SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
   INFÂNCIA E APRENDIZADO

   Tarsila do Amaral nasceu em 1 de setembro de 1886, no Município de Capivari, interior do Estado de São Paulo.
    Filha do fazendeiro José Estanislau do Amaral e de Lydia Dias de Aguiar do Amaral, passou a infância nas
    fazendas de seu pai. Estudou em São Paulo, no Colégio Sion e depois em Barcelona, na Espanha, onde fez seu
    primeiro quadro, 'Sagrado Coração de Jesus', 1904. Quando voltou, casou-se com André Teixeira Pinto, com quem
    teve a única filha, Dulce.

   Separaram-se alguns anos depois e então iniciou seus estudos em arte. Começou com escultura, com Zadig,
    passando a ter aulas de desenho e pintura no ateliê de Pedro Alexandrino em 1918, onde conheceu Anita Malfatti.
    Em 1920, foi estudar em Paris, na Académie Julien e com Émile Renard. Ficou lá até junho de 1922 e soube da
    Semana de Arte Moderna (que aconteceu em fevereiro) através das cartas da amiga Anita Malfatti. Quando voltou
    ao Brasil, Anita a introduziu no grupo modernista e Tarsila começou a namorar o escritor Oswald de Andrade.
    Formaram o grupo dos cinco: Tarsila, Anita, Oswald, o também escritor Mário de Andrade e Menotti Del Picchia.
    Agitaram culturalmente São Paulo com reuniões, festas, conferências. Tarsila disse que entrou em contato com a
    arte moderna em São Paulo, pois antes ela só havia feito estudos acadêmicos. Em dezembro de 22, ela voltou a
    Paris e Oswald foi encontrá-la.

   Em 1923, Tarsila encontrava-se em Paris acompanhada do seu namorado Oswald. Conheceram o poeta franco
    suíço Blaise Cendrars, que apresentou toda a intelectualidade parisiense para eles. Foi então que ela estudou com o
    mestre cubista Fernand Léger e pintou em seu ateliê, a tela 'A Negra'. Léger ficou entusiasmado e até chamou os
    outros alunos para ver o quadro. A figura da Negra tinha muita ligação com sua infância, pois essas negras eram
    filhas de escravos que tomavam conta das crianças e, algumas vezes, serviam até de amas de leite. Com esta tela,
    Tarsila entrou para a estória da arte moderna brasileira. A artista estudou também com Lhote e Gleizes, outros
    mestres cubistas. Cendrars também apresentou a Tarsila pintores como Picasso, escultores como Brancusi, músicos
    como Stravinsky e Eric Satie. E ficou amiga dos brasileiros que estavam lá, como o compositor Villa Lobos, o
    pintor Di Cavalcanti, e os mecenas Paulo Prado e Olívia Guedes Penteado.
   Tarsila oferecia almoços bem brasileiros em seu ateliê, servindo feijoada e caipirinha. E era convidada para
    jantares na casa de personalidades da época, como o milionário Rolf de Maré. Além de linda, vestia-se com os
    melhores costureiros da época, como Poiret e Patou. Em uma homenagem a Santos Dumont, usou uma capa
    vermelha que foi eternizada por ela no auto-retrato Manteau Rouge, de 1923.

   ANTROPOFAGIA

   Em janeiro de 1928, Tarsila queria dar um presente de aniversário especial ao seu marido, Oswald de Andrade.
    Pintou o Abaporu. Quando Oswald viu, ficou impressionado e disse que era o melhor quadro que Tarsila já havia
    feito. Chamou o amigo e escritor Raul Bopp, que também achou o quadro maravilhoso. Eles acharam que parecia
    uma figura indígena, antropófaga, e Tarsila lembrou-se do dicionário Tupi Guarani de seu pai. Batizou-se o quadro
    de Abaporu, que significa homem que come carne humana, o antropófago. E Oswald escreveu o Manifesto
    Antropófago e fundaram o Movimento Antropofágico. A figura do Abaporu simbolizou o Movimento que queria
    deglutir, engolir, a cultura Europeia, que era a cultura vigente na época, e transformá-la em algo bem brasileiro.

   Outros quadros desta fase Antropofágica são: 'Sol Poente', 'A Lua', 'Cartão Postal', 'O Lago', 'Antropofagia', etc.
    Nesta fase ela usou bichos e paisagens imaginárias, além das cores fortes.

