Fisica Lançamento

17.977 visualizações

Publicada em

trabalho sobre o lançamento horinzontal 12º ano by catia henriques

Publicada em: Diversão e humor, Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
17.977
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
38
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
165
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fisica Lançamento

  1. 1. Escola secundária com 3ºciclo de Pombal Física – Lançamento Horizontal Trabalho final do 1º Período da disciplina de Física leccionada pelo professor Cadete
  2. 2. <ul><ul><li>Quando um corpo é lançado horizontalmente no vácuo, ele descreve, em relação à Terra, uma trajectória parabólica. Esse movimento pode ser considerado como o resultado da composição de dois movimentos simultâneos e independentes: Um movimento vertical, uniformemente variado, sob a acção exclusiva da gravidade. E um movimento horizontal uniforme, pois não existe aceleração na direcção horizontal. </li></ul></ul><ul><ul><li>Por exemplo, se uma arma dispara uma bala horizontalmente, esta continua a mover-se para diante, por causa da inércia, mas ao mesmo tempo sofre a acção da força da gravidade, que a puxa para a Terra. O resultado é que a bala descreve uma trajectória curva. Em cada ponto da trajectória, a velocidade resultante do móvel, é dada pela soma vectorial da velocidade horizontal, constante, e da velocidade vertical, variável. </li></ul></ul><ul><ul><li>O facto de as duas velocidades serem independentes tem uma consequência importante: o tempo que um projéctil gasta para cair, quando lançado horizontalmente, é o mesmo que gastaria para cair em queda livre. Ou seja, se jogarmos uma pedra horizontalmente, do segundo andar de uma casa, com uma velocidade de 10 m/s e deixarmos cair outra pedra ao mesmo tempo, ambas as pedras atingirão o solo no mesmo instante. </li></ul></ul>Escola secundária com 3ºciclo de Pombal
  3. 3. Escola secundária com 3ºciclo de Pombal Vamos agora ver um vídeo !!!! Clicar na imagem
  4. 4. <ul><li>Explicação gráfica: </li></ul>Escola secundária com 3ºciclo de Pombal
  5. 5. <ul><li>Resumo teórico: Um corpúsculo é lançado horizontalmente, no vácuo, com velocidade inicial V o , de uma altura H em relação ao solo, no instante ao qual se associa t=0. Para o estudo de seu movimento adoptou-se um sistema de coordenadas (x O y) fixo no solo, com origem na posição de lançamento e com eixos Ox e Oy conforme se ilustra: </li></ul>Escola secundária com 3ºciclo de Pombal
  6. 6. <ul><li>O corpúsculo descreverá trajectória que pode ser interpretada como resultante de dois movimentos independentes, a saber: </li></ul><ul><li>(i)- um movimento rectilíneo e uniforme, de velocidade V o , que se desenvolve por inércia, na direcção Ox.   </li></ul><ul><li>x = V o .t        (1) </li></ul><ul><li>(ii)- um movimento rectilíneo uniformemente variado, devido à aceleração da gravidade, na direcção Oy.   </li></ul><ul><li>y = (1/2).g.t 2     (2) </li></ul><ul><li>As expressões (1) e (2) são as equações paramétricas do movimento. A partir delas, com simples eliminação do parâmetro t, obtemos a equação da trajectória no sistema coordenado adoptado.   </li></ul><ul><li>De (1) vem: t = x/V o , que levado em (2) obtém-se: </li></ul><ul><li>y = (1/2).g.(x/V o ) 2   ou </li></ul><ul><li>Com g e V o constantes, e y =< H , concluímos que tal trajectória é um arco de parábola. </li></ul>Escola secundária com 3ºciclo de Pombal
  7. 7. <ul><li>1- O móvel atingirá o solo no instante </li></ul><ul><li>2- O tempo de queda não depende da particular velocidade horizontal.   </li></ul><ul><li>3- O alcance horizontal é dado por:   </li></ul><ul><li>  </li></ul>Escola secundária com 3ºciclo de Pombal
  8. 8. <ul><li>Objectivo: </li></ul><ul><li>A realização desta actividade tem “Lançamento </li></ul><ul><li>Horizontal de Projéctil”, tem como o objectivo a determinação do alcance , da velocidade inicial e o tempo de voo da esfera. </li></ul><ul><li>Material: </li></ul><ul><li>- 2 Suportes </li></ul><ul><li>- 2 Berlindes ( de diferentes massas) </li></ul><ul><li>- Fita-cola </li></ul><ul><li>- Folha de papel </li></ul><ul><li>- Papel Químico </li></ul><ul><li>Mesa </li></ul><ul><li>Cartolinas </li></ul>Escola secundária com 3ºciclo de Pombal
  9. 9. <ul><li>Cálculos: </li></ul><ul><li>  </li></ul>Escola secundária com 3ºciclo de Pombal
  10. 10. <ul><li>Conclusão e Crítica: </li></ul><ul><li>Após a elaboração desta experiência conclui-se que se o motivo pelo qual foram feitos três ensaios, foi para se poder calcular a média dos pontos e trabalhar com o valor médio para minimizar os erros experimentais, daí o valor do alcance que foi de 0,706m. </li></ul><ul><li>A velocidade só pode ser determinada depois de se calcular o tempo de queda do berlinde, uma vez que, o tempo na componente vertical é o mesmo que na componente horizontal, onde substituímos na fórmula o tempo, pelo valor obtido anteriormente e pode calcular-se a velocidade inicial. </li></ul><ul><li>No decorrer da experiência foram elaborados 6 ensaios em vez de 3, embora apenas 3 tenham sido contabilizados, uma vez que os 3 primeiros ensaios não ficaram registados no papel porque não chegaram ao alcance deste. Os 3 primeiros ensaios consecutivos não foram contabilizados enquanto que os 3 últimos ensaios consecutivos foram os contabilizados para prosseguir com os cálculos. </li></ul>Escola secundária com 3ºciclo de Pombal
  11. 11. Escola secundária com 3ºciclo de Pombal

×