Egito antigo

1.941 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.941
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
36
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Egito antigo

  1. 1. História Egito Antigo Matheus Martins
  2. 2. O CRESCENTE FÉRTIL
  3. 3. O CRESCENTE FÉRTIL • Crescente fértil  Egito, Corredor Sírio- Palestino e Mesopotâmia • Águas em meio a desertos; vales fluviais densamente povoados civilizações hidráulicas (dependência humana da natureza).
  4. 4. A Extensa área produtiva que abrange as terras desde o golfo pérsico, passando pelo mediterrâneo e atingindo o Egito, região que foi o berço das mais antigas civilizações, denomina-se: a) Fenícia. b) Crescente Fértil. c) Vale do Nilo. d) Mesopotâmia. e) Vale Fértil.
  5. 5. O Egito Antigo
  6. 6. Egito Antigo (Características Geográficas) • Egito  Civilização desenvolve-se ao redor do vale fluvial do Nilo, tendo uma divisão geográfica visível: 1 – Alto Egito - Vale do Nilo 2 – Baixo Egito - Região do Delta do Nilo • Faixa fértil as margens do Nilo; entre os desertos da Líbia, à Oeste, e da Arábia, à Leste (Isolamento Geográfico). • Território com abundancia em jazidas de pedra  Material para construção. • Enchentes regulares do rio Nilo, deixavam a terra as suas margens cobertas de material orgânico (húmus, limo, ...)  solo fértil, propicio para agricultura irrigada.
  7. 7. (UECE) Sobre o papel do rio Nilo na estruturação da sociedade no Egito Antigo, é correto afirmar que: a) suas cheias significavam um momento de instabilidade política e econômica, uma vez que destruíam as colheitas e provocavam fome generalizada. b) sua maior importância era servir de meio de transporte para as tropas que garantiam a supremacia militar dos egípcios em toda a África. c) permitia a atividade econômica e, com suas cheias regulares, garantia a estabilidade político e o domínio simbólico dos faraós d) a capacidade e o volume de água não eram aproveitados pelos egípcios, que se limitavam nas vazantes a esperar a próxima cheia.
  8. 8. Formação dos Nomos • A necessidade do trabalho coletivo  formação das comunidades de aldeia  integradas em grupos maiores chamados Nomos  Unidade político-administrativa básica em toda história do Egito Antigo. • Os Nomos eram chefiados por NomarcasPoder jurídico, administrativo e militar.
  9. 9. “Período Pré-dinástico” (4000 – 3000 a.C.) • Sistema hieroglífico de escrita • Primeiro calendário solar da história (Baseado nas estações | cheias do Nilo) • Formação de 2 reinos a partir da união de Nomos: 1 – Alto Egito - Vale do Nilo 2 – Baixo Egito - Região do Delta do Nilo • Por volta de 3000 a.C., Menés, rei do Alto Egito, unifica os dois reinos  ele e seus sucessores são os “Reis do Alto e Baixo Egito” Faraós, como são chamados partir da 3ª dinastia.
  10. 10. União das coroas do Baixo e Alto Egito
  11. 11. O Estado Egípcio. • Monarquia despótica de base teocrática • Todas as terras do Egito, são de posse legal do Faraó; cabe aos camponeses, somente, o uso fruto da terra para o pagamento de: Impostos coletivos (excedente da produção agrícola) Prestação de serviços ao Estado (Servidão Coletiva) • Aparelho de governo burocrático: Sacerdotes, Nobres e Escribas • O Estado controla o comércio (intervencionista)
  12. 12. • O exercito atende a 3 funções: 1. Defesa dos ataques externos (nômades dos desertos) 2. Coação interna (policiamento de aldeias rebeldes) 3. Expedições em busca de materiais raros (ouro - Núbia; metais - Palestina) • Até a fase do “Novo Império”, o Egito não foi um estado militarista. • Escravidão de caráter primordialmente domestica; quando não utilizado para obras públicas. • Base da produção econômica  trabalho camponês
  13. 13. Sociedade Egípcia
  14. 14. • Faraó: Deus vivo, encarnado, senhor de todas as terras. • Nobres: Parentes do Faraó, altos funcionários do palácio e descendentes dos Nomarcas mais importantes. • Sacerdotes: administravam todos os bens que os fiéis e o próprio Estado ofereciam aos deuses; e detinham muita influência junto ao faraó. • Escribas: dominavam a arte da escrita egípcia; logo, encarregavam-se da cobrança dos impostos, da organização das leis e dos decretos e da fiscalização da atividade econômica em geral (burocratas por excelência).
