SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Baixar para ler offline
Arte na América Latina: A cor nas pinturas de
Frida Kahlo e Tarsila do Amaral
A América Latina foi conquistada e colonizada por potências europeias
de idiomas latinos (português, espanhol e francês).
Ao contrário do que aconteceu na Europa, o modernismo latino-americano não segue uma
linha contínua da história da arte. Não tinha exatamente uma relação com o anterior, como
por exemplo o cubismo europeu de Picasso e Braque que ainda mantinham um
diálogo com Cézanne.
Les demoiselles d'Avignon,1907 Homem com violão, 1911. Natureza morta, 1895-1900
Na América Latina, os
movimentos artísticos tiveram
cunho social, onde os artistas
se mostravam preocupados
com a situação política de
seus países e procuravam
uma ruptura definitiva com
seu passado colonial, numa
busca por uma identidade
nacional pura, sem influências
externas. Os operários, 1933, Tarsila do Amaral
A chegada dessas influências
modernistas coincidiu com o período
de comemorações pelos centenários
das independências em diversos
países da América Latina: 1910 no
México, 1921 no Peru, 1922 no
Brasil, 1925 no Uruguai, entre outros.
Logo as primeiras décadas do século
XX foram repletas de festejos e de
profundas reflexões sobre a atual
conjuntura política e social de cada
país.
Tarsila do Amaral (1886-1973) – Brasil Frida Kahlo (1907-1954) – México
Auto retrato, 1924
Tarsila do Amaral
Em 1917 vai estudar pintura com Pedro Alexandrino, onde
conhece Anita Malfatti.
Em 1920 viaja para Paris e estuda na Académie Julian e
com Émile Renard.
Em 1922, ao retornar ao Brasil, forma, em São Paulo, o
Grupo dos Cinco, com Anita Malfatti, Mário de
Andrade, Menotti del Picchia e Oswald de Andrade.
Em 1923, novamente em Paris, frequenta o ateliê de André
Lhote , Fernand Léger, entre outros.
Em 1928, pinta Abaporu, tela que inspira o movimento
antropofágico, desencadeado por Oswald de Andrade.
Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderon
Em 1925, estudava medicina quando um acidente grave marcou
sua vida para sempre.
Dois anos depois do acidente Frida leva três de seus quadros
a Diego Rivera, um famoso pintor da época que ela conhecera em
1922, para que os analisasse.
Em 1929 casou-se com o pintor muralista Diego Rivera.
Entre 1930 e 1933 passa a maior parte do tempo em Nova Iorque
com Rivera.
De volta ao México, em 1942, Frida é eleita membro do Seminário
de Cultura do México, passa a dar aulas na escola de arte “La
Esmeralda”, mas sua saúde cada vez pior a obriga a lecionar em
casa.Auto-retrato, Frida Kahlo, 1940
“Pinto a mim
mesmo porque
sou sozinha e
porque sou o
assunto que
conheço
melhor.”
Frida Kahlo
“Auto-retrato em um vestido de veludo”, 1926. Sugere uma influência e conhecimento da arte europeia.
FRIDA KAHLO
O artesanato tradicional do México é uma mistura de técnicas e desenhos indígenas e europeus.
O artesanato e a arte popular mexicana traduzem a cultura deste povo milenar
e traz sua cores, diversos materiais para uso decorativo, utilitário e religioso.
FRIDA KAHLO
São muitos os itens produzidos á mão por artesões: vasos, cerâmicas,
tapeçarias, móveis, tecidos, painéis, couro, instrumentos musicais, máscaras, prata,
imagens e outros.
Em janeiro de 1928,
Tarsila queria dar um
presente de aniversário
especial ao seu marido,
Oswald de Andrade.
Pintou o 'Abaporu'.
Quando Oswald viu, ficou
impressionado e disse
que era o melhor quadro
que Tarsila já havia feito.
TARSILA DO AMARAL
“Minha força vem
da lembrança da
infância na
fazenda, de correr
e subir em árvores.
E das histórias
fantásticas que as
empregadas
negras me
contavam.”
Tarsila do Amaral
A Negra, 1923
O movimento
Antropofágico
procurava aceitar a
influência europeia
na produção
artística nacional,
mas não como uma
imitação.
Antropofagia, 1929)
"Encontrei em Minas as cores que adorava em criança. Ensinaram-me depois
que eram feias e caipiras. Segui o ramerrão do gosto apurado...Mas depois
vinguei-me da opressão passando-as para minhas telas: azul puríssimo, rosa
violáceo, amarelo vivo, verde cantante, tudo em gradações mais ou menos
fortes conforme a mistura de branco. Pintura limpa, sobretudo, sem medo
de cânones convencionais. Liberdade e sinceridade, uma certa estilização que a
datava a época moderna. Contornos nítidos, dando a impressão perfeita da
distância que separa um objeto de outro". Tarsila do Amaral
Pintura Pau Brasil e Antropofagia. In: Revista Anual do Salão de Maio. São Paulo, nº 1,
1939. Revista editada por Flávio de Carvalho.
TARSILA DO AMARAL
Tarsila gostava de
observar a
natureza na
Busca das “cores
caipiras ou cores
do campo.”
Paisagem com touro, 1925.
TARSILA DO AMARAL
“Eu invento tudo na
minha pintura. E o que
eu vi ou senti, eu
estilizo.”
Tarsila do Amaral
O Lago, 1928.
TARSILA DO AMARAL
Auto retrato, 1923
TARSILA DO AMARAL
O Pescador, 1925
Este quadro tem um
colorido excepcional e
trata de um tema bem
brasileiro: um pescador
num lago em meio a
uma pequena vila com
casinhas e vegetação
típica. O mesmo foi
exposto em Moscou, na
Rússia em 1931 e foi
comprado pelo governo
russo.
A tela Morro da Favela de
1924, apresenta casas
populares, a vegetação
natural, os negros simples,
o chão de terra batida e as
cores “caipiras”, típicas
desta fase. Cena pacífica,
oscilando entre o rural e o
urbano.
FRIDA KAHLO TARSILA DO AMARAL
FRIDA KAHLO TARSILA DO AMARAL
ATIVIDADE PRÁTICA
Arte Latina: Frida e Tarsila

