15 essencia de luz

8.227 visualizações

Publicada em

Jornal da Casa de Padre Pio

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.227
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6.955
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

15 essencia de luz

  1. 1. Associação Espiritualista Holocêntrica Cultural e Assistencial - Padre Pio de Pietrelcina Rio de Janeiro:: Dezembro/Janeiro/Fevereiro 2013 :: nº 15É doando que se recebe,Eis um primor de lição!Mas a vida nos ensinaQue só recebe quem doaCom amor no coração...
  2. 2. Bate papoAmigos,A qui estamos mais uma vez com o nosso jornal, neste final de ano, agradecidos por podermos continuar realizando o intenso e amorosotrabalho, que nos traz tanta satisfação e alegria nessaCasa abençoada por Padre Pio. A CPPIO é, realmente,um local fora do comum, tão diversificada que sópoderia mesmo ter sido projetada por um aquariano demente e coração abertos para todos. Os grupos criadosna Casa, nesses quase 16 anos, conseguem fazer seustrabalhos dentro de linhas as mais diversas, porém unidospela mesma intenção: buscar apoio e orientação espiritualpara ajudar a todos nós em nossa evolução na Terra e, dessaforma, em nada diferem uns dos outros. Nesta edição, mostramos a ida a Mendes no mês de Outubro eapresentamos alguns grupos. O tema principal refere-se à necessidadede sabermos doar com prazer e desprendimento. E quem poderia representar melhoruma pessoa generosa e desprendida do que São Francisco de Assis? É claro que não podemos nos comparar a ele, maspodemos nos espelhar no brilho de suas virtudes e desejar que a sua luz se reflita em nossas almas. Rosa Carmen Foto da Capa: festa do Dia das Crianças na CPPIO 2012 Índice Editorial ........................................................................................03 Terapias Conversando com você Mandala: uma porta para a consciência Doação ...........................................................................................04 em evolução .................................................................................12 Sabedoria Personagens Marcantes Nos Passos do Mestre Sri Ramana Maharshi ....................05 Maria Firmina dos Reis, um exemplo de superação ......14 Grupos da Casa de Padre Pio Mitologia O atendimento apométrico, seus resultados e suas Os Mitos e a Visão Junguiana .................................................15 implicações ...................................................................................06 Encontros Grandes Mestres Mendes 2012................................................................................17 Francisco de Assis .......................................................................08 Coluna Livre Reflexão Grupo de Estudo das Tradições Nativas .............................18 Doar tem efeito bumerangue ................................................10 Poesia Astrologia e Autoconhecimento Cantigas de roda.........................................................................18 Momento Astral ..........................................................................11 Prece ...............................................................................................19 Atividades da Casa ..................................................................20 EXPEDIENTE Essência da Luz é uma publicação da Associação Espiritualista Holocêntrica Cultural e Assistencial - Padre Pio Pietrelcina CNPJ 04.772.688/0001-89 | Periodicidade trimestral | Distribuição interna e gratuita | Tiragem trimestral de 500 exemplares Rua Assunção, 297 - Botafogo - Rio de Janeiro - RJ - Brasil CEP 22251-030 Telefone: 2286-7760 Site: www.padrepio.org.br | Blog: www.casadepadrepio.blogspot.com E-mail: contato@padrepio.org.br / essenciadaluz@globo.com Presidente da Casa: Lucia Pires Vice-presidente da Casa: Luiz Augusto de Queiroz Coordenação Editorial: Rosa Carmen Sá de Alverga Projeto gráfico/diagramação: Raquel Reis Revisão: Daisy Elísio Impressão 3D Gráfica Editora Apoio: Marcello Braga AS INFORMAÇÕES FORNECIDAS NOS ARTIGOS, ASSIM COMO REFERÊNCIAS, SÃO DE INTEIRA RESPONSABILIDADE DOS AUTORES.2 Essência da Luz uma publicação trimestral da Casa de Padre Pio
  3. 3. EditorialEle foi uma Luz que brilhou sobre o mundo!” (Dante Alighieri)Luiz Augusto de Queiroz Uma figura tão reverenciada,cuja vida foi contada erecontada em tantas versões,é também em aspectosimportantíssimos quase quedesconhecida de nós.F rancisco de Assis foi um Cristo, no sentido que o próprio Cristo em Jesus de Nazaré exortava a todos os seusdiscípulos a serem. Francisco, pela suaentrega completa ao Amor, tornou-se oque está destinado a cada um de nós nostornarmos também: um com o Pai, de ondetudo vem! Entretanto, para revelar o Cristo quehavia nele, Francisco foi homem até amedula e, apesar de inserido num contextode ética religiosa e social, que o levou aatos extremos de mortificação corporale repressão de energias divinas contidasnas manifestações do sexo, Franciscoviveu cada minuto de sua vida física com a intensidadedaquele que se reconhece filho de um Criador que nos Francisco mostrou que o verdadeiro Bem édotou de todas as suas qualidades. consequência do Amor incondicional a toda a criação! Todas as criaturas são manifestação do Criador, e o mal, Na juventude, expandiu a energia Divina que morava quando visto os olhos do Criador em nós (e não os doem seu coração na forma de intensa atividade, como ego), desaparece, fundindo-se e derretendo-se na Luzlíder da juventude de sua cidade natal, Assis, em noites Fulgurante do Bem Omnipresente que tudo engloba.e noites de poesia, cânticos e amor, sob todas as suasformas, inclusive a sexual. Não hesitou em atender ao Francisco se acreditou até o fim da vida física umchamado de seu pai Pietro Bernardone e, na sua loja de pecador, mas o Amor que ele viveu cobriu a multidãotecidos, tornou-se a viga mestra, o melhor vendedor e dos pecados, e o que se viu foi o Cristo brilhar nele, comoaquele que organizava a contabilidade como ninguém! uma mensagem viva a todos os seus irmãos de todos osNum sonho de glória, alistou-se por duas vezes como tempos.cavaleiro na guerra contra Perusia, onde amargouprisão por seis meses, e num exército mercenário de um Nunca um santinho insosso. Mas um Santo naconde retornado das Cruzadas, a fim de participar de verdadeira acepção da palavra, que unificou o Nome depilhagens (aceitas à época como parte normal da vida). Deus, ou seja, as energias Divinas presentes em todasMas soube ouvir o chamado Divino e entrar dentro de as criaturas, em si mesmo! Sua luz brilha, então, pelossi mesmo, como Abraão, e descobrir ali toda a riqueza séculos, a convidar aqueles que querem praticar a únicaque procurava. Renunciou de forma espetacular a tudo verdadeira renúncia, que não é nem será apenas exterior.para mostrar através de si mesmo que tudo é fruto da A renúncia de nosso egoísmo e dos frutos do Ego, paraAbundância Divina, e se não estamos ligados a ela, como ganharmos os Bens imperecíveis que nos trarão a riquezaramos ao tronco da árvore, nossa felicidade é vã e não verdadeira em todos os sentidos!possui raízes! 3
  4. 4. Conversando com vocêDOAÇÃOAdelaide HortenciaExiste quebra-cabeça mais interessante do coragem e dedicaçãoque o ‘bailado’ das palavras? ‘Desvendá- para viver meus sonhos. E essa foi a minha direçãolas’ é um prazer tanto para crianças quanto para acontecer a DOAÇÃO. É seguir o própriopara adultos, adoro as palavras. Elas revelam caminho (que é recompensador, mas não é fácil), é lembrar-um universo de ‘existires’. Assim, não escapei quando se das dificuldades (e elas existem e são muitas), sem noconvidada a escrever sobre essa palavra... entanto desistir ao primeiro tranco, e olhando para o TODO, parecerá pouco, mas acredite, significa diferença. É saltar do ordinário (trivial) para o extraordinário (arrebatador)! Então, examinando e brincando com essas outras E é assim que mudamos o mundo, transformandopalavras: primeiro o nosso ‘tênue mundo’. DoAÇÃO (doe+ação) – AdoÇÃO (adoce sua ação) – Coloque agora a mão sobre o seu coração. Sinta ascorAÇÃO (colorindo sua ação) - inspirAÇÃO (é preciso batidas do ‘seu’ tempo e saiba que os enganos serãopirar às vezes!), em todas encontrei... ‘circulAÇÃO’. parte dessa mesma vida. E não desista dessa aventura, E assim sempre será a Vida... desse exercício diário, dessa dança divertida, pois a cada Que é corrente, mudança, roteiro e sentido. E seguindo noite, ao se deitar, saberá que ‘fez’ a diferença (às vezesessa linha, resolvi... não espere! Antes de continuar lendo fazendo apenas o que podia e isso era ‘muito’ pouco).esse texto, para certas ‘coisas’ é melhor estar prevenido. Não venho oferecer respostas, ao contrário, aqui Compartilhe! Arrisque! Pulse! Realize! Vibre!apresento muitas perguntas e isso talvez não seja o que Provoque! Participe!lhe interessa agora. E se a sua preferência, no momento,for por respostas prontas e rápidas, hummm... Pare! Mas, se está interessado e disposto, vamos em frente. Médicos sem Fronteiras (MSF)Bem, que tal encararmos a mãe de todas as perguntas: Categoria: Assistência Internacional“Qual o SENTIDO da nossa vida?” ou “Como olhamos para Fundação no Brasil: 1991 - Telefone: (21) 3527-3636. Website: www.msf.org.bressa vida e todas as suas possibilidades?” Observandoseus variados desafios e enfrentando nossa ‘estranheza’ HEMORIO - Ajude-nos a abastecer nossos estoques, exerça seuperante esse magnífico cenário, um fato podemos lado cidadão e venha doar sangue!constatar: a VIDA