SlideShare uma empresa Scribd logo
Artes
Ensino Médio
Teoria das Cores
Conteúdos:
Teoria das cores
História da arte (Gauguin, séc.XIX)
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Autorretrato
Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm,
Paul Gauguin
1848-1903
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Panorama histórico:
- Revolução Industrial (1760-1840)
- Desenvolvimento de tecnologia (telefone, cinema,
fotografia, locomotiva, pilha elétrica,etc)
- No séc.XIX: Sigmund Freud, Charles Darwin, Pasteur,
Comte, Thomas Edison, Karl Marx
-Popularização da fotografia (1860)
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
campus Montanha
Nièpce (1826)
"Boulevard du Temple", Daguerre (1839)
Fotografia no séc. XIX
Autocromos
Lumière, 1900
Impressionismo
Impressionismo Impressão, nascer do sol Claude Monet, 1872
Óleo sobre tela, 48 cm × 63 cm. Museu Marmottan Monet, Paris
Impressionismo
Catedral de Rouen. Claude Monet, 1894
Óleo sobre tela. Musée d'Orsay, Paris
Les Grands Boulevards. Renoir, 1875
Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm,
Impressionismo
ihiaucb
Edgar Degas – As dançarinas
Impressionismo
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
La classe de danse
Edgar Degas, 1875
Óleo sobre tela, 85 × 75 cm
Museu de Orsay, ParisLa Petite Danseuse de Quatorze Ans
Edgar Degas, 1881. Bronze - Cera, 97cm
National Gallery of Art, Washington, EUA
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Vincent Van Gogh Surgimento da Arte Moderna
como reação ao Impressionismo
A Noite Estrelada. Vincent Van Gogh
Óleo sobre tela, 92 x 73,7 cm, 1889
MoMA, Nova Iorque, EUA
A Noite Estrelada. Vincent Van Gogh
Óleo sobre tela, 92 x 72 cm, 1888
Museu de Orsay, Paris, França
Vincent Van Gogh
A Casa Amarela
Vincent Van Gogh
Vincent Van Gogh
Quarto em Arles (2ª versão)
Vincent Van Gogh
1889
Art Institute of Chicago, EUA
Vincent Van Gogh
Trigal com Corvos
Vincent Van Gogh, 1890
Museu Van Gogh, NE
Trecho do filme Sonhos de Akira Kurosawa
(1990)
Produzido por George Lucas e Steve Spielberg
Anxiety (Ansiedade). Edvard Munch
Óleo sobre tela, 43 x 28 cm
Phillips Collection, Washington DC, EUA
O Grito. Edvard Munch (1893)
91cm x 73cm, Óleo sobre tela
Galeria Nacional, Oslo, Noruega
Expressionismo: Ao invés das sensações provocadas pela luz, retrata as inquietações do ser humano
Paris, séc.XIX
Cuzco, Peru
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Café de Nuit, Arles. Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm, 1888Paul Gauguin
Van Gogh, 1888
Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm,Paul Gauguin
Cristo Amarelo, 1889
Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm
Paul Gauguin
Impressionismo CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Impressionismo
Duas mulheres na praia. 1891
Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm,Paul Gauguin
Vahine no te vi (Woman of the Mango)
Óleo sobre tela, 1892
Museu de Arte de Baltimore, EUA
Mulher haitiana com uma flor, 1891
PaulGauguin
De onde viemos, 1897
Paul Gauguin
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
La naissance du Christ le Fils de Dieu, 1896
Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm,Paul Gauguin
La Vision après le Sermon (La Lutte de Jacob avec l’Ange), 1896
Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm,
Arearea, 1894
Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm,Paul Gauguin
Paul Gauguin Mahana no atua (Dia de Deus), 1894
Cor é uma percepção visual provocada pela ação de
um feixe de fótons sobre células especializadas da
retina, que transmitem através de informação pré-
processada no nervo óptico, impressões para o
sistema nervoso.
A cor de um material é determinada pelas médias
de frequência dos pacotes de onda que as suas
moléculas constituintes refletem. Um objeto terá
determinada cor se não absorver justamente os
raios correspondentes à frequência daquela cor.
Conceito de cor
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
A cor é relacionada
com os diferentes
comprimentos de onda
do espectro
