9 Essencia De Luz

2.142 visualizações

Publicada em

Jornal da Associação Padre Pio

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.142
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
22
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

9 Essencia De Luz

  1. 1. Associação Espiritualista Holocêntrica Cultural e Assistencial - Padre Pio de Pietrelcina Rio de Janeiro:: dezembro 2009 - Janeiro/ fevereiro 2010 :: nº 09 Editorial Luiz Augusto de Queiroz são em sua maioria expressos sob a forma de dor, doenças, sofrimentos, carências, mágoas e ódios, A Graça tem sido o tema maior de nossa bus- isso significa que nossa vida vai sendo recriada por ca espiritual na Casa de Padre Pio. Viver em nós próprios, herdeiros do Divino que somos. Deus, esse é o lema da nossa Casa querida, Só que a Graça (ou o Estado da Graça), para que queremos também que seja escola ! ser pressentido e alcançado, demanda um esfor- Sem fechar definições para o que seja Graça ço de nossa parte, pois sem trocadilhos, a Graça – e já temos visto e estamos vendo em artigos não é gratuita ! Esse “esforço”, entretanto, não de companheiros nossos o quão ricos e multifa- custa muito esforço. O Cristo em Jesus nos deu cetados são os conceitos atrelados a esta palavra um roteiro seguro e luminoso, ainda que tão mal tão bela e simples – poderíamos dizer que Viver interpretado para chegarmos lá. Vejamos: em Deus é viver na Graça ! Entretanto, a conceituação de Graça nos O Amor cobre a multidão dos pecados; foge teimosa ao intelecto. Como substantivo, A quem muito ama muito se perdoa; possui uma substância de riqueza infinita; sin- gular, pode ser pluralizada em “graças” que Perdoai para que o Pai perdoe as vossas ofensas; ansiamos receber, esquecendo de pedir e tantas Orai pelos vossos inimigos e pelos que vos odeiam; vezes de agradecer. Não julgueis para não serdes julgados. Mas, quando falamos em Viver na Graça, É tão clara a proposta ! Se fizermos assim, referimo-nos ao encontro com o Estado Divino o Senhor nos encontra e habita em nós e nós primordial, o Deus em Nós, oculto em nosso ínti- Nele, de tal modo que a multidão dos nosso mo pela fragmentação egoica, daquilo que não pecados (ou karmas) é fulgurada pelo fogo do pode em verdade ser fragmentado. Esse estado Espírito. Mas, devemos nos movimentar para sa- nos faculta, mesmo quando somente pressen- cudir a poeira dos hábitos e condicionamentos tido numa libertação de uma série de “cadeias milenares que nos fazem seres automáticos, a de eventos” que nós mesmos (EGO) criamos na reagir sem parar, devolvendo na mesma moeda aurora dos tempos. Essa cadeia complexa, não ou de forma mais intensa tudo o que nos ofen- linear de ações e reações, estruturada numa lei de ou magoa. Julgando, criticando, condenan- de julgamento, fez surgir os universos e os seres do e depois, numa atitude totalmente insana, (entre eles nós !) que vivem sob o jugo pesado esperando receber da Vida, abundância, com- do EGO; e onde tudo o que é semeado é colhido preensão, saúde e felicidade, enfim ! ceitil por ceitil, na dualidade do conhecimento O primeiro “insight”, quando pressentimos do BEM e do MAL. a Graça, é perceber que temos sido loucos ador- Se, após pressentido o estado da Graça, bus- mecidos ! Feito esse esforço, as respostas che- carmos intensamente nele adentrar, penetrar gam, os olhos se abrem. Temos que ter a cora- para, enfim, Nele viver plenamente, vamos aos gem de estender a mão direita e doar, sem que poucos recuperando a condição primordial que a mão esquerda, viciada pelo ego, que só quer nos unifica ao Mistério do Divino. Com isso, receber para si, saiba e nos impeça pelo medo reconstruímos o universo particular em que vive- da perda de doar. Se fizermos dessa forma, a mos e vamos nos tornando canais para que esse vida se encarregará, seja pela lei do karma ou, universo vá se expandindo em todas as direções, quando tivermos o Amor como base de tudo, afetando outros seres. O estado da graça, uma pela LEI DA GRAÇA, de fazer a mão esquerda vez alcançado, nos liberta da fieira de ações e receber tudo o que sempre foi nosso, e que a reações expressas nos diversos espaços-tempo ilusão da separação (o pecado original) nos fez (físicos e ultra-físicos), significando que vão de- esquecer e, em seguida, perder. saparecendo de nossas vidas todo tipo de reflexo que criamos no passado; e, como esses reflexos Viver na Graça é viver em Deus ! PP 1
  2. 2. Índice Editorial ................................................................ 01 Cabalá, vivendo em luz Sabedoria dos Grandes Mestres Cabalá na prática .................................................... 11 Swami Sri Yukteswar............................................... 03 Terapias Energéticas Atendimento Fraterno ......................................... 04 Aromoterapia, a terapia dos “deuses” .................... 12 Histórias eternas Espiritualidade e Mediunidade Concentre-se nas soluções ...................................... 04 Causas da obsessão ................................................ 13 Conversando com você Bhagavad-Gita, canção divina Sobre a Graça ......................................................... 05 Retiro no Ashram Vraja Bhumi ................................... 14 Ação Social Aconteceu Projeto Com as Mãos da Gente............................... 06 Confraria Social ...................................................... 16 Psicologia e espiritualidade Religiões e práticas espirituais A dependência química e a espiritualidadel ............. 08 Xamanismo, o que seria mesmo? ............................ 17 Você sabia? Poesia, linguagem da alma Casa de repouso São Francisco de Paula ................. 09 Já não sei mais o que é belo ................................... 18 Fazendo a diferença Portal da Gratidão A vivência do “Estar Voluntário” ............................. 10 Entrevista: Maria Félix dos Reis ................................ 19 Prece...................................................................... 20 EXPEDIENTE Essência da Luz é uma publicação da Associação Espiritualista Holocêntrica Cultural e Assistencial - Padre Pio Pietrelcina CNPJ 04.772.688/0001-89 | Periodicidade trimestral | Distribuição interna e gratuita | Tiragem 500 exemplares Rua Assunção, 297 - Botafogo - Rio de Janeiro - RJ - Brasil CEP 22251-030 Telefone: 2286-7760 Home Page: www.padrepio.org.br | E-mail: contato@padrepio.org.br Presidente da Casa: Luiz Augusto de Queiroz Coordenação: Denise Cristina Ribeiro Gomes Projeto gráfico e diagramação: Bruno Chefer e Raquel Reis Revisão Editorial: Daisy Elísio Apoio: Marcello Braga AS INFORMAÇÕES FORNECIDAS NOS ARTIGOS, ASSIM COMO REFERÊNCIAS, SÃO DE INTEIRA RESPONSABILIDADE DOS AUTORES. 2 Essência da Luz uma publicação bimestral da Casa de Padre Pio
