Fagoni calegario

232 visualizações

Publicada em

Fagoni calegario

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
232
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fagoni calegario

  1. 1. A pesquisa e sua contribuição nas ações da Produção Integrada e segurança do alimento Fagoni Fayer Calegario Pesquisadora, Embrapa Meio Ambiente Membro do CG-PORT Alimentos Seguros Alexandre Hoffmann Pesquisador, Embrapa Uva e Vinho Presidente do CG-PORT Alimentos Seguros
  2. 2. Produção Integrada no Brasil: conceito e trajetória Produção Integrada: muito além do MIP * inclui todos os componentes do sistema de produção * vale-se de um marco legal com diretrizes em portarias * define normativas técnicas atualizadas * pressupõe a avaliação da conformidade (Inmetro) * certificação de terceira parte * certificação oficial do governo brasileiro PI = Sustentabilidade + segurança do alimento
  3. 3. Produção Integrada no Brasil: conceito e trajetória Trajetória no Brasil: a história em quatro fases Fase 1 – A PI como oportunidade: o caso da maçã (1997-2000) Fase 2 – Sensibilização, validação e divulgação (2000-2003) Fase 3 – Rumo à PI como política pública ampla (2003-2008) Fase 4 – Consolidação da PI-Brasil/Brasil Certificado (2008-2014)
  4. 4. A Produção Integrada e a Embrapa a) Inserção no Brasil: resultado da interlocução entre Embrapa e setor privado b) Insumos básicos para o sucesso da PI * base tecnológica (conhecimento acumulado) * organização da cadeia * visão empresarial/exportadora c) Crescimento da PI no Brasil intimamente ligado a ações de pesquisa * empenho dos pesquisadores + apoio do MAPA via CNPq * PI como oportunidade de TT, prospecção e P&D direcionados * Dados de 2009 (MAPA/GT Portaria 178/09): 30 projetos (55,6%) - coordenação Embrapa 15 projetos (27,8%) - coordenação OEPAs 9 projetos (16,6%) - coordenação Universidades Ou seja, 83,4% com coordenação do SNPA Praticamente 100% com apoio da Embrapa
  5. 5. A Produção Integrada e a Embrapa d) Participação x comprometimento institucional da Embrapa na PI e) Compreensão parcial da inserção da Embrapa na PI * PI é atribuição do MAPA * PI é uma atividade de “transferência de tecnologia” * Até onde vai a ação da Embrapa (pesquisa) para fomentar a PI? f) Variabilidade temporal da inserção da Embrapa * Fase 1 – forte comprometimento das equipes (2000) * Fase 2 – ampliação das equipes, mobilização junto às cadeias produtivas, suporte à formatação dos marcos legais (2003) * Fase 3 – perda de fôlego das primeiras equipes, inserção de novos integrantes, dispersão de esforços (2008) * Fase 4 – desmobilização, tentativas de institucionalização da participação da Embrapa com foco em suporte tecnológico (atualmente)
  6. 6. O que fazemos? Onde se insere a PI? Avanço no conhecimento Criação de tecnologias Estudos e diagnósticos Apoio a programas Transferência de tecnologia Parcerias tecnológicas Demandas Sociedade
  7. 7. Resultados & Aprendizados Principais resultados: Para a Embrapa * Integração das equipes e adoção de uma visão sistêmica/holística * Suporte à elaboração, gestão e fomento a uma política pública * Incremento da TT (capacitação, publicações, eventos) * Retorno em imagem institucional positiva Para as cadeias produtivas * Redução do impacto ambiental negativo * Habilitação para acesso a mercados * Organização e gestão em empreendimentos * Resposta em Termos de Ajustamentos de Conduta * Aprimoramento do nível tecnológico
  8. 8. Resultados & Aprendizados Principais aprendizados * A PI como instrumento de qualificação da agricultura sustentável * Oportunidade de contribuição institucional (TT e P&D) * Aumento da interlocução (e comprometimento) com as cadeias produtivas * Parceria com MAPA, OEPAs, Universidades, técnicos e empresas * O desafio da perenidade de uma iniciativa x suporte institucional * Falta de clareza na definição dos papéis dos participantes * Dificuldades inerentes à sensibilização/comunicação interna * Dificuldades de convergência da PI com os instrumentos internos de gestão (submissão de projetos, sistemas de reconhecimento, quantificação dos resultados, estímulo à permanência/renovação das equipes) * Importância do ciclo “P&D ao mercado” ser completado
  9. 9. Perspectivas O que temos para o futuro da PI na pesquisa? Depois de 17 anos das primeiras prospecções... Sustentabilidade continua sendo fator-chave para o agronegócio Necessidade de dar respostas imediatas, objetivas e de impacto Respostas ao problema crônico da segurança do alimento PI permanece como um modelo de sucesso, capaz de ser adotado em diferentes escalas de produção Resultados tangíveis e intangíveis continuam a ser notados onde a PI foi usada E para o futuro? Sensibilização (e consequente ativação) do mercado para produtos certificados Mobilização de agentes políticos (especialmente MAPA) (Re)ativação da capacidade interna de resposta = Portfolio
  10. 10. Portfólios e Arranjos Arranjos e portfólios: uma nova estratégia para a programação da Embrapa 63 Arranjos 17 Portfólios
  11. 11. Portfólios e Arranjos
  12. 12. Portfólio Alimentos Seguros Foco do Portfólio Alimentos Seguros Suprir lacunas tecnológicas e contribuir para o fortalecimento de iniciativas com foco na produção de alimentos seguros, tendo como instrumentos iniciativas tais como a PI Brasil/Brasil Certificado (Produção Integrada), PAS (Programa Alimento Seguro) e programas com foco em Boas Práticas Agrícolas e de Fabricação, conferindo credibilidade e sustentabilidade a essas ações. Vertentes Temas Linhas temáticas RESULTADOSPROJETOS
  13. 13. fagoni.calegario@embrapa.br Muito obrigada!

×