SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIDADE4
CONTEÚDOS DE
ENSINO
Objetivos
•	 Identificar o procedimento de seleção e organização
de conteúdos, de modo a saber converter na prática
pedagógica o conhecimento científico em conhecimento
curricular, considerando contextos socioculturais e as
capacidades cognitivas, físicas e afetivas dos alunos.
Conteúdo
• Conceituação de conteúdos como meio para o
desenvolvimento global dos educandos, com base nas
idéias dos Parâmetros Curriculares Nacionais.
CRC • • • © Didática Geral
30
Disciplina de Núcleo Comum
Claretiano – Batatais
UNIDADE 4
Introdução1
Na Unidade anterior, você teve contato com as idéias dos Parâmetros Curriculares
Nacionais a respeito dos Objetivos de Ensino.
Nesta unidade, estudará os conteúdos chamados conceituais, atitudinais e
procedimentais, bem como sua seleção e organização para o processo de ensino.
Ao final desta unidade, você deverá conhecer o procedimento de seleção
e organização de conteúdos, de modo a saber converter, na prática pedagógica, o
conhecimento científico em conhecimento curricular, considerando contextos socioculturais
e as capacidades cognitivas, físicas e afetivas dos alunos.
Conceituação2
De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais (1997, p. 73) “[...] o que
se propõe é um ensino em que o conteúdo seja visto como meio para que os alunos
desenvolvam as capacidades que lhes permitam produzir e usufruir dos bens culturais,
sociais e econômicos”.
Ao organizar a prática educativa, os professores precisam:
• construir uma aprendizagem significativa em seus alunos;
• ressignificar os conteúdos em conceitos, procedimentos e atitudes, enfatizando,
assim, a responsabilidade da escola com a formação global do aluno (pensar,
agir, sentir).
Qualquer que seja a abordagem pedagógica utilizada pelo educador, juntamente
com os alunos, são trabalhados necessariamente os conteúdos.
O que diferenciará o trabalho com o conteúdo é o significado que lhe é conferido
no contexto escolar, como são selecionados e trabalhados.
A tipologia de conteúdos apresentada para você, futuro educador (maneira de
conceituar os conteúdos), será a dos conteúdos factuais, conceituais, procedimentais
e atitudinais.
Vamos entendê-los?
Todo conteúdo está associado a conteúdos de outra natureza. Por exemplo:
• os aspectos factuais da soma (código e símbolo);
• os conceituais da soma (união e número), com os algorítmicos (cálculo mental
e algoritmo);
• os atitudinais (sentido e valor).
Disciplina de Núcleo Comum
© Didática Geral • • • CRC
31Batatais – Claretiano
UNIDADE 4
Conteúdos factuais (fatos)
Por conteúdos factuais entendem-se o conhecimento de fatos, acontecimentos,
situações, dados e fenômenos concretos e singulares:
• idade de uma pessoa;
• conquista de um território;
• localização ou altura de uma montanha;
• nomes;
• códigos;
• axiomas;
• fato determinado em determinado momento, etc.
O ensino está repleto de conteúdos factuais:
• datas e nomes de acontecimentos na história;
• nomes de autores e correntes na literatura, música e artes 		
plásticas;
• códigos e símbolos na área de língua, matemática, física e 		
química;
• classificações na área de biologia;
• vocabulário nas línguas estrangeiras, etc.  
Conteúdos conceituais
Os conceitos referem-se ao conjunto de fatos, objetos ou símbolos que têm
características comuns.
Os princípios são mudanças que se produzem num fato, objeto ou situação em
relação a outros fatos, objetos ou situações e que normalmente descrevem relações de
causa-efeito ou de correlação.
Conteúdos procedimentais
O conteúdo procedimental significa o conjunto de ações ordenadas e com um
fim, quer dizer, dirigidas para a realização de um objetivo. Veja alguns deles:
• ler;
• desenhar;
• calcular;
• classificar;
• traduzir;
• recortar;
• saltar;
• inferir;
• espetar.
Conteúdos atitudinais
O termo conteúdos atitudinais engloba uma série de conteúdos que, por sua
vez, podem ser agrupados em:
ATENÇÃO!
Para ampliar seus
conhecimentos sobre a
tipologia dos conteúdos
a serem trabalhados,
pesquise em sites de busca
com a palavra chave:
“conteúdos”.
CRC • • • © Didática Geral
32
Disciplina de Núcleo Comum
Claretiano – Batatais
UNIDADE 4
• valores;
• atitudes;
• normas.
O que você entende por valores? Por atitudes? E por normas?
Valores: são os princípios ou as idéias éticas que permitem às pessoas emitirem
um juízo sobre as condutas e seus sentidos: solidariedade, respeito aos outros,
responsabilidade, liberdade etc.
Atitudes: são tendências ou predisposições relativamente estáveis das pessoas
para atuar de certa maneira: cooperar com o grupo, ajudar os colegas, respeitar
o meio ambiente, participar das tarefas escolares etc.
Normas: são padrões ou regras de comportamento seguidas por todos os
membros de um grupo social, obrigatórias em determinadas situações. Grau
segundo se trata de um valor, uma atitude ou uma norma.
Ensino dos conteúdos
Até o momento você tomou contato com as conceituações dos conteúdos
factuais, conceituais, procedimentais e atitudinais.
 
