10 o leopardo e a besta de dois chifres

1.923 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.923
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
63
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

10 o leopardo e a besta de dois chifres

  1. 1. O LEOPARDO E A BESTA DE DOIS CHIFRES I. TEXTO BÁSICO: Apocalipse 13. II. A BESTA SEMELHANTES AO LEOPARDO: Apoc. 13:1-10. A. Surge do Mar. Apoc. 13:1 comp. Dan. 7:2,3; Ap. 10:2; 17:1,15. B. Natureza complexa, composta. 1. Sete cabeças: Ap. 13:1 comp. Apoc. 12:3, 17:3. 2. Dez Chifres: Ap. 13:1 comp. Apoc. 12:3,; 17:3; Dan. 7:7. 3. Dez coroas: Ap. 13:1. 4. Nomes de Blasfêmias: Apoc. 13:1 comp. Apoc. 17:3 5. Semelhante ao Leopardo: Apoc. 13:2 comp. Dan. 7:6. 6. Pés como de Urso: Apoc. 13:2 comp. Dan. 7:5. 7. Boca como de Leão: Ap. 13:2 comp. Dan. 7:4. C. Recebe do dragão o poder e o trono. Ap. 13:2 “No capítulo 13:1-10, descreve-se a besta ‘semelhante ao leopardo’, àqual o dragão deu "o seu poder, o seu trono, e grande poderio". Estesímbolo, como a maioria dos protestantes tem crido, representa o papado,que se sucedeu no poder, trono e poderio uma vez mantidos pelo antigoImpério Romano.” – GC., 439. “Quase imperceptivelmente os costumes do paganismo tiveramingresso na igreja cristã. ... A conversão nominal de Constantino, na primeiraparte do século IV, causou grande regozijo; e o mundo, sob o manto dejustiça aparente, introduziu-se na igreja. Progredia rapidamente a obra decorrupção. O paganismo, conquanto parecesse suplantado, tornou-se ovencedor. Seu espírito dominava a igreja. ... “Esta mútua transigência entre o paganismo e o cristianismo resultouno desenvolvimento do "homem do pecado", predito na profecia como seopondo a Deus e exaltando-se sobre Ele. Aquele gigantesco sistema dereligião falsa é a obra-prima do poder de Satanás - monumento de seusesforços para sentar-se sobre o trono e governar a Terra segundo a suavontade.” – GC., 49, 50.
  2. 2. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 2 “Especialmente Roma, a capital do paganismo e o trono de todas asabominações da idolatria, transbordou, por assim dizer, com o sangue decristãos... “Constantino tornou-se o defensor e o protetor do cristianismo. “ A cruz, que até então fora o maior sinal de ignomínia, tornou-se agoraum sinal de honra e vitória. Ela reluzia sobre a coroa imperial deConstantino, e foi exposta em Roma – até então o principal trono dopaganismo – sobre o pináculo do templo de Júpiter, o Capitólio... . Em poucotempo o paganismo foi completamente dominado através de todo o ImpérioRomano, e a religião Cristã estava permanentemente estabelecida. “A Igreja Católica tinha agora novas vitórias a ganhar sobre outro rei –nomeadamente, sobre seus inimigos internos, os hereges.” – JosephDeharbe, A Full Catechism of The Catholic Religion, pp. 28-30. D. Uma de suas pontas ferida e curada. Apoc. 13:3 “A influência de Roma nos países que uma vez já lhe reconheceram odomínio, está ainda longe de ser destruída. E a profecia prevê umarestauração de seu poder. ... A aplicação da chaga mortal indica a queda dopapado em 1798.” – GC., 579. E. Todo mundo maravilhou-se após a besta. Apoc. 13: 3 “... Depois disto, diz o profeta: ‘A sua chaga mortal foi curada; e toda aTerra se maravilhou após a besta.’ Paulo declara expressamente que ohomem do pecado perdurará até ao segundo advento. (II Tess. 2:8.) Atémesmo ao final do tempo prosseguirá com a sua obra de engano. ... Tantono Velho como no Novo Mundo o papado receberá homenagem pela honraprestada à instituição do domingo, que repousa unicamente na autoridadeda Igreja de Roma.” – GC., 579. “... Ao mando de um chefe – o poder papal – o povo se unirá para opor-se a Deus na pessoa de Suas Testemunhas. Essa união é cimentada pelogrande apóstata”. 3 TS, p. 171. F. Adoração do dragão. Apoc. 13:4 “Satanás... continua a apresentar aos homens e mulheres a mesmacena que exibiu a Cristo. De modo maravilhoso, faz passar por – diante deseus olhos o panorama dos reinos deste mundo e sua glória. Isto promete a
  3. 3. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 3todos os que prostrados o adorarem. Deste modo busca impor a todos oseu domínio. “Satanás está operando com todas as suas forças a fim de ocupar olugar de Deus e destruir a todos que a isso se opuserem. E hoje vemos todoo mundo prosternando-se diante dele. Seu poder é aceito como o de Deus.Cumpre-se a profecia de Apocalipse: Toda a Terra se maravilhou após abesta. Apoc. 13:3 ... “Os homens cultivam as mesmas qualidades do arquienganador.Aceitaram-no como Deus e tornaram-se imbuídos de seu espírito”. – 2 TS.,pp. 369, 370. G. Uma boca falando blasfêmias. Apoc. 13:5, 6; Dan. 7:25; 11:36; II Tess. 2:4. H. Seu poder 1. Continuar por quarenta e dois meses – 538 – 1798 Apoc. 13:5, Dan. 7:25; comp. Apoc. 11:2,3. “No século VI tornou-se o papado firmemente estabelecido. ... Ecomeçaram então os 1.260 anos da opressão papal preditos nas profeciasde Daniel e Apocalipse. (Dan. 7:25; Apoc. 13:5-7.)” – GC., 54. “Os quarenta e dois meses são o mesmo que ‘tempo, tempos, emetade de um tempo’, três anos e meio, ou 1.260 dias, de Daniel 7, tempodurante o qual o poder papal deveria oprimir o povo de Deus. Esteperíodo ... começou com a supremacia do papado, no ano 538 de nossa era,e terminou em 1798.” – GC., 439. 