  3. 3. Sabedoria dos Grandes Mestres MAHATMA GANDHI, O PRÍNCIPE DA PAZ (2/10/1869 - 30/01/1948) M ahatma Gandhi é visto como um ser humano de incrível força cósmica que baseou a sua ação na força da oração, do jejum, da não violência, do apego à Verdade e no seu exemplo de vida. Libertador da Índia, é considerado o pai da Índia como nação. “Pegue um sorriso e doe-o a quem jamais o teve. Pegue um raio de sol e faça-o voar lá onde reina a noite. Descubra uma fonte e faça banhar-se quem vive no lodo. Pegue uma lágrima e ponha-a no rosto de quem jamais chorou. Pegue a coragem e ponha-a no ânimo de quem não sabe lutar. Descubra a vida e narre-a a quem não sabe entendê-la. Pegue a esperança e viva na sua luz. Pegue a bondade e doe-a a quem não sabe doar. Descubra o amor e faça-o conhecer ao mundo.” Alguns pensamentos de Gandhi: neira geral, consigo. Mas quando a ira me assalta, limito-me a controlá-la. Como consigo? É um hábito que cada um deve “Orar não é pedir. Orar é a respiração da alma.” adquirir e cultivar com uma prática assídua.” “ Uma vida sem religião é como um barco sem leme.” “Minha missão não se esgota na fraternidade entre os “A regra de ouro consiste em sermos amigos do mundo e em indianos. A minha missão não está simplesmente na libertação considerarmos como um todo a família humana. Quem da Índia, embora ela absorva, em prática, toda a minha vida faz distinção entre os fiéis da própria religião e os de outra e todo o meu tempo. Por meio da libertação da Índia espero deseduca os membros da sua religião e abre caminho para o atuar e desenvolver a missão da fraternidade dos homens”. abandono, a irreligião.” “Aqueles que têm um grande autocontrole, ou que estão “Acredito na essencial unidade do homem, e portanto na uni- totalmente absortos no trabalho, falam pouco. Palavra e dade de tudo o que vive. Desse modo, se um homem progredir ação juntas não andam bem. Repare na natureza: trabalha espiritualmente, o mundo inteiro progride com ele, e se um continuamente, mas em silêncio.” homem cai, o mundo inteiro cai em igual medida.” “A civilização, no sentido real da palavra, não consiste na mul- “Só quando se vêem os próprios erros através de uma lente de tiplicação, mas na vontade de espontânea limitação das neces- aumento e se faz exatamente o contrário com os erros dos ou- sidades. Só essa espontânea limitação acarreta a felicidade e a tros, é que se pode chegar à justa avaliação de uns e de outros.” verdadeira satisfação. E aumenta a capacidade de servir.” “Mantenha seus pensamentos positivos, porque seus pensa- “Aprendi, graças a uma amarga experiência, a única suprema mentos tornam-se suas palavras. Mantenha suas palavras lição: controlar a ira. E do mesmo modo que o calor conser- positivas, porque suas palavras tornam-se suas atitudes. Man- vado se transforma em energia, assim a nossa ira controlada tenha suas atitudes positivas, porque suas atitudes tornam-se pode transformar-se em uma função capaz de mover o mundo. seus hábitos. Mantenha seus hábitos positivos, porque seus há- Não é que eu não me ire ou perca o controle. O que eu não dou bitos tornam-se seus valores. Mantenha seus valores positivos, é campo à ira. Cultivo a paciência e a mansidão e, de uma ma- porque seus valores... Tornam-se seu destino.” 3
  4. 4. Atendimento Fraterno “O tempo que se consagra à glória de Deus e ao bem-estar do próximo nunca é desperdi- çado.” Padre Pio Daisy Elísio O Atendimento fraterno da Casa de Padre Pio funciona às terças, quartas e quintas- feiras das 15 h às 18 h. O grupo é cons- tituído por médiuns da Casa que se dispõem a receber com amor os irmãos que ali chegam procurando um auxílio espiritual para aliviar seus problemas, que podem ser de ordem existencial, tanto, é fundamental que haja franqueza e que emocional ou de saúde física. o irmão não se sinta constrangido em abordar O Atendimento fraterno desempenha den- determinados assuntos que o afligem, já que tro da Casa esse papel de acolhimento, escla- tudo é tratado com muito respeito e discrição. recimento, amparo, reajuste e redirecionamento Essa conversa é sempre sigilosa, assim como os de idéias. O trabalho realizado é feito com se- arquivos de fichas de cadastro são mantidos sob riedade, disciplina e intuição na orientação do o máximo sigilo, preservando as pessoas e suas irmão para o tratamento que melhor se adequa histórias. à problemática trazida por ele à entrevista, no Portanto, a confiança que é depositada nes- intuito de lhe proporcionar o reequilíbrio neces- sa entrevista é de extrema importância para que sário ao seu bem-estar. se possa chegar a uma orientação correta e efi- Assim sendo, receber, ouvir, orientar e enca- caz na busca da resolução do problema trazido minhar são as ações que norteiam o Atendimen- pelo irmão. to fraterno, acompanhadas de compreensão, No Atendimento fraterno da Casa de Padre atenção, respeito e AMOR. Pio, o grupo todo trabalha da mesma forma, pois O irmão que procura a Casa de Padre Pio existem diretrizes de trabalho que são seguidas para um atendimento é recebido pelo médium e respeitadas pelos atendentes, permitindo as- de forma fraterna; a conversa que se estabelece sim uma uniformidade na atuação, sem que, no entre os dois visa perceber uma melhor orienta- entanto, se deixe de perceber a individualidade ção em função da problemática exposta. Para de cada irmão atendido. Histórias Eternas Concentre-se nas soluções Autor desconhecido Um senhor falando a um grupo de pessoas, pegou uma enor- me folha de papel branco, e bem no centro desenhou um ponto preto. Erguendo a folha de papel ao grupo, indagou o que esta- vam vendo. A resposta foi unânime: _ Estamos vendo uma marca preta. O que mais estão vendo além dessa marca? _ Não vemos mais nada. Nesse momento , o senhor admirado retrucou: _ Vocês não estão vendo o que é mais importan- te: a folha de papel em branco! “Às vezes, de tanto nos concentrarmos no proble- ma, deixamos de enxergar as soluções que estão bem diante de nossos olhos.” 4 Essência da Luz uma publicação bimestral da Casa de Padre Pio
  5. 5. Conversando com você SOBRE A GRAÇA Beth Dias L uiz Augusto tem falado muito sobre a Graça, sempre se referindo ao nos- so futuro encontro em Mendes. Defi- nições foram sugeridas, muitos adjetivos e substantivos tentaram em vão descrevê-la. Assim, fiquei eu com meus botões pensando também. Em alguns momentos, pareço enten- dê-la, mas quando tento defini-la... um flash aparece em minha mente e todas as palavras se apagam ! Tenho só a sensação de um enorme vazio, mas não é ruim quanto um vazio possa parecer. E continuo a refletir. Aparece a capela da Medalha Milagrosa. Aparece Nossa Senho- ra com luzes que saem de suas mãos e de seu olhar. Percebo que são imagens já vistas que se reproduzem em minha mente. E no meio de todos esses pensamentos que mais me con- fundem do que me esclarecem, me senti como aquele burrinho que persegue a cenoura pen- durada numa corda à sua frente, sem nunca al- cançá-la ! E de novo a imagem de Nossa Senho- ra aparece à minha frente e outro flash se dá! Não penso mais sobre definições da Graça. Penso nas que me foram dadas para que este sentimento engrandecedor e luminoso se dispa de conceitos que palavras limitam. Meu coração dispara quando tomo consciência das Graças re- cebidas. Elas se traduzem em todos os momen- tos da minha vida: nos braços que me recebe- quero é uma entrega verdadeira, a comunhão ram quando não podia suportar a dor sozinha, total com tudo à minha volta, para que a Graça nos meus braços quando alguém pedia socorro, continue a se manifestar e, sobretudo, que nós nos sorrisos dados de graça, no piscar de olhos a reconheçamos em quaisquer circunstâncias. que dizem tudo, nas palavras carinhosas, nas Nos reencontraremos no ano que vem. Que o palavras duras que me deram oportunidade de Natal seja a oportunidade para uma reflexão me pensar imperfeita, e poderia continuar enu- profunda e que em 2010 nós possamos crescer merando... mais um pouquinho ! Quando penso nisto tudo, sinto este Pre- Um beijo carinhoso a todos ! sente invadir meu coração e a única coisa que 5