  15. 15. • Soldados: Mal quistos pela população, viviam dos saques aos inimigos. • Artesões e Comerciantes: Camada popular urbana, à serviço das classes superiores. • Camponeses (felás): base econômica da vida egípcia; produziam a maior fonte de riqueza; viviam em condições precárias . • Escravos: prisioneiros de guerra  funções domésticas, ou utilizados em obras estatais  em pequeno número (sociedade não-militarista)
  16. 16. Sobre a organização do Estado Egípcio, devemos considerar incorreto: a) Consistia numa monarquia despótica de origem divina. b) Para aumentar o prestigio do faraó, divinizaram- no e proclamaram “grande deus”. c) O estado dirigia a economia e controlava a produção. d) O faraó não era visto como um deus e, sim como apenas a representação da divindade. e) O faraó exercia ao mesmo tempo o papel de juiz, rei e sacerdote.
  17. 17. Assinale a opção correta: I. Nenhuma civilização antiga encontrou-se, como a do Egito, em condições tão favoráveis para viver isolada e ao abrigo das influências estrangeiras. II. A monarquia de origem divina encontrou no Egito sua mais enérgica expressão e consequências mais extremas. III. O felá era utilizado no Egito para todo tipo de trabalho, desde os campos do faraó ou dos templos até a construção de pirâmides. a) Todas as assertivas estão corretas. b) Somente as assertivas I e II estão corretas. c) Somente a assertiva III está correta d) Nenhuma das assertivas está correta. e) Somente a assertiva I está correta.
  18. 18. Periodização da história do Egito Antigo Antigo Império (3000 - 2300 a. C.) Médio Império ( 2050 - 1750 a. C.) Novo Império (1580 - 1080 a. C.) Baixo Império (1080 - 525 a. C.) • Crises políticas e a perda do poder central por parte do Faraó, marcam o fim de cada período.
  19. 19. “Antigo Império (3000 - 2300 a. C.)” • Menés, o unificador (clã falcão) • Capital: Tinis (tinitas)  Mênfis a partir da 3ª dinastia • Pirâmides de Gizé  Complexo funerário construído para a honra dos Faraós.  Destaque para as 3 mais famosas pirâmides: Quéops, Quéfrem e Miquerinos. • Fim do período descentralização política: Faraó X Nomarcas ( disputa da autoridade sobre a terra); invasões por tribos nômades do deserto  fragmentação política.
  20. 20. “Médio Império ( 2050 - 1750 a. C.)” • Reconquista da unidade política: capital em Tebas • Conquista da Núbia  ouro e escravos • Fim do período 1. crises entre o Faraó e o crescente poder político dos Nomarcas; Revoltas de camponeses e escravos (superexploração) 2. enfraquecimento interno facilita a invasão e o domínio dos Hicsos (povos de origem asiática) com superioridade bélica ante os egípcios domesticação do cavalo e o uso do ferro  estabelecem-se no Delta do Nilo, de onde cobram tributos do Sul. 3. Migração hebraica vinda da palestina, fixa-se no Delta do Nilo (possível associação pacifica com os Hicsos).
  21. 21. “Novo Império (1580 - 1080 a. C.)” • Após, quase, um século e meio de domínio os Hicsos, são expulsos  Aristocracia Tebana, restauração do Império. • Nova aristocracia  militar (associada à expulsão dos invasores) • Fase imperialista, expansionista e militarista • Aquisição de territórios asiáticos: entre o Corredor Sírio-Palestino e o rio Eufrates
  22. 22. • Reforma religiosa de Amenófis IV  Monoteísmo solar Visa derrubar o poder sacerdotal  politeísmo popular e força sacerdotal fazem com que a reforma não vigore, sendo revogada pelo seu sucessor, Tutancâmon • Ramsés II, o Faraó guerreiro: Êxodo hebraico Batalha de Cadesh (Hatusil III) Tratado de paz com os Hititas na Ásia menos (1º da história) • Invasão dos chamados “Povos do Mar” e de tribos líbias criam instabilidade política  perda das posses asiáticas.