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Curso de historia da arte
Curso de historia da arteCurso de historia da arte
Curso de historia da arte
 
A figura humana na arte
A figura humana na arteA figura humana na arte
A figura humana na arte
 
OP - ART e POP - ART
OP - ART e POP - ARTOP - ART e POP - ART
OP - ART e POP - ART
 
Aula 3 novo
Aula 3 novoAula 3 novo
Aula 3 novo
 
Expressionismo abstrato (1)
Expressionismo abstrato (1)Expressionismo abstrato (1)
Expressionismo abstrato (1)
 
Arte na linha do tempo
Arte na linha do tempo Arte na linha do tempo
Arte na linha do tempo
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Grafite slide
Grafite slideGrafite slide
Grafite slide
 
Pop Art
Pop ArtPop Art
Pop Art
 
Surrealismo.
Surrealismo.Surrealismo.
Surrealismo.
 
Op Art
Op ArtOp Art
Op Art
 
Pop art
Pop artPop art
Pop art
 
Arte a partir dos anos 1950 contemporânea
Arte  a partir dos anos 1950  contemporânea Arte  a partir dos anos 1950  contemporânea
Arte a partir dos anos 1950 contemporânea
 
NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro
 
Op art, Pop art e outras artes
Op art, Pop art e outras artesOp art, Pop art e outras artes
Op art, Pop art e outras artes
 
Pintura figurativa e abstrata
Pintura figurativa e abstrataPintura figurativa e abstrata
Pintura figurativa e abstrata
 
Arte minimalista
Arte minimalistaArte minimalista
Arte minimalista
 
Toulouse Lautrec
Toulouse LautrecToulouse Lautrec
Toulouse Lautrec
 
Arte moderna brasileira
Arte moderna brasileiraArte moderna brasileira
Arte moderna brasileira
 
A Arte na Pré-História
A Arte na Pré-HistóriaA Arte na Pré-História
A Arte na Pré-História
 

Destaque

Análise dos Alunos - Obras Tarsila do Amaral
Análise dos Alunos - Obras Tarsila do AmaralAnálise dos Alunos - Obras Tarsila do Amaral
Análise dos Alunos - Obras Tarsila do Amaralantoniavieira
 
