GÊNEROS TEXTUAIS:
MARCAS
EM Leonor Pinto Thomaz
Abril/2015
Elaborado por Sonia Piaya
Supervisor de Ensino
Organizado por P...
Textos e gêneros textuais
• O texto é o melhor ponto de partida e chegada para o tratamento da
língua em sala de aula
• Os...
Gêneros Textuais
• São uma “forma de ação social”.
• Todos os gêneros têm uma forma e uma função, bem como um estilo
e um ...
Gênero textual, tipo textual e domínio
discursivo
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Gênero Textual
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Gêneros Textuais
• São os textos concretizados que encontramos em nossa vida diária e que
apresentam padrões sociocomunica...
Exs de gêneros textuais
• telefonema, sermão, carta comercial, carta pessoal, fábula, conto,
poema, romance, bilhete, repo...
Tipos textuais
• São modos textuais. Constituem sequências estruturais subjacentes
na composição de um gênero.
• Em geral,...
Domínio Discursivo
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Domínio Discursivo
• Constitui-se como uma “esfera da atividade humana” e indica
instâncias discursivas.
• Ex: discurso ju...
Suportes dos gêneros textuais
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Suportes dos gêneros textuais
• Em princípio, toda superfície física pode, em alguma circunstância,
funcionar como suporte...
Serviços, suportes ou gêneros?
• Correio ( serviço?)
• E-mail ( Gênero na área epistolar?)
• Mala-direta ( caso complexo.....
Resumindo:
• Não se pode tratar o gênero de discurso independentemente de sua
realidade social e de sua relação com as ati...
Ao proceder a investigação de cada gênero, o professor pode observar:
• contexto de produção e relação autor/leitor/texto:...
Um cuidado importante
• O professor deve promover a circulação de vários gêneros na sala de
aula. Destaquei apenas alguns ...
Entendendo a forma e função de alguns
gêneros...
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
RELATO DE EXPERIÊNCIA VIVIDA
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Se a bota couber, use
Era a primeira neve do inverno: um dia empolgante para toda criança, mas não para a maioria
das prof...
Marcas principais:
• Escrito em primeira pessoa (eu);
• Verbos no pretérito ( passado)
• Experiência subjetiva ( impressõe...
NOTÍCIA
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
PRÉDIO INTERDITADO DESABA EM GUARULHOS
Segundo os bombeiros, local estava vazio e não houve feridos. Acidente aconteceu
na...
Marcas principais:
• Relata um acontecimento envolvendo objetos ou pessoas;
• Unidades informativas devem estar completas:...
CONTO
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Marcas:
• Relato em prosa de fatos fictícios;
• Apresenta três momentos diferenciados:1) estado inicial de equilíbrio; 2)a...
POEMA
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Marcas:
• Texto geralmente escrito em verso;
• Distribuição espacial particular: linhas curtas e agrupamentos em
estrofe;
...
RECEITA OU INSTRUÇÃO
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
PANQUECA
Ingredientes:
1 copo de leite
1 ovo
1 copo de farinha de trigo
1 colher de sopa de óleo
1 pitada de sal
Modo de P...
• Apresenta, passo a passo, como fazer algo;
• Geralmente a forma é apresentar primeiro os materiais necessários e,
numa s...
CARTA
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Porangaba, 18 de abril de 2011
Querido papai,
Queria muito que você estivesse aqui comigo e com a mamãe para eu poder cont...
Marcas:
Sua estrutura apresenta:
1. Local e data;
2. Vocativo ( receptor para quem é dirigida a carta)
3. Saudação inicial...
HISTÓRIA EM QUADRINHO
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Jim Meddick. “Robô”. In folha de São Paulo, 27/04/1993.
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Marcas principais:
• Combina a imagem plana com o texto escrito;
• Elementos verbais e icônicos (desenho) integram-se a pa...
CHARGE
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
MARCAS:
• Caricaturas de pessoas conhecidas ligadas à política,à televisão, etc. A
charge relata um fato ocorrido em uma é...
BIOGRAFIA
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
EVA FURNARI
Uma das principais figuras da literatura para crianças. Eva Furnari
nasceu em Roma(Itália) em 1948 e chegou ao...
