SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Baixar para ler offline
2 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

                                                    Poesia                                                             Vera Paráboli
DIÁRIO DA REGIÃO
                                                Sugestões
                                                                                                                       Milanesi                         13  Edvaldo Santos

                                                Se me dizem a palavra trigo
                                                quero possuir a lírica semente.
                                                Se me falam a palavra pedra
                                                Logo imagino o leito de uma estrada.
                                                Se a palavra polícia é-me dita
 Editor-chefe                                   Sonho com a segurança da cidade.
 Fabrício Carareto
 fabricio.carareto@diarioweb.com.br             Poré, se os valores vão ficando invertidos,
 Editora-executiva
                                                Se me dizem a palavra trigo
 Rita Magalhães                                 Penso então nas mãos mais calejadas;
 rita.magalhaes@diarioweb.com.br
                                                Se me falam a palavra pedra
 Coordenação
 Ligia Ottoboni
                                                Logo explode a ideia de confronto;
 ligia.ottoboni@diarioweb.com.br                E se a palavra polícia é ouvida
 Editor de Bem-Estar e TV                       Vem com berros e o gemer dos torturados.                               Diante da imprevisibilidade da vida,
 Igor Galante
 igor.galante@diarioweb.com.br                                                   Roberto Pontes                        busque a beleza das coisas que não
                                                                                                                       são efêmeras, como o amor
 Editora de Turismo
 Cecília Demian
 cecilia.demian@diarioweb.com.br

 Editor de Arte
                                                                                                                       Televisão
                                                   Editorial
                                                                                                                                                        16
 César A. Belisário
 cesar.belisario@diarioweb.com.br

 Diretora Superintendente
 Rosana Polachini
 rosana.polachini@diarioweb.com.br                                                                                                         Jorge Rodrigues Jorge/Divulgação




                                               Gratidão e
 Pesquisa de fotos
 Mara Lúcia de Sousa

 Diagramação
 Cristiane Magalhães




                                               coragem
 Tratamento de Imagens
 Arthur Miglionni, Humberto
 Pereira e Luciana Nardelli

 Matérias
 Agência Estado
 Agência O Globo
 TV Press                                         Perdemos tanto tempo reclamando de nossa
                                               condição que não conseguimos fazer o simples
                                               exercício de desvendar os olhos - do coração e da alma -
                                               para enxergar os presentes diários que recebemos: a
                                               saúde, o privilégio de poder acordar mais um dia, de
                                               estar ao lado de pessoas que amamos. Parece ser mais                    A atriz Leona Cavalli fala sobre o
                                               fácil ignorar tudo isso e maldizer a nossa existência.                  sucesso da personagem Zarolha,
                                               Mas, para encontrarmos beleza no caminho da vida, é                     da novela “Gabriela”
                                               necessário abandonar certas facilidades e julgamentos
                                               precipitados. É preciso ter a coragem de dar o valor
                                               correto às escolhas feitas e à vida que se leva. É claro                Turismo
                                               que, no nosso caminhar, temos tropeços, falhas, erros.
                                               Mas é também a coragem que precisa se fazer presente
                                               nesses momentos. É ela que vai nos reerguer e permitir
                                                                                                                                                        24
                                                                                                                                                Agência O Globo/Divulgação

                                               que sejamos capazes de assumir esses erros,
                                               transformá-los em aprendizado e seguir na trilha de uma
                                               vida nova.




                                                AGRADECIMENTO                        VERBO PODEROSO
                                                Reconheça tudo de bom que a          As palavras exercem forte
                                                vida lhe dá                          influência em nossas relações
                                                Páginas 4 e 5                        Páginas 10 e 11
                                                SEXUALIDADE                          ALTO-ASTRAL
                                                Conversa íntima melhora o            Atividades prazerosas alimentam   Em Las Vegas, além dos
                                                entrosamento entre os casais         a sensação de viver com alegria   hotéis- cassinos fabulosos, conheça
                                                Páginas 8 e 9                        Página 12                         o Grand Canyon
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 / 3

Plano evolutivo




    O DESPERTAR DO
   CONSCIENTE DIREITO
                          Há uma região da consciência humana que favorece a penetração
                            na realidade e a conexão com níveis abstratos da existência

       Temos chamado de consciente         flexibilidade mental, desapego e ou-   formas de viver, pela expressão da           querdo, ainda proeminente na hu-
   direito a região da consciência hu-     sadia. Pelo consciente direito ex-     vontade voltada para o bem. São, to-         manidade, a pessoa age com base
   mana que expressa faculdades su-        pressam-se as energias de núcleos      dos esses, indícios de uma disposi-          apenas no que ela já conhece, ou se-
   pramentais. Enquanto o consciente       profundos no nosso ser. Ele veicu-     ção ao alargamento de horizontes, a          ja, no raciocínio, na lógica e na de-
   esquerdo diz respeito à cognição        la o fogo solar e, em certa propor-    uma visão que transcende os limi-            dução, pelo consciente direito ela
   por meio dos sentidos externos, às      ção, o fogo cósmico, que fazem         tes do individualismo.                       se torna capaz de operar com base
   maneiras óbvias de viver e à repeti-    parte da nossa constituição, embo-         O consciente direito manifesta-          no eterno presente, e lhe são desve-
                                                                                                                               ladas realidades inusitadas.
   ção de padrões conhecidos e de          ra a maioria de nós desconheça es-     se por um circuito energético que
                                                                                                                                   O despertar do consciente direi-
   idéias triviais, o consciente direito   se fato. Esses fogos sutis, imate-     substitui o antigo sistema de cha-           to apóia-se na atitude interna da
   favorece profunda penetração na         riais, são elementos essenciais da     cras. Tal circuito está situado nos          pessoa, na sua disposição para trans-
   realidade da vida e a transformação     própria vida. O fogo material é de-    corpos sutis da pessoa. São cinco os         formar-se, no amor que dedica à
   dela conforme leis universais e cós-    les pálido reflexo.                    seus principais vórtices: o centro ce-       verdade e ao serviço evolutivo, ten-
   micas. O consciente direito permi-          O consciente direito está sendo    rebral direito, o cardíaco direito e o       do como fundamentos a fé e a entre-
   te ao ser conectar-se com níveis abs-   especialmente despertado nesta         plexo cósmico (este, abaixo da últi-         ga à realidade suprema. I
   tratos da existência, onde se reve-     época de grandes transformações        ma costela do lado direito do cor-
   lam os arquétipos das formas e as di-   planetárias. Em muitos adultos de      po), e dois outros centros, superio-         Serviço
                                                                                                                               Extraído do boletim “Sinais de Figueira”
   retrizes do Plano Evolutivo.            hoje, e especialmente em crianças,     res, chamados supraluminares, que            (Irdin Editora), de Trigueirinho
       O consciente direito começa a       já se nota esse despertar pela rapi-   se encontram na aura da pessoa, aci-         (www.trigueirinho.org.br). Palestras do autor
   desabrochar quando as forças do         dez com que encontram soluções         ma da cabeça. A ativação dos cen-            poderão ser ouvidas, gratuitamente, no site:
   ego se elevam e vão se integrando       para seus problemas, pela facilida-    tros supraluminares, porém, diz res-         www.irdin.org.br, ou no grupo de estudos,
                                                                                                                               que se reúne às quintas-feiras, às 20 horas,
   nas energias da alma. Para isso é       de com que se adaptam a diferentes     peito a etapas mais avançadas do             na rua Porfírio Pimentel, 55, Bom Jesus (2ª
   preciso adesão incondicional aos        condições, pela atitude fraterna       processo evolutivo.                          travessa acima da Av. Alberto Andaló). Mais
   impulsos evolutivos, persistência,      com que aceitam as mais diversas           Enquanto pelo consciente es-             informações: dgalviolli@gmail.com




                                                                                          Quem é
                                                                                                José Trigueirinho Netto é
                                                                                          filósofo espiritualista, autor de
                                                                                          77 livros, com cerca de 2,5
                                                                                          milhões de exemplares
                                                                                          publicados até o momento, e
                                                                                          mais de 1,7 mil palestras
                                                                                          gravadas ao vivo
4 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

    Gratidão




NOVO OLHAR
É necessário livrar-se da “miopia emocional”
que nos venda diante das coisas boas da vida
Elen Valereto                                                             ra o inconsciente delas uma imagem boa sobre si mes-
elen.valereto@diarioweb.com.br
                                                                          ma. No momento em que há uma crença, há a criação
                                                                          de uma imagem que será a minha realidade. Quanto
    Agradecer mais, sentir mais, viver mais. Essa é                       mais elas são boas, mais haverá acontecimentos
uma receita simples para ter a felicidade sempre ao                       bons”, destaca a terapeuta emocional, Cidinha
seu lado. De que adianta ter tantos desejos e sonhos se                   D’Agostinho, de Rio Preto.
as realizações, sejam as pequenas ou as grandes, ao se-                       Essa satisfação depende somente dessa abordagem
rem conquistadas, não recebem a devida atenção?                           com novos olhos – e, claro, de coração aberto –, pois
Ninguém comemora, ninguém agradece, só quer                               ela é independente de dinheiro ou beleza. Isso impe-
mais e mais.                                                              de a presença e intensidade de tristezas e inseguran-
    Não que seja errado ter ambições, afinal, elas                        ças ao fortalecer (e muito) a saúde emo-
nos impulsionam, mas, quando não temos grati-                             cional. “Temos de ser gratos a Deus
dão pela vida, tudo de maravilhoso à nossa volta                          pela vida que temos. Quando
permanece escondido. É como se os tropeços ou di-                         mais eu sei que sou grato,
ficuldades diários provocassem uma cegueira per-                          mudo meus pensa-
manente ao que é belo.                                                    mentos e concei-
    Tudo é muito igual: o horário para acordar, para                      tos, sendo o
tomar café da manhã, o jornal matinal, a emissora de                      maior bene-
rádio no carro durante o mesmo caminho para o traba-                      ficiado”,
lho. O retorno mantém um ritual também já conheci-                        diz Cidi-
do. Quando nada muda, não há sensações diferentes,                        nha.
muito menos a percepção de quanto importante é a vi-
da. Esse é o principal erro das pessoas. Estão sempre                         Busca em equilíbrio
tão insatisfeitas que sentem-se no direito de reclamar
constantemente e, pior, acusando a vida de “ingrata”.                         Para que a concepção sobre gratidão seja
    Os problemas encontrados no dia a dia impedem                         possível, é importante que haja uma harmo-
as pessoas de agradecer pela saúde que possuem, pela                      nia entre corpo, mente e espírito. A sintonia
família em que cresceram e que formaram, pelo prato                       entre eles garante que a correria e a exigência
de comida farto, pela oportunidade de estudar e con-                      do cotidiano não tirem o foco da busca pela felici-
quistar uma posição no mercado de trabalho ou um                          dade, sem a inversão dos valores.
concurso almejado. As pessoas são incapazes de ver is-                        “Se consegue colocar esse tripé do chão, em
so e agradecer pelo o que têm porque só conseguem                         equilíbrio, há uma menor agitação e cobrança en-
enxergar o que não têm.                                                   tre as pessoas que impedem que seja visto o prin-
    Querem tanto a mais que perdem a visão de tudo o                      cipal, que é a própria vida, nossas conquistas. Em
que já conquistaram de gratificante na vida. É a “mio-                    um outro ritmo, as pessoas não sentem, não absor-
pia emocional defluente do predomínio da sombra no                        vem o que têm ou conquistam, pois já querem
comportamento do ser humano. Impede-o que veja a                          mais e mais, em uma busca sem parar”, destaca a
harmonia existe na vida”, diz um trecho do texto                          terapeuta emocional.
“Consciência da Gratidão”, do livro “Psicologia da                            Um dos problemas é o sentimento de insatisfação.
Gratidão”, psicografado por Divaldo Franco.                               Essa sensação não é errada, mas entra em discordân-
    Ter gratidão é ter autoconsciência e ser humilde                      cia quando não há tempo e consciência para usufruir
para admitir que para viver bem é preciso ficar longe                     ou dividir com outras pessoas o que possui. As insegu-
do egoísmo, gerando em si mesmo a sensação de satis-                      ranças emocionais também atrapalham. “A ideia de
fação, felicidade e bem-estar. É uma atitude de dentro                    falta na alma faz com que a gente se sinta medroso ou
para fora que não pode ser sentida caso não tenha sin-                    inseguro. Quando há essa ansiedade, pode haver bus-
ceridade naquilo que se acredita.                                         ca no meio espiritual, material ou mesmo em uma pes-
    “As pessoas que são gratas mandam, sem saber, pa-                     soa ou parceiro”, destaca Cidinha.
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 / 5


                                      Saiba mais
                                      COMO SER GRATO
                                            É preciso abrir-se para mudar o pensamento
                                          Humildade é importante para reconhecer os próprios
                                      passos errados
                                          Mudar a respiração ajuda a desacelerar e a readequar o
                                      comportamento
                                            É preciso ter respeito por si, pelos demais e pela vida
                                      O QUE A GRATIDÃO ATRAI
                                          Há menos espaço para tristezas, inseguranças e
                                      depressões
                                            A consciência sobre a importância da vida muda
                                            Pequenas e grandes conquistas são aproveitadas
                                            A pressa para correr contra o tempo fica mais branda
                                            A vida torna-se melhor

                                      Fonte: Reportagem




Consciência da Gratidão
“O ingrato, diante do seu atraso emocional, reclama de tudo, desde os fatores climatéricos
aos humanos de relacionamentos, desde os orgânicos aos emocionais, sempre com a
verruma da acusação ou da autojustificação assim como do mal-estar a que se agarra em
seguro mecanismo de fuga da realidade. A gratidão é a assinatura de Deus colocada na Sua
obra. (...) Quando se enraíza no sentimento humano logra proporcionar harmonia interna,
liberação de conflitos e saúde emocional por luzir como estrela na imensidão sideral. (...)
Quando o egoísta insensatamente aponta as tragédias do cotidiano e as aberrações que
assolam a sociedade somente observa o lado mau e negativo do mundo e está exumado os
seus sentimentos inconscientes arquivados, vibrantes, sem a coragem de externá-los, de
dar-lhes campo livre no consciente. A paz de fora inicia-se no cerne de cada ser. Também
assim é a gratidão. Ao invés do anseio de recebê-la, tornar-se-lhe o doador espontâneo e
curar-se de todas as mazelas, ensejando harmonia generalizada. A vida sem gratidão é
estéril e vazia de significado existencial”. I

Fonte: Trecho extraído do livro “Psicologia da Gratidão”, psicografado por Divaldo Franco
(www.oespiritismo.com.br)
6 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

Evolução




Caminho de                                                                                                                          Os erros podem ser
                                                                                                                                    convertidos em
                                                                                                                                    ensinamentos; mas,
                                                                                                                                    para que isso aconteça, é


aprendizado                                                                                                                         preciso abandonar a culpa e
                                                                                                                                    ter a coragem de encarar e
                                                                                                                                    assumir as falhas




Gisele Bortoleto                                     ainda vamos errar diante de adversida-     nosso eu (ego criança), e tende, por is-     de. Isso gera sofrimento e tentamos
gisele.bortoleto@diarioweb.com.br
                                                     des do dia a dia. Apesar disso, na maio-   so, ser mais forte e quase inesquecível.     empurrá-lo para “debaixo do tapete”,
                                                     ria das famílias, organizações e cultu-        Embora representem um tempero            buscamos esquecer que erramos. Mui-
    O erro é inerente ao ser humano.                 ras, o erro e a culpa são virtualmente     necessário para dar graça à nossa vida,      tas vezes, distorcemos a situação para
Isso acontece desde quando tentamos                  inseparáveis. A certa altura, toda         tais dificuldades brindam-nos com            não olhar para nossas atitudes e não se
dar os primeiros passos. Também erra-                criança descobre que admitir o erro        constantes chamas de aprendizado,            cobrar por isso, porque examinar a
mos quando arriscamos andar de bici-                 significa pagar por ele. É por isso que    pois o processo de crescimento pes-          fundo nossas falhas é emocionalmen-
cleta pela primeira vez, quando aceita-              tão pouca gente vive a cultura de segu-    soal é sem limites, até mesmo nas            te desagradável e pode derrubar a au-
mos um determinado emprego ou es-                    rança psicológica na qual seja possível    crises.                                      toestima. A maioria de nós, se pudesse
colhemos um namorado (a). Enfim,                     colher plenamente o benefício de               “Aprender com os erros é, de             decidir, dedicaria pouco tempo à análi-
simplesmente erramos. E não tem co-                  aprender com o erro.                       longe, a maior recompensa, pois              se de erros ou simplesmente evitaria a
mo fugir deles, os erros que nos perse-                  “Na vida, é impossível que todos       aprendizagem implica mudança”,               tarefa. Conclusão: não aprendemos. A
guem ao longo da vida, não de propósi-               os nossos planos e projetos funcionem      diz Pedreira. A sabedoria oriental           chave, ressalta Vânia, é ter humildade
to, mas por acidente.                                sempre bem, do jeito que gostaríamos.      nos ensina que “crise e oportunida-          para admitir que demos o nosso me-
    Desde cedo, somos programados                    Todavia, convém lembrar as lições          de vêm juntas”, ao grafar estes dois         lhor, que caímos, mas podemos levan-
para achar que errar é ruim. Essa cren-              aprendidas no sentido de nos tornar-       vocábulos com o mesmo ideogra-               tar, fazer diferente.
ça impede que possamos aprender                      mos vencedores, pois um evento ad-         ma. Quem cresceu, prosperou ou                   Olhe de frente para seu erro,
com os tombos levados, com os cora-                  verso, ou até mesmo catastrófico em        fez sua independência, aproveitou            aprenda com ele. Veja qual foi a ati-
ções partidos. Mas você precisa ter em               nossa vida, pode ser o ponto de parti-     a oportunidade oferecida pela cri-           tude, o pensamento e o resultado
mente que a sabedoria de aprender                    da para algo bem melhor ou maior”,         se, para, com criatividade e perseve-        obtido com a tentativa. Se não gos-
com o erro é indiscutível e deve, sim,               diz o médico e psicanalista Antonio        rança, sair dela ileso, beneficiado e ain-   tou do resultado, anote na agenda
ser aplicada em todos os momentos da                 Pedreira, professor da Universidade        da enriquecido pelo aprendizado que          como “aprendizado”. Tenha em
nossa vida.                                          Federal da Bahia e autor de livros co-     teve na situação crítica ou adversa.         mente que, se quiser outro resulta-
    Podemos aprender com o erros da                  mo “A Hora e a Vez da Competência              “Temos experiência de que as ten-        do, será preciso fazer diferente da
mesma forma que você, quando crian-                  Emocional” (ed. Casa da Qualidade).        tativas exigem sempre algo novo para         próxima vez. “Sem humildade, eu
ça, caiu, na primeira vez que tentou                     A verdade é que aprendemos a vi-       alcançar um resultado e o erro é ape-        não assumo meu erro, não me per-
andar, mas viu que era possível fazer                ver mediante conceitos: pensados, sen-     nas o resultado diferente daquilo que        mito olhar para minha ação e acei-
diferente para que desse tudo certo.                 tidos e ensinados - aquilo que se apren-   esperamos”, diz a terapeuta holística        tar que estou em fase de experiên-
    Primeiramente, cometemos erros                   de sofrendo, na pele, converte-se em       Vânia Medeiros. Precisamos aprender          cia, porque a vida é uma fase de ex-
devido à nossa condição humana: so-                  um conceito, sentido de vida, que fica     a não ser tão críticos com o erro e não      periência”, diz Vânia Medeiros.
mos falíveis e imperfeitos. Erramos e                gravado na parte mais primitiva do         encará-lo como forma de incapacida-              “Há uma frase de Platão, um
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 / 7