Agora, futuro professor, serão sugeridas algumas formas de ensino dos quatro
tipos de conteúdos. Lembre-se: a tarefa de ensinar está relacionada ao papel ou ações do
professor para a aprendizagem dos alunos.
Como ensinar os conteúdos factuais?
As atividades básicas para as seqüências de conteúdos factuais englobarão,
necessariamente, exercícios de repetição.
Exemplificando:
Uma apresentação dos conteúdos de acordo com um modelo expositivo, um
estudo individual relacionado a exercícios de repetição e uma posterior prova
podem ser suficientes.
Observação:
É importante que a exposição consiga atrair o interesse dos alunos, que não
haja um excesso de informação, que se tomem como ponto de partida o
conhecimento que já têm...
Como ensinar conceitos e princípios?
Como os conceitos e princípios são temas abstratos, eles requerem uma
compreensão do significado e, portanto, um processo de elaboração pessoal.
Mas o que é compreender o significado na aprendizagem? É proporcionar ao
aluno o reconhecimento dos conhecimentos prévios, que assegurem a significância e a
funcionalidade, adequadas ao nível de desenvolvimento, que provoquem uma atividade
mental, etc.
As atividades devem partir de situações significativas e funcionais, ou seja, que
este conteúdo tenha sentido para o aluno; ele deve saber para que serve e que função
tem, ainda que seja útil apenas para poder realizar uma nova aprendizagem.
ATENÇÃO!
Se você encontrar
dificuldades acesse a Lista,
compartilhe suas dúvidas
com seus colegas de curso
e seu tutor.
Para você REFLETIR:
Os conteúdos atitudinais
devem ser trabalhados na
escola?
Qual a ligação desses
conteúdos com o dia-a-dia
dos alunos?
Disciplina de Núcleo Comum
© Didática Geral • • • CRC
33Batatais – Claretiano
UNIDADE 4
A seqüência deve contemplar atividades que apresentem os modelos de
desenvolvimento do contexto de aprendizagem. Modelos em que se possa ver todo o
processo, visão completa das diferentes fases, passos ou ações que os compõem, para
passar posteriormente à complexidade do modelo.
Exemplificando:
O ensino da observação. Hoje em dia, sobretudo nas áreas de Ciências Sociais e
Naturais, propõem-se atividades de observação de uma maneira sistemática.  
É importante lembrar que são necessárias atividades com ajudas de diferente
grau e prática guiada; proporcionar ajudas ao longo das diferentes ações e ir
retirando-as progressivamente - observar e conduzir os alunos por meio de um
processo de prática guiada.
Como ensinar conteúdos atitudinais?
O ensino desses conteúdos é complexo. É necessário mobilizar todos os recursos
relacionados com o componente afetivo. Portanto, é fundamental levar em conta não tanto
os aspectos evidentes e explícitos dos valores no momento das exposições, debates ou
diálogos em que são tratados, mas, também, toda a rede de relações: o tipo de interação
entre professores e alunos, entre os próprios alunos e entre todos os membros da equipe
docente.
Exemplificando:
Uma das primeiras medidas a se tomar é sensibilizar o aluno sobre as normas
existentes na escola e na aula, ou seja, tornar sua participação ativa. 
Outro exemplo é o intercâmbio entre os alunos para debater as opiniões e idéias
sobre tudo o que os afeta em seu trabalho nas aulas e na escola - compromissos
derivados dos valores e atitudes aceitos livremente.
Para tanto, uma série de medidas deve ser levada em conta:
a) Adaptar o caráter dos conteúdos atitudinais às necessidades e situações reais
dos alunos: traços socioculturais dos alunos, sua situação familiar e os valores
que prevalecem em seu ambiente.
b) Conduzir o trabalho desses conteúdos partindo da realidade e aproveitando
os conflitos que nela se apresentam.
c) Propor situações que ponham em conflito os conhecimentos, as crenças e os
sentimentos de forma adaptada ao nível de desenvolvimento dos alunos.
d) Introduzir processos de reflexão crítica para que as normas sociais de
convivência integrem as próprias normas.
e) Favorecer modelos das atitudes, que se queiram desenvolver, não apenas por
parte dos professores.