Simone Beauvoir
Simone BeauvoirSimone Beauvoir
Simone BeauvoirBrirosa
 
A cultura como campo de luta e interpretação social no Brasil do Século XX - ...
A cultura como campo de luta e interpretação social no Brasil do Século XX - ...A cultura como campo de luta e interpretação social no Brasil do Século XX - ...
A cultura como campo de luta e interpretação social no Brasil do Século XX - ...Curso Livre Redação-Eliani Martins
 
Biografia Simone de Beauvoir
Biografia Simone de Beauvoir Biografia Simone de Beauvoir
Biografia Simone de Beauvoir Silvana
 
Autorretratos frida kahlo
Autorretratos frida kahloAutorretratos frida kahlo
Autorretratos frida kahloedilbertolasso
 
Obras Simone de Beauvoir
Obras Simone de BeauvoirObras Simone de Beauvoir
Obras Simone de BeauvoirElvy C
 
Simone de Beauvoir, impresiones de su vida y obra
Simone de Beauvoir, impresiones de su vida y obraSimone de Beauvoir, impresiones de su vida y obra
Simone de Beauvoir, impresiones de su vida y obraDifusion UPN
 
Aprende se escrever-escrevendo
Aprende se escrever-escrevendoAprende se escrever-escrevendo
Aprende se escrever-escrevendodialogoeducacao
 
Imagens de tarsila do amaral
Imagens de tarsila do amaralImagens de tarsila do amaral
Imagens de tarsila do amaralNancihorta
 

Destaque (20)

O touro de tarsila do amaral
O touro de tarsila do amaralO touro de tarsila do amaral
O touro de tarsila do amaral
 
Análise dos Alunos - Obras Tarsila do Amaral
Análise dos Alunos - Obras Tarsila do AmaralAnálise dos Alunos - Obras Tarsila do Amaral
Análise dos Alunos - Obras Tarsila do Amaral
 
Simone Beauvoir
Simone BeauvoirSimone Beauvoir
Simone Beauvoir
 
Projeto tarsila
Projeto tarsilaProjeto tarsila
Projeto tarsila
 
A cultura como campo de luta e interpretação social no Brasil do Século XX - ...
A cultura como campo de luta e interpretação social no Brasil do Século XX - ...A cultura como campo de luta e interpretação social no Brasil do Século XX - ...
A cultura como campo de luta e interpretação social no Brasil do Século XX - ...
 
Tarsila do amaral
Tarsila do amaralTarsila do amaral
Tarsila do amaral
 
Biografia Simone de Beauvoir
Biografia Simone de Beauvoir Biografia Simone de Beauvoir
Biografia Simone de Beauvoir
 
3ª aula tarsila
3ª aula   tarsila3ª aula   tarsila
3ª aula tarsila
 
Apresentação+tarsila 2010
Apresentação+tarsila 2010Apresentação+tarsila 2010
Apresentação+tarsila 2010
 
Pós impressionismo
Pós  impressionismoPós  impressionismo
Pós impressionismo
 
Autorretratos frida kahlo
Autorretratos frida kahloAutorretratos frida kahlo
Autorretratos frida kahlo
 
Obras Simone de Beauvoir
Obras Simone de BeauvoirObras Simone de Beauvoir
Obras Simone de Beauvoir
 
Simone de Beauvoir, impresiones de su vida y obra
Simone de Beauvoir, impresiones de su vida y obraSimone de Beauvoir, impresiones de su vida y obra
Simone de Beauvoir, impresiones de su vida y obra
 
Frida
FridaFrida
Frida
 
Aprende se escrever-escrevendo
Aprende se escrever-escrevendoAprende se escrever-escrevendo
Aprende se escrever-escrevendo
 
Imagens de tarsila do amaral
Imagens de tarsila do amaralImagens de tarsila do amaral
Imagens de tarsila do amaral
 
Constructivismo
ConstructivismoConstructivismo
Constructivismo
 
Projeto tarsila
Projeto tarsilaProjeto tarsila
Projeto tarsila
 
Simone de Beauvoir
Simone de BeauvoirSimone de Beauvoir
Simone de Beauvoir
 
Frida kahlo
Frida kahloFrida kahlo
Frida kahlo
 

Semelhante a Arte Latina: Frida e Tarsila

Semelhante a Arte Latina: Frida e Tarsila (20)