  O que eles dizem sobre o tema                                                                        Aprenda com os deslizes
                                                                                                            Desesperar jamais. Se estiver              para encontrar os caminhos de
        “Se você quer os acertos, esteja preparado        “Não corrigir nossas falhas é o mesmo        para entrar em desespero diante da              reconstrução
  para os erros.” (Carl Yastrzemski)                 que cometer novos erros.” (Confúcio)              adversidade, devido a um erro                        Pare de se torturar, no auge da
                                                                                                       cometido, pare e reflita: quantas               adversidade, remoendo aqueles erros
         “Passei a vida tentando corrigir os erros          “Sábio é o ser humano que tem coragem
                                                     de ir diante do espelho da sua alma para          vezes hoje você ri da insignificância           que cometeu e que não dá para você
  que cometi na minha ânsia de acertar. Ao tentar                                                      de alguns problemas que tanto lhe
                                                     reconhecer seus erros e fracassos e utilizá-los                                                   corrigir agora. Porém, lembre-se de
  corrigir um erro, eu cometia outro. Sou uma                                                          perturbaram no passado e que
                                                     para plantar as mais belas sementes no terreno                                                    corrigi-los no momento certo
  culpada inocente.” (Clarice Lispector)             de sua inteligência.” (Augusto Cury)              pareciam aniquilar qualquer chance
                                                                                                       de voltar a sorrir ou de ser feliz de                É certo que nem sempre
       “Jamais haverá ano novo, se continuar a            “Assumir nossos erros exige muita                                                            podemos voltar atrás e reparar o mal
                                                                                                       novo?
  copiar os erros dos anos velhos.” (Luís de         coragem em um mundo que parece feito de                                                           feito, o erro, a falha, o deslize.
  Camões)                                            pessoas que sempre ganham todas. Assumir               Quando tudo parece desmoronar,             Todavia, cabe a cada um usar esta
                                                     nossa ignorância exige muita humildade nesse      experimente parar e fantasiar um                experiência de vida para uma possível
       “A experiência é o nome que damos aos         mundo de quem sabe tudo.” (Roberto                pouco com a vida que você gostaria              existência mais plena e feliz I
  nossos erros.” (Oscar Wilde)                       Shinyashiki)                                      de ter. Logo, você vislumbrará opções
                                                                                                       para superar as adversidades e/ou               Fonte: Antonio Pedreira, psicoterapeuta




grande filósofo, que diz que ‘apren-
der é mudar posturas´. O ser huma-
no é feito de escolhas e nem sempre
são as mais sensatas, todavia, diante
de uma situação e momento da vida
aquela é a escolha certa”, diz a psicó-
loga clínica Luciana Nazar Ramone-
da, autora do livro “A Arte e o Amor
no Contexto” (ed. Inteligência 3).
Fazer uma reflexão quanto a nossa
postura de vida, pensamento, ações,
mudança de atitudes e hábitos é um
bom começo para quem deseja uma
vida mais plena e com bom senso. O
que é preciso para reparar esses er-
ros? Diante de fatos e acontecimen-
tos é sempre bom se perguntar: será
que essa escolha será boa na minha
vida? E também colocar em evidên-
cia os ganhos e perdas que essa esco-
lha irá proporcionar.
   Na verdade, alegam os especialis-
tas, uma compreensão sofisticada
das causas e do contexto de erros nos
ajudará a evitar o jogo da culpa e a
instituir uma estratégia eficaz para
que possamos aprender com eles. De-
vemos reconhecer que eles são inevitá-
veis. A chave é: quem de nós detectar,
corrigir e aprender com o erro antes dos
demais irá triunfar. Quem ficar mergu-
lhado no jogo da culpa, não.
8 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

    Vida a dois




PAPO DE
TRAVESSEIRO
Boas e claras
conversas sobre as
preferências sexuais
geram relações mais
prazerosas

Gisele Bortoleto                             tam ou não na hora do sexo. E            tro Universitário Salesiano         se expressar quando o assunto      casal acaba evitando o assunto
gisele.bortoleto@diarioweb.com.br
                                             os especialistas são unânimes:           (Unisal) e profissional que mi-     é sexo. Isso porque, até a déca-   para evitar brigas”, diz a psicó-
                                             é preciso falar.                         nistra aulas nos cursos de sexua-   da de 1960, com a entrada da pí-   loga e terapeuta sexual Márcia
    Pode parecer bobagem, mas                    O projeto Afrodite, centro           lidade da Faculdade de Medici-      lula anticoncepcional, o sexo      Atik. E a verdadeira intimida-
um beijo na orelha, que tem si-              de atendimento às mulheres               na de São José do Rio Preto (Fa-    era um assunto sobre o qual ela    de de um casal consiste em fa-
do repetido ao longo de déca-                com disfunções sexuais da Uni-           merp). A relação sexual é uma       não falava porque ficava malvis-   lar com o outro como se você es-
das, pode colocar uma relação a              versidade Federal de São Paulo           negociação de autonomia. Nas-       ta quando se interessava de-       tivesse falando com você mes-
perder, assim como uma mão                   (Unifesp), após a realização de          ce no nosso corpo. Isso signifi-    mais pelo assunto. “As mulhe-      mo. “Os casais precisam apren-
errada na hora errada. Na ver-               uma pesquisa, concluiu que as            ca que, quando estamos com o        res têm menos autonomia se-        der a falar disto”, diz. Geral-
dade, no misterioso mundo do                 pessoas com baixa autoestima             (a) parceiro(a), é preciso nego-    xual que o homem por ques-         mente, um dos parceiros con-
sexo, pequenas coisas não dis-               são as com maior dificuldade             ciar nossos gostos e fantasias.     tões como a repressão sexual fe-   corda em fazer o que o outro
cutidas podem se acumular e                  em falar de sexo e também as             “São duas pessoas com autono-       minina, que foi muito forte du-    quer e não o que o excita. E is-
provocar uma crise. A maioria                mais insatisfeitas sexualmente.          mias distintas, com ritmos e        rante séculos, a falta de uma      so, ao longo do tempo vai irri-
dos problemas sexuais que ator-              E, quanto maior a autoestima,            fantasias diferentes. Por isso, é   educação sexual clara e até mes-   tando, até que chega o dia em
menta os casais começa quan-                 melhor o desempenho sexual.              muito importante que possam         mo por questões sociais”, diz      que ele não suporta mais essa si-
do pequenos detalhes, que po-                E quanto maior a autoestima,             se comunicar ao longo das rela-     Ana Canosa. Hoje, por mais         tuação.
                                                                                                                                                                 Muitas vezes, o problema
deriam ser resolvidos sem dra-               segundo Maria Cláudia Lor-               ções sobre o que gostam e espe-     que o jovem faça sexo sem
                                                                                                                                                             ocorre porque o (a) parceiro (a)
ma, acumulam-se, garantem os                 dello, coordenadora do projeto,          ram para que essa relação se-       compromisso, para alguns           resolve falar sobre o assunto
especialistas.                               mais elas dão valor às prelimi-          xual possa ser prazerosa para       grupos ainda é difícil aceitar     no momento de crise, raiva ou
    Nada substitui a boa e velha             nares. Um estudo feito pela              ambos envolvidos”, explica.         que a mulher faça sexo ape-        insatisfação aguda. “O ideal é
conversinha. Os norte-america-               Universidade de Michigan,                    Quando não falamos e nos        nas por prazer. Isso mostra        que converse em um momen-
nos têm até um termo para is-                nos Estados Unidos, mostrou              submetemos só à autonomia           ainda preconceito em admi-         to de relaxamento, o que é di-
so, é o “pillow talk” ou conver-             que o tempo que o casal conver-          do outro, a possibilidade de        tir que a mulher possa ter pra-    ferente da antiga fórmula de
sa de travesseiro. Isso mesmo,               sa depois do sexo é tão impor-           prazer é menor do que daque-        zer na relação sexual e que        ‘discutir relação’”, comple-
aquela conversinha em que um                 tante quando as preliminares.            le mantém sua autonomia e di-       ela é dona do seu próprio cor-     menta Márcia.
casal acaba conseguindo falar                    “Muitos problemas sexuais            ta ritmo da relação. Pode pare-     po, seja em uma relação even-          Os especialistas alertam
sobre suas preferências. Apesar              dos casais são relacionados à fal-       cer simples? Não é. O reflexo       tual ou de parceria conjugal.      que abordar o assunto com o
de parecer simples, os                       ta de comunicação sobre o que            disso pode ser uma disputa              “Essa dificuldade em se fa-    parceiro não é tão embaraçoso
sexólogos estão acostumados a                gostam ou que não gostam”,               por poder e submissão em si-        lar de questões íntimas, como      quanto se imagina. O incômo-
ver diariamente um grande nú-                diz a psicóloga clínica, Ana Ca-         tuações cotidianas.                 desejos e insatisfações, ainda     do passa rapidamente e quem
mero de casais em seus consul-               nosa, terapeuta sexual, coorde-              Para a mulher, garantem os      não é hábito entre os casais. E,   consegue expressar o que quer
tórios porque as pessoas não                 nadora do curso de pós-gradua-           especialistas, é ainda mais difí-   quando isso acontece, ainda pa-    obtém muito mais prazer na re-
costumam falar sobre o que gos-              ção em educação sexual do Cen-           cil adotar o lema de liberada e     rece queixa ou reclamação e o      lação. Aposte nisso.
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 / 9




Lição de casa                                                     Sintonia sexual
     Conheça seu corpo e tenha percepção sobre suas                   “São muitos os fatores que               “Vem de muitos séculos
fantasias e desejos. Muitas mulheres, muitas vezes, não           interferem nas relações entre            atrás a dificuldade da mulher
sabem o que desejam ou o que as excitam. Encontre                 os casais, mas o fator sexual é,
mecanismos que permitam o conhecimento do ritmo corporal
                                                                                                           demonstrar o prazer. Mesmo
                                                                  realmente, importante para               com a evolução feminina, ain-
     Fale de si para o parceiro(a) com mais frequência. Isso      uma vida saudável e para satis-          da algumas mulheres conti-
inclui anseios não realizados até agora, o que podem fazer        fação de uma relação”, diz a psi-        nuam com essa dificuldade”,
juntos e frustrações. O resultado pode ser mais surpreendente     cóloga Beth Valentim, autora
do que você imagina                                                                                        diz Beth. Com o temor da ava-
                                                                  do livro “Essa Tal Felicidade”.          liação do parceiro, ela se cala e
     Procure conversar sempre sobre questões que                      Geralmente, duas pessoas             não diz o que gostaria de fazer
acrescentem alguma coisa ao casal e melhorem a vida.              se unem e pertencem a famílias           ou receber. É preciso ler sobre
É preciso boa vontade para conversar e construir uma vida a       diferentes e com educação, va-
dois e criar o diálogo. Isso vai melhorar muito sua vida sexual                                            o assunto, estudar, participar
                                                                  lores e filosofia de vida diferen-
                                                                  tes. Começam aí, segundo ela,            de grupos de reflexão sobre es-
Converse com seu parceiro(a) sem cobranças sobre o que
deseja. Mas faça isso quando estiverem num momento de             as divergências, porque nem              ses valores e também procurar
relaxamento e não de insatisfação. Isso pode incluir jogos de     sempre o que um dos parceiros            ajuda, se for o caso. “É evidente
sedução para facilitar                                            acha ser bom para ele é bom pa-          que cada pessoa tem seus limi-
                                                                  ra o outro. E como esse fator, o         tes e não adianta insistir. Mas
     Exercite. Tudo na vida é disciplina e exercício, e no sexo
não é diferente. Observe em qual momento o parceiro reage de      sexual, pode ser um tabu ainda,          um casal pode ser muito feliz
maneira diferente e aprimore-se nesse ponto                       entre muitos casais vê-se a frus-        sexualmente mesmo sem estar
                                                                  tração que, com o tempo, solidi-         completamente em sintonia
Fonte: Ana Canosa, Beth Valentim e Márcia Atik, psicólogas        fica-se. E eles não conversam            nos desejos sexuais”, ressalta
                                                                  mais sobre o assunto.                    Beth Valentim. I
10 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

    Relações humanas




O PODER DAS
PALAVRAS
O modo como falamos e expressamos
nossas ideias exerce influência sobre nossas
ações, relacionamentos e realidade
Jéssica Reis                                              te foi antes uma ideia, um pensamento ou
jessica.reis@diarioweb.com.br
                                                          um verbo na mente. “Palavras contêm men-
                                                          sagens. Palavras, quando ditas, são sons, en-
    Uma simples palavra pronunciada ou                    volvem estímulo e resposta, constituem-se
empregada da forma errada pode fazer um                   de vibrações e ondas. Ondas transmitem
estrago em qualquer tipo de relação interpes-             energia e informação”, afirma.
soal. O poder das palavras é comprovado até                   O psicólogo cognitivo-comportamental
por pesquisas. Um estudo realizado na Uni-                Alexandre Caprio diz que as palavras redu-
versidade de Hiroshima, no Japão, analisou                zem o ruído da comunicação, mas não saber
mulheres por meio de ressonância magnéti-                 organizá-las pode ser desastroso. Segundo o
ca. Os pesquisadores concluíram que as mu-                especialista, a maior causa de confusão e pro-
                                                          blemas da humanidade é a falha na comuni-
lheres com maus hábitos alimentares foram
                                                          cação. “Não saber falar e não conseguir en-
mais afetadas emocionalmente por comentá-                 tender pode criar grandes confusões.”
rios desagradáveis relacionados à sua ima-                    Caprio explica que, para se comunicar
gem corporal.                                             com o próximo com eficiência, é preciso de-
    Para a psicóloga Mara Lúcia Madureira,                senvolver a empatia, ou seja, a capacidade de
as palavras realmente têm poder, mesmo                    se colocar no lugar do outro. “Precisamos
quando não são pronunciadas, pois o silên-                ter uma ideia do efeito de nossas palavras na
cio invoca pensamento e só pensamos com                   mente da outra pessoa, levando em conta
palavras. “Quem já tentou pensar sem pala-                sua experiência de vida, cultura, profissão
vras sabe. Porém, o poder não é natural das               ou religião”, diz.
palavras e não está na palavra em si, mas no                  Um exemplo, segundo o psicó-
modo como são empregadas, articuladas e                   logo, são escritores que segmen-
interpretadas. O sentido da palavra falada,               tam seu público e utilizam lin-
escrita, insinuada ou calada se altera confor-            guagem técnica, muitas vezes
                                                          indecifrável para outras pes-
me as intenções dos que as utilizam e dos                 soas. “Saber se colocar no lugar
que as decifram”, explica.                                do outro nos dá uma habilidade
    Segundo Mara, as palavras dão sentido à               didática na hora de se expressar.
existência, às relações e aos acontecimentos.             A impressão que as pessoas têm
Definem, esclarecem, confundem, enga-                     em relação a quem sabe usar essa
nam, manifestam e inibem ideias, traduzem                 técnica é de que a conversa é prazero-
sentimentos, motivam forças criadoras e des-              sa”, complementa.
trutivas, pacificam, unem, separam, cons-                     Para Mara, palavras pensadas ditas ou es-
troem e destroem. “A entonação,                           critas ganham a força que o desejo humano
impostação e o volume da fala, a expressão                lhes imprime. Dessa forma, as palavras têm
do olhar, o critério de escolha das palavras, o           o poder de influenciar ações, alterar a expe-
arranjo gráfico, a disposição das palavras no             riência de ser e de estar no mundo, modifi-
texto ou discurso, a forma como é grafada e               car os sonhos e a realidade. “Não existe senti-
tantos outros componentes contribuem pa-                  do em nada sem a percepção do observador.
                                                          Nós determinamos nossos sentimentos e o
ra a interpretação e definição dos sentidos               tamanho de nossas realizações a partir do
atribuídos às palavras.”                                  modo como organizamos nossos pensamen-
    A psicóloga lembra que o primeiro ato                 tos e do significado que atribuímos às pala-
da criação é o pensamento. Tudo o que exis-               vras”, conclui a psicóloga.
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 / 11




