Apresentação g2 final

232 visualizações

Publicada em

Apresentação final
Repensando a avaliação investigativa.

FAFE-USP

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
232
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação g2 final

  1. 1. Atividade final da Semana 4Repensando o Ensino e a Aprendizagem Curso de Capacitação de Professores SME/SP FAFE-USP 2012
  2. 2. Como avaliar um experimento investigativo? Grupo 2 Eloíza Fernanda Keli Paulo Sandra Tutor Pedro Júnior
  3. 3. O que os teóricos dizem sobre aavaliação? Nos dias de hoje, a avaliação da aprendizagem não é algo meramente técnico. Envolve autoestima, respeito à vivência e cultura própria do indivíduo, filosofia de vida, sentimentos e posicionamento político. Embora essas dimensões não sejam perceptíveis a todos os professores. O educador que faz uso de instrumentos de avaliação diversos para, ao longo de um período, acompanhar o ensino-aprendizagem, é diferente daquele que se restringe a dar uma prova ao final do período.
  4. 4. Segundo Canen (2001), Gandin (1995) e Luckesi (1996), aavaliação é um julgamento sobre uma realidade concreta ousobre uma prática, à luz de critérios claros, estabelecidos préviaou concomitantemente, para tomada de decisão. Desse modo,três elementos se fazem presentes no ato de avaliar: arealidade ou prática julgada, os padrões de referência, que dãoorigem aos critérios de julgamento, e o juízo de valor.A avaliação do aproveitamento de alunos, por exemplo, podebasear-se em critérios reduzidos, apenas à memorização deconteúdos, ou pode basear-se em critérios que visem aocrescimento pessoal dos alunos, no que diz respeito as suasatitudes, liderança, conscientização crítica e cidadã. Essescritérios se originam de opiniões acerca do que se entende poreducação, e vão direcionar o julgamento de valor acerca dodesempenho daqueles alunos.
  5. 5. É possível avaliar os alunos numa atividadeinvestigativa?A resposta é sim.Numa proposta de atividade experimental investigativaa avaliação deve possibilitar, ao professor e aosestudantes, uma reflexão acerca do alcance dosobjetivos definidos para a mesma, bem como, dodesenvolvimento das habilidades trabalhadas.Mas quais objetivos?Objetivos conceituais, objetivos procedimentais e objetivosatitudinais.
  6. 6. Avaliação do experimento investigativodo DensímetroEscola: EMEF PROFESSOR CARLOSPASQUALEProfessora: Eloiza Hitomi Wakate HiedaEscolaridade: 7ª série (8º ano) do Ensino Fund. IINúmero de alunos: 35Tempo de aplicação: 2 aulas.
  7. 7. A Avaliação ocorreu de forma ContínuaFoi feita uma abordagem diagnóstica, construtivista,formativa e processual.A Avaliação considerou vários aspectos:• Participação efetiva dos integrantes em cada grupo• Organização.• Estratégias usadas pelos alunos• Criatividade e habilidades técnicas.• Habilidades cognitivas gerais, como elaboração dehipóteses.• integração entre os componentes• Sociabilização e compartilhamento de ideias eopiniões. Entre outros...
  8. 8. Além da observação a professora(mediadora/orientadora) analisou outros aspectosdos alunos durante o desenvolvimento da atividade.Cada grupo recebeu uma ficha/roteiro com questõesa serem respondidas.Cada grupo discutiu as questões ao longo doexperimento e das anotações também surgemimportantes informações que puderam ser usadasna avaliação dos grupos.
  9. 9. Critérios de Avaliação dos alunosnesse experimento do Densímetro.
  10. 10. Questões a considerar:Usaram de boas estratégias?Sim, estes alunos já possuem o hábito de realizar experimentospráticos, mas não como atividade investigativa.Construíram o densímetro corretamente?Alguns grupos utilizaram técnicas inesperadas e bem criativas.Houve coerência das falas e explicações pós-experimento?Sim, alguns grupos confundiram o conceito entre a densidade dasubstância e o processo de boiar ou afundar do densímetro, mas demodo geral atingiram os objetivos propostos.Os relatos demonstraram aprendizado efetivo?Acredito que sim, após discussões entre os membros do grupo e entreos grupos. 
  11. 11. Houve discussões entre o grupo?Sim, os grupos trocaram ideias e fizeram comparaçõesentre os seus resultados.Geraram hipóteses?Sim, um dos grupos tentou afundar os densímetros(todos ao mesmo tempo) em cada tubo de ensaio e comparara flutuabilidade entre os mesmos.Ocorreu participação efetiva de todos?Sim, porém há sempre aqueles que são líderes e outrosque são acomodados em um trabalho que envolve várias pessoas.Chegaram a conclusões desejadas?Acredito que a maioria apresentou em seu relato final por escrito.Extrapolaram o plano do experimento?Dentro do possível, sim. Demonstraram associar a densidade aoutros exemplos de aplicações. 
  12. 12. Todos fizeram os relatórios e preencheram de forma adequada?Acredito que a maioria realizou, apesar desta atividade em específico,ter sido apresentada e realizada um pouco fora da sequência deconteúdo da 7a série.De forma geral, suas anotações demonstraram coerência?Sim. Mesmo usando um ou outro termo inadequado.Pudemos notar adequação às respostas e entendimentodo assunto e da atividade.Foram organizados?A maioria dos grupos trabalhou de forma organizada e planejada.Obs:Os alunos gostaram de participar do experimento e a maioriademonstrou interesse e motivação na participação.
  13. 13. Conclusão da AvaliaçãoForam alcançados quase na totalidade os objetivosconceituais, procedimentais e atitudinais.• Assimilaram de maneira satisfatória e demonstraram emsuas falas e registros os conteúdos referentes ao assuntotratado: Densidade•Podemos afirmar com toda certeza, que a atividade emquestão, favoreceu o aprendizado e o desenvolvimento devárias habilidades do fazer científico, como o levantamento dehipóteses o refletir nas estratégias e o repensar nas questõesinerentes ao experimento.
  14. 14. • Os alunos tiveram compromisso com a atividade, aceitaram ascondições orientadas pela aplicadora. Todo o desenvolvimento daatividade foi garantido por ambiente de respeito, atuação positiva entre osalunos participantes que souberam dividir as tarefas, ouviram asorientações prévias e assumiram uma postura receptiva e parceira.A maioria dos participantes ficou concentrados na atividade, num clima decamaradagem, e motivados pela situação problema, não tentaram emmomento algum burlar a atividade, nem tão pouco trapaceando ou tirandovantagem de outro grupo mais adiantado.Respeitaram o ambiente, manusearam os materiais de forma cuidadosa eadequada.Houve sim, comportamento ético da maioria e acreditamos que essaatividade só favorecer o trabalho em equipe e o respeito à diversidade deopinião e de pensamento.Nesse quesito, destacamos a boa conduta da classe em questão. Nãotivemos nenhum caso de atitude discrepante ou que merecesse algumtipo de anotação negativa.
  15. 15. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASFonte:http://www.sistti.com.br/raquel/m5_avaliacaoaprendiz.htm Acesso em 06/12/12http://sitededicas.ne10.uol.com.br/art_avaliacao.htm Acesso em 06/12/12São Paulo (SP). Secretaria Municipal de Educação. Diretoria deOrientação Técnica.Orientações curriculares e proposição de expectativas de aprendizagempara o Ensino Fundamental: ciclo II : Ciências Naturais / SecretariaMunicipal de Educação – São Paulo : SME / DOT, 2007, pag. 76 a 147.

×