09 o evangelho do reino

484 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
484
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
26
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

09 o evangelho do reino

  1. 1. O EVANGELHO DO REINO A mensagem do evangelho após o Pentecostes começou de umamaneira celestial. Os discípulos e seus seguidores não tinham dinheiro;eles não tinham sido treinados nos salões da moda de aprendizado deseus dias; não tinham prestígio com o qual comandar o aplauso dosenado ouvinte. Mas aqueles que ouviram "reconheceram que elestinham estado com Jesus". (Atos 4:13, RSV) Eles viviam sobre osnevoeiros e miasmas do pecado, e momento a momento eles receberamsuas instruções diretas do Escritório Central. Por seguirem estasinstruções, não importa quanto eles eram maliciados e perseguidos, seutrabalho era sempre um sucesso aos olhos dos Céus, realizando grandescoisas por Deus. Assim será outra vez. Em toda parte da terra os homens e mulheresde Deus, de passo dado uns com os outros, porque eles todos estãoouvindo o mesmo som de tambor de cima, marcharão de uma vitória aoutra. A esperança da volta de Cristo em glória sempre foi o pensamentomais inspirador acariciado por seres humanos. Diz Ellen G. White: "Ao povo de Deus, por tanto tempo a peregrinar em sua jornada na"região e sombra da morte" (Mat. 4:16), é dada uma esperança preciosa einspiradora de alegria, na promessa do aparecimento dAquele que é "aressurreição e a vida" (João 11:25), a fim de levar de novo ao lar Seus filhosexilados. A doutrina do segundo advento é, verdadeiramente, a nota tônicadas Sagradas Escrituras. Desde o dia em que o primeiro par volveu osentristecidos passos para fora do Éden, os filhos da fé têm esperado a vindado Prometido, para quebrar o poder do destruidor e de novo levá-los aoParaíso perdido". – O Grande Conflito, p. 299. A declaração de Lutero foi: "Eu me persuado a mim mesmocertamente, que o dia do Juízo não estará ausente trezentos anoscompletos. Deus não permitirá, não pode suportar este mundo ímpio pormuito mais tempo."
  2. 2. O Evangelho do Reino 2 Wycliffe e Tyndale, Melanchton e Calvino, deixaram relatóriossemelhantes de sua fé e esperança. Disse Knox, "Não levou nosso Senhor Jesus a nossa carne aos céus?E não voltará Ele? Sabemos que Ele voltará, e isto brevemente". João Milton, poeta épico da Comunidade, implorou, "Sai de Tuascâmaras reais, ó Príncipe de todos os reis da terra... toma o Teu cetrosem limites... Pois agora a voz de Tua noiva Te chama, e todas ascriaturas gemem para serem renovados". João Wesley, comentando sobre os últimos versos na Bíblia,escreveu: "O espírito de adoção na esposa no coração de todo overdadeiro crente diz... Vem e cumpre todas as palavras desta profecia". Dwight L. Moody declarou que a igreja deste tempo tinha pouco adizer a respeito da volta de Cristo. "Agora, eu posso ver uma razão paraisto, o diabo não deseja que nós vejamos esta verdade, pois nadadespertaria tanto a Igreja". O trabalho especial de Deus ao advertir a nossa geração a respeitoda iminente volta de nosso Rei ausente é assunto específico do presentecapítulo. Deus jamais trará um juízo sobre o mundo sem dar umaadvertência oportuna. A presente proclamação do evangelho do reinovindouro é justamente uma tal advertência, mas existem aspectoscósmicos da situação, pois mudanças importantes estão ocorrendo nasede do universo em preparo para a volta de Cristo. Quando Ele voltar,Ele trará seus galardões com Ele, para dar a cada homem de acordo comsuas obras. Milhões dos mortos serão levantados, e todos os justos entãovivos serão mudados no estado imortal em um momento, no piscar deum olho. Isso obviamente significa que os casos de todos estes devem tersido decididas de antemão, prévio ao segundo advento. Nenhum pecado existe no céu; mas relatórios abundantes de pecadoestão aí, e estes relatórios devem ser examinados a fim de determinarquem entre os mortos dos séculos passados devem ser ressuscitados àvida imortal na primeira ressurreição. Este exame dos relatórios nãoexistem para informar a Deus; é necessário a fim de que todo o universo