Mulheres artistas
Mulheres artistasMulheres artistas
Mulheres artistas
 
Biografia
BiografiaBiografia
Biografia
 
22 modernismo2020
22 modernismo202022 modernismo2020
22 modernismo2020
 
Tdpp2
Tdpp2Tdpp2
Tdpp2
 
Tarsila do amaral
Tarsila do amaralTarsila do amaral
Tarsila do amaral
 
Tarsila do amaral
Tarsila do amaralTarsila do amaral
Tarsila do amaral
 
3) século xx no brasil-o modernismo- tarsila do amaral
3)  século xx no brasil-o modernismo- tarsila do amaral3)  século xx no brasil-o modernismo- tarsila do amaral
3) século xx no brasil-o modernismo- tarsila do amaral
 
Vinicius eduardo miranda
Vinicius eduardo mirandaVinicius eduardo miranda
Vinicius eduardo miranda
 
Modernismo2019
Modernismo2019Modernismo2019
Modernismo2019
 
Tarsila do amaral
Tarsila do amaral Tarsila do amaral
Tarsila do amaral
 
História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art
 História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art
História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art
 
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
Surrealismo 1194825845949535-3 (1)
 
Aula 2
Aula 2 Aula 2
Aula 2
 
Aula 2 Novo Colégio
Aula 2 Novo ColégioAula 2 Novo Colégio
Aula 2 Novo Colégio
 
Modernismo: FASE HERÓICA
Modernismo: FASE HERÓICAModernismo: FASE HERÓICA
Modernismo: FASE HERÓICA
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
Tarsila do amaral slide
Tarsila do amaral slideTarsila do amaral slide
Tarsila do amaral slide
 
Tarsila do amaral
Tarsila do amaralTarsila do amaral
Tarsila do amaral
 
O modernismo brasileiro
O modernismo brasileiroO modernismo brasileiro
O modernismo brasileiro
 
Tarsila do Amaral Movimento Antropofágico
Tarsila do Amaral Movimento AntropofágicoTarsila do Amaral Movimento Antropofágico
Tarsila do Amaral Movimento Antropofágico
 

