O que faz o  psicanalista ?                                 Tema:                       o tempo e o dinheiro:             ...
Quanto ao manejo da transferência, vale lembrar oque demarca mais amplamente o itinerário de uma                   análise...
Quais são os movimentos ou estratégias que promovem o               manejo da transferência?Fundamentalmente, compete ao a...
Alguns aspectos do tempo  na análise
"Uma pergunta importuna que o paciente faz ao médico, no início, é:Quanto tempo durará o tratamento. De quanto tempo o sen...
Cada sessão de análise comporta uma   dobra interna da análise inteira.                                      Isto nos cond...
O que equivale a                        afirmar que O corte da sessão pode ir de encontro ao saber,na contramão do pensame...
Diferentemente de dar sentido ao dizer do analisando, fazendo interpretações tradutoras ou explicativas, o analista provoc...
Volta-se, assim, mais deuma vez a um ponto ...   não de forma circular, porém,             espiralar.
Cada sessão de análise comporta uma   dobra interna da análise inteira.
Instante de olhar   Tempo para compreender (que, para Lacan, comporta uma certeza       que é precipitada pela pressa)    ...
Fatias de análise     tranche    danalyse
iManobras              n                      t                      eno   tempo            r                      v      ...
Prosseguiremos no próximo encontro ainda com o tema      o tempo e o dinheiro: seus manejos na             experiência ana...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

CURSO O QUE FAZ O PSICANALISTA? 2012 – aula 3 e 4: o tempo e o dinheiro: seus manejos na experiência analítica

976 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
976
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
94
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CURSO O QUE FAZ O PSICANALISTA? 2012 – aula 3 e 4: o tempo e o dinheiro: seus manejos na experiência analítica

  1. 1. O que faz o psicanalista ? Tema: o tempo e o dinheiro: seus manejos na experiência analítica Coordenação Alexandre SimõesALEXANDRE SIMÕES ® Todos os direitos de autor reservados.
  2. 2. Quanto ao manejo da transferência, vale lembrar oque demarca mais amplamente o itinerário de uma análise: “... O que desejamos ouvir de nosso paciente não é apenas o que ele sabe e esconde de outras pessoas; ele deve dizer-nos também o que não sabe.” (FREUD. Esboço de psicanálise, p. 201) ALEXANDRE SIMÕES ® Todos os direitos de autor reservados.
  3. 3. Quais são os movimentos ou estratégias que promovem o manejo da transferência?Fundamentalmente, compete ao analista apresentar- se de forma mais intensa bem como, quando necessário, ausentar-se: • O intervalo entre as sessões; • O tempo de duração da sessão; ALEXANDRE SIMÕES • A função do corte interpretativo; ® Todos os direitos de autor reservados.
  4. 4. Alguns aspectos do tempo na análise
  5. 5. "Uma pergunta importuna que o paciente faz ao médico, no início, é:Quanto tempo durará o tratamento. De quanto tempo o senhorprecisará para aliviar-me de meu problema? Se se propôs umtratamento experimental de algumas semanas, pode-se evitar fornecerresposta direta a esta pergunta, prometendo-se fazer umpronunciamento mais fidedigno ao final do período de prova. Nossaresposta assemelha-se à resposta dada pelo Filósofo ao Caminhante,na fábula de Esopo. Quando o caminhante perguntou ao Filósofoquanto tempo teria de jornada, o Filósofo simplesmente respondeuCaminha! e justificou sua resposta aparentemente inútil, com opretexto de que precisava saber a amplitude do passo do Caminhanteantes de lhe poder dizer quanto tempo a viagem duraria. Esteexpediente auxilia-nos a superar as primeiras dificuldades, mas acomparação não é boa, pois o neurótico pode facilmente alterar o passoe, às vezes, fazer apenas progresso muito lento. Na verdade, a perguntarelativa à duração de um tratamento é quase irrespondível." (Freud, 1913. Sobre o início do tratamento)
  6. 6. Cada sessão de análise comporta uma dobra interna da análise inteira. Isto nos conduz a verificar que todo final de sessão remete, de forma homóloga, a um final da análise.
  7. 7. O que equivale a afirmar que O corte da sessão pode ir de encontro ao saber,na contramão do pensamento, interrompe a fala.
  8. 8. Diferentemente de dar sentido ao dizer do analisando, fazendo interpretações tradutoras ou explicativas, o analista provoca ainstigação, abrindo a cadeia significante do sujeito, para fazê-lo deslizar.
  9. 9. Volta-se, assim, mais deuma vez a um ponto ... não de forma circular, porém, espiralar.
  10. 10. Cada sessão de análise comporta uma dobra interna da análise inteira.
  11. 11. Instante de olhar Tempo para compreender (que, para Lacan, comporta uma certeza que é precipitada pela pressa) Momento de concluir
  12. 12. Fatias de análise tranche danalyse
  13. 13. iManobras n t eno tempo r v a l o tempo da entre as sessão sessões
  14. 14. Prosseguiremos no próximo encontro ainda com o tema o tempo e o dinheiro: seus manejos na experiência analítica Até lá! Acesso a este conteúdo: www.alexandresimoes.com.br ALEXANDRE SIMÕES ® Todos os direitos de autor reservados.

×