  23. 23. Amenófis IV (Aquenaton) Mural representa Ramses II vencendo os Hititas em Kadesh
  24. 24. “Baixo Império (1080 - 525 a. C.)” • Declínio da autoridade do Faraó • Sucessivas invasões de líbios, núbios (Faraós Negros) e assírios • Renascimento Saíta  Governantes de Saís, expulsão os assírios e se fazem os novos Faraós • Necao II  contrata o fenício Hanno para realizar périplo africano • Em 525 a. C., os Persas liderados por Cambises II invadem o Antigo Egito pondo fim, definitivamente, a sua independência política.  Batalha de Pelusa
  25. 25. Religião Egípcia • Divindades Antropozoomorfas • Cultos locais reforçam o politeísmo • Mito de Osíris (Deus civilizador) • Tribunal de Osíris  Imortalidade, Ressurreição  Mumificação
  26. 26. Tribunal de Osíris
  27. 27. Principais divindades Amon-Rá - Deus protetor dos Faraós, de quem os próprios são filhos. O sol (culto estatal) Osíris e Isis - Casal/irmãos divinos da fertilidade, colheita e justiça (culto popular) Horús - Filho de Osíris e Isis, deus cabeça-de- falcão. Por vezes, os Faraós se assumem como a própria encarnação de Horús. Seth - Deus da guerra, violência e desordem. Irmão e assino de Osíris Anúbis – Deus cabeça-de-chacal, Deus dos funerais. Tot- Deus cabeça-de-íbis, Deus da escrita.
  28. 28. Amon-Rá Seth
  29. 29. Arquitetura. • De caráter religiosa, principalmente funerária • Destaque para os esplêndidos túmulos: Mastabas, Pirâmides e Hipogeus • Templos suntuosos
  30. 30. • Mastaba Pirâmides
  31. 31. Hipogeu Templo de Karnak
  32. 32. Escrita • Hieroglífica: Apenas os sacerdotes, membros da realeza, altos cargos, e escribas conheciam a arte de ler e escrever esses sinais "sagrados". • Hierático: simplificação da hieroglífica, mas, de difícil compreensão, destinada ao uso sacerdotal. • Demótico: escrita simples e ágil, usada na administração estatal. • Copta: escrita demótica mesclada com caracteres gregos.
  33. 33. Escrita Hieroglífica
  34. 34. Escrita Hierática
  35. 35. Escrita demótica
  36. 36. Arte • Esculturas colossais de Deuses rigidez • Pintura  em papiro ou afresco; obedecem a estética da lei da frontalidade • Literatura destaque para obras religiosos ou de valores morais: Livro dos mortos, Hino a Aton, Instruções sobre a arte de viver.
  37. 37. Avanços científicos nas áreas da: • Matemática • Engenharia • Medicina • Cosmética • Astronomia
  38. 38. Os camponeses são a base da economia do Egito Antigo, sobre sua função social é correto afirmar: a) Tinham direito a terra e posse de tudo o que produziam. b) Classe letrada, tinham acesso aos registros de posse de terra distribuídos pelo Estado. c) Viviam em situação precária, mas, detinham a posse da terra em que trabalhavam. d) Possuíam somente o uso fruto da terra, tendo obrigação de pagar imposto in natura e trabalhar em obras públicas. e) Cultuavam um único Deus, Aton, o disco solar.
  39. 39. Sobre o período da história do Egito Antigo conhecido com “Novo Império”, é incorreto afirmar: a) Nesta fase ocorreu a reforma religiosa de Amenófis IV, o monoteísmo solar. b) Momento imperialista e expansionista da história do Egito, onde o Império se expandiu até a Ásia menor. c) Somente neste período, devido às riquezas adquiridas em guerra, foi possível aos Faraós construir suntuosas edificações tumulares: as pirâmides. d) Período no qual se insere o reinado de Ramsés II, o Faraó guerreiro. e) Neste momento histórico os militares ocupam o espaço aristocrático.

×