2. Faz guerra aos santos e vence-os. Apoc. 13:7; CS. pp. 56-126. 3. Sobre todas as nações, tribos e línguas. Apoc. 13:7; C.S., 627. I. Sua sentença. Apoc. 13: 9, 10. Comp. Dan. 7:11, 26; 8:25; 11: 45; II Tess. 2:8; Apoc. 18:8; 19:20. “Nesta ocasião [1.798] o papa foi aprisionado pelo exército francês, e opoder papal recebeu a chaga mortal, cumprindo-se a predição: ‘Se alguémleva em cativeiro, em cativeiro irá’.” – GC., 439.
  4. 4. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 4 III. A PACIÊNCIA E A FÉ DOS SANTOS. Apoc. 13: 10; 14:12. Tradução de Moffat: “Isto é o que mostra a paciência e a fé dos santos”. Tradução de Weymouth: “Aqui está uma oportunidade para paciência, e para o exercício da fé, por parte dos santos”. Revised Standard Version: “Aqui está um chamado para a paciência e a fé dos santos”. IV. A BESTA DE DOIS CHIFRES. Apoc. 13:11-17. A. Surge da terra. Apoc. 13:11 “Tanto a aparência desta besta como a maneira por que surgiu,indicam que a nação por ela representada é diferente das que sãomostradas sob os símbolos precedentes. Os grandes reinos que têmgovernado o mundo foram apresentados ao profeta Daniel como ferasrapinantes, que surgiam quando ‘os quatro ventos do céu combatiam no margrande’. Dan. 7:2. ... Os quatro ventos do céu a combaterem no mar grande,representam as terríveis cenas de conquista e revolução, pelas quais osreinos têm atingido o poder. Mas a besta de chifres semelhantes aos do cordeiro foi vista a ‘subir daterra’. Em vez de subverter outras potências para estabelecer-se, a naçãoassim representada deve surgir em território anteriormente desocupado,crescendo gradual e pacificamente. Não poderia, pois, surgir entre asnacionalidades populosas e agitadas do Velho Mundo - esse mar turbulentode ‘povos, e multidões, e nações, e línguas’. Deve ser procurada noOcidente. ... “Uma nação, e apenas uma, satisfaz às especificações desta profecia;esta aponta insofismavelmente para os Estados Unidos da América doNorte.” – GC., 439, 440. B. Tem dois chifres semelhantes a um cordeiro. Apoc. 13:11. “...Os chifres semelhantes aos do cordeiro indicam juventude, inocênciae brandura, o que apropriadamente representa o caráter dos EstadosUnidos, quando apresentados ao profeta como estando a "subir" em 1798. ...Republicanismo e protestantismo tornaram-se os princípios fundamentais da
  5. 5. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 5nação. Estes princípios são o segredo de seu poder e prosperidade.” – GC.,441. “A profecia apresenta o protestantismo como tendo chifres semelhantesao cordeiro, mas falando como um dragão”. – E.G. White. The Review andHerald, 1 de janeiro de 1889. C. Fala como um dragão. Apoc. 13:11. “Os chifres semelhantes aos do cordeiro e a voz de dragão destesímbolo indicam contradição flagrante entre o que professa e pratica a naçãoassim representada. A ‘fala’ da nação são os atos de suas autoridadeslegislativas e judiciárias. Por esses atos desmentirá os princípios liberais epacíficos que estabeleceu como fundamento de sua política.” – GC., 442. “As igrejas, representadas por Babilônia, são representadas comotendo caído de sua condição espiritual para tornar-se um poder perseguidordaqueles que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho deJesus Cristo. A João este poder perseguidor é apresentado como tendochifres semelhantes ao cordeiro, mas falando como dragão”. T.M., p. 117. “...O movimento dominical está agora preparando o caminho nasombra... Os intuitos professados são de índole branda e aparência cristã,mas sua fala há de revelar o espírito do dragão”. 2 TS., 2 p. 152. “Poderes religiosos, aliados ao Céu por profissão, e declarando ter ascaracterísticas de um cordeiro, por seus atos mostrarão que tem coração dedragão, e são instigados e dominados por Satanás”. – Idem, vol. 3, p. 395. D. As obras do dragão. 1. Exerce todo o poder da primeira besta em sua presença. Apoc. 13:12. “A predição de falar ‘como o dragão’, e exercer ‘todo o poder daprimeira besta’, claramente anuncia o desenvolvimento do espírito deintolerância e perseguição que manifestaram as nações representadas pelodragão e pela besta semelhante ao leopardo.” – GC., 442. 2. Fará com que os homens adorem a primeira besta. Ap. 13:12. “E a declaração de que a besta de dois chifres faz com "que a Terra eos que nela habitam adorem a primeira besta", indica que a autoridade destanação deve ser exercida impondo ela alguma observância que constituiráato de homenagem ao papado.” – GC., 442.