f) Desenvolver atividades que façam com que os alunos participem em processos
de mudança atitudinal.
g) Fomentar a autonomia de cada aluno, o que implica não apenas os professores
estabelecerem espaços para colocá-la em prática, como também espaços de
experimentação dos processos de aquisição que permitam esta autonomia.
A aprendizagem de fatos implica uma lembrança fiel de todos os elementos que
a compõem e de suas relações. Com relação aos fatos, a aprendizagem adequada é a
mais próxima do texto original ou da exposição que é objeto de estudo. São importantes
estratégias que favoreçam a tarefa de memorização (que não significa repetição ou
decoração) no processo de aprendizagem.
CRC • • • © Didática Geral
34
Disciplina de Núcleo Comum
Claretiano – Batatais
UNIDADE 4
Não podemos dizer que o aluno aprendeu um conceito ou princípio se não
entendeu o seu significado. Fará parte do conhecimento do aluno não apenas a
definição, mas também a interpretação, compreensão ou exposição de um fenômeno
ou situação; quando for capaz de situar fatos, objetos ou situações concretas naquele
conceito que os inclui.
Exemplos de atividades:
• atividades experimentais;
• atividades que promovam uma forte atividade mental que favoreça essas
relações;
• atividades que outorguem significado e funcionalidade aos novos conceitos e
princípios;
• atividades que suponham um desafio ajustado às possibilidades reais, etc.;
• atividades que favoreçam a compreensão do conceito a fim de utilizá-lo para a
interpretação ou o conhecimento de situações, ou para a construção de outras
idéias.
Trata-se de atividades complexas que provocam um verdadeiro processo de
elaboração e construção pessoal do conceito.
A realização das ações será condição importante para a aprendizagem. Se
examinarmos a definição, vemos que os conteúdos procedimentais são um conjunto de
ações ordenadas e com um fim.
A exercitação múltipla é o elemento imprescindível para o domínio competente.
Não basta realizar uma vez as ações do conteúdo procedimental. É preciso fazê-lo tantas
vezes quantas forem necessárias até que seja suficiente para chegar a dominá-lo.
A reflexão sobre a própria atividade permite que se tome consciência de atuação.
Como sabemos também, não basta repetir um exercício sem mais nem menos. Para poder
melhorá-lo, devemos ser capazes de refletir sobre a maneira de realizá-lo e sobre quais
são as condições ideais de seu uso.
A aplicação em contextos diferenciados baseia-se no fato de que aquilo que
aprendemos será mais útil à medida que podemos utilizá-los em situações nem sempre
previsíveis. Isso exige que as exercitações sejam numerosas e realizadas em contextos
diferentes, para que as aprendizagens possam ser utilizadas em qualquer ocasião.
Considera-se que o aluno adquiriu um valor quando este for interiorizado e
critérios forem elaborados para tomar posições frente àquilo que se deve considerar
positivo ou negativo, critérios morais que regem a atuação e a avaliação de si mesmo e
dos outros.
Para finalizar: ao escolher um conteúdo a ser trabalhado, é necessário que o
educador questione:
a) Os saberes selecionados ocultam conflitos ou problemas ssócio culturais.
b) Fazem circular na escola as necessidades e discursos da diversidade dos
alunos.
PARA você REFLETIR :
Escolher um conteúdo não
se reduz ao planejamento
do início do ano, mas é uma
reflexão contínua durante
todo o ano letivo.
Disciplina de Núcleo Comum
© Didática Geral • • • CRC
35Batatais – Claretiano
UNIDADE 4
Referências bibliográficas3
BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Introdução. Brasília: MEC/SEF, 1997.
COLL, C. Psicologia e Currículo. Uma aproximação psicopedagógica à elaboração do
currículo escolar. São Paulo: Ática, 2000.
________. Aprender conteúdos e desenvolver capacidades. Porto Alegre: Artmed, 2004.
ZABALA, A. Como trabalhar os conteúdos procedimentais em sala de aula. Porto Alegre:
Artmed, 1999.
________. Enfoque globalizador e pensamento complexo: uma proposta para o currículo
escolar. Porto Alegre: Artmed, 2002.
Anotações