MARCAS:
• Narração feita por alguém acerca da vida de outra(s) pessoa(s);
• Quando o autor conta sua própria vida, conside...
ANÚNCIO
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
• Pode adotar distintas tramas: narrativa, argumentativa, descritiva ou
conversacional
• Objetiva criar no receptor a nece...
Texto de Divulgação Científica
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
• É um texto com base explicitamente científica. Normalmente são textos
com palavras técnicas, escrito de forma direta, si...
CARTUM
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
• Retrata figuras comuns, que representam o homem e a condição
humana. Ao contrário da charge, relata um fato universal qu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Gêneros textuais apresentação sonia

709 visualizações

Publicada em

Apresentação da supervisora Sonia Piaya a professores de educação básica.F 991130888 (15)

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
709
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gêneros textuais apresentação sonia

  1. 1. GÊNEROS TEXTUAIS: MARCAS EM Leonor Pinto Thomaz Abril/2015 Elaborado por Sonia Piaya Supervisor de Ensino Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  2. 2. Textos e gêneros textuais • O texto é o melhor ponto de partida e chegada para o tratamento da língua em sala de aula • Os textos materializam-se em formas as mais diversas e funcionam dos modos mais diversificados em situações sociais do dia-a-dia de todos nós. Essas materializações dos textos se dão em gêneros textuais. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  3. 3. Gêneros Textuais • São uma “forma de ação social”. • Todos os gêneros têm uma forma e uma função, bem como um estilo e um conteúdo, mas sua determinação se dá basicamente pela função e não pela forma. • Não se deve conceber os gêneros como modelos estanques nem como estruturas rígidas, mas como formas culturais e cognitivas de ação social (Miller, 1984) • A escola pode didatizar esse processo a fim de propiciar ao aprendiz um contato mais eficaz e mais adequado com a ação lingüística diária. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  4. 4. Gênero textual, tipo textual e domínio discursivo Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  5. 5. Gênero Textual Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  6. 6. Gêneros Textuais • São os textos concretizados que encontramos em nossa vida diária e que apresentam padrões sociocomunicativos característicos definidos por composições funcionais, objetivos enunciativos e estilos concretamente realizados na integração de forças históricas, sociais, institucionais e técnicas. • Como tal, os gêneros são formas textuais escritas ou orais bastante estáveis, histórica e socialmente situadas Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  7. 7. Exs de gêneros textuais • telefonema, sermão, carta comercial, carta pessoal, fábula, conto, poema, romance, bilhete, reportagem, aula expositiva, reunião de condomínio, notícia jornalística, horóscopo, receita culinária, bula de remédio, entrevista, lista de compras, cardápio de restaurante, instruções de uso, inquérito policial, bula de remédio, resenha, edital de concurso, piada, conversação espontânea, conferência, carta eletrônica, bate-papo por computador, aulas virtuais e assim por diante. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  8. 8. Tipos textuais • São modos textuais. Constituem sequências estruturais subjacentes na composição de um gênero. • Em geral, os tipos textuais abrangem cerca de meia dúzia de categorias conhecidas como: narração, argumentação, exposição, descrição, injunção. • O conjunto de categorias para designar tipos textuais é limitado e sem tendência a aumentar. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  9. 9. Domínio Discursivo Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  10. 10. Domínio Discursivo • Constitui-se como uma “esfera da atividade humana” e indica instâncias discursivas. • Ex: discurso jurídico, discurso jornalístico, discurso religioso etc • Não abrange um gênero em particular, mas dá origem a vários deles, já que os gêneros são institucionalmente marcados Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  11. 11. Suportes dos gêneros textuais Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  12. 12. Suportes dos gêneros textuais • Em princípio, toda superfície física pode, em alguma circunstância, funcionar como suporte. • Suportes convencionais: jornal, livros, revista, outdoor, folder, faixa, cartaz, embalagens, entre outros • Suportes incidentais: tronco de árvore, corpo humano, muros etc Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  13. 