   A artista contou que o Abaporu era uma imagem do seu inconsciente, e tinha a ver com as estórias de monstros que
    comiam gente que as negras contavam para ela em sua infância. Em 1929 Tarsila fez sua primeira Exposição
    Individual no Brasil, e a crítica dividiu-se, pois ainda muitas pessoas ainda não entendiam sua arte.

   Ainda neste ano de 1929, teve a crise da bolsa de Nova Iorque e a crise do café no Brasil, e assim a realidade de
    Tarsila mudou. Seu pai perdeu muito dinheiro, teve as fazendas hipotecadas e ela teve que trabalhar. Separou-se de
    Oswald.
   Abaporu significa homem
    que come carne humana, o
    antropófago.
   SOCIAL E NEO PAU BRASIL

   Em 1931, já com um novo namorado, o médico comunista Osório Cesar, Tarsila expôs em Moscou. Ela
    sensibilizou-se com a causa operária e foi presa por participar de reuniões no Partido Comunista Brasileiro com o
    namorado. Depois deste episódio, nunca mais se envolveu com política. Em 1933 pintou a tela 'Operários'. Desta
    fase Social, temos também a tela 'Segunda Classe'. A temática triste da fase social não fazia parte de sua
    personalidade e durou pouco em sua obra. Ela acabou com o namoro com Osório, e em meados dos anos 30,
    Tarsila uniu-se com o escritor Luís Martins, mais de vinte anos mais novo que ela. Ela trabalhou como colunista
    nos Diários Associados por muitos anos, do seu amigo Assis Chateaubriand. Em 1950, ela voltou com a temática
    do Pau Brasil e pintou quadros como 'Fazenda', 'Paisagem ou Aldeia' e 'Batizado de Macunaíma'. Em 1949, sua
    única neta Beatriz morreu afogada, tentando salvar uma amiga em um lago em Petrópolis.

   Tarsila participou da I Bienal de São Paulo em 1951, teve sala especial na VII Bienal de São Paulo, e participou da
    Bienal de Veneza em 1964. Em 1969, a mestra em história da arte e curadora Aracy Amaral realizou a Exposição,
    'Tarsila 50 anos de pintura'. Sua filha faleceu antes dela, em 1966.

   Tarsila faleceu em janeiro de 1973.
   Tarsila adorava bichos. Ela tinha 40 gatos quando criança na fazenda. Uma delas, uma gatinha branca, chamava-se
    Falena.

   Tarsila ficou amiga de Chico Xavier nos anos 60, depois da morte de sua única filha, Dulce (que morreu em 1966
    de diabetes).

   Beatriz, a única neta de Tarsila já tinha falecido no final dos anos 40, afogada. Chico Xavier trouxe a ela muita paz
    espiritual. Eles trocavam muitas cartas e sempre que estava em São Paulo, Chico visitava Tarsila.



   Catálogo Raisonné de Tarsila

   Foram catalogadas 2132 obras. O Catálogo Raisonné representa uma catalogação geral da obra da pintora, e foi
    patrocinado pela Petrobrás.
Colégio Nossa Senhora do Carmo.
Teresópolis, de maio de 2012.
Disciplina: Ciências
Professor: Antônio Fernandes
Aluna: Lavínia Martins de Andrade
Turma: 181- 8 ano.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tarsila do Amaral
Tarsila do AmaralTarsila do Amaral
Tarsila do Amarallatife22
 
3) século xx no brasil-o modernismo- tarsila do amaral
3)  século xx no brasil-o modernismo- tarsila do amaral3)  século xx no brasil-o modernismo- tarsila do amaral
3) século xx no brasil-o modernismo- tarsila do amaralArtesElisa
 
Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral
Oswald de Andrade e Tarsila do AmaralOswald de Andrade e Tarsila do Amaral
Oswald de Andrade e Tarsila do AmaralAmadeu Wolff
 
Vida e Obra de Tarsila do Amaral
Vida e Obra de Tarsila do AmaralVida e Obra de Tarsila do Amaral
Vida e Obra de Tarsila do Amaralcapelozza
 
Obra de arte a gare tarsila
Obra de arte a gare tarsilaObra de arte a gare tarsila
Obra de arte a gare tarsilaprofdeia
 
