09 a mulher e o dragão

1.122 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.122
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
62
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

09 a mulher e o dragão

  1. 1. A MULHER E O DRAGÃO I. TEXTO BÁSICO: Apocalipse 12 II. OS PRINCIPADOS DO GRANDE CONFLITO A. A mulher Apoc. 12:1 1. A mulher, um símbolo da igreja. Jer. 6:2; Isa. 54:5,6; Osé. 2:19, 20; II Cor. 11:2; D.T.N. p. 107. "O povo de Deus, simbolizado por uma mulher santa e por seus filhosconstitui a minoria" – 4 SP., p. 276. “Cristo honrou a relação matrimonial tornando-a também símbolo daunião entre Ele e os remidos. Ele próprio é o esposo; a esposa é a igreja.” –CBV., 356. “Revestida da armadura da justiça de Cristo, a igreja deve entrar emseu conflito final. ‘Formosa como a Lua, brilhante como o Sol, formidávelcomo um exército com bandeiras’ (Cant. 6:10), deve ela ir a todo o mundo,vencendo e para vencer.” – PR., 725. 2. A igreja da terra e a igreja do céu se constituem uma só. “A igreja de Deus cá embaixo se constitui uma com a igreja de Deus láem cima. Os crentes da terra e os seres do céu que nunca caíram,constituem uma igreja”. – 6 T., p. 366. 3. Vestida de Sol. a. O sol, um símbolo de Cristo e de sua justiça. Mal. 4:2; João 8:12; Lucas 1:76-79; D.T.N., pg. 348,349. “Cristo ... é a luz do Sol, e da Lua, e das estrelas. ... Como os raiossolares penetram até aos mais afastados recantos da Terra, assim a luz doSol da Justiça resplandece sobre toda alma.” – DTN., 464. b. A igreja deve revestir-se de Cristo e das vestes da Sua justiça. Rom. 13:12,14; Gál. 3:27; Isa. 52:1; 61:10; Ap. 19:7, P.J. p. 312. c. A igreja deve ser a luz do mundo. Mat. 5:14, Ezeq. 5:8. 4. A lua sob os pés. “De si mesma a humanidade não possui luz. Separados de Cristo,somos semelhantes a uma vela não acesa, como a Lua quando tem a face
  2. 2. A Mulher e o Dragão 2voltada para o lado contrário ao Sol; não temos um único raio luminoso alançar sobre as trevas do mundo. Ao volver-nos, porém, para o Sol daJustiça, ao nos pormos em contato com Cristo, a alma inteira é iluminadacom o brilho da divina presença.” – MDC., 40. 5. Sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas. "... As suaves influências que devem ser freqüentes na igreja,acham-se ligadas a esses ministros de Deus, aos quais cabe representar oamor de Cristo. As estrelas do céu acham-se sob a direção de Deus. Eleas enche de luz.... O mesmo quanto a Seus ministros.” – OE., 14. B. A criança - Cristo. Apoc. 12:2; Sal. 2:7-9; Atos 13:33; Isa. 66:7; Mat. 1:23. C. O grande dragão vermelho – Satanás e seu agente na terra, Roma. Apoc. 12:3, 9. Comp. Eze. 29:3; 32:2; Jer. 51:34; Isa. 27:1; 61:9; Sal. 74:13,14. “A cadeia de profecias na qual se encontram estes símbolos, começano capítulo 12 de Apocalipse, com o dragão que procurava destruir Cristoem Seu nascimento. Declara-se que o dragão é Satanás (Apoc. 12:9); foi eleque atuou sobre Herodes a fim de matar o Salvador. Mas o principal agentede Satanás, ao fazer guerra contra Cristo e Seu povo, durante os primeirosséculos da era cristã, foi