  6. 6. Ação Social Projeto Com as Mãos da Gente: acolhida, aprendizagem e oportunidade... através de uma Oficina de ORIGAMI N osso projeto é dirigido, principalmente, para o desenvolvimento da auto-estima. Nada tem muita graça se não for bom para o corpo, leve para o espírito e agradável para o coração, pois não nos sentiremos bem apenas fazendo coisas ca- rentes de ‘inventividade’... (ColégioTeresiano – outubro 2009) E para alcançar o ‘sucesso’, devemos ter pa- mas sempre devemos sonhar um pouco, procu- ciência e determinação, pois nem sempre o êxito rar objetivos e quem sabe alcançar metas. virá logo da primeira vez, portanto deveremos persistir, tentando atingir nossa intenção... Para conseguirmos realizar, devemos plane- Se um caminho se fechou, poderemos ten- jar, pensando grande e fazendo pequeno, um tar abrir outros; o que não se pode é entregar pouco a cada dia, mas todos os dias um pou- os pontos ante os primeiros obstáculos. Mas, se co... percebermos que já se fez tudo o que podia ser Pois são as pequenas gotas d’água que fa- feito, ou até mesmo um pouco além, há que se zem todo o grande oceano. Esse talvez seja o mudar de finalidade para não se tornar, em vez pensamento correto, o passo a passo, o deva- de um vitorioso, apenas mais um teimoso. gar e sempre - colocando atenção na qualidade Persistir em algo viável é uma coisa. Insistir de cada ação, da presença verdadeira em cada teimosamente em algo que se revela impraticá- ação, buscando integrar essas dimensões: a do vel, não é sinal de bom senso. conhecer, a do pensar, a do vivenciar e a do agir Para podermos recomeçar, devemos nos de todo ser humano. perdoar pelos fracassos e erros que talvez tenha- Valeu professora Sandra Gullino e seus moni- mos cometido, devemos aprender com eles e a tores João Paulo, Joelton e Vinicius, todos origa- partir deles, programar as próximas ações. Nem mistas, que compartilharam com o público uma sempre conseguimos tudo em curto prazo. Há oficina na VII Feira da Solidariedade do Colégio que saber esperar a oportunidade ! Teresiano, num típico sábado carioca, represen- E para nos mantermos motivados, precisa- tando a Ação Social da Casa de Padre Pio, neste mos sonhar. Com os pés no chão, é verdade, outubro de 2009. 6 Essência da Luz uma publicação bimestral da Casa de Padre Pio
  7. 7. 1a exposição de Origami, visitada no CCBB – junho 2008 Você sabia? Origami é de forma simples, a arte de dobra- dura de papel. É uma arte milenar japonesa cujo nome de origem orikami, significa dobrar papel: ORI - dobrar, Kami – papel. Transmitida de gera- ção em geração entre os japoneses, desenvol- veu-se de forma cativante. Mas, hoje, está muito longe de ser uma arte exclusiva ou principal- mente japonesa. Há adeptos em todo o mundo bem feita, para que o papel possa ficar em pé. e inclusive dobraduras tradicionais do ocidente. Assim também é na vida. As crianças devem O Origami tem suas regras: folha de papel receber uma boa educação. Se não temos es- quadrada, sem cortes. Mas não são regras ab- trutura, não conseguimos parar em pé”, ensina solutas e há inúmeras dobraduras fora deste Kazuko Horiuchi, professora de origami há mais esquema, que trazem simplicidade e desafio à de 40 anos. criação de modelos. No origami acontece um processo de assimi- lação, pois ao mesmo tempo em que pequenas Origami: folhas de papel começam a se transformar em objetos, as pessoas vão aprendendo a filosofia. a nobre arte de dobrar papel Aprendem, por exemplo, que no origami é pre- Transformar uma simples folha de papel ciso fazer orimetadashitô - que significa: dobrar numa flor, num animal, num balão ou em qual- certo. Assim, quem fizer uma dobradura firme e quer outro objeto de forma tridimensional, é bela será uma pessoa respeitável, de confiança um momento mágico do origami, a milenar arte e disciplinada. “Dobrar o papel parece um ato oriental da dobradura de papel. extremamente simples, mas esse simples mo- Mas, além da beleza do trabalho, que gra- vimento na realidade nos fornece uma grande tifica quem faz e quem vê, o origami traz em alegria que invade nossa alma”, costuma dizer o sua essência uma grande filosofia de vida. “No origamista japonês Kunihiko Kasahara. origami a primeira dobradura deve ser muito 7
  8. 8. Psicologia e Espiritualidade A dependência química e a Espiritualidade Ana Maria Porto de Mendonça Clark O ser humano é a única criatura que precisa de um sentido para viver. “Quem sou eu?”, pergunta que de- manda empenho, autoconhecimento e tem- po para respondê-la. Alguns dos que se per- dem nessa busca, recorrem a suportes que podem levar à dependência. A dependência em álcool, drogas e medi- camentos é um dos piores inimigos na jorna- da da existência humana, afastando a pessoa de si, dos familiares e daqueles que a amam e são amados por ela, aniquilando o real sen- tido da vida. Três fatores principais levam à dependência química: biológicos, psicológi- cos e sociais. A dependência química é considerada multifatorial. Três motivos são levados em conta: biológico, por questões orgânicas e falta dela causava neuroses e inúmeras doenças. predisposição genética; psicológico, por traços Ele dizia que só um verdadeiro despertar espiri- de personalidade que deixam o indivíduo mais tual poderia trazer a saúde psíquica e livrar as vulnerável; e o fator social, como ambientes po- pessoas dos vícios químicos e emocionais. bres em opções de lazer e estudo. Há sempre A espiritualidade ajuda a trazer o sentido um pouco de cada um desses fatores na depen- para a vida das pessoas e é, através dela, que os dência química. recuperandos entram num processo de abertura Sob a ótica da Medicina, a dependência quí- interior, começando a observar a dependência mica é uma patologia causada por substâncias por um prisma diferente, isto é, começam a per- psicoativas, que são todas aquelas que produ- ceber o caminho percorrido, atingindo a matu- zem uma alteração no estado de humor (álco- ridade para balancear as coisas “positivas” das ol, drogas lícitas, ilícitas e medicamentos), que drogas e as negativas, descobrindo que o que provocam alterações cerebrais, levando a uma parecia bom tornou-se um pesadelo. O desen- descompensação nos mecanismos neuro-adap- volvimento espiritual não os deixa ressentidos tivos e produzem alteração psíquica, emocional ou amargurados, pois ao mesmo tempo que e comportamental. conseguem ver os efeitos negativos da depen- Um estudo recente realizado na USP revelou dência em suas vidas, estão num processo de que a espiritualidade e a religiosidade são fato- perdão a si próprio, já que sabem que tudo de res muito importantes de proteção e prevenção negativo vivenciado foi consequência do uso de do consumo de drogas, como também uma drogas e da dependência por elas. possibilidade para a reabilitação de um depen- Através da espiritualidade, se tem oportuni- dente químico. dade de fazer análise de vida, saber quais são as A metodologia do A.A. (alcoólicos anôni- suas qualidades e quais comportamentos devem mos) e N.A. (narcóticos anônimos) são ótimos ser mudados. Ela enfatiza a confiança em um programas para a recuperação dos dependentes “Poder Superior” e a prática da prece e da me- químicos. Os 12 passos envolvem um programa ditação para promover uma experiência religiosa espiritual e não religioso, ajudando as pessoas e um “contato consciente com Deus”. A espiri- a buscarem um Poder Superior da maneira que tualidade é, sem dúvida, uma experiência com elas O compreendem. o transcendente, num caminho de encontro e A explicação para tal fenômeno tem sido co- realização. Logo, exatamente o extremo contrá- locada por inúmeros pesquisadores. Os nomes rio da dependência. que mais se destacam são o filósofo William Ja- mes e o psiquiatra e psicólogo suíço Carl Jung. Sugestão de leitura: William James dizia que uma conversão religiosa A Espiritualidade no trabalho em saúde, Eymard Mourão poderia fazer um dependente químico parar de Vasconcelos, Editora Hucitec. beber. Carl Jung afirmou que a religiosidade é Dependência Química, Guilherme R. de Azevedo Focchi, uma característica da natureza humana e que a Editora Roca. 8 Essência da Luz uma publicação bimestral da Casa de Padre Pio