é muito ‘imponderável’. Compartilhe essa ideia! Dúvidas sobre doação de sangue, novidades e as principais notícias do nosso hemocentro você A ciência comprova que todos somos feitos exatamente confere em nosso blog:da mesma substância das formas mais diversas, esquisitas http://hemoriodoesangue.com.br/e criativas que coexistem no universo, certo? E tambémda mesma matéria atômica das inúmeras montanhas CNCC – Creche Casulo Nossas Crianças (atendendo a 75 crianças)do planeta e estrelas que giram pela galáxia, incluindo Recursos: doações, bazares, eventos, contribuições de associados.nessa receita sideral os tomates, os gatos, a grama e as Criada em 1984 para desenvolver um programa educativominhocas! E talvez por isso tudo, tantas ‘coisas’, às vezes, (gratuito) voltado para as crianças, oriundas de famílias de baixa renda, moradoras do Município de Nilópolis.não fazem ou não têm o menor sentido. Tels: (21) 26913677 / (21) 27929627 Por que então precisamos da frágil sensação de estar no e-mail: cnossaskidas@yahoo.com.brcontrole, se sabemos muito bem que não controlamos nada?Por que nos importunamos tanto com as nossas ‘diferenças’, Por favor, nos ajudem a divulgar nossos lindos cães para adoção. Todos socializados, vermifugados, castrados e vacinados. Estãose são elas que tornam a vida mais fascinante? Afinal, lembre- na cidade do Rio de Janeiro. Precisamos de ótimas adoçõesse: metade do mundo neste exato instante está de cabeça para prosseguir com os resgates! REPASSEM aos seus amigos!para baixo, certo? Então, somos ‘apenas’ membros de uma DIVULGUEM nossos cães nas redes sociais! ENVIEM para blogs e outros sites simpáticos à causa animal! AVISEM aos seusdas muitas espécies existentes, e gostamos de nos sentir conhecidos sobre o nosso projeto! Muito obrigada a todos,assim, existe certo conforto. Por que então construímos abraços,‘barreiras defensivas’ em torno dos nossos sentimentos para “Ninguém pode se queixar da falta de um amigo, podendo ter umnão nos deixar mais próximos do ‘outro’? cão”. (Marquês de Maricá) E afinal, do que se trata essa tal Vida? Muitos dizem Lar PáPumque é uma viagem, outros uma passagem. E por que www.larpapum.comvocê está aqui e não ali? E para onde está indo? E por fim, CASA DE FELIPE, no Lar de Frei Luizo que você ama de verdade? Qual é a sua paixão? Casa para 30 pessoas idosas Descobri que me fazendo perguntas simples, mas Estrada da Boiúna, 1367 – Taquarado mesmo modo importantes, e ouvindo atentamente Tel.: (21) 3539-9550 - Fax:(21) 2440-7055o meu coração, uma pequena voz sempre me dirá uma Jacarepaguá - Rio de Janeiro - RJ Brasil - CEP 22723-021verdade - caso esteja pronta a ouvi-la – e é preciso www.lardefreiluiz.org.br4 Essência da Luz uma publicação bimestral da Casa de Padre Pio
  5. 5. SabedoriaNos Passos do MestreSri Ramana Maharshi (1878-1950)Maria Helena Avena “Oh, Senhor, obedeço ao Teu chamado Aqui estou eu, abandonando tudo. aposentos e deve Não Te peço nada; não perco nem lamento, deixá-lo nas condições que encontrou. Pegue-me e me faça Teu”. As atividades do Ashram eram as mesmas todos os dias, mas me pareciam únicas e especiais, porque (Ramana Maharshi) a devoção estava presente todo o tempo. Acordar aoO nascer do sol para ouvir os cânticos vedas no grande uvi falar de Ramana Maharshi pela primeira salão onde está o Samadhi de Ramana, o Puja (ritual vez, através do livro “A Índia Secreta”. Foi amor à de oferenda) ao Samadhi, leitura de textos sagrados, primeira vista. A partir daí, lia tudo que encontrava meditação e oração, almoço. Um pequeno descanso, esobre ele e, cada vez mais, me sentia fascinada por seus as atividades se repetem na parte da tarde com intervaloensinamentos; e assim, o sonho antigo de conhecer a para um lanche. Às 18h, é realizado o “Aarti”, (ritual deÍndia se fortaleceu. louvor à Divindade), com puja e cânticos encerrando a A oportunidade da viagem surgiu mais rápido do programação do dia. Não faz parte da tradição do Ashramque imaginara. De repente, estava arrumando as malas praticar ensinamentos espirituais, yoga, etc., mas duaspara conhecer esse país que povoou meus sonhos por vezes por dia são lidos os ensinamentos de Ramana notantos anos, e o roteiro, claro, incluía o Ashram (*) de Salão do Samadhi. O jantar é servido às 19h30min e, emRamana Maharshi, na cidade de Tiruvannamalai. seguida, é hora do recolhimento, quando todos devem Embora não faça parte dos programas tradicionais se dirigir aos seus quartos. Antes de dormir, costumavade turismo, nem seja um dos mais famosos locais de sentar na varanda da Guest House e ficava ali, imóvel,peregrinação da Índia, Tiruvannamalai se destacou, no escuro, admirando o Arunachala. Uma sensação deentre centenas de outras cidades, como um “ponto de calma, paz e beleza emanava daquele lugar, invadialuz” brilhante no universo de devoção desse país milenar, meu ser e embalava meu sono. No tempo livre, entre apela presença do Maharshi. Foi por amor ao Monte programação do dia, passeava pelo Ashram para visitarSagrado “Arunachala”, que Ramana chamava de “seu os lugares preferidos do Mestre e conhecer um pouco ospai”, que, aos 16 anos, ele deixou sua família e chegou trabalhos realizados, conversando com os residentes. Oa Tiruvannamalai. Durante o resto da sua vida terrena, local mais sagrado é a sala do “Nirvana”, onde Bhagavanjamais deixou a cidade ou o Monte. passou seus últimos dias. Era o meu espaço preferido e Não é “por acaso” que o Ashram de Ramana está todos os dias costumava ficar ali quieta e “esquecer delocalizado aos pés do “Arunachala,” que se destaca mim”. O lugar está conservado exatamente igual ao diaimponente e domina a paisagem. Chegar ali foi uma em que o Maharshi deixou o corpo. Nada foi mexido.emoção indescritível e as lágrimas teimavam em sair de Era uma benção olhar os objetos que ele usava, o leitomeus olhos, em um misto de alegria e devoção. Estava onde descansava, e sentir a simplicidade ímpar do lugar.pisando a mesma terra onde o mestre caminhara. O Parecia que voltava no tempo e, de repente, o “Mestre”coração mal cabia no peito. Me dirigi imediatamente entraria ali. Uma energia de puro amor se fazia presenteà administração do Ashram para registro, recebendo neste lugar.todas as orientações a serem seguidas durante a minha Ramana incentivou os seus devotos a fazerem opermanência: roupas adequadas, hora do recolhimento, circuito em torno do “monte sagrado” Arunachala,comportamento exigido, etc., e também a programação mesmo os que estavam enfermos; ele sabia que osdas atividades diárias com os respectivos horários. benefícios espirituais superavam qualquer problemaO Ashram é dirigido por homens e as tarefas são físico. Ele mesmo fazia esse caminho duas vezes porrealizadas por eles com extrema disciplina e devoção. dia e jamais dispensava esse ritual. “Quem visita esteSão aparentemente austeros, mas ao mesmo tempo lugar recebe a Sua graça e bênção”, dizem os devotos. Osentimos a doçura, nas suas palavras, paciência e atenção circuito pode ser feito por todos que queiram viver essaao nos receber. Em seguida, me encaminharam para a experiência e quem precisar de um guia pode solicitá-lo“Guest House”, localizada fora do prédio principal. Os na Administração do Ashram.quartos são impecavelmente limpos, com camas simples Diariamente, enquanto lá estive, refazia os passose confortáveis, banheiro, janelas teladas, ventiladores do Mestre e caminhava em torno do monte Arunachala.de teto, e uma varanda cerca toda a construção. Cada São 14 km de puro êxtase e, ao longo do trajeto, temos“hóspede” cuida da limpeza e manutenção dos seus a oportunidade de visitar também as “cavernas”, onde 5
  6. 6. Ramana viveu antes da construção do Ashram. especiais, o tempo de estadia pode ser prorrogado. A cozinha era outro lugar especial e o preparo do O Ashram mantém um programa de educação ealimento um verdadeiro ritual. Ramana gostava de saúde. A área de educação atende gratuitamente atrabalhar ali e cuidava para que o alimento servido fosse meninos que recebem moradia, abrigo e os estudossempre saboroso e não aceitava nada feito especialmente de Yajurveda, sânscrito, literatura inglesa, Tâmil (línguapara ele. “Se alguém assim o fazia ele repartia com todos falada no sul da Índia), matemática e conhecimentosantes de comer”. Suas orientações continuam sendo gerais. Na área de saúde, uma Clinica com médicosseguidas fielmente. Diariamente, antes dos hóspedes e plantonistas atende todas as pessoas que necessitam.residentes comerem, o alimento é oferecido às dezenas Tudo ali era absolutamente mágico, eu não andava,de devotos e desabrigados que esperam no pátio. O mas flutuava naqueles espaços. As palavras perdiam orefeitório, localizado ao lado da cozinha, é um espaço sentido e o silêncio reinava absoluto em todos os lugares,arejado e agradável. O lugar onde Ramana comia está nos convidando à meditação e à reflexão. Cada dia eramarcado por um grande retrato dele. Todos se sentam uma experiência inesquecível, permanente apenas a pazno chão e o alimento é servido em cima de uma folha de e o silêncio que habitavam aquele lugar e contagiavambananeira; usamos as mãos para comer. A limpeza e o o coração. Mas o tempo cronológico estava acabando esilêncio eram a tônica do lugar. chegava a hora da partida. Por duas vezes, nos anos de Bhagavan também tinha o hábito de ir todos os 2000 e 2002, ali estive “seguindo os passos do Mestre”.dias aos estábulos para cuidar e conversar com os “O Grande Maharshi, o ‘Mestre do Silêncio”,animais. São