o Império Romano, no qual o paganismo era areligião dominante. Assim, conquanto o dragão represente primeiramenteSatanás, é, em sentido secundário, símbolo de Roma pagã.” – GC., 438. “No livro de Apocalipse, sob os símbolos de um grande dragãovermelho, um animal semelhante ao leopardo, e um com chifressemelhantes aos de um cordeiro, são representados aqueles governos queestão essencialmente envolvidos em pisar a lei de Deus e perseguir Seupovo. Esta guerra será levada avante por eles até acabar o tempo. O povode Deus simbolizado por uma mulher santa e seus filhos, constitui aminoria". – 4 SP., p. 276. O dragão é aqui descrito como sendo uma criatura composta. Éformado por Satanás e seus adjuntos da terra. Certamente, Satanás não é
  3. 3. A Mulher e o Dragão 3um ser com várias cabeças, chifres e coroas. Satanás era originalmente,um ser celestial, um anjo. Hoje ele é um anjo caído. Neste mundo eleopera através de agentes humanos. Por meio de vários governos na Terrae poderes religiosos, ele tem procurado obter o controle do mundo ereunir toda a raça humana sob seu governo. Estes poderes – utensílioseficientes do príncipe do mal – são representados no livro de apocalipsecomo animais de rapina de múltiplas cabeças e chifres. 1. As cabeças, chifres e coroas. Apoc. 12:3. Comp. Apoc. 13:1; 17:3, 9,10. a. Sete cabeças – poderes maiores. Apoc. 17:3, 10; Dan. 7:6. Comp. Dan. 8:8, 22. b. Dez chifres- poderes menores. Apoc. 17:12; Dan. 7:24; 8:21, 22; Zac. 1:18,19. c. Sete coroas – emblemas de realeza e governo. II Reis 11:12; I Crôn. 20:2; Eze. 21:26,27. III. O GRANDE CONFLITO NO CÉU E NA TERRA A. A Terça parte das estrelas lançadas sobre a terra. Apoc. 12:4; Test. Seletos, vol. 1, p. 312; Comp. Jó 38:7; II Pedro 2:4; Isa. 14:13; Judas 6; Dan. 8:10. “Quando Satanás se tornou desafeto no Céu, não apresentou suaqueixa perante Deus e Cristo; foi, porém, por entre os anjos que o julgavamperfeito, afirmando que Deus lhe fizera injustiça preferindo Cristo a ele. Oresultado desta falsidade foi , por motivo de lhe terem aderido, um terço dosanjos perderam sua inocência, sua alta posição e seu lar feliz". – 2 TS, 103. B. O dragão e a criança. Apoc. 12:4,5. 1. Empenho para devorar a criança assim que nascesse. Apoc. 12:4; Mat. 2:16; C.S., p. 474. 2. O nascimento da criança. Mat. 1:21-25.
  4. 4. A Mulher e o Dragão 4 3. A criança que regerá as nações com vara de ferro. Apoc. 12:5, 2:26, 27; 19:15,16; Sal. 2:7-9. 4. A criança arrebatada para Deus e para o seu trono. João 14:28; 20:17; Heb. 8:1. C. A mulher foge para o deserto por 1260 dias. - 538-1798. Apoc. 12:6; 13:5; Dan. 7:25. “No século VI tornou-se o papado firmemente estabelecido. Fixou-se asede de seu poderio na cidade imperial e declarou-se ser o bispo de Roma acabeça de toda a igreja. ... E começaram então os 1.260 anos da opressãopapal preditos nas profecias de Daniel e Apocalipse. ... “Desencadeou-se a perseguição sobre os fiéis com maior fúria do quenunca, e o mundo se tornou um vasto campo de batalha. Durante séculos aigreja de Cristo encontrou refúgio no isolamento e obscuridade. Assim diz oprofeta: ‘A mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado porDeus, para que ali fosse alimentada durante mil e duzentos e sessenta dias.’Apoc. 12:6.” – GC., 54, 55. D. Guerra no Céu. Apoc. 12:7-9. 