  9. 9. Você Sabia? Casa de Repouso São Francisco de Paula Myriam Marino • Que há 5 meses uma idéia vem sendo desenvolvida em uma Casa de Repouso na Taquara, RJ - Casa de Repouso São Francisco de Paula - que tem como objetivo o cultivo de Ervas Aromáticas, Plantas Medicinais e Horta Orgânica? • Que todo o cultivo é feito sem a utilização de agrotóxicos? • Que a Hortoterapia há muito vem sendo estudada como uma grande ferramenta para auxi- liar inúmeros distúrbios, como: ansiedade, angústia, estresse, solidão? • Que as Ervas Aromáticas e as Plantas Medicinais resgatam a sabedoria milenar que todos trazemos ao longo de nossa história evolutiva? • Que o projeto Semente Viva é um projeto social, pioneiro em uma Casa de repouso no RJ? • Que os canteiros estão sendo feitos em forma de Mandalas? • Que foi realizado o 1º Show Beneficente dia 18/10/09 pelo cantor Jerry Adriani e amigos em prol do Projeto? • Que pessoas como você e eu, seremos os primeiros beneficiados com esta atitude, porque estaremos devolvendo à Natureza um local mais agradável de se viver? • Que se quiser ser voluntário, colaborador, as portas desta oportunidade estão abertas? • Que basta acessar o endereço eletrônico abaixo e conhecer a Casa e o Projeto? www.casaderepousosfp.blogspot.com www.projetosementeviva.blogspot.com 9
  10. 10. Fazendo a diferença A VIVÊNCIA DO “ESTAR VOLUNTÁRIO” Maria Teresa Terra de Moraes Porém, durante esses encontros, me surpre- endi ao perceber que, ao mesmo tempo em que H á muito tempo, vinha sentindo a necessi- auxiliava os participantes a terem uma maior dade de realizar um trabalho voluntário. compreensão sobre as suas dores, perdas, exi- Perguntava-me se conseguiria pôr em gências e insatisfações, eu também elaborava as prática o que tantas vezes ouvia em palestras minhas dores, perdas, etc. Justamente eu que espiritualistas que sinalizavam a relevância da entrara no grupo para exercitar a minha “gene- prática do bem ao próximo. rosidade.” Hoje, concluo que todos estamos no De que forma poderia ajudar o outro ? mesmo barco. Indagava-me. Assim pensando, procurei me en- Neste semestre, fui convidada para partici- gajar na Ação Social da Casa de Padre Pio. par de um novo grupo de reflexão com pessoas li- Inicialmente, trabalhei junto ao cadastra- gadas ao Programa da Cesta Básica, desenvolvido mento dos assistidos pela Casa. Nessa ocasião, pela Casa. Esse trabalho foi organizado sob a for- visitei algumas famílias moradoras da comuni- ma de um curso, voltado para o desenvolvimento dade do Novo Mundo e assim pude observar a e aprimoramento da nossa inteligência emocional precariedade em que viviam. Era uma outra re- e espiritual, pois acreditamos na necessidade de alidade de vida ! aprendermos a melhor lidar com as nossas emo- Tempos depois, fui convidada a partici- ções e crenças, visando a ampliação da sensação par, como observadora, de um grupo de “Apoio de bem-estar e felicidade, tão importantes para psicoespiritual à cura”, realizado às 4as feiras, todos nós. Embora ainda estejamos no início do dedicado a pessoas encaminhadas para as ses- processo, já observo a riqueza provocada pelas sões de cura, que tivessem interesse em nele trocas de experiências com pessoas de valores e ingressar. necessidades “aparentemente” diferentes dos Senti uma identificação imediata com os meus. Sentimentos e emoções vêm sendo com- objetivos e a forma como as reuniões eram con- partilhados com respeito, autenticidade e hones- duzidas: de uma maneira simples, acolhedora e tidade por todos. E aí o que constato ? Que as respeitosa diante do sofrimento alheio. Estimu- nossas diferenças nos estimulam a repensar nos- lavam-se trocas de experiências e reflexões pro- sas reais necessidades, valores e sentido de vida. vocadoras de “insights” importantes sobre nós Sabemos que nossos objetivos estão volta- mesmos e a forma como lidamos com a vida. dos para a ampliação contínua e lenta do nosso Observei como o sofrimento torna as pes- nível de consciência, e que esse movimento se soas inseguras e fragilizadas, daí a grande va- desenvolve na “contramão da cultura materia- lidade desse grupo de apoio e esclarecimento. lista”, principalmente quando interagimos com Refletimos sobre o significado da dor/sofrimento pessoas que vivenciam grandes dificuldades de em nossas vidas, assim como sobre as atitudes sobrevivência e manutenção, que se evidenciam facilitadoras de um processo de cura espiritual e através de moradias ruins, situadas em locais de a importância da gratidão, do perdão e da com- risco, desemprego, despreparo profissional, do- paixão no processo saúde/doença. enças crônicas, conflitos familiares, dificuldades de transporte, de alimentação, etc... Venho constatando, apesar disso tudo, que não são os problemas que nos geram so- frimento, mas como os percebemos e lidamos com eles. Existem pessoas no grupo que, apesar de vivenciarem tantas dificuldades, são alegres, solidárias e otimistas. Como conseguem ? Em contato com tanto sofrimento, a mi- nha visão de mundo vem se ampliando. Sinto- me mais próxima e solidária ao grupo, pois ao ouvir as pessoas falarem de suas dores, expecta- tivas, dificuldades e frustrações, reflito também sobre as minhas “sombras”, os meus medos, as minhas inseguranças... Cada vez mais me orgulho de pertencer à espécie humana, quando admiro a fibra, a cora- gem dessas pessoas, quando se permitem dividir alegrias, fé e esperanças... 10 Essência da Luz uma publicação bimestral da Casa de Padre Pio
