretornasse uma referência na área da Química aplicada integrando a Engenharia com a Medicina e, dessaà saúde. “Precisava conhecer pessoas que tivessem forma, contribuindo para a melhoria da qualidadeum brilho nos olhos para suas respectivas áreas e que de vida da população mundial. “Passamos por umpudessem me ajudar a trilhar minha busca por novos momento em que a tecnologia começa a cuidar detratamentos”, conta. nossa saúde. Quero estar à frente desse processo, liderando essa revolução científica.”Foi o que fez ao ser aprovado pela Fundação Estudar.As atividades militares, no entanto, ocupavamcada vez mais o seu tempo, impossibilitando-ode participar de congressos científicos e realizarpesquisas. Numa tentativa de abrir as portas deseu futuro, Wilian resolveu fazer a prova Desafiosde Química 2010 da PUC-Rio. A medalha debronze rendeu-lhe uma bolsa integral para cursarbacharelado em Química, juntamente comEngenharia Química. Pediu, então, sua transferência.sAúDE é o qUE InTErEssA - Já na PUC-Rio,começou a desenvolver um projeto com DanielBranco, ex-bolsista da Fundação Estudar e fundadorda DMBranco, empresa dedicada a negócios emsaúde. Juntos idealizaram a Fornix Drug Design,primeira empresa brasileira a oferecer soluçõescomputacionais para o desenvolvimento completode novos tratamentos. “A ideia é lançar no mercadomedicamentos cada vez mais baratos e eficazes, commenos problemas tóxicos, para todas as doenças,de câncer até outras negligenciadas, como malária,chagas e dengue”, explica.“Pretendo lançar nomercado medicamentoscada vez mais baratose eficazes, com menosproblemas tóxicos, paratodas as doenças.” - 39 -
  40. 40. Perfil Claudia elisa de pinho soaRes, 43 ANOSsEMPrE DE Bolsista de 1997, MBA, iNSeAD (França) Ocupação atual: Vice-oLHo no FUTUro presidente de Estratégia de Mercado do Grupo Pão de AçucarQuando ingressou no Grupo Pão de Açúcar, emagosto de 2008, a carioca Claudia Elisa sabia queteria muitos novos desafios pela frente. Essa, aliás,foi a maior motivação para que ela deixasse Goiás,onde era responsável pelas áreas financeiras e degestão de pessoas da empresa de produtos lácteosLeitbom, e retornasse a São Paulo para assumir avice-presidência de Recursos Humanos do GrupoPão de Açúcar, então com um quadro de 65 milfuncionários.Esse cenário, no entanto, foi mudando ao longo de2009, começando com a aquisição de 100% do AssaíAtacadista, concluída ainda no primeiro semestre.Em julho foi anunciada a compra do Ponto Frioe em dezembro de 2009 foi firmada a associaçãocom as Casas Bahia, o que fez com que o quadro defuncionários do grupo saltasse para 155 mil pessoas.“Deixamos de ser uma empresa de varejo alimentar epassamos a ser um grupo multinegócios.- 40 -
  41. 41. Por isso tivemos que pensar uma nova forma de Direta, no Rio de Janeiro.nos organizar”, lembra Claudia que, nesse período,também participou ativamente do processo de Após esse trabalho, Claudia Elisa voltou para Sãosucessão do então presidente da companhia. Paulo como gerente corporativa de Controladoria da Diretoria Financeira e, em setembro de 2005,Mas os desafios não pararam por aí. Em março de assumiu a gerência de Carreira e Desenvolvimento2010, um novo presidente assumiu o comando do na área de Gente & Gestão da AmBev. Ao ver aGrupo e encomendou a revisão do modelo de gestão quantidade de novos conceitos técnicos a aprender,e de suas estruturas organizacionais. Concluído o fez então seu segundo MBA, desta vez em Recursostrabalho em junho, Claudia Elisa foi convidada a Humanos na FIA-USP. Em fevereiro de 2007,assumir a vice-presidência de Estratégia de Mercado, chegou à Diretoria de Gente & Gestão de Vendas.