  6. 6. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 6 3. Realiza grandes sinais e milagres. Apoc. 13:13, 14. “O poder de Satanás aumentaria, e alguns de seus dedicadosseguidores teriam poder para operar milagres, e mesmo fazer descer fogodo céu à vista dos homens.” – PE., 59. “...E Satanás, rodeado de anjos maus, e declarando-se Deus, operarámilagres de todas as espécies, para enganar, se possível, os próprioseleitos. O povo de Deus não encontrará sua segurança na operação demilagres; pois Satanás imitará os milagres que forem operados. O provadoe experimentado povo de Deus, encontrará seu poder de que fala Êxodo31:12-18 “ – 3 TS, p. 284.. “Por milhares de vozes em toda a extensão da Terra, será dada aadvertência. Operar-se-ão prodígios, os doentes serão curados, e sinais emaravilhas seguirão aos crentes. Satanás também opera com prodígios dementira, fazendo mesmo descer fogo do céu, à vista dos homens. (Apoc.13:13.)” – GC., 612. “Foi pela operação de um pode sobrenatural, ao fazer da serpentemédium, que Satanás provocou a queda de Adão e Eva no Éden. Antes dofim do tempo ele fará ainda maiores sinais. Tanto quanto lhe permita opoder, executará milagres em nossos dias... Nos últimos dias aparecerá deuma maneira tal que fará com que os homens creiam ser ele Cristo ao virpela segunda vez ao mundo. Transformar-se-á ele mesmo em realidadenum anjo de luz”. – 5 T., p. 698. “Terríveis cenas de caráter sobrenatural logo se manifestarão nos céus,como indício do poder dos demônios, operadores de prodígios. Os espíritosdiabólicos sairão aos reis da Terra e ao mundo inteiro, para segurá-los noengano, e forçá-los a se unirem a Satanás em sua última luta contra ogoverno do Céu. Mediante estes agentes, serão enganados tantogovernantes como súditos. Levantar-se-ão pessoas pretendendo ser opróprio Cristo e reclamando o título e culto que pertencem ao Redentor domundo. Efetuarão maravilhosos prodígios de cura, afirmando terem recebidodo Céu revelações que contradizem o testemunho das Escrituras. “Como ato culminante no grande drama do engano, o próprio Satanáspersonificará Cristo.” – GC., 624. “Satanás... chegará a personificar Jesus Cristo, operando poderososmilagres; e os homens cairão prostrados e o adorarão como se fosse JesusCristo. Ser-nos-á ordenado adorar este ser, a quem o mundo glorificarácomo Cristo. E.G. White, The Review and Herald, 18 de dezembro de 1888.
  7. 7. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 7 “Ao o Espiritualismo assimilar mais solidamente o cristianismo nominalda época, tem um poder maior par enganar e enredar. Satanás mesmo estáconvertido, segundo a ordem moderna das coisas. Ele aparecerá no caráterde um anjo de luz. Através dos agentes do Espiritualismo, milagres serãooperados, os doentes serão curados, e muitas maravilhas inegáveis seexecutarão... Através do Espiritualismo, Satanás aparece como um benfeitorda raça, curando os doentes do povo, e professando apresentar um sistemanovo e mais elevado de fé religiosa”. – Spirit of Prophecy, v. 4, pp. 405, 406. 4. Faz uma imagem à besta, Apoc. 13:14, 15. “ ‘Dizendo aos que habitam na Terra que fizessem uma imagem àbesta.’ Aqui se representa claramente a forma de governo em que o poderlegislativo emana do povo; uma prova das mais convincentes de que osEstados Unidos são a nação indicada na profecia. ... “ ... A imagem é feita pela besta de dois chifres, e é uma imagem àprimeira besta. É também chamada imagem da besta. Portanto, parasabermos o que é a imagem, e como será formada, devemos estudar oscaracterísticos da própria besta – o papado. ... “O característico especial da besta, e, portanto, de sua imagem, é aviolação dos mandamentos de Deus. Diz Daniel a respeito da pontapequena, o papado: ‘Cuidará em mudar os tempos e a lei.’ Dan. 7:25. ... “É apresentada uma mudança intencional, com deliberação. ... Amudança no quarto mandamento cumpre exatamente a profecia. Para isto aúnica autoridade alegada é a da Igreja. Aqui o poder papal se colocaabertamente acima de Deus. “Enquanto os adoradores de Deus se distinguirão especialmente pelorespeito ao quarto mandamento – dado o fato de ser este o sinal de Seupoder criador, e testemunha de Seu direito à reverência e homenagem dohomem – os adoradores da besta salientar-se-ão por seus esforços paraderribar o monumento do Criador e exaltar a instituição de Roma. “A imposição da guarda do domingo por parte das igrejas protestantesé uma obrigatoriedade do culto ao papado – à besta. Mas, no próprio ato deimpor um dever religioso por meio do poder secular, formariam as igrejasmesmas uma imagem à besta; daí a obrigatoriedade da guarda do domingonos Estados Unidos equivaler a impor a adoração à besta e à sua imagem.”– GC., 442, 443, 446, 448, 449.