  11. 11. Cabalá, vivendo em Luz Cabalá na prática Dave Brykman U m dos principais pilares da sabe- doria cabalística é o simples fato de que nenhum conhecimento espiritual tem valor se não pode ser útil ou fazer bem a alguém. Na Cabalá não há uma real separação entre a matéria e o espírito. Essas duas substâncias são braços de um mesmo corpo, que vamos chamar aqui de LUZ INFINITA (“Ein Sof Or”), portanto devem funcionar em ple- no equilíbrio e sincronia mútua. Se acreditarmos somente na realidade física, estamos em ilusão, pois ignoramos as dimensões mais sutis e reais da vida. Ou, se acharmos que tudo é somente espírito, desprezando o campo material para centro, para a essência do ser, pois ofere- como plano sagrado de criação e realização di- cemos todo nosso esforço e energia a algo mais vina, também estaremos em ilusão, pois ambos sublime, que é o desejo de receber (a Luz) para são LUZ! COMPARTILHAR. O ato de compartilhar é a nos- As leis físicas são congruentes com as leis sa maior virtude enquanto elementos individuais espirituais, cada qual na sua faixa vibratória lu- que compõem uma coletividade. minosa correspondente de atuação nos diversos O “salto quântico” que a Cabalá nos propõe planos de existência, assim como está descrito é que a cada ação de compartilhar no mundo na “Torá” (Gênesis 1:26) que fomos criados à físico, faz-se vibrar simultaneamente, os campos imagem e semelhança do Divino. Ou seja, tudo mais elevados do espírito, pois como já falamos possui o seu grau de inter-relação cósmica por não existe uma fronteira pré-definida que se- mais que as aparências ou o nosso próprio co- para os diversos planos da existência. Então, a nhecimento demonstrem muitas vezes o contrá- partir daí, é utilizar este conhecimento para agir rio. no mundo de um modo novo, onde o ego ago- Em nossa busca pelo esclarecimento das ra está sob controle, servindo apenas de instru- verdades espirituais, nosso empenho consiste mento ou ferramenta do nosso “Eu Superior”, em entender como se dão esses processos nos conhecido na Cabalá como “NESHAMÁ”, o ní- campos mais sutis da vida até chegar ao mundo vel mais refinado de nossa Alma. físico. Perceber que existe um perfeito alinha- Concluindo, segue um pequeno conto que mento entre todas as expressões da criação é ilustra muito bem todo o nosso contexto: missão nada fácil de cada um de nós como seres “Quando o discípulo perguntou ao mestre humanos ainda presos em uma consciência limi- como fica a nossa vida depois que a gente se tada pelos cinco sentidos da matéria. ilumina, ouviu dele a seguinte resposta: Quando, por exemplo, meditamos, oramos, - A gente se deita, a gente se levanta, a gen- estudamos, trabalhamos, cantamos, dançamos, te come quando tem fome, chora quando está comemos ou bebemos, podemos realizar cada triste e ri quando está feliz! uma dessas diversas atividades de maneira su- - Mas tudo isso eu já faço! - comentou o dis- perficial ou robótica, apenas orientados pelo de- cípulo. sejo de receber somente para si mesmo. Desse - Então continue! - disse o mestre... jeito, é o ego dominando o nosso ser e nada ... A diferença não está nas coisas que a gen- muito além do nosso umbigo pode ser enxer- te faz ou deixa de fazer, mas no gado. grau de atenção que realizamos cada tarefa Mas, ao realizarmos qualquer uma dessas do nosso dia-a-dia! mesmas atividades com o que os cabalistas cha- Assim, não existe diferença entre o que faz mam de “KAVANÁ”, que significa “direção” uma pessoa iluminada e uma não ou “foco”; e no instante em que manifestamos iluminada, exceto pelo fato de que uma está tudo isso com a consciência desperta, nos co- acordada, e a outra, dormindo.” nectando com a própria Divindade que habita em nós, saímos da superfície e vamos direto Shalom Aleichem (A Paz esteja Convosco!) 11
  12. 12. Terapias Energéticas Aromaterapia, a terapia dos “deuses” Marcitta Ayres não só para limpeza do corpo mas também da alma. Até então, não havia distinção entre re- V ocê se lembra do maravilhoso perfume médios e cosméticos - os perfumes, pomadas de um jardim florido, em um dia quen- e unguentos eram utilizados para curar, aliviar, te de verão ? Ou do odor característico trazer bem-estar. E é exatamente pelo uso mais de uma laranja quando você a descasca ? Essas constante destes, e pela percepção de suas pro- fragrâncias são oriundas de substâncias poten- priedades em um nível mais físico, que se extin- tes, voláteis e aromáticas presentes nas plantas. gue o simbolismo religioso e místico. São os chamados óleos essenciais existentes nas A Aromaterapia, como a conhecemos, foi diferentes partes das plantas, tais como flores, perpetuada por Maurice Gattefossé, em 1928, folhas, raízes, caule, sementes, frutos e cascas. que por “acidente” descobriu as propriedades Esses óleos, tidos como essenciais, são muito cicatrizantes e analgésicas da lavanda. Na II importantes, face às propriedades de cura que Guerra Mundial, outro médico francês, Dr. Jean revelam ter. Cabe aqui assinalar que os atributos Valnet, lançou mão, com grande êxito, dos óle- desses óleos são também muito utilizados em os essenciais como um recurso a ser utilizado ao diversas drogas pela Medicina ocidental. término do estoque de remédios para curar os Muitas pessoas talvez já tenham se indaga- feridos da guerra. do: - Afinal, em que consiste a Aromaterapia A arte e a beleza desse conhecimento en- ? Há quanto tempo ela existe ? Que tipos de contra-se na forma como o terapeuta une o seu problemas de saúde ela se propõe tratar ?Todo saber específico à sua sensibilidade para captar mundo pode fazer uso desse tipo de terapia ? a necessidade energética do cliente e a sua cria- tividade e intuição em administrar o óleo ade- quado à situação, tanto para reduzir ou extinguir os sintomas observáveis, quanto para atingir as causas do desequilíbrio constatado. Ao lerem esse artigo, tenho a certeza de que muitos poderão ter lembrado de algum aroma peculiar relacionado a lembranças de felicidade, amor e paz. Assim, se pararmos para relembrar vários momentos de nossas vidas, perceberemos que o caminhar em nosso existir revela-se pleno de fragrâncias, de perfumes (vide a própria na- tureza), que contribuem para o nosso equilíbrio energético e consequente bem-estar. Atrás de um aroma sempre haverá uma his- tória... Cabe aqui recordar que qualquer pessoa pode fazer uso da Aromaterapia, tendo certos cuidados e sempre com orientação de um pro- Tentaremos de uma forma objetiva e sucinta fissional da área, pois existem algumas restrições responder a essas perguntas. A Aromaterapia com idosos, gestantes e crianças. É importante constitui-se em uma terapia de cunho físico, assinalar que o tratamento com Aromaterapia energético-vibracional, voltada para a aplicação não substitui o tratamento médico. adequada de óleos essenciais específicos ao tra- E assim, me despeço, desejando que todos tamento de diversos problemas ligados à saúde nós nos sensibilizemos cada vez mais com as fra- mental e física do cliente, visando a promoção grâncias da natureza. do bem-estar físico e emocional deste. Alguns Para quem desejar adquirir maior conheci- terapeutas “alegremente” dizem que, através mento sobre o assunto, sugiro a leitura dos se- da Aromaterapia, efetivam-se “curas perfuma- guintes livros: Òleos que curam, Wanda Sellar; das”. Essa terapia existe desde o Egito Antigo, Aromoterapia Holística, Ann Berwick; sugiro quando eram utilizados óleos essenciais, como também pesquisa na Internet em sites como mirra e olíbano, para honrar os deuses, enve- www.valeriatrigueiro.com.br, link Um Passeio nenar armas, criar rituais de sedução com o uso pela Historia da Aromaterapia. da canela, cravo, benjoim e sândalo, que são Para maiores informações, escreva para marcitta.ayres@ poderosos afrodisíacos. Entretanto, é na Roma gmail.com ou telefone para 8206-7728. antiga que surge o primeiro sabonete e o ritual de tomar banho se estabelece definitivamente, 12 Essência da Luz uma publicação bimestral da Casa de Padre Pio
