Revisao de-textos-linguistica-textual

906 visualizações

Publicada em

Linguística

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
906
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
100
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revisao de-textos-linguistica-textual

  1. 1. Revisão... de textos? Linguística? Textual? © Públio Athayde uitos termos remetem a nosso ofício – ou fogem dele, depen- M dendo da acepção. Preferimos e adotamos desde sempre “revisão de textos” como expressão que melhor descreve nossa atividade, mas muitos se referem a ela, exatamente a mesma atividade que exercemos, como “revisão textual” (expressão que não é de nosso agrado, veja adiante), como “revisão linguística”, como “revisão de português”, havendo ainda que mencione “preparação de texto”, “copidesque”, “revisão de provas” e haverá ainda outros termos. Também há outras atividades, diferentes da que exercemos que são chamadas por alguns desses termos. Não há muito consenso sobre essa terminologia, embora pareça que realmente “revisão de textos” seja a fórmula mais aceita para descrever o processo de reconsideração não autoral de um texto original. 1.1. Revisão de textos C onsiderando o termo revisão, a princípio, no sentido que ele tem para nós, implica “nova leitura, mais minuciosa, de um texto; novo exame” [Houaiss]; obviamente, a atividade está ligada à leitura, mas ela é “nova” no sentido em que o autor já leu seu texto (e o releu muitas vezes), nova no sentido em que ela representa novidade para o revisor, que nunca havia lido aquele trabalho e nova por ser mais uma leitura sobre o mesmo enfoque técnico a ser feita pelo revisor profissional; mas, além de nova, ela é mais minuciosa, esta leitura estará atenta a um sem-número de fatores aos quais o autor não dá atenção (e, a muitos deles, nem deve mesmo dar, pois prejudicaria a fluência da produção); estamos falando de um novo exame, em que cada letra, cada sílaba, cada som – bem como todos os conjuntos possíveis desses elementos, será reconsiderado clinicamente, no sentido da visão metódica, racional que será aplicada sobre todos os ângulos e em oposição (ou em conjunção) com a
  2. 2. Keimelion - revisão de textos http://www.keimelion.com.br visão empírica que o autor e seus colaboradores e orientadores terão tido do texto. Os dicionários designam o termo revisão, no sentido próprio, como inerente à atividade que exercemos, com pequena variação de sentido quanto a sua aplicação em textos legais ou jurídicos, mas há muitos sentidos cotidianos em que o termo é usado – por extensão – e que já poderiam estar dicionarizados. É inclusive mais recorrente o sentido mecânico (fazer a revisão do carro) que o sentido linguístico do termo. Portanto, entendemos que seja mais adequando dizer revisão de texto que simplesmente revisão, mesmo o dicionário indicando que bastaria uma palavra. Somos revisores de textos, o objeto de nosso trabalho: “textos”, no plural, não pela multiplicidade que chega a nós, mas pela variedade deles. Nosso foco é o trabalho com textos acadêmicos – e revisamos um de cada vez – mas revisamos qualquer tipo de texto, portanto revisamos textos, pois revisamos sempre e revisamos tudo que pode ser chamado de texto, não somente os registros escritos, mas o intertexto, subtexto e o contexto. Por exemplo, os parágrafos e as ilustrações (tabelas, gráficos, esquemas) em um artigo científico devem ser coerentes e coesos entre si, o que requer revisão. Por outro lado, existem duas outras atividades a que chamam de revisão de texto, com o que não concordamos muito. A revisão de textos feita pelo próprio autor é a primeira. Também se refere a tal atividade como autorrevisão (nessa nova grafia horrenda). Segundo nosso entendimento, revisão requer alteridade, no sentido de que é algo que só pode ser obtido por outra pessoa, alguém que não tenha tido nenhum contato com o texto em fases anteriores de sua produção. Revisão requer ainda abordagem técnica, com base em conhecimento linguístico que, raramente é de domínio do autor. Por fim, revisão requer prática; é um tipo de atividade, como muitas outras, que vai se inserindo, pouco a pouco, no próprio modo de ser e de pensar de quem a exerce. E quanto mais a exerce, melhor revisor vai se tornando. Preferimos nos referir à atividade que o autor e seus colaboradores, coautores, leitores críticos, orientadores exercem em relação ao texto como releitura. Inúmeras leituras e releituras são necessárias. Durante a revisão também são feitas inúmeras releituras, mas Foco em textos acadêmicos. Para orçamento, envie a: keimelion@gmail.com
