Estudo da cor 8 ano

6.205 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.205
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
220
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudo da cor 8 ano

  1. 1. ESTUDO DA COR
  2. 2. A cor é uma percepção visual provocada pela açãode um feixe de fotões sobre células especializadasda retina, que transmitem através de informação pré-processada no nervo óptico, impressões para osistema nervoso.A cor é relacionada com os diferentes comprimentode onda do espectro eletromagnético.
  3. 3. Sem luz não há cor.Do conjunto das ondas magnéticas existentes noUniverso só conseguimos captar através dosnossos olhos uma pequena faixa – é a luz visível.Quando a luz branca, possuidora de todas as cores-luz, incide num objeto, constituído por determinadamatéria, alguns comprimentos de onda sãoabsorvidos, enquanto outros são refletidos pelamatéria que o constitui.
  4. 4. À soma das luzes coloridas do espetro visívelchamamos síntese aditiva. Se projetarmos num ecrã as luzes coloridas, azul-violeta, verde e vermelho, sobrepondo-as verificamos que resulta o branco. Na síntese aditiva as cores primárias são o vermelho, o verde e o azul-violeta. As secundárias são o amarelo, o azul ciano e o magenta.
  5. 5. Para colorir um objeto ou realizar um trabalho com cor,temos de recorrer à cor pigmento, quer esta seja deorigem natural ou artificial. À junção de duas corespigmento denominamos síntese subtrativa. Na síntese subtrativa as cores primárias são o amarelo, o azul ciano e o magenta. As secundárias são o roxo, o verde e o vermelho.
  6. 6. A cor na arte A arte moderna emergiu no século XIX, sobretudo na França. Por volta da mesma época os cientistas estudavam a forma como nós vemos.Vamos explorar como as novas noções da visão têm sido usadas pelosartistas.
  7. 7. • Ao longo dos séculos, os artistas usaram os conhecimentos "científicos” da visão e pintura para melhorar a sua arte.• Ao longo dos anos, tem havido vários tratados sobre a prática, a teoria e as questões filosóficas da pintura e noções sobre o uso da cor.
  8. 8. Gruta de Lascaux, França
  9. 9. • O primeiro livro importante sobre este tema foi o Livro do Artesão (Il Libro dell Arte) escrito por volta de 1390 pelo pintor toscano Cennino Cennini (c. 1370-1440).• Cennini dá instruções explícitas sobre o uso de pigmentos diferentes, a forma de prepará-los, a sua disponibilidade e assim por diante.• Este livro é um valioso guia que nos ajuda a entender as pinturas desta época. Masaccio, Retrato de um jovem, 1425. Tempera sobre painel
  10. 10. Em 1839, a teoria da interação das cores foi a primeira a com uma base sólida experimental, pelo químico francês Michel Chevreul (1786-1889). A sua “De la Loi du Contraste Simultané des Couleurs“ introduziu teorias que levaram a novas utilizações da cor.Depois de ser nomeadoresponsavel pelas obrascom corantes noManufactory Gobelins(tapeçarias), em Paris, elerecebeu muitas queixassobre os corantesusados ​lá. Em particular, osnegros pareciam diferentesquando usados junto dosazuis. Ele determinou quea cor dos fios erainfluenciada por outros fiosem redor. Isso levou aoconceito conhecido como
  11. 11. Luz, cor e visão
  12. 12. Como o olho capta a cor?O olho é muitas vezes comparado a uma câmara. Maspoderia ser mais apropriado compará-lo a uma câmarade TV que tem auto-focos, uma lente de auto-limpeza etem as suas imagens processadas por um computadorcom milhões de processadores. Quando o nosso olho vê, a luz do mundo exterior é focada pela lente na retina. Ali, ela é absorvida pelos pigmentos em células sensíveis à luz, chamadas bastonetes e cones. Os bastonetes são sensíveis à luminosidade e os cones reconhecem as
  13. 13. Muitos animais têm dois tiposdiferentes de cones. (Alguns,como os pássaros têm cinco oumais).Os grandes primatas, incluindo osseres humanos, têm três tiposdiferentes.• primeiro responde à luz de comprimentos de onda longos, chegando a uma cor amarelada, designada L (Long).• O segundo tipo responde à luz de comprimento de onda médio, atingindo um máximo de uma cor verde, e é abreviado M (Medium).• O terceiro tipo responde mais a curto comprimento de onda de
  14. 14. Newton e o espectro de coresA nossa compreensãomoderna da luz e da corcomeça com IsaacNewton (1642-1726) euma série deexperiências que elepublica em 1672.Ele é o primeiro acompreender o arco-íris– faz a refração da luzbranca com um prisma,decompondo-o nassuas corescomponentes:vermelho, laranja,amarelo, verde, azul,anil e violeta.