História d e quadros de tarsila do amaral
História d e quadros de tarsila do amaralHistória d e quadros de tarsila do amaral
História d e quadros de tarsila do amaralpjss98
 
Frida Kahlo e Tarsila do Amaral
Frida Kahlo e Tarsila do AmaralFrida Kahlo e Tarsila do Amaral
Frida Kahlo e Tarsila do AmaralWagner Louza
 

Mais procurados (20)

Tarsila do Amaral
Tarsila do AmaralTarsila do Amaral
Tarsila do Amaral
 
Tarsila do amaral
Tarsila do amaralTarsila do amaral
Tarsila do amaral
 
Tarsila do Amaral
Tarsila do AmaralTarsila do Amaral
Tarsila do Amaral
 
Tarsila Do Amaral
Tarsila Do AmaralTarsila Do Amaral
Tarsila Do Amaral
 
Tarsila do amaral
Tarsila do amaralTarsila do amaral
Tarsila do amaral
 
Tarsila do Amaral
Tarsila do AmaralTarsila do Amaral
Tarsila do Amaral
 
3) século xx no brasil-o modernismo- tarsila do amaral
3)  século xx no brasil-o modernismo- tarsila do amaral3)  século xx no brasil-o modernismo- tarsila do amaral
3) século xx no brasil-o modernismo- tarsila do amaral
 
14 biografia e repintura tarsila do amaral
14  biografia e repintura tarsila do amaral14  biografia e repintura tarsila do amaral
14 biografia e repintura tarsila do amaral
 
Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral
Oswald de Andrade e Tarsila do AmaralOswald de Andrade e Tarsila do Amaral
Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral
 
Vida e Obra de Tarsila do Amaral
Vida e Obra de Tarsila do AmaralVida e Obra de Tarsila do Amaral
Vida e Obra de Tarsila do Amaral
 
Tarsila do amaral
Tarsila do amaralTarsila do amaral
Tarsila do amaral
 
Tarsila do amaral
Tarsila do amaralTarsila do amaral
Tarsila do amaral
 
Tarsila do amaral
Tarsila do amaralTarsila do amaral
Tarsila do amaral
 
Apresentação+tarsila 2010
Apresentação+tarsila 2010Apresentação+tarsila 2010
Apresentação+tarsila 2010
 
ApresentaçãO Tarsila
ApresentaçãO TarsilaApresentaçãO Tarsila
ApresentaçãO Tarsila
 
Tarsila do amaral slide
Tarsila do amaral slideTarsila do amaral slide
Tarsila do amaral slide
 
Obra de arte a gare tarsila
Obra de arte a gare tarsilaObra de arte a gare tarsila
Obra de arte a gare tarsila
 
História d e quadros de tarsila do amaral
História d e quadros de tarsila do amaralHistória d e quadros de tarsila do amaral
História d e quadros de tarsila do amaral
 
Frida Kahlo e Tarsila do Amaral
Frida Kahlo e Tarsila do AmaralFrida Kahlo e Tarsila do Amaral
Frida Kahlo e Tarsila do Amaral
 
Modernismo2019
Modernismo2019Modernismo2019
Modernismo2019
 

Destaque (9)

Maria bonita
Maria bonitaMaria bonita
Maria bonita
 
Tarsila do Amaral
Tarsila do AmaralTarsila do Amaral
Tarsila do Amaral
 
Cangaço- turma 1901
Cangaço- turma 1901Cangaço- turma 1901
Cangaço- turma 1901
 
Cora Coralina
Cora CoralinaCora Coralina
Cora Coralina
 
Mi Autbiografia Victor Emmanuel Anguiano Hernandez
Mi Autbiografia Victor Emmanuel Anguiano HernandezMi Autbiografia Victor Emmanuel Anguiano Hernandez
Mi Autbiografia Victor Emmanuel Anguiano Hernandez
 
Lei Maria da Penha
Lei Maria da PenhaLei Maria da Penha
Lei Maria da Penha
 
Autobiografia
AutobiografiaAutobiografia
Autobiografia
 
Lei maria da penha de uma forma resumida slide
Lei maria da penha de uma forma resumida slideLei maria da penha de uma forma resumida slide
Lei maria da penha de uma forma resumida slide
 