Verbo que fere
    É preciso ter cuidado com               “Se não sabemos o que dizer, a
as palavras. Elas podem confor-             presença e o silêncio podem ser
tar, mas também ferir. “A                   harmoniosos. Estar ao lado da
agressão verbal é atualmente                pessoa em silêncio muitas ve-
considerada tão grave quanto                zes basta”, diz.
a agressão física. Uma criança
pode desenvolver traumas e fo-                  Lembranças
bias por meio da forma como
os pais lidam com elas. Pala-                   Quem é que nunca se depa-
vrões são aprendidos e repro-               rou com uma música e lem-
duzidos gerando sofrimento                  brou de alguém ou de algum
por gerações”, explica Alexan-              momento importante que já vi-
dre Caprio.                                 veu. É isso que as letras de mú-
    Segundo especialistas, falar            sicas fazem. Existe uma explica-
de forma calma e pausada, pro-              ção científica para o fato. Se-
nunciar palavras acolhedoras                gundo ela, quando as palavras
geram uma sensação de confor-               são associadas a ritmo e melo-
to no outro e ajudam a aplacar              dia, elas atravessam o córtex ce-
a ansiedade e o nervosismo.                 rebral. Dessa forma, ativam o
    Para o psicólogo, antes de fa-          sistema límbico, onde estão ar-
lar, é necessário saber respeitar           mazenadas as emoções.
o outro, e procurar compreen-                   Caprio diz que isso aconte-
der o seu universo. Caprio tam-             ce porque as pessoas têm facili-
bém lembra que muitas pes-                  dade de associar canções e poe-
soas tentam consolar os amigos              mas a momentos da sua história
em uma situação difícil. Mas,               de vida. “Nossa capacidade de as-
muitas vezes, dependendo da                 sociar é muito mais desenvolvida
palavra que é empregada, aca-               do que nossa capacidade de disso-
bam gerando mais sofrimento.                ciar”, conclui. I            (JR)
12 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

    Existência plena




REENCONTRO COM
O ALTO-ASTRAL
Conflitos internos podem ser motivados por falta de aceitação pessoal, mas                                                                                               Saiba mais
fazer atividades relaxantes e prazerosas alimentam a sensação de viver com alegria                                                                                       COMO REFLETIR
                                                                                                         www.sxc.hu/Divulgação                                           SOBRE OS CONFLITOS
Elen Valereto                                                                                                                    rá que está fazendo algo por você,           Esteja atentos aos
elen.valereto@diarioweb.com.br
                                                                                                                                 e isso alimenta o alto-astral!”, des-   pensamentos. Não deixe
                                                                                                                                 taca Vamilsa.                           que os negativos tomem
    Quando surgem conflitos                                                                                                                                              mais espaço que os
internos que questionam e de-                                                                                                        Resgate                             positivos
sestimulam o andamento da vida                                                                                                                                                Valorize suas
é preciso acender um sinal amare-                                                                                                    Quando está tudo bem, o alto-       qualidades em
lo de alerta. Dar atenção a essas                                                                                                astral impede que apareçam              pensamento e para os
dúvidas podem facilmente colo-                                                                                                   deslizes e preocupações des-            outros também
car em xeque o bem-estar físico,                                                                                                 necessárias. Ninguém se preo-
emocional e a vontade de viver                                                                                                   cupa, por exemplo, se a roupa                Relembre suas
com alegria.                                                                                                                     que está vestindo é bonita, se          conquistas e sinta o
    A sensação de diminuição de                                                                                                  o cabelo está com o corte               prazer que sentiu
capacidade ou abandono de ex-                                                                                                    ideal, se quem ver vai gostar                 Lembre-se que tudo que
pectativas somente acontece                                                                                                      ou o que vai pensar. Nada dis-          acontece é para o seu bem.
quando alguma coisa não está                                                                                                     so é cogitado.                          As dificuldades existem para
bem. O estremecimento da aceita-                                                                                                     Mas basta uma pontinha de           mostrar a você mesmo que é
ção pessoal e o distanciamento de                                                                                                desestabilidade emocional pa-           capaz de superá-las
si mesmo podem ser os grandes                                                                                                    ra que tudo isso vá por água
                                                                                                                                 abaixo. Em relação à aparência,               Visualize antes de dormir
vilões dessa dúvida que abala o al-                                                                                                                                      o seu dia seguinte: seu astral
to-astral.                                                                                                                       a terapeuta psicocorporal Va-
                                                                                                                                 milsa explica que há muitos jul-        positivo, as coisas dando
    Tudo isso a começar pela apa-                                                                                                                                        certo e você se sentindo
rência. O corpo e a imagem são os                                                                                                gamentos nesse quesito devido
                                                                                                                                 ao seu efeito bumerangue.               disposta e segura em suas
primeiros a serem confrontados,              esquecem de fazer o mesmo para            nem consegue identificar o que                                                    capacidades
                                                                                                                                 “Cria-se um estado coletivo de
afirma a terapeuta psicocorporal             si”, diz a psicoterapeuta compor-         lhe incomoda.
                                                                                                                                 que julgamos, então seremos
Vamilsa Barreto de Sordi. Segun-             tamental neurolinguista, Marcel-              Para encontrar a solução que                                                  Fonte: Marcelle Vecchi,
                                                                                                                                 julgados”, diz.                         psicoterapeuta comportamental
do ela, quando existe essa dificul-          le Vecchi.                                possa resgatar a sensação de alto-            Buscar o autoconhecimen-
dade de aceitação, ela é a princi-               Tanta energia em baixa, des-          astral, um exemplo dado pela tera-                                                neurolinguista
                                                                                                                                 to, conhecer-se melhor, é um
pal responsável pelo distancia-              truindo e minando cada vez mais           peuta psicocorporal Vamilsa é de          dos caminhos para resgatar e            CONSEQUÊNCIAS DA
mento de pensamentos positivos               a autoconfiança, não poderia ter          uma pessoa ansiosa. Ao identifi-          manter o alto-astral como de-           SUPERVALORIZAÇÃO
e da tranquilidade.                          boas consequências. Falta de dis-         car que ela está ansiosa e agitada,                                               DE PROBLEMAS
                                                                                                                                 ve ser. Para a psicoterapeuta
    Esse baixo-astral pode estar             posição física, fibromialgias, gas-       as ferramentas para ajudá-la po-          Marcelle, falta querer se supe-             Desejos e limites
aliado ainda a situações do coti-            trites, queda da resistência              dem estar em exercícios físicos e         rar e focar nas qualidades,             pessoais desrespeitados
diano, as quais são vistas como              imunológica, tristeza aguda, enxa-        atividades agradáveis e atrativos         mentalizar as conquistar e va-
impossíveis de serem resolvidas.             quecas, ansiedade, problemas no           que geram o relaxamento.                  lorizar tudo de bom já realiza-               Falta de disposição
O sentimento é produzido por                 fígado, sono comprometido e de-               A atividade escolhida, no en-         do. “Hoje em dia, há uma                física
uma sensação de impotência,                  pressão são algumas delas.                tanto, não pode ser oposta à perso-       supervalorização dos proble-                Insônia, ansiedade,
uma incapacidade de solucionar                   Esses problemas desencadea-           nalidade e gosto da pessoa. Se is-        mas e uma minimização das               depressão e tristeza
dificuldades de forma tranquila e            dos são mais intensos se a insatis-       so acontecer por simples indica-          conquistas”, diz.
também pela falta de objetivos               fação não for repentina por al-           ção de quem está à volta, a ansie-            Aceitar-se mais – os defei-               Enxaquecas, gastrites
claros de vida.                              gum motivo (ou motivos) especí-           dade em excesso citada não será           tos, as limitações, a aparência,        e fibromialgias
    O abandono dos desejos pes-              fico(s). Quando identificados e           solucionada.                              os erros, os acertos, os desejos –            Diminuição da
soais, gostos, desrespeito aos limi-         cuidados, os conflitos internos               “ É preciso escolher pelo pra-        e cobrar menos de si (e dos ou-         resistência contra infecções
tes são outras características.              que comprometem o alto astral             zer. Pode ser dançar, caminhar,           tros) colabora para encontrar a
“Simplesmente acreditam que                  podem ser resolvidos, mas somen-          correr, fazer yoga ou pilates,            maturidade, e ela ampliará a vi-             Perda de foco e
não são importantes. Pensam que              te quando o insatisfeito não é crô-       participar de um grupo de filo-           são de como se sentir e se man-         objetivos I
têm de satisfazer só os outros e se          nico, pois, nesse caso, o indivíduo       sofia ou religião. Só assim senti-        ter bem e feliz.
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 / 13

Vera Paráboli Milanesi
                           Psicóloga
          Edvaldo Santos




                             Navegar é preciso
                             Lance-se em busca do amor, do autoconhecimento,
                             e encontre beleza na imprevisibilidade da vida

                                                                                                                                                                       www.sxc.hu/Divulgação

                                 Bastante conhecidos são os
                             versos: “Navegar é preciso. Vi-
                             ver não é preciso”. Utilizados
                             até em um fado bastante popu-
                             lar por terras portuguesas, nos
                             remetem a uma questão funda-
                             mental na vida: sua impreci-
                             são. Tais versos nos mostram
                             que, numa atividade em que os
                             homens se lançam ao mar den-
                             tro de embarcações falíveis, a
                             navegação necessita de muito
                             cálculo para não resultar em
                             acidentes. O equivalente a isso
                             hoje, além das viagens maríti-
                             mas, é a navegação aérea, extre-
                             ma e delicadamente dependen-
                             te de mapas, cálculos, previsões
                             milimétricas, para que tudo re-
                             sulte em sucesso. Em compen-
                             sação, “viver não é preciso”. A
                             imprecisão da vida se opõe,
                             aqui, à precisão do ato de nave-
                             gar, pois por mais que nos esfor-
                             cemos para traçar planos e me-
                             tas, por mais que queiramos ser     câncer raro, que a leva depois      sustadoramente imprecisa e im-              dade da vida a beleza de sem-
                             racionais e objetivos, sempre       de um ano e meio de sofrimen-       previsível, “navegar é preciso”,            pre; navegar em direção àquilo
                             surgem oponentes, sejam inter-      to. Para não parecer pessimis-      lendo aqui “navegar” como lan-              que não passa. E o que, nessa vi-
                             nos, sejam externos.                ta, também posso lembrar aqui       çar-se. Lançar-se ao mar, às ve-            da efêmera, não passa? Com cer-
                                 A jovem namora há três          as surpresas agradáveis da vi-      zes calmo, outras agitado (tal-             teza o amor, que sempre nos le-
                             anos aquele que considera seu       da: alguém, em algum lugar, ga-     vez na maior parte delas); lan-             va a mares nunca antes navega-
                             príncipe encantado, planejam        nha na loteria; um amigo queri-     çar-se em busca de um sentido               dos. Amor fraterno, amor sen-
                             casar-se no final do ano e, num     do, que mora longe e que não        maior para essa “navegação”;                sual, amor místico...Seja qual
                             belo dia de primavera, o prínci-    vemos há anos, telefona-nos         lançar-se em busca de si mes-               for sua forma, o amor, esse sim,
                             pe vira sapo e, destruindo to-      em plena manhã de domingo;          mo e do outro; lançar-se em                 por mais impreciso que seja, po-
                             dos os sonhos dela, termina o       nossa música preferida tocan-       busca do amor. Por isso, quan-              de nos proteger da imprevisibi-
                             noivado. O galã de TV faz su-       do na rádio que sintonizamos        do nos lançamos assim, o ato                lidade, pois nos lança na essên-
                                                                                                     de viver, além de ser impreciso,            cia do Eterno. Então, que seja
                             cesso no palco e na telinha,        logo na segunda-feira de ma-
                                                                                                     passa a ser quase “desnecessá-              para hoje, que venha esse
                             mas uma febre insistente faz        nhã, quando estamos com aque-       rio”, no sentido de não estar-              amor, na forma que puder-
                             sua vida mudar de rumo e o          la preguicinha de começar o         mos querendo salvar a nossa vi-             mos acolhê-lho, pois amanhã
                             prende a um rigoroso tratamen-      dia...Esses poucos e talvez po-     da ou a nossa pele, no sentido              pode ser tarde demais. Os
                             to contra o câncer, que o obriga    bres exemplos estão aqui ape-       de não colocarmos sempre a                  abraços a serem dados podem
                             a cancelar compromissos, aban-      nas para estimulá-lo(a) a pen-      nossa vontade acima de todas                não mais encontrar os outros
                             donar por um tempo suas ativi-      sar sobre tantas e tantas surpre-   as coisas, no sentido de “perder            braços; nosso pedido de des-
                             dades e dedicar-se totalmente à     sas que temos ao longo da vida.     a vida para salvá-la”, como pre-            culpas pode não mais fazer
                             sua saúde. O jovem casal inves-         E justamente por elas, as       gou Jesus Cristo.                           sentido; nosso gesto de ami-
                             te toda a sua energia e carinho     surpresas, chegamos a um ou-            “Navegar é preciso, viver               zade pode se mostrar inútil.
                             em uma linda filhinha de 4 me-      tro sentido que podemos ver         não é preciso”, canta o poeta.              Hoje, e não amanhã, pois
                             ses que, de repente, é diagnosti-   nos versos citados no início do     Canta e nos convida a buscar,               “Navegar é preciso; viver
                             cada como portadora de um           texto: se a vida é assim tão as-    na imprecisão e imprevisibili-              não é preciso”... I
TV -   14 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

