Mensagem Para o Tempo do FimPor Ezinaldo Ubirajara Pereira (RA, ago. de 2008)Para cada período da História, Deus tem uma m...
Para esse tempo, Deus tem uma advertência de especial importância para oshabitantes da Terra. É o último aviso de misericó...
mesmo diante das mais terríveis ameaças e que foram classificados como santos porguardarem "os mandamentos de Deus" como f...
1. MervinC Maxwell, Uma nova era segundo as profecias de Offfi/e/(Tatuí, SP: CasaPublicadora Brasileira, 1996), p. 129,130...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mensagem para o tempo do fim

706 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
706
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mensagem para o tempo do fim

  1. 1. Mensagem Para o Tempo do FimPor Ezinaldo Ubirajara Pereira (RA, ago. de 2008)Para cada período da História, Deus tem uma mensagem específica. Essa mensagem édenominada "verdade presente" Exemplo disso é a pregação de Noé, que conclamou omundo antediluviano ao arrependimento e anunciou a destruição por meio do dilúvio(Gn 6 e 7).No Novo Testamento, encontramos outro exemplo em que a mensagem presenteconsistia em aceitar Jesus de Nazaré como o Filho de Deus e Salvador do mundo.Embora essa pregação cristocêntrica permeie a Bíblia em todos os tempos, naquelaépoca, os apóstolos tinham o desafio de levar as pessoas a aceitar o Carpinteiro judeucomo o prometido Messias do Antigo Testamento (At 2:22-36; 4:11,12; 5:30,31).Avançando na História, encontramos no século dezesseis o movimento da ReformaProtestante com a mensagem de que a Bíblia é a única regra de fé (Sola Scriptura) e deque a fé nos méritos de Cristo é o único meio pelo qual alguém pode ser aceito e salvopor Deus (Sola Fide). Tais aspectos da mensagem eram apropriados ao contexto emque os reformadores viviam, pois e papado havia exaltado a tradição em lugar doAssim diz o Senhor" e a salvação pelas obras em lugar da justiça de Cristo.Tempo do fim - Qual é a mensagem de Deus para nosso tempo? Para entendermosisso, precisamos identificar o período da História em que vivemos.No capítulo 12 do livro de Daniel, Deus revela ao profeta que o entendimento do seulivro só ocorreria no "tempo do fim" (v. 9). Esse tempo chegaria após o períodoprofetizado "de um tempo, dois tempos e metade de um tempo" (v. 7), o que equivalea 1260 anos (538 d.C - 1798 d.C), nos quais o Romanismo mudaria o Decálogo,perseguiria os fiéis de Deus e lançaria a verdade por terra (Dn 7:25; 8:12; Ap12:6,13,14; 13:5,6).1Portanto, em 1798, começou o "tempo do fim" um período singular em que asprincipais profecias de Daniel se cumpririam (Dn 8:14; 12:11, 12), haveria um crescenteavanço do conhecimento profético e também científico (Dn 12:4) e a Históriaregistraria importantes sinais preditos nos evangelhos e no livro do Apocalipse (Mt24:29; Mc 13:24,25; Lc 21:11,25; Ap 6T2-14).2
  2. 2. Para esse tempo, Deus tem uma advertência de especial importância para oshabitantes da Terra. É o último aviso de misericórdia a este mundo mergulhado nastrevas do pecado. Encontramos essa mensagem em Apocalipse 14:6-12 - a tríplicemensagem angélica. Essa tríplice mensagem antecede a cena da segunda vinda deCristo - o Cavaleiro que vem para ceifar a seara da Terra (versos 14-16). Portanto, éuma advertência que deve ser comunicada no tempo do fim, uma solene mensagemque visa a preparar um povo para o encontro com o Rei que Se aproxima. O verso 13,que está entre a tríplice mensagem e os textos da Segunda Vinda, pronuncia umabênção sobre aqueles que morrem no período em que essas mensagens são pregadase crêem nelas: "Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor."3A pessoa de Cristo e Sua obra salvadora constituem o tema catalisador dessa tríplicemensagem. Nela, o "evangelho eterno" as boas novas da justiça e da salvação emCristo são o tema central e predominante, como demonstrado na introdução dapassagem (v. 6).4O primeiro anjo proclama o juízo de Deus (v. 7), o qual começou sua primeira fase em22 de outubro de 1844. Nessa data, terminou o grande período profético dos 2300anos de Daniel 8:14, e começou a purificação do santuário celestial, a qualcorresponde ao mesmo julgamento visto pelo profeta no capítulo 7:9, IO.5Nessa nova fase de Seu ministério, Cristo não só intercede pela humanidade, como jávinha fazendo, mas atua no juízo em defesa de Seu povo, que está sendo julgadoconforme os registros celestiais (Dn 7:10). Para essa fase do julgamento, usam-se ostermos juízo pré-advento ou juízo investigativo, pois ocorre no período que antecede asegunda vinda de Cristo e no qual os filhos de Deus são julgados/examinados pelopadrão da lei divina que deve ser obedecida como fruto da fé em Cristo.6 Diante daiminência do julgamento, o anjo conclama a humanidade a temer a Deus, glorificá-Lo eadorá-Lo.O segundo anjo anuncia a queda de Babilônia (v. 8), o falso sistema religioso dosúltimos dias. A queda é conseqüência de o sistema estar fundamentado no erro, porter rejeitado a verdade bíblica e defender doutrinas espúrias, como: imortalidade daalma, santidade do domingo, salvação