eletromagnético
Física: Cor
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Espectro de cores
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Aristóteles (séc.VI a.C.):
Cor como propriedade do objeto
Leonardo da Vinci (séc.XV):
Cor como propriedade da luz
Isaac Newton (séc.XVII):
Decomposição da luz
Teorias das cores
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Tradicionalmente, o vermelho, o azul e o amarelo são tratadas como as cores
primárias nas artes plásticas. Esse sistema de classificação é conhecido como RYB.
R – vermelho (red)
Y – amarelo (yellow)
B – azul (blue)
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Sistemas de cores:
- Aditiva (soma no branco):
meio eletrônico, luz RGB
Vermelho, verde e azul
-Subtrativa (soma no preto):
pigmentos, corantes. CMYK,
Ciano, magenta, amarelo (y),
e preto.
ATENÇÃO!!!
Nem todas as cores vistas no
monitor podem ser conseguidas
na impressão, pois o espectro de
cores CMYK é menor que o RGB
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Aditiva (soma no branco):
- meio eletrônico, luz RGB
- Vermelho, verde e azul
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Subtrativa (soma no preto):
- Pigmento CMYK
- Ciano, magenta, amarelo (y), e preto.
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Cores secundárias são
as cores que se formam pela
mistura de duas cores
primárias, em partes iguais.
Cores secundárias
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Cor terciária é uma cor composta por
uma cor primária e uma cor
secundária. São ao todo seis cores, a
saber:
Laranja = vermelho + amarelo
Oliva = verde + amarelo
Turquesa = verde + ciano
Celeste = azul + ciano
Violeta = azul + magenta
Cor de rosa = vermelho + magenta
A definição das cores terciárias
independe de o caso ser aditivo
(RGB) ou subtrativo (CMYK), as cores
são sempre as mesmas, e com as
mesmas combinações.
Cores terciárias
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Na ciência das cores, duas cores são
chamadas complementares se, quando
misturadas, produzem o preto, o branco ou
alguma graduação de cinza.
Nos sistemas de cores mais perceptíveis,
o branco está no centro do espectro e as
cores complementares se situam uma ao
lado oposto da outra.
São análogas se forem vizinhas no disco
cromático
Cores complementares
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Matiz (Hue) – é uma das três propriedades da cor que nos
permite classificar e distinguir uma cor de outra
matiz se refere à cor "pura", sem adição de branco ou preto
Saturação (saturation) – grau de mesclagem do matiz com a
cor branca
é a proporção de quantidade de cor em relação à cor cinza
média. Quanto menos cinza na composição da cor, mais
saturada ela é, a redução da saturação transforma a cor em
cinza médio.
Na TV se transforma uma imagem a cores em preto-e-branco
diminuindo a saturação
Brilho, Luminosidade ou Refletância (Brightness) – é a
proporção entre o fluxo de radiação eletromagnética incidente
numa superfície e o fluxo que é refletido
Parâmetros das cores
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Partes do trabalho: (anotem!)
-Baixar uma pintura de Gauguin para o desktop do
computador (pesquisar no Google imagens)
-Baixar uma foto sua, ou qq outra fotografia
-Fechar todas as abas do computador
- Acessar www.pixlr.com
-Selecionar “Pixlr Editor”
-Abrir as duas imagens (Ctrl O)
-Barra de ferramentas / Adjustment / Hue & Saturation
-“Salvar como” as fotos modificadas:
Barra de ferramentas / Save (Ctrl S)
CEFET-RJ - Coordenação de Artes
Temas dos grupos:
-Impressionismo
-Gauguin
-Teoria das cores
-Sistema RGB
-Sistema CMYK
-Invenção da fotografia,
(Daguerre)
-Autocromos
-Van Gogh
Partes do trabalho: (anotem!)
- Parágrafo de introdução + imagem
- Contexto Histórico
- Uso da técnica e escolha de temas
das obras
- Exemplos (título, autor, ano)
- Referências
CEFET-RJ - Coordenação de Artes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Neo-impressionismo 4
Neo-impressionismo 4Neo-impressionismo 4
Neo-impressionismo 4
Professor Gilson Nunes
 