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Métodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensinoMétodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensino
Mekinho20
 
Processo de Ensinagem
Processo de EnsinagemProcesso de Ensinagem
Processo de Ensinagem
Márcia Castilho de Sales
 
Zabala
ZabalaZabala
Zabala
Maria Maria
 
Avaliação ensino-e-aprendizagem-anotacoes-para-comeco-de-conversa-lea-anastasiou
Avaliação ensino-e-aprendizagem-anotacoes-para-comeco-de-conversa-lea-anastasiouAvaliação ensino-e-aprendizagem-anotacoes-para-comeco-de-conversa-lea-anastasiou
Avaliação ensino-e-aprendizagem-anotacoes-para-comeco-de-conversa-lea-anastasiou
PROIDDBahiana
 
Slid estrategia pedagógicas.pptx
Slid estrategia pedagógicas.pptxSlid estrategia pedagógicas.pptx
Slid estrategia pedagógicas.pptx
li43
 
Metodologia de ensino
Metodologia de ensinoMetodologia de ensino
Metodologia de ensino
Deia Araujo
 
Slid estrategia pedagógicas
Slid estrategia pedagógicas Slid estrategia pedagógicas
Slid estrategia pedagógicas
Vlaudemir Vieira
 
Zabala
ZabalaZabala
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiouEstrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
PROIDDBahiana
 
Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09
Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09
Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09
Andrea Cortelazzi
 
Procedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensinoProcedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensino
Poliana Silvesso
 
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADOPressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
Magno Oliveira
 
O construtivismo na sala de aula
O construtivismo na sala de aulaO construtivismo na sala de aula
O construtivismo na sala de aula
Maristela Couto
 
Tecnicas de Ensino e Dominios de Aprendizagem
Tecnicas de Ensino  e Dominios de AprendizagemTecnicas de Ensino  e Dominios de Aprendizagem
Tecnicas de Ensino e Dominios de Aprendizagem
joao jose saraiva da fonseca
 
Ensinagem
EnsinagemEnsinagem
Ensinagem
guestab3168
 
Apresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PAApresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PA
Cesar Eduardo
 
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
ANGRAD
 
As relações interativas em sala de aula
As relações interativas em sala de aulaAs relações interativas em sala de aula
As relações interativas em sala de aula
pedagogia para licenciados
 
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
Jordano Santos Cerqueira
 
A Transposição Didática
A Transposição DidáticaA Transposição Didática
A Transposição Didática
Paulo Pereira
 

Mais procurados (20)

Métodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensinoMétodos e técnicas de ensino
Métodos e técnicas de ensino
 
Processo de Ensinagem
Processo de EnsinagemProcesso de Ensinagem
Processo de Ensinagem
 
Zabala
ZabalaZabala
Zabala
 
Avaliação ensino-e-aprendizagem-anotacoes-para-comeco-de-conversa-lea-anastasiou
Avaliação ensino-e-aprendizagem-anotacoes-para-comeco-de-conversa-lea-anastasiouAvaliação ensino-e-aprendizagem-anotacoes-para-comeco-de-conversa-lea-anastasiou
Avaliação ensino-e-aprendizagem-anotacoes-para-comeco-de-conversa-lea-anastasiou
 
Slid estrategia pedagógicas.pptx
Slid estrategia pedagógicas.pptxSlid estrategia pedagógicas.pptx
Slid estrategia pedagógicas.pptx
 
Metodologia de ensino
Metodologia de ensinoMetodologia de ensino
Metodologia de ensino
 
Slid estrategia pedagógicas
Slid estrategia pedagógicas Slid estrategia pedagógicas
Slid estrategia pedagógicas
 
Zabala
ZabalaZabala
Zabala
 
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiouEstrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
 
Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09
Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09
Zabala. Peb Ii Estado 26.11.09
 
Procedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensinoProcedimentos e métodos de ensino
Procedimentos e métodos de ensino
 
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADOPressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
Pressupostos teoricos para o ensino da didatica REMODELADO
 
O construtivismo na sala de aula
O construtivismo na sala de aulaO construtivismo na sala de aula
O construtivismo na sala de aula
 
Tecnicas de Ensino e Dominios de Aprendizagem
Tecnicas de Ensino  e Dominios de AprendizagemTecnicas de Ensino  e Dominios de Aprendizagem
Tecnicas de Ensino e Dominios de Aprendizagem
 
Ensinagem
EnsinagemEnsinagem
Ensinagem
 
Apresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PAApresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PA
 
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
 
As relações interativas em sala de aula
As relações interativas em sala de aulaAs relações interativas em sala de aula
As relações interativas em sala de aula
 
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
 
A Transposição Didática
A Transposição DidáticaA Transposição Didática
A Transposição Didática
 