Autobiografia
AutobiografiaAutobiografia
Autobiografia
 

Semelhante a A vida e obra de Tarsila do Amaral

Semelhante a A vida e obra de Tarsila do Amaral (20)

Tarsila do amaral
Tarsila do amaralTarsila do amaral
Tarsila do amaral
 
Estudando tarsila do amaral
Estudando tarsila do amaralEstudando tarsila do amaral
Estudando tarsila do amaral
 
tarsiladoamaral
tarsiladoamaraltarsiladoamaral
tarsiladoamaral
 
Apresentação Tarsila
Apresentação TarsilaApresentação Tarsila
Apresentação Tarsila
 
Vinicius eduardo miranda
Vinicius eduardo mirandaVinicius eduardo miranda
Vinicius eduardo miranda
 
Tarsila do amaral slide
Tarsila do amaral slideTarsila do amaral slide
Tarsila do amaral slide
 
Tarsila do-amaral-1213662073678132-9
Tarsila do-amaral-1213662073678132-9Tarsila do-amaral-1213662073678132-9
Tarsila do-amaral-1213662073678132-9
 
Tarsila do-amaral-1213662073678132-9
Tarsila do-amaral-1213662073678132-9Tarsila do-amaral-1213662073678132-9
Tarsila do-amaral-1213662073678132-9
 
Oswald de Andrade
Oswald de AndradeOswald de Andrade
Oswald de Andrade
 
Tarsila do amaral
Tarsila do amaral Tarsila do amaral
Tarsila do amaral
 
Modernismo2019
Modernismo2019Modernismo2019
Modernismo2019
 
Oswald de Andrade
Oswald de AndradeOswald de Andrade
Oswald de Andrade
 
Oswalddeandrade
OswalddeandradeOswalddeandrade
Oswalddeandrade
 
TRABALHO SOCIOLOGIA.pdf
TRABALHO SOCIOLOGIA.pdfTRABALHO SOCIOLOGIA.pdf
TRABALHO SOCIOLOGIA.pdf
 
Oswald de andrade
Oswald de andradeOswald de andrade
Oswald de andrade
 
Tarsila e o nosso Rio
Tarsila e o nosso RioTarsila e o nosso Rio
Tarsila e o nosso Rio
 
Tarsila do amaral 2
Tarsila do amaral 2Tarsila do amaral 2
Tarsila do amaral 2
 
Semana de Arte Moderna (1ª geração poesia)
Semana de Arte Moderna (1ª geração poesia)Semana de Arte Moderna (1ª geração poesia)
Semana de Arte Moderna (1ª geração poesia)
 
Arte moderna brasileira
Arte moderna brasileiraArte moderna brasileira
Arte moderna brasileira
 
Tarsila do Amaral Movimento Antropofágico
Tarsila do Amaral Movimento AntropofágicoTarsila do Amaral Movimento Antropofágico
Tarsila do Amaral Movimento Antropofágico
 

Mais de Antonio Fernandes

Turma 211 desequilíbrio ambiental
Turma 211 desequilíbrio ambientalTurma 211 desequilíbrio ambiental
Turma 211 desequilíbrio ambientalAntonio Fernandes
 
Ecologia-Relações Ecológicas
Ecologia-Relações Ecológicas Ecologia-Relações Ecológicas
Ecologia-Relações Ecológicas Antonio Fernandes
 
Apresentação I geocentricoheliocentrico
Apresentação I geocentricoheliocentricoApresentação I geocentricoheliocentrico
Apresentação I geocentricoheliocentricoAntonio Fernandes
 
Trab biologia Grupo Gustavo Dantas Bioma Amazon
Trab biologia Grupo Gustavo Dantas Bioma AmazonTrab biologia Grupo Gustavo Dantas Bioma Amazon
Trab biologia Grupo Gustavo Dantas Bioma AmazonAntonio Fernandes
 
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasConceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasAntonio Fernandes
 

Mais de Antonio Fernandes (10)

Sistema circulatorio 2011
Sistema circulatorio 2011Sistema circulatorio 2011
Sistema circulatorio 2011
 
Turma 211 desequilíbrio ambiental
Turma 211 desequilíbrio ambientalTurma 211 desequilíbrio ambiental
Turma 211 desequilíbrio ambiental
 