13. Serviços, suportes ou gêneros? • Correio ( serviço?) • E-mail ( Gênero na área epistolar?) • Mala-direta ( caso complexo...) • Internet (serviço ou suporte?) • Homepage e site ( serviço ou suporte?) Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  14. 14. Resumindo: • Não se pode tratar o gênero de discurso independentemente de sua realidade social e de sua relação com as atividades humanas. • Todos os textos se realizam em algum gênero e todos os gêneros comportam uma ou mais seqüências tipológicas e são produzidos em algum domínio discursivo, sendo que os textos sempre se fixam em algum suporte pelo qual atingem a sociedade. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  15. 15. Ao proceder a investigação de cada gênero, o professor pode observar: • contexto de produção e relação autor/leitor/texto: observação do autor/enunciador, do destinatário, do provável objetivo, do local e da época de publicação e de circulação; exploração das inferências, das críticas, das emoções suscitadas e criação de situações-problema, veiculadas , efeitos de sentido do texto etc. • conteúdo temático: temas que são tratados em textos pertencentes ao gênero em questão. • organização geral(construção composicional): a antiga superestrutura textual, redimensionada. • marcas linguísticas e enunciativas: características do gênero e do autor, o qual veicula seu texto em determinado gênero (recursos linguístico- expressivos mobilizados). OBS: Atentar-se aos descritores da Prova Brasil e as habilidades do SARESP Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  16. 16. Um cuidado importante • O professor deve promover a circulação de vários gêneros na sala de aula. Destaquei apenas alguns nesta apresentação por serem bastante requisitados nas avaliações externas. • Deve-se ter o máximo de cuidado no trato dos gêneros, pois não se trata de ensinar aos alunos uma teoria dos gêneros nem ensinar a agruparem os textos em gêneros numa mera atividade classificatória e sim de produzir textos de gêneros diversos. Objeto de ensino é o gênero e não a teoria dos gêneros ou uma suposta atividade classificatória. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  17. 17. Entendendo a forma e função de alguns gêneros... Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  18. 18. RELATO DE EXPERIÊNCIA VIVIDA Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  19. 19. Se a bota couber, use Era a primeira neve do inverno: um dia empolgante para toda criança, mas não para a maioria das professoras. Até então, eu conseguira me vestir sozinha para o recreio, mas hoje precisaria de ajuda. A Srta. Finlayson, minha professora no jardim de infância da Escola Princesa Elizabeth, perto de Hamilton, em Ontário, passou por muitos primeiros dias de neve em sua longa carreira, mas acho que ela talvez ainda se lembre daquele. Consegui me enfiar nas calças de neve, de lã que pinicava. Mas lutei com o casaco, porque não cabia direito em mim. Tinha sido do meu irmão e me fez pensar por que tinha de usar as roupas feias dele. Pelo menos, o gorro e o cachecol combinando eram meus, e bem bonitos. Finalmente, chegou a hora de pedir ajuda à Srta. Finlayson com as botas. Com sua voz calma e maternal, ela disse: “No fim do inverno, vocês todos serão capazes de calçar as botas sozinhos.” Não percebi, na época, que essa era mais uma declaração de esperança do que de certeza. Entreguei-lhe as botas e estendi o pé. Como a maioria das crianças, esperava que o adulto fizesse o serviço completo. Depois de muito rodar e empurrar, ela conseguiu enfiar a primeira bota no lugar e então, com um suspiro audível, trabalhou até calçar a segunda também. Anunciei: “Estão com os pés trocados!” Com a graça que só a experiência dá, ela lutou para tirar as botas e passou pela triste tarefa de calçá-las outra vez. Então eu disse: “Sabe, essas botas não são minhas.” Ao puxar dos meus pés as botas trangressoras, ela ainda conseguiu parecer prestativa e interessada. Assim que as tirou, eu disse: “As botas são do meu irmão. Minha mãe me obriga a usá-las e eu detesto!” Não sei como, por causa dos longos anos de prática, ela conseguiu agir como se eu não fosse uma menininha irritante. Empurrou e forçou, dessa vez com menos gentileza, e as botas foram devolvidas ao lugar certo nos meus pés. Com um grande suspiro de alívio, já antevendo o fim da luta, ela perguntou: “E agora, onde estão as luvas?” Olhei-a bem nos olhos e disse: “Não queria perdê-las e enfiei dentro das botas.” SINCLAIR, Trish. In: A história da sua vida. Seleções. Novembro 2009. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  20. 20. Marcas principais: • Escrito em primeira pessoa (eu); • Verbos no pretérito ( passado) • Experiência subjetiva ( impressões pessoais- o quanto foi afetado pela experiência aparece no final do texto) • Ordem do relatar ( texto narrativo) • Função: Documentação e memorização de ações humanas Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  21. 21. NOTÍCIA Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  22. 22. PRÉDIO INTERDITADO DESABA EM GUARULHOS Segundo os bombeiros, local estava vazio e não houve feridos. Acidente aconteceu na manhã desta quinta na Avenida Timóteo Penteado. Um prédio de três andares desabou na manhã desta quinta-feira (14) em Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o imóvel havia sido interditado nesta semana e estava vazio. Ninguém ficou ferido. O acidente aconteceu na Avenida Timóteo Penteado, altura do número 3.900. Duas equipes do Corpo de bombeiros chegaram a ir até o local, mas já haviam retornado para suas bases por volta das 9h10. De acordo com a Prefeitura de Guarulhos, o prédio havia sido interditado na terça-feira (12) devido a danos causados por uma obra realizada no terreno vizinho. Um muro que cercaria o terreno foi construído próximo demais da estrutura do prédio, que foi abalada. No prédio interditado moravam aproximadamente 18 pessoas em 14 pequenos apartamentos, todos alugados. Elas foram encaminhadas para a casa de parentes ou para hotéis de baixo custo da região, bancados pela empresa responsável pela obra. Ainda segundo a administração municipal, a obra tinha seguro e os danos serão ressarcidos. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano de Guarulhos vai acompanhar o caso. Jornal O Globo 14/04/2011 Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  23. 23. Marcas principais: • Relata um acontecimento envolvendo objetos ou pessoas; • Unidades informativas devem estar completas: Quem? O quê? Quando? Onde? Por quê? • Texto jornalístico • Ordem do relatar ; • Função: informativa ( documentação e memorização de ações humanas) Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  24. 24. CONTO Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  25. 25. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  26. 26. Marcas: • Relato em prosa de fatos fictícios; • Apresenta três momentos diferenciados:1) estado inicial de equilíbrio; 2)aparição de um conflito, que dá lugar a uma sequência de episódios; 3)encerra com a resolução desse conflito(que permite a recuperação do equilíbrio perdido) • predomínio da trama narrativa, mas apresenta alguma trama descritiva; • presença de um narrador (personagem ou observador ou observador onisciente – aquele que sabe tudo sobre o personagem); • presença de intensa trama conversacional (os personagens dialogam); • os personagens, bem como a trama, se desenvolvem num espaço e tempo limitados; • na sua composição lingüística aparecem muitos verbos indicadores de ação, predominando o pretérito imperfeito (havia, era uma vez); • os travessões marcam a fala dos personagens que, às vezes, é mediada pelo narrador; • Há também o clímax, momento de maior tensão dramática que culmina com o desfecho, sempre positivo. • quando se tratar de conto de fadas aparecem os objetos mágicos, tais como espelhos, botas, poções etc. • Texto literário - Função:Literária ( intencionalidade estética) • Ordem do narrar Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  27. 27. POEMA Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  28. 28. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  29. 29. Marcas: • Texto geralmente escrito em verso; • Distribuição espacial particular: linhas curtas e agrupamentos em estrofe; • Presença de rimas • Tipo de texto: literário • Função: Literária ( intencionalidade estética) • Ordem do narrar Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  30. 30. RECEITA OU INSTRUÇÃO Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  31. 31. PANQUECA Ingredientes: 1 copo de leite 1 ovo 1 copo de farinha de trigo 1 colher de sopa de óleo 1 pitada de sal Modo de Preparo: Bata os ingredientes no liquidificador Pré aqueça uma frigideira de teflon com uma colherinha de óleo Coloque a massa na frigideira com o auxílio de uma concha Deixe assar até que a borda obtenha uma cor dourada Vire a panqueca e recheie ao seu gosto (carne, queijo e presunto, frango etc) deixando dourar o outro lado Enrole e reserve-as em um pirex Cubra com molho de tomate polvilhado com queijo ralado e leve ao forno pouco antes de servir só para aquecer Sempre que quiser pode aumentar a quantidade, é só dobrar a receita tirando o sal da receita você pode rechear a panqueca com doce de leite, brigadeiro, nutela, banana, geléia Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  32. 