  15. 15. Os artistas ficaramfascinados com a clarademonstração de Newtonde que a luz era o únicoresponsável pela cor.A sua ideia mais útil paraos artistas era o seuarranjo conceptual dascores numacircunferência, o quepermitiu aos pintoresvisualizar as coresprimárias (vermelho,amarelo, azul) e as suasopostas, ascomplementares, uma Este diagrama circular tornou-se o modelo paraforma de as destacar em sistemas de cor nos séculos 18 e 19. Círculo do pintor Claude Boutet de 1708 foi provavelmente oque cada complementar primeiro a ser baseado no círculo de Newton.
  16. 16. Teoria da cor de GoetheAté Johann Wolfgang von Goethe aparecer, ninguém tinhaquestionado a validade das ideias de Newton sobre a luz e acor.Goethe era um escritor e cientista. O seu tratado foi publicadoem 1810 e embora cientificamente falando, não estivessecorreto, ele realmente descobriu aspectos que Newtonignorara sobre a fisiologia e psicologia da cor.Observou a retenção das cores na retina, a tendência do olhohumano em ver nas bordas de uma cor complementar, notouque os objetos brancos sempre parecem maiores do que osnegros.As suas observações foram resgatadas no início do séc. XXpelos estudiosos da Gestalt e sobre pintores modernos comoPaul Klee e Kandinsky.
  17. 17. As suas observações foram resgatadas no início doséc. XX pelos estudiosos da Gestalt e sobrepintores modernos como Paul Klee e Kandinsky.
  18. 18. As qualidades da cor As qualidades fundamentais da cor, e que explorarás nos teus trabalhos são:- Tom ou tonalidade – refere-se à própria cor. Osdiferentes matizes de uma cor formam uma tonalidade.
  19. 19. - Intensidade ou saturação – corresponde ao grau depureza da cor. As cores mais saturadas são as quepossuem pigmentos mais puros. A saturação das coresdiminui com o acréscimo de outros pigmentos.
  20. 20. - Luminosidade ou valor– corresponde ao grau declaridade ou obscuridade das cores.
  21. 21. Johannes Itten Johannes Itten (1888 — 1967) foi pintor, docente e ensaísta místico, ativo na primeira fase da Bauhaus.A roda de cores desenvolvidapor Itten é baseada noespectro visível e formada por12 cores, entre elas aschamadas cores primárias -azul, vermelho e amarelo -que são muito próximas àscores primárias da teoriasubtrativa e além disso, sãousadas como cores primáriaspor pintores e artistas emgeral.
  22. 22. A luz na arte
  23. 23. William TurnerA arte moderna é frequentementeassociada ao século 20.No entanto, o trabalho de JosephMallord William Turner (1775-1851)tem características que poderiamser consideradas modernas.Muitas das pinturas deTurner, mostram formas nãorepresentacionais que se afastamdas tradições dominantes derepresentação.Em vez de tentar imitar aaparência naturalista dacena, algumas áreas das pinturas Chuva, Vapor e Velocidade, 1844;parecem quase abstratas. Óleo sobre tela; National Gallery, Londres.
  24. 24. O céu escuro e as águasferventes do dilúvio bíblicosão arrastados para umamassa rodopiante denegros e roxos, em tornode uma piscina de amarelocontrastante à distância. Sombras e escuridão – A véspera do diluvio, Turner, 1843.