Arte Latina: Frida e Tarsila

  • 1. Arte na América Latina: A cor nas pinturas de Frida Kahlo e Tarsila do Amaral
  • 2. A América Latina foi conquistada e colonizada por potências europeias de idiomas latinos (português, espanhol e francês).
  • 3. Ao contrário do que aconteceu na Europa, o modernismo latino-americano não segue uma linha contínua da história da arte. Não tinha exatamente uma relação com o anterior, como por exemplo o cubismo europeu de Picasso e Braque que ainda mantinham um diálogo com Cézanne. Les demoiselles d'Avignon,1907 Homem com violão, 1911. Natureza morta, 1895-1900
  • 4. Na América Latina, os movimentos artísticos tiveram cunho social, onde os artistas se mostravam preocupados com a situação política de seus países e procuravam uma ruptura definitiva com seu passado colonial, numa busca por uma identidade nacional pura, sem influências externas. Os operários, 1933, Tarsila do Amaral
  • 5. A chegada dessas influências modernistas coincidiu com o período de comemorações pelos centenários das independências em diversos países da América Latina: 1910 no México, 1921 no Peru, 1922 no Brasil, 1925 no Uruguai, entre outros. Logo as primeiras décadas do século XX foram repletas de festejos e de profundas reflexões sobre a atual conjuntura política e social de cada país.
  • 6. Tarsila do Amaral (1886-1973) – Brasil Frida Kahlo (1907-1954) – México
  • 7. Auto retrato, 1924 Tarsila do Amaral Em 1917 vai estudar pintura com Pedro Alexandrino, onde conhece Anita Malfatti. Em 1920 viaja para Paris e estuda na Académie Julian e com Émile Renard. Em 1922, ao retornar ao Brasil, forma, em São Paulo, o Grupo dos Cinco, com Anita Malfatti, Mário de Andrade, Menotti del Picchia e Oswald de Andrade. Em 1923, novamente em Paris, frequenta o ateliê de André Lhote , Fernand Léger, entre outros. Em 1928, pinta Abaporu, tela que inspira o movimento antropofágico, desencadeado por Oswald de Andrade.
  • 8. Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderon Em 1925, estudava medicina quando um acidente grave marcou sua vida para sempre. Dois anos depois do acidente Frida leva três de seus quadros a Diego Rivera, um famoso pintor da época que ela conhecera em 1922, para que os analisasse. Em 1929 casou-se com o pintor muralista Diego Rivera. Entre 1930 e 1933 passa a maior parte do tempo em Nova Iorque com Rivera. De volta ao México, em 1942, Frida é eleita membro do Seminário de Cultura do México, passa a dar aulas na escola de arte “La Esmeralda”, mas sua saúde cada vez pior a obriga a lecionar em casa.Auto-retrato, Frida Kahlo, 1940
  • 9. “Pinto a mim mesmo porque sou sozinha e porque sou o assunto que conheço melhor.” Frida Kahlo “Auto-retrato em um vestido de veludo”, 1926. Sugere uma influência e conhecimento da arte europeia.
  • 10. FRIDA KAHLO O artesanato tradicional do México é uma mistura de técnicas e desenhos indígenas e europeus.
  • 11. O artesanato e a arte popular mexicana traduzem a cultura deste povo milenar e traz sua cores, diversos materiais para uso decorativo, utilitário e religioso. FRIDA KAHLO
  • 12. São muitos os itens produzidos á mão por artesões: vasos, cerâmicas, tapeçarias, móveis, tecidos, painéis, couro, instrumentos musicais, máscaras, prata, imagens e outros.
  • 13. Em janeiro de 1928, Tarsila queria dar um presente de aniversário especial ao seu marido, Oswald de Andrade. Pintou o 'Abaporu'. Quando Oswald viu, ficou impressionado e disse que era o melhor quadro que Tarsila já havia feito.
  • 14. TARSILA DO AMARAL “Minha força vem da lembrança da infância na fazenda, de correr e subir em árvores. E das histórias fantásticas que as empregadas negras me contavam.” Tarsila do Amaral A Negra, 1923
  • 15. O movimento Antropofágico procurava aceitar a influência europeia na produção artística nacional, mas não como uma imitação. Antropofagia, 1929)
  • 16. "Encontrei em Minas as cores que adorava em criança. Ensinaram-me depois que eram feias e caipiras. Segui o ramerrão do gosto apurado...Mas depois vinguei-me da opressão passando-as para minhas telas: azul puríssimo, rosa violáceo, amarelo vivo, verde cantante, tudo em gradações mais ou menos fortes conforme a mistura de branco. Pintura limpa, sobretudo, sem medo de cânones convencionais. Liberdade e sinceridade, uma certa estilização que a datava a época moderna. Contornos nítidos, dando a impressão perfeita da distância que separa um objeto de outro". Tarsila do Amaral Pintura Pau Brasil e Antropofagia. In: Revista Anual do Salão de Maio. São Paulo, nº 1, 1939. Revista editada por Flávio de Carvalho.
  • 17. TARSILA DO AMARAL Tarsila gostava de observar a natureza na Busca das “cores caipiras ou cores do campo.” Paisagem com touro, 1925.
  • 18. TARSILA DO AMARAL “Eu invento tudo na minha pintura. E o que eu vi ou senti, eu estilizo.” Tarsila do Amaral O Lago, 1928.
  • 19. TARSILA DO AMARAL Auto retrato, 1923
  • 20. TARSILA DO AMARAL O Pescador, 1925 Este quadro tem um colorido excepcional e trata de um tema bem brasileiro: um pescador num lago em meio a uma pequena vila com casinhas e vegetação típica. O mesmo foi exposto em Moscou, na Rússia em 1931 e foi comprado pelo governo russo.
  • 21. A tela Morro da Favela de 1924, apresenta casas populares, a vegetação natural, os negros simples, o chão de terra batida e as cores “caipiras”, típicas desta fase. Cena pacífica, oscilando entre o rural e o urbano.
  • 22. FRIDA KAHLO TARSILA DO AMARAL
  • 23. FRIDA KAHLO TARSILA DO AMARAL