   Perfil




ARTE DO EQUILÍBRIO
No ar em “Lado a Lado”, Lázaro Ramos concilia a visibilidade da tevê com trabalhos mais conceituais
                                                                                                                                 Luiza Dantas/Divulgação
TV Press
                                                                                                                                                                              Instantâneas
    Lázaro Ramos transita com fa-
cilidade pelos lados alternativos e                                                                                                                                                Por sua atuação como
comerciais da profissão de ator. Is-                                                                                                                                          o anti-herói Foguinho, de
to fica evidente ao analisar seus                                                                                                                                             “Cobras e Lagartos”,
                                                                                                                                                                              Lázaro Ramos foi indicado
trabalhos mais recentes, como a                                                                                                                                               ao Emmy – prêmio
atual novela das seis, “Lado a La-                                                                                                                                            promovido pela Academia
do”, e o longa independente                                                                                                                                                   Internacional de Artes &
“Amanhã Nunca Mais”, de Ta-                                                                                                                                                   Ciências Televisivas –,
deu Jungle. Satisfeito com a liber-                                                                                                                                           em 2007
dade artística que conquistou ao
                                                                                                                                                                                   No longa “Ó Paí, Ó”,
longo de sua trajetória, ele acredi-                                                                                                                                          de Monique Gardenberg, o
ta que foram os personagens que                                                                                                                                               ator empresta sua voz para
recusou que definiram o ator que                                                                                                                                              músicas conhecidas do
é hoje. E entrega que, antes de                                                                                                                                               cancioneiro baiano como
acertar sua participação em al-                                                                                                                                               “É D’Oxum”, “Protesto do
gum projeto, recorre ao mesmo                                                                                                                              Lázaro Ramos       Olodum” e “Vem Meu
critério do início da carreira,                                                                                                                            encara seu         Amor”
quando era integrante do Bando                                                                                                                             primeiro
                                                                                                                                                           folhetim de             Assim como em
de Teatro Olodum. “Preciso me                                                                                                                                                 “Insensato Coração”, em
emocionar ao ler o texto. Além                                                                                                                             época na pele      “Lado a Lado”, Lázaro volta
disso, ter uma equipe integrada.                                                                                                                           do barbeiro        a fazer par romântico com
Meu trabalho só funciona porque                                                                                                                            Zé Maria           Camila Pitanga. “Por ser
tenho a ajuda de uma série de pes-                                                                                                                                            uma novela de época, não
soas nos bastidores”, justifica o                                                                                                                                             me preocupo em me
                                                Outro ponto importante da                Teatro Olodum. Nossas peças            favor das igualdades raciais, exibe           repetir. São personagens e
ator, que encontrou os dois quesi-                                                                                                                                            histórias distintas”, avalia
tos em “Lado a Lado”. Porém,                composição de Zé Maria é que,                sempre buscavam a origem desse         uma faceta machista em relação à
mesmo encantado com o projeto               além de barbeiro, o personagem é             Brasil que estamos vivendo ago-        sua amada Isabel, de Camila Pi-
da novela, ele demorou a aceitar o          um exímio capoeirista. Não é a               ra. Por isso, a identificação com      tanga. “Zé Maria não admite que
convite para viver o simpático              primeira vez que Lázaro precisa              meu personagem e com o contex-         a mulher seja mais bem-sucedida
barbeiro Zé Maria. “Tevê é uma              utilizar os passos da capoeira para          to foi forte”, valoriza.               que ele. Não chega a ter um des-           to teatral 12 anos depois da pri-
força-tarefa, que dura, no míni-            um papel. Ele teve algumas aulas                 Depois de sair do grupo tea-       vio de caráter, mas também não é           meira montagem, agora no Rio
mo, um ano. Tive de parar com               para dar vida ao personagem-títu-            tral, Lázaro foi para Recife traba-    um mocinho politicamente corre-            de Janeiro. “É uma peça sobre
os outros projetos que estava de-           lo de “Madame Satã” – premiado               lhar com o diretor João Falcão na      to”, analisa.                              autoestima. Estou feliz com es-
senvolvendo. Afinal, ainda prezo            longa-metragem de 2002, dirigi-              peça “A Máquina”, de 2000. Ao                                                     sa remontagem. Atualizei a his-
muito pela minha vida pessoal”,             do por Karim Aïnouz –, mas pre-              mesmo tempo, entrava com força             De todas as maneiras                   tória e foi como voltar no tem-
conta, aos risos.                           cisou voltar aos treinos para enca-          no disputado circuito de cinema                                                   po”, emociona-se.
    Em seu primeiro folhetim de             rar as inúmeras cenas de ação do             nacional, com papéis importan-             Atuar é a prioridade de Láza-              Entre tantos trabalhos parale-
época, o ator fala com entusiasmo           folhetim. “Não é só lutar, tem to-           tes em filmes como “Carandiru”,        ro Ramos. Mas ele também gosta             los, “Espelho”, programa que
sobre as aulas de História e o              da uma coreografia. São                      “O Homem Que Copiava” e “Ci-           de se expressar artisticamente em          apresenta no Canal Brasil, tem
workshop promovido pela Globo               sequências bem trabalhosas. Tra-             dade Baixa”, além de tímidas par-      outras frentes. Em 2005, estreou           atenção redobrada. Em sua séti-
para integrar todo o elenco à tra-          balho com um dublê, mas faço a               ticipações na tevê, nas séries “Pas-   como diretor no especial “Retra-           ma temporada, o apresentador já
ma escrita por João Ximenes Bra-            maioria das cenas”, gaba-se Láza-            tores da Noite” e “A Grande Fa-        tos Brasileiros”, do Canal Brasil.         recebeu nomes como Wagner
ga e Claudia Lage, ambientada               ro, que desde julho, tem o auxílio           mília”. A estreia em novelas foi       No filme e na série “Ó Paí Ó”,             Moura, Nelson Motta, Elke Mara-
no Rio de Janeiro do início do sé-          dos mestres Cocoroca e Fumaça                em “Cobras & Lagartos”, de             mostrou seu lado cantor. E mais            vilha, entre outros. Na pauta está
                                            nos treinos e na concepção dos               2006, na pele do ambíguo Fogui-        recentemente, em 2010, a faceta            sempre a subjetiva relação entre a
culo 20. “A novela se passa logo
                                            movimentos.                                  nho. “Gosto de personagens que         escritor veio à tona com o lança-          arte e seu criador. “Tenho muita
depois da Abolição da Escravatu-
                                                A reflexão social sobre o                fogem do maniqueísmo. Isso enri-       mento do infantil “A Velha Senta-          curiosidade sobre meus entrevis-
ra, no momento onde o Brasil
                                            “apartheid” entre raças e classes            quece a trama e me dá mais vonta-      da”. Grande parte desta personali-         tados. E aproveito o programa pa-
queria ser a França. É uma época
                                                                                                                                                                           ra mostrar as minhas opiniões.
que ainda não tinha sido aborda-            sociais aproximam Lázaro da tra-             de de fazer tevê”, avalia. Outro       dade múltipla do baiano é reflexo
                                                                                                                                                                           Sem a roupa de nenhum persona-
da pela teledramaturgia”, desta-            ma. Baiano, negro e ator, ele traça          personagem controverso foi o           do trabalho de Lázaro no Bando
                                                                                                                                                                           gem, é onde sei que estou dando a
ca o ator, que empolgado com o              um paralelo entre a história de              conquistador André, de “Insensa-       de Teatro Olodum, onde além de
                                                                                                                                                                           minha cara a tapa”, filosofa. I
contexto de “Lado a Lado”,                  “Lado a Lado” com a origem de                to Coração”. Na mesma linha, o         atuar, também chegou a escrever
contratou um professor particu-             seu interesse pelas artes cênicas.           ator também enxerga contradi-          algumas peças. Uma em especial,            ”Lado a Lado” – Globo – de
lar de História.                            “Fiquei nove anos no Bando de                ções em Zé Maria, que mesmo à          “As Paparutas”, volta ao circui-           segunda a sábado, às 18:10 h.
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 / 15 - TV

   Zapping
          TV Press
                                   Jorge Rodrigues Jorge/Divulgação

                                                                      vou a nova temporada de “Mandrake”, da HBO, que ainda
                                                                      não tem previsão de ir ao ar. Marcos Palmeira interpreta o
                                                                      astutoadvogado criminalista e personagem-título do telefil-
                                                                                                                                          Ver de novo
                                                                      me. “Mandrake”’ é dirigida por José Henrique Fonseca,               A Globo escolheu a minissérie “Som & Fúria”, exibida ori-
                                                                      da Goritzia Filmes.                                                 ginalmente em 2009, para ser apresentada como telefilme
                                                                                                                                          no fim desse ano. Fernando Meirelles, diretor do projeto,

                                                                      Velhos tempos                                                       está envolvido com as adaptações da obra. Guel Arraes e
                                                                                                                                          Jorge Furtado são os responsáveis pela escolha dos próxi-
                                                                                                                                          mos trabalhos.
                                                                      Em outubro, o Canal Viva irá gravar quatro episódios iné-
                                                                      ditos do humorístico “Sai de Baixo”. A produção foi exibi-
                                                                      da nas noites de domingo, entre 1996 e 2002, na Globo. A
                                                                      ideia seria contar com o elenco original da “sitcom”, entre
                                                                                                                                          Grande família
                                                                      eles Miguel Falabella, Marisa Orth, Aracy Balabanian,               Luma Costa será Odete Roitman em “Pé na Cova”, novo
                                                                      Luís Gustavo, Márcia Cabrita, Claudia Rodrigues, Tom                “sitcom” da Globo. Na trama, ela será filha de Genivan e
                                                                      Cavalcante e Cláudia Jimenez. Mas, Claudia Rodrigues e              Darlene, interpretados por Miguel Falabella e Marília Pê-
                                                                      Cláudia Jimenez estão com a saúde debilitada. Já Tom Ca-            ra, e seu par romântico será Cristiane, mais conhecida co-
                                                                      valcante, que recentemente deixou a Record, ainda não de-
Ritmo de                                                              cidiu se aceita participar do projeto. As gravações devem
                                                                      acontecer em outubro, com roteiro de Miguel Falabella e
                                                                                                                                          mo Tamanco, de Mart’nália. A produção contará a história
                                                                                                                                          de um coveiro que vive com sua família em uma funerária
                                                                                                                                          localizada no bairro de Irajá, na zona norte do Rio. O pro-
participações                                                         direção de Dennis Carvalho.                                         grama está em fase de pré-produção e tem estreia prevista
                                                                                                                                          para janeiro de 2013.
Victor Fasano não disfarça o entusiasmo. No momento, o                Juntos novamente
ator e apresentador está envolvido com as gravações da no-
vela “Balacobaco”, da Record, que estreia em outubro. “Vi-            José Loreto e Débora Nascimento, o Darkson e a Tessália
                                                                                                                                          Suspense
vo o Nestor, um cinquentão ‘bon-vivant’ que é casado com              de “Avenida Brasil”, voltam a contracenar depois que a no-
uma mulher muito mais nova”,avisa ele, referindo-se à mo-                                                                                 Entre os dias 28 de outubro e 4 de novembro, o A&E exibe
                                                                      vela das nove da Globo chegar ao fim. A dupla está reserva-         a minissérie “Coma”. Com produção dos irmãos Ridley e
cinha Isabel, de Juliana Silveira. Na trama, Nestor é um ho-          da para “O Caribe É Aqui”, título provisório da substituta
mem realizado pessoal e profissionalmente. Mas a morte                                                                                    Tony Scott, recentemente falecido, a trama conta a história
                                                                      de “Lado a Lado”. Além deles, estarão na produção Grazi
dopersonagem é necessária para o desenvolvimento da his-                                                                                  da doutora Wheeler, vivida por Lauren Ambrose, que es-
                                                                      Massafera, Henri Castelli e Bruno Gissoni. A trama é escri-
tória. “Ele deve morrer por volta do capítulo 15. Aí come-                                                                                tranha a enorme frequência de pacientes em coma no hos-
                                                                      ta por Walther Negrão. As gravações começam em novem-
çam tramas paralelas e a disputa pela herança. Essas coisas                                                                               pital em que trabalha. Para investigar os casos, a jovem mé-
                                                                      bro e a estreia está prevista para maio de 2013.
de novela”, explica. Além dessa participação, Victor tem                                                                                  dica conta com a ajuda do doutor Bellows, de Steven Pas-
outros projetos em vista. Um deles é a nova temporada do                                                                                  quale.A obra é uma adaptação do livro homônimodo escri-
reality show “Amazônia”, que não deve ser retomado ain-
da este ano.
                                                                      Casa nova                                                           tor americano Robin Cook.

                                                                      Carlos Lombardi é o novo contratado da Record. Depois
                                                                                                                                          Homem sério
Para brasileiro ver                                                   de 31 anos na Globo, o autor de produções como “Perigo-
                                                                      sas Peruas”, “Quatro Por Quatro”, “Vira Lata”, “Uga
                                                                                                                                          Marcos Caruso está se dividindo entre as gravações de
                                                                      Uga”, “Kubanacan” e “Pé na Jaca”, entre outras, é o mais
Entre os dias 17 e 27 de setembro, o canal BBC World                  recente reforço da Record na teledramaturgia. Por enquan-           “Avenida Brasil” e seu próximo trabalho na tevê. Recente-
News estreia uma programação especial sobre o Brasil. A               to, a emissora ainda estuda quais serão os próximos planos          mente, começaram as leituras de “O Canto da Sereia”, no-
“Brazil Direct” é uma franquia da série “Direct”, que foca            parao autor. Aúnica certeza é que ele não ficará muito tem-         va minissérie da Globo. Na produção, Caruso interpretará
em um país por mês – já abordaram Índia, Indonésia, Polô-             po fora do ar. O diretor Alexandre Avancini foi designado           JB, um governador cheio de cerimônias, bem diferente do
nia, Canadá e Tailândia. Os destaques da grade ficam com              para cuidar da primeira novela de Lombardi na emissora.             despachado Leleco da novela das nove. A produção irá ao
“Working Lives – Rio de Janeiro”, que fala sobre a vida de                                                                                ar em janeiro de 2013.
seis pessoas moradoras da cidade. O “One Square Mile –
Três Fronteiras” mostra a cidade de Três Fronteiras, na
Amazônia, onde é possível tomar café da manhã, almoçar e
                                                                      Universo redondo                                                    Cheia de graça
jantar em três países diferentes: Brasil, Colômbia e Peru. O          A Band adquiriu os direitos de transmissão da Copa do
“Click” investiga como a internet está sendo introduzida              Mundo de Clubes da FIFA Japão 2012. O evento acontece-              Maria Clara Gueiros novamente interpreta uma
em diversas áreas amazônicas. Já o programa “Talking Mo-              rá entre os dias 6 e 16 de dezembro. Além disso, a emissora         personagem com veia cômica em novelas. No ar
vies” traça um panorama paraconhecer os mais recentes fil-            também possui os direitos da transmissão da Copa do                 em “Lado a Lado”, a atriz vive a camareira Neu-
mes brasileiros e seus artistas e diretores. O “Fasttrack”            Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016.                               sinha, uma vilã engraçada que sonha em se tor-
analisa o equilíbrio entre o ecoturismo brasileiro e como o                                                                               nar a estrela da companhia de teatro onde traba-
país faz para atrair novos visitantes neste campo. Por últi-                                                                              lha. “E ela vai conseguir”, adianta. Para compor
mo, o “BBC World News America”, principal programa
de notícias da BBC, desembarca em São Paulo para uma
                                                                      Mais palhaçada                                                      a personagem, a atriz assistiu novamente ao fil-
                                                                                                                                          me “A Malvada”, com as atrizes Bette Davis e
edição especial na cidade.                                            Aproximadamente 21 anos depois, o SBT deve começar                  Anne Baxter. “É mais ou menos a mesma histó-
                                                                      em breve a pré-produção do novo programa “Bozo”, que                ria”, conta, referindo-se ao longa dirigido por
                                                                                                                                          Joseph L. Mankiewicz, que trata da relação de
Na expectativa                                                        originalmente foi ao ar de 1981 a 1991. Por enquanto, a in-
                                                                      certeza fica em relação ao dia e horário de apresentação e a
                                                                      estreia da produção. Havia uma expectativa para que o lan-
                                                                                                                                          uma atriz de sucesso, que está envelhecendo, e
                                                                                                                                          de sua fã, que se infiltra na vida da diva
Distante dos estúdios desde “O Astro”, da Globo, Carolina             çamento acontecesse no Dia das Crianças, 12 de outubro.             hollywoodiana, ameaçando as suas relações pes-
Chalita volta ao ar em breve. Em janeiro de 2012, ela gra-            Mas essa ideia foi descartada.                                      soais e profissionais. I
TV -   16 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

   Entrevista




NA CRISTA DA ONDA
Leona Cavalli aproveita os frutos de sua atuação como a antagonista Zarolha, de “Gabriela”
                                                                                                          Jorge Rodrigues Jorge/Divulgação
TV Press                                    fã da Dina Sfat, que interpretou a
                                            Zarolha na primeira adaptação
     Leona Cavalli é só sorrisos na         para a tevê. E ela trabalhou no
hora de conversar a respeito de             Teatro Oficina, onde também
seu atual momento profissional.             atuei. O convite para a novela já ti-
Sucesso de público e crítica na pe-         nha me deixado animada, mas ser
le da prostituta Zarolha, de “Ga-           paraessa personagem foi umamoti-
briela”, a atriz conseguiu garantir         vação a mais. Esse papel é realmen-
sua volta à trama na adaptação do           te completo, cheio de detalhes. É
clássico de Jorge Amado, escrita            uma prostituta, mas tem sua devo-
por Walcyr Carrasco. E também               ção, mistura drama e comédia,
vem angariando torcedores por               uma série de fatores fazem ela ser
um final que, na teoria, parecia            uma personagem bem bacana.
impossível para sua personagem.                 Pergunta – A decisão de
“Muita gente me diz que quer ela            trazê-la de volta à trama sur-
e o Nacib juntos. Eu sei que o des-         preendeu você?
fecho do livro é outro, mas como                Leona – Sim. Sempre faço
minha personagem teve sua traje-            com a maior entrega, mas nunca
tória alterada, tudo pode aconte-           sei o que vão achar do meu traba-
cer”, fantasia ela, referindo-se ao         lho. E as pessoas estão gostando
turco vivido por Humberto Mar-              de diversas maneiras. São públi-
tins no folhetim. A atriz ainda co-         cos diferentes. Falo de jovens, pes-
lhe outros frutos por conta da per-         soas mais velhas, homens, mulhe-
sonagem, que foi defendida por              res, ou seja, não é um grupo espe-
Dina Sfat na primeira versão da             cífico. E assim que começou a tra-
novela. Ela assinou com a “Play-            ma, me falavam muito que ela de-
boy” e, às vésperas de completar            veria terminar com o Nacib. Ape-
43 anos, já fez as fotos para a revis-      sar de saberem que, no livro, o fi-
ta. Seu ensaio será publicado pro-          nal não é esse. O engraçado é que
vavelmente na edição de outu-               não só as pessoas que não conhe-
bro, mês em que “Gabriela” sai              ciam a história original, mas
do ar. “Achei que tinha a ver com           também as que já tinham lido
a personagem, por isso aceitei. E,          ou visto a primeira novela e sa-
é claro, foi uma proposta excelen-          biam que, na teoria, não é isso
te”, admite.                                que acontece.
     Pergunta – Você partici-                   Pergunta – Você acredita
pou dos primeiros capítulos                 em um final feliz entre Nacib e
de “Gabriela” e, conforme o li-             Zarolha?
vro de Jorge Amado, deixou a                    Leona – Não sei. Isso só o
história. Agora, já no meio do              Walcyr pode responder. Torço
projeto, sua personagem vol-                para que a personagem tenha
tou. Já sabia desde o início                uma trajetória feliz, mas que po-
que seria assim?                            de ser de outra maneira. Não con-
     Leona Cavalli – O Maurinho             versei sobre o final e não tenho
(Mauro Mendonça Filho, diretor-             ideia porque não tem no livro. Is-           O papel de Leona
                                                                                         O papel de Leona
geral) e o Walcyr chegaram a fa-            so tem me instigado demais.                  Cavalli em “Gabriela”
                                                                                         Cavalli em “Gabriela”
lar alguma coisa sobre a possibili-         Acho que esse é um barato da no-             agradou ao público,
                                                                                         agradou ao público,
dade de a Zarolha voltar. Mas eu            vela. No cinema e no teatro você             que torce para ela
                                                                                         que torce para ela
não sabia se aconteceria. E nem             sabe tudo, já conhece as emoções             ficar com Nacib,
                                                                                         ficar com Nacib,
quando poderia ser. Para mim,               pelas quais seu personagem vai               personagem de
                                                                                         personagem de
foi uma grande surpresa. A Zaro-            passar.                                      Humberto Martins
                                                                                         Humberto Martins
lha tem cenas que são fortes, emo-              Pergunta – Nessa volta,
cionantes. É um papel que me dá             Zarolha assume definitiva-
muito prazer de fazer. Desde o              mente o posto de antagonista
início, senti que seria especial.           de “Gabriela”. Depois desses
     Pergunta – Por quê?                    capítulos distante, foi compli-
     Leona – Eu sempre fui muito            cado encontrar esse tom?
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito
O despertar do consciente direito

