Os tipos e gêneros textuais i

12.209 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.209
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
183
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os tipos e gêneros textuais i

  1. 1. Os Tipos e Gêneros Textuais na Sala de Aula CRE ORLA Salvador/BA 2013.2
  2. 2. - 2 - Secretaria Municipal da Educação de Salvador – SMED Coordenadoria Regional da Educação – CRE ORLA EQUIPE Coordenadora da CRE Nilce Gama Subcoordenadora da CRE Alexandro Rocha Coordenadoras Pedagógicas: Angela Freire Eliana Hayne Jaciara Gomes Maria Rita Reis Wendy Rosa
  3. 3. - 3 - Secretaria Municipal da Educação de Salvador – SMED Coordenadoria Regional da Educação – CRE ORLA Os TEXTOS são classificados TIPOS em duas dimensões: GÊNEROS Os TIPOS referem-se à intenção do autor, a razão pela qual o texto foi escrito. Os GÊNEROS referem-se às características formais do texto. Os TEXTOS podem variar em função: Do CONTEÚDO – o que o autor quer comunicar. Da INTENÇÃO do AUTOR – o que o autor pretende provocar no leitor. Do LEITOR ou PÚBLICO ALVO – as pessoas que ele quer atingir e suas características. Das CARACTERÍSTICAS próprias dos TIPOS e GÊNEROS, que podem ser mais ou menos rígi- dos. Segundo João Batista (2008), Schneuwly, Dolz e colaboradores classificam os TIPOS de TEXTOS em: NARRATIVO: o autor escreve para NARRAR, CONTAR HISTÓRIAS. INFORMATIVO: o autor escreve para INFORMAR PERSUASIVO: o autor escreve para CONVENCER. TEXTO é a base do ensino e aprendizagem de Língua Portuguesa. GÊNEROS são ótimos instrumentos para ensinar e aprender língua. Quanto mais gêneros são apropriados, maiores são as capacidades de se usar a língua (Schneuwly, 2004). TIPOS E GÊNEROS TEXTUAIS ATENÇÃO É importante dizer que a classificação aqui se apresenta é fundamentada as propostas de Schneuwly, Dolz e colaboradores, segundo João Batista (2008).
  4. 4. - 4 - Secretaria Municipal da Educação de Salvador – SMED Coordenadoria Regional da Educação – CRE ORLA PROCEDIMENTOS: o autor escreve para explicar um procedimento, como funciona, como se faz. POEMA: o autor escreve para EMOCIONAR, para SENSIBILIZAR. TEXTOS NARRATIVOS são um conjunto de eventos encadeados que constitui um caso, uma histó- ria. A INTENÇÃO COMUNICATIVA é narrar, contar uma história fictícia ou real. E, por vezes, algo que aconteceu ou algo que pode ser inventado. E, pode ser uma mistura de ambos. Cada texto tem seu objetivo, por isso os textos possuem características. Para alcançar seus objetivos, narram uma história. A ESTRUTURA DO TEXTO NARRATIVO: O AMBIENTE: situa a história, é o espaço, o lugar onde ocorrem as ações realizadas por perso- nagens. O ambiente pode incluir a descrição do lugar, a estação do ano ou o clima, a situação ou um determinado período de tempo como “num reino muito antigo” ou “era uma vez”. O ambiente é importante para situa o enredo, os personagens e a situação onde ocorre a história. As AÇÕES: se desenrolam no tempo e no espaço, ou seja, no ambiente descrito. Elas se desen- volvem a partir do um enredo ou trama, ou seja, é o que acontece na história. Normalmente a ação as ações se desenvolvem numa sequência de eventos, com princípio, meio e fim. No prin- cípio são apresentados o ambiente, os personagens e o conflito que dá origem a narrativa. No meio da história é a trama ou o enredo. E no final há a solução do conflito. TIPOS DE TEXTOS TIPO NARRATIVO O que é GENERO para um autor ou crítico é TIPO para outro. Um GÊNERO pode existir em diferentes TIPOS de TEXTO. As fronteiras entre GÊNERO e TIPOS são tênues, as diferenças podem ser pou- co claras, em muitas circunstâncias. Cabe, portanto, entender a razão dessas definições e sua utilidade práticas (OLIVEIRA, 2008).