muitas espécies que encontramos no presenteou o mundo com uma simples mensagem:local; os pavões com suas caudas e cores belíssimas “Conheça a Ti mesmo”, e falava diretamente ao coraçãoestão espalhados pelo terreno e, em cima dos telhados, das pessoas. E ali, no silêncio, ”escutei” a Sua Voz. Omacacos se divertem pulando por todos os lugares, tempo passou e há cerca de dois anos uma amiga mevacas que fornecem o leite e a deliciosa coalhada servida falou sobre a Casa de Padre Pio. Quando visitei o siteàs refeições. para obter maiores informações, a primeira imagem que Ao longo dos anos, o Ashram se expandiu e foram apareceu na tela foi a de Sri Ramana Maharshi. Percebiconstruídos novos espaços. Recentemente, a nova então que eu continuava “seguindo os passos do Mestre”.Biblioteca foi inaugurada com uma área muito maior, (*) Um Ashram, na antiga Índia era um eremitériopara abrigar o excelente acervo de mais de 5000 volumes, hindu onde os sábios viviam em paz e tranquilidade noem várias línguas, sobre os mestres, temas religiosos e meio da Natureza. Hoje, o termo Ashram é normalmentefilosóficos de uso livre. O refeitório também foi ampliado usado para designar uma comunidade formadae hoje tem capacidade para até 800 pessoas. A “Guest intencionalmente, com o intuito de promover a evoluçãoHouse”, embora também tenha sido ampliada, ainda não espiritual dos seus membros, frequentemente orientadoé suficiente para a demanda de devotos; por essa razão, por um místico ou líder religioso.o período de permanência é limitado e, apenas em casos Grupos da CPPIOApometria:O atendimento apométrico, seusresultados e suas implicaçõesJorgean Jeferson dos Santos O QUE É APOMETRIA? negativamente em nossa experiência atual. Pode ser A Apometria é uma técnica avançada de aplicada em qualquer criatura, não importando a suadesdobramento do agregado espiritual do ser humano e idade, resistência ou condição de saúde física ou mental.manuseio de energias, na qual se trabalham, em conjunto, O termo Apometria vem do grego Apó (preposiçãoaspectos espirituais, energéticos e psicoemocionais. que significa além de, fora de) e Metron (relativo àTrata-se de técnica anímica que faculta, através da sintonia medida). Representa o clássico desdobramento entremediúnica, o acesso aos registros e particularidades o corpo físico e os corpos espirituais do ser humano.desse agregado formado pelos corpos sutis (perispírito), Esta ferramenta é útil em muitas correntes terapêuticas.onde se ocultam as raízes das desarmonias psíquicas e Porém, fundamental nas sessões da mediunidadeespirituais do ser. Seu objetivo é diagnosticar e tratar curadora à Luz da Doutrina Espírita, codificada poruma ampla variedade de desarmonias, oriundas de Allan Kardec. Mas para entendermos esta dinâmica,experiências pretéritas, que se apresentam orbitando faz-se necessário entender como se configura o nossoao redor de nossa personalidade vigente e interferindo espírito imortal. Nosso espírito imortal seria como6 Essência da Luz uma publicação trimestral da Casa de Padre Pio
  7. 7. um aglomerado psíquico, composto por diversas são chamadas de SUBPERSONALIDADES (Vem dopersonalidades. Criando uma comparação que facilite consciente – ligada ao presente). Em linhas gerais, umaeste entendimento, teríamos o espírito como sendo o subpersonalidade é uma dissociação da personalidadeATOR, enquanto que nossas personalidades seriam como atual. Os eventuais espíritos obsessores envolvidosPERSONAGENS (os “papéis”) que representamos. Quando também são passíveis de acesso e tratamento. Ouma encarnação é planejada, é elaborada também uma tratamento apométrico produz grande alívio das cargaspersonalidade (um personagem) dominante, que terá emocionais associadas às questões trabalhadas durantevigência nesta nova vida dentro do contexto para o qual o atendimento. No entanto, esta melhora das condiçõesaquela experiência se propõe a cumprir. vai durar um tempo maior ou menor dependendo do Com o passar de milhares de vidas, nosso trabalho de conscientização e transformação interioraglomerado psíquico se avoluma em conteúdo e em que a personalidade atual deve realizar ativamente.número de personalidades (personagens), formandouma incalculável rede de interações entre elas. Se O QUE SE PODE TRATAR COM APOMETRIA?levarmos em consideração que um espírito encarnado - Distúrbios psíquicos do comportamento do sono;na Terra tem, em média, cerca de 3 a 5 mil vidas - Vícios em geral e dependências químicas;passadas, mal podemos imaginar o quão complexos são - Dificuldades profissionais, intelectuais e familiares;estes processos de interferências interativas. Quando, - Espiritopatias ou “encosto”;numa encarnação, a personalidade vigente até então - Deficiências físicas e mentais;absorve relevante grau de experiências desagradáveis, - Síndromes raras;a tendência desta personalidade, mesmo depois - Desfazer simbiose;de desencarnada, é se manter cristalizada naquela - Resgatar níveis no astral inferior;experiência de dor, perda ou lesão, sem sequer perceber - Remover “aparelhos” e/ou implantes astralinos;que o evento não mais faz parte do presente. Esta - Obsessões e auto-obsessões;personalidade, mesmo fora do contexto de sofrimento - Reconfiguração astral; entre outros.real, inconscientemente continua “revivendo” aquelaexperiência desagradável em seu campo psíquico, Apometria não é uma filosofia, uma doutrinapor milhares de anos, como se ele ainda estivesse ou religião. Caracteriza-se por um conjunto dede fato ocorrendo. Este auto-aprisionamento das técnicas e procedimentos psíquicos desenvolvidos,personalidades nos acontecimentos pretéritos faz com fundamentados cientificamente e instrumentalizadosque, inconscientemente, estejamos sempre gerando os por José Lacerda de Azevedo, médico espírita do Hospitalmesmos tormentos emocionais de outrora, que acabam Espírita de Porto Alegre, o HEPA, após mais de 22 anos depor refletir na nova personalidade vigente (atual). Desta pesquisas, os quais resultaram nas obras:forma, cada espírito (vamos chamá-lo de Aglomerado Azevedo, J.L. Espírito/Matéria – Novos HorizontesEspiritual) possui adormecidas ou ativas dentro de Para a Medicina.si milhares de personalidades, funcionando como Azevedo, J.L. Energia e Espírito: Teoria e Prática daconsciências paralelas, completamente autônomas, que Apometria.mantêm suas antigas memórias sendo reprocessadas. Apesar da técnica ser relativamente simples, ela Descreveremos a seguir uma situação a título de necessita de um nível complexo de operacionalização deexemplo, sem que, entretanto, possa ser aplicada a todos informações, velocidades e energias sutis, só possíveisos casos que apresentem os mesmos sintomas, já que aos espíritos superiores.cada indivíduo é único e tem suas próprias vivências.O exemplo ilustrativo é o de uma pessoa que sofria de O TRATAMENTO DA APOMETRIA ORGANIZADO PELASíndrome do Pânico e que buscou atendimento. Em CASA DE PADRE PIOoutro tempo, este indivíduo viveu aprisionado em uma A equipe de tratamento apométrico da Casa de Padremasmorra. Essa vivência traumática justifica os sintomas Pio funciona sob a égide de Padre Pio, Teresa de Ávila ede pânico apresentados por ele, que, no entanto, não Mestre Mahaidana. O direcionamento para o tratamentofazem sentido no contexto de sua vida presente. é feito, sempre, pelo Atendimento Fraterno da Casa e é Esta personalidade cristalizada no passado é realizado toda quarta-feira, das 18h às 21h15. O grupochamada de MÚLTIPLA PERSONALIDADE (Vem do de trabalho, hoje composto por 20 médiuns, atendeinconsciente – ligada ao passado). As consciências de 15 a 25 pessoas aproximadamente, entre primeirosparalelas, criadas por nossa personalidade vigente, atendimentos e retornos, em cada reunião. 7
  8. 8. Grandes MestresFrancisco de AssisG iovanni di Pietro di a pregar a Bernardone, mais palavra divina, conhecido como São convertendoFrancisco de Assis (Assis, 5 de julho pessoas. Tendode 1182 — 3 de outubro de 1226), foi reunido um grupoum frade católico da Itália. Era filho do de seguidores, foi aocomerciante italiano Pietro di Bernadone Papa pedir autorizaçãodei Moriconi e sua esposa Pica Bourlemont, para a fundação de suacuja família tinha raízes francesas. Os pais de Ordem, que prescreviaFrancisco faziam parte da burguesia da cidade de uma pobreza absoluta paraAssis e, graças a negócios bem sucedidos na Provence, os monges e para a Ordem. EntreFrança, conquistaram riqueza e bem estar. Sua mãe o os novos amigos de Francisco estavam o Irmão Leo, seubatizou como Giovanni (por causa de São João Batista). futuro confessor e amigo inseparável, o Irmão Ruffino que,A origem de seu nome Francesco (Francisco) é incerta. O segundo a lenda, pregava até dormindo, o Irmão Junípero,menino tornou-se um jovem popular entre seus amigos, o Irmão Masseo e o Irmão Illuminato.por sua indisciplina e extravagâncias, por sua paixão pelas Em 1212, a Ordem foi enriquecida com a primeiraaventuras, pelas roupas da moda, pela bebida e também mulher, Clara d’ Offreducci, a futura Santa Clara,por sua liberalidade com o dinheiro. fundadora do ramo feminino dos Frades Menores, as Em Assis, durante uma algazarra com seus amigos, Clarissas, que logo trouxe suas irmãs, a quem foi dado oteria sido tocado pela presença divina, e desde então uso da capela de São Damião.começou a perder o interesse por seus antigos hábitos Seus anos finais foram passados em tranquilidadede vida e a mostrar preocupação pelos necessitados. interior, quando seu amor e compaixão por