  3. 3. O Evangelho do Reino 3vidente e todos os séculos futuros possam ser convencidos que justiçacompleta e absoluta foi feita em cada caso individual. O trabalho de exame dos relatórios, denominado o juízo investigativo,é mencionado em muitos lugares na Bíblia. Um destes é Daniel 7:10:"Assentou-se o tribunal, e se abriram os livros". Na dispensação Mosaicaeste período de ajuste de contas pela inspeção, ou juízo, foi exatamenteprefigurado pelo Dia da Expiação, ou Yom Kippur, no fim do ano, um diade solenidade respeitável, que ainda é considerado por todos os judeuscomo significando o dia do juízo. A cena em Dan. 7:10 é o retrato proféticodo Yom Kippur do universo. Por necessidade de ser importância máximapor todos que estão vivendo na terra quando ele ocorre. Sendo que muita literatura publicada pelos adventistas discute emdetalhes os vários aspectos deste assunto, não é necessário nosdemorarmos sobre o mesmo. Nós temos boas evidências para crer queeste Yom Kippur do universo começou em 1844, e assim tem estado emandamento há mais de um século. Isto aponta à primeira mensagem deApocalipse 14, que conclama o povo de mentalidade evolucionista dosnossos dias a adorar o Criador dos céus e da terra, pois "é chegada a horade seu juízo" (Apoc. 14:6,7). Esta mensagem da hora do juízo, com a segunda e a terceira que aacompanha, constitui a forma apropriada que o Evangelho tem que tomarnecessariamente em nossos dias. Cada século tem tido qualquer formaespecial do evangelho especificamente adaptado às suas necessidadespeculiares. Este século final é confrontado com a apostasia anti-Gênesisagora dominante; portanto a verdade presente para este tempoadmiravelmente enfrenta esta situação. Alguns poucos dias antes de sua morte, Jesus contou aos discípulosque as boas novas sobre seu reino vindouro seria publicada em todo omundo como um testemunho a todas as nações, "e então virá o fim"(Mat. 24:14). Toda a pessoa deveria estar interessada, intensamenteinteressada, na descrição divina do tipo de pessoas que devem fazer estetrabalho nos últimos dias da época.
  4. 4. O Evangelho do Reino 4 O povo muitas vezes pensa: Qual é a igreja verdadeira: Como possoestar certo a este respeito? Bem, os céus nos deram uma descrição destepovo. Esta descrição é encontrada em Apocalipse 12:17: "Irou-se odragão contra a mulher e foi pelejar contra os restantes da suadescendência, os que guardam os mandamentos de Deus e sustentam otestemunho de Jesus". Sendo que o dragão significa primeiro o diabo, não se precisa deargumentos para provar que o povo com que ele está irado e fazendoguerra deve ser o povo verdadeiro de Deus. Eles são chamados como o"remanescente" da semente da mulher, ou a última igreja, a últimageração de cristãos, os que têm responsabilidade de pregar o evangelho arespeito do reino iminente justamente antes do fim. Duas características proeminentes do povo que compõe esta igrejaremanescente são: 1) eles "guardam os mandamentos de Deus", e 2) eles"têm [ou entesouram] o testemunho de Jesus". 1. Pasmados nós perguntamos por que os mandamentos de Deusdevem estar em questão nestes últimos dias da história humana, a igrejaremanescente os observa, presumivelmente todos os dez deles, inclusiveo quarto a respeito do sábado, e o diabo fazendo guerra contra elesporque o fazem. Mas tal é a atual situação presente, como é muito provavelmentecitado no capítulo precedente. Uma pequena minoria, ligeiramente maisde um milhão todos contados, espalhados através de toda a nação e cadaclima, estão resolvidos a guardar todos os mandamentos de Deusjustamente como está escrito, incluindo aquele um a respeito do sábado,enquanto o resto da humanidade estiverem observando um dia rival. Estaprofecia aponta a problemas e perseguição por esta minoria pequenarecalcitrante. 2. A segunda característica destes cristãos dos últimos dias contraos quais o dragão engaja sua guerra é que eles "têm o testemunho deJesus".
