A Estratégia de saúde da família
A estratégia de saúde da família foi criada pelo Ministério da saúde, é a implantação de
...
técnico bucal definir o perfil epidemiológico da população e planejar a programação em
saúde bucal, a fim de promover a sa...
útero; coleta de material e referência para exames citopatológicos; prevenção das
doenças sexualmente transmissíveis e con...
Controle da tuberculose
Busca de casos; identificação de sintomáticos Respiratórios (SR); notificação de casos;
diagnóstic...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Estrategia de saúde da familia

267 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
267
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estrategia de saúde da familia

  1. 1. A Estratégia de saúde da família A estratégia de saúde da família foi criada pelo Ministério da saúde, é a implantação de equipes multiprofissionais nas unidades básicas de saúde, o objetivo é reorganizar á prática de atenção á saúde em novas bases, substituir o tradicional; levando saúde o mais próximo das famílias. A função da equipe de saúde da família é prestar assistência contínua a comunidade acompanhando integralmente à saúde da criança, do adulto, da mulher e dos idosos, ou seja, de todas as pessoas que vivem no território sob sua responsabilidade. As equipes são compostas por no mínimo, um médico da família, um enfermeiro, um auxiliar técnico de enfermagem, e de quatro á seis agentes comunitários de saúde, quando ampliada conta ainda com um dentista, um técnico de higiene bucal e um atendente de consultório odontológico. Principais funções do médico: realizar consultas clínicas em todos os ciclos vitais, fazer domiciliares quando necessário; quando possível participar dos grupos de pessoas com patologias específicas; atendimento e primeiros cuidados nas urgências, encaminhar para atenção secundaria quando necessário, garantir a continuidade do tratamento; solicitar exames; realizar pequenas cirurgias ambulatoriais quando possível; realizar parto quando o local for adequado. Auxiliar de enfermagem: executar procedimentos de enfermagem dentro de suas competências; acompanhar consultas de enfermagem; busca ativa para doenças de cunho epidemiológicas; garantir o controle de infecções por meio de limpeza e tratamento adequado dos materiais; ações de educação em saúde conforme planejamento. Agente comunitário de saúde: cadastrar as famílias e manter cadastro atualizado; orientar as famílias para utilizar adequadamente os serviços de saúde; identificar micro áreas de risco onde as pessoas necessitam de maior atenção da equipe; realizar visitas domiciliares e informar a equipe qualquer situação de risco; participar juntamente com a equipe de grupos educativos de promoção a saúde e prevenção de doenças. Dentista é o profissional capacitado na área odontológica, desenvolver com os demais membros da equipe atividades referentes à saúde bucal. Em ação conjunta com o
  2. 2. técnico bucal definir o perfil epidemiológico da população e planejar a programação em saúde bucal, a fim de promover a saúde e prevenir doenças bucais; realizar procedimentos clínicos incluindo das urgências, pequenas cirurgias ambulatoriais. Técnico em saúde bucal cabe sob a supervisão do dentista: acolhimento do paciente nos serviços de saúde bucal; manutenção e conservação dos equipamentos odontológicos; remoção do biofilme e fotografias e tomadas de uso odontológico; limpeza e antissepsia do campo operatório, antes e após atos cirúrgicos; medidas de biossegurança de produtos e resíduos odontológicos. Atividades executadas pelas equipes de saúde da família Saúde da criança Vigilância nutricional: acompanhamento do crescimento e desenvolvimento, promoção do aleitamento, referências para exames laboratoriais e combate as carências nutricionais. Imunização: controle do cartão de vacinação e participação em campanhas de vacinação. Assistência ás doenças prevalentes na infância: diarreias e infecções respiratórias agudas em menores de cinco anos, assistência á outras doenças prevalentes, atividades educativas na promoção da saúde e prevenção de doenças, garantia de acesso á hospitais e ambulatórios, exames laboratoriais quando necessário. Assistência