Palestra dai de graça...

9.318 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.318
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
349
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra dai de graça...

  1. 1. Evangelho Segundo o Espiritismo<br />CAP. XXVI<br />Dai gratuitamente<br />oquegratuitamente<br />recebestes<br />
  2. 2. Reflexões:<br />"Dai gratuitamente o que gratuitamente haveis recebido", disse Jesus.<br />Não se deve fazer objeto de comércio dos dons que recebemos;<br />Os médiuns também receberam um dom para o bem que não podem vender.<br />Deus quer que a luz chegue a todos.<br />Mediunidade é uma faculdade divina, bastante mutável, que não pode ser usada como meio de subsistência.<br />
  3. 3. A mediunidade depende, antes de tudo, dos espíritos, por isso ninguém pode garantir conseguir resultados em dado momento, pois não pode prever a reação dos espíritos<br />A mediunidade é coisa santa, que deve ser praticada santamente<br />
  4. 4. Dai gratuitamente o que gratuitamente haveis recebido", disse Jesus.<br />Primeiramente devemos entender do que Ele estava falando. O que recebemos de graça ? Nossos talentos e nossa inteligência não caem do céu. Deus não distribui inteligência, ou aptidão para a música. Isso é conquista do espírito. Se não nesta, em outras vidas. Mas seria injusto para com aqueles que se esforçam em conseguir algo, se Deus distribuísse assim estes valores.<br />
  5. 5. Não se deve fazer objeto de comércio dos dons que recebemos<br />* O que é então, que temos nesse mundo mas que não é nosso ? Primeiramente nosso corpo. Ele é um empréstimo de Deus, que nos permite habitá-lo para podermos aprender. Depois temos os bens materiais, como dinheiro de família.<br />Vamos falar antes do corpo físico. Ele é um bem de imenso valor. Saibam todos que, a não ser em casos muito extremos, todos recebemos nosso corpo em perfeito estado, e que se sofremos com doenças, nada mais estamos fazendo do que colhendo as frutas amargas que semeamos antes.<br />
  6. 6. Os médiuns também receberam um dom para o bem que não podem vender.<br />Abusos sem fim são cometidos com nossos corpos. Comemos demais, dormimos muito pouco, bebemos, fumamos, agredimos o pobre do corpo de todas as maneiras. Nervosismo em excesso, trabalho fatigante, divertimentos desgastantes... tudo isso contribui para minar nossa saúde.<br />
  7. 7. Deus quer que a luz chegue a todos.<br />Quem pensa na saúde antes de comer uma enorme feijoada ?<br />Mas todos sabemos que é um prato pesado, e no entanto não nos vemos satisfeitos comermos bastante. <br />Isso também vale para os divertimentos. Ninguém é proibido de se divertir. Muito pelo contrário, isso é saudável e recomendável. No entanto, quando estamos lá, normalmente, não nos lembramos de nos limitar para evitar desgastes desnecessários ao nosso corpo.<br />
  8. 8. Mediunidade é uma faculdade divina, bastante mutável, que não pode ser usada como meio de subsistência.<br />Que mais teremos de graça ? <br />A herançaquealgunsreceberamdafamilia? Como então se portardiantedessafacilidadequechegouemmãosque antes nemimaginavapudesseissoacontecer? E porqueseráque Deus permitiuqueissoacontecesse?<br />Seráquetodosfazemessareflexãonestasituação?<br />
  9. 9. E que mais ? Existe algo de muito importante, uma faculdade que nos permite trabalhar intimamente junto à Espiritualidade. Estou falando da mediunidade. Esta faculdade não é privilégio de ninguém, muito pelo contrário, ela existe em todas as classes sociais, em todas as raças e credos. Poucos imaginam que um padre fazendo um sermão ou um pastor num discurso inflamado podem ser médiuns em ação. Eles podem não sabe-lo, ou podem chamar isso de inspiração do Espírito Santo, ou qualquer outra coisa.<br />
  10. 10. A mediunidade depende, antes de tudo, dos espíritos, por isso ninguém pode garantir conseguir resultados em dado momento, pois não pode prever a reação dos espíritos<br />De qualquer forma, é algo que recebemos de graça, como nossos corpos, e que tem um destino específico. Deus quer que a luz chegue a todos. É para isso que ele tem feito uso dos médiuns, trazendo sua palavra consoladora. Antes eram chamados de adivinhos, magos, pitonisas, e um monte de outras coisas. Hoje sabemos que são a ponte que nos liga ao outro lado da vida<br />
  11. 11. O Irmão X tem uma pequena estória, em que ele conta um caso onde uma turma de desajustados, procurando fazer alvoroço, destruiu as lâmpadas de um recinto. Lembra-nos que a energia elétrica que as iluminava continua lá, intocada. Ele compara as lâmpadas aos médiuns, e a energia elétrica à espiritualidade superior. Muitas vezes as lâmpadas de quebram, ou se apagam por si, mas a bondade divina nunca cessa.<br />Nesta posição, como intermediário, o médium tem o sagrado dever de utilizar esta faculdade em proveito do próximo. É na verdade uma grande oportunidade que ele recebe, pois tem a possibilidade direta de trabalhar ajudando.<br />
  12. 12. "Os médiuns atuais - pois que também os apóstolos tinham mediunidade - igualmente receberam de Deus um dom gratuito: o de serem intérpretes dos Espíritos, para instrução dos homens, para lhes mostrar o caminho do bem e conduzi-los à fé, não para lhes vender palavras que não lhes pertencem, a eles médiuns, visto que não são fruto de suas concepções, nem de suas pesquisas, nem de seus trabalhos pessoais. <br />
  13. 13. Deus quer que a luz chegue a todos; não quer que o mais pobre fique dela privado e possa dizer: não tenho fé, porque não a pude pagar; não tive o consolo de receber os encorajamentos e os testemunhos de afeição dos que pranteio, porque sou pobre. Tal a razão por que a mediunidade não constitui privilégio e se encontra por toda parte. Fazê-la paga seria, pois, desviá-la do seu providencial objetivo. (...) <br />
  14. 14. Quem, pois, deseje comunicações sérias deve, antes de tudo, pedi-las seriamente e, em seguida, inteirar-se da natureza das simpatias do médium com os seres do mundo espiritual. Ora, a primeira condição para se granjear a benevolência dos bons Espíritos é a humildade, o devotamento, a abnegação, o mais absoluto desinteresse moral e material.“<br />Trechos retirados do livro O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec ( Cap. XXVI, pp. 365-367).<br />"A mediunidade, porém, não é uma arte, nem um talento, pelo que não pode tornar-se uma profissão. (...)". Ela é uma missão, não foi conquistada, aprendida, comprada, desta maneira, não deve ser vendida ou usada de maneira a privilegiar ganhos materiais.<br />
  15. 15. ReferênciaBibliográfica:<br />PalestraministradaporEdnilsomMontanhole, postada no site http://www.espirito.org.br/portal/palestras/ednilsom/dai-gratuitamente.html<br />

×