  5. 5. O Evangelho do Reino 5 Os Adventistas do Sétimo Dia são o único povo que se qualificapossuindo as duas características dadas na profecia. Os Batistas doSétimo dia observam o sábado bíblico, mas não estão interessados nainterpretação da profecia e não crêem em qualquer manifestação presentehoje da dádiva profética. Vários grupos de fundamentalistas dizem quecrêem no segundo advento, mas eles repudiam o sábado do quartomandamento. Nenhum outro povo na terra combina as duascaracterísticas de guardar os mandamentos de Deus e manterem, ouapreciarem e procuram seguir o Espírito de Profecia. Mais fortes que exércitos, mais fortes do que todos os poderescombinados do dragão e suas forças, é um povo com uma comissãodivina para um trabalho específico. Como o seu Mestre eles podemdizer: "O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo;arrependei-vos e crede no evangelho." Marcos 1:15. Eles também compreendem que eles são os modernos sucessores dalonga linha dos que através dos séculos têm crido e entesourado aspredições do Espírito Santo de Deus. Alguém que tem feito muito paramostrar a mão diretora da divina Providência na compreensão einterpretação da profecia diz: "Nossa fé profética tem uma linhagem majestosa e um apoio históricodo qual poucos tem tomado sentido, e que não é possuído por qualqueroutro grupo religioso. Têm uma força impulsionadora que é muitoimpressiva. Têm um apelo convincente que é de valor. Ele oferece evidênciatão inatacável a ponto de tornar possível a impressão máxima. Provê umapelo tão distinto à razão, e têm uma lógica tão inescapável em seu apoio àconsciência, que está destinado a produzir uma convicção que ultrapassaqualquer comparação do passado. Tal é a nossa gloriosa herança. Deusespera que não capitalizemos inteiramente sobre o seu poder latente e forçana apresentação do clímax do seu caso e pretensões diante do gênerohumano neste tempo. Esta é a nossa posição real e realmente gloriosahoje". - LeRoy Edwin Froom, Our Firm Foundation, Vol. II, p. 84. E ainda do mesmo autor: "Aqui está a nossa oportunidade de agora ocuparmos o nosso devidolugar como os restauradores declarados das verdadeiras posições
  6. 6. O Evangelho do Reino 6protestantes dos pais fundadores de todos os ramos do Protestantismocomo antigamente obtinha em todos os países protestantes em ambos oshemisférios. Em vez de meigamente aceitarem uma tarefa injusta às fileirasdos países modernos, como diz respeito à nossa fé profética, nós daríamoshumildemente mas eficientemente declarar e estabelecer, por são raciocínioe evidência irrefutável nossa posição atual como os campeões emantenedores da interpretação verdadeira e histórica agoralamentavelmente abandonada pela maioria dos descendentes protestantesespirituais. Nós nos deveríamos levantar agora ao nosso lugar completo edesignado como os reavivadores e continuadores da interpretaçãoprotestante verdadeira da Reforma. Esta é a nossa correta herança. Nóssomos simplesmente o último segmento na igreja dos séculos das sete deDeus. Estes antigos expositores de verdadeiras interpretações foram daigreja verdadeira de Deus e foram verdadeiros intérpretes em seu tempo.Nós estamos na fila da verdadeira sucessão." – Ibid., pp. 99, 100. Nestas citações o Dr. Froom está somando suas conclusões de seumonumental The Prophetic Faith of Our Fathers, de 4 volumes. Eleapanhou a inspiração eletrizante de ver as profecias que se cumpremrapidamente e do compreender que todas as predições de Deus serãocumpridas, e no horário. Froom vê a escala global na qual a mensagemde Apocalipse 18:4 em breve deve ser apresentada "poderosamente comvoz forte". Por uma centena de anos nós temos olhado à frente a este"alto clamor". Nenhuma mensagem poderia jamais ser proclamada destamaneira educado da Europa e da América. Mas estes 4 volumes estãofazendo agora isto de uma maneira eficiente como fazer um uso sábiodesta atenção das classes cultas, somente então o nosso trabalho sairá daobscuridade. Mas é sempre perigoso para o povo de Deus ter os raios de luz dapublicidade acesos sobre eles. Em nosso caso, nós estamos agora tãopróximos do fim que inevitavelmente ele vai trazer a perseguição, rápidae mortal. Todo estudante da vida de Jesus se lembrará da mudançaradical que Ele fez em Seus métodos ao se aproximar do fim de Seuministério. Até aí Ele sempre procurará evitar a publicidade e oentusiasmo das massas. Vez após vez Ele proibira o povo de proclamá-lo