1. Miguel – Cristo. I Tess. 4:16; Judas 9; Dan. 12:1 ; 10:13,21. 2. A antiga serpente, o Diabo, e Satanás. Gên. 31,4; Apoc. 20:2. a. Que engana todo o mundo. “Desde a sua corrupção no céu, tem sido o curso de Satanás umavereda de decepção e asperezas”. – TM. , pp. 280,281. “O grande enganador tem muitos agentes prontos para apresentar todae qualquer espécie de erro, a fim de enredar as almas.” – GC., 520. “... Tinha ele artificiosamente apresentado a questão sob o seu pontode vista, empregando sofisma e fraude, a fim de conseguir seus objetivos.... “... Consistia sua astúcia em perturbar com argumentos sutis,referentes aos propósitos de Deus. Tudo que era simples ele envolvia emmistério, e por meio de artificiosa perversão lançava a dúvida sobre as maisclaras declarações de Jeová. ... “... Satanás podia usar o que Deus não podia – a lisonja e o engano.Procurara falsificar a Palavra de Deus, e de maneira errônea figurara Seuplano de governo, pretendendo que Deus não era justo ao impor leis aos
  5. 5. A Mulher e o Dragão 5anjos; que, exigindo submissão e obediência de Suas criaturas, estavasimplesmente a procurar a exaltação de Si mesmo. Era, portanto, necessáriodemonstrar perante os habitantes do Céu, e de todos os mundos, que ogoverno de Deus é justo, que Sua lei é perfeita. Satanás fizera com queparecesse estar ele procurando promover o bem do Universo.” – PP., 40, 41. “Já no início da história humana, começou Satanás seus esforços paraenganar a nossa raça. ... “O único que prometeu a Adão vida em desobediência foi o grandeenganador.” – GC., 531, 533. b. Precipitado na terra. Apoc. 12:9. “Quando Satanás foi arremessado do Céu, resolveu tornar a Terra oseu reino. Quando tentou e venceu Adão e Eva, achou que havia adquiridoposse deste mundo ... O grande conflito iniciado no Céu devia ser decididono próprio mundo, no próprio campo que Satanás alegara como seu.” – PP.,69. (1) A criação do homem planejada antes da queda de Satanás. "Depois de criar a terra, e os seus animais, Pai e Filho concretizaram oobjetivo, que fora ideado antes da queda de Satanás, de criar o homem aSua própria imagem". – 1 SP., p. 24. (2) O descontentamento de Satanás a respeito dos planos de criar o homem. “Mas quando Deus disse a Seu Filho: ‘Façamos o homem à Nossaimagem’ (Gên. 1:26), Satanás teve ciúmes de Jesus. Ele desejava serconsultado sobre a formação do homem, e porque não o foi, encheu-se deinveja, ciúmes e ódio.” – PE., 145. (3) A convocação do Concílio celestial antes da criação da terra. “... Lúcifer consentiu que prevalecessem seus sentimentos de invejapara com Cristo, e se tornou mais decidido. ... “O Rei do Universo convocou os exércitos celestiais perante Ele, para,em sua presença, apresentar a verdadeira posição de Seu Filho, e mostrar arelação que Este mantinha para com todos os seres criados. O Filho deDeus partilhava do trono do Pai...