Cubismo 1907-1914
Cubismo   1907-1914Cubismo   1907-1914
Cubismo 1907-1914
Professor Gilson Nunes
 
Aula 4 Impressionismo
Aula 4   ImpressionismoAula 4   Impressionismo
Aula 4 Impressionismo
Aline Okumura
 
Figuração e abstração na arte contemporânea
Figuração e abstração na arte contemporânea Figuração e abstração na arte contemporânea
Figuração e abstração na arte contemporânea
Catarina Argolo
 
Cubismo 2
Cubismo 2Cubismo 2
Cubismo 2
Hugo Ferreira
 
Vanguardas
VanguardasVanguardas
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Carlos Vieira
 
Eckhout, albert
Eckhout, albertEckhout, albert
Eckhout, albert
deniselugli2
 
Picasso cubismo
Picasso   cubismoPicasso   cubismo
Picasso cubismo
Thereza Valente
 
Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ocubismo 110523084518-phpapp02Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ramyldo Braga
 
Cubismo
CubismoCubismo
Pós impressionismo
Pós impressionismoPós impressionismo
Pós impressionismo
Carlos Elson Cunha
 
Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.
Roger Pimentel
 
Pós impressionismo
Pós impressionismoPós impressionismo
Pós impressionismo
TatiArtes
 
COR
CORCOR
Pablo picasso e o cubismo
Pablo picasso e o cubismoPablo picasso e o cubismo
Pablo picasso e o cubismo
Meire Falco
 
Introdução ao Cubismo.
Introdução ao Cubismo.Introdução ao Cubismo.
Introdução ao Cubismo.
Ipsun
 
Cubismo
CubismoCubismo
Jacques-Louis David
Jacques-Louis DavidJacques-Louis David
Jacques-Louis David
Carlos Pinheiro
 
Gêneros Artísticos
Gêneros ArtísticosGêneros Artísticos
Gêneros Artísticos
Sandro Bottene
 

Mais procurados (20)

Neo-impressionismo 4
Neo-impressionismo 4Neo-impressionismo 4
Neo-impressionismo 4
 
Cubismo 1907-1914
Cubismo   1907-1914Cubismo   1907-1914
Cubismo 1907-1914
 
Aula 4 Impressionismo
Aula 4   ImpressionismoAula 4   Impressionismo
Aula 4 Impressionismo
 
Figuração e abstração na arte contemporânea
Figuração e abstração na arte contemporânea Figuração e abstração na arte contemporânea
Figuração e abstração na arte contemporânea
 
Cubismo 2
Cubismo 2Cubismo 2
Cubismo 2
 
Vanguardas
VanguardasVanguardas
Vanguardas
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Eckhout, albert
Eckhout, albertEckhout, albert
Eckhout, albert
 
Picasso cubismo
Picasso   cubismoPicasso   cubismo
Picasso cubismo
 
Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ocubismo 110523084518-phpapp02Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ocubismo 110523084518-phpapp02
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Pós impressionismo
Pós impressionismoPós impressionismo
Pós impressionismo
 
Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.
 
Pós impressionismo
Pós impressionismoPós impressionismo
Pós impressionismo
 
COR
CORCOR
COR
 
Pablo picasso e o cubismo
Pablo picasso e o cubismoPablo picasso e o cubismo
Pablo picasso e o cubismo
 
Introdução ao Cubismo.
Introdução ao Cubismo.Introdução ao Cubismo.
Introdução ao Cubismo.
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Jacques-Louis David
Jacques-Louis DavidJacques-Louis David
Jacques-Louis David
 
Gêneros Artísticos
Gêneros ArtísticosGêneros Artísticos
Gêneros Artísticos
 

Semelhante a Teoria das Cores

Procedimentos pictóricos: pinturas de base, aguadas, alla prima, camada sobre...
Procedimentos pictóricos: pinturas de base, aguadas, alla prima, camada sobre...Procedimentos pictóricos: pinturas de base, aguadas, alla prima, camada sobre...
Procedimentos pictóricos: pinturas de base, aguadas, alla prima, camada sobre...
Catarina Argolo
 