  13. 13. Espiritualidade e Mediunidade Causas da Obsessão Nelson Soares B asicamente, a obsessão tem quatro cau- sas: as morais, as relativas ao passado, as contaminações e as anímicas. • Morais As obsessões de causas morais são aquelas provocadas pela má conduta do indivíduo na vida cotidiana. Ao andarmos de mal com a vida e com as pessoas, estaremos sintonizando nos- sos pensamentos com os Espíritos inferiores e Ocorrem também situações em que as irra- atraindo-os para perto de nós. diações magnéticas vindas desses ambientes, Vícios mundanos, como o cigarro, a bebida causam-lhe transtornos fluídicos. A gravidade em excesso, o cultivo do orgulho, do egoísmo, dos casos estará na razão direta da sintonia que da maledicência, da violência, da avareza, da os Espíritos inferiores estabelecerem com os pa- sensualidade doentia e da luxúria, poderão ligar- cientes. nos a entidades espirituais infelizes que, mesmo desencarnadas, não se desapegaram dos praze- • Anímica ou Auto-obsessão res materiais. Esses Espíritos ligam-se aos “vivos” para sa- As obsessões anímicas são causadas por uma tisfazerem seus desejos primitivos, tratando as influência mórbida residente na mente do pró- pessoas como se fossem a extensão de seus in- prio paciente. teresses no plano material. Por causa de vícios de comportamento, ele cultiva de forma doentia pensamentos que cau- • Relativas ao passado sam desequilíbrio em sua área emocional. As obsessões relativas ao passado são aque- Muitas tendências auto-obsessivas são pro- las provenientes do processo de evolução a que venientes de experiências infelizes ligadas às todos os Espíritos estão sujeitos. Nas suas ex- vidas passadas do enfermo. O auto-obsediado periências reencarnatórias, por ignorância ou costuma fechar-se em seus pensamentos ne- livre arbítrio, uma entidade pode cometer faltas gativos e não encontra forças para sair dessa graves em prejuízo do próximo. Se a desavença situação constrangedora. Esse posicionamento entre eles gerar ódio, o desentendimento pode- mental atrai Espíritos doentios que, sintonizados rá perdurar por encarnações a fio, despontan- na mesma faixa psíquica, agravam sua doença do nos desafetos, brigas, desejos de vingança e espiritual. perseguição. Casos assim podem dar origem a A fluidoterapia, largamente usada nas casas processos obsessivos tenazes. espíritas, pode ser utilizada como auxiliar no tra- Desencarnados, malfeitor e vítima continu- tamento das auto-obsessões. am a alimentar os sentimentos de rancor de um A melhor terapia, no entanto, é a reeduca- para com o outro. Se um encarna, o outro pode ção através da conscientização dos seus males e persegui-lo, atormentando-o e vice-versa. consequente mudança de postura. • Contaminações As contaminações obsessivas geralmente “Reconcilia-te sem demora com teu adversá- acontecem quando uma pessoa frequenta ou simplesmente passa por ambientes onde predo- rio, enquanto estás com ele a caminho, para mina a influência de Espíritos inferiores. que não suceda que ele te entregue ao juiz, e Seitas estranhas, onde o ritualismo e o mis- ticismo se fazem presentes; terreiros primitivos, que o juiz te entregue ao seu ministro, e sejas onde se pratica a baixa magia; benzedeiras e mandado para a cadeia. Em verdade te digo mesmo centros espíritas mal orientados são fo- que não sairás de lá, enquanto não pagares o cos onde podem aparecer contaminações obses- sivas. Espíritos atrasados, ligados ao lugar que a último ceitil.” (Mateus, cap. 5, 25, 26). pessoa frequentou ou visitou, envolvem-se na sua vida mental, prejudicando-a. 13
  14. 14. Bhagavad-Gita, canção divina Retiro no Ashram Vraja Bhumi “Aqueles que pensam em Mim (Deus), que têm suas vidas absortas em Mim, sempre ilu- minando uns aos outros e conversando sobre Mim (sat-sanga), obtêm grande satisfação e bem-aventuranças.” (Bhagavad-Gita, capítulo 10, verso 9) Marcelo Patury torno da única meta da nossa existência: Deus. É tradição védica milenar promover a reunião Sinto-me incapaz de expressar neste pequeno entre os estudiosos, buscadores do cami- texto a felicidade e a bem-aventurança (como nho do retorno ao Supremo. Esta prá- tica é tão importante que até recebe uma denominação especial sat-sanga, reunião (sanga) em torno da Verdade (Sat). diz o verso acima) que nos proporciona a expe- riência da União, por isso, abaixo, transcrevo o relato daqueles que comigo participaram des- te encontro no retiro espiritual: Se o caminho para a transcendência estivesse “A estadia no retiro sempre intensifica o desejo na na solidão e no individualismo, nasceríamos ce- continuidade do aprendizado do Bhagavad- Gita, bem gos, surdos e mudos, e viveríamos “fechados” como acelera a assimilação do conhecimento já adqui- em nossos próprios eus. Mas, Krishna, Jesus e rido. E o que é mais importante é a leveza do espírito todos os nossos grandes Avataras ensinam que, proporcionado por um sentimento de contato mais na União e não na separação, está o caminho do íntimo com Krishna.” Sol Lima retorno (yoga). “Na associação daqueles que buscam o caminho da Assim, realizamos em outubro um retiro espi- luz, as conversas sobre os passatempos e as ativida- ritual em uma fazenda bem afastada do meio des do Senhor são muito agradáveis e satisfatórias ao urbano, perto de Friburgo. Nesse “Ashram ouvido e ao coração. Aquele que cultiva tal conheci- Vrajabhumi”, conheci meu guru e iniciei os es- mento avança gradualmente no caminho da liberação tudos dos Vedas junto com monges hinduístas e, em seguida, liberta-se, fixando sua atenção. Então, que lá residem. Neste retiro e no outro que já começa a verdadeira devoção e o serviço devocional.” realizamos, assim como aqueles que ainda reali- (Srimad Bhagavatam (3.25.25). É isso... estivemos e zaremos, temos como objetivo nos unirmos em estamos em união (todas as 4as, às 19:30h...rs), e isto é muito poderoso.” Daniela de Luna 14 Essência da Luz uma publicação bimestral da Casa de Padre Pio
  15. 15. ”Quando entrei no grupo de estudo do Bhagavad-Gi- uma cadela fofa que sempre dormia comigo e Paty no ta, que acontece na Casa de Padre Pio, não esperava quarto. Reflexão a todo momento, nas orações pela que a minha vida fosse mudar tão espetacularmente. manhã e no final do dia nos mostravam que energia, Explico: o grupo lá formado é tão heterogêneo que é nem sei explicar o tamanho da emoção que sentia, só bonito ver como todos ali são bem acolhidos, inde- percebia pelas lágrimas que desciam pelo meu rosto. pendente das suas crenças. Logo, aos poucos, fui me Como nos ensina “nosso Guru”, toda quarta às 19:30, abrindo para tal experiência na minha busca pessoal oferece a Krishna o que é de Krishna.” Flavia Braga de auto-conhecimento. E lá vi um grupo que também “A minha ida ao retiro foi uma experiência de harmo- anda buscando isso. Cada um no seu tempo, cada um nia, alegria e conhecimento. Senti o poder da paz, que no seu processo, buscando a transcendência... No iní- reinou no meu interior. Senti minha consciência em cio do mês, parte desse grupo viajou a um retiro em plena expansão.” Rita Rosas Teresópolis; nesse encontro, o laço se estreitou ainda mais entre nós, não importando, é claro, o quanto se “Dias de paz, reflexão, natureza, amizade e consciên- conversou entre si, e sim o melhor motivo de estar- cia. Momentos de grande alegria em compartilharmos mos ali juntos: a certeza da busca de um caminho pela os ensinamentos transcendentais do incrível e trans- paz!” Candy Saavedra formador livro Bhagavad- Gita. Autoconhecimento através da dança, cânticos, leituras, vivências, comida, “O ambiente do retiro espiritual e as atividades que fi- yoga, show de mágica, tudo... um grande exercício de zemos lá serviram principalmente para eu restabelecer oferecimento ao Supremo, no agradecimento constan- a conexão com um estado de vida existente em