A terra Vista do Céu
A terra Vista do CéuA terra Vista do Céu
A terra Vista do Céu
 
Projeto pintores
Projeto pintoresProjeto pintores
Projeto pintores
 
Ecologia-Relações Ecológicas
Ecologia-Relações Ecológicas Ecologia-Relações Ecológicas
Ecologia-Relações Ecológicas
 
Sistema Digestório Carmo
Sistema Digestório CarmoSistema Digestório Carmo
Sistema Digestório Carmo
 
Tecidos
TecidosTecidos
Tecidos
 
Apresentação I geocentricoheliocentrico
Apresentação I geocentricoheliocentricoApresentação I geocentricoheliocentrico
Apresentação I geocentricoheliocentrico
 
Trab biologia Grupo Gustavo Dantas Bioma Amazon
Trab biologia Grupo Gustavo Dantas Bioma AmazonTrab biologia Grupo Gustavo Dantas Bioma Amazon
Trab biologia Grupo Gustavo Dantas Bioma Amazon
 
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasConceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
 

Último

Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 

Último (20)

Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 

A vida e obra de Tarsila do Amaral

  • 1.
  • 2.
  • 3. INFÂNCIA E APRENDIZADO  Tarsila do Amaral nasceu em 1 de setembro de 1886, no Município de Capivari, interior do Estado de São Paulo. Filha do fazendeiro José Estanislau do Amaral e de Lydia Dias de Aguiar do Amaral, passou a infância nas fazendas de seu pai. Estudou em São Paulo, no Colégio Sion e depois em Barcelona, na Espanha, onde fez seu primeiro quadro, 'Sagrado Coração de Jesus', 1904. Quando voltou, casou-se com André Teixeira Pinto, com quem teve a única filha, Dulce.  Separaram-se alguns anos depois e então iniciou seus estudos em arte. Começou com escultura, com Zadig, passando a ter aulas de desenho e pintura no ateliê de Pedro Alexandrino em 1918, onde conheceu Anita Malfatti. Em 1920, foi estudar em Paris, na Académie Julien e com Émile Renard. Ficou lá até junho de 1922 e soube da Semana de Arte Moderna (que aconteceu em fevereiro) através das cartas da amiga Anita Malfatti. Quando voltou ao Brasil, Anita a introduziu no grupo modernista e Tarsila começou a namorar o escritor Oswald de Andrade. Formaram o grupo dos cinco: Tarsila, Anita, Oswald, o também escritor Mário de Andrade e Menotti Del Picchia. Agitaram culturalmente São Paulo com reuniões, festas, conferências. Tarsila disse que entrou em contato com a arte moderna em São Paulo, pois antes ela só havia feito estudos acadêmicos. Em dezembro de 22, ela voltou a Paris e Oswald foi encontrá-la.  Em 1923, Tarsila encontrava-se em Paris acompanhada do seu namorado Oswald. Conheceram o poeta franco suíço Blaise Cendrars, que apresentou toda a intelectualidade parisiense para eles. Foi então que ela estudou com o mestre cubista Fernand Léger e pintou em seu ateliê, a tela 'A Negra'. Léger ficou entusiasmado e até chamou os outros alunos para ver o quadro. A figura da Negra tinha muita ligação com sua infância, pois essas negras eram filhas de escravos que tomavam conta das crianças e, algumas vezes, serviam até de amas de leite. Com esta tela, Tarsila entrou para a estória da arte moderna brasileira. A artista estudou também com Lhote e Gleizes, outros mestres cubistas. Cendrars também apresentou a Tarsila pintores como Picasso, escultores como Brancusi, músicos como Stravinsky e Eric Satie. E ficou amiga dos brasileiros que estavam lá, como o compositor Villa Lobos, o pintor Di Cavalcanti, e os mecenas Paulo Prado e Olívia Guedes Penteado.