32. • Apresenta, passo a passo, como fazer algo; • Geralmente a forma é apresentar primeiro os materiais necessários e, numa segunda parte, como usar estes materiais para a realização de um produto final • Texto Instrucional • Funções: Explicativa, descritiva, reguladora, prescritiva, instrucional • Ordem do descrever ações Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  33. 33. CARTA Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  34. 34. Porangaba, 18 de abril de 2011 Querido papai, Queria muito que você estivesse aqui comigo e com a mamãe para eu poder contar pessoalmente a aventura que vivi. Mas entendo que a vida de lenhador leva você, muitas vezes, a estar longe da gente, tudo bem... mas sinto tantas saudades! Sabe, pai, passei por momentos de grande medo! Imagina que eu fui levar uns doces pra vó Joana, que estava doente, e quase fui comida por um lobo! Nossa, só de lembrar fico arrepiada! Calma, se estou contando a história é porque sobrevivi, não fique preocupado. Voltando aos doces... Eu estava no caminho e encontrei um lobo que disse que morava na floresta e conhecia um caminho mais rápido para eu chegar até a casa da vovó. Ele não parecia mau, até me ajudou a colher algumas flores e carregou um pouco a minha cesta. Quando eu cheguei à casa da vovó, percebi que ela estava um pouquinho estranha, mas quando é que eu ia imaginar que não era ela? Pensando bem, hoje eu sei que aqueles olhos tão grandes, aquele nariz enorme e aquelas orelhas esquisitas não poderiam ser mesmo da vovó, mas na hora ... sei lá ... não percebi nada e ainda cheguei bem pertinho. Foi nesse momento que o lobo pulou em cima de mim. Eu, que sou bem espertinha, corri para fora e comecei a gritar bem alto. Por sorte, um caçador que passava por perto ouviu os meus gritos. Que herói ele foi, papai! Atirou no lobo, procurou a vovó na casa toda e a encontrou amarrada no armário. Depois ela me contou que o lobo a escondeu lá para nos comer mais tarde. Já viu que coisa horrível? Não fique preocupado, pois aquele lobo já não vive mais. Espero que você possa estar aqui muito em breve para nós dois rirmos bastante dessa história. Um beijo cheio de saudades De sua filha, Joana. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  35. 35. Marcas: Sua estrutura apresenta: 1. Local e data; 2. Vocativo ( receptor para quem é dirigida a carta) 3. Saudação inicial 4. Corpo do assunto (com diferentes tramas: narrativa e argumentativa) 5. O assunto pode trazer diferentes funções da linguagem (informativa, expressiva e apelativa); 6. Saudação Final • Texto epistolar • Funções: Expressiva, argumentativa, informativa etc • Ordem do argumentar, narrar Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  36. 36. HISTÓRIA EM QUADRINHO Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  37. 37. Jim Meddick. “Robô”. In folha de São Paulo, 27/04/1993. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  38. 38. Marcas principais: • Combina a imagem plana com o texto escrito; • Elementos verbais e icônicos (desenho) integram-se a partir de um código específico. • Predomínio de imagens; • Uso abundante de onomatopéias (Crash! Pfat! etc); • Ausência quase que total de narrador; • Trama narrativa, mas há, nas imagens, uma proposta descritiva; • A trama conversacional é organizada por meio dos balões de fala. • O gênero exige a percepção, com detalhes, dos balões; por exemplo: quando o balão está seccionado isso representa o pensamento do personagem. • Texto humorístico; • Função: Diversão, Literária ( intencionalidade estética) • Ordem do narrar Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  39. 39. CHARGE Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  40. 40. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  41. 41. MARCAS: • Caricaturas de pessoas conhecidas ligadas à política,à televisão, etc. A charge relata um fato ocorrido em uma época definida, dentro de um determinado contexto cultural, econômico e social específico e que depende do conhecimento desses fatores para ser entendida. Fora desse contexto ela provavelmente perderá sua força comunicativa, portanto é perecível. Justamente por conta desta característica, a charge tem um papel importantíssimo como registro histórico. • predomínio de imagens; • ausência total de narrador; • trama narrativa, mas há, nas imagens, uma proposta descritiva e/ou argumentativa; • o gênero exige que, para a construção dos sentidos, faça-se uma leitura detalhada das imagens. • Texto humorístico • Função: diversão • Ordem: Argumentar Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  42. 