pelas obras, etc. Quem não aceitar as palavrasde Cristo e não as praticar, experimentará a ruína (Mt 7:26, 27), e quem "ultrapassa adoutrina de Cristo e nela não permanece, não tem Deus" (2Jo 9). Assim, a mensagemdo segundo anjo é um convite para que saiam de Babilônia todos os que foramenganados por suas falsas doutrinas (Ap 18:1-5) e aceitem a verdade conformerevelada em Cristo.O terceiro anjo acompanha as outras mensagens com uma advertência contra aadoração à besta e ao recebimento da sua marca (Ap 14:9-11). Essa mensagemdemonstra que o conflito final girará em torno da lealdade a Deus por meio da guardados Seus mandamentos ou à obediência a preceitos humanos.7 Uma corporação deIgreja/Estado, nos últimos dias (Ap 13:11, 12), obrigará a humanidade a observar comodia de guarda um falso dia de adoração (Ap 13:16,17) em lugar do dia estipulado porDeus em Sua lei (Êx 20:8-11). Os que aceitarem esse falso dia serão atingidos pelassete últimas pragas que serão derramadas "sem mistura" de misericórdia (Ap 14:9, 10;15:1; 16). Em contraste, haverá o grupo daqueles que permanecerão fiéis a Deus
  3. 3. mesmo diante das mais terríveis ameaças e que foram classificados como santos porguardarem "os mandamentos de Deus" como fruto de sua "fé em Jesus" (Ap 14:12).Mensagem específica - Justamente nesse tempo, o tempo do fim, no qual a tríplicemensagem deve ser proclamada, Deus suscita um povo para cumprir essa solenemissão. Esse povo é identificado como aqueles "que guardam os mandamentos deDeus e têm o testemunho de Jesus" (Ap 12:17). Essa última característica - "otestemunho de Jesus" - é definida como a manifestação do dom de profecia (Ap19:10). A Igreja Adventista do Sétimo Dia se enquadra nessa classificação, pois surgeno período do tempo do fim (1844) como resultado dos estudos e do cumprimento dasprofecias de Daniel e Apocalipse, exaltando a obediência à Lei de Deus,especificamente a validade do sábado, e testemunhando, em seu meio, amanifestação do verdadeiro dom de profecia na pessoa de Ellen G. White.8Desse modo, há um povo que prega uma mensagem específica no tempo determinadopela profecia. Esse povo foi levantado para restaurar as verdades que foram lançadaspor terra durante o período de supremacia papal, reparar as "brechas" feitas na lei deDeus, edificando, assim, "as antigas ruínas" (Is 58:12). Nossa responsabilidade é levarao mundo uma mensagem singular, preparando "a seara da Terra" para a vinda doFilho do homem. "Em sentido especial foram os adventistas do sétimo dia postos nomundo como vigias e portadores de luz. [..,] Confiou-se-lhes uma obra da mais soleneimportância: a proclamação da primeira, segunda e terceira mensagens angélicas.Nenhuma obra há de tão grande importância. Não devem eles permitir que nenhumaoutra coisa lhes absorva a atenção. As mais solenes verdades já confiadas a mortaisnos foram dadas, para as proclamarmos ao mundo. A proclamação dessas verdadesdeve ser nossa obra. O mundo precisa ser advertido, e o povo de Deus deve ser fiel aolegado que se lhe confiou"9 Tal responsabilidade deve incutir em nós um senso demissão jamais visto em outro povo. Precisamos nos unir e concentrar as nossas forçasnessa direção.Mas não podemos nos esquecer de que só cumpriremos essa missão com a ajuda doEspírito Santo. Em Apocalipse 18:1, a Terra é vista sendo iluminada pela glória celestial,e essa glória é a manifestação poderosa do Espírito Santo no tempo do fim,derramando Seu poder sobre a igreja como "chuva serôdia!10 Esse poder capacitará aigreja para dar, "com potente voz" (verso 2), o último convite ao mundo, antes dofechamento da porta da graça (versos 2-5). Os adventistas do sétimo dia precisam tercomo prioridade a busca desse poder a fim de continuar pregando "aos que seassentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo" (verso 6) o evangelhoeterno, no contexto da tríplice mensagem angélica. Cada pessoa que conheceu averdade para o tempo presente e se une às fileiras do adventismo, é chamada aproclamar "as virtudes dAquele que vos chamou das trevas para a Sua mara-vilhosaluz" (IPe 2:9). Portanto, cumpramos nossa missão!Ezinaldo Ubirajara Pereira é capelão do Hospital Adventista de Belém, Pará.Referências
  4. 4. 1. MervinC Maxwell, Uma nova era segundo as profecias de Offfi/e/(Tatuí, SP: CasaPublicadora Brasileira, 1996), p. 129,130.2. Ibid.,p.318,319.3. Alberto RAxm,0 Santuário e as três mensagens angélicas: fatores ín-tegrativosnoaésenwlvinKntodasdoutrinasadventistas[lngenhero Coelho, SP: ImprensaUniversitária Adventista, 2002) p. 232.4. Lição da Escola Sabatina, "0 Último Convite: a mensagem dos três anjos", outubro-dezembro,1994, p 17.5. Oifford Goldstein, l844:Umaexplicacâosimplesdasprincipaisprofe-ciasdeftm/e/fTatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2000), p. 45-48.6. Eilen G. White, 0 Grande Conflito (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 1988), p.482.7. Eilen G. White, Eventos Finais, p. 193.8. Maxwell, 0p.Cit.,p. 422,423.9. Eilen G. White, Evangelismo, p. 119,120.10. Eilen G. White, 0 Grande Conflito, p. 611,612.

×