todas asEleito “rei da juventude” em um festejo folclórico criaturas fluíam abundantes, ao mesmo tempo que eletradicional, em vez de preparar-se para a entrada em experimentava repetidas visões e êxtases místicos e faziauma vida de casado, como seria o costume, retirou-se milagres, continuava a percorrer a região em pregações,para uma caverna a fim de meditar, acompanhado de e multidões acorriam para vê-lo e tocá-lo. Na primaveraapenas um amigo fiel, para quem revelou seu desejo de de 1223, retirou-se para o santuário do Monte Alverne,obter sabedoria e de desposar a vida religiosa. acompanhado dos seus irmãos de fé. Assim, depois de uma juventude irrequieta e mundana, Nos estados contemplativos, eram-lhe reveladas porvoltou-se para uma vida religiosa de completa pobreza, Deus, não somente coisas do presente, mas tambémfundando a ordem mendicante dos Frades Menores, do futuro. Durante uma dessas meditações, em 14mais conhecidos como Franciscanos, que renovaram o de setembro de 1224, no dia da festa da Exaltação daCatolicismo com o hábito da pregação itinerante, quando Cruz, Francisco viu a figura de um homem com seisos religiosos do seu tempo costumavam fixar-se em asas, semelhante a um serafim, pregado a uma cruz, emosteiros. Uma vez, entrou para orar na igreja de São à medida que continuava na contemplação, que lheDamião, e ali ouviu pela primeira vez a voz de Cristo, que dava imensa felicidade mas era sombreada de tristeza,lhe falou de um crucifixo. A voz chamou a sua atenção para sentiu se abrirem em seu corpo as feridas do próprioo estado de ruína de sua Igreja e instou para que Francisco Cristo crucificado. Foi, dessa forma, o primeiro cristão aa reconstruísse. Imediatamente, ele recolheu diversos ser estigmatizado. Mas, enquanto isso lhe trazia alegria,tecidos caros da loja de seu pai e os vendeu a baixo preço sendo um sinal do favor divino, foi-lhe motivo de muitono mercado da cidade, e voltou para a igreja doando o embaraço e sofrimento físico. Sempre tentou ocultardinheiro para o padre, a fim de que ele restaurasse o prédio os estigmas com faixas e seu hábito, e poucos irmãosdecadente. O pai o acusou de dissipador de sua fortuna, os viram enquanto ele viveu. Eles lhe causavam muitareclamando uma compensação pelo que ele havia tirado dor e, com isso, dificultavam seus movimentos, alémde sua loja. Francisco despiu todas as suas belas roupas de sangrarem com frequência. Muitas vezes, teve de sere as colocou aos pés do pai, renunciou à sua herança, carregado por não poder andar. Passou algum tempo sobpediu a bênção do bispo e partiu, completamente nu, os cuidados de Clara, mas sua condição se deterioravapara iniciar uma vida de pobreza junto do povo, da qual diariamente. Despediu-se de Clara e das irmãs em Sãojamais retornou. O Bispo viu nesse gesto um sinal divino e Damião e voltou à Porciúncula, deu instruções parase tornou seu protetor pelo resto da vida. ser sepultado nu, e no por do sol de 3 de outubro de Francisco ajudou a reconstruir diversas igrejas nos 1226, depois de ler algumas passagens do Evangelho,arredores de Assis, entre elas a da Porciúncula, a que ele faleceu rodeado de seus companheiros, nobres amigosmais amava. Passou de devoto a missionário e começou e outras personalidades. Dizem que nesse momento8 Essência da Luz uma publicação trimestral da Casa de Padre Pio
  9. 9. um bando de aves veio pousar no telhado, cantando. Pax et Bonum, Paz e Bem, que usava frequentemente, seLogo em seguida, o Irmão Elias notificou a todos de seu tornou mais tarde o lema da sua Ordem.desaparecimento e divulgou sua estigmatização, até ali Outro aspecto importante a ser destacado é sua intensamantida em sigilo; seu corpo foi examinado por muitas e amorosa relação com a natureza. Para Francisco, toda atestemunhas, a fim de comprová-lo, e o povo de Assis Criação estava intimamente interconectada e integrada,e dos arredores acorreu para prestar-lhe sua última sendo fácil transitar em todos os níveis. Os animaishomenagem. Foi enterrado no dia seguinte na igreja de aproximavam-se dele espontaneamente, mesmo quandoSão Jorge. Menos de dois anos depois, o Papa Gregório selvagens, e davam sinais de compreenderem suas palavrasIX foi pessoalmente para Assis para canonizá-lo, o que ao obedecerem suas instruções. Teve a experiência pessoalaconteceu em 6 de julho de 1228 com grande pompa. de um Deus imanente, numa época em que a divindadeEm 1230, foi inaugurada uma nova basílica em Assis, era concebida apenas como transcendente, baseou suaque recebeu seu nome e hoje guarda as suas relíquias e vida num senso de responsabilidade pessoal e social,abriga o seu túmulo definitivo. compreendendo e aceitando a necessidade da luta, da Francisco deixou poucos escritos, mas que são uma fonte dor e do esforço pelo aperfeiçoamento; defendeu valoresimportante para o conhecimento de suas ideias. Entretanto, coletivos integradores. Dante Alighieri disse que ele foimuitos desses documentos são de autoria controvertida. “Uma Luz que brilhou sobre o mundo.”Seu Testamento deve ser autêntico e também o Cantico difrate Sole - Cântico do irmão Sol. Suas Admoestações, uma O Para Francisco, toda a Criaçãocoleção de 28 textos curtos, devem ter sido ditadas por ele. estava intimamente interconectadaO fragmento “Ouvi, pobrezinhas”, escrito para as Clarissas,descoberto em 1976 em dois manuscritos do século XIV, e integrada, sendo fácilé considerado autêntico, do mesmo modo que a “Forma transitar em todos os níveis. Osde vida para Santa Clara” e a “Última vontade para SantaClara”. A oração popular que inicia com as palavras “Senhor, animais aproximavam-se delefazei de mim um instrumento de vossa paz...” não é de sua espontaneamente, mesmo quandoautoria, tendo sido escrita em 1913 e publicada em ummagazine francês anonimamente. selvagens, e davam sinais de Francisco nunca fez questão de possuir grande compreenderem suas palavras aoerudição religiosa, nem falava de seus milagres, que foram obedecerem suas instruções.muitos e impressionantes. Ele enfatizava a necessidade dodespojamento de toda pretensão a aquisições intelectuaise mesmo morais e espirituais, consideradas como formas CÂNTICO AO IRMÃO SOL OU CÂNTICO DAS CRIATURASdissimuladas de obter domínio sobre os outros e comoexpressões de orgulho e individualismo. Considerava o “Altíssimo, onipotente e bom Senhor, a ti subam oscorpo como uma maravilha, já que o homem fora feito louvores, a glória e a honra e todas as bênçãos! A ti somente,à imagem e semelhança da divindade. Foi um grande Altíssimo, eles são devidos, e nenhum homem é sequerdevoto da Virgem Maria, manteve uma relação afetiva digno de dizer teu nome. Louvado sejas, Senhor meu, juntoespecial para com Santa Clara, vendo nela ainda uma com todas as tuas criaturas, especialmente o senhor irmãoliderança natural e uma continuadora de sua obra. sol, que é o dia e nos dá a luz em teu nome. Pois ele é belo Os irmãos franciscanos eram obrigados a servir uns aos e radioso com grande esplendor, e é teu símbolo, Altíssimo.outros sem questionamentos. Não deviam expressar críticas Louvado sejas, Senhor meu, pela irmã lua e as estrelas, asou emitir julgamentos nem entre si nem dirigi-los para as quais formaste claras, preciosas e belas. Louvado sejas,outras pessoas, nem combater os heréticos, nem devolver Senhor meu, pelo irmão vento, e pelo ar, pelas nuvens e o céuinsultos ou agressões físicas. Francisco foi o primeiro na claro, e por todos os tempos, pelos quais dás às tuas criaturashistória do Cristianismo a chamar sua comunidade de sustento. Louvado sejas, Senhor meu, pela irmã água, que éfraternidade. Seu discurso doutrinário tinha um efeito tão útil e humilde, e preciosa e casta. Louvado sejas, Senhorpersuasivo profundo. Fazia uso do humor e de uma atuação meu, pelo irmão fogo, por cujo meio a noite alumias, ele quemuito teatral, a fim de que a mensagem se fizesse mais é formoso e alegre e robusto e forte. Louvado sejas, Senhoracessível e atraente. Às vezes, acompanhava a pregação meu, pela irmã, nossa mãe, a terra, que nos sustenta e noscom o canto de hinos sacros, alguns compostos em letra governa, e dá tantos frutos e coloridas flores, e também ase música por ele mesmo, e chamava a si e a seus irmãos ervas. Louvado sejas, Senhor meu, por aqueles que perdoamde “os menestréis”. Com a presença dele, toda a Úmbria por amor a ti e suportam enfermidades e atribulações.se tornara um lugar mais aprazível. Afirmou a bondade e Benditos aqueles que sustentam a paz, pois serão por ti,a maravilha da Criação num tempo em que o mundo era Altíssimo, coroados. Louvado sejas, Senhor meu, por nossavisto como essencialmente mau. Nas missões que enviou irmã, a morte corpórea, da qual nenhum homem vivo podeentre os muçulmanos, fez recomendações para que os fugir. Pobres dos que morrem em pecado mortal! e benditosmissionários mantivessem uma postura de respeito para quem a morte encontrar conformes à tua santíssimacom as manifestações da divindade em todos os credos e vontade, pois a segunda morte não lhes fará mal. Louvaide sujeição às leis civis locais, e que evitassem se envolver todos vós e bendizei o meu Senhor, e dai-lhe graças, e o serviem disputas teológicas. A seus seguidores, Francisco com grande humildade!”dissera: “Assim como anunciais a paz pela boca, estejaiscertos de que a paz esteja em vossos corações”. A saudação Bibliografia - Susan W. McMichaels - Tomás de Celano 9