  6. 6. A Mulher e o Dragão 6 “O Filho de Deus executara a vontade do Pai na criação de todos osexércitos do Céu; e a Ele, bem como a Deus, eram devidas as homenagense fidelidade daqueles. Cristo ia ainda exercer o poder divino na criação daTerra e de seus habitantes.” – PP., 36. c. Anjos expulsos com Satanás. Apoc. 12:9, PE., p. 146. “Satanás e seus simpatizantes foram expulsos do Céu... "Os anjos no Céu choraram a sorte daqueles que tinham sido seuscompanheiros na felicidade e na bem-aventurança. Sua perda foi sentida noCéu. O Pai consultou Jesus sobre o plano já feito de criarem o homem parahabitar a terra... “Satanás ficou surpreso ao deparar-se com a sua nova condição. Suafelicidade se fora. Olhou para os anjos que, ao lado dele, tinham sido tãofelizes mas que agora foram expulsos com ele do Céu... Os semblantes que tinham refletido aimagem do Criador estavam tenebrosos e desesperados... "Em lugar de grande bem, experimentavam os tristes resultados dadesobediência e o desrespeito à lei.". – 5 SP., pp. 23,28,29. d. A expulsão de Satanás por ocasião da crucifixão de Cristo. Apoc. 12:10, P.P., p. 76. (1) Agora chegada está a salvação. “Cristo inclinou a cabeça e expirou... ‘E ouvi uma grande voz no Céu,que dizia: Agora chegada está a salvação, e a força, e o reino do nossoDeus, e o poder do Seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos éderribado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite.’ “ “Satanás viu que estava desmascarado. Sua administração foi expostaperante os anjos não caídos e o Universo celestial. Revelara-se umhomicida. Derramando o sangue do Filho de Deus, desarraigou-se Satanásdas simpatias dos seres celestiais. Daí em diante sua obra seria restrita.Qualquer que fosse a atitude que tomasse, não mais podia esperar os anjosao virem das cortes celestiais, nem perante eles acusar os irmãos de Cristode terem vestes de trevas e contaminação de pecado. Estavam rotos osderradeiros laços de simpatia entre Satanás e o mundo celestial.” – DTN.,761.
  7. 7. A Mulher e o Dragão 7 2. O acusador dos irmãos. Apoc. 12:10; T. vol. 2, 106; P.J., p. 166; T. vol. 5, p. 286; O Maior Discurso de Cristo p. 101. “Como Satanás acusou Josué e seu povo, assim em todos os séculosele acusa os que buscam a misericórdia e o favor de Deus. Ele é o‘acusador de nossos irmãos’, e os acusa ‘de dia e de noite’. Apoc. 12:10. Acontrovérsia se repete em relação a casa alma que é liberta do poder domal, e cujo nome é escrito no livro da vida do Cordeiro. Jamais é alguémrecebido na família de Deus sem que se exalte a decidida resistência doinimigo.” – PR., 585. “As acusações de Satanás contra os que buscam o Senhor não sãomotivados pelo desprazer em face de seus pecados. Ele exulta com osdefeitos de seu caráter. Unicamente por causa de sua transgressão da Leide Deus, pode ele alcançar poder sobre eles. Suas acusações advêm tãosomente de sua inimizade a Cristo”. – 2 TS, pág. 173. “Satanás exulta quando pode difamar ou ferir um seguidor de Cristo.Ele é o acusador dos irmãos. Devem os cristãos ajudá-lo em sua obra?” – 5T., pág. 95. F. Vitória à disposição dos filhos de Deus. Apoc. 12:11, 12. (1) Satanás, um inimigo vencido. João 12:31,32. (2) O segredo da vitória: a. O sangue do Cordeiro. TV. Vol. 5, pg. 470; PP. pág. 84. b. Pela palavra de seus testemunho. PE., pág 114. (3) Não amaram suas vidas até a morte. (4) Regozijo no céu pela vitória. Sal. 96:11-13; CS. pág. 730. (5) A raiva do inimigo vencido. “A vida santa de Abel testificava contra a pretensão de Satanás de queé impossível ao homem guardar a lei de Deus. Quando Caim, movido peloespírito do maligno, viu que não podia dominar Abel, irou-se de tal maneiraque lhe destruiu a vida. E onde quer que haja alguém que esteja pelareivindicação da justiça da lei de Deus, o mesmo espírito se manifestarácontra ele.... É a cólera de um adversário vencido. Todo o mártir por Jesusmorreu como vencedor.” – PP., 77.