  • 4. Tarsila oferecia almoços bem brasileiros em seu ateliê, servindo feijoada e caipirinha. E era convidada para jantares na casa de personalidades da época, como o milionário Rolf de Maré. Além de linda, vestia-se com os melhores costureiros da época, como Poiret e Patou. Em uma homenagem a Santos Dumont, usou uma capa vermelha que foi eternizada por ela no auto-retrato Manteau Rouge, de 1923.  ANTROPOFAGIA  Em janeiro de 1928, Tarsila queria dar um presente de aniversário especial ao seu marido, Oswald de Andrade. Pintou o Abaporu. Quando Oswald viu, ficou impressionado e disse que era o melhor quadro que Tarsila já havia feito. Chamou o amigo e escritor Raul Bopp, que também achou o quadro maravilhoso. Eles acharam que parecia uma figura indígena, antropófaga, e Tarsila lembrou-se do dicionário Tupi Guarani de seu pai. Batizou-se o quadro de Abaporu, que significa homem que come carne humana, o antropófago. E Oswald escreveu o Manifesto Antropófago e fundaram o Movimento Antropofágico. A figura do Abaporu simbolizou o Movimento que queria deglutir, engolir, a cultura Europeia, que era a cultura vigente na época, e transformá-la em algo bem brasileiro.  Outros quadros desta fase Antropofágica são: 'Sol Poente', 'A Lua', 'Cartão Postal', 'O Lago', 'Antropofagia', etc. Nesta fase ela usou bichos e paisagens imaginárias, além das cores fortes.  A artista contou que o Abaporu era uma imagem do seu inconsciente, e tinha a ver com as estórias de monstros que comiam gente que as negras contavam para ela em sua infância. Em 1929 Tarsila fez sua primeira Exposição Individual no Brasil, e a crítica dividiu-se, pois ainda muitas pessoas ainda não entendiam sua arte.  Ainda neste ano de 1929, teve a crise da bolsa de Nova Iorque e a crise do café no Brasil, e assim a realidade de Tarsila mudou. Seu pai perdeu muito dinheiro, teve as fazendas hipotecadas e ela teve que trabalhar. Separou-se de Oswald.
  • 5. Abaporu significa homem que come carne humana, o antropófago.
  • 6. SOCIAL E NEO PAU BRASIL  Em 1931, já com um novo namorado, o médico comunista Osório Cesar, Tarsila expôs em Moscou. Ela sensibilizou-se com a causa operária e foi presa por participar de reuniões no Partido Comunista Brasileiro com o namorado. Depois deste episódio, nunca mais se envolveu com política. Em 1933 pintou a tela 'Operários'. Desta fase Social, temos também a tela 'Segunda Classe'. A temática triste da fase social não fazia parte de sua personalidade e durou pouco em sua obra. Ela acabou com o namoro com Osório, e em meados dos anos 30, Tarsila uniu-se com o escritor Luís Martins, mais de vinte anos mais novo que ela. Ela trabalhou como colunista nos Diários Associados por muitos anos, do seu amigo Assis Chateaubriand. Em 1950, ela voltou com a temática do Pau Brasil e pintou quadros como 'Fazenda', 'Paisagem ou Aldeia' e 'Batizado de Macunaíma'. Em 1949, sua única neta Beatriz morreu afogada, tentando salvar uma amiga em um lago em Petrópolis.  Tarsila participou da I Bienal de São Paulo em 1951, teve sala especial na VII Bienal de São Paulo, e participou da Bienal de Veneza em 1964. Em 1969, a mestra em história da arte e curadora Aracy Amaral realizou a Exposição, 'Tarsila 50 anos de pintura'. Sua filha faleceu antes dela, em 1966.  Tarsila faleceu em janeiro de 1973.
  • 7.
  • 8. Tarsila adorava bichos. Ela tinha 40 gatos quando criança na fazenda. Uma delas, uma gatinha branca, chamava-se Falena.  Tarsila ficou amiga de Chico Xavier nos anos 60, depois da morte de sua única filha, Dulce (que morreu em 1966 de diabetes).  Beatriz, a única neta de Tarsila já tinha falecido no final dos anos 40, afogada. Chico Xavier trouxe a ela muita paz espiritual. Eles trocavam muitas cartas e sempre que estava em São Paulo, Chico visitava Tarsila.  Catálogo Raisonné de Tarsila  Foram catalogadas 2132 obras. O Catálogo Raisonné representa uma catalogação geral da obra da pintora, e foi patrocinado pela Petrobrás.
  • 9. Colégio Nossa Senhora do Carmo. Teresópolis, de maio de 2012. Disciplina: Ciências Professor: Antônio Fernandes Aluna: Lavínia Martins de Andrade Turma: 181- 8 ano.