A expansão urbana e os seus
impactos para a mobilidade urbana
Priscilla Costa e Luanna Teixeira
Universidade Federal do Ma...
Bibliografia básica
BURNETT, Frederico Lago. Da Tragédia Urbana a Farsa do Urbanismo
Reformista. São Paulo, Editora Annabl...
“Basta abrir os olhos para compreender a vida cotidiana
daquele que corre de sua moradia para a estação
próxima ou distant...
• Industrialização - problemática urbana
• Indutor - industrialização
• Induzidos – problemas relativo ao crescimento urba...
• Castells(2006) – cultura urbana – “difusão do sistema de
valores, atitudes e comportamentos”
• A urbanização e a industr...
Para Castells(2006) a
problemática do urbano possui
quatro pontos:
• Lefebvre(2001)→ grupos que ocultam a problemática urbana
Explosão das cidades
• Descolamento entre matriz do planejamento,
legislação urbana brasileira e a realidade
• Urbanização brasileira - século ...
Processo de urbanização brasileiro
• Industrialização com baixos salários, mercado
residencial restrito
• As gestões urban...
Consequências da exclusão
territorial
• Predação ambiental
• Escalada da violência
O problema da mobilidade urbana
• “A cidade negligencia as singularidades da vida urbana,
os modos de viver da cidade, o h...
As consequências
• Portanto, os problemas relacionados a precariedade
do transporte público desencadeou a luta organizada
...
Roberto Leher (2013, Manifestações massivas no Brasil
têm origem na esquerda) distingue duas dimensões
desse protesto soci...
As propostas do Movimento Passe Livre para o
transporte são:
•Municipalização do sistema;
•Criação de um Fundo Municipal d...
Ao analisar o fenômeno das manifestações ocorridas na
Turquia, no Brasil e na Bulgária, Wallerstein aponta
certas similari...
“Desnecessário dizer da importância das lutas e
manifestações dos últimos dias. Elas expressam uma
extraordinária vontade ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A expansão urbana e os seus impactos para a mobilidade urbana

614 visualizações

Publicada em

Pequena contextualização sobre o processo de urbanização e industrialização e a cultura da cidade, junto com a formação do espaço urbano. A urbanização brasileira numa visão crítica, apontando suas consequências, e o movimento das jornadas de junho com a questão do movimento do passe livre que envolve diretamente a discussão da cidade através da mobilidade urbana.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
614
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A expansão urbana e os seus impactos para a mobilidade urbana