  8. 8. A Mulher e o Dragão 8 (6) A necessidade de lutar contra a determinada oposição do inimigo. Ef. 6:12; T.., Vol. 2, pág. 161; 3-327, 407; 4-557; 5-297. “Deus está tirando Seu povo das abominações do mundo, a fim de queguardem Sua lei; e, por causa disto, a ira do "acusador de nossos irmãos"não tem limites. ’O diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que játem pouco tempo.’ Apoc. 12:10 e 12. A terra antitípica da promessa estáprecisamente diante de nós, e Satanás está resolvido a destruir o povo deDeus, e separá-lo de sua herança.” – PP., 689. “A ira de Satanás aumenta à medida em que o tempo se abrevia, e suaobra de engano e destruição atingirá o auge no tempo de angústia.” GC, 623 G. Grande guerra do dragão contra a mulher e sua semente. Ap. 12:13-17; Gn. 3:15. “Quando satanás se convenceu plenamente de que não haviapossibilidade de ser reintegrado no favor de Deus, manifestou sua malíciacom aumentado ódio e feroz veemência. “Deus sabia que uma rebelião assim determinada não ficaria inativa...Ele procuraria destruir a felicidade de Adão e Eva.” – SP. Vol. 1 pg. 30. 1. A mulher fugiu para o deserto por um tempo, tempos e metade deum tempo – 538-1798. Ap. 12:14; 13:5; 11:2,3; Dn. 7:25; Mat. 24:21,22. “No século VI tornou-se o papado firmemente estabelecido. ... Ecomeçaram então os 1.260 anos da opressão papal preditos nas profeciasde Daniel e Apocalipse. (Dan. 7:25; Apoc. 13:5-7.) ... “Desencadeou-se a perseguição sobre os fiéis com maior fúria do quenunca, e o mundo se tornou um vasto campo de batalha. Durante séculos aigreja de Cristo encontrou refúgio no isolamento e obscuridade. Assim diz oprofeta: "A mulher fugiu para o deserto ...’ “ – GC., pp. 54, 55. a. Asas para poder voar. Apoc. 12:14, comp. Sal. 55:6, 7; Jer. 48:9, 28. b. Uma enxurrada lançada pela serpente. Apoc. 12:15, comp. Isa. 8:7, 8; 59:19; Jer. 46:7, 8; 47:2-4. c. A terra ajudou a mulher. Apoc. 12:16.
  9. 9. A Mulher e o Dragão 9 2. Guerra contra o remanescente. Apoc. 12:17; CS. pp. 631-642. Tradução de Knox: “Assim, em seu respeito contra a mulher, o dragão foi por todos os lugares fazer guerra contra o resto dos seus filhos, os homens que guardam os mandamentos de Deus, e, se agarram firmes à verdade a respeito de Jesus. E ele estava lá esperando na praia do mar.” Tradução de Weymouth: “Isto fez com que o dragão ficasse furiosamente irado contra a mulher, e ele foi por todos os lugares fazer guerra aos seus outros filhos – aqueles que guardam os mandamentos de Deus e se agarram firmes ao testemunho de Jesus. E ele tomou posição sobre as areias da praia do mar.” a. Uma alteração na cena da batalha. b. Os característicos do remanescente. (1) Guardam os mandamentos de Deus. Apoc. 12:17; 14:12; João 14:15, I João 5:2,3; Rom. 13:8-10; DTN. pg. 296-297; T., V 2. pág. 105; TS., Vol. 3, pág. 224-225; Idem, Vol. 2 pp. 159-161; PR. pg. 605; CS. pg. 643. “Desde o início do grande conflito no Céu, tem sido o intento deSatanás subverter a lei de Deus. Foi para realizar isto que entrou emrebelião contra o Criador; e, posto que fosse expulso do Céu, continuou amesma luta na Terra. ... “O último grande conflito entre a verdade e o erro não é senão a lutafinal da prolongada controvérsia relativa à lei de Deus.” – GC., 582. “Num futuro não muito distante haveremos de ver estas palavrascumpridas, quando as igrejas protestantes se aliarem com o mundo e opoder papal contra os que guardam os mandamentos de Deus. O mesmoespírito que atuou nos romanistas em épocas passadas há induzir osprotestantes a adotarem as mesmas medidas contra os que se conservaremleais à Lei de Deus.” – 2 TS., pág. 149. “No conflito prestes a se desencadear, veremos exemplificadas aspalavras do profeta: "O dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra aoresto da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm otestemunho de Jesus Cristo." Apoc. 12:17. ...