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bem estar 18-03-12 a cura pelo riso
Bem estar 18-03-12 a cura pelo risoBem estar 18-03-12 a cura pelo riso
Bem estar 18-03-12 a cura pelo risoFernanda Caprio
 
Bem estar autoconfiança 04-11-12
Bem estar autoconfiança  04-11-12Bem estar autoconfiança  04-11-12
Bem estar autoconfiança 04-11-12Fernanda Caprio
 
Bem estar desvalor 14-10-12
Bem estar desvalor   14-10-12Bem estar desvalor   14-10-12
Bem estar desvalor 14-10-12Fernanda Caprio
 
Bem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de contaBem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de contaFernanda Caprio
 
Folheto de filosofia
Folheto de filosofiaFolheto de filosofia
Folheto de filosofiaIsabelctx
 
Pagina 17
Pagina 17Pagina 17
Pagina 17josy145
 
Jb news informativo nr. 0315
Jb news   informativo nr. 0315Jb news   informativo nr. 0315
Jb news informativo nr. 0315JB News
 
Boletim 324 - 24/02/13
Boletim 324 - 24/02/13Boletim 324 - 24/02/13
Boletim 324 - 24/02/13stanaami
 
A marca diálogo (2)
A marca   diálogo (2)A marca   diálogo (2)
A marca diálogo (2)jasbranco
 
Jornal estacao serra alta pg 3
Jornal estacao serra alta pg 3Jornal estacao serra alta pg 3
Jornal estacao serra alta pg 3divulgasbs
 
Jb news informativo nr. 0376
Jb news   informativo nr. 0376Jb news   informativo nr. 0376
Jb news informativo nr. 0376JB News
 
Revista Bem Estar "Autoconfiança" 03/07/2011
Revista Bem Estar "Autoconfiança" 03/07/2011Revista Bem Estar "Autoconfiança" 03/07/2011
Revista Bem Estar "Autoconfiança" 03/07/2011Fernanda Caprio
 
Bem estar seja sincero 01-04-12
Bem estar seja sincero 01-04-12Bem estar seja sincero 01-04-12
Bem estar seja sincero 01-04-12Fernanda Caprio
 

Mais procurados (17)

Bem estar 18-03-12 a cura pelo riso
Bem estar 18-03-12 a cura pelo risoBem estar 18-03-12 a cura pelo riso
Bem estar 18-03-12 a cura pelo riso
 
Bem estar autoconfiança 04-11-12
Bem estar autoconfiança  04-11-12Bem estar autoconfiança  04-11-12
Bem estar autoconfiança 04-11-12
 
Bem estar desvalor 14-10-12
Bem estar desvalor   14-10-12Bem estar desvalor   14-10-12
Bem estar desvalor 14-10-12
 
Bem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de contaBem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de conta
 
Folheto de filosofia
Folheto de filosofiaFolheto de filosofia
Folheto de filosofia
 
Boletim Junho 2009 Pb
Boletim Junho 2009 PbBoletim Junho 2009 Pb
Boletim Junho 2009 Pb
 
Jornal O Mensageiro Rural IV
Jornal O Mensageiro Rural IVJornal O Mensageiro Rural IV
Jornal O Mensageiro Rural IV
 
Pagina 17
Pagina 17Pagina 17
Pagina 17
 
Boletim PG set/10 - n09
Boletim PG set/10 - n09Boletim PG set/10 - n09
Boletim PG set/10 - n09
 
Jb news informativo nr. 0315
Jb news   informativo nr. 0315Jb news   informativo nr. 0315
Jb news informativo nr. 0315
 
Boletim 324 - 24/02/13
Boletim 324 - 24/02/13Boletim 324 - 24/02/13
Boletim 324 - 24/02/13
 
A marca diálogo (2)
A marca   diálogo (2)A marca   diálogo (2)
A marca diálogo (2)
 
Jornal estacao serra alta pg 3
Jornal estacao serra alta pg 3Jornal estacao serra alta pg 3
Jornal estacao serra alta pg 3
 
Jb news informativo nr. 0376
Jb news   informativo nr. 0376Jb news   informativo nr. 0376
Jb news informativo nr. 0376
 
Revista Bem Estar "Autoconfiança" 03/07/2011
Revista Bem Estar "Autoconfiança" 03/07/2011Revista Bem Estar "Autoconfiança" 03/07/2011
Revista Bem Estar "Autoconfiança" 03/07/2011
 
Bem estar seja sincero 01-04-12
Bem estar seja sincero 01-04-12Bem estar seja sincero 01-04-12
Bem estar seja sincero 01-04-12
 
Expresso107
Expresso107Expresso107
Expresso107
 

Destaque

Destaque (6)

Apostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligiosoApostila ensinoreligioso
Apostila ensinoreligioso
 
Aulas de-ensino-religioso
Aulas de-ensino-religiosoAulas de-ensino-religioso
Aulas de-ensino-religioso
 
Cultura de paz (1)
Cultura de paz (1)Cultura de paz (1)
Cultura de paz (1)
 
Atividade ensino religioso viirtudes
Atividade ensino religioso viirtudesAtividade ensino religioso viirtudes
Atividade ensino religioso viirtudes
 
Atividades ensino religioso respeito e igualdade racial
Atividades ensino religioso respeito e igualdade racialAtividades ensino religioso respeito e igualdade racial
Atividades ensino religioso respeito e igualdade racial
 
Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
 

Semelhante a O despertar do consciente direito

Semelhante a O despertar do consciente direito (20)

Bem estar 13-05-2012
Bem estar  13-05-2012Bem estar  13-05-2012
Bem estar 13-05-2012
 
Bem estar 190812
Bem estar  190812Bem estar  190812
Bem estar 190812
 
Bem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de contaBem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de conta
 
Revista Bem Estar 12-02-12 "Pensar e Agir"
Revista Bem Estar 12-02-12 "Pensar e Agir"Revista Bem Estar 12-02-12 "Pensar e Agir"
Revista Bem Estar 12-02-12 "Pensar e Agir"
 
Bem estar 120812
Bem estar 120812Bem estar 120812
Bem estar 120812
 
Bem estar querer e poder 31 03-13
Bem estar querer e poder 31 03-13Bem estar querer e poder 31 03-13
Bem estar querer e poder 31 03-13
 
321 an 02_março_2011.ok
321 an 02_março_2011.ok321 an 02_março_2011.ok
321 an 02_março_2011.ok
 
Bem estar 26-08-12
Bem estar  26-08-12Bem estar  26-08-12
Bem estar 26-08-12
 
O mirante de santana 01
O mirante de santana 01O mirante de santana 01
O mirante de santana 01
 
Informativo 06 2012
Informativo 06   2012Informativo 06   2012
Informativo 06 2012
 
357 an 08_novembro_2011.ok
357 an 08_novembro_2011.ok357 an 08_novembro_2011.ok
357 an 08_novembro_2011.ok
 
O Educador Maio
O Educador MaioO Educador Maio
O Educador Maio
 
revista alpha nº1 - edição 2017
revista alpha nº1 - edição 2017revista alpha nº1 - edição 2017
revista alpha nº1 - edição 2017
 
Diz Jornal Edição 168
Diz Jornal Edição 168Diz Jornal Edição 168
Diz Jornal Edição 168
 
Sendo autor
Sendo autorSendo autor
Sendo autor
 
Book Planejamento @ Miami Ad School / ESPM
Book Planejamento @ Miami Ad School / ESPMBook Planejamento @ Miami Ad School / ESPM
Book Planejamento @ Miami Ad School / ESPM
 
Atritos
AtritosAtritos
Atritos
 
O Foco 154 Pdf
O Foco 154 PdfO Foco 154 Pdf
O Foco 154 Pdf
 
Atritos 1
Atritos 1Atritos 1
Atritos 1
 
Bem estar 11 11-12
Bem estar 11 11-12Bem estar 11 11-12
Bem estar 11 11-12
 

Mais de Fernanda Caprio

Artigo "Contagem de votos"
Artigo "Contagem de votos"Artigo "Contagem de votos"
Artigo "Contagem de votos"Fernanda Caprio
 
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...Fernanda Caprio
 
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...Fernanda Caprio
 
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...Fernanda Caprio
 
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016Fernanda Caprio
 
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...Fernanda Caprio
 
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016Fernanda Caprio
 
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Fernanda Caprio
 
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...Fernanda Caprio
 
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...Fernanda Caprio
 
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Fernanda Caprio
 
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...Fernanda Caprio
 
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...Fernanda Caprio
 
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...Fernanda Caprio
 
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015Fernanda Caprio
 
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...Fernanda Caprio
 
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...Fernanda Caprio
 
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...Fernanda Caprio
 
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...Fernanda Caprio
 
Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017Fernanda Caprio
 

Mais de Fernanda Caprio (20)

Artigo "Contagem de votos"
Artigo "Contagem de votos"Artigo "Contagem de votos"
Artigo "Contagem de votos"
 