  8. 8. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 8 “A imagem é feita segundo a primeira ou seja semelhante ao leopardo,que é aquela que é trazida ao cenário na mensagem do terceiro anjo. Pelaprimeira besta é representada a Igreja Romana, um corpo eclesiásticoinvestido de poder civil, que tem autoridade para punir os dissidentes. Aimagem da besta representa um outro corpo religioso investido de podersimilar... Quando as igrejas de nosso país, se unirem naqueles pontos de féque elas mantém em comum, influenciado o estado a impor seus decretos eapoiar suas instituições, então terá a América Protestante formado umaimagem da hierarquia Romana. Então a igreja verdadeira será assaltadapela perseguição, como o foi o povo de Deus da antiguidade”. – Spirit ofProphecy, Vol .4, p. 278. “A "imagem da besta" representa a forma de protestantismo apóstataque se desenvolverá quando as igrejas protestantes buscarem o auxílio dopoder civil para imposição de seus dogmas.” – GC., 445. “Foi a apostasia que levou a igreja primitiva a procurar o auxílio dogoverno civil, e isto preparou o caminho para o desenvolvimento do papado -a besta. ... Assim a apostasia na igreja preparará o caminho para a imagemà besta.” – GC., 443, 444. 5. Esforços para matar todos aqueles que não adorarem a imagem. Apoc. 13:15. “O mundo todo será instigado com ódio contra os Adventistas doSétimo Dia, por não quererem eles prestarem homenagem ao papado, emhonrarem o Domingo, a instituição deste poder anti-cristão. É o objetivo deSatanás fazer com que sejam apagados da terra, a fim de que a suasupremacia no mundo não possa ser disputada”. – E.G. White, Review andHerald, 22 de agosto de 1893. “Os que guardam os mandamentos de Deus e têm a fé de Jesus,sentirão a ira do dragão e suas hostes. Satanás conta o mundo como súditoseu, ele adquiria domínio sobre as igrejas apóstatas; mas ali está umpequeno grupo que lhe resiste à supremacia. Caso os pudesse desarraigarda Terra, completo seria o seu triunfo. Como ele influenciou as naçõespagãs para destruir Israel, assim em próximo futuro há de incitar os ímpiospoderes da terra para destruir o povo de deus. De todos será exigido queprestem obediência a editos humanos em violação da lei divina.” –Testemunhos Seletos, Vol. 2, pp. 175-176.
  9. 9. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 9 “... O catolicismo no Velho Mundo, e o protestantismo apóstata noNovo, adotarão uma conduta idêntica para com aqueles que honram todosos preceitos divinos. “O povo de Deus será então imerso naquelas cenas de aflição eangústia descritas pelo profeta como o tempo de angústia de Jacó. ... “ ... A ira de Satanás aumenta à medida que o tempo se abrevia, e suaobra de engano e destruição atingirá o auge no tempo de angústia. “Como ato culminante no grande drama do engano, o próprio Satanáspersonificará Cristo. ... alega ter mudado o sábado para o domingo,ordenando a todos que santifiquem o dia que ele abençoou. Declara queaqueles que persistem em santificar o sétimo dia estão blasfemando de Seunome, pela recusa de ouvirem Seus anjos à eles enviados com a luz e averdade. ... “Quando o decreto promulgado pelos vários governantes dacristandade contra os observadores dos mandamentos lhes retirar aproteção do governo, abandonando-os aos que lhes desejam a destruição, opovo de Deus fugirá das cidades e vilas e reunir-se-á em grupos, habitandonos lugares mais desertos e solitários. Muitos encontrarão refúgio nafortaleza das montanhas. ... “Posto que um decreto geral haja fixado um tempo em que osobservadores dos mandamentos poderão ser mortos, seus inimigos nalgunscasos se antecipam ao decreto e, antes do tempo especificado, se esforçampor tirar-lhes a vida. Mas ninguém pode passar através dos poderososguardas estacionados em redor de toda alma fiel. “Quando a proteção das leis humanas for retirada dos que honram a leide Deus, haverá, nos diferentes países, um movimento simultâneo com o fimde destruí-los. Aproximando-se o tempo indicado no decreto, o povoconspirará para desarraigar a odiada seita. Resolver-se-á dar em uma noiteum golpe decisivo, que faça silenciar por completo a voz de dissentimento ereprovação. – GC. 615, 616, 623, 624, 626, 631, 635. 6. esforços para fazer com que todos recebam o sinal da besta. Apoc. 13:16,17. Tradução de Knox: “Todos juntamente, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, devem receber um sinal dele em suas mãos direitas, ou em suas testas, e ninguém pode comprar