História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
Carlos Pinheiro
 
Estudo da cor 8 ano
Estudo da cor 8 anoEstudo da cor 8 ano
Estudo da cor 8 ano
Paula Caldeira
 
Aula3 Imagem
Aula3 ImagemAula3 Imagem
Aula3 Imagem
dribas
 
21.pós impressionismo
21.pós impressionismo21.pós impressionismo
21.pós impressionismo
Isabella Silva
 
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.pptARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
FranciscaFerreira71
 
ARTES s.ppt
ARTES s.pptARTES s.ppt
ARTES s.ppt
Filipe375561
 
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.pptARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
LeilaLima41
 
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.pptARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
Islann Rosa
 
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.pptARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
Simone0224
 
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).pptARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).ppt
HeloisadeLima4
 
Elementos Visual da Arte da fotografia artistica
Elementos Visual da Arte da fotografia artisticaElementos Visual da Arte da fotografia artistica
Elementos Visual da Arte da fotografia artistica
Isabel797759
 
Elementos linguagem visual
Elementos linguagem visual Elementos linguagem visual
Elementos linguagem visual
melzynhabessa
 
Análise de van gogh
Análise de van goghAnálise de van gogh
Análise de van gogh
Lua Modanez
 
Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)
Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)
Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)
Cecília Tura
 
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismoMódulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Carla Freitas
 
Rectangulo
RectanguloRectangulo
Rectangulo
Ilídio Salteiro
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Arte Educadora
 
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).pdf
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).pdfARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).pdf
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).pdf
Lídia Pereira Silva Souza
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo

Semelhante a Teoria das Cores (20)

Procedimentos pictóricos: pinturas de base, aguadas, alla prima, camada sobre...
Procedimentos pictóricos: pinturas de base, aguadas, alla prima, camada sobre...Procedimentos pictóricos: pinturas de base, aguadas, alla prima, camada sobre...
Procedimentos pictóricos: pinturas de base, aguadas, alla prima, camada sobre...
 
História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
 
Estudo da cor 8 ano
Estudo da cor 8 anoEstudo da cor 8 ano
Estudo da cor 8 ano
 
Aula3 Imagem
Aula3 ImagemAula3 Imagem
Aula3 Imagem
 
21.pós impressionismo
21.pós impressionismo21.pós impressionismo
21.pós impressionismo
 
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.pptARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
 
ARTES s.ppt
ARTES s.pptARTES s.ppt
ARTES s.ppt
 
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.pptARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
 
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.pptARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
 
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.pptARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
 
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).pptARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).ppt
 
Elementos Visual da Arte da fotografia artistica
Elementos Visual da Arte da fotografia artisticaElementos Visual da Arte da fotografia artistica
Elementos Visual da Arte da fotografia artistica
 
Elementos linguagem visual
Elementos linguagem visual Elementos linguagem visual
Elementos linguagem visual
 
Análise de van gogh
Análise de van goghAnálise de van gogh
Análise de van gogh
 
Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)
Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)
Arte moderna-a-contemporanea-729850 (1)
 
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismoMódulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
 
Rectangulo
RectanguloRectangulo
Rectangulo
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).pdf
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).pdfARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).pdf
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas (1).pdf
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 

Mais de Luciano Dias

Parâmetros do Som
Parâmetros do SomParâmetros do Som
Parâmetros do Som
Luciano Dias
 
Arte Contemporânea
Arte ContemporâneaArte Contemporânea
Arte Contemporânea
Luciano Dias
 
Roteiro de Documentário
Roteiro de DocumentárioRoteiro de Documentário
Roteiro de Documentário
Luciano Dias
 
Arte Barroca na Europa
Arte Barroca na EuropaArte Barroca na Europa
Arte Barroca na Europa
Luciano Dias
 
Arte Colonial Brasileira
Arte Colonial BrasileiraArte Colonial Brasileira
Arte Colonial Brasileira
Luciano Dias
 
Tipos de Documentários
Tipos de DocumentáriosTipos de Documentários
Tipos de Documentários
Luciano Dias
 
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (3)
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (3)Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (3)
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (3)
Luciano Dias
 