  10. 10. ReflexãoDoar tem efeito bumerangueSandra RosenfeldD oar é um dos atos que mais retorna para nós mesmos. É incrível como a doação feita de coração tem uma força e uma energia que funcionamcomo um bumerangue, voltando imediatamente para odoador. Estou falando de todo o tipo de doação, inclusivea de dinheiro, desde que junto tenha uma energia dequerer ajudar de fato, de conseguir imaginar e até sentir É impressionante a energia que é expandida e circulano que essa doação irá acrescentar, mudar, melhorar a numa doação. Podemos nos doar apenas ouvindo ovida de outra ou outras pessoas. outro. Fácil? Não, a maioria não tem paciência para Existem muitos projetos sérios precisando de ouvir, para estar inteiro ali, sem pressa em responder,voluntários, pessoas que se doem a uma causa específica entendendo que, naquele momento, não há nada nemem benefício do outro. Este é o grande lance: a entrega ninguém mais importante do que a pessoa à nossasem esperar nada em troca, nenhum elogio, nenhum frente ou mesmo ao telefone. Podemos iniciar o hábitoreconhecimento, nenhum tipo de recompensa. Doar por de se doar com pequenos gestos, pequenas palavras,doar, ou melhor, se doar por doar. pequenos toques de mãos, carícias, tudo feito com amor. Você já experimentou dar dinheiro a alguém na rua, Aí está o sentido da doação: o amor.como, por exemplo, a esses garotos que vendem bala ou Entregar-se, brincando com seu filho, estar inteiroque fazem malabarismo e, ao dar o dinheiro, olhar nos na visita aos pais idosos, desnudar-se na entrega comolhos deles e falar algo verdadeiro, um elogio ao trabalho a pessoa que amamos, ajudar o colega de trabalho aque ele fez? Eu já, naturalmente, nada premeditado. finalizar algo que está difícil, apenas segurar a mão semO retorno foi tão intenso que me emocionei até às recriminar quando o mais fácil seria recriminar, olhar elágrimas. Não foi retorno em palavras, mas o sorriso sorrir, sorrir com o olhar, abraçar tocando o coração.que recebi de volta com todo o seu ser. A boca sorriu, Doar-se para o outro, doar-se para a vida... No final, o queos olhos sorriram, a alma dele sorriu para a minha alma é isso tudo, senão nos doarmos para nós mesmos?e, naquele momento, nossas almas se encontraram ea energia que veio para mim foi tão profunda que me *Sandra Rosenfeldalimentou por dias e, até hoje, me alimenta. Não perco Escritora e Palestrante. Terapeuta em Qualidade de Vida como Instrutora de Meditação e Executive & Personal Coach. Autora dosmais a oportunidade de fazer isso, mas somente quando livros “Durma Bem e Acorde para a Vida” e “O que é Meditação”, Ed.verdadeiro, não é a toda hora, com certeza. Posso dizer Nova Era/Record.mesmo que é raro. www.sandrarosenfeld.com.br / contato@sandrarosenfeld.com.br10 Essência da Luz uma publicação trimestral da Casa de Padre Pio
  11. 11. Astrologia e AutoconhecimentoMomento AstralRosa Carmen Sá de Alverga “Ao colocar-se em harmonia com o Universo, o sábio é senhor do seu destino.” (Dante Alighiere)A Astrologia é um sistema simbólico, que busca analisar a influência que os corpos celestes, existentes em nosso sistema solar, podem exercerentre si e sobre os indivíduos de todas as espécies queconvivem em nosso planeta. Essa visão cosmológica foidesenvolvida, desde o início, com base nas mitologias dinheirodas diversas civilizações da Terra, e considera os astros e poder.como símbolos dos arquétipos que dominam a vida Criam guerras políticas,humana. É uma ideia antiquíssima, que foi nascendo com provocam as massas, movimentos sociais, mudançaso surgimento da consciência no homem, desde que este e transformações, através da violência. Representamcomeçou a perceber o que acontecia em seu entorno e uma energia tão poderosa que pode desintegrar todoa olhar com mais atenção para o firmamento. Daí em um processo civilizatório. Nosso planeta Terra reclamadiante, ele passou a relacionar tudo o que via lá fora com diante de tanta violência e reage com terremotos,as imagens que trazia em seu interior; assim nasceram furacões, relâmpagos, trovões, acidentes em terra e noos mitos e as religiões. A partir dos mitos, analisamos ar, incêndios, explosões. Em compensação, Netuno emos signos e os astros e a sua relação com o Homem, Peixes e Saturno em Escorpião encontram-se de formainvestigando e avaliando todo o sentido e o potencial da amigável e nos lançam bons fluidos, que aumentam asnatureza humana. Neles (astros e signos), foram colocadas condições para alcançarmos maior equilíbrio entre nossastodas as “virtudes” e “defeitos”, crenças e valores, dores e necessidades materiais e espirituais. Ajudam a realizaçãoalegrias, que existem em nós mesmos. Esse conhecimento de sonhos e ideais, capacidade de suportar sacrifícios emilenar não deve ser visto como uma forma de predição, restrições. Esse trânsito entre os dois traz boas condiçõesporém como um recurso a mais da busca de uma maior para atividades religiosas, para participar de gruposcompreensão da nossa natureza real e mais profunda. espiritualistas, estudos e investigação na área psíquica. A Astrologia simplesmente fala de nós, de todos os Animam ações humanitárias e atividades altruísticassentimentos e emoções que povoam nosso íntimo, de em instituições de caridade. É um momento propíciotudo o que somos e vivemos a cada dia, sem máscaras. para criações artísticas e para se conseguir harmonizarA interpretação dos signos e dos aspectos nos mapas a vida material com a espiritual. Saturno também estárevela o ser humano por inteiro, mostrando a sua em clima harmônico com Plutão, e isto representacomplexidade. Daí, a importância da Astrologia para o aumento de energia, força intensa e resistência àsautoconhecimento e para nos ajudar a entendermos dificuldades, capacidade de trabalhar arduamentemelhor cada pessoa separadamente e podermos com grande produtividade, progresso através de açõesreconhecer as mais variadas atitudes em cada um de transformadoras. Ao mesmo tempo, Júpiter encontra-nós, os temperamentos, os humores que nos tornam se no signo de Gêmeos, aumentando o interesse pelosúnicos e diferenciados. Este é o melhor caminho para estudos, leituras e ensino. Ajuda a expansão da mente,conseguirmos aceitar o outro, evitando julgamentos e boas e variadas experiências intelectuais. Traz novospreconceitos. Como podemos exigir que todos pensem, conhecimentos e relacionamentos sociais ou afetivos.entendam, percebam, ajam e reajam da mesma maneira? Muitas conversas, trocas de ideias, palestras, aumentoComo escolhermos e definirmos o que é a melhor forma e desenvolvimento da comunicação em geral. Propiciade ser para todos? Naturalmente, não estamos aqui nos viagens, compras e vendas e relações com o estrangeiro.referindo ao caráter, à moral e aos valores éticos, estes Todos esses aspectos têm influência sobre toda avalem para todos. É, sem dúvida, um caminho que humanidade, mas agem em nossas vidas de acordo comprecisa, como vários outros, da nossa plena vontade, o mapa astral de cada um e de como cada um de nósmuita coragem para enfrentarmos nossas sombras reage a eles.(bonitas ou feias) e muita sinceridade conosco mesmos. Atualmente, em nosso Sistema Solar, Plutão, no signo Aproveitem e boa sorte!de Capricórnio, continua em conflito com Urano em Áries. A Casa de Padre Pio promove um Grupo deOs dois, intolerantes e orgulhosos, se desentendem, Estudos de Astrologia, todas as quintas-feiras decriam polêmicas, desavenças, medem forças, brigam por 19:00h às 20:30h. 11
  12. 12. TerapiasMandala: uma porta para a consciência em evolução “Em sua onisciência e onipotência, a Divindade é igual a uma roda, um círculo, um todo, Que não pode ser entendido, nem dividido, não tem princípio nem fim...” (Sta. Hildegard Von Bingen)A palavra tibetana para “mandala”, dkyil-‘khor, significa literalmente “aquilo que circunda um centro”. Em sânscrito, (मण्डल) significa círculo,uma representação geométrica da dinâmica relaçãoentre o homem e o cosmo. De fato, toda mandala é aexposição plástica e visual do retorno à unidade peladelimitação de um espaço sagrado e pela atualizaçãode um tempo divino. É descrita como uma figurageométrica representada por um círculo sobre umquadrado ou vice-versa, seu traçado é feito em torno deum centro, geralmente obedecendo a eixos de simetriae pontos cardeais, e seu contorno move-se em direção a anos de pesquisa e aprofundamento no conhecimentoele; é um caminho em direção ao centro. Presentes nas do psiquismo humano, ele passou a utilizar a construçãorosáceas dos suntuosos vitrais coloridos das milenares de mandalas como método psicoterapêutico. Seuscatedrais europeias, nos misteriosos calendários estudos o levaram a defini-la como um círculo mágico,maias, nos mais longínquos monastérios tibetanos que representa simbolicamente o Eu ou Self – arquétipoonde servem de suporte à meditação, na yoga tântrica que representa a Unidade interior. Investigando o usocomo instrumento de contemplação. O simbolismo da das mandalas nas tradições budistas, Jung descobriusantidade e eternidade do templo aparece claramente que os conteúdos das mandalas tibetanas derivamna estrutura mandálica dos santuários de todas as dos dogmas lamaicos. Para os lamas, a verdadeiraépocas e civilizações mandala é sempre “uma imagem interior gradualmente Existem três tipos de mandalas: as de culto, construída pela imaginação ativa nos momentos emas de meditação e as terapêuticas e de expansão que o equilíbrio psíquico está perturbado, ou quandoda consciência, que servem como instrumento de um pensamento não pode ser encontrado e deve serautoconhecimento e transformação interior. Elas