  1. 1. A expansão urbana e os seus impactos para a mobilidade urbana Priscilla Costa e Luanna Teixeira Universidade Federal do Maranhão Seminário Internacional Carajás 30 anos GT 6 – Questão Urbana
  2. 2. Bibliografia básica BURNETT, Frederico Lago. Da Tragédia Urbana a Farsa do Urbanismo Reformista. São Paulo, Editora Annablume, 2011. LEFEBVRE, Henri. O Direito à Cidade. São Paulo, Centauro, 2008. MARICATO, Hermínia. As idéias fora do lugar e o lugar fora das idéias. Planejamento urbano no Brasil. In ARANTES, Otília Beatriz Fiori, et alli. A cidade do pensamento único. Desmanchando consensos. Petrópolis, Vozes, 2000. MOVIMENTO PASSE LIVRE et all. CIDADES REBELDES. Passe livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil. São Paulo, Carta Maior/Boitempo.
  3. 3. “Basta abrir os olhos para compreender a vida cotidiana daquele que corre de sua moradia para a estação próxima ou distante, para o metrô superlotado, para o escritório ou para a fábrica, para retomar à tarde o mesmo caminho e voltar para a casa a fim de recuperar as forças para recomeçar tudo no dia seguinte. O quadro dessa miséria generalizada não poderia deixar de se fazer acompanhar pelo quadro das satisfações que a dissimulam e que se tornam os meios de eludi-la e de evadir-se dela.” (LEFEBVRE, 2001, p. 118)
  4. 4. • Industrialização - problemática urbana • Indutor - industrialização • Induzidos – problemas relativo ao crescimento urbano, à planificação, às questões referentes à cidade e ao desenvolvimento da realidade urbana, os lazeres e as questões da cultura • É a industrialização responsável pela organização do espaço, a cidade, juntamente com a sua cultura, e se estrutura sobre os fatos fundamentais, a saber: a decomposição de estruturas agrárias, a migração das pessoas para os grandes centros urbanos, o fornecimento de mão-de-obra para a indústria e a passagem da economia doméstica para a manufatura, da manufatura para a fábrica, constituindo assim necessidades e um mercado consumidor que se aglutina ao redor da cidade. A cidade se torna um lugar de gestão e de domínio, de classes sociais e de um sistema político-administrativo de uma sociedade.
  5. 5. • Castells(2006) – cultura urbana – “difusão do sistema de valores, atitudes e comportamentos” • A urbanização e a industrialização seguem juntas num só processo, como explicar o fato do crescimento de uma cidade de uma urbanização com pouca industrialização? • Hiperurbanização → países periféricos • Sociedade subdesenvolvida e dependente → a articulação de sua estrutura social em todos os níveis é constituída por relações assimétricas, então, o processo de urbanização, a ocupação do espaço, torna-se a expressão desta dinâmica social. • A urbanização latino-americana: A urbanização latino-americana caracteriza-se então pelos traços seguintes: população urbana sem medida comum com o nível produtivo do sistema; ausência de relação direta entre emprego industrial e crescimento urbano; grande desequilíbrio na rede urbana em beneficio de um aglomerado preponderante; aceleração crescente do processo de urbanização; falta de empregos e de serviços para as novas massas urbanas e, conseqüentemente, reforço da segregação ecológica das classes sociais e polarização do sistema de estratificação no que diz respeito ao consumo. (CASTELLS, 2006, p. 99)
  6. 6. Para Castells(2006) a problemática do urbano possui quatro pontos:
  7. 7. • Lefebvre(2001)→ grupos que ocultam a problemática urbana Explosão das cidades
  8. 8. • Descolamento entre matriz do planejamento, legislação urbana brasileira e a realidade • Urbanização brasileira - século XX • Urbanismo – planejamento e regulação urbanística • Urbanismo – desigualdades e privilégios • Favelas • Ilegalidade é funcional – clientelismo, patrimonialismo e coronelismo • Matriz do planejamento urbano modernista – ocultação • Falta planos urbanísticos?
  9. 9. Processo de urbanização brasileiro • Industrialização com baixos salários, mercado residencial restrito • As gestões urbanas – investimentos regressivos • Legislação ambígua ou aplicação arbitrária da lei
  10. 10. Consequências da exclusão territorial • Predação ambiental • Escalada da violência
  11. 11. O problema da mobilidade urbana • “A cidade negligencia as singularidades da vida urbana, os modos de viver da cidade, o habitar propriamente dito.” (LEFEBVRE, 2001, p. 62) • Uma das principais vertentes da política econômica brasileira é a de entupir as cidades de automóveis via continuação de estímulos à indústria automobilística, onerando o transporte público e desencadeando uma ‘imobilidade urbana’. • “Há mais subsídios para a circulação de automóveis do que para o transporte coletivo” (MARICATO, 2013).
  12. 12. As consequências • Portanto, os problemas relacionados a precariedade do transporte público desencadeou a luta organizada contra o aumento das tarifas da cidade de São Paulo em junho de 2013. Capitaneada pelo Movimento Passe Livre-SP, essa luta se tornou a fagulha responsável pelo incêndio na pradaria (VAINER, 2013). • O MPL é um movimento social autônomo, apartidário, horizontal e independente, que luta por um transporte público de verdade, gratuito para o conjunto da população e fora da iniciativa privada.
  13. 13. Roberto Leher (2013, Manifestações massivas no Brasil têm origem na esquerda) distingue duas dimensões desse protesto social para poder pensá-lo como totalidade: •Um primeiro plano é a convocatória, difundido pelo MPL que vem se configurando como um dos mais imaginativos e interessantes movimentos da juventude. •O segundo nível é a análise dos que atenderam a convocatória. As jornadas de junho
  14. 14. As propostas do Movimento Passe Livre para o transporte são: •Municipalização do sistema; •Criação de um Fundo Municipal de Transporte Coletivo gerido com participação popular; •TARIFA ZERO para todas as pessoas, onde o ônibus terá um custo, porém compartilhado entre a sociedade, através do aumento na arrecadação de impostos progressivos; •Combate à cultura do automóvel. As jornadas de junho
  15. 15. Ao analisar o fenômeno das manifestações ocorridas na Turquia, no Brasil e na Bulgária, Wallerstein aponta certas similaridades entre eles: •Todas as revoltas tendem a começar muito pequenas; •Nenhuma dessas revoltas continuam na velocidade máxima por muito tempo; •Embora terminem, deixam um legado; •Muitos que se unem ao movimento não para reforçar os objetivos iniciais, mas para pervertê-los; •O quinto traço em comum é que todos eles acabam envolvidos no jogo geopolítico. As jornadas de junho
  16. 16. “Desnecessário dizer da importância das lutas e manifestações dos últimos dias. Elas expressam uma extraordinária vontade não apenas de mudar as políticas de transporte, educação, saúde, etc, como pretendem alguns analistas que buscam reduzir o significado dos acontecimentos dos últimos dias, mas de transformar de modo radical a sociedade brasileira e as formas de exercício do poder político.” (VEINER, Mega-eventos, mega-negócios, mega- protestos)

×