Construindo sites adequados para pessoas com Autismo - Webbr 2016

459 visualizações

Publicada em

Palestra ministrada na conferência Web.br 2016 sobre como projetar websites e aplicações web mais acessíveis a pessoas com Autismo, apresentando recomendações do projeto GAIA.

Publicada em: Internet

Construindo sites adequados para pessoas com Autismo - Webbr 2016

  1. 1. Talita Pagani @talitapagani Projetando sites adequados a pessoas com Autismo
  2. 2. It´s me, Mario! 11 de XP em TI Mestre em Computação pela UFSCar UX Designer na Nexaas Professora Universitária Membro do grupo de especialistas em Acessibilidade Web do W3C
  3. 3. AUTISMO Síndrome de neurodesenvolvimento que afeta as habilidades Sociais Comunicação Interesse
  4. 4. AUTISMO Imagem: Freepik.com
  5. 5. Estimativa da população com Autismo em 2015 no Brasil* 2 Milhões Estimativa da população com Autismo somente no estado de São Paulo em 2010** 255 Mil * Oliveira, 2015 ** Mello et al., 2013
  6. 6. Soluções computacionais Aliados das pessoas com Autismo para desenvolver habilidades e auxiliar em atividades de vida cotidiana
  7. 7. Carly Fleischmann http://bit.ly/2bvmClz Tecnologia pode ajudar a Desenvolver habilidades sociais e de comunicação Ajudar a organizar rotina Auxiliar na alfabetização Auxiliar a se comunicar com família e amigos
  8. 8. Porém... Interação e Experiência de Uso projetadas inadequadamente podem levar à estresse, irritação, desconforto e ansiedade 
  9. 9. Problemas Pouco conhecimento sobre como desenvolver soluções para este público Diretrizes existem, mas: Aquém do esperado Restritas a artigos científicos Possivelmente de difícil compreensão e aplicação prática
  10. 10. Outros problemas...
  11. 11. Dados da survey do meu mestrado: dos profissionais de TI não consideram ou consideram parcialmente pessoas com deficiências cognitivas ou neuronais em seus projetos84%
  12. 12. Dados da survey do meu mestrado: dos que não consideram o fazem porque não têm conhecimento suficiente sobre essas deficiências para aplicar em seus projetos75%
  13. 13. Dados da survey do meu mestrado: Disseram que empresa em que atuam não considera que estes usuários seriam parte do público-alvo dos projetos54%
  14. 14. Dados da survey do meu mestrado: Dos participantes desconheciam totalmente o WCAG 33% Desconheciam o trabalho e as recomendações do COGA (Cognitive and Learning Disabilities Task Force - WAI - W3C) 54%
  15. 15. “Mas se eu fizer um site acessível com base em nas diretrizes existentes, eu estarei atendendo a este público”
  16. 16. Não é bem verdade Para condições que envolvem neurodesenvolvimento, pode ser necessário simplificar ou adaptar o contéudo
  17. 17. Além disso O não cumprimento de uma diretriz de acessibilidade ou usabilidade afeta a pessoa com Autismo de outra forma
  18. 18. ? ? Como desenvolver aplicações adequadas a este público? Como as crianças podem ser mais autônomas usando a tecnologia? Conheço pouco sobre Autismo Será que a tecnologia está ajudando ou criando barreiras? Gap Semântico Programador Educador Desafio também para conscientizar múltiplos profissionais
  19. 19. Como faz?
  20. 20. Consistência Previsibilidade / rotina Distrações Sons e cores Controle do usuário Prevenção de erros Aspectos críticos
  21. 21. 10 Dicas De como tornar a experiência melhor para este público
  22. 22. De boa na lagoa, fera! Estou tranquilo, amigo! #1 Evite o uso de metáforas e figuras de linguagem
  23. 23. #2 Use recursos (áudio)visuais junto a textos Spotify Booking
  24. 24. #3 Projete páginas com layouts simples e consistente https://willianjusten.com.br/criando-efeito-parallax-no-header/
  25. 25. #4 Seja previsível e consistente nas interações e na navegabilidade Livra.com
  26. 26. #5 Forneça compatibilidade com o mundo real Marble jar
  27. 27. #5 Forneça compatibilidade com o mundo real Discover Our World
  28. 28. #6 Evite popups e propagandas que interrompam o conteúdo http://kikolani.com/optin-popup-forms.html
  29. 29. #7 Forneça restrições úteis de interação http://www.appcues.com/blog/the-5-best-user- onboarding-experiences/
  30. 30. #8 Ajude a pessoa a focar a atenção na tarefa principal Facebook
  31. 31. #8 Ajude a pessoa a focar a atenção na tarefa principal http://www.appcues.com/blog/the-5-best-user- onboarding-experiences/
  32. 32. #9 Habilite customização e modo leitura quando possível https://support.mozilla.org/en-US/kb/view-articles-reader- view-firefox-android
  33. 33. #10 Forneça ergonomia, por exemplo, boas áreas de clique Sebrae
  34. 34. O importante é Ser simples, objetivo, previsível e deixar o usuário no controle
  35. 35. Projeto em construção GAIA – Guia de Acessibilidade de Interfaces Web com foco em Aspectos do Autismo http://talitapagani.com/gaia/ http://github.com/talitapagani/gaia/
  36. 36. Referências DAHL, D. Web accessibility for people with cognitive disabilities. 2015. http://www.slideshare.net/dadahl/web-accessibility-for- people-with-cognitive-disabilities ELLISON, R. Designing for cognitive disabilities. 2011. http://www.slideshare.net/RuthEllison/designing-for-cognitive-disabilities/ IBGE, Censo Demográfico 2010. 2010. Disponível em: http://censo2010.ibge.gov.br/ MELLO, et al. Retratos do Autismo no Brasil. AMA: 2013. http://www.ama.org.br/site/images/home/Downloads/RetratoDoAutismo.pdf OLIVEIRA, C. Um retrato do autismo no Brasil. 2015. http://www.usp.br/espacoaberto/?materia=um-retrato-do-autismo-no-brasil POUNCEY, I. Web Accessibility for Cognitive Disabilities and Learning Difficulties. 2010. Disponível em: https://dev.opera.com/articles/cognitive-disability-learning-difficulty/ SEEMAN, L.; COOPER, M. (Org.). Cognitive Accessibility User Research. 2015. Disponível em: https://www.w3.org/TR/coga- user-research/ SMITH, J. Insights into Cognitive Web Accessibility. 2009. http://www.slideshare.net/jared_w_smith/insights-into-cognitive-web- accessibility WEBAIM. Cognitive. 2013.http://webaim.org/articles/cognitive/
  37. 37. Talita Pagani @talitapagani Obrigada!

×