  25. 25. Olhando para turbilhãoda visão de Turner de“rescaldo do dilúvio”, édifícil acreditar que elese baseia em ideiascientíficas.No entanto, Turner cita aTeoria de Goethe (dascores "mais" e "menos”),que ele meticulosamenteestudou, embora a tenhainterpretado à suamaneira.Este quadro contrastacom o anterior, pintado Luz e Cor — A manhã após o diluvio, Turner, 1843com cores mais“positivas”.
  26. 26. As cores de MonetAté ao século 19,pensava-se a corcomo umapropriedadeintrínseca de umobjeto, tal como adensidade ou pontode fusão. As laranjaseramintrinsecamentelaranja e os limõeseramintrinsecamenteamarelo.Os impressionistas epós-impressionistasfranceses mudaram
  27. 27. O trabalho de Claude Monet (1840-1926) por volta de1890 demonstra esse desenvolvimento. Monet e os seuscontemporâneos começam a pintar ao ar livre, emoposição às definições tradicionais de um ambienteneutro no estúdio.
  28. 28. Assim, a série deMonet de palheirossão pintados sobdiferentes condiçõesde luz em diferentesmomentos do dia.Levantava-se antesdoamanhecer, pintava aprimeira tela durantemeia hora, pois a luzmudava nessa porçãode tempo. Emseguida, ele mudavapara a segunda tela, eassim por diante. Nodia seguinte elerepetia o processo.
  29. 29. Em cadaquadro, a cordo palheiro édiferenteporque a luzque brilha nopalheiro édiferente.A cor dopalheiro édeterminadapelas coresque o palheiroabsorve. A corque vemos éapenas a luzcolorida quenão éabsorvida e Série palheiros, c. 1890-91que se refletenos nossosolhos.
  30. 30. Série palheiros, efeito de neve de manhã, c. 1891
  31. 31. Série palheiros, c. 1890-91
  32. 32. O Contraste das coresAs cores diferenciam-se umas das outrasatraindo o nosso olharpelo tipo decontrastes queproduzem.Assim, por exemplo,um objeto de corvermelha numapaisagem de nevedestaca-se deimediato desta.Diríamos que a cor doobjeto contrasta com
  33. 33. Existem vários tipos de contrastes das cores. Vamosver alguns.- Contraste claro-escuro
  34. 34. Poucos artistas usaram tão dramaticamente ascores complementares como Vincent van Gogh(1853-1890).Amarelo e azul acentuam-se um ao outro no quadrode Van Gogh Terraço do Café na Place du Forum,
  35. 35. As nossas sensações são mais intensas quando dois extremos sãojustapostos. Café à Noite tem cores descritas como "quentes", quesão geralmente associadas com sensações e emoções tais comoenergia, amor, alegria e festividade.
  36. 36. Vamos compararisso com as obrasde Picasso no"período azul", ondeas pinturasdespertam emoçõesmais comumenteassociados comcores "frias", comotristeza e umasensação de perda.
  37. 37. num slide anterior
  38. 38. Contraste de luminosidade ou valorContraste de intensidade ou saturação
  39. 39. A arte moderna influenciada pelos estudos da cor e visão Os artistas modernos foram influenciados pelas novas descobertas e teorias sobre a visão e a cor. Em 1896, Wassily Kandinsky (1866-1944) vê “Monte de feno" de Monet numa exposição itinerante em São Petersburgo. As pinturas de Monet têm um grande impacto sobre o desenvolvimento artístico de Kandinsky para a abstração. De acordo com Kandinsky:"A pintura revelou-se para mim em toda a sua fantasia etodo o seu encanto. Dentro de mim surgiuprofundamente a dúvida pela primeira vez sobre aimportância do objeto como um elemento necessáriopara um quadro. "
  40. 40. Em vez de ir buscar referências ao mundo exterior, os objetos deKandinsky são subjetivos e transmitem a sua "natureza interna". Ao fazerisso, os seus objetos tornam-se independente dos modos tradicionais derepresentação, que visam retratar a ilusão de espaço tridimensional comcores naturalistas.Em 1910, Kandinsky é um dos primeiros a pintar um quadrocompletamente não-representacional abstrato.