  3. 3. Keimelion - revisão de textos http://www.keimelion.com.br a releitura revisional tem os privilégios da competência específica e da alteridade, indeclináveis. Referem-se ainda como revisão de textos àquela atividade exercida pelo professor durante o letramento, que consiste em ensinar e aperfeiçoar as primeiras letras do aprendiz. Ou á atividade cruzada, entre os alunos, de leitura e aperfeiçoamento de seus textos. Trata-se, no primeiro caso de correção da redação, no segundo de coautoria. Há grande distinção entre a atividade de ensino de produção de texto e a de revisão, assim como as discussões coautorais não podem ser confundidas com revisão. Consideramos equivocadas essas acepções, embora as encontremos recorrentemente na literatura sobre alfabetização. 1.2. Revisão textual empre nos incomodou a expressão “revisão textual” usa por alguns S colegas revisores em seus anúncios ou em outras referências a seu trabalho. Questão de semântica, apenas, diriam alguns – apenas, não: semântica é um dos pilares da língua, a significância e o significado inerentes às palavras são questão fulcral a ser posta e examinada no processo de redação e revisão do texto ou nas abordagens metalinguísticas. No sentido restrito, o adjetivo “textual” tem quatro significados, segundo Houaiss: 1- relativo a texto; textuário; 2- que está no texto, ex.: afirmou que suas palavras eram textuais; 3- conforme ao texto, ex.: cópia textual; 4- fielmente reproduzido ou transcrito, ex.: citação textual. Observe que não consta desta lista o sentido “do texto” – como alguns colegas empregam. Fazemos a revisão do texto. Fazemos a revisão no texto. Não se faz a revisão relativa ao texto, revisão textuária ou revisão do que está no texto. O sentido lato, em que os colegas empregam a palavra, não está dicionarizado. Aulete concorda com Houaiss, para ficarmos em dois lexicógrafos de amplo acesso. Curiosamente, a expressão é mais empregada por quem tem formação em Letras, talvez como redução, talvez em sentido restrito ao grupo, mas que não alcança o grande público. Sabemos, portanto, que linguistas, usam a palavra “textual” no sentido que repudiamos. Entendemos o processo de esvazia- Foco em textos acadêmicos. Para orçamento, envie a: keimelion@gmail.com
  4. 4. Keimelion - revisão de textos http://www.keimelion.com.br mento semântico que ocorre, mas, ao rigor da precisão de sentido é que nos posicionamos contra a expressão no sentido de expressar nosso ramo de atividade. Não se trata de reação, conservadorismo – mas de busca pelo rigor e plenitude das significâncias, o que é exatamente o contrário de seu esvaziamento. 1.3. N Revisão linguística ão há grande problema teórico no emprego da expressão revisão linguística, já que o termo “linguística” vem sendo usada, cada vez mais, em sentido compreensivo. Todavia, essa palavra não alcança o grande público, a totalidade dos produtores de texto que têm demanda por serviços de revisão. Ainda haverá alguém que conteste que nem todos os aspectos da Linguística são matéria da revisão, mas como algum texto não seria possível de alguma abordagem linguística? Senão, recorramos novamente ao dicionário para caracterizar Linguística em seu sentido próprio: ciência que tem por objeto: (1) a linguagem humana em seus aspectos fonético, morfológico, sintático, semântico, social e psicológico; (2) as línguas consideradas como estrutura; (3) origem, desenvolvimento e evolução das línguas; (4) as divisões das línguas em grupos, por tipo de estrutura ou em famílias, segundo critérios tipológicos ou genéticos. Sim, todos esses aspectos são considerados e necessários ao processo da revisão. Todavia a Linguística não alcança o contexto, a sincronia, por exemplo; são os aspectos não linguísticos do texto! Um texto pode estar ultrapassado em seu conteúdo ou pode estar em dissonância factual e o revisor estará atento a esses aspectos. Da mesma forma, o tradutor atenta a tais aspectos. Prevalece ainda o melhor termo, revisão de textos, embora não nos impeçamos o uso de revisão linguística, postas as restrições de abrangência mencionadas. Foco em textos acadêmicos. Para orçamento, envie a: keimelion@gmail.com
  5. 5. Keimelion - revisão de textos 1.4. A http://www.keimelion.com.br Revisão de português expressão revisão de português para se referir à revisão de textos está ligada ao conceito “erro de português” e considera, equivoca- damente, que o revisor vai se ater a problemas de ortografia e gramática. Claro que esses dois aspectos são importantes – considerados os elementos de relatividade e anacronismo que incidem sobre eles: erro pode ser, por exemplo, um desvio consciente do registro formal institucionalizado ou o “problema” de gramática pode ser somente uma construção ainda não assimilada pela gramática normativa mais aceita. Normalmente, quem pretende uma revisão de português em seu texto supõe que o revisor se limite ao dicionário e à gramática, fazendo – se fosse assim – pouquíssimo mais que o revisor eletrônico do Word, por exemplo. Revisão de português seria mais ou menos, na ideia de que usa essa expressão, o que o professor faz nos textos de seus alunos. Na mesma linha, a expressão “revisão da língua portuguesa” diz mais ou menos a mesma coisa que revisão de