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
 
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
 
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
 
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
 
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
 
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
 
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
 
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
 
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
 
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
 
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
 
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
 
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
 
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
 
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
 
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
 
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
 
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
 
Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017
 

O despertar do consciente direito

  • 1.
  • 2. 2 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Poesia Vera Paráboli DIÁRIO DA REGIÃO Sugestões Milanesi 13 Edvaldo Santos Se me dizem a palavra trigo quero possuir a lírica semente. Se me falam a palavra pedra Logo imagino o leito de uma estrada. Se a palavra polícia é-me dita Editor-chefe Sonho com a segurança da cidade. Fabrício Carareto fabricio.carareto@diarioweb.com.br Poré, se os valores vão ficando invertidos, Editora-executiva Se me dizem a palavra trigo Rita Magalhães Penso então nas mãos mais calejadas; rita.magalhaes@diarioweb.com.br Se me falam a palavra pedra Coordenação Ligia Ottoboni Logo explode a ideia de confronto; ligia.ottoboni@diarioweb.com.br E se a palavra polícia é ouvida Editor de Bem-Estar e TV Vem com berros e o gemer dos torturados. Diante da imprevisibilidade da vida, Igor Galante igor.galante@diarioweb.com.br Roberto Pontes busque a beleza das coisas que não são efêmeras, como o amor Editora de Turismo Cecília Demian cecilia.demian@diarioweb.com.br Editor de Arte Televisão Editorial 16 César A. Belisário cesar.belisario@diarioweb.com.br Diretora Superintendente Rosana Polachini rosana.polachini@diarioweb.com.br Jorge Rodrigues Jorge/Divulgação Gratidão e Pesquisa de fotos Mara Lúcia de Sousa Diagramação Cristiane Magalhães coragem Tratamento de Imagens Arthur Miglionni, Humberto Pereira e Luciana Nardelli Matérias Agência Estado Agência O Globo TV Press Perdemos tanto tempo reclamando de nossa condição que não conseguimos fazer o simples exercício de desvendar os olhos - do coração e da alma - para enxergar os presentes diários que recebemos: a saúde, o privilégio de poder acordar mais um dia, de estar ao lado de pessoas que amamos. Parece ser mais A atriz Leona Cavalli fala sobre o fácil ignorar tudo isso e maldizer a nossa existência. sucesso da personagem Zarolha, Mas, para encontrarmos beleza no caminho da vida, é da novela “Gabriela” necessário abandonar certas facilidades e julgamentos precipitados. É preciso ter a coragem de dar o valor correto às escolhas feitas e à vida que se leva. É claro Turismo que, no nosso caminhar, temos tropeços, falhas, erros. Mas é também a coragem que precisa se fazer presente nesses momentos. É ela que vai nos reerguer e permitir 24 Agência O Globo/Divulgação que sejamos capazes de assumir esses erros, transformá-los em aprendizado e seguir na trilha de uma vida nova. AGRADECIMENTO VERBO PODEROSO Reconheça tudo de bom que a As palavras exercem forte vida lhe dá influência em nossas relações Páginas 4 e 5 Páginas 10 e 11 SEXUALIDADE ALTO-ASTRAL Conversa íntima melhora o Atividades prazerosas alimentam Em Las Vegas, além dos entrosamento entre os casais a sensação de viver com alegria hotéis- cassinos fabulosos, conheça Páginas 8 e 9 Página 12 o Grand Canyon
  • 3. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 / 3 Plano evolutivo O DESPERTAR DO CONSCIENTE DIREITO Há uma região da consciência humana que favorece a penetração na realidade e a conexão com níveis abstratos da existência Temos chamado de consciente flexibilidade mental, desapego e ou- formas de viver, pela expressão da querdo, ainda proeminente na hu- direito a região da consciência hu- sadia. Pelo consciente direito ex- vontade voltada para o bem. São, to- manidade, a pessoa age com base mana que expressa faculdades su- pressam-se as energias de núcleos dos esses, indícios de uma disposi- apenas no que ela já conhece, ou se- pramentais. Enquanto o consciente profundos no nosso ser. Ele veicu- ção ao alargamento de horizontes, a ja, no raciocínio, na lógica e na de- esquerdo diz respeito à cognição la o fogo solar e, em certa propor- uma visão que transcende os limi- dução, pelo consciente direito ela por meio dos sentidos externos, às ção, o fogo cósmico, que fazem tes do individualismo. se torna capaz de operar com base maneiras óbvias de viver e à repeti- parte da nossa constituição, embo- O consciente direito manifesta- no eterno presente, e lhe são desve- ladas realidades inusitadas. ção de padrões conhecidos e de ra a maioria de nós desconheça es- se por um circuito energético que O despertar do consciente direi- idéias triviais, o consciente direito se fato. Esses fogos sutis, imate- substitui o antigo sistema de cha- to apóia-se na atitude interna da favorece profunda penetração na riais, são elementos essenciais da cras. Tal circuito está situado nos pessoa, na sua disposição para trans- realidade da vida e a transformação própria vida. O fogo material é de- corpos sutis da pessoa. São cinco os formar-se, no amor que dedica à dela conforme leis universais e cós- les pálido reflexo. seus principais vórtices: o centro ce- verdade e ao serviço evolutivo, ten- micas. O consciente direito permi- O consciente direito está sendo rebral direito, o cardíaco direito e o do como fundamentos a fé e a entre- te ao ser conectar-se com níveis abs- especialmente despertado nesta plexo cósmico (este, abaixo da últi- ga à realidade suprema. I tratos da existência, onde se reve- época de grandes transformações ma costela do lado direito do cor- lam os arquétipos das formas e as di- planetárias. Em muitos adultos de po), e dois outros centros, superio- Serviço Extraído do boletim “Sinais de Figueira” retrizes do Plano Evolutivo. hoje, e especialmente em crianças, res, chamados supraluminares, que (Irdin Editora), de Trigueirinho O consciente direito começa a já se nota esse despertar pela rapi- se encontram na aura da pessoa, aci- (www.trigueirinho.org.br). Palestras do autor desabrochar quando as forças do dez com que encontram soluções ma da cabeça. A ativação dos cen- poderão ser ouvidas, gratuitamente, no site: ego se elevam e vão se integrando para seus problemas, pela facilida- tros supraluminares, porém, diz res- www.irdin.org.br, ou no grupo de estudos, que se reúne às quintas-feiras, às 20 horas, nas energias da alma. Para isso é de com que se adaptam a diferentes peito a etapas mais avançadas do na rua Porfírio Pimentel, 55, Bom Jesus (2ª preciso adesão incondicional aos condições, pela atitude fraterna processo evolutivo. travessa acima da Av. Alberto Andaló). Mais impulsos evolutivos, persistência, com que aceitam as mais diversas Enquanto pelo consciente es- informações: dgalviolli@gmail.com Quem é José Trigueirinho Netto é filósofo espiritualista, autor de 77 livros, com cerca de 2,5 milhões de exemplares publicados até o momento, e mais de 1,7 mil palestras gravadas ao vivo
  • 4. 4 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Gratidão NOVO OLHAR É necessário livrar-se da “miopia emocional” que nos venda diante das coisas boas da vida Elen Valereto ra o inconsciente delas uma imagem boa sobre si mes- elen.valereto@diarioweb.com.br ma. No momento em que há uma crença, há a criação de uma imagem que será a minha realidade. Quanto Agradecer mais, sentir mais, viver mais. Essa é mais elas são boas, mais haverá acontecimentos uma receita simples para ter a felicidade sempre ao bons”, destaca a terapeuta emocional, Cidinha seu lado. De que adianta ter tantos desejos e sonhos se D’Agostinho, de Rio Preto. as realizações, sejam as pequenas ou as grandes, ao se- Essa satisfação depende somente dessa abordagem rem conquistadas, não recebem a devida atenção? com novos olhos – e, claro, de coração aberto –, pois Ninguém comemora, ninguém agradece, só quer ela é independente de dinheiro ou beleza. Isso impe- mais e mais. de a presença e intensidade de tristezas e inseguran- Não que seja errado ter ambições, afinal, elas ças ao fortalecer (e muito) a saúde emo- nos impulsionam, mas, quando não temos grati- cional. “Temos de ser gratos a Deus dão pela vida, tudo de maravilhoso à nossa volta pela vida que temos. Quando permanece escondido. É como se os tropeços ou di- mais eu sei que sou grato, ficuldades diários provocassem uma cegueira per- mudo meus pensa- manente ao que é belo. mentos e concei- Tudo é muito igual: o horário para acordar, para tos, sendo o tomar café da manhã, o jornal matinal, a emissora de maior bene- rádio no carro durante o mesmo caminho para o traba- ficiado”, lho. O retorno mantém um ritual também já conheci- diz Cidi- do. Quando nada muda, não há sensações diferentes, nha. muito menos a percepção de quanto importante é a vi- da. Esse é o principal erro das pessoas. Estão sempre Busca em equilíbrio tão insatisfeitas que sentem-se no direito de reclamar constantemente e, pior, acusando a vida de “ingrata”. Para que a concepção sobre gratidão seja Os problemas encontrados no dia a dia impedem possível, é importante que haja uma harmo- as pessoas de agradecer pela saúde que possuem, pela nia entre corpo, mente e espírito. A sintonia família em que cresceram e que formaram, pelo prato entre eles garante que a correria e a exigência de comida farto, pela oportunidade de estudar e con- do cotidiano não tirem o foco da busca pela felici- quistar uma posição no mercado de trabalho ou um dade, sem a inversão dos valores. concurso almejado. As pessoas são incapazes de ver is- “Se consegue colocar esse tripé do chão, em so e agradecer pelo o que têm porque só conseguem equilíbrio, há uma menor agitação e cobrança en- enxergar o que não têm. tre as pessoas que impedem que seja visto o prin- Querem tanto a mais que perdem a visão de tudo o cipal, que é a própria vida, nossas conquistas. Em que já conquistaram de gratificante na vida. É a “mio- um outro ritmo, as pessoas não sentem, não absor- pia emocional defluente do predomínio da sombra no vem o que têm ou conquistam, pois já querem comportamento do ser humano. Impede-o que veja a mais e mais, em uma busca sem parar”, destaca a harmonia existe na vida”, diz um trecho do texto terapeuta emocional. “Consciência da Gratidão”, do livro “Psicologia da Um dos problemas é o sentimento de insatisfação. Gratidão”, psicografado por Divaldo Franco. Essa sensação não é errada, mas entra em discordân- Ter gratidão é ter autoconsciência e ser humilde cia quando não há tempo e consciência para usufruir para admitir que para viver bem é preciso ficar longe ou dividir com outras pessoas o que possui. As insegu- do egoísmo, gerando em si mesmo a sensação de satis- ranças emocionais também atrapalham. “A ideia de fação, felicidade e bem-estar. É uma atitude de dentro falta na alma faz com que a gente se sinta medroso ou para fora que não pode ser sentida caso não tenha sin- inseguro. Quando há essa ansiedade, pode haver bus- ceridade naquilo que se acredita. ca no meio espiritual, material ou mesmo em uma pes- “As pessoas que são gratas mandam, sem saber, pa- soa ou parceiro”, destaca Cidinha.
  • 5. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 / 5 Saiba mais COMO SER GRATO É preciso abrir-se para mudar o pensamento Humildade é importante para reconhecer os próprios passos errados Mudar a respiração ajuda a desacelerar e a readequar o comportamento É preciso ter respeito por si, pelos demais e pela vida O QUE A GRATIDÃO ATRAI Há menos espaço para tristezas, inseguranças e depressões A consciência sobre a importância da vida muda Pequenas e grandes conquistas são aproveitadas A pressa para correr contra o tempo fica mais branda A vida torna-se melhor Fonte: Reportagem Consciência da Gratidão “O ingrato, diante do seu atraso emocional, reclama de tudo, desde os fatores climatéricos aos humanos de relacionamentos, desde os orgânicos aos emocionais, sempre com a verruma da acusação ou da autojustificação assim como do mal-estar a que se agarra em seguro mecanismo de fuga da realidade. A gratidão é a assinatura de Deus colocada na Sua obra. (...) Quando se enraíza no sentimento humano logra proporcionar harmonia interna, liberação de conflitos e saúde emocional por luzir como estrela na imensidão sideral. (...) Quando o egoísta insensatamente aponta as tragédias do cotidiano e as aberrações que assolam a sociedade somente observa o lado mau e negativo do mundo e está exumado os seus sentimentos inconscientes arquivados, vibrantes, sem a coragem de externá-los, de dar-lhes campo livre no consciente. A paz de fora inicia-se no cerne de cada ser. Também assim é a gratidão. Ao invés do anseio de recebê-la, tornar-se-lhe o doador espontâneo e curar-se de todas as mazelas, ensejando harmonia generalizada. A vida sem gratidão é estéril e vazia de significado existencial”. I Fonte: Trecho extraído do livro “Psicologia da Gratidão”, psicografado por Divaldo Franco (www.oespiritismo.com.br)
  • 6. 6 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Evolução Caminho de Os erros podem ser convertidos em ensinamentos; mas, para que isso aconteça, é aprendizado preciso abandonar a culpa e ter a coragem de encarar e assumir as falhas Gisele Bortoleto ainda vamos errar diante de adversida- nosso eu (ego criança), e tende, por is- de. Isso gera sofrimento e tentamos gisele.bortoleto@diarioweb.com.br des do dia a dia. Apesar disso, na maio- so, ser mais forte e quase inesquecível. empurrá-lo para “debaixo do tapete”, ria das famílias, organizações e cultu- Embora representem um tempero buscamos esquecer que erramos. Mui- O erro é inerente ao ser humano. ras, o erro e a culpa são virtualmente necessário para dar graça à nossa vida, tas vezes, distorcemos a situação para Isso acontece desde quando tentamos inseparáveis. A certa altura, toda tais dificuldades brindam-nos com não olhar para nossas atitudes e não se dar os primeiros passos. Também erra- criança descobre que admitir o erro constantes chamas de aprendizado, cobrar por isso, porque examinar a mos quando arriscamos andar de bici- significa pagar por ele. É por isso que pois o processo de crescimento pes- fundo nossas falhas é emocionalmen- cleta pela primeira vez, quando aceita- tão pouca gente vive a cultura de segu- soal é sem limites, até mesmo nas te desagradável e pode derrubar a au- mos um determinado emprego ou es- rança psicológica na qual seja possível crises. toestima. A maioria de nós, se pudesse colhemos um namorado (a). Enfim, colher plenamente o benefício de “Aprender com os erros é, de decidir, dedicaria pouco tempo à análi- simplesmente erramos. E não tem co- aprender com o erro. longe, a maior recompensa, pois se de erros ou simplesmente evitaria a mo fugir deles, os erros que nos perse- “Na vida, é impossível que todos aprendizagem implica mudança”, tarefa. Conclusão: não aprendemos. A guem ao longo da vida, não de propósi- os nossos planos e projetos funcionem diz Pedreira. A sabedoria oriental chave, ressalta Vânia, é ter humildade to, mas por acidente. sempre bem, do jeito que gostaríamos. nos ensina que “crise e oportunida- para admitir que demos o nosso me- Desde cedo, somos programados Todavia, convém lembrar as lições de vêm juntas”, ao grafar estes dois lhor, que caímos, mas podemos levan- para achar que errar é ruim. Essa cren- aprendidas no sentido de nos tornar- vocábulos com o mesmo ideogra- tar, fazer diferente. ça impede que possamos aprender mos vencedores, pois um evento ad- ma. Quem cresceu, prosperou ou Olhe de frente para seu erro, com os tombos levados, com os cora- verso, ou até mesmo catastrófico em fez sua independência, aproveitou aprenda com ele. Veja qual foi a ati- ções partidos. Mas você precisa ter em nossa vida, pode ser o ponto de parti- a oportunidade oferecida pela cri- tude, o pensamento e o resultado mente que a sabedoria de aprender da para algo bem melhor ou maior”, se, para, com criatividade e perseve- obtido com a tentativa. Se não gos- com o erro é indiscutível e deve, sim, diz o médico e psicanalista Antonio rança, sair dela ileso, beneficiado e ain- tou do resultado, anote na agenda ser aplicada em todos os momentos da Pedreira, professor da Universidade da enriquecido pelo aprendizado que como “aprendizado”. Tenha em nossa vida. Federal da Bahia e autor de livros co- teve na situação crítica ou adversa. mente que, se quiser outro resulta- Podemos aprender com o erros da mo “A Hora e a Vez da Competência “Temos experiência de que as ten- do, será preciso fazer diferente da mesma forma que você, quando crian- Emocional” (ed. Casa da Qualidade). tativas exigem sempre algo novo para próxima vez. “Sem humildade, eu ça, caiu, na primeira vez que tentou A verdade é que aprendemos a vi- alcançar um resultado e o erro é ape- não assumo meu erro, não me per- andar, mas viu que era possível fazer ver mediante conceitos: pensados, sen- nas o resultado diferente daquilo que mito olhar para minha ação e acei- diferente para que desse tudo certo. tidos e ensinados - aquilo que se apren- esperamos”, diz a terapeuta holística tar que estou em fase de experiên- Primeiramente, cometemos erros de sofrendo, na pele, converte-se em Vânia Medeiros. Precisamos aprender cia, porque a vida é uma fase de ex- devido à nossa condição humana: so- um conceito, sentido de vida, que fica a não ser tão críticos com o erro e não periência”, diz Vânia Medeiros. mos falíveis e imperfeitos. Erramos e gravado na parte mais primitiva do encará-lo como forma de incapacida- “Há uma frase de Platão, um
  • 7. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 / 7 O que eles dizem sobre o tema Aprenda com os deslizes Desesperar jamais. Se estiver para encontrar os caminhos de “Se você quer os acertos, esteja preparado “Não corrigir nossas falhas é o mesmo para entrar em desespero diante da reconstrução para os erros.” (Carl Yastrzemski) que cometer novos erros.” (Confúcio) adversidade, devido a um erro Pare de se torturar, no auge da cometido, pare e reflita: quantas adversidade, remoendo aqueles erros “Passei a vida tentando corrigir os erros “Sábio é o ser humano que tem coragem de ir diante do espelho da sua alma para vezes hoje você ri da insignificância que cometeu e que não dá para você que cometi na minha ânsia de acertar. Ao tentar de alguns problemas que tanto lhe reconhecer seus erros e fracassos e utilizá-los corrigir agora. Porém, lembre-se de corrigir um erro, eu cometia outro. Sou uma perturbaram no passado e que para plantar as mais belas sementes no terreno corrigi-los no momento certo culpada inocente.” (Clarice Lispector) de sua inteligência.” (Augusto Cury) pareciam aniquilar qualquer chance de voltar a sorrir ou de ser feliz de É certo que nem sempre “Jamais haverá ano novo, se continuar a “Assumir nossos erros exige muita podemos voltar atrás e reparar o mal novo? copiar os erros dos anos velhos.” (Luís de coragem em um mundo que parece feito de feito, o erro, a falha, o deslize. Camões) pessoas que sempre ganham todas. Assumir Quando tudo parece desmoronar, Todavia, cabe a cada um usar esta nossa ignorância exige muita humildade nesse experimente parar e fantasiar um experiência de vida para uma possível “A experiência é o nome que damos aos mundo de quem sabe tudo.” (Roberto pouco com a vida que você gostaria existência mais plena e feliz I nossos erros.” (Oscar Wilde) Shinyashiki) de ter. Logo, você vislumbrará opções para superar as adversidades e/ou Fonte: Antonio Pedreira, psicoterapeuta grande filósofo, que diz que ‘apren- der é mudar posturas´. O ser huma- no é feito de escolhas e nem sempre são as mais sensatas, todavia, diante de uma situação e momento da vida aquela é a escolha certa”, diz a psicó- loga clínica Luciana Nazar Ramone- da, autora do livro “A Arte e o Amor no Contexto” (ed. Inteligência 3). Fazer uma reflexão quanto a nossa postura de vida, pensamento, ações, mudança de atitudes e hábitos é um bom começo para quem deseja uma vida mais plena e com bom senso. O que é preciso para reparar esses er- ros? Diante de fatos e acontecimen- tos é sempre bom se perguntar: será que essa escolha será boa na minha vida? E também colocar em evidên- cia os ganhos e perdas que essa esco- lha irá proporcionar. Na verdade, alegam os especialis- tas, uma compreensão sofisticada das causas e do contexto de erros nos ajudará a evitar o jogo da culpa e a instituir uma estratégia eficaz para que possamos aprender com eles. De- vemos reconhecer que eles são inevitá- veis. A chave é: quem de nós detectar, corrigir e aprender com o erro antes dos demais irá triunfar. Quem ficar mergu- lhado no jogo da culpa, não.