e prevenção às patologias bucais na infância: ação de prevenção e cura das patologias bucais, evidenciação de placa bacteriana. Escovação supervisionada: bochechos com flúor e educação em saúde bucal e acesso aos meios preventivos como escova, creme e fio dental. Garantia de acesso á hospitais e ambulatórios especializados em saúde bucal. Saúde da mulher e do recém-nascido Pré-Natal: diagnóstico de gravidez; cadastramento de gestantes; classificação de risco gestacional; acompanhamento de pré-natal de baixo risco; vacinação antitetânica; avaliação do puerpério; referências para exames laboratoriais de rotina. Atividades educativas na promoção da saúde; busca ativa de faltosas; encaminhamento de gestantes de risco para ambulatório de alto risco. Prevenção e rastreamento do câncer de colo de
  3. 3. útero; coleta de material e referência para exames citopatológicos; prevenção das doenças sexualmente transmissíveis e consulta médica e de Enfermagem. Saúde reprodutiva: formação de grupo; atividades educativas envolvendo o grupo familiar; orientação, fornecimento de medicamentos e métodos contraceptivos e educação no combate as doenças sexualmente transmissíveis. Prevenção e controle da Hipertensão Arterial Diagnóstico de casos: diagnóstico clínico; cadastramento de portadores; busca ativa de casos; aferição da pressão arterial; visitas domiciliares; inserção de usuários no programa de hipertensão; tratamento dos casos por meio de acompanhamento domiciliar e ambulatorial, fornecimento de medicamentos; acompanhamento domiciliar de pacientes com sequela de acidente vascular cerebral e outras complicações; diagnóstico precoce de complicações; referencia para exames laboratoriais complementares, realização de eletrocardiograma (ECG), raios X de tórax, exames clínicos; primeiro atendimento de urgência, e de crises hipertensivas e outras complicações; acompanhamento domiciliar e fornecimento de medicamentos. Controle do Diabetes Mellitus Diagnóstico de casos: investigação em usuários com fatores de risco; cadastramento dos portadores; busca ativa e tratamento de casos; visita domiciliar; inserção no programa de Prevenção e Controle de Diabetes (PECD); acompanhamento ambulatorial e domiciliar; educação terapêutica em diabetes; fornecimento de medicamentos e curativos; monitoração dos níveis de glicose; realização de exames de glicemia capilar; diagnóstico precoce de complicações e realização ou referência laboratorial para apoio ao diagnóstico de complicações; primeiro atendimento de urgência; primeiro atendimento ás complicações agudas e outras intercorrências; encaminhamento ao ambulatório; acompanhamento domiciliar. Ações educativas sobre ações e riscos: obesidade e vida sedentária, para prevenção de complicações: cuidado com os pés, orientação nutricional, cessação do tabagismo e alcoolismo, controle de pressão arterial e das dislipidemias. Ações educativas para autoaplicação de insulina, e controle das patologias bucais buscando proporcionar condições para o autocuidado; diagnóstico, reabilitação e controle das patologias bucais, visando prevenir os quadros de agravamento e complicações causados pelo diabetes.
  4. 4. Controle da tuberculose Busca de casos; identificação de sintomáticos Respiratórios (SR); notificação de casos; diagnóstico clínico de casos com exames de SR e comunicantes; acesso a exames para diagnóstico e controle laboratorial, radiológico e baciloscópia; cadastramento dos portadores; tratamento dos casos e fornecimento de medicamentos e busca dos faltosos. Medidas preventivas na tuberculose Vacinação com a BCG, pesquisa de comunicantes, ações educativas e quimioprofilaxia. Controle da Hanseníase Busca ativa de casos; identificação de sintomáticos dermatológicos; notificação de casos; encaminhamentos dos casos suspeitos para o ambulatório; diagnóstico clínico de casos; exames de sintomáticos dermatológicos e comunicantes de casos; cadastramento de portadores; acompanhamento ambulatorial e domiciliar e supervisão do tratamento; avaliação dermatológica; fornecimento de medicamentos e curativos; controle das incapacidades físicas por meio de atividades educativas; pesquisa de comunicantes; divulgação de sinais e sintomas.

×