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)
Luciano Dias
 
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ
Oficina de Audiovisual CEFET-RJOficina de Audiovisual CEFET-RJ
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ
Luciano Dias
 
Literatura de Cordel
Literatura de CordelLiteratura de Cordel
Literatura de Cordel
Luciano Dias
 
Design: Bauhaus
Design: BauhausDesign: Bauhaus
Design: Bauhaus
Luciano Dias
 
Perspectiva Linear
Perspectiva LinearPerspectiva Linear
Perspectiva Linear
Luciano Dias
 
Iconografia
IconografiaIconografia
Iconografia
Luciano Dias
 
Montagem e Edição de Vídeo
Montagem e Edição de VídeoMontagem e Edição de Vídeo
Montagem e Edição de Vídeo
Luciano Dias
 
Operação de Câmera de Vídeo
Operação de Câmera de VídeoOperação de Câmera de Vídeo
Operação de Câmera de Vídeo
Luciano Dias
 
Equipes e Fases da Produção Audiovisual
Equipes e Fases da Produção AudiovisualEquipes e Fases da Produção Audiovisual
Equipes e Fases da Produção Audiovisual
Luciano Dias
 
Roteiro Audiovisual
Roteiro AudiovisualRoteiro Audiovisual
Roteiro Audiovisual
Luciano Dias
 
Arte na Grécia Antiga II (Teatro)
Arte na Grécia Antiga II (Teatro)Arte na Grécia Antiga II (Teatro)
Arte na Grécia Antiga II (Teatro)
Luciano Dias
 
Arte na Grécia Antiga
Arte na Grécia AntigaArte na Grécia Antiga
Arte na Grécia Antiga
Luciano Dias
 
Roteiro Audiovisual
Roteiro AudiovisualRoteiro Audiovisual
Roteiro Audiovisual
Luciano Dias
 

Mais de Luciano Dias (20)

Parâmetros do Som
Parâmetros do SomParâmetros do Som
Parâmetros do Som
 
Arte Contemporânea
Arte ContemporâneaArte Contemporânea
Arte Contemporânea
 
Roteiro de Documentário
Roteiro de DocumentárioRoteiro de Documentário
Roteiro de Documentário
 
Arte Barroca na Europa
Arte Barroca na EuropaArte Barroca na Europa
Arte Barroca na Europa
 
Arte Colonial Brasileira
Arte Colonial BrasileiraArte Colonial Brasileira
Arte Colonial Brasileira
 
Tipos de Documentários
Tipos de DocumentáriosTipos de Documentários
Tipos de Documentários
 
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (3)
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (3)Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (3)
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (3)
 
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ (2)
 
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ
Oficina de Audiovisual CEFET-RJOficina de Audiovisual CEFET-RJ
Oficina de Audiovisual CEFET-RJ
 
Literatura de Cordel
Literatura de CordelLiteratura de Cordel
Literatura de Cordel
 
Design: Bauhaus
Design: BauhausDesign: Bauhaus
Design: Bauhaus
 
Perspectiva Linear
Perspectiva LinearPerspectiva Linear
Perspectiva Linear
 
Iconografia
IconografiaIconografia
Iconografia
 
Montagem e Edição de Vídeo
Montagem e Edição de VídeoMontagem e Edição de Vídeo
Montagem e Edição de Vídeo
 
Operação de Câmera de Vídeo
Operação de Câmera de VídeoOperação de Câmera de Vídeo
Operação de Câmera de Vídeo
 
Equipes e Fases da Produção Audiovisual
Equipes e Fases da Produção AudiovisualEquipes e Fases da Produção Audiovisual
Equipes e Fases da Produção Audiovisual
 
Roteiro Audiovisual
Roteiro AudiovisualRoteiro Audiovisual
Roteiro Audiovisual
 
Arte na Grécia Antiga II (Teatro)
Arte na Grécia Antiga II (Teatro)Arte na Grécia Antiga II (Teatro)
Arte na Grécia Antiga II (Teatro)
 
Arte na Grécia Antiga
Arte na Grécia AntigaArte na Grécia Antiga
Arte na Grécia Antiga
 