  41. 41. Os discos de Newtoninspiraram FrantisekKupka em 1912.Segmentos de brancospodem referir-se à misturade todas as cores paratornar branca num discogiratório.
  42. 42. Pintura de Franz Marc do seu cão Russi, 1910-1911.Ele explicou o trabalho como um estudo sobre os contrastes entre o amarelo,branco e azul, talvez sobre a influência das teorias de Goethe.
  43. 43. Bridget Riley e a Op ArtBridget Riley (1931) é uma artista britânica conhecida pelos seustrabalhos opticamente vibrantes de meados dos anos 1960,chamados de "Op Art".Ela explora fenómenos óticos e cores que justapõe ou porseleção de cores acromáticas (preto, branco ou cinza). Ao fazerisso, o seu trabalho parece tremer, pulsar e mover, incentivandoa tensão visual do espectador.
  44. 44. Riley passou dois anos a copiar a pinturade Seurat, Ponte de Courbevoie, paraaprender sobre sua técnica de pintura e oseu uso de cores complementares.Ela descreve o processo como "ser umarevelação para ela" em relação à cor.Logo depois, em 1966, Riley começa ausar a cor para conseguir novos efeitosóticos. Justapondo linhas de cores purascomplementares que podem afetar o brilhopercebido das cores individuais.
  45. 45. Feras selvagens e CoresNo início do século 20, aarte passou por mudançassignificativas. Os artistastornaram-se cada vez maisinteressados no modo derepresentação não-naturalista, afastando-se douso tradicional das formas ecores.A partir de 1904, os artistasFauve, incluindo HenriMatisse, Derain André),Raoul Dufy, Henri Manguin,Maurice Vlaminck eGeorges Braque, começama retratar objetos familiarescom cores "estranhas".
  46. 46. O termo francês"fauvismo” refere-sea “feras selvagens."No entanto, umnome melhor para ogrupo pode ser "osartistas de cor pura."Fauvismo é oprimeiro movimentomoderno em que cortem o controlesupremo.
  47. 47. “Mulher com o chapéu” deMatisse (1905) é um bomexemplo das "novas" formasde coloração.Foi considerado ofensivopelos espectadorescontemporâneos, quando foiexibido pela primeira vez noSalon dAutomne, em Paris,em 1905.A crítica focou-se narepresentação do rosto damulher, que é representadacom várias cores que criamuma aparência de máscara.
  48. 48. Montanhas em Collioure, André Derain, 1905. As árvores e relva são desenhadascom traços longos de cor pura. No entanto, para ambos Derain e Matisse, a corera um imperativo menos emocional, menos pessoal do que tinha sido para van
  49. 49. Janela aberta em Collioure,Henri Matisse, 1905.Este é um dos primeirostrabalhos Fauve.Foi pintado durante o verãode 1905, quando Matisse,juntamente com AndréDerain, trabalharam nopequeno porto de pesca deCollioure Mediterrâneo,perto da fronteiraespanhola.De acordo com a Matisse,"arte Fauve não é tudo, masé a base de tudo." Noentanto, os espectadorescontemporâneos nemsempre entendiam objetivosde Matisse e ficaramindignados pelas pinturasfauvistas. Por que ficaramtão chocados?
  50. 50. Mesmo se o assunto dapintura Fauve fossemuitas vezes tradicional(por exemplo, um retrato,um nu, uma paisagem ouum interior), as coresFauve são semprediferentes. As coresFauve parecem brilhantese não naturais, podendomesmo agredir os olhos.Além disso, a formafragmentada como sãoaplicadas - em blocos Na arte tradicional, forma e cor estãomaiores e menores - faz ”certas" ou seja representam aas pinturas parecerem realidade. O artista começa com aesboçadas, desajeitadas forma e a forma determina a cor. A core inacabadas ao público segue a forma, o artista não podecontemporâneo. O começar com a cor. O artista tradicional não usa a cor por si só como um meioespectador identifica a de expressão.