  • 8. 8 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Vida a dois PAPO DE TRAVESSEIRO Boas e claras conversas sobre as preferências sexuais geram relações mais prazerosas Gisele Bortoleto tam ou não na hora do sexo. E tro Universitário Salesiano se expressar quando o assunto casal acaba evitando o assunto gisele.bortoleto@diarioweb.com.br os especialistas são unânimes: (Unisal) e profissional que mi- é sexo. Isso porque, até a déca- para evitar brigas”, diz a psicó- é preciso falar. nistra aulas nos cursos de sexua- da de 1960, com a entrada da pí- loga e terapeuta sexual Márcia Pode parecer bobagem, mas O projeto Afrodite, centro lidade da Faculdade de Medici- lula anticoncepcional, o sexo Atik. E a verdadeira intimida- um beijo na orelha, que tem si- de atendimento às mulheres na de São José do Rio Preto (Fa- era um assunto sobre o qual ela de de um casal consiste em fa- do repetido ao longo de déca- com disfunções sexuais da Uni- merp). A relação sexual é uma não falava porque ficava malvis- lar com o outro como se você es- das, pode colocar uma relação a versidade Federal de São Paulo negociação de autonomia. Nas- ta quando se interessava de- tivesse falando com você mes- perder, assim como uma mão (Unifesp), após a realização de ce no nosso corpo. Isso signifi- mais pelo assunto. “As mulhe- mo. “Os casais precisam apren- errada na hora errada. Na ver- uma pesquisa, concluiu que as ca que, quando estamos com o res têm menos autonomia se- der a falar disto”, diz. Geral- dade, no misterioso mundo do pessoas com baixa autoestima (a) parceiro(a), é preciso nego- xual que o homem por ques- mente, um dos parceiros con- sexo, pequenas coisas não dis- são as com maior dificuldade ciar nossos gostos e fantasias. tões como a repressão sexual fe- corda em fazer o que o outro cutidas podem se acumular e em falar de sexo e também as “São duas pessoas com autono- minina, que foi muito forte du- quer e não o que o excita. E is- provocar uma crise. A maioria mais insatisfeitas sexualmente. mias distintas, com ritmos e rante séculos, a falta de uma so, ao longo do tempo vai irri- dos problemas sexuais que ator- E, quanto maior a autoestima, fantasias diferentes. Por isso, é educação sexual clara e até mes- tando, até que chega o dia em menta os casais começa quan- melhor o desempenho sexual. muito importante que possam mo por questões sociais”, diz que ele não suporta mais essa si- do pequenos detalhes, que po- E quanto maior a autoestima, se comunicar ao longo das rela- Ana Canosa. Hoje, por mais tuação. Muitas vezes, o problema deriam ser resolvidos sem dra- segundo Maria Cláudia Lor- ções sobre o que gostam e espe- que o jovem faça sexo sem ocorre porque o (a) parceiro (a) ma, acumulam-se, garantem os dello, coordenadora do projeto, ram para que essa relação se- compromisso, para alguns resolve falar sobre o assunto especialistas. mais elas dão valor às prelimi- xual possa ser prazerosa para grupos ainda é difícil aceitar no momento de crise, raiva ou Nada substitui a boa e velha nares. Um estudo feito pela ambos envolvidos”, explica. que a mulher faça sexo ape- insatisfação aguda. “O ideal é conversinha. Os norte-america- Universidade de Michigan, Quando não falamos e nos nas por prazer. Isso mostra que converse em um momen- nos têm até um termo para is- nos Estados Unidos, mostrou submetemos só à autonomia ainda preconceito em admi- to de relaxamento, o que é di- so, é o “pillow talk” ou conver- que o tempo que o casal conver- do outro, a possibilidade de tir que a mulher possa ter pra- ferente da antiga fórmula de sa de travesseiro. Isso mesmo, sa depois do sexo é tão impor- prazer é menor do que daque- zer na relação sexual e que ‘discutir relação’”, comple- aquela conversinha em que um tante quando as preliminares. le mantém sua autonomia e di- ela é dona do seu próprio cor- menta Márcia. casal acaba conseguindo falar “Muitos problemas sexuais ta ritmo da relação. Pode pare- po, seja em uma relação even- Os especialistas alertam sobre suas preferências. Apesar dos casais são relacionados à fal- cer simples? Não é. O reflexo tual ou de parceria conjugal. que abordar o assunto com o de parecer simples, os ta de comunicação sobre o que disso pode ser uma disputa “Essa dificuldade em se fa- parceiro não é tão embaraçoso sexólogos estão acostumados a gostam ou que não gostam”, por poder e submissão em si- lar de questões íntimas, como quanto se imagina. O incômo- ver diariamente um grande nú- diz a psicóloga clínica, Ana Ca- tuações cotidianas. desejos e insatisfações, ainda do passa rapidamente e quem mero de casais em seus consul- nosa, terapeuta sexual, coorde- Para a mulher, garantem os não é hábito entre os casais. E, consegue expressar o que quer tórios porque as pessoas não nadora do curso de pós-gradua- especialistas, é ainda mais difí- quando isso acontece, ainda pa- obtém muito mais prazer na re- costumam falar sobre o que gos- ção em educação sexual do Cen- cil adotar o lema de liberada e rece queixa ou reclamação e o lação. Aposte nisso.
  • 9. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 / 9 Lição de casa Sintonia sexual Conheça seu corpo e tenha percepção sobre suas “São muitos os fatores que “Vem de muitos séculos fantasias e desejos. Muitas mulheres, muitas vezes, não interferem nas relações entre atrás a dificuldade da mulher sabem o que desejam ou o que as excitam. Encontre os casais, mas o fator sexual é, mecanismos que permitam o conhecimento do ritmo corporal demonstrar o prazer. Mesmo realmente, importante para com a evolução feminina, ain- Fale de si para o parceiro(a) com mais frequência. Isso uma vida saudável e para satis- da algumas mulheres conti- inclui anseios não realizados até agora, o que podem fazer fação de uma relação”, diz a psi- nuam com essa dificuldade”, juntos e frustrações. O resultado pode ser mais surpreendente cóloga Beth Valentim, autora do que você imagina diz Beth. Com o temor da ava- do livro “Essa Tal Felicidade”. liação do parceiro, ela se cala e Procure conversar sempre sobre questões que Geralmente, duas pessoas não diz o que gostaria de fazer acrescentem alguma coisa ao casal e melhorem a vida. se unem e pertencem a famílias ou receber. É preciso ler sobre É preciso boa vontade para conversar e construir uma vida a diferentes e com educação, va- dois e criar o diálogo. Isso vai melhorar muito sua vida sexual o assunto, estudar, participar lores e filosofia de vida diferen- tes. Começam aí, segundo ela, de grupos de reflexão sobre es- Converse com seu parceiro(a) sem cobranças sobre o que deseja. Mas faça isso quando estiverem num momento de as divergências, porque nem ses valores e também procurar relaxamento e não de insatisfação. Isso pode incluir jogos de sempre o que um dos parceiros ajuda, se for o caso. “É evidente sedução para facilitar acha ser bom para ele é bom pa- que cada pessoa tem seus limi- ra o outro. E como esse fator, o tes e não adianta insistir. Mas Exercite. Tudo na vida é disciplina e exercício, e no sexo não é diferente. Observe em qual momento o parceiro reage de sexual, pode ser um tabu ainda, um casal pode ser muito feliz maneira diferente e aprimore-se nesse ponto entre muitos casais vê-se a frus- sexualmente mesmo sem estar tração que, com o tempo, solidi- completamente em sintonia Fonte: Ana Canosa, Beth Valentim e Márcia Atik, psicólogas fica-se. E eles não conversam nos desejos sexuais”, ressalta mais sobre o assunto. Beth Valentim. I
  • 10. 10 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Relações humanas O PODER DAS PALAVRAS O modo como falamos e expressamos nossas ideias exerce influência sobre nossas ações, relacionamentos e realidade Jéssica Reis te foi antes uma ideia, um pensamento ou jessica.reis@diarioweb.com.br um verbo na mente. “Palavras contêm men- sagens. Palavras, quando ditas, são sons, en- Uma simples palavra pronunciada ou volvem estímulo e resposta, constituem-se empregada da forma errada pode fazer um de vibrações e ondas. Ondas transmitem estrago em qualquer tipo de relação interpes- energia e informação”, afirma. soal. O poder das palavras é comprovado até O psicólogo cognitivo-comportamental por pesquisas. Um estudo realizado na Uni- Alexandre Caprio diz que as palavras redu- versidade de Hiroshima, no Japão, analisou zem o ruído da comunicação, mas não saber mulheres por meio de ressonância magnéti- organizá-las pode ser desastroso. Segundo o ca. Os pesquisadores concluíram que as mu- especialista, a maior causa de confusão e pro- blemas da humanidade é a falha na comuni- lheres com maus hábitos alimentares foram cação. “Não saber falar e não conseguir en- mais afetadas emocionalmente por comentá- tender pode criar grandes confusões.” rios desagradáveis relacionados à sua ima- Caprio explica que, para se comunicar gem corporal. com o próximo com eficiência, é preciso de- Para a psicóloga Mara Lúcia Madureira, senvolver a empatia, ou seja, a capacidade de as palavras realmente têm poder, mesmo se colocar no lugar do outro. “Precisamos quando não são pronunciadas, pois o silên- ter uma ideia do efeito de nossas palavras na cio invoca pensamento e só pensamos com mente da outra pessoa, levando em conta palavras. “Quem já tentou pensar sem pala- sua experiência de vida, cultura, profissão vras sabe. Porém, o poder não é natural das ou religião”, diz. palavras e não está na palavra em si, mas no Um exemplo, segundo o psicó- modo como são empregadas, articuladas e logo, são escritores que segmen- interpretadas. O sentido da palavra falada, tam seu público e utilizam lin- escrita, insinuada ou calada se altera confor- guagem técnica, muitas vezes indecifrável para outras pes- me as intenções dos que as utilizam e dos soas. “Saber se colocar no lugar que as decifram”, explica. do outro nos dá uma habilidade Segundo Mara, as palavras dão sentido à didática na hora de se expressar. existência, às relações e aos acontecimentos. A impressão que as pessoas têm Definem, esclarecem, confundem, enga- em relação a quem sabe usar essa nam, manifestam e inibem ideias, traduzem técnica é de que a conversa é prazero- sentimentos, motivam forças criadoras e des- sa”, complementa. trutivas, pacificam, unem, separam, cons- Para Mara, palavras pensadas ditas ou es- troem e destroem. “A entonação, critas ganham a força que o desejo humano impostação e o volume da fala, a expressão lhes imprime. Dessa forma, as palavras têm do olhar, o critério de escolha das palavras, o o poder de influenciar ações, alterar a expe- arranjo gráfico, a disposição das palavras no riência de ser e de estar no mundo, modifi- texto ou discurso, a forma como é grafada e car os sonhos e a realidade. “Não existe senti- tantos outros componentes contribuem pa- do em nada sem a percepção do observador. Nós determinamos nossos sentimentos e o ra a interpretação e definição dos sentidos tamanho de nossas realizações a partir do atribuídos às palavras.” modo como organizamos nossos pensamen- A psicóloga lembra que o primeiro ato tos e do significado que atribuímos às pala- da criação é o pensamento. Tudo o que exis- vras”, conclui a psicóloga.
  • 11. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 / 11 Verbo que fere É preciso ter cuidado com “Se não sabemos o que dizer, a as palavras. Elas podem confor- presença e o silêncio podem ser tar, mas também ferir. “A harmoniosos. Estar ao lado da agressão verbal é atualmente pessoa em silêncio muitas ve- considerada tão grave quanto zes basta”, diz. a agressão física. Uma criança pode desenvolver traumas e fo- Lembranças bias por meio da forma como os pais lidam com elas. Pala- Quem é que nunca se depa- vrões são aprendidos e repro- rou com uma música e lem- duzidos gerando sofrimento brou de alguém ou de algum por gerações”, explica Alexan- momento importante que já vi- dre Caprio. veu. É isso que as letras de mú- Segundo especialistas, falar sicas fazem. Existe uma explica- de forma calma e pausada, pro- ção científica para o fato. Se- nunciar palavras acolhedoras gundo ela, quando as palavras geram uma sensação de confor- são associadas a ritmo e melo- to no outro e ajudam a aplacar dia, elas atravessam o córtex ce- a ansiedade e o nervosismo. rebral. Dessa forma, ativam o Para o psicólogo, antes de fa- sistema límbico, onde estão ar- lar, é necessário saber respeitar mazenadas as emoções. o outro, e procurar compreen- Caprio diz que isso aconte- der o seu universo. Caprio tam- ce porque as pessoas têm facili- bém lembra que muitas pes- dade de associar canções e poe- soas tentam consolar os amigos mas a momentos da sua história em uma situação difícil. Mas, de vida. “Nossa capacidade de as- muitas vezes, dependendo da sociar é muito mais desenvolvida palavra que é empregada, aca- do que nossa capacidade de disso- bam gerando mais sofrimento. ciar”, conclui. I (JR)
  • 12. 12 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Existência plena REENCONTRO COM O ALTO-ASTRAL Conflitos internos podem ser motivados por falta de aceitação pessoal, mas Saiba mais fazer atividades relaxantes e prazerosas alimentam a sensação de viver com alegria COMO REFLETIR www.sxc.hu/Divulgação SOBRE OS CONFLITOS Elen Valereto rá que está fazendo algo por você, Esteja atentos aos elen.valereto@diarioweb.com.br e isso alimenta o alto-astral!”, des- pensamentos. Não deixe taca Vamilsa. que os negativos tomem Quando surgem conflitos mais espaço que os internos que questionam e de- Resgate positivos sestimulam o andamento da vida Valorize suas é preciso acender um sinal amare- Quando está tudo bem, o alto- qualidades em lo de alerta. Dar atenção a essas astral impede que apareçam pensamento e para os dúvidas podem facilmente colo- deslizes e preocupações des- outros também car em xeque o bem-estar físico, necessárias. Ninguém se preo- emocional e a vontade de viver cupa, por exemplo, se a roupa Relembre suas com alegria. que está vestindo é bonita, se conquistas e sinta o A sensação de diminuição de o cabelo está com o corte prazer que sentiu capacidade ou abandono de ex- ideal, se quem ver vai gostar Lembre-se que tudo que pectativas somente acontece ou o que vai pensar. Nada dis- acontece é para o seu bem. quando alguma coisa não está so é cogitado. As dificuldades existem para bem. O estremecimento da aceita- Mas basta uma pontinha de mostrar a você mesmo que é ção pessoal e o distanciamento de desestabilidade emocional pa- capaz de superá-las si mesmo podem ser os grandes ra que tudo isso vá por água abaixo. Em relação à aparência, Visualize antes de dormir vilões dessa dúvida que abala o al- o seu dia seguinte: seu astral to-astral. a terapeuta psicocorporal Va- milsa explica que há muitos jul- positivo, as coisas dando Tudo isso a começar pela apa- certo e você se sentindo rência. O corpo e a imagem são os gamentos nesse quesito devido ao seu efeito bumerangue. disposta e segura em suas primeiros a serem confrontados, esquecem de fazer o mesmo para nem consegue identificar o que capacidades “Cria-se um estado coletivo de afirma a terapeuta psicocorporal si”, diz a psicoterapeuta compor- lhe incomoda. que julgamos, então seremos Vamilsa Barreto de Sordi. Segun- tamental neurolinguista, Marcel- Para encontrar a solução que Fonte: Marcelle Vecchi, julgados”, diz. psicoterapeuta comportamental do ela, quando existe essa dificul- le Vecchi. possa resgatar a sensação de alto- Buscar o autoconhecimen- dade de aceitação, ela é a princi- Tanta energia em baixa, des- astral, um exemplo dado pela tera- neurolinguista to, conhecer-se melhor, é um pal responsável pelo distancia- truindo e minando cada vez mais peuta psicocorporal Vamilsa é de dos caminhos para resgatar e CONSEQUÊNCIAS DA mento de pensamentos positivos a autoconfiança, não poderia ter uma pessoa ansiosa. Ao identifi- manter o alto-astral como de- SUPERVALORIZAÇÃO e da tranquilidade. boas consequências. Falta de dis- car que ela está ansiosa e agitada, DE PROBLEMAS ve ser. Para a psicoterapeuta Esse baixo-astral pode estar posição física, fibromialgias, gas- as ferramentas para ajudá-la po- Marcelle, falta querer se supe- Desejos e limites aliado ainda a situações do coti- trites, queda da resistência dem estar em exercícios físicos e rar e focar nas qualidades, pessoais desrespeitados diano, as quais são vistas como imunológica, tristeza aguda, enxa- atividades agradáveis e atrativos mentalizar as conquistar e va- impossíveis de serem resolvidas. quecas, ansiedade, problemas no que geram o relaxamento. lorizar tudo de bom já realiza- Falta de disposição O sentimento é produzido por fígado, sono comprometido e de- A atividade escolhida, no en- do. “Hoje em dia, há uma física uma sensação de impotência, pressão são algumas delas. tanto, não pode ser oposta à perso- supervalorização dos proble- Insônia, ansiedade, uma incapacidade de solucionar Esses problemas desencadea- nalidade e gosto da pessoa. Se is- mas e uma minimização das depressão e tristeza dificuldades de forma tranquila e dos são mais intensos se a insatis- so acontecer por simples indica- conquistas”, diz. também pela falta de objetivos fação não for repentina por al- ção de quem está à volta, a ansie- Aceitar-se mais – os defei- Enxaquecas, gastrites claros de vida. gum motivo (ou motivos) especí- dade em excesso citada não será tos, as limitações, a aparência, e fibromialgias O abandono dos desejos pes- fico(s). Quando identificados e solucionada. os erros, os acertos, os desejos – Diminuição da soais, gostos, desrespeito aos limi- cuidados, os conflitos internos “ É preciso escolher pelo pra- e cobrar menos de si (e dos ou- resistência contra infecções tes são outras características. que comprometem o alto astral zer. Pode ser dançar, caminhar, tros) colabora para encontrar a “Simplesmente acreditam que podem ser resolvidos, mas somen- correr, fazer yoga ou pilates, maturidade, e ela ampliará a vi- Perda de foco e não são importantes. Pensam que te quando o insatisfeito não é crô- participar de um grupo de filo- são de como se sentir e se man- objetivos I têm de satisfazer só os outros e se nico, pois, nesse caso, o indivíduo sofia ou religião. Só assim senti- ter bem e feliz.