português. Na verdade, são duas expressões a que costuma recorrer quem precisa pela primeira vez de um revisor de textos. Compreenda-se que o conceito de revisão de textos é bem mais amplo que revisão de português. O trabalho do revisor de textos profissional implica considerações bem mais complexas, incluindo abordagem sistemática e processual do texto, considerações psicolinguísticas (incluindo questões cognitivas e psicogenéticas), sem falar nas considerações semiológicas, ou seja, inclui todas as abordagens da linguística moderna:      fonética, cujo objeto são os sons que empregamos na fala, tentamos representá-los na escrita; fonologia, preocupa-se com os fonemas básicos de uma língua; morfologia, dedica-se à estrutura de formação das palavras; sintaxe, é a parte da linguística que estuda a articulação das palavras para formar frases gramaticais; semântica, estuda o sentido dos enunciados, por exemplo, formal ou lexical, significados e significâncias das frases e das palavras que a integram; Foco em textos acadêmicos. Para orçamento, envie a: keimelion@gmail.com
  6. 6. Keimelion - revisão de textos      http://www.keimelion.com.br lexicologia, cuida do conjunto de palavras do idioma, ligado à lexicografia, área de atuação dedicada à elaboração de dicionários e outras obras que descrevem o uso e sentido do léxico; terminologia, dedica-se ao conhecimento e análise dos vocabulários especializados das artes e ofícios; estilística, tem como objeto estilo na linguagem, inclusive do ponto de vista estético; pragmática, trata da função das oralizações (literal, figurativa...) na comunicação; filologia, e o estudo das linguagens na história e suas transformações. 1.5. Revisão ortográfica, revisão gramatical C omo já foi dito, ortografia e gramática são apenas dois dentre os muitos aspetos de que um texto se constitui. Revisar somente a ortografia e a gramática de um texto é algo perfeitamente possível, mas isso não significa tenha sido feito tudo o necessário para a melhoria do texto. Ortografia e gramática, dentre outras coisas, existem para que o texto transmita com maior eficiência a informação desejada. O importante não é que apenas a ortografia e gramática estejam adequadas no texto, mas que o texto todo esteja bom, que cumpra sua função de comunicar a ideia satisfatoriamente. O texto é uma unidade complexa, um conjunto de informações ordenadas e estruturadas em diversos códigos dos quais a ortografia e a gramática são integrantes, mas há muitos outros aspectos a serem considerados: o estilo, a coesão, o registro são outros aspectos presentes a serem considerados na revisão, para que o texto seja adequadamente aperfeiçoado. Muitas vezes as pessoas procuram por revisão ortográfica ou revisão gramatical de seus textos, o que não é exatamente o que elas estão desejando. Mais grave é quando “profissionais” anunciam estes serviços, o que não é adequado e pode indicar algum tipo de precariedade no serviço oferecido. Pelo que estamos demonstrando, o que se deve ter em conta na revisão não é tão somente ortografia e gramática – mas o texto todo. Por isso, consideramos mais correto referir a nosso trabalho como revisão de texto. Revisamos o texto todo, qualquer aspecto e todas as facetas da complexidade e unidade textuais são consideradas em nosso processo de revisão. Tudo fazemos no Foco em textos acadêmicos. Para orçamento, envie a: keimelion@gmail.com
  7. 7. Keimelion - revisão de textos http://www.keimelion.com.br objetivo de não apenas atender a algumas normas formais, tais como a ortografia ou gramática, mas tendo em vista a função comunicacional do texto, seu aperfeiçoamento como suporte de um conjunto de informações ordenado e hierarquizado da melhor forma possível para que a mensagem alcance o leitor com a maior clareza possível. É natural que as pessoas se refiram à revisão gramatical e ortográfica do texto, pois de fato elas existem e são importantes. Mas elas devem sempre ser ultrapassadas para o aperfeiçoamento do texto. Qualquer texto tem contexto, portanto, deve ser revisado em função um do outro, o texto adequando-se ao contexto, gramática e ortografia inclusive se subordinam a essa relação. Em nosso caso, como trabalhamos focados na produção acadêmica, o texto está em registro formal, a norma é culta, estamos presos à ortografia oficial recémmodificada, bem como restritos à gramatica normatizada; assim com os textos acadêmicos devem ter a necessária coesão micro e macrotextual, devem ser tão isentos quanto possível e se revestirem de diversas outras características que constituem o jargão de cada campo de conhecimento. O trabalho do revisor de textos é aperfeiçoar o trabalho, eliminando nele as imperfeições normativas, ampliando-lhe a compreensão e reduzindo ao mínimo as falhas provenientes dos lapsos de digitação, edição e fadiga a que o autor sempre está sujeito. Foco em textos acadêmicos. Para orçamento, envie a: keimelion@gmail.com

×