  7. 7. O Evangelho do Reino 7como o Messias. Mas tudo isto mudou em sua última viagem da Galiléiaa Jerusalém. Ele enviou mensagens especiais na frente e viajou demaneira a ganhar a atenção nacional. "Ia avançando para a cena de Seugrande sacrifício, e para este devia ser dirigida a atenção do povo." -DTN, p. 485. Assim será outra vez. Ao se aproximar a crise final dos séculos, ofoco da mulher, quando estiverem para se apressarem pela última vez nodeserto, para longe da ira do dragão, sabendo que nada senão aProvidência divina operando miraculosamente pode protegê-los naquelahora terrível. O Salmo 46 e o 91 serão especialmente preciosos naqueletempo. Estas, com muitas outras promessas, protegê-los-ãoeficientemente das decepções e da ira aberta do destruidor. EmApocalipse 19:10 este termo é explicado como significando "o espíritode profecia". Obviamente o significado pleno é que a igreja verdadeira,que está pregando o evangelho do reino vindouro justamente antes dosegundo advento, nutrirão uma alta consideração pelas profecias delivros tais como Daniel e o Apocalipse, em que os perigos e obrigaçõesdos últimos dias são claramente apontados e em que o segundo advento éclaramente ensinado. Outra conclusão destes fatos é inevitável. Sendo que o povo destaigreja remanescente têm um respeito pelo Espírito de Profecia, elesnecessariamente obedecerão a admoestação de não apagar o Espírito enão desprezar as "profecias". (I Tess. 5:19,20) Em outras palavras, seeles conseguem conhecer as manifestações contemporâneas do "espíritode profecia", eles não vão rejeitá-los sem uma investigação, mas terãosuficiente discernimento espiritual verdadeiro para "julgai todas ascousas, retendo o que é bom". (v. 21). Tudo isto significa que eles nãosomente amam as velhas, as muito reconhecidas profecias de Daniel e doApocalipse, mas também darão atenção a quaisquer resultadoscontemporâneos do espírito de profecia que puder aparecer entre elesque provarem ser merecedores de manterem como "bons" ou de origem
  8. 8. O Evangelho do Reino 8divina, depois de provas completas terem sido inteligentementeaplicadas, como é dado em Isaías 8:20 e em outros lugares. Este raciocínio torna-o cristalinamente claro que os cristãos dosúltimos dias contra os quais o dragão faz sua campanha não serãoliberais ou modernista em teologia, pois os últimos não têm confiançanas profecias de Daniel e do Apocalipse e negam que estes livros têmnarrado a história de antemão para a direção da igreja. Nem serão elesfuturistas em sua interpretação destas profecias, pois os futuristas por sua"teoria vácuo", ou "teoria do adiamento", também negam que Daniel e oApocalipse dão à igreja cristã importantes marcos unitários dirigentes aolongo do caminho entre o Calvário e a segunda volta. Conseqüentemente, os únicos que se conformam a estasespecificações seriam aqueles que aceitam a interpretação histórica dasprofecias e crêem na proximidade do segundo advento; isto é, elesdevem ser adventistas no sentido original desta palavra. O primeirocaracterístico mencionado foi que eles são observadores dosmandamentos, portanto observadores do sétimo-dia, o sábado. Por mais de um século o povo conhecido como Adventistas doSétimo Dia têm declarado, que eles são os que aqui divinamentedescritos como o "remanescente" do povo de Deus, que no próximofuturo serão atacados pelo dragão e suas bestas. Não se pode negar queeles são qualificados sob estas duas especificações: eles guardam osmandamentos de Deus; e eles têm, ou entesouram, o testemunho deJesus, o espírito de profecia. Se eles não são os aqui mencionados, ondeé que os devemos procurar? Várias linhas da ciência moderna estão também agora vindo asuportar a igreja. A arqueologia de todas as terras bíblicas têm pormuitos anos confirmado de uma maneira maravilhosa os relatórios dasEscrituras. A biologia, de fato, tem por muitas décadas resolvido agrande verdade da biogênese: vida somente pode vir de vida anterior.Isto significa que a ciência não tem explicação para a origem de seresvivos exceto que eles têm que ter sido criados. Então o Mendelismo, que