  51. 51. Henry Matisse, Natureza Morta com Laranjas,1912Henri Fantin-Latour, Flores e frutos numamesa, 1865
  52. 52. Matisse usou a cor expressivamente, libertando-a daforma. A cor procura a sensação que represente a suavisão subjetiva e estado de espírito. Portanto, pode serfigurativa ou não-figurativa.Para o espectador, as formas de Matisse podem parecercertas, mas as cores parecem erradas, porque não sãoutilizadas para transmitir semelhança, mas sim asensações. Como disse Matisse, "Quando eu coloqueium verde, não é relva. Quando eu coloquei um azul, nãoé o céu. " Será que o sol da tarde no porto de Collioure parece demasiado brilhante? Qual das cores está certa? Quais estão erradas? A costa não deve ser vermelha. Nem o mar verde. Usando sua intuição, André Derain criou o efeito de um céu de primavera com combinações de cores e luminância complicadas.
  53. 53. Pontilhismo: Banhistas em Asnières de Seurat
  54. 54. Em 1884, um jovem artista chamado Georges Seurat(1859-1891) exibe sua pintura de grandes dimensões emprimeiro lugar na recém-criada Sociedade de ArtistasIndependentes.Devido ao seu tamanho, fica exposto no bar e passa emgrande medida despercebido.Assim como os outros artistas expositoras, o trabalho deSeurat é recusada pelo Salão oficial.Ele também adota a paleta brilhante do impressionismo,o seu interesse em efeitos de luz ao ar livre e apercepção de que "local" (a cor real de um objeto) podeser modificada pela luz atmosférica, luz solar ou porcores justapostas.
  55. 55. Pormenores do quadro
  56. 56. Pointilhismo: A Grande Jatte e o Circo
  57. 57. Pormenores do quadro
  58. 58. O “estado de espírito” das pinturas de PicassoAs cores de uma pinturapodem influenciar o seu“estado de espírito”.Curiosamente, há várioscasos em que as cores deuma pintura são muitoanormais, mas a iluminaçãoestá correta.Conseguimos compreenderas pinturas claramente, masficamos confusos com assuas cores.
  59. 59. No "período azul" dePicasso (1901-1904), assuas pinturas retratampobres seres humanos.O azul foi escolhidodeliberadamente - frio eprofundo, significando amiséria e desespero -para intensificar a faltade esperança das figurasretratadas, comomendigos, prostitutas, oscegos, atores e gente decirco desempregados,bem como o próprioPicasso e os seusamigos pobres.Na época, Picasso atéusava roupas de corazul.
  60. 60. "Picasso acreditava que a arteera a filha da tristeza e dosofrimento ... que a tristeza seprestou à meditação e que osofrimento era fundamentalpara a vida ... Se exigimossinceridade de um artista, épreciso lembrar que asinceridade não é para serencontrada fora do reino dador. “O "Período azul" do Picasso éainda desencadeado pelodestino de seu melhor amigo,Carles Casagemas, cujapaixão por uma mulher e asua rejeição levou-o à suaposterior tentativa de matá-lae ao seu próprio suicídio.Picasso explicou mais tarde,"Foi o pensamento em
  61. 61. Gradualmente, as coresde Picasso iluminaram-se, no que é chamado o"Período Rosa" (1904-1906).Rosas suaves, osazuis, vermelhos everdes complementamestas imagens. Asfiguras esqueléticastornam-se maisredondas. A nova corexpressa calor e vida.As pinturas de Picassocomeçam a vender, eleagora ele tem umestúdio, uma amante e
  62. 62. Os dois períodos - o "Azul"e o "Rosa" - formam umatransição entre a arteconvencional da suajuventude e a arte semregras e que não segue astradições da suamaturidade.Em 1907, Picasso eGeorges Braqueintroduzem o cubismo,onde a forma já não pareceseguir as regrastradicionais derepresentaçãotridimensional.No entanto os períodos”Azul" e "Rosa"permanecem populares,porque a figura humanatem menos distorções e émais reconhecível do que
  63. 63. Resumindo As cores podem afetar a composição de uma pintura.Podem ajudar aharmonizar (ou ooposto, contrastar)
  64. 64. Unificar uma cena Cores “certas” Cores “erradas”
  65. 65. Criar um percurso visual
  66. 66. Produzir um ritmo
  67. 67. Enfatizar /destacar formas, objetos, etc.

×