mim, te aos monges, que ensinaram os textos do livro sagra- muitas vezes esquecido durante a confusão e correria do ao Marcelo, que com sabedoria, espontaneidade e do dia-a-dia. Além disso, foi importante poder conver- muito amor, vem tocando nossos corações e mentes, e sar com colegas da turma do BG, pois muitas vezes a cada encontro de 4ª feira, sentimos a liberdade em nem falamos durante as aulas por causa dessa mesma nosso espírito! Muito obrigada!” Patrícia Patury correria.” Dani Budista. “O lugar, o ambiente, as pessoas, as palestras, os “Ansiedade seria a palavra certa para expressar o que cânticos, tudo isso foi vivenciado com muito prazer e sentia quando já estávamos chegando no Ashram. De certeza de que todos que ali se encontravam, conse- longe, as luzes, quando pegamos as malas e entra- guiram alcançar mais uma etapa no seu caminho para mos, que lugar, fiquei sem palavras. O jeito era tentar o Supremo.” Virgilio Claudio da Silva relaxar para conseguir dormir e aproveitar o final de semana que só estava começando. De cara, ofereci o Os estudos da Bhagavad-Gita acontecem aqui resultado para não me prender em expectativas, o que na Casa de Padre Pio - Rua Assunção, 297 - to- viesse era bem vindo, estava entregue. Passeios, Yoga, das as quartas-feiras, às 19:30h. Não precisa se Ritual de queima de carma, ensinamentos que tivemos inscrever. Basta chegar e se sentar! com Chandramukha, alegria de todos por nos terem lá e nos convidando para voltar em breve e quem sabe no Ano Novo. Até os animais foram de um amor, que tive uma companhia deliciosa nas noites que che- gavam, Marrinha “O retiro foi maravilhoso: o lugar é lindo, a comida deliciosa, a interação entre as pesso- as do grupo foi perfeita; mas, o que mais me encantou, foi poder colocar em prática alguns “A leitura do Bhagavad-Gita, às 4as feiras, dos ensinamentos que aprendemos em nossas foi coroada com o retiro na Ashram Vrajabhu- reuniões de quarta-feira. Destaco o desapego mi. O lugar, as cerimônias, a comida, a conversa aos resultados das ações pois, mesmo quando com os monges... e que energia fantástica! Foi a programação não saiu conforme havia sido melhor do que o mestre Marcelo falou que iria combinado, ninguém se afastou de seu estado ser.” Paulo Mauricio Barbosa de Souza de paz.” Maria Lucia Correa 15
  16. 16. Aconteceu Confraria Social Como nasceu essa idéia Quando alguém ou instituição precisa e você pode e quer o que você faz ? Ajuda! Assim, no começo de noite aqui no Rio de Janeiro, após um dia de trabalho, que tal participar de uma nova proposta que abre mais um caminho para uma sociedade também participativa ? E apesar do anoni- mato característico de muitas ações generosas, só o fato de participar já renova nossas forças e confian- ça... Porém, como diz o ditado “a união faz a força”... Assim nasceu a Confraria Social, olhando para o nos- so quintal, que pode estar localizado em qualquer ponto geográfico... Você com certeza já ouviu falar alguma coisa sobre COOPERATIVIS- MO. Do verbo cooperar, que significa a união entre pessoas voltadas para um mesmo obje- tivo. E que, através dessa cooperação, procura-se atender algumas das muitas necessidades humanas. É mais do que chegado o momento para a expansão e construção de novas parcerias, facilitando as mudanças, dando o primeiro passo, aquele impulso único que vai gerar... Cooperação. Afinal, generosidade é contagiante! Seja bem-vindo! 16 Essência da Luz uma publicação bimestral da Casa de Padre Pio
  17. 17. Religiões e práticas espirituais Xamanismo, o que seria mesmo? Jeronimo Figueiredo * “Toda forma, todo signo, não é se- não a expressão exterior de uma idéia, de uma intenção procedente do invisível universal.”, Mário Mercier, xamã fran- cês. Nas abordagens atuais sobre o Xa- manismo, entende-se que este englo- baria qualquer ritual que nos ligue às forças da Terra com o mundo invisível e sobrenatural, ou qualquer ato de cunho religioso que vá nesta direção. nível ampliado, podemos também considerar O Xamanismo, como prática religiosa, se ba- Jesus como um Xamã, “O Xamã dos xamãs de seia no fato de que estamos em constante in- Luz.” teração com a Terra, de que “Somos Um” com Sabemos que há diversos trabalhos e linhas Ela. bem definidas e distintas no Xamanismo, pro- Nesse sentido, o Xamanismo propõe-se a vindas das culturas de diferentes povos nativos, trabalhar com a energia da Terra, bem como embora possa se perceber, por exemplo, que com todos os seus elementos, incluindo os seres as culturas dos esquimós e a dos índios norte- elementais e o mundo dos espíritos; enfim, ele americanos se relacionam, pois trabalham com a busca trabalhar as questões energéticas relativas mesma idéia de animais de poder, sendo porém ao nosso existir. Dessa forma, o Xamanismo se- que cada uma cultua os seus próprios animais, ria a nossa própria intuição, expressão da nossa considerados por eles como representações sabedoria interna. físico-espirituais de seus Mestres internos. No A visão Xamânica alicerça-se na percepção entanto, de um forma geral, define-se o Xama- de que tudo o que existe na natureza deve ser nismo como sendo a religião de alguns povos do compreendido, pois se esta percepção for tra- norte da Ásia que acreditam na invocação dos balhada, passamos a poder interagir com seres espíritos de cura pelos xamãs. e amigos invisíveis, aprendendo a utilizar vastos Atualmente, relata-se que estamos no tem- potenciais energéticos, geralmente ocultos para po dos Xamãs brancos, dedicados à prática da a maior parte das pessoas. Magia Branca. Eles são também chamados de Essa perspectiva engloba muitos conceitos, Xamãs de Luz ou Xamãs holísticos, por estarem correntes e técnicas ligadas ao chamado mo- comprometidos com o Bem e com a elevação vimento da Nova Era, como por exemplo, os espiritual da humanidade. Para efetivar tal ta- relacionados à Medicina energética, que de al- refa, eles estudam e integram diversos conhe- guma forma tem um caráter xamânico. Muitos cimentos tidos como “mágicos”, para poderem umbandistas e diferentes magos podem até ser agir nos diversos planos invisíveis e visíveis da considerados xamãs. Nesse sentido, podemos nossa existência. também salientar a figura de um grande santo Para conhecer um pouco mais sobre Xama- católico, S. Francisco de Assis, como um exem- nismo, sugiro a leitura das obras de Carlos Cas- plo de um grande Xamã. Pois ele conversava tanheda. com o Sol, com a Lua, com as Estrelas, com o * Paisagista, terapeuta de massagem espiritual e focaliza- Vento, com o Fogo e com todos os animais e se- dor de tradições indígenas. Contatos: 2225-8622 Cel: res vivos, considerando-os todos como irmãos, 9331-7238 oriundos do mesmo Pai, o Criador. Assim, num 17