  9. 9. O Evangelho do Reino 9é um ponto de vista sensível da questão da espécie, agora nos conta quenós não temos nenhuma explicação de como qualquer uma das espéciesfundamentais de seres vivos, ou planta, ou animal, poderiapossivelmente mudar-se em outra qualquer das unidades fundamentais.Finalmente, a teoria da geologia do Dilúvio tem demonstrado agoracomo as formações fossilíferas podem melhor ser aceitas pela hipótesede um Dilúvio universal, desta maneira tornando os fósseiscontemporâneos, não cronológicos. Isso liquida de uma só vez as longas"eras" geológicas e faz do mundo fóssil inteiro uma só unidade, não umasérie de partes mal combinadas. Portanto, todas as espécies básicas deplantas e animais, inclusive o homem, deve ter sido criadoessencialmente no mesmo tempo, como é relatado no Gênesis. Assim com tantas filas de ciência moderna confirmando suasEscrituras Sagradas, o som de clarim da hora à igreja de Cristo é para suarenovação de confiança no Livro-guia, que ela trouxe consigo através dosséculos. E enquanto ela permaneceu verdadeira a essa comissão a seu livrointrodutor, a seus argumentos sofísticos astutos mundiais não a podiamenganar, nem podia o poder cruel de um império mundial prender sua voz.Agora, quando seu Senhor está para voltar, certamente lhe compete pôr suacasa em ordem e voltar com candor e fidelidade àquele código deinstruções escritas deixadas com ela por seu Mestre que se retirara. Para os crentes do tempo antigo na Bíblia, a noite de trevas e dúvidaestá passando rapidamente, a manhã de mais um completo conhecimentoe uma mais certa confiança está às mãos. Lá se foram aquelas agonias dedúvida com respeito à veracidade da história bíblica acerca do começodo mundo ou a propriedade de sua ética pelas necessidades da sociedademoderna. Abandonados para sempre são todas aquelas fúteis tentativasde estender-se sobre o Gênesis na tentativa vã e lastimável de traduzir orelatório sublime da criação na linguagem de uma ciência bruta einconsistente agora se desintegrando diante dos olhos, e de torcer osublime plano da salvação para satisfazer a teoria demoníaca dasobrevivência do melhor e a doutrina marxista de uma guerra eterna de
  10. 10. O Evangelho do Reino 10classe. A igreja remanescente agora compreende que sua Bíblia é maisacurada do que a ciência mundana. É chegada sua hora. Uma sublime oportunidade está à sua frentepois o Criador de toda a natureza abriu Ele mesmo diante de Sua igrejaos capítulos longamente selados de seu maior e mais antigo testamento eestá agora apontando a inteira harmonia entre ela e Sua Palavra Escrita.Ele a está agora enviando com o evangelho especial do reino vindouro,uma mensagem presente e especificamente adaptada a este século deevolucionismo na ciência e do panteísmo na filosofia. Olhando às vistas que se escurecem dos séculos vindouros, omisericordioso Jeová viu como um conhecimento vastamente aumentadode Suas obras criadas seriam pervertidas numa burlesca satânica de Suacriação, e como isto resultaria numa apostasia mundial, em que SuaPalavra Escrita seria escarnecida e zombada. Por isto Ele preparou umamensagem especial de reforma para o Seu povo leal dar ao mundojustamente antes do fim, chamando esta geração de evolucionistaspanteístas a "adorar aquele que fez os céus e a terra, e o mar, e as fontesdas águas" (Apoc. 14:17). Portanto, agora, quando as trevas da apostasia são mais escuras,uma luz de cima outra vez iluminou as páginas do livro da natureza, alinguagem do qual já é mais familiar a nosso mundo moderno, que alinguagem do livro tão longamente desconfiado e quase escarnecido.Esta mensagem diretamente da natureza está cheia das idéias essenciaisdo evangelho – fé num Criador pessoal, que pelo Seu incansável cuidadopor todos os órgãos de nosso corpo os guarda em ordem e ao curarnossas feridas e nossas enfermidades inspira-nos com fé nEle comonosso Salvador e Redentor. Em tal hora, e tal mundo em crise, Ele colocou dentro o poder deSua Igreja estes meios modernos de viagem e comunicações rápidas afim de apressar este último evangelho do reino vindouro, a fim decompletá-lo "nesta geração".

×