  10. 10. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 10 ou vender, a menos que possua este sinal, que é o nome da besta, ou o número que se apresenta por seu nome” Revised Standard Version: “Também faz com que todos, tanto pequenos com grande, tanto ricos como pobres, tanto livres como servos, estejam assinalados na mão direita ou na testa, de modo que ninguém possa comprar ou vender a menos que tenha este sinal, que é, o nome da besta ou número do seu nome” a . O sinal na mão direita ou testa. Apoc. 13:16. “João foi chamado para contemplar um povo distinto daquele queadorava a besta ou sua imagem por guardarem o primeiro dia da semana. Aobservância deste dia é o sinal da besta”. – T.M., p. 133. “Os que se estão unindo com o mundo, estão-se ajustando ao modelomundano, e preparando-se para o sinal da besta. Os que desconfiam do eu,que se humilham diante de Deus e purificam a alma pela obediência àverdade, estão recebendo o molde divino e preparando-se para receber nafronte o selo de Deus.” – 2 TS, p. 70. “Visto os que guardam os mandamentos de Deus serem assimcolocados em contraste com os que adoram a besta e sua imagem, erecebem o seu sinal, é claro que a guarda da lei de Deus, por um lado, e suaviolação, por outro, deverão assinalar a distinção entre os adoradores deDeus e os da besta... “O característico especial da besta, e, portanto, de sua imagem, é aviolação dos mandamentos de Deus.” – GC., 444, 445. “....Na conclusão do conflito toda a cristandade ficará dividida em doisgrandes grupos: Os que guardam os mandamentos de Deus e a fé de Jesus,e os que adoram a besta e sua imagem e recebem o seu sinal”. – 3 TS., p.285. “... Quando, porém, a observância do domingo for imposta por lei, e omundo for esclarecido relativamente à obrigação do verdadeiro sábado,quem então transgredir o mandamento de Deus para obedecer a umpreceito que não tem maior autoridade que a de Roma, honrará destamaneira ao papado mais do que a Deus. Prestará homenagem a Roma, e aopoder que impõe a instituição que Roma ordenou. Adorará a besta e a suaimagem. Ao rejeitarem os homens a instituição que Deus declarou ser osinal de Sua autoridade, e honrarem em seu lugar a que Roma escolheu
  11. 11. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 11como sinal de sua supremacia, aceitarão, de fato, o sinal de fidelidade paracom Roma – ‘o sinal da besta’. E somente depois que esta situação estejaassim plenamente exposta perante o povo, e este seja levado a optar entreos mandamentos de Deus e os dos homens, é que, então, aqueles quecontinuam a transgredir hão de receber ‘o sinal da besta’.” – GC., 449. “Cristãos de gerações postadas observaram o primeiro dia da semana,supondo estarem guardando o Sábado bíblico, e há nas igrejas hoje muitosque honestamente crêem que o Domingo é o Sábado divinamente apontado.Nenhum destes recebeu o sinal da besta. Há cristãos verdadeiros em todasas igrejas, sem excetuar a comunhão católica romana. A prova sobre esteponto só virá quando a observância do Domingo for imposta pôr lei, e omundo estiver iluminando a respeito da obrigação do verdadeiro sábado.Somente quando esta questão estiver esclarecida claramente diante dopovo, e ele for levado a escolher entre os mandamentos de Deus e osmandamentos dos homens, então aqueles que continuarem emtransgressão receberão o sinal da besta”. – Spirit of Prophecy, V. 4., pp.281-281. (Ver GC., 449.). “Desafiar as leis dominicais não fará senão fortalecer em suasperseguições os fanáticos religiosos que as buscam impor. Não lhes deisocasião alguma de vos chamarem viradores da lei... “Ninguém receberá o sinal da besta pelo fato de compreender asabedoria de manter a paz mediante a abstenção de trabalho que constituadefeito, fazendo ao mesmo tempo uma obra de mais elevada importância”. –3 TS, p. 395. “O sinal da besta é exatamente o que tem sido proclamado. Nem tudoque se refere a esse assunto é compreendido; nem compreendido será atéque tenha sido completamente aberto o rolo do livro” – 2 TS, pp. 371,372. Pretensões Católicas sobre o Domingo “Perg. 1248. São iguais os dias do sábado e do domingo? “Resp. O dia do sábado e o domingo são iguais. O sábado é o sétimodia da semana, e é o dia que foi santificado na velha dispensação; Odomingo é o primeiro dia da semana, e é o dia que é santificado na novadispensação... “Perg. 1250. Por que a igreja ordena santificar o domingo em lugar dosábado?