42. BIOGRAFIA Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  43. 43. EVA FURNARI Uma das principais figuras da literatura para crianças. Eva Furnari nasceu em Roma(Itália) em 1948 e chegou ao Brasil em 1950, radicando-se em São Paulo. Desde muito jovem, sua atração eram os livros de estampas --e não causa estranhamento algum imaginá-Ia envolvida com cores, lápis e pincéis, desenhando mundos e personagens para habitá-Ios... Suas habilidades criativas encaminharam-na, primeiramente, ao universo das Artes Plásticas expondo, em 1971, desenhos e pinturas na Associação dos Amigos do Museu de Arte Moderna, em uma mostra individual. Paralelamente, cursou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, formando-se no ano de 1976. No entanto, erguer prédios tornou-se pouco atraente quando encontrou a experiência das narrativas visuais. Iniciou sua carreira como autora e ilustradora, publicando histórias sem texto verbal, isto é, contadas apenas por imagens. Seu primeiro livro foi lançado pela Ática, em 1980, Cabra-cega, inaugurando a coleção Peixe Vivo, premiada pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil -FNLlJ. Ao longo de sua carreira, Eva Furnari recebeu muitos prêmios, entre eles contam o Jabuti de "Melhor Ilustração" --Trucks (Ática, 1991), A bruxa Zelda e os 80 docinhos (1986) e Anjinho (1998) --setes láureas concedidas pela FNLlJ e o Prêmio APCA pelo conjunto de sua obra. http:llcaracal. imaginaria. cam/autog rafas/evafurnari/index. HTML Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  44. 44. MARCAS: • Narração feita por alguém acerca da vida de outra(s) pessoa(s); • Quando o autor conta sua própria vida, considera-se uma autobiografia; • Geralmente apresenta datas como nascimento, casamento, falecimento. Publicações ou obras da biografado também são lembradas. Local onde viveu, formou-se são comuns. Ou seja: apresenta-se os aspectos e vivências importantes da vida da pessoa. • Texto de Informação Científica; • Função: Documentação e memorização de ações humanas • Ordem do relatar Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  45. 45. ANÚNCIO Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  46. 46. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  47. 47. • Pode adotar distintas tramas: narrativa, argumentativa, descritiva ou conversacional • Objetiva criar no receptor a necessidade de adquirir um produto, visitar um lugar, participar de um evento, participar de uma reunião etc., • A partir da descrição dos traços e aspectos valorizados como positivos do elemento promovido. • Freqüentemente, conjuga o verbal com o icônico em uma relação de complementariedade que amplia o significado deste tipo de texto. • Texto publicitário; • Função: Apelativa, divulgação • Ordem do descrever ações Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  48. 48. Texto de Divulgação Científica Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  49. 49. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  50. 50. • É um texto com base explicitamente científica. Normalmente são textos com palavras técnicas, escrito de forma direta, simples e curta. • Texto de divulgação Científica • Função: transmissão e construção de saberes • Ordem do expor Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  51. 51. CARTUM Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  52. 52. Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888
  53. 53. • Retrata figuras comuns, que representam o homem e a condição humana. Ao contrário da charge, relata um fato universal que não depende do contexto específico de uma época ou cultura, sendo assim atemporal. Temas universais como o náufrago, o amante, o palhaço, a guerra, o bem x mau, são frequentemente explorados em cartuns. São temas que podem ser entendidos em qualquer parte do mundo por diferentes culturas em diferentes épocas • - predomínio de imagens; • - ausência total de narrador; • - trama narrativa, mas há, nas imagens, uma proposta descritiva e/ou argumentativa; • - o gênero exige que, para a construção dos sentidos, faça-se uma leitura detalhada das imagens. • Texto humorístico • Função: divertir • Ordem do argumentar Organizado por Profª Sonia Piaya - (15) 91130888

×