se procurado porque não está contido na doutrina sagrada”.diferenciam em função do seu uso e finalidade, mas Como são de grande importância enquanto instrumentotambém, segundo o estado de consciência do indivíduo, de culto, as mandalas tibetanas geralmente contêm,no momento da sua criação. As mandalas levam quem em seu centro, uma figura do mais alto valor religiosoas contempla à introspecção, reflexão e paz interior, como, por exemplo, Shiva ou Budha. Entretanto,trabalham a atenção e a concentração. Podem trazer como instrumento terapêutico, a mandala é utilizada,equilíbrio, ordem, beleza, harmonia e espiritualidade, desde os tempos primitivos, pelos xamãs, indígenastanto ao local onde forem colocadas, quanto às da América e aborígenes da Austrália que, ainda nospessoas que morem nesse lugar, e ainda para as que tempos atuais, as gravam e desenham em areia colorida.trabalham com elas. As mandalas são consideradas Também místicos ocidentais e orientais de quase todasimportantíssimas nos estudos para a preparação dos as culturas, ao longo de toda a história da humanidade,iniciantes ao Budismo. A construção de uma Mandala já utilizavam mandalas que, representando a ordem e arepresenta uma forma de meditação constante, é um harmonia existentes no universo, são “um caminho paraprocesso bastante lento, exige movimentos meticulosos, reencontrar seu próprio centro”. Jung pôde constatarnele a arte transforma-se numa cerimônia religiosa e a que seus pacientes melhoravam ou relaxavam comreligião transforma-se em arte. o uso das mesmas. Descobriu que elas expressavam Na Psicologia Moderna, o psiquiatra C. G. Jung, conteúdos interiores do ser humano, e no seu estudocriador da Psicologia Analítica, ao estudar as mandalas das manifestações do inconsciente, seus analisadosorientais e a sua utilização como instrumento de culto produziam de forma espontânea desenhos de mandalas,e de meditação, passou a desenhá-las, descobrindo o e que a construção de uma mandala pode nos ajudar aefeito de cura que elas exerciam sobre ele mesmo. Após liberar as nossas forças interiores de autocura. Assim,12 Essência da Luz uma publicação bimestral da Casa de Padre Pio
  13. 13. além de possibilitar o autoconhecimento e a conquista e aumenta a capacidade de raciocínio. É a cor dada unidade interior/exterior, reconciliando e integrando inteligência, do estudo e da criatividade;os opostos, o trabalho com mandalas traz, como Laranja - É restauradora e regeneradora, trazconsequência, uma vida simbólica mais intuitiva, mais recuperação depois de um processo destrutivo e acriativa e individualmente mais livre, pois ajuda a pessoa capacidade de refazer o que não está certo. É a cor daa entrar em sintonia com seu potencial interior. coragem, da reconstrução e da melhora nos estados de Em termos de artes plásticas, há toda uma convalescença;simbologia envolvida, a mandala apresenta sempregrande profusão de cores e representa um objeto Verde - É calmante e equilibradora. O verde melhoraou figura que ajuda na concentração para se atingir qualquer estado físico negativo e energiza o corpooutros níveis de contemplação. As cores simbolizam e a alma. Quando uma mandala tem a cor verde, suasum estado de espírito e trazem para o indivíduo um vibrações são sempre energizadoras e curativas. Seja emsignificado para aquele momento de sua vida. Ajudam que nível for, ela é benéfica para todos;a nossa consciência a encontrar respostas aos nossos Azul - Traz equilíbrio, paciência, harmonia equestionamentos ou aquietar nossa mente, melhorando serenidade, tranquiliza o corpo e a mente. Ajuda nosassim estados de ansiedade e estresse. casos de insônia e estresse; Cada mandala cria um campo de energia e magnetismointenso e pode-se fazer um trabalho terapêutico, unindo Índigo - Trabalha o equilíbrio energético, trazMeditação e Cromoterapia, no qual se usa essa energia intuição, proteção, limpeza e purificação de ambientes;para restabelecer a harmonia do corpo, da mente e das Violeta ou Lilás - É uma cor profundamenteemoções. Para conseguir uma mandala e saber quais as espiritual, mística e religiosa. O violeta atua sobre quemcores de você precisa no seu momento de vida atual, está espiritualmente desequilibrado, descrente e semvocê pode aprender a desenhar e pintar uma ou procurar conexão com as forças divinas. Quando uma mandalaimagens de mandalas em livros ou sites na internet ou tem a cor violeta ou lilás, ela limpa e isola os ambientescomprá-las em lojas de produtos indianos ou esotéricos. em que está. Possui a capacidade de transmutação dasA forma de colori-la fica por sua conta e habilidade. Você energias.vai perceber que é como virar criança de novo, brincandocom formas e cores. Observe os significados das cores Rosa - Trabalha afetividade, amor, harmonia, união,que chamaram a sua atenção no momento da compra ou ajuda no equilíbrio dos relacionamentos pessoais eque utilizou para colori-la, elas mostram as suas maiores profissionais.necessidades no momento atual. Quais os benefícios que uma mandala pode trazer? Como foi dito acima, são muitos, dependendo das cores Vermelho - Estimulante, afasta a depressão, tira escolhidas: capacidade de concentração, criatividade,o desânimo. É a cor das conquistas, das paixões e da diminuição da ansiedade e do estresse, equilíbrio físico esexualidade. Quando a cor vermelha está numa mandala, emocional, melhora da autoestima, dentre outros.ela precisa ser bem usada, pois pode tirar o sono ou Se observamos ao nosso redor, encontramosdeixar a pessoa irritada; mandalas em todos os lugares, nas flores, nas conchas, Amarelo - É ativadora e dinâmica, age sobre os nas estrelas e nos frutos.processos mentais. O amarelo afasta as ideias fixas 13
  14. 14. Personagens MarcantesMaria Firmina dos Reisum exemplo de superaçãoN egra, nordestina, pobre, bastarda, mulher. Tudo isso brasileira, de em um Brasil escravocrata no século XIX. Ainda assim, educação com os mais louváveis méritos, Maria Firmina dos acanhada eReis se estabeleceu como a primeira romancista brasileira. sem o trato eNasceu em 1825, em São Luís, Maranhão. Maria Firmina conversaçãoviveu com uma tia materna, que possuía situação financeira dos homensrelativamente boa. Muito jovem, aos 22 anos, dedicou- i l u s t ra d o s.”se ao magistério, uma das poucas atividades trabalhistas Anos depois,“designadas” às mulheres de sua época. Após vencer em após se aposentar na década de 1880, a escritora aindaum concurso público para a “Cadeira de Instrução Primária”, fundaria a primeira escola mista e gratuita do Estado. Mariapassa a lecionar como professora de primeiras letras na Firmina voltara às salas de aula, mas a escola teve que sercidade de Guimarães - MA. Paralelamente às atividades fechada na época por causa do escândalo causado nocomo professora, Maria Firmina teve participação constante povoado de Maçaricó, devido ao fato da escola “misturar”na imprensa local, publicando diversas poesias, crônicas e meninos e meninas. Maria Firmina sempre lutou pelacontos, ficção e até charadas. Mulher inteligente e culta, teve educação e por melhores condições aos negros e àsparticipação relevante no cenário cultural nacional, atuando mulheres.também como folclorista e compositora, tendo sido, Maria Firmina dos Reis morreu em 1917, aos 92 anos,inclusive, responsável pelo hino da Abolição da Escravatura. na cidade de Guimarães. Teve em vida o privilégio de Em 1859, aos 34 anos, publica o romance Úrsula, uma de presenciar a Abolição da Escravatura e a Proclamação dasuas obras mais marcantes, e, em 1861, Gupeva, de temática República. Porém, infelizmente, não pôde presenciar oindianista. Úrsula é tido, por diversos historiadores, não devido reconhecimento dos críticos de sua época pelas suasapenas como o primeiro romance abolicionista brasileiro, obras e lutas. O livro Úrsula só veio a público em 1975, atravésmas também como o primeiro romance da literatura afro- dos estudos de Horácio de Almeida e de Nascimento Moraisbrasileira; possui temática forte, uma reivindicação pela Filho, grandes pesquisadores das obras da romancista.primeira vez “interna”, proveniente de uma afro-brasileira Por isso tudo, ainda é pouco presente na historiografiaindignada com a sua condição de negra e mulher, diante de da literatura canônica brasileira. É válida, portanto,uma sociedade patriarcal e escravocrata. Não apenas como indubitavelmente, toda a menção honrosa à memória dessaum passatempo literário inocente, conforme os romances grande brasileira, negra, nordestina, pobre, bastarda, mulher.dedicados à leitura feminina por muito tempo, Úrsula vai Seu busto estava na Praça do Phanteon, no Centro de Sãoalém de uma simples história de amor impossível com final Luís, e foi retirado por motivo de segurança, sendo colocadofeliz. É em si, incontestavelmente, um grito, uma denúncia no pátio do Museu Histórico e artístico do Maranhão.aos absurdos impostos pela sociedade ao negro e à mulherno Brasil oitocentista. NO ÁLBUM DE UMA AMIGA Provavelmente ciente das dificuldades que encontrariaao publicar tal obra, Maria Firmina adotou medidas D’amiga a existência tão triste, e cansada, De dor tão eivada, não queiras provar;preventivas ao tratar de sua própria obra. Úrsula não foi Se a custo um sorriso desliza aparente,publicado sob o nome de Maria Firmina dos Reis e sim sob Que mágoas não sente, que busca ocultar!?...o pseudônimo “Uma Maranhense”. Se já é difícil publicar um Os crus dissabores que eu sofro são tantos,livro nos dias atuais, imaginemos esse cenário em pleno São tantos os prantos, que vivo a chorar,século 19, ainda mais para uma mulher nessas condições. É tanta a agonia, tão lenta e sentida,As dificuldades eram imensuráveis. Que rouba-me a vida, sem nunca acabar. Maria Firmina foi uma mulher à frente de seu tempo D’amiga a existênciaque rompeu a barreira do preconceito, fundamentado Não queiras provar,no racismo e no machismo, e mostrou para o mundo a Há nelas tais dores,importância da literatura maranhense. Ao contrário do que Que podem matar.era vigente na época, quando os homens brancos e ricos O pranto é ventura,iam para a Europa estudar nas melhores faculdades, Maria Que almejo gozar;Firmina provou que a busca pelo conhecimento não tem A dor é tão funda,fronteiras físicas e deu ao mundo um romance recheado de Que estanca o chorar.denúncia de injustiças arraigadas na sociedade patriarcal Se intento um sorriso, Que duro penar!brasileira, que tinham no escravo e na mulher suas Que chagas não sintoprincipais vítimas. No peito sangrar!... Já no prólogo, a autora afirma que “pouco vale esteromance, porque escrito por uma mulher, e mulher CANTOS À BEIRA MAR (Trechos). São Luís do Maranhão, 187114 Essência da Luz uma publicação trimestral da Casa de Padre Pio