  12. 12. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 12 “Resp. A igreja ordena santificar o domingo em lugar do sábado nodomingo, Cristo ressuscitou dos mortos... “Perg. 1251. Guardamos o domingo em lugar de santificar o sábado,por alguma outra razão? “Resp. Guardamos o domingo em lugar de santificar o sábado tambémpara ensinar que a Velha Dispensação não nos é imposta, mas quedevemos guardar a Nova Lei, a qual tornou o lugar daquela”. – Thomas L. Kinhead, A Catechism of Christian Doctrine, p. 282. “Perg. Que garantia tendes para guardar o domingo, preferivelmente aoantigo sábado, que é o sétimo? “Resp. Temos para tanto a autoridade da Igreja Católica e a tradiçãoapostólica. “Perg. Ordena a Escritura em algum lugar a guarda do domingo emlugar do sábado? “Resp. A Escritura nos manda atender à Igreja... Mas a Escritura nãomenciona de modo específico esta mudança do sábado... “Os que pretendem ser tão religiosos observadores do domingo, e aomesmo tempo não dão atenção às outras festas ordenadas pela mesmaautoridade da Igreja, mostram que estão agindo por capricho, e não pelarazão ou religião; pois, tanto os domingos como os dias santos baseiam-seno mesmo fundamento, nomeadamente a ordenança da Igreja... “Em lugar do sétimo dia, e outras festividades apontadas pela velhadispensação a Igreja prescreveu os domingos e dias santos para seremseparados para o culto a Deus; e estes estamos agora obrigados a guardarcomo conseqüência do mandamento de Deus, ao invés do Sábado antigo.” –Ver Dr. Challoner, The Catholic Christian Instructed, pp. 209-211. “Perg. Tendes alguma outra maneira de provar que a Igreja tem poderpara instituir festas como preceito? “Resp. Se não tivesse tal poder, não teria feito aquilo em que todos osreligiosos concordam; não teria podido substituir a observância do domingo,o primeiro dia da semana, pela observância do sábado, o sétimo dia,mudança para a qual não existe autoridade Escriturística”. – StephenKeenan, A Doctrinal Catechism, p. 174.
  13. 13. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 13 “Qual é o dia do Senhor? “Na Velha Dispensação era o sétimo dia da semana, ou seja o dia dosábado (dia do descanso), em memória do descanso de Deus naquele dia,após ter terminado a obra da criação nos seis dias. Na Nova Dispensação éo primeiro dia da semana, de Domingo... “Que nos é ordenado através do Primeiro Mandamento da Igreja? “No Primeiro Mandamento, é-nos ordenado, em primeiro lugar,santificar os Domingos e os dias Santos que a Igreja instituiu”. – P.N. Lynch,A Full Catechism of the Catholic Religion, pp. 183-210. “Que autoridade bíblica existe para mudar o sábado do sétimo para oprimeiro dia da semana? “Quem deu ao Papa a autoridade para mudar um mandamento deDeus? “Se a Bíblia é a única guia para os cristãos, então o adventista dosétimo dia está certo ao observar o sábado com o Judeu. Os católicos,contudo, aprendem o que crer e o que fazer da divina, infalível autoridadeestabelecida por Jesus Cristo, a Igreja Católica, a qual nos temposApostólicos fez do domingo o dia de descanso para honrar a ressurreição doSenhor naquele dia, e para distinguir o judeu do cristão”. – Bertrand L.Conway, The Question – box Answers, p. 179. b. Empenho para fazer todo receberam o selo. Apoc. 13:16. “... A besta de dois chifres ... mandará a todos, ‘pequenos e grandes,ricos e pobres, livres e servos’, que recebam o ‘sinal da besta’. ... Mas nestahomenagem ao papado os Estados Unidos não estarão sós. A influência deRoma nos países que uma vez já lhe reconheceram o domínio, está aindalonge de ser destruída. E a profecia prevê uma restauração de seu poder.” –GC., 578, 579. “...Os poderes da Terra, unindo-se para combater os mandamentos deDeus, decretarão que todos, "pequenos e grandes, ricos e pobres, livres eservos" (Apoc. 13:16), se conformem aos costumes da igreja, pelaobservância do falso sábado. Todos os que se recusarem a conformar-seserão castigados pelas leis civis, e declarar-se-á finalmente seremmerecedores de morte. Por outro lado, a lei de Deus que ordena o dia dedescanso do Criador, exige obediência, e ameaça com a ira divina todos osque transgridem os seus preceitos.
  14. 14. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 14 Esclarecido assim o assunto, quem quer que pise a lei de Deus paraobedecer a uma ordenança humana, recebe o sinal da besta; aceita o sinalde submissão ao poder a que prefere obedecer em vez de Deus.” – GC.,604. “Quando vier este tempo de angústia, todo caso estará decidido; nãomais haverá graça ... Pela mais elevada autoridade terrestre foi feito odecreto para que, sob pena de perseguição e morte, adorem a besta erecebam seu sinal.” – 2 TS., p. 67. “Em cada caso a grande decisão terá de ser feita, se receberemos osinal da besta ou sua imagem, ou o selo do Deus vivo.” – 6 T., 130. “Poderes religiosos, aliados ao Céu por profissão, e declarando ter ascaracterísticas de um cordeiro, por seus atos mostrarão que têm o coraçãode dragão, e são instigados e dominados por Satanás. Está chegando otempo em que o povo de Deus sentirá a mão da perseguição, porsantificarem o sétimo dia. ... O homem do pecado, que cuidou em mudar ostempos