Roteiro Audiovisual
Roteiro AudiovisualRoteiro Audiovisual
Roteiro Audiovisual
 

Último

Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 

Teoria das Cores

  • 1. Artes Ensino Médio Teoria das Cores Conteúdos: Teoria das cores História da arte (Gauguin, séc.XIX) CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 2. Autorretrato Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm, Paul Gauguin 1848-1903 CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 3. Panorama histórico: - Revolução Industrial (1760-1840) - Desenvolvimento de tecnologia (telefone, cinema, fotografia, locomotiva, pilha elétrica,etc) - No séc.XIX: Sigmund Freud, Charles Darwin, Pasteur, Comte, Thomas Edison, Karl Marx -Popularização da fotografia (1860) CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 4. campus Montanha Nièpce (1826) "Boulevard du Temple", Daguerre (1839)
  • 7. Impressionismo Impressão, nascer do sol Claude Monet, 1872 Óleo sobre tela, 48 cm × 63 cm. Museu Marmottan Monet, Paris
  • 8. Impressionismo Catedral de Rouen. Claude Monet, 1894 Óleo sobre tela. Musée d'Orsay, Paris
  • 9. Les Grands Boulevards. Renoir, 1875 Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm, Impressionismo
  • 10. ihiaucb Edgar Degas – As dançarinas Impressionismo CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 11. La classe de danse Edgar Degas, 1875 Óleo sobre tela, 85 × 75 cm Museu de Orsay, ParisLa Petite Danseuse de Quatorze Ans Edgar Degas, 1881. Bronze - Cera, 97cm National Gallery of Art, Washington, EUA CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 12. Vincent Van Gogh Surgimento da Arte Moderna como reação ao Impressionismo A Noite Estrelada. Vincent Van Gogh Óleo sobre tela, 92 x 73,7 cm, 1889 MoMA, Nova Iorque, EUA A Noite Estrelada. Vincent Van Gogh Óleo sobre tela, 92 x 72 cm, 1888 Museu de Orsay, Paris, França
  • 13. Vincent Van Gogh A Casa Amarela Vincent Van Gogh
  • 14. Vincent Van Gogh Quarto em Arles (2ª versão) Vincent Van Gogh 1889 Art Institute of Chicago, EUA
  • 15. Vincent Van Gogh Trigal com Corvos Vincent Van Gogh, 1890 Museu Van Gogh, NE
  • 16. Trecho do filme Sonhos de Akira Kurosawa (1990) Produzido por George Lucas e Steve Spielberg
  • 17. Anxiety (Ansiedade). Edvard Munch Óleo sobre tela, 43 x 28 cm Phillips Collection, Washington DC, EUA O Grito. Edvard Munch (1893) 91cm x 73cm, Óleo sobre tela Galeria Nacional, Oslo, Noruega Expressionismo: Ao invés das sensações provocadas pela luz, retrata as inquietações do ser humano
  • 18. Paris, séc.XIX Cuzco, Peru CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 19. Café de Nuit, Arles. Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm, 1888Paul Gauguin
  • 20. Van Gogh, 1888 Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm,Paul Gauguin
  • 21. Cristo Amarelo, 1889 Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm Paul Gauguin
  • 22. Impressionismo CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 24. Duas mulheres na praia. 1891 Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm,Paul Gauguin
  • 25. Vahine no te vi (Woman of the Mango) Óleo sobre tela, 1892 Museu de Arte de Baltimore, EUA Mulher haitiana com uma flor, 1891 PaulGauguin
  • 26. De onde viemos, 1897 Paul Gauguin CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 27. La naissance du Christ le Fils de Dieu, 1896 Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm,Paul Gauguin
  • 28. La Vision après le Sermon (La Lutte de Jacob avec l’Ange), 1896 Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm,
  • 29. Arearea, 1894 Óleo sobre tela, 52.1 x 63.5 cm,Paul Gauguin
  • 30. Paul Gauguin Mahana no atua (Dia de Deus), 1894