  15. 15. MitologiaOs Mitos e a VisãoJunguianaRosa Carmen Sá de AlvergaO s mitos fazem parte de toda a história do desenvolvimento humano, das eras mais antigas aos nossos dias. São vistos atualmentesob vários enfoques, seja ligados a processoshistóricos, como reflexo de uma sociedade oucomo busca religiosa. Continuam sendo motivo deinteresse, até para os mais céticos quanto ao seu valorintrínseco, nesse caso, considerados como tentativasde explicação para fenômenos desconhecidos,etimologia das palavras, ou apenas alegorias,histórias contadas, fantasias sem qualquer sentidomais profundo. Entretanto, muitos vêem nessesrelatos fontes ricas de símbolos das sociedades eculturas que representam e acreditam que ajudam a da natureza e as vivências religiosas.estruturar e organizar a experiência coletiva. Entre os Os mitos são um saber por histórias, mas nãoque assim pensaram, encontra-se o psiquiatra suíço representam só uma determinada sociedade, poisC. G. Jung que, em suas extensas pesquisas sobre o tendem a se mostrar semelhantes em lugares e povosmito, foi muito além, percebendo os seus reflexos em os mais diversos. Este é um dos motivos que levaramnossa organização mental, representando estruturas Jung a perceber o seu aspecto arquetípico e que Os mitos são um saber por ajudou a reforçar a noção de inconsciente coletivo. No seu trabalho como analista, através da analise de histórias, mas não representam sonhos e visões de seus pacientes, surgiam imagens só uma determinada sociedade, míticas, desconhecidas para os mesmos, e algumas até para o próprio Jung, que só após algum tempo, pois tendem a se mostrar descobria-lhes o significado. Isto fez com que ele semelhantes em lugares e povos percebesse a importância do mito para a nossa psique. Todos os povos antigos tiveram um mito de os mais diversos origem, mitos que falam sobre a Criação do mundo, preocupados em saber de onde surgiram a ordemmentais coletivas, os arquétipos. A tal ponto que ele e a luz. Para Jung, as histórias da criação do mundoafirmou que “os mitos são a base da psique.” representam o surgimento da consciência. Como diz Para Jung, existe inconsciente pessoal e Erich Neumann: “Uma série de arquétipos é o principalinconsciente coletivo. O inconsciente coletivo, de constituinte da Mitologia que determina o crescimentonatureza universal, possui conteúdos e formas de da consciência. O indivíduo tem que seguir, em suacomportamento iguais em todos os seres humanos vida, o mesmo caminho que a Humanidade percorreude todas as raças e lugares. Esses conteúdos são os antes dele, deixando as marcas através da ‘sequênciaarquétipos, representados por figuras e costumes arquetípica das imagens mitológicas’.” (História datípicos da nossa cultura, como por exemplo: Deus, Origem da Consciência).pai, mãe, filho, nascimento, casamento, morte, herói e Como um bom exemplo do nosso pensamentooutros mais. São imagens primordiais, formas antigas ocidental, a história mítica grega inicia-se com Homero, nae universais da imaginação humana; segundo Jung, Ilíada e na Odisseia e continua com A Teogonia, de Hesíodosão simultaneamente sentimento e pensamento, têm (Séc. VIII A.C.), explicando a formação do mundo: “Para ovida própria, independente, e quando vivenciados pensamento mítico, toda genealogia é, ao mesmo tempo e“é como a descoberta de um tesouro oculto, a fonte principalmente, explicitação de uma estrutura; e não há outrainesgotável onde a humanidade sempre buscou seus maneira de esclarecer uma estrutura senão apresentando-adeuses e demônios e todas as ideias, suas mais intensas sob a forma de uma narrativa genealógica.” (Jean Pierree poderosas ideias, sem as quais o ser humano deixa Vernant, Mitos e Pensamentos entre os Gregos). Aindade ser humano” (C. G. Jung, Psicologia do Inconsciente, segundo Vernant, na Teogonia, as gerações divinas e os mitosparágrafo 105, vol VII-1). Assim, os mitos se referem cosmogânicos servem para dar fundamento à organizaçãoao que há de mais significativo e sagrado em uma do Cosmos, mostrando a separação dos mundos em celeste,sociedade, como o saber, as instituições, as leis, bases terrestre, subterrâneo, e a divisão e o equilíbrio dos diversosfamiliares, relações sociais, além da visão do Cosmos, elementos que compõem o Universo. 15
  16. 16. A Teogonia é um mito religioso e a de Hesíodo Porém, todas as mudanças de fase na vida exigemé um hino de louvor a Zeus. No início, era o abismo, um sacrifício, uma morte simbólica, seguida de umos gregos chamavam Kháos. O caos é vazio, escuro, renascimento. O sacrifício, no caso do Mito Grego, foiconfuso, infinito, tem a ver com a boca, abertura, a castração de Uranus. Assim, encontramos nos mitospara eles era um Deus. Do caos, nasceu Gaia (a as vivências das rivalidades familiares, os amores, osTerra), representando a firmeza, a estabilidade, a ciúmes, os ódios e os sofrimentos por que passamos,solidez, possuindo formas, visibilidade. Encontra-se bem como as alegrias, a coragem que nos faz reagirnela, também, o mundo subterrâneo, ainda ligado e a busca da fé que nos salva. Revelam as forças eao abismo, ao caos. Gaia é a mãe universal. Depois, as fraquezas que existem dentro de cada um de nós.aparece Eros, o amor primordial, que tem a ver com Escondidos na sombra, são aspectos da nossa psique,simbiose, ligação, expressando um impulso no que nem sempre percebemos, mas que permanecemUniverso. Gaia consegue parir, sem parceiro, o que vivos no mundo inesgotável do inconsciente,traz em suas entranhas, e assim, surge Uranus, céu transformando-se em belos, terríveis, alegres, tristesestrelado, escuro, noturno. Terra e Céu ficam em dois e amargos textos apaixonantes... que contam, deplanos superpostos, um embaixo (chão) e um em cima forma dramática, trágica e simbólica, a nossa história(abóbada), ambos do mesmo tamanho, é um casal na longa odisseia vivida pela humanidade pelosde macho e fêmea. Uranus cobre Gaia o tempo todo séculos afora.e esta engravida, fica cheia de filhos, mas Uranusnão lhes dava espaço para saírem da barriga de Gaia. Do caos, nasceu Gaia (a Terra),Cheia de dores, ela se rebela, exorta os filhos contra representando a firmeza, ao pai dando uma foice de bronze para Kronos, quecastra Uranus. Mas Kronos é um tirano que prende os estabilidade, a solidez, possuindoirmãos no Tártaro e devora os próprios filhos, menos formas, visibilidade. Encontra-seZeus, que é salvo pela mãe e abandonado numa gruta,onde a avó Gaia cuida dele; é um lugar de mistério e nela, também, o mundo subterrâneo,significa a natureza que o acolhe. Ao crescer, Zeus ainda ligado ao abismo, ao caos. Gaialiberta os irmãos do Tártaro e vence todos que tentamderrotá-lo, tornando-se Senhor do Universo. é a mãe universal. Este é um pequeno resumo da Teogonia, deHesíodo; as gerações dos deuses são várias, mas o Como disse Ira Progoff, em Mitos, Sonhos e Religião:importante é que, para a Psicologia Analítica, cada “O tema do mito atinge o cerne da natureza doum tem um profundo significado psicológico, tão real homem. Os mitos são um veículo básico dos insightspara a Humanidade que até hoje nos acompanha nas intuitivos sobre a natureza última da existênciasituações vividas por todos nós em cada momento, humana e a concepção que cada cultura tem dos mitosinfluenciando nosso comportamento e, muitas vezes, reflete sua visão subjacente da natureza do homem.provocando reações as mais imprevisíveis, tanto ruins Se os mitos eram vistos como realidade religiosa,quanto boas, escuras ou iluminadas, quando somos mais tarde sofreram o desprezo do racionalismo,“possuídos pelo arquétipo”, como dizia Jung. porém, mais recentemente, seu significado maior Podemos encontrar em Cosmos, Gaia, Uranus e foi restaurado. Devido a esse novo reconhecimento,os filhos destes, as imagens dos pais primordiais e do é muito importante ter uma perspectiva adequadaego dissolvido na circularidade do mundo primordial. do lugar e do papel do mito no contexto daMostra a experiência da plenitude, da totalidade, do personalidade humana total. Essa perspectiva seráego sem autonomia, da infantilidade, da ausência de útil não só para interpretar padrões de simbolismolimites que provocam as lutas pelo poder no momento dos tempos antigos e modernos, mas também paraem que tentamos desenvolver a nossa individualidade. evocar ativamente os potenciais da personalidadePodemos fazer uma analogia com o momento em em níveis profundos da experiência simbólica, comoque os filhos estão crescendo e querem se libertar da meio de acesso à verdade existencial.”família, e é preciso que haja o conflito com os pais.16 Essência da Luz uma publicação trimestral da Casa de Padre Pio