  5. 5. - 5 - Secretaria Municipal da Educação de Salvador – SMED Coordenadoria Regional da Educação – CRE ORLA As PERSONAGENS: há protagonistas, antagonistas, personagens principais e secundários. Fre- quentemente os personagens se encontram diante de um conflito ou dilema a serem resolvi- dos. A caracterização dos personagens permite ao leitor entender quem eles são, o que eles di- zem, o que os outros dizem dele e o que irão fazer. Os personagens são importantes para o en- tendimento da evolução das ações. Eles podem pessoas, animais ou fantásticos. GÊNERO NARRATIVO – Bilhete – biografia – carta – conto de fadas – conto moderno – conto tradicional – crônica – diário – fábula – história em quadrinho – lendas – mitos brasileiros – notícias – relato de viagem. TIPO DE TEXTO NARRATIVO EM SÍNTESE; ⇒⇒⇒⇒ A INTENÇÃO COMUNICATIVA: narrar, contar histórias, eventos, compartilhar o que aconteceu. ⇒⇒⇒⇒ ESTRUTURA: ambiente, personagem, ações. •AMBIENTE: situa o contexto. •PERSONAGENS: Desempenham papéis. Protagonista e antagonismo. Reais ou fictícios. Previsíveis ou complexos. •AÇÕES: enredo ou trama, conflito ou tema. ENREDO OU TRAMA – o que acontece. CONFLITO: relações entre situações e personagens. SEQUÊNCIA: princípio, meio e fim da história. TEMA: ou assunto ou mensagem, implícita ou explícita. LINGUAGEM: conotativa ou denotativa, formal ou informal.
  6. 6. - 6 - Secretaria Municipal da Educação de Salvador – SMED Coordenadoria Regional da Educação – CRE ORLA Um TEXTO INFORMATIVO fornece informações, fatos e dado a respeito de um determinado assun- to. Ele é essencial para desenvolver conhecimentos a respeito do mundo A INTENÇÃO COMUNICATIVA: informar, descrever, apresentar uma informação ou explicação. Embora cada um tenha características próprias, todos tem o propósito de ensinar a pessoa inte- ressada em saber mais sobre um determinado assunto. A ESTRUTURA DO TEXTO INFORMATIVO: Não existe uma estrutura formal comum aos vários aos vários textos informativos. A estrutura depende do gênero e do próprio conteúdo ou objeto descrito. A estrutura de um texto informativo tem como objetivo a clareza – apresentar a informação de forma que facilite o entendimento do leitor. Em alguns textos informativos, o texto é subdividido em partes, com subtítulos, ilustrações, grá- ficos ou outros recursos formais que ajudem o leitor a organizar a informação. As pessoas precisam aprender a identificar e organizar informações, como ordenar fatos, even- tos e conceitos, como avaliar a fonte das informações etc. CARACTERÍSTICAS: Trata de um assunto. (Exemplo: os gatos) Usa um tipo específico de linguagem. (Exemplo: os gatos são animais predadores) Contém informação nova. (Exemplo: os gatos são membros da família dos felinos) Usa fatos e dados. (Exemplo: os gatos gozavam de elevado conceito no Egito antigo) Ensina algo sobre o assunto. A LINGUAGEM DOS TEXTOS INFORMATIVOS: É descritiva. É precisa, direta. Os verbos encontram quase sempre no presente. GÊNEROS INFORMATIVOS: Bula de remédio – dicionário – definição – descrição – embalagem – enciclopédia – entre- vista – informativo – instrucional/didático – roteiro turístico. Além de mapas – gráficos – diagramas – tabelas – ilustrações. TIPO INFORMATIVO / DESCRITIVO
  7. 7. - 7 - Secretaria Municipal da Educação de Salvador – SMED Coordenadoria Regional da Educação – CRE ORLA TEXTOS PERSUASIVOS / ARGUMENTATIVOS fazem parte do cotidiano, oferecem informações, fa- tos e dados de um determinado assunto, objeto. INTENÇÃO COMUNICATIVA: persuadir, ou seja, convencer. Tem como função direcionar, orientar, influenciar o leitor. O objetivo do texto é levar as pessoas a tomar uma posição, partido ou deci- são. Ou seja, o objetivo é convencer e influenciar o leitor. ESTRUTURA: formal depende dos textos utilizados. É organizada de forma lógica, para convencer racionalmente ou de forma psicológica, para convencer por meio de argumentos de autoridades ou apelos emocionais. Mostra a relação entre idéias (previne doenças), ou associa informações e idéias com sentimentos ou emoções. TIPOS DE ARGUMENTOS: ARGUMENTOS LÓGICOS OU FACTUAIS: o autor identifica e analisa o problema. Apresenta fatos, analisa as causas, as consequências e introduz seus argumentos de forma convincente. ARGUMENTOS DE AUTORIDADE: nas propagandas ou citações. ARGUMENTOS EMOCIONAIS: são apelos para os sentimentos, o prazer, os sentidos, as emoções ou os valores. A estrutura formal pode ser bem marcante, como no caso de anúncios, slogans, cartazes ou uma carta aberta. Ou pode ser mais sutil, como no caso de um ensaio, artigo ou relatório. LINGUAGEM: Verbos fortes, imperativos. Frases repetitivas, slogans, palavras de ordem. Frases conclusivas. Adjetivos. Faz uso de várias linguagens, especialmente da linguagem visual e de apelos aos vários sen- tidos. PERSONAGENS: são genéricos, grupos de pessoas ou são autoridades ou modelos respeitados pelo leitor. GÊNEROS PERSUASIVOS: Aviso – anúncio – cartaz – convite – folheto – placa – propaganda – sinais – roteiro turísti- co. TIPO PERSUASIVO / ARGUMENTATIVO