  • 31. Cor é uma percepção visual provocada pela ação de um feixe de fótons sobre células especializadas da retina, que transmitem através de informação pré- processada no nervo óptico, impressões para o sistema nervoso. A cor de um material é determinada pelas médias de frequência dos pacotes de onda que as suas moléculas constituintes refletem. Um objeto terá determinada cor se não absorver justamente os raios correspondentes à frequência daquela cor. Conceito de cor CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 32. A cor é relacionada com os diferentes comprimentos de onda do espectro eletromagnético Física: Cor CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 33. Espectro de cores CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 34. Aristóteles (séc.VI a.C.): Cor como propriedade do objeto Leonardo da Vinci (séc.XV): Cor como propriedade da luz Isaac Newton (séc.XVII): Decomposição da luz Teorias das cores CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 35. Tradicionalmente, o vermelho, o azul e o amarelo são tratadas como as cores primárias nas artes plásticas. Esse sistema de classificação é conhecido como RYB. R – vermelho (red) Y – amarelo (yellow) B – azul (blue) CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 36. Sistemas de cores: - Aditiva (soma no branco): meio eletrônico, luz RGB Vermelho, verde e azul -Subtrativa (soma no preto): pigmentos, corantes. CMYK, Ciano, magenta, amarelo (y), e preto. ATENÇÃO!!! Nem todas as cores vistas no monitor podem ser conseguidas na impressão, pois o espectro de cores CMYK é menor que o RGB CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 37. Aditiva (soma no branco): - meio eletrônico, luz RGB - Vermelho, verde e azul CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 38. Subtrativa (soma no preto): - Pigmento CMYK - Ciano, magenta, amarelo (y), e preto. CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 39. Cores secundárias são as cores que se formam pela mistura de duas cores primárias, em partes iguais. Cores secundárias CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 40. Cor terciária é uma cor composta por uma cor primária e uma cor secundária. São ao todo seis cores, a saber: Laranja = vermelho + amarelo Oliva = verde + amarelo Turquesa = verde + ciano Celeste = azul + ciano Violeta = azul + magenta Cor de rosa = vermelho + magenta A definição das cores terciárias independe de o caso ser aditivo (RGB) ou subtrativo (CMYK), as cores são sempre as mesmas, e com as mesmas combinações. Cores terciárias CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 41. Na ciência das cores, duas cores são chamadas complementares se, quando misturadas, produzem o preto, o branco ou alguma graduação de cinza. Nos sistemas de cores mais perceptíveis, o branco está no centro do espectro e as cores complementares se situam uma ao lado oposto da outra. São análogas se forem vizinhas no disco cromático Cores complementares CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 42. Matiz (Hue) – é uma das três propriedades da cor que nos permite classificar e distinguir uma cor de outra matiz se refere à cor "pura", sem adição de branco ou preto Saturação (saturation) – grau de mesclagem do matiz com a cor branca é a proporção de quantidade de cor em relação à cor cinza média. Quanto menos cinza na composição da cor, mais saturada ela é, a redução da saturação transforma a cor em cinza médio. Na TV se transforma uma imagem a cores em preto-e-branco diminuindo a saturação Brilho, Luminosidade ou Refletância (Brightness) – é a proporção entre o fluxo de radiação eletromagnética incidente numa superfície e o fluxo que é refletido Parâmetros das cores CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 43. Partes do trabalho: (anotem!) -Baixar uma pintura de Gauguin para o desktop do computador (pesquisar no Google imagens) -Baixar uma foto sua, ou qq outra fotografia -Fechar todas as abas do computador - Acessar www.pixlr.com -Selecionar “Pixlr Editor” -Abrir as duas imagens (Ctrl O) -Barra de ferramentas / Adjustment / Hue & Saturation -“Salvar como” as fotos modificadas: Barra de ferramentas / Save (Ctrl S) CEFET-RJ - Coordenação de Artes
  • 44. Temas dos grupos: -Impressionismo -Gauguin -Teoria das cores -Sistema RGB -Sistema CMYK -Invenção da fotografia, (Daguerre) -Autocromos -Van Gogh Partes do trabalho: (anotem!) - Parágrafo de introdução + imagem - Contexto Histórico - Uso da técnica e escolha de temas das obras - Exemplos (título, autor, ano) - Referências CEFET-RJ - Coordenação de Artes