  17. 17. EncontrosMendes 2012Daisy ElísioH á muito tempo (já lá se vai uma década), que este ano, as Claras, o Francisco, e tantas outras), com a para mim Mendes deixou de ser aquela pequena Família Padre Pio. Encontro com a Sabedoria, com a Paz, cidade pacata, por onde se passa para chegar em com o Amor vindos do Alto. Encontro com o meu EuVassouras, um lugarejo sem importância, um lugar de Divino, o Sagrado que há em mim.passagem apenas. Mendes passou a servir de retiro para o Os girassóis refletiram a luz do sol, que nosmeu espírito, onde ele aprende novas lições e se alimenta presenteou com seu brilho e calor. As refeições foramdo néctar divino que ali é derramado o tempo todo, alegres, ainda que em silêncio, ou até mesmo muitodurante quase três dias, uma vez a cada ano. Mendes barulhentas, a comida estava boa. A lua apareceu porsignifica o encontro de mim mesma com minha alma! entre as nuvens. Houve música, dança, unção, leite e mel, Ao longo desse tempo, aprendi a me transformar, batismo e a famosa foto coletiva no último dia. Houvetornando-me uma pessoa melhor, fiz mergulhos risos e sorrisos, lágrimas, emoção, abraços fraternos,profundos na essência de meu ser, toquei o Divino cordialidade. Houve também festa surpresa para a nossaque há em mim, vivenciei experiências únicas, que só querida presidente, com bolo de aniversário, guaraná epuderam acontecer devido à atmosfera de alta vibração, coca-cola. Houve principalmente percepções que nãocriada pela Espiritualidade que ali se apresenta desde o podem ser traduzidas em palavras, que cada um guardaprimeiro instante em que chegamos. para sempre em seu coração! E assim, Mendes 2012 acabou de acontecer, sob Agora, vou aguardar o próximo Mendes, Mendesuma tal leveza (toque particular deste ano), que me 2013, onde novos encontros acontecerão, outrassenti flutuando em vários momentos. Leveza, essa foi a experiências, outras emoções, novas histórias, novassensação, o sentimento, a impressão que perpassou o percepções. Obrigada, amado Padre Pio, pelo banquetemeu ser neste encontro. Encontro com amigos, com a espiritual que nos é oferecido a cada vez que cruzamos onatureza, com a alegria das crianças (que foram muitas portal do Centro Marista! 17
  18. 18. Coluna LivreGETN CPPIOGrupo de Estudo das Tradições NativasO Grupo de Estudo das Tradições Nativas da Casa de Padre Pio, que também oferece atendimento, é mais um instrumento de como Viver em Deus. No começo dos tempos, estávamos todos sentadosao redor do fogo, contando histórias, compartilhandoconhecimento, tocando nossos tambores e, também,ficando em silêncio. “Algumas coisas podem Essa era a tradição, a tradição essencial. A nossa proposta com o Estudo das Tradições cativar seus olhos,Nativas é o autoconhecimento e a autocura; é, juntos, Mas segue somente aquelas queentendermos como esse caminho pode nos ajudar nosdias de hoje. podem cativar seu coração.” A ideia não é a prática de uma tradição específica, (Provérbio Sioux)mas sim apresentar às pessoas as várias estradas dessecaminho; por isso, gostamos que pessoas que vivenciam Os encontros acontecem uma vez por mês, às sextas-(ou que vivem) várias tradições, tragam a sua palavra. feiras, das 18h às 21h.Já recebemos Vernon Foster, Athamis Barbara, CarmemKh’ardana Emdah, Valeria Koslowski, João Harres, Jerônimo - 9331 7238Danielle Monjardim, Gilberto Maciel, Marie Menezes, Valeria - 9677 0395Hellen Cano, entre outros. Paul Bernard - 8081 4344 Poesia, Linguagem da AlmaCantigas de Roda(Thiago de Mello) Na roda do mundo lá vai o menino O mundo é tão grande no fundo carecem e os homens tão sós. de aurora e de infância De pena, o menino - então ele canta começa a cantar. cantigas de roda (Cantigas afastam e às vezes inventa as coisas escuras). algumas - mas sempre de amor ou Mãos dadas aos homens, de amigo. lá vai o menino, na roda da vida Cantigas que tornem rodando e cantando. a vida mais doce e mais brando o peso Ao seu lado, há muitos das sombras que o tempo que cantam também; derrama, derrama cantigas de escárnio na fronte dos homens. e de maldizer. Na roda do mundo Mas como ele sabe lá vai o menino, que os homens, embora rolando e cantando se façam de fortes, seu canto de infância. se façam de grandes,18 Essência da Luz uma publicação trimestral da Casa de Padre Pio
  19. 19. PreceViver em oração mesma em direção ao Criador encontra dentro da Presença a sua voz, o seu poder. Estendamos nossa alma, nesses momentos que nos são concedidos, eLuiz Augusto de Queiroz saboreemos a amostra do que nos espera, quando pudermos expressar o desejo do Cristo que vive emN a nova civilização que desponta sob a face nós, ainda que oculto, ainda que desconhecido. do planeta, ainda que pensemos o contrário, Nosso corpo físico deve ser entendido como orar será um hábito vivo e simples, utilizado um componente do nosso ser cósmico no estadocomo hoje utilizamos tantas coisas em nosso dia a livre onde a Presença nos fala. Sentir que adia; e assim, estaremos entendendo o poder real Presença Divina está em nós, que ela e nós somosdaquilo que se chama oração. Todos poderemos orar um para realizar toda a obra que importa, a obrajuntos, conhecendo, certamente como conhecemos, que santifica todas as vidas e traz consigo a curaa força viva que é o nosso pensamento, quando no sentido verdadeiro, onde o poder da graça sealiado às nossas emoções, aos nossos sentimentos, à faz, esse é o verdadeiro milagre. Vamos perceberforça criadora... a Deus. E o faremos em silêncio, com que nosso corpo é um santuário dentro de outroso pensamento agindo e operando como o verbo. santuários, nosso cérebro físico é o ápice desse Nosso entendimento da oração é parco, templo unido aos centros de luz que levam aoincompleto e fragmentado; talvez conheçamos templo divino juntamente com o coração, fonte desomente as orações litúrgicas que aprendemos Luz viva e inesgotável. Vamos agradecer o podernas escolas religiosas em que fomos criados. Elas compartilhado e cuidar para que essa luz jamaispossuem valor, mas nos são apresentadas mais seja negligenciada, para que os nossos olhoscomo formalidades necessárias ao cumprimento estejam sempre bem abertos, para que o nossode preceitos ou de regras, concernentes à religião coração pulse de amor incondicional, para que aa que nos ligamos, do que uma expressão viva de Paz seja a nossa marca e o nosso perfume.um poder de realização que se encontra ao dispor A nossa parte é estarmos com o espírito aberto,da criatura, filha, herdeira do Criador, Pai, Mãe, mais com o espírito calmo, consciente de que nessepróximo dos próximos. Universo as forças que geram as ações e reações Usamos a oração como instrumento, utilizando são fruto do arbítrio de cada um dos seres quea infinitésima parte dos recursos poderosos que nele habitam, que nele co-criam. Nós somos ospossui, pois a oração, como a própria palavra nos artífices de nosso próprio destino. Essa consciênciadiz, age pelo poder do verbo, seja pela palavra, nos faz procurar esquecer e deixar para trás asseja pelo silêncio. É a fonte de união com o divino, eventuais lamentações quanto às característicascom a Sua Presença. Se a usarmos como petitório do nosso destino, para retomar àquilo que nos(e essa é sim uma de suas expressões mais vivas e importa: o estado de filhos da Divindade, sabendopoderosas) e mais do que isso, se fizermos da oração que o mistério sagrado se expressa dentro de nósum cântico permanente, quanto mais a nossa alma mesmos. A nossa oração, o nosso amor, o nossose tornar consciente desse poder e de como ele pensar não devem ser somente para nós mesmos.age e opera, mais ela se aproxima e retorna ao Vamos lembrar de orar pelo companheiro queseu Criador... e o utiliza como fonte inesgotável de está ao lado, por aqueles que deixamos em nossosbênçãos a receber e a distribuir em nome do Pai, da lares, por aqueles que tão pouco conhecemos,Mãe, porque são um, porque vivem em nós. vamos orar com confiança de que esta oração será matéria prima de trabalho para a liberdade, para Orar é, pois, expressar a nossa própria natureza a cura, para o alívio, para a solução de problemasdivina. Faz sentido, então, que todos os Mestres que necessitamos e merecemos resolver. Quenos ensinem a orar sem cessar. É possível estarmos nossas orações sejam como água viva em queem estado de oração permanente, estarmos nesse mergulhamos, purificados, para reerguidosestado com doçura, com energia, mas sempre reaprender o caminho de volta!com eficácia. Enquanto esse estado não viver emnós de modo perene, a expressão da redenção, Padre Pio, Frei Luiz e todas as falangesdo renascimento, do retorno à Casa do Pai, os inumeráveis que nos protegem aguardam somentemomentos eventuais em que nos expressamos em esse pequeno movimento de nossa alma: orar,oração servem de modelo e experiência para que confiar, alegrar e amar. E teremos certamente assaboreemos o poder vivo de orar. A oração é a maior respostas!das bênçãos que recebemos e talvez uma das mais Luz e Paz!desprezadas! Portanto, estendamos nossa almae recebamos o toque da Presença, porque comomãos celebram aos céus, a alma que estende a si 19

×