  10. 10. A Mulher e o Dragão 10 “A ira de Satanás aumenta à medida em que o tempo se abrevia, e suaobra de engano e destruição atingirá o auge no tempo de angústia.” – GC.,pp. 592, 623. (2) Tem o testemunho de Jesus Cristo. Apoc. 12:17, comp. Apoc. 19:10; PE. p. 143. IV. BIBLIOGRAFIA Barnes, Albert. Notes on the Book of Revelation, 332-351. Bunch, Taylor G., Studies in the Revelation, 170-185. Croly, George. The Apocalypse of St. John, 148-157. Dalrymple, Gwynne. “A Conspiracy Against Christ”, ST, Jan. 5, 1943, 10. ______, “The Church in the Wilderness”, ST, Jan. 19, 1943, 8. ______, “The Mystery of Evil”, ST, Jan. 12, 1943, 8. ______, “The Spanish Armada”, ST, Jan. 26, 1943, 8. Elliott, E. B., Horae Apocalypticae, III, 1-68, 260-305. Exell, Joseph, The Biblical Illustrator, 435-457. French, T. M., “The Protestant Reformation”, R&H, Out. 3, 1935, 4. ______, “The Church in Seclusion”, R&H, Set. 26, 1935, 6. ______, “The Church and Her Deliverer”, R&H, Set. 19, 1935, 10. ______, “Identifications of the Remnant”, R&H, Out. 10, 1935, 8. Garratt, Samuel. A Commentary on the Revelation of St. John, 149-196. Haskell, Stephen N., “Revelation 12”, R&H, Jan. 22, 1901, 55. ______, The Story of the Seer of Patmos, 209-223. Howell, W. E., “Time, Times and a Half”, R&H, May 18, 1939, 13. Hendrisksen, W., More Than Conquerors, 162-174. Lenski, R. C. H., The Interpretation of St. John’s Revelation, 361-387. Lord, David N., An Exposition of the Apocalypse, 312-365. Nichols, O., “Babylon”, R&H, Jan. 13, 1857, 75. Reed, Lucas Albert, “Two Wonders in Heaven”, ST, Out. 15, 1929, 1 Reid, William J., Lectures on the Revelation, 258-280. Acott, C. Anderson. Revelation, 226-235.
  11. 11. A Mulher e o Dragão 11 Seiss, J. A., The Apocalypse, II, 271-386. Smith, A., “The Dragon”, R&H, Jul.5, 1881, 21. Smith, Justin. A., Commentary on the Revelation, 165-183. Smith, Uriah., Daniel and the Revelation, 549-559. Spalding, A. W., “The Time of the End”, R&H, Feb. 11, 1932, 124. Spurgeon, Wm. A., The Conquering Christ, 146-155. Swete, Henry Barclay, The Apocalypse of St. John, 1xxiv-1xxix. Thorn, George, Visions of Hope and Fear, 84-91. Waldorf, N. J., The Woman in the Wilderness, M, May 1932, 14. White, Ellen G. “Character of the Last Conflict”, R&H, Apr. 14, 1896, 225. ______, Patriarcas e Profetas, 33-43. ______, Primeiros Escritos, 145-147. ______, Spirit of Prophecy, I, 14-24, 28-33. ______, Testemunhos para Ministros, 131-141. ______, The Great Controversy, R&H, Set. 7, 1897, 561; Set. 14, 1897, 577. White, James, “Revelation Twelve”, R&H, Jan. 8, 1857, 76. ______, “What is Babylon”, R&H, Dez. 9, 1851, 57.

×