e a lei, e já oprimiu o povo de Deus, fará com que sejam feitas leisque imponham a observância do primeiro dia da semana.” – 3 TS., 393. “... Os protestantes dos Estados Unidos serão os primeiros a estenderas mãos através do abismo para apanhar a mão do espiritismo; estender-se-ão por sobre o abismo para dar mãos ao poder romano; e, sob a influênciadesta tríplice união, este país seguirá as pegadas de Roma, desprezando osdireitos da consciência.” – GC., 588. “... Quando o protestantismo estender os braços através do abismo, afim de dar uma das mãos ao poder romano e a outra ao espiritismo, quandopor influência dessa tríplice aliança os Estados Unidos forem induzidos arepudiar todos os princípios de sua Constituição, que fizeram deles umgoverno protestante e republicano, e adotarem medidas para a propagaçãodos erros e falsidades do papado, podemos saber que é chegado o tempodas operações maravilhosas de Satanás e que o fim está próximo.” – 2 TS.,151. c. Não poderá comprar ou vender aquele que não tiver o sinal. Apoc. 13:17. “Na última grande batalha do conflito com Satanás, os que são leais aDeus hão de ser privados de todo apoio terreno. Por se recusarem a violar-Lhe a lei em obediência a poderes terrestres, ser-lhes-á proibido comprar ouvender. Será afinal decretada a morte deles. (Apoc. 13:11-17.) Ao obediente,
  15. 15. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 15porém, é dada a promessa: ‘Este habitará nas alturas; as fortalezas dasrochas serão o seu alto refúgio, o seu pão lhe será dado, as suas águas sãocertas.’ Isa. 33:16. Por essa promessa viverão os filhos de Deus. Quando aTerra estiver assolada pela fome, serão alimentados.” – DTN., pp. 121, 122. 7. O Número da Besta – 666. Apoc. 13:18. Tradução de Knox: “Aqui há lugar para discernimento; o leitor, se tiver a perícia, faça a soma dos símbolos no nome da besta, segundo a moda humana, e o número será seiscentos e sessenta e seis.” Revised Standard Version: “Aqui se apela por sabedoria: aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois, é o número de homem, seu número é seiscentos e sessenta e seis.” Tradução de Weymouth: “Calculem pessoas de inteligência perspicaz o número da Besta Selvagem; pois indica um certo homem e seu número é 666. Exatamente o que constitui o número da besta é um assuntoentendido até aqui apenas obscuramente. O certo é que este número dabesta é um número que tem algo que ver mais com coisas humanas doque com divinas, mais com este mundo do que com o mundo por vir,mais com a Terra do que com o céu, mais com a velha Babilônia do quecom a Nova Jerusalém, mais com o homem do pecado do que com oHomem da Justiça. Seiscentos e sessenta e seis é o número da besta. É um númerocomposto de vários seis ou múltiplos de seis. Quando Deus criou omundo, Ele o criou em seis dias. Estes dois eram dias de trabalho. Operíodo pelo qual este mundo de pecado tem de passar é um período deseis mil anos. “Seis mil anos esteve em andamento o grande conflito... “Durante seis mil anos a obra de rebelião de Satanás tem feito‘estremecer a Terra’. ... Durante seis mil anos o seu cárcere (o sepulcro)recebeu o povo de Deus, e ele os queria conservar cativos para sempre;
  16. 16. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 16mas Cristo quebrou os seus laços, pondo em liberdade os prisioneiros.” –GC., 656, 659. “Durante seis mil anos tem a fé edificado sobre Cristo. Por seis milanos as inundações e tempestades da ira satânica têm batido de encontro àRocha de nossa salvação; ela, porém, permanece inabalável.” – DTN., 413. Como o número seis é um número tão intimamente relacionadocom a criação da Terra e a duração do mundo em sua forma atual,concebe-se que este número seja um número adotado por aquele que seconstituiria “príncipe deste mundo” como se fosse seus número próprio,sendo usado por ele e pelos poderes que o representam como umsímbolo de seu controle. O número seis, sessenta, seiscentos, e seus múltiplos eram usadospreeminentemente na antiga Babilônia. Entre os babilônios não erausado somente o sistema sexagesimal. Sessenta era o número usadocomo símbolo do supremo deus no panteão. Este, durante os primeirostempos, era Anu de Marduk. Mais tarde quando Marduk ou Bel deBabilônia usurpou o primeiro lugar no panteão, foi-lhe dado o númeromaior. Outros números mais baixos – 50, 40, 30, 20 e 10 – eram usadospara os deuses mais próximos da importância da tríade babilônica. Seisera o número mais baixo usado para um deus, enquanto que seiscentoscompreendia a totalidade dos deuses ou espíritos do mundo inferior esuperior, o Igigi e o Anunnaki. O número seis e seus múltiplos tornaram-se por causa distopreeminentes na ciência e na astrologia babilônica e dali setransportaram até os nossos dias. Desta maneira havia sessenta segundosnum minuto e sessenta minutos numa hora, com doze horas no dia edoze meses no ano. O círculo da Terra e do sol foi dividido em trezentose sessenta graus. A significação completa do número seiscentos e sessenta e seis nãoé entendido perfeitamente na atualidade, mas há indicação suficiente deque é um número intimamente ligado ao simbolismo místico da religiãoda Babilônia primitiva.