  8. 8. - 8 - Secretaria Municipal da Educação de Salvador – SMED Coordenadoria Regional da Educação – CRE ORLA Um TEXTO do tipo PROCEDIMENTO explica como proceder, como fazer. Alguns textos tipo servem para dizer o que fazer, como nas listas, legislação, normas ou combinados. Tem a função diretiva INTENÇÃO COMUNICATIVA: dizer o que fazer e orientar sobre a maneira de fazer algo, realizar determinada tarefa. ESTRUTURA: A ordem para apresentar as informações: No caso de uma lei ou norma, parte-se do mais geral para o mais específico, organizando os itens – por exemplo, direitos e deveres, responsabilidades dos alunos, dos pais, dos professo- res. No caso da receita em geral há de um lado os ingredientes, de outro, o modo de fazer. No caso de jogos, em geral se apresenta o objetivo (como se ganha), os jogadores, as regras e os elementos ou componentes do jogo. LINGUAGEM: Técnica Precisa Clara, objetiva e sucinta Verbos no imperativo ou no infinitivo GÊNERO PROCEDIMENTO: Combinado – formulário – formulário – leis – lista – instruções – normas – receita A POESIA é o tipo mais elaborado de TEXTOS LITERÁRIOS. É considerada a semente de toda litera- tura, pois foi o primeiro gênero literário a ser desenvolvido. INTENÇÃO COMUNICATIVA: provocar no leitor respostas intelectuais, emocionais ou ambas. A POESIA pode ser como NARRATIVA, mas também pode ser usada para explicar ou persuadir as pessoas sobre determinadas idéias (cordel para fins educativo e político). Tudo pode haver poesia: num bilhete, numa carta, no acróstico, numa descrição etc. TIPO PROCEDIMENTO TIPO POESIA
  9. 9. - 9 - Secretaria Municipal da Educação de Salvador – SMED Coordenadoria Regional da Educação – CRE ORLA ESTRUTURA: É fundamentalmente baseada na linguagem e são inseparáveis. Esses recursos são usados para transmitir o sentido. Muitos tipos de poemas possuem uma estrutura formal rígida. LINGUAGEM: Inclui o uso de ritmos, rimas, sonoridades uso de frases curtas e melódicas jogos e brincadeiras com as palavras. É amplo o uso da linguagem figurada, metáforas e múltiplos sentidos. GÊNERO Poesia.
  10. 10. Tipos e Gêneros Textuais TIPOS DE TEXTOS NARRATIVO INFORMATIVO PERSUASIVO PROCEDIMENTO POÉTICO DEFINIÇÃO Textos, literários ou não, apresentam histórias reais ou fictícias. Textos que apresentam fatos sobre uma varieda- de de assunto. Textos que apresentam ou sugerem opiniões a respeito dos temas tratados. Textos que explicam como fazer algo. Textos que provocam uma resposta de caráter emocional. FUNÇÃO Expressiva ou informativa. Informativa Informativa ou diretiva. Diretiva. Expressiva. INTENÇÃO COMUNICA- TIVA Contar, narrar. Informar Convencer. Explicar, ensinar a fazer algo. Sensibilizar. ESTRUTURA Ambiente, personagens, ações (enredo, conflito, tema). Formal Lógica, psicológica. Argu- mentação: lógica, de autori- dade, emocionais. Ordem e sequência são essen- ciais. Formato da apresentação pode ser rígido. Variada, uso de verso, ritmo, rimas para ajudar a transmitir o sentido ou criar emoções. LINGUAGEM Conotativa ou denotativa, formal ou informal. Objetividade, impessoal, clara, simples, direta. Sentido denotativo. Usam dados e ilustra- ções. Persuasiva, apelos emocio- nais. Simples, clara e objetiva. Conotativa, sentido figurado, escolha cuidadosa de palavras. GÊNERO - BILHETE - DICIONÁRIO - AVISO - COMBINADO - POEMA - BIOGRAFIA - DEFINIÇÃO - ANÚNCIO - FORMULÁRIO - CARTA - DESCRIÇÃO - CARTAZ - LEIS - CONTO DE FADAS - EMBALAGEM - CONVITE - LISTA - CONTO MODERNO - ENCICLOPÉDIA - FOLHETO - INSTRUÇÕES - CONTO TRADICIONAL - ENTREVISTA - PLACA - NORMAS - CRÔNICA - INFORMATIVO - SINAIS - RECEITA - DIÁRIO - ROTEIRO TURÍSTICO - FÁBULA - HISTÓRIA EM QUA- DRINHOS - LENDAS - MITOS BRASILEIROS - NOTÍCIAS - RELATO DE VIAGEM
  11. 11. REFERÊNCIA OLIVEIRA, João Batista Araújo. Usando textos na sala de aula: tipos e gêneros textuais. 3ª ed. Brasília: Instituto Alfa e Beto, 2008.
  12. 12. - 12 - Secretaria Municipal da Educação de Salvador – SMED Coordenadoria Regional da Educação – CRE ORLA

×