  • 13. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 / 13 Vera Paráboli Milanesi Psicóloga Edvaldo Santos Navegar é preciso Lance-se em busca do amor, do autoconhecimento, e encontre beleza na imprevisibilidade da vida www.sxc.hu/Divulgação Bastante conhecidos são os versos: “Navegar é preciso. Vi- ver não é preciso”. Utilizados até em um fado bastante popu- lar por terras portuguesas, nos remetem a uma questão funda- mental na vida: sua impreci- são. Tais versos nos mostram que, numa atividade em que os homens se lançam ao mar den- tro de embarcações falíveis, a navegação necessita de muito cálculo para não resultar em acidentes. O equivalente a isso hoje, além das viagens maríti- mas, é a navegação aérea, extre- ma e delicadamente dependen- te de mapas, cálculos, previsões milimétricas, para que tudo re- sulte em sucesso. Em compen- sação, “viver não é preciso”. A imprecisão da vida se opõe, aqui, à precisão do ato de nave- gar, pois por mais que nos esfor- cemos para traçar planos e me- tas, por mais que queiramos ser câncer raro, que a leva depois sustadoramente imprecisa e im- dade da vida a beleza de sem- racionais e objetivos, sempre de um ano e meio de sofrimen- previsível, “navegar é preciso”, pre; navegar em direção àquilo surgem oponentes, sejam inter- to. Para não parecer pessimis- lendo aqui “navegar” como lan- que não passa. E o que, nessa vi- nos, sejam externos. ta, também posso lembrar aqui çar-se. Lançar-se ao mar, às ve- da efêmera, não passa? Com cer- A jovem namora há três as surpresas agradáveis da vi- zes calmo, outras agitado (tal- teza o amor, que sempre nos le- anos aquele que considera seu da: alguém, em algum lugar, ga- vez na maior parte delas); lan- va a mares nunca antes navega- príncipe encantado, planejam nha na loteria; um amigo queri- çar-se em busca de um sentido dos. Amor fraterno, amor sen- casar-se no final do ano e, num do, que mora longe e que não maior para essa “navegação”; sual, amor místico...Seja qual belo dia de primavera, o prínci- vemos há anos, telefona-nos lançar-se em busca de si mes- for sua forma, o amor, esse sim, pe vira sapo e, destruindo to- em plena manhã de domingo; mo e do outro; lançar-se em por mais impreciso que seja, po- dos os sonhos dela, termina o nossa música preferida tocan- busca do amor. Por isso, quan- de nos proteger da imprevisibi- noivado. O galã de TV faz su- do na rádio que sintonizamos do nos lançamos assim, o ato lidade, pois nos lança na essên- de viver, além de ser impreciso, cia do Eterno. Então, que seja cesso no palco e na telinha, logo na segunda-feira de ma- passa a ser quase “desnecessá- para hoje, que venha esse mas uma febre insistente faz nhã, quando estamos com aque- rio”, no sentido de não estar- amor, na forma que puder- sua vida mudar de rumo e o la preguicinha de começar o mos querendo salvar a nossa vi- mos acolhê-lho, pois amanhã prende a um rigoroso tratamen- dia...Esses poucos e talvez po- da ou a nossa pele, no sentido pode ser tarde demais. Os to contra o câncer, que o obriga bres exemplos estão aqui ape- de não colocarmos sempre a abraços a serem dados podem a cancelar compromissos, aban- nas para estimulá-lo(a) a pen- nossa vontade acima de todas não mais encontrar os outros donar por um tempo suas ativi- sar sobre tantas e tantas surpre- as coisas, no sentido de “perder braços; nosso pedido de des- dades e dedicar-se totalmente à sas que temos ao longo da vida. a vida para salvá-la”, como pre- culpas pode não mais fazer sua saúde. O jovem casal inves- E justamente por elas, as gou Jesus Cristo. sentido; nosso gesto de ami- te toda a sua energia e carinho surpresas, chegamos a um ou- “Navegar é preciso, viver zade pode se mostrar inútil. em uma linda filhinha de 4 me- tro sentido que podemos ver não é preciso”, canta o poeta. Hoje, e não amanhã, pois ses que, de repente, é diagnosti- nos versos citados no início do Canta e nos convida a buscar, “Navegar é preciso; viver cada como portadora de um texto: se a vida é assim tão as- na imprecisão e imprevisibili- não é preciso”... I
  • 14. TV - 14 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Perfil ARTE DO EQUILÍBRIO No ar em “Lado a Lado”, Lázaro Ramos concilia a visibilidade da tevê com trabalhos mais conceituais Luiza Dantas/Divulgação TV Press Instantâneas Lázaro Ramos transita com fa- cilidade pelos lados alternativos e Por sua atuação como comerciais da profissão de ator. Is- o anti-herói Foguinho, de to fica evidente ao analisar seus “Cobras e Lagartos”, Lázaro Ramos foi indicado trabalhos mais recentes, como a ao Emmy – prêmio atual novela das seis, “Lado a La- promovido pela Academia do”, e o longa independente Internacional de Artes & “Amanhã Nunca Mais”, de Ta- Ciências Televisivas –, deu Jungle. Satisfeito com a liber- em 2007 dade artística que conquistou ao No longa “Ó Paí, Ó”, longo de sua trajetória, ele acredi- de Monique Gardenberg, o ta que foram os personagens que ator empresta sua voz para recusou que definiram o ator que músicas conhecidas do é hoje. E entrega que, antes de cancioneiro baiano como acertar sua participação em al- “É D’Oxum”, “Protesto do gum projeto, recorre ao mesmo Lázaro Ramos Olodum” e “Vem Meu critério do início da carreira, encara seu Amor” quando era integrante do Bando primeiro folhetim de Assim como em de Teatro Olodum. “Preciso me “Insensato Coração”, em emocionar ao ler o texto. Além época na pele “Lado a Lado”, Lázaro volta disso, ter uma equipe integrada. do barbeiro a fazer par romântico com Meu trabalho só funciona porque Zé Maria Camila Pitanga. “Por ser tenho a ajuda de uma série de pes- uma novela de época, não soas nos bastidores”, justifica o me preocupo em me Outro ponto importante da Teatro Olodum. Nossas peças favor das igualdades raciais, exibe repetir. São personagens e ator, que encontrou os dois quesi- histórias distintas”, avalia tos em “Lado a Lado”. Porém, composição de Zé Maria é que, sempre buscavam a origem desse uma faceta machista em relação à mesmo encantado com o projeto além de barbeiro, o personagem é Brasil que estamos vivendo ago- sua amada Isabel, de Camila Pi- da novela, ele demorou a aceitar o um exímio capoeirista. Não é a ra. Por isso, a identificação com tanga. “Zé Maria não admite que convite para viver o simpático primeira vez que Lázaro precisa meu personagem e com o contex- a mulher seja mais bem-sucedida barbeiro Zé Maria. “Tevê é uma utilizar os passos da capoeira para to foi forte”, valoriza. que ele. Não chega a ter um des- to teatral 12 anos depois da pri- força-tarefa, que dura, no míni- um papel. Ele teve algumas aulas Depois de sair do grupo tea- vio de caráter, mas também não é meira montagem, agora no Rio mo, um ano. Tive de parar com para dar vida ao personagem-títu- tral, Lázaro foi para Recife traba- um mocinho politicamente corre- de Janeiro. “É uma peça sobre os outros projetos que estava de- lo de “Madame Satã” – premiado lhar com o diretor João Falcão na to”, analisa. autoestima. Estou feliz com es- senvolvendo. Afinal, ainda prezo longa-metragem de 2002, dirigi- peça “A Máquina”, de 2000. Ao sa remontagem. Atualizei a his- muito pela minha vida pessoal”, do por Karim Aïnouz –, mas pre- mesmo tempo, entrava com força De todas as maneiras tória e foi como voltar no tem- conta, aos risos. cisou voltar aos treinos para enca- no disputado circuito de cinema po”, emociona-se. Em seu primeiro folhetim de rar as inúmeras cenas de ação do nacional, com papéis importan- Atuar é a prioridade de Láza- Entre tantos trabalhos parale- época, o ator fala com entusiasmo folhetim. “Não é só lutar, tem to- tes em filmes como “Carandiru”, ro Ramos. Mas ele também gosta los, “Espelho”, programa que sobre as aulas de História e o da uma coreografia. São “O Homem Que Copiava” e “Ci- de se expressar artisticamente em apresenta no Canal Brasil, tem workshop promovido pela Globo sequências bem trabalhosas. Tra- dade Baixa”, além de tímidas par- outras frentes. Em 2005, estreou atenção redobrada. Em sua séti- para integrar todo o elenco à tra- balho com um dublê, mas faço a ticipações na tevê, nas séries “Pas- como diretor no especial “Retra- ma temporada, o apresentador já ma escrita por João Ximenes Bra- maioria das cenas”, gaba-se Láza- tores da Noite” e “A Grande Fa- tos Brasileiros”, do Canal Brasil. recebeu nomes como Wagner ga e Claudia Lage, ambientada ro, que desde julho, tem o auxílio mília”. A estreia em novelas foi No filme e na série “Ó Paí Ó”, Moura, Nelson Motta, Elke Mara- no Rio de Janeiro do início do sé- dos mestres Cocoroca e Fumaça em “Cobras & Lagartos”, de mostrou seu lado cantor. E mais vilha, entre outros. Na pauta está nos treinos e na concepção dos 2006, na pele do ambíguo Fogui- recentemente, em 2010, a faceta sempre a subjetiva relação entre a culo 20. “A novela se passa logo movimentos. nho. “Gosto de personagens que escritor veio à tona com o lança- arte e seu criador. “Tenho muita depois da Abolição da Escravatu- A reflexão social sobre o fogem do maniqueísmo. Isso enri- mento do infantil “A Velha Senta- curiosidade sobre meus entrevis- ra, no momento onde o Brasil “apartheid” entre raças e classes quece a trama e me dá mais vonta- da”. Grande parte desta personali- tados. E aproveito o programa pa- queria ser a França. É uma época ra mostrar as minhas opiniões. que ainda não tinha sido aborda- sociais aproximam Lázaro da tra- de de fazer tevê”, avalia. Outro dade múltipla do baiano é reflexo Sem a roupa de nenhum persona- da pela teledramaturgia”, desta- ma. Baiano, negro e ator, ele traça personagem controverso foi o do trabalho de Lázaro no Bando gem, é onde sei que estou dando a ca o ator, que empolgado com o um paralelo entre a história de conquistador André, de “Insensa- de Teatro Olodum, onde além de minha cara a tapa”, filosofa. I contexto de “Lado a Lado”, “Lado a Lado” com a origem de to Coração”. Na mesma linha, o atuar, também chegou a escrever contratou um professor particu- seu interesse pelas artes cênicas. ator também enxerga contradi- algumas peças. Uma em especial, ”Lado a Lado” – Globo – de lar de História. “Fiquei nove anos no Bando de ções em Zé Maria, que mesmo à “As Paparutas”, volta ao circui- segunda a sábado, às 18:10 h.
  • 15. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 / 15 - TV Zapping TV Press Jorge Rodrigues Jorge/Divulgação vou a nova temporada de “Mandrake”, da HBO, que ainda não tem previsão de ir ao ar. Marcos Palmeira interpreta o astutoadvogado criminalista e personagem-título do telefil- Ver de novo me. “Mandrake”’ é dirigida por José Henrique Fonseca, A Globo escolheu a minissérie “Som & Fúria”, exibida ori- da Goritzia Filmes. ginalmente em 2009, para ser apresentada como telefilme no fim desse ano. Fernando Meirelles, diretor do projeto, Velhos tempos está envolvido com as adaptações da obra. Guel Arraes e Jorge Furtado são os responsáveis pela escolha dos próxi- mos trabalhos. Em outubro, o Canal Viva irá gravar quatro episódios iné- ditos do humorístico “Sai de Baixo”. A produção foi exibi- da nas noites de domingo, entre 1996 e 2002, na Globo. A ideia seria contar com o elenco original da “sitcom”, entre Grande família eles Miguel Falabella, Marisa Orth, Aracy Balabanian, Luma Costa será Odete Roitman em “Pé na Cova”, novo Luís Gustavo, Márcia Cabrita, Claudia Rodrigues, Tom “sitcom” da Globo. Na trama, ela será filha de Genivan e Cavalcante e Cláudia Jimenez. Mas, Claudia Rodrigues e Darlene, interpretados por Miguel Falabella e Marília Pê- Cláudia Jimenez estão com a saúde debilitada. Já Tom Ca- ra, e seu par romântico será Cristiane, mais conhecida co- valcante, que recentemente deixou a Record, ainda não de- Ritmo de cidiu se aceita participar do projeto. As gravações devem acontecer em outubro, com roteiro de Miguel Falabella e mo Tamanco, de Mart’nália. A produção contará a história de um coveiro que vive com sua família em uma funerária localizada no bairro de Irajá, na zona norte do Rio. O pro- participações direção de Dennis Carvalho. grama está em fase de pré-produção e tem estreia prevista para janeiro de 2013. Victor Fasano não disfarça o entusiasmo. No momento, o Juntos novamente ator e apresentador está envolvido com as gravações da no- vela “Balacobaco”, da Record, que estreia em outubro. “Vi- José Loreto e Débora Nascimento, o Darkson e a Tessália Suspense vo o Nestor, um cinquentão ‘bon-vivant’ que é casado com de “Avenida Brasil”, voltam a contracenar depois que a no- uma mulher muito mais nova”,avisa ele, referindo-se à mo- Entre os dias 28 de outubro e 4 de novembro, o A&E exibe vela das nove da Globo chegar ao fim. A dupla está reserva- a minissérie “Coma”. Com produção dos irmãos Ridley e cinha Isabel, de Juliana Silveira. Na trama, Nestor é um ho- da para “O Caribe É Aqui”, título provisório da substituta mem realizado pessoal e profissionalmente. Mas a morte Tony Scott, recentemente falecido, a trama conta a história de “Lado a Lado”. Além deles, estarão na produção Grazi dopersonagem é necessária para o desenvolvimento da his- da doutora Wheeler, vivida por Lauren Ambrose, que es- Massafera, Henri Castelli e Bruno Gissoni. A trama é escri- tória. “Ele deve morrer por volta do capítulo 15. Aí come- tranha a enorme frequência de pacientes em coma no hos- ta por Walther Negrão. As gravações começam em novem- çam tramas paralelas e a disputa pela herança. Essas coisas pital em que trabalha. Para investigar os casos, a jovem mé- bro e a estreia está prevista para maio de 2013. de novela”, explica. Além dessa participação, Victor tem dica conta com a ajuda do doutor Bellows, de Steven Pas- outros projetos em vista. Um deles é a nova temporada do quale.A obra é uma adaptação do livro homônimodo escri- reality show “Amazônia”, que não deve ser retomado ain- da este ano. Casa nova tor americano Robin Cook. Carlos Lombardi é o novo contratado da Record. Depois Homem sério Para brasileiro ver de 31 anos na Globo, o autor de produções como “Perigo- sas Peruas”, “Quatro Por Quatro”, “Vira Lata”, “Uga Marcos Caruso está se dividindo entre as gravações de Uga”, “Kubanacan” e “Pé na Jaca”, entre outras, é o mais Entre os dias 17 e 27 de setembro, o canal BBC World recente reforço da Record na teledramaturgia. Por enquan- “Avenida Brasil” e seu próximo trabalho na tevê. Recente- News estreia uma programação especial sobre o Brasil. A to, a emissora ainda estuda quais serão os próximos planos mente, começaram as leituras de “O Canto da Sereia”, no- “Brazil Direct” é uma franquia da série “Direct”, que foca parao autor. Aúnica certeza é que ele não ficará muito tem- va minissérie da Globo. Na produção, Caruso interpretará em um país por mês – já abordaram Índia, Indonésia, Polô- po fora do ar. O diretor Alexandre Avancini foi designado JB, um governador cheio de cerimônias, bem diferente do nia, Canadá e Tailândia. Os destaques da grade ficam com para cuidar da primeira novela de Lombardi na emissora. despachado Leleco da novela das nove. A produção irá ao “Working Lives – Rio de Janeiro”, que fala sobre a vida de ar em janeiro de 2013. seis pessoas moradoras da cidade. O “One Square Mile – Três Fronteiras” mostra a cidade de Três Fronteiras, na Amazônia, onde é possível tomar café da manhã, almoçar e Universo redondo Cheia de graça jantar em três países diferentes: Brasil, Colômbia e Peru. O A Band adquiriu os direitos de transmissão da Copa do “Click” investiga como a internet está sendo introduzida Mundo de Clubes da FIFA Japão 2012. O evento acontece- Maria Clara Gueiros novamente interpreta uma em diversas áreas amazônicas. Já o programa “Talking Mo- rá entre os dias 6 e 16 de dezembro. Além disso, a emissora personagem com veia cômica em novelas. No ar vies” traça um panorama paraconhecer os mais recentes fil- também possui os direitos da transmissão da Copa do em “Lado a Lado”, a atriz vive a camareira Neu- mes brasileiros e seus artistas e diretores. O “Fasttrack” Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016. sinha, uma vilã engraçada que sonha em se tor- analisa o equilíbrio entre o ecoturismo brasileiro e como o nar a estrela da companhia de teatro onde traba- país faz para atrair novos visitantes neste campo. Por últi- lha. “E ela vai conseguir”, adianta. Para compor mo, o “BBC World News America”, principal programa de notícias da BBC, desembarca em São Paulo para uma Mais palhaçada a personagem, a atriz assistiu novamente ao fil- me “A Malvada”, com as atrizes Bette Davis e edição especial na cidade. Aproximadamente 21 anos depois, o SBT deve começar Anne Baxter. “É mais ou menos a mesma histó- em breve a pré-produção do novo programa “Bozo”, que ria”, conta, referindo-se ao longa dirigido por Joseph L. Mankiewicz, que trata da relação de Na expectativa originalmente foi ao ar de 1981 a 1991. Por enquanto, a in- certeza fica em relação ao dia e horário de apresentação e a estreia da produção. Havia uma expectativa para que o lan- uma atriz de sucesso, que está envelhecendo, e de sua fã, que se infiltra na vida da diva Distante dos estúdios desde “O Astro”, da Globo, Carolina çamento acontecesse no Dia das Crianças, 12 de outubro. hollywoodiana, ameaçando as suas relações pes- Chalita volta ao ar em breve. Em janeiro de 2012, ela gra- Mas essa ideia foi descartada. soais e profissionais. I
  • 16. TV - 16 / São José do Rio Preto, 16 de setembro de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Entrevista NA CRISTA DA ONDA Leona Cavalli aproveita os frutos de sua atuação como a antagonista Zarolha, de “Gabriela” Jorge Rodrigues Jorge/Divulgação TV Press fã da Dina Sfat, que interpretou a Zarolha na primeira adaptação Leona Cavalli é só sorrisos na para a tevê. E ela trabalhou no hora de conversar a respeito de Teatro Oficina, onde também seu atual momento profissional. atuei. O convite para a novela já ti- Sucesso de público e crítica na pe- nha me deixado animada, mas ser le da prostituta Zarolha, de “Ga- paraessa personagem foi umamoti- briela”, a atriz conseguiu garantir vação a mais. Esse papel é realmen- sua volta à trama na adaptação do te completo, cheio de detalhes. É clássico de Jorge Amado, escrita uma prostituta, mas tem sua devo- por Walcyr Carrasco. E também ção, mistura drama e comédia, vem angariando torcedores por uma série de fatores fazem ela ser um final que, na teoria, parecia uma personagem bem bacana. impossível para sua personagem. Pergunta – A decisão de “Muita gente me diz que quer ela trazê-la de volta à trama sur- e o Nacib juntos. Eu sei que o des- preendeu você? fecho do livro é outro, mas como Leona – Sim. Sempre faço minha personagem teve sua traje- com a maior entrega, mas nunca tória alterada, tudo pode aconte- sei o que vão achar do meu traba- cer”, fantasia ela, referindo-se ao lho. E as pessoas estão gostando turco vivido por Humberto Mar- de diversas maneiras. São públi- tins no folhetim. A atriz ainda co- cos diferentes. Falo de jovens, pes- lhe outros frutos por conta da per- soas mais velhas, homens, mulhe- sonagem, que foi defendida por res, ou seja, não é um grupo espe- Dina Sfat na primeira versão da cífico. E assim que começou a tra- novela. Ela assinou com a “Play- ma, me falavam muito que ela de- boy” e, às vésperas de completar veria terminar com o Nacib. Ape- 43 anos, já fez as fotos para a revis- sar de saberem que, no livro, o fi- ta. Seu ensaio será publicado pro- nal não é esse. O engraçado é que vavelmente na edição de outu- não só as pessoas que não conhe- bro, mês em que “Gabriela” sai ciam a história original, mas do ar. “Achei que tinha a ver com também as que já tinham lido a personagem, por isso aceitei. E, ou visto a primeira novela e sa- é claro, foi uma proposta excelen- biam que, na teoria, não é isso te”, admite. que acontece. Pergunta – Você partici- Pergunta – Você acredita pou dos primeiros capítulos em um final feliz entre Nacib e de “Gabriela” e, conforme o li- Zarolha? vro de Jorge Amado, deixou a Leona – Não sei. Isso só o história. Agora, já no meio do Walcyr pode responder. Torço projeto, sua personagem vol- para que a personagem tenha tou. Já sabia desde o início uma trajetória feliz, mas que po- que seria assim? de ser de outra maneira. Não con- Leona Cavalli – O Maurinho versei sobre o final e não tenho (Mauro Mendonça Filho, diretor- ideia porque não tem no livro. Is- O papel de Leona O papel de Leona geral) e o Walcyr chegaram a fa- so tem me instigado demais. Cavalli em “Gabriela” Cavalli em “Gabriela” lar alguma coisa sobre a possibili- Acho que esse é um barato da no- agradou ao público, agradou ao público, dade de a Zarolha voltar. Mas eu vela. No cinema e no teatro você que torce para ela que torce para ela não sabia se aconteceria. E nem sabe tudo, já conhece as emoções ficar com Nacib, ficar com Nacib, quando poderia ser. Para mim, pelas quais seu personagem vai personagem de personagem de foi uma grande surpresa. A Zaro- passar. Humberto Martins Humberto Martins lha tem cenas que são fortes, emo- Pergunta – Nessa volta, cionantes. É um papel que me dá Zarolha assume definitiva- muito prazer de fazer. Desde o mente o posto de antagonista início, senti que seria especial. de “Gabriela”. Depois desses Pergunta – Por quê? capítulos distante, foi compli- Leona – Eu sempre fui muito cado encontrar esse tom?