Semelhante a U4

Palestra Tipos de Conteúdos
Palestra Tipos de ConteúdosPalestra Tipos de Conteúdos
Palestra Tipos de Conteúdos
louisacarla
 
Apostila Didática
Apostila Didática Apostila Didática
Apostila Didática
Luiz C. Melo
 
pesquisa ação
pesquisa açãopesquisa ação
pesquisa ação
Ana Valeria Silva
 
A prática educativa
A prática educativaA prática educativa
A prática educativa
Colegio Mario Evaldo Morski
 
Apostila de didatica
Apostila de didaticaApostila de didatica
Como aprender
Como aprenderComo aprender
Como aprender
4444444444ada
 
Projetos
ProjetosProjetos
A didatica para o ensino superior
A didatica para o ensino superiorA didatica para o ensino superior
A didatica para o ensino superior
tati mariano
 
Planejamento de ensino[1]
Planejamento de ensino[1]Planejamento de ensino[1]
Planejamento de ensino[1]
UNICEP
 
Zabala
ZabalaZabala
Masetto docencia universitaria
Masetto   docencia universitariaMasetto   docencia universitaria
Masetto docencia universitaria
Renata Vieira da Cunha
 
Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)
Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)
Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)
Giba Canto
 
Pedagogiaedidtica 130113065032-phpapp02
Pedagogiaedidtica 130113065032-phpapp02Pedagogiaedidtica 130113065032-phpapp02
Pedagogiaedidtica 130113065032-phpapp02
Robson S
 
Métodos de ensino
Métodos de ensinoMétodos de ensino
Métodos de ensino
Mara Salvucci
 
Aspectos Mais Relevantes em Desenho de Aprendizagem e de Atividades On Line
Aspectos Mais Relevantes em Desenho de Aprendizagem e de Atividades On LineAspectos Mais Relevantes em Desenho de Aprendizagem e de Atividades On Line
Aspectos Mais Relevantes em Desenho de Aprendizagem e de Atividades On Line
Luciana Grof
 
Projetopedagogico4
Projetopedagogico4Projetopedagogico4
Projetopedagogico4
Antonio Carneiro
 
A prática educativa zabala
A prática educativa zabalaA prática educativa zabala
A prática educativa zabala
Somos Cristo.
 
Conteúdos Conceituais na Educação Infantil
Conteúdos Conceituais na Educação InfantilConteúdos Conceituais na Educação Infantil
Conteúdos Conceituais na Educação Infantil
Ana Pierangeli
 
01-09_Tipos de conteúdos.pdf
01-09_Tipos de conteúdos.pdf01-09_Tipos de conteúdos.pdf
01-09_Tipos de conteúdos.pdf
DalilaSousa16
 
Ensinoporproj
EnsinoporprojEnsinoporproj
Ensinoporproj
Angelos Angel
 

Semelhante a U4 (20)

Palestra Tipos de Conteúdos
Palestra Tipos de ConteúdosPalestra Tipos de Conteúdos
Palestra Tipos de Conteúdos
 
Apostila Didática
Apostila Didática Apostila Didática
Apostila Didática
 
pesquisa ação
pesquisa açãopesquisa ação
pesquisa ação
 
A prática educativa
A prática educativaA prática educativa
A prática educativa
 
Apostila de didatica
Apostila de didaticaApostila de didatica
Apostila de didatica
 
Como aprender
Como aprenderComo aprender
Como aprender
 
Projetos
ProjetosProjetos
Projetos
 
A didatica para o ensino superior
A didatica para o ensino superiorA didatica para o ensino superior
A didatica para o ensino superior
 
Planejamento de ensino[1]
Planejamento de ensino[1]Planejamento de ensino[1]
Planejamento de ensino[1]
 
Zabala
ZabalaZabala
Zabala
 
Masetto docencia universitaria
Masetto   docencia universitariaMasetto   docencia universitaria
Masetto docencia universitaria
 
Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)
Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)
Docencia Universitaria (Dr. Marcos Masetto)
 
Pedagogiaedidtica 130113065032-phpapp02
Pedagogiaedidtica 130113065032-phpapp02Pedagogiaedidtica 130113065032-phpapp02
Pedagogiaedidtica 130113065032-phpapp02
 
Métodos de ensino
Métodos de ensinoMétodos de ensino
Métodos de ensino
 
Aspectos Mais Relevantes em Desenho de Aprendizagem e de Atividades On Line
Aspectos Mais Relevantes em Desenho de Aprendizagem e de Atividades On LineAspectos Mais Relevantes em Desenho de Aprendizagem e de Atividades On Line
Aspectos Mais Relevantes em Desenho de Aprendizagem e de Atividades On Line
 