área responsável por pensar o futuro e o crescimento De um grupo de 54 profissionais que entãoda companhia como grupo. “Meu papel é influenciar ocupavam posições de diretoria na zona Américae apoiar meus pares, sejam corporativos, sejam de Latina Norte, ela era a única mulher. Permaneceunegócios, a olharem constantemente para o futuro e na AmBev até abril de 2008, quando aceitou aconstruírem projetos e ações que garantam o alcance proposta da Leitbom.da visão do Grupo.” Agora à frente da área de Estratégia de Mercado doExPErIênCIAs ACUMULADAs - Em Grupo Pão de Açúcar, Claudia Elisa continua tendotermos funcionais, o projeto atual é como uma uma agenda bastante atribulada, que inclui pelovolta às origens, já que Claudia Elisa é formada menos uma viagem internacional de negócios porem Administração pela PUC-Rio. “A Estratégia de mês. As horas vagas ela reserva para desfrutar comMercado é muito calcada em números e análises, o marido, com quem é casada há 14 anos, e curtirque foi por onde naveguei em toda minha carreira”, os três filhos, de 12, 9 e 7 anos. Também praticadiz. Durante a faculdade, estagiou no Marketing da corrida e musculação e gosta de cantar, dançar eSouza Cruz e do Banco Bozano, Simonsen. tocar piano. E em tudo o que faz, procura deixar suaDepois que concluiu o ensino superior, Claudia marca registrada: “o entusiasmo e a perseverança deElisa estagiou na Inglaterra e na Alemanha e assim transformar o ambiente à minha volta, dentro dasque voltou ao Brasil participou, em 1991, de funções que recebo como desafios”.um processo seletivo na AmBev (ainda Brahma),tornando-se trainee. “Meu papel é influenciarEm 1997, depois de percorrer diferentes áreas e apoiar meus pares afuncionais da Brahma (Finanças, Logística, Vendase Distribuição), Claudia Elisa decidiu que era hora olharem constantementede fazer um MBA no exterior. Candidatou-se a uma para o futuro e construírembolsa pela Fundação Estudar e foi para o INSEAD naFrança. De volta ao Brasil, recebeu diversas propostas projetos e ações quede trabalho, mas queria ter uma experiência garantam o alcance da visãodiferente. Sinalizou, então, para o pessoal da Brahmaque gostaria de atuar na área fabril e acabou se do Grupo.”tornando gerente da Fratelli Vita, fábrica de água eisotônico localizada na Bahia. Um pouco mais tarde,já casada e com seu primeiro filho, assumiu umcargo de gerência na Venezuela. Dois anos depois,em 2001, retornou ao Brasil para o cargo de gerênciafinanceira e logística do Centro de Distribuição - 41 -
  42. 42. PerfilATrás DE MAIs MArCELo GoMEs MATTAr, 25 ANOSConHECIMEnTo Bolsista de 2010, PhD em Psicologia, university ofPesando pouco mais de um quilo, o cérebro Pennsylvania (euA)comanda as funções que asseguram a reprodução Ocupação atual:e a sobrevivência da espécie humana. Não por pesquisador com focoacaso, essa máquina fascinante vem sendo em oscilações cerebrais, memória e neurociênciaestudada por cientistas do mundo todo há computacionalséculos, mas ainda há muito a desvendar.Foi justamente essa possibilidade, aliada àsgrandes perspectivas futuras para a neurociênciano Brasil, que levou Marcelo a fazer umdoutorado nos Estados Unidos.Mas não é de hoje que Marcelo se sente atraídopela possibilidade de explorar o desconhecido.Com apenas 7 anos de idade, o cientista-mirimconstruiu um pequeno laboratório em casa paradesmontar equipamentos eletrônicos e remontá-losem seguida. “Também comprava várias revistas deprojetos de eletrônica e adorava montar pequenostransmissores, rádios e até robozinhos”, contaMarcelo, que sempre teve muita facilidade emtodas as disciplinas na escola.Aos 17 anos, o mineiro trocou a cidade deDivinópolis (Minas Gerais) por São José dosCampos, em São Paulo, para estudar EngenhariaEletrônica no Instituto Tecnológico de Aeronáutica(ITA). Durante o curso, viajou bastante para forado país e trabalhou por dois anos na AIESEC,uma organização estudantil que busca promover oentendimento intercultural por meio da promoçãode intercâmbios profissionais. O emprego fez comque Marcelo tivesse sua primeira experiência como- 42 -

×