  17. 17. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 17 Este era o número místico que aparecia num amuleto usado pelossacerdotes. 1 32 34 3 35 6 30 8 27 28 11 7 20 24 15 16 13 23 19 17 21 22 18 14 10 26 12 9 29 25 31 4 2 33 5 36 Encontramos aí que o total desta seqüência de números de 1 a 36,tanto na coluna vertical dá o número místico 666. De alguma maneiraainda não bem entendida hoje. O número 666 é encontrado como sendoo número apocalíptico da besta. BIBLIOGRAFIA Andreasen, M.L., “The Resurgence of Romanism”, ST, April 22, 1941, 9 Barnes, Albert, Notes on the Book of Revelation, 77-30 Bollman, Calvin P., “The Number of the Beast”, R&H, Nov. 17, 1921, 6; July 5, 1928, 9 ________, “The United States in Prophecy, R&H, June 21, 1928, 9 Close, Albert, Babylon Croly, George, The Apocalypse of St. John, 158-187 Cuming, John, Apocalyptic Sketches, 1850, 277-326 Dalrymple, Gwynne, “The Mark of the Beast”, ST, Feb. 23, 1943, 10 ________, “The Menace of Modern Spiritism”, ST, March 2, 1943, 8 ________, “The Mysterious Number o Prophecy”, ST, March, 1943, 8 ________, “The Power that Was Wounded to Death”, ST, Feb. 9, 1943, 8 ________, The United States in Prophecy”, ST, Feb. 16, 1943, 8 ________, “When Church and State United”, ST, Feb. 2, 1943, 8 Elliott, E.B., Horae Apocalypticae, III, 68-305
  18. 18. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 18 “Ending of the 1260 years”, R&H, June 18, 1867, 6; June 25, 1867 Exell, Joseph, The Biblical Illustrator, 458-467 Fey, Harold E., Can Catholicism Win America? French, T.M., “The Beast of Revelation XIII”, R&H, Oct. 17, 1935, 3 ________, “The Coming Conflict and the Final Victory”, R&H, Nov., 1935, 4 ________, “The Image of the Beast”, R&H, Oct. 24, 1935, 8 ________, The Mark of the Beast and its Enforcement”, R&H, Oct. 31, 1935, 5 Garrat, Samuel, A Commentary on the Revelation of St. John, 197-309 Guinness, Henry Grattan, Romanism and the Reformation Haskell, Stephen N., The Story of the Seer of Patmos, 224-245 Haynes, Carlyle B., The Rise of the United States Foretold”, ST, Nov. 12, 1940, 12 ________, “The United States in Prophecy”, ST, Nov. 19, 1940, 12 Hendriksen, W., More Than Conquerors, 174-182 Holmes, C. E., “The Two-Horned Beast of Revelation 13”, R&H, Oct. 12, 1911, 5 Lee, Frederick, “Situation Necessary to the Fulfillment of Revelation Thirteen”, R&H, Feb. 17, 1944, 3 ________, “The Papacy Unchanged”, R&H, July 20, 1944, 6; July 27, 1944, 4 ________, “The Sunday-Sabbath Issue”, R&H, Sept. 14, 1944, 5 Lenski, R. C. H., The Interpretation of St. Johns Revelation, 388-417 Lord, David N., An Exposition of the Apocalypse, 365-445 Loughborough, J.N., “The Two-Horned Beast”, R&H, June 25, 1857, 57; July 2, 1857, 65; July 9, 1857, 73; July 16, 1857, 81 Mead, N., “The Two-Horned Beast”, R&H, Nov. 15, 1853, 149 Michol, F.D., “Conversions to Rome, R&H, Jan. 28, 1937, 7 ________, “Is Rome Growing Stronger?”, R&H, Jan. 7, 1937, 4 ________, “Our Answer to the Challenge of Rome’s Revival”, R&H, Feb. 4, 1937, 7 ________, “Rome’s Gains and Losses”, R&H, Jan. 14, 1937, 5
  19. 19. O Leopardo e a Besta de Dois Chifres 19 ________, “Rome’s Power Revealed in Many Years”, R&H, Jan. 21, 1937, 9 Nichol, F.D., “Setting the Stage for Revelation 13”, R&H, Feb. 29, 1940, 8 Odom, Robert L., “Two Horns of Revelation 13:11”, M. July, 1948, 20 Reasser, G.W., “The Deadly Wound Was Healed”, R&H, Feb. 5, 1925, 5 Reed, Lucas Albert, "The Beast and the False Prophet”, ST, Oct. 22, 1929, 13. Reid, William J., Lectures on the Revelation, 281-306 Scott, C. Anderson, Revelation, 235, 242 Smith, Justin A ., Commentary on the Revelation, 183-197 Smith, Uriah, Daniel and the Revelation, 561-623 ________, “United States in the Light of Prophecy”, R&H, Oct. 17, 1871; Feb. 13, 1872 Spicer, W. A., “Beginning of the 1260 Years of Papal Supremacy”, R&H, June 20, 1912, 7 ________, “Ending of the 1260 Years of Papal Supremacy”, R&H, June 27, 1912, 8 Spurgeon, Wm. A., The Conquering Christ, 156-176 Stephenson, J.C., “The Number of the Beast”, R&H, Nov. 29, 1853, 166 Vuilleumier, John, “The Coming Crisis in Europe”, R&H, July 16, 1889, 450 White, E.G., O Grande Conflito, 54-119, 439-450, 563-592, 613-635 ________, Testimonies to the Church, 5:449-454, 463-467; 711-718; 9:227-231 ________, “The Address in Regard to the Sunday Movement”, R&H, Extra, Dec. 24, 1889, 2 White, J., A Word to the Little Flock, 8, 9 Wilcox, F.M., “Apostate Protestantism”, R&H, July 20, 1944, 1 Wordsworth, Chr., The New Testament, 226-237.

×