  18. 18. Poesia, linguagem da alma JÁ NÃO SEI MAIS O QUE É BELO Cecilia Cid natureza, a vida... tudo o que vier à cabeça. O outro também faz parte do EU. O EU sozinho é apenas uma vaga lembrança do que SOMOS, Já não sei mais o que é belo, o que é singelo, só estaremos completos quando conseguirmos já não sei mais o que é... juntar o EU + o OUTRO + o MUNDO = UM. Beleza não se vê com olhos, se sente com o Procure fundir todos os elementos que você coração. chegará no Criador, nada mais somos que par- Singelo não se sente com o coração, mas tes do Todo separadas na Criação que se Unem com a alma... no ETERNO. Olhando para nosso dia a dia tão atribulado, Quando a fusão acontece dentro de você o perdemos essa noção do belo, singelo, carinho- mundo ao redor se transforma, você não mais so, feliz... Ficamos com a cabeça tão centrada esquece, não mais deixa... Tudo vem! em engarrafamentos, computadores, relógios, O amor transbordará em luz através de seus que esquecemos o básico: a vida! olhos... Simplesmente deixe, sinta, vá, seja! Deixamos de apreciar as aves e sua dança “Todos os tipos de sementes de poder estão no vento, esquecemos de apreciar os cheiros no dentro de você, esperado por você fazê-las cres- vento, esquecemos de deixar os cabelos ao ven- cer” – Paramahansa Yogananda. to... Simplesmente esquecemos! Deixamos de lado o sabor do pão com man- teiga quente escorrendo entre os dedos, deixa- mos de lado o sabor do beijo dado de manhã cedo, deixamos de lado muitas vezes o que de- veria estar dentro e não ao lado... Simplesmente deixamos! Deixamos para depois o abraço, deixamos para depois o sorriso, deixamos para depois o outro... E simplesmente o depois não vem! Por que estou falando tudo isso? Porque tudo está na nossa busca interior, na busca da nossa espiritualidade. O mundo que nos cerca faz parte do EU, entendendo como mundo a 18 Essência da Luz uma publicação bimestral da Casa de Padre Pio
  19. 19. Portal da Graditão Entrevista realizada com Maria Félix dos Reis por Denise Cristina Ribeiro Gomes 1- Maria Felix, por que veio há à Casa de Padre minha vida em busca de sabedoria , de procu- Pio? Há quanto tempo a freqüenta? rar um maior contato com a minha essência . R: Há 4 anos atrás, trazida por uma amiga, cheguei à Casa , “ sentindo-me no fundo do 4- O que significa a gratidão para você? Você se poço”. Estando desempregada, este fato oca- considera uma pessoa grata? sionou grandes transtornos em minha vida . R: Para mim, ser grato significa reconhecer Passei a ter problemas de subsistência, perdi o a solidariedade alheia para conosco. Sou grata à status social que usufruía pela minha condição Deus por estar viva e com saúde. Sinto-me grata econômica,e assim, entrei em depressão : não a todos aqueles que, nos momentos difíceis de me arrumava, não queria tomar banho, sentin- minha vida, estenderam-me a mão, apoiando- do-me sem ânimo, sem forças, sem coragem me materialmente e espiritualmente. Sinto-me para enfrentar o meu dia a dia. Sentia muita rai- grata e feliz por estar participando da vida , co- va de tudo e de todos pelo que estava passando. nhecendo e me relacionando com pessoas que Passei a ter problemas gástricos e a vivenciar me ajudam a crescer. uma crise em meu casamento. Posso dizer que vivenciava um “inferno” em vida. Inicialmente, fui encaminhada para o pro- 5- O que diria para alguém que vivencia os pro- cesso de “cura espiritual’, assim como, para o blemas pelos quais você passou? programa de doação de “Cestas Básicas”, e, R: Não perca a esperança em dias melhores tudo foi-se modificando em minha vida. .Acredite que sempre haverá em sua vida, um novo recomeço, um “amanhecer de primave- ra”, mais harmonioso, suave, confortador. Não 2- Maria, como você era antes da vivência de deixe de ser perseverante. Procure ser humilde, todo esse sofrimento? ao se esforçar por desapegar de si mesmo, evi- R: Eu era alegre, cheia de vida. Em reuniões tando se sentir como “o centro” do universo. sociais era o centro das atenções, por ser muito comunicativa. Hoje, posso perceber que, talvez, por não ter tido até aquela época sérios pro- blemas de vida, era muito centrada em mim mesma, não me preocupando com o bem estar do outro. “Senhor, eu te agradeço 3- Quanto tempo você freqüentou as sessões pelo dom da minha vida, de cura? Fale-me das transformações que foram ocorrendo em sua vida? pelo dia de hoje, e por to- R: Participei da cura durante 2 meses, às 4ªs feiras. No início, chorava muito; depois , das as graças recebidas, gradativamente, fui mudando... Orientada a ler diversas obras espiritualistas e espíritas, fui aprendendo a me descentrar , isto é, passei a principalmente, aquelas me preocupar menos comigo e, um pouco mais com a felicidade e bem estar do outro.Assim, no venho recebendo através decorrer desse processo, fui renascendo para a vida! Senti que a luz novamente nela brilhava, da Casa de Padre Pio, que porém, de uma forma diferente! A minha for- ma de encarar a minha existência havia mudado. fortalecem o meu corpo e Hoje, embora ainda tenha sérias dificuldades econômicas, sinto-me bem melhor, em equilí- brio comigo mesma. Voltei a ter esperança em o meu espírito.” meu amanhã. Venho percebendo que os meus valores se modificaram. Aprendendo a me de- Maria Felix sapegar das coisas materiais,estou conseguindo me sentir feliz com pouco. Passei a direcionar a 19
  20. 20. Prece Oração para o fim de qualquer experiência de perda repentina Querido Deus: Hoje, eu peço força para me desapegar. Sei que esta experiência já cumpriu seu papel na minha vida. Agora é tempo de seguir em frente, mas estou com medo. Por isso eu peço: dê-me forças para me desapegar. Hoje, eu peço coragem para seguir adiante. Sei que não há mais nada que eu possa dar, nada que possa receber se continuar onde estou. Sei que Seu objetivo divino já foi alcançado e que algo maior me aguarda mais à frente. Mas, neste momento, estou dominada pela dor, e essa dor está me impedindo de sair do lugar. Por isso eu peço: dê-me forças e coragem para caminhar. Hoje, eu peço sabedoria para perdoar. Estou sentindo muita raiva, muita vergonha, muita culpa. Tenho me esforçado tanto para enten- der o que fiz, o que devia ter feito, o que devia ter parado de fazer há muito tempo. Sei que, se eu pudesse perdoar a mim e a todas as pes- soas envolvidas, conseguiria superar toda esta raiva, toda esta mágoa. Mas, neste momento, estou furiosa. Sei que é este rancor que está me paralisando e fazendo com que eu me sinta perdida. Eu peço forças, coragem e sabedoria para me perdoar, pois só assim serei capaz de perdoar os outros. Hoje, eu peço compreensão. Estou tentando entender, mas a ver- dade é que não consigo! Estou tentando enxergar qual é o sentido de tudo isso que está acontecendo, a fim de não sentir tanto ódio, tanto medo. Se, por algum motivo, ainda não é o momento de eu compre- ender, por favor, meu Deus, alivie a minha dor. Hoje, eu peço a humildade da aceitação. Confesso que não estou gostando nada desta situação. Apesar de não entender por que isso tudo está acontecendo, estou disposta a me submeter. Estou disposta a aceitar esta experiência - só que, neste momento, meu impulso ain- da é resistir. Por isso eu peço: dê-me humildade para que eu seja mais capaz de aceitar. Hoje, eu peço paz. Suplico por paz! Neste momento, rogo que a presença consoladora da paz supere o medo e a raiva que ameaçam me consumir. Sei que, com paz, minhas forças e minha coragem au- mentarão e eu conseguirei me encontrar em meio a toda esta perda. Eu me abro agora para receber e experimentar a paz em meio a esta tempestade. Desejo que a paz acalme a minha alma. Agora, recebo, abraço e acolho a presença da paz na minha mente, no meu coração e no meu espírito. Hoje, fico de pé fortalecida! Avanço com coragem! Ajo com sabe- doria! Abro-me para a compreensão divina! Aceito com humildade todos os meus pensamentos e sentimentos e experimento a presença crescente da paz. Por tudo isso e muito mais, dou muitas, eternas graças. E assim seja! 20 Essência da Luz uma publicação bimestral da Casa de Padre Pio

×