Projetopedagogico4
Projetopedagogico4Projetopedagogico4
Projetopedagogico4
 
A prática educativa zabala
A prática educativa zabalaA prática educativa zabala
A prática educativa zabala
 
Conteúdos Conceituais na Educação Infantil
Conteúdos Conceituais na Educação InfantilConteúdos Conceituais na Educação Infantil
Conteúdos Conceituais na Educação Infantil
 
01-09_Tipos de conteúdos.pdf
01-09_Tipos de conteúdos.pdf01-09_Tipos de conteúdos.pdf
01-09_Tipos de conteúdos.pdf
 
Ensinoporproj
EnsinoporprojEnsinoporproj
Ensinoporproj
 

U4

  • 1. UNIDADE4 CONTEÚDOS DE ENSINO Objetivos • Identificar o procedimento de seleção e organização de conteúdos, de modo a saber converter na prática pedagógica o conhecimento científico em conhecimento curricular, considerando contextos socioculturais e as capacidades cognitivas, físicas e afetivas dos alunos. Conteúdo • Conceituação de conteúdos como meio para o desenvolvimento global dos educandos, com base nas idéias dos Parâmetros Curriculares Nacionais.
  • 2. CRC • • • © Didática Geral 30 Disciplina de Núcleo Comum Claretiano – Batatais UNIDADE 4 Introdução1 Na Unidade anterior, você teve contato com as idéias dos Parâmetros Curriculares Nacionais a respeito dos Objetivos de Ensino. Nesta unidade, estudará os conteúdos chamados conceituais, atitudinais e procedimentais, bem como sua seleção e organização para o processo de ensino. Ao final desta unidade, você deverá conhecer o procedimento de seleção e organização de conteúdos, de modo a saber converter, na prática pedagógica, o conhecimento científico em conhecimento curricular, considerando contextos socioculturais e as capacidades cognitivas, físicas e afetivas dos alunos. Conceituação2 De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais (1997, p. 73) “[...] o que se propõe é um ensino em que o conteúdo seja visto como meio para que os alunos desenvolvam as capacidades que lhes permitam produzir e usufruir dos bens culturais, sociais e econômicos”. Ao organizar a prática educativa, os professores precisam: • construir uma aprendizagem significativa em seus alunos; • ressignificar os conteúdos em conceitos, procedimentos e atitudes, enfatizando, assim, a responsabilidade da escola com a formação global do aluno (pensar, agir, sentir). Qualquer que seja a abordagem pedagógica utilizada pelo educador, juntamente com os alunos, são trabalhados necessariamente os conteúdos. O que diferenciará o trabalho com o conteúdo é o significado que lhe é conferido no contexto escolar, como são selecionados e trabalhados. A tipologia de conteúdos apresentada para você, futuro educador (maneira de conceituar os conteúdos), será a dos conteúdos factuais, conceituais, procedimentais e atitudinais. Vamos entendê-los? Todo conteúdo está associado a conteúdos de outra natureza. Por exemplo: • os aspectos factuais da soma (código e símbolo); • os conceituais da soma (união e número), com os algorítmicos (cálculo mental e algoritmo); • os atitudinais (sentido e valor).
  • 3. Disciplina de Núcleo Comum © Didática Geral • • • CRC 31Batatais – Claretiano UNIDADE 4 Conteúdos factuais (fatos) Por conteúdos factuais entendem-se o conhecimento de fatos, acontecimentos, situações, dados e fenômenos concretos e singulares: • idade de uma pessoa; • conquista de um território; • localização ou altura de uma montanha; • nomes; • códigos; • axiomas; • fato determinado em determinado momento, etc. O ensino está repleto de conteúdos factuais: • datas e nomes de acontecimentos na história; • nomes de autores e correntes na literatura, música e artes plásticas; • códigos e símbolos na área de língua, matemática, física e química; • classificações na área de biologia; • vocabulário nas línguas estrangeiras, etc.   Conteúdos conceituais Os conceitos referem-se ao conjunto de fatos, objetos ou símbolos que têm características comuns. Os princípios são mudanças que se produzem num fato, objeto ou situação em relação a outros fatos, objetos ou situações e que normalmente descrevem relações de causa-efeito ou de correlação. Conteúdos procedimentais O conteúdo procedimental significa o conjunto de ações ordenadas e com um fim, quer dizer, dirigidas para a realização de um objetivo. Veja alguns deles: • ler; • desenhar; • calcular; • classificar; • traduzir; • recortar; • saltar; • inferir; • espetar. Conteúdos atitudinais O termo conteúdos atitudinais engloba uma série de conteúdos que, por sua vez, podem ser agrupados em: ATENÇÃO! Para ampliar seus conhecimentos sobre a tipologia dos conteúdos a serem trabalhados, pesquise em sites de busca com a palavra chave: “conteúdos”.
  • 4. CRC • • • © Didática Geral 32 Disciplina de Núcleo Comum Claretiano – Batatais UNIDADE 4 • valores; • atitudes; • normas. O que você entende por valores? Por atitudes? E por normas? Valores: são os princípios ou as idéias éticas que permitem às pessoas emitirem um juízo sobre as condutas e seus sentidos: solidariedade, respeito aos outros, responsabilidade, liberdade etc. Atitudes: são tendências ou predisposições relativamente estáveis das pessoas para atuar de certa maneira: cooperar com o grupo, ajudar os colegas, respeitar o meio ambiente, participar das tarefas escolares etc. Normas: são padrões ou regras de comportamento seguidas por todos os membros de um grupo social, obrigatórias em determinadas situações. Grau segundo se trata de um valor, uma atitude ou uma norma. Ensino dos conteúdos Até o momento você tomou contato com as conceituações dos conteúdos factuais, conceituais, procedimentais e atitudinais.   Agora, futuro professor, serão sugeridas algumas formas de ensino dos quatro tipos de conteúdos. Lembre-se: a tarefa de ensinar está relacionada ao papel ou ações do professor para a aprendizagem dos alunos. Como ensinar os conteúdos factuais? As atividades básicas para as seqüências de conteúdos factuais englobarão, necessariamente, exercícios de repetição. Exemplificando: Uma apresentação dos conteúdos de acordo com um modelo expositivo, um estudo individual relacionado a exercícios de repetição e uma posterior prova podem ser suficientes. Observação: É importante que a exposição consiga atrair o interesse dos alunos, que não haja um excesso de informação, que se tomem como ponto de partida o conhecimento que já têm... Como ensinar conceitos e princípios? Como os conceitos e princípios são temas abstratos, eles requerem uma compreensão do significado e, portanto, um processo de elaboração pessoal. Mas o que é compreender o significado na aprendizagem? É proporcionar ao aluno o reconhecimento dos conhecimentos prévios, que assegurem a significância e a funcionalidade, adequadas ao nível de desenvolvimento, que provoquem uma atividade mental, etc. As atividades devem partir de situações significativas e funcionais, ou seja, que este conteúdo tenha sentido para o aluno; ele deve saber para que serve e que função tem, ainda que seja útil apenas para poder realizar uma nova aprendizagem. ATENÇÃO! Se você encontrar dificuldades acesse a Lista, compartilhe suas dúvidas com seus colegas de curso e seu tutor. Para você REFLETIR: Os conteúdos atitudinais devem ser trabalhados na escola? Qual a ligação desses conteúdos com o dia-a-dia dos alunos?
  • 5. Disciplina de Núcleo Comum © Didática Geral • • • CRC 33Batatais – Claretiano UNIDADE 4 A seqüência deve contemplar atividades que apresentem os modelos de desenvolvimento do contexto de aprendizagem. Modelos em que se possa ver todo o processo, visão completa das diferentes fases, passos ou ações que os compõem, para passar posteriormente à complexidade do modelo. Exemplificando: O ensino da observação. Hoje em dia, sobretudo nas áreas de Ciências Sociais e Naturais, propõem-se atividades de observação de uma maneira sistemática.   É importante lembrar que são necessárias atividades com ajudas de diferente grau e prática guiada; proporcionar ajudas ao longo das diferentes ações e ir retirando-as progressivamente - observar e conduzir os alunos por meio de um processo de prática guiada. Como ensinar conteúdos atitudinais? O ensino desses conteúdos é complexo. É necessário mobilizar todos os recursos relacionados com o componente afetivo. Portanto, é fundamental levar em conta não tanto os aspectos evidentes e explícitos dos valores no momento das exposições, debates ou diálogos em que são tratados, mas, também, toda a rede de relações: o tipo de interação entre professores e alunos, entre os próprios alunos e entre todos os membros da equipe docente. Exemplificando: Uma das primeiras medidas a se tomar é sensibilizar o aluno sobre as normas existentes na escola e na aula, ou seja, tornar sua participação ativa.  Outro exemplo é o intercâmbio entre os alunos para debater as opiniões e idéias sobre tudo o que os afeta em seu trabalho nas aulas e na escola - compromissos derivados dos valores e atitudes aceitos livremente. Para tanto, uma série de medidas deve ser levada em conta: a) Adaptar o caráter dos conteúdos atitudinais às necessidades e situações reais dos alunos: traços socioculturais dos alunos, sua situação familiar e os valores que prevalecem em seu ambiente. b) Conduzir o trabalho desses conteúdos partindo da realidade e aproveitando os conflitos que nela se apresentam. c) Propor situações que ponham em conflito os conhecimentos, as crenças e os sentimentos de forma adaptada ao nível de desenvolvimento dos alunos. d) Introduzir processos de reflexão crítica para que as normas sociais de convivência integrem as próprias normas. e) Favorecer modelos das atitudes, que se queiram desenvolver, não apenas por parte dos professores. f) Desenvolver atividades que façam com que os alunos participem em processos de mudança atitudinal. g) Fomentar a autonomia de cada aluno, o que implica não apenas os professores estabelecerem espaços para colocá-la em prática, como também espaços de experimentação dos processos de aquisição que permitam esta autonomia. A aprendizagem de fatos implica uma lembrança fiel de todos os elementos que a compõem e de suas relações. Com relação aos fatos, a aprendizagem adequada é a mais próxima do texto original ou da exposição que é objeto de estudo. São importantes estratégias que favoreçam a tarefa de memorização (que não significa repetição ou decoração) no processo de aprendizagem.
  • 6. CRC • • • © Didática Geral 34 Disciplina de Núcleo Comum Claretiano – Batatais UNIDADE 4 Não podemos dizer que o aluno aprendeu um conceito ou princípio se não entendeu o seu significado. Fará parte do conhecimento do aluno não apenas a definição, mas também a interpretação, compreensão ou exposição de um fenômeno ou situação; quando for capaz de situar fatos, objetos ou situações concretas naquele conceito que os inclui. Exemplos de atividades: • atividades experimentais; • atividades que promovam uma forte atividade mental que favoreça essas relações; • atividades que outorguem significado e funcionalidade aos novos conceitos e princípios; • atividades que suponham um desafio ajustado às possibilidades reais, etc.; • atividades que favoreçam a compreensão do conceito a fim de utilizá-lo para a interpretação ou o conhecimento de situações, ou para a construção de outras idéias. Trata-se de atividades complexas que provocam um verdadeiro processo de elaboração e construção pessoal do conceito. A realização das ações será condição importante para a aprendizagem. Se examinarmos a definição, vemos que os conteúdos procedimentais são um conjunto de ações ordenadas e com um fim. A exercitação múltipla é o elemento imprescindível para o domínio competente. Não basta realizar uma vez as ações do conteúdo procedimental. É preciso fazê-lo tantas vezes quantas forem necessárias até que seja suficiente para chegar a dominá-lo. A reflexão sobre a própria atividade permite que se tome consciência de atuação. Como sabemos também, não basta repetir um exercício sem mais nem menos. Para poder melhorá-lo, devemos ser capazes de refletir sobre a maneira de realizá-lo e sobre quais são as condições ideais de seu uso. A aplicação em contextos diferenciados baseia-se no fato de que aquilo que aprendemos será mais útil à medida que podemos utilizá-los em situações nem sempre previsíveis. Isso exige que as exercitações sejam numerosas e realizadas em contextos diferentes, para que as aprendizagens possam ser utilizadas em qualquer ocasião. Considera-se que o aluno adquiriu um valor quando este for interiorizado e critérios forem elaborados para tomar posições frente àquilo que se deve considerar positivo ou negativo, critérios morais que regem a atuação e a avaliação de si mesmo e dos outros. Para finalizar: ao escolher um conteúdo a ser trabalhado, é necessário que o educador questione: a) Os saberes selecionados ocultam conflitos ou problemas ssócio culturais. b) Fazem circular na escola as necessidades e discursos da diversidade dos alunos. PARA você REFLETIR : Escolher um conteúdo não se reduz ao planejamento do início do ano, mas é uma reflexão contínua durante todo o ano letivo.
  • 7. Disciplina de Núcleo Comum © Didática Geral • • • CRC 35Batatais – Claretiano UNIDADE 4 Referências bibliográficas3 BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Introdução. Brasília: MEC/SEF, 1997. COLL, C. Psicologia e Currículo. Uma aproximação psicopedagógica à elaboração do currículo escolar. São Paulo: Ática, 2000. ________. Aprender conteúdos e desenvolver capacidades. Porto Alegre: Artmed, 2004. ZABALA, A. Como trabalhar os conteúdos procedimentais em sala de aula. Porto Alegre: Artmed, 1999. ________. Enfoque globalizador e pensamento complexo: uma proposta para o currículo escolar. Porto Alegre: Artmed, 2002.