SlideShare uma empresa Scribd logo
Equipe: Climeiro Herculano 
Lucas Ferreira
Sistema de Vedação Vertical 
Racionalizado. 
 Racionalização - racional + ação, usar da sua inteligência 
para execução de tarefas onde o efeito deverá ser integrado 
a menos desperdício, menos esforço, menos custo, menos 
retrabalho, menos reposição, chegando a tarefa final com 
custo benifício com excelência . 
 Trabalho com sistema construtivo Forma Pronta, a mais o 
menos 25 anos e o desperdício em obras civis , com relação 
a madeira e na execução de formas era muito grande. 
Chegando a perdas muito grandes. Com a racionalização das 
estrutura de concreto e a utilização do Sistema de Forma 
Pronta, conseguimos um custo benefício muito grande para 
o sistema de formas, propiciando a palavra 
"RACIONALIZAÇÂO", dos materiais.
 Concreto Celular; 
 Sistemas Drywall; 
 Sistemas Steel-Frame.
Concreto celular autoclavado é um produto 
constituído de cal, cimento, areia e pó de 
alumínio (um agente expansor que funciona como 
fermento, fazendo a argamassa crescer e ficar 
cheia de células de ar, tornando-a leve), além de 
água.
 Cortada em blocos ou painéis, que vão para 
uma autoclave para cura, a argamassa dá 
origem ao silicato de cálcio, composto com 
alta resistência à compressão e ao fogo e de 
ótimo desempenho termo acústico.
 Os blocos são utilizados para vedação de 
vãos e enchimento de lajes nervuradas, e os 
painéis armados para paredes ou lajes. 
Também são encontrados blocos-canaletas 
para vergas e contra-vergas (acabamento 
horizontal sobre ombreiras de porta ou 
janela).
 Leve; 
 Economizar na mão de Obra; 
 Alta resistência ao fogo; 
 Ótimo desempenho termo acústico; 
 Dispensa certos tipos de revestimentos; 
 Boa resistência em comparação com o bloco 
cerâmico.
 Por ser leve, o produto é indicado principalmente 
para estruturas que não devem sofrer 
sobrecargas, podem ser cortados e transportados 
com facilidade. 
 É preciso estar atento aos custos. O valor do 
bloco de concreto celular é normalmente mais 
alto que o de outros materiais (bloco de concreto 
ou cerâmicos), porém o preço final da obra pode 
ser mais baixo: por serem mais leves e terem 
grandes dimensões, sua colocação é mais rápida, 
permitindo economizar na mão-de-obra.
 Valor alto; 
 Não permitir instalações 
internas na sua estrutura.
 Dry wall ou Placa de Reboco. 
Significa em português "parede seca", é uma 
tecnologia que substitui as vedações internas 
convencionais (paredes, tetos e revestimentos) de 
edifícios de quaisquer tipos, consistindo de chapas de 
gesso aparafusadas em estruturas de perfis de aço 
galvanizado. Esta tecnologia já é utilizada na Europa e 
nos Estados Unidos há mais de 100 anos e no Brasil este 
sistema veio ganhando espaço nos últimos anos em 
função da instalação em nosso país de três grandes 
fabricantes europeus do sistema: LAFARGE (francesa), 
PLACO (francesa) e KNAUF (alemã).
 O drywall é uma técnica de revestimento 
que substitui paredes e forros construídos em 
alvenaria, através do uso de placas pré-moldadas, 
confeccionadas com papel 
acartonado e gesso.
 Rapidez e limpeza na montagem; 
 Barateamento dos custos; 
 Resistentes; 
 Leves; 
 De fácil manuseio e instalação. 
 Reformas fáceis; 
 Isolamento de ruídos.
 A forma de montagem e os componentes 
utilizados permitem que a parede seja 
configurada para atender a diferentes níveis de 
desempenho, de acordo com as exigências ou 
necessidades de cada ambiente em termos 
mecânicos, acústicos, térmicos e de 
comportamento frente ao fogo.
 A tecnologia é totalmente desenvolvida por empresas 
estrangeiras, inclusive no Brasil. Mas, para que seja utilizado 
no mercado brasileiro, independente da origem de 
fabricação, o drywall precisa estar regularizado de acordo 
com algumas normas específicas para o segmento, 
estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas 
Técnicas (ABNT). 
 No país existem, ainda, entidades como a Associação 
Brasileira de Fabricantes de Chapas para Drywall e a 
Associação Drywall, que estão disponíveis para sanar 
dúvidas de profissionais e consumidores. 
 Portanto, antes de adquirir o produto é necessário obter 
mais informações sobre a procedência do drywall, bem 
como exigir certificação junto aos órgãos competentes. 
Não esquecer ainda, da importância de contratar os 
serviços de profissionais que dominem as técnicas de 
manuseio e instalação da tecnologia. Isso vale tanto para 
engenheiro civis, arquitetos e componentes da mão de obra 
para construção, como mestres de obras e pedreiros.
 Stell – Frame. 
Steel Frame: São perfis leves de aço formados 
a frio, a partir de chapas de aço 
galvanizados, com espessuras que variam 
entre 0,8 e 1,25 mm. Os perfis mais usuais são 
denominados “guias” (perfis U simples) e 
“montantes” (perfis U enrijecidos). Os perfis 
utilizados devem ter galvanização mínima de 
Z-275.
Revestimento interno 
O fechamento interno é realizado com chapas 
de Drywall, que proporcionam uma superfície lisa 
e pronta para receber acabamento. 
Para paredes que receberão armários ou peças 
suspensas, recomenda-se o uso do LP OSB Home 
como reforço em paredes de Drywall. Esta 
aplicação tem como vantagem a liberdade do 
usuário aplicar armários ou peças suspensas em 
qualquer ponto da parede, sem a necessidade 
de prever o mapeamento dos reforços.
 Paredes 
Revestimento externo 
Sobre o LP OSB Home é aplicada a LP Membrana, 
que garante a estanqueidade e a adequada 
ventilação das paredes, permitindo a saída da 
umidade interna das paredes e protegendo-as 
contra a umidade externa. O Steel Frame permite a 
aplicação de diversos revestimentos externos como 
LP Siding Vinílico, LP SmartSide Lap, revestimento 
argamassado, placa cimentícia, revestimento 
cerâmico e outros. 
Caso sejam utilizados os painéis LP SmartSide Panel e 
Panel H a LP Membrana é aplicada diretamente 
sobre o esqueleto estrutural, ou seja, sob os painéis.
 Instalações elétricas e hidráulicas 
Podem ser idênticas às que são utilizadas na 
construção convencional. A vantagem é que 
no Sistema Steel Frame as paredes 
funcionam como shafts visíveis, facilitando a 
execução e manutenção das instalações.
 Isolamentos 
O Steel Frame apresenta um ótimo conforto 
térmico e acústico. Além disso, permite a 
utilização de diversos tipos de isolamento que 
podem ser instalados nas paredes internas e 
externas, forro e telhados de acordo com a 
necessidade do projeto. 
Esquadrias 
As instalações de portas e janelas no Steel 
Frame podem ser executadas de maneira 
similar ao Sistema Convencional, com espuma 
de poliuretano ou com parafusos.
Esperamos que essa 
apresentação tenha 
influenciado no teu 
aprendizado.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Alvenaria de varios tipos
Alvenaria de varios tiposAlvenaria de varios tipos
Alvenaria de varios tipos
Alécio Braz
 
Aula revestimentos
Aula   revestimentos Aula   revestimentos
Aula revestimentos
wendellnml
 
Materiais revestimentos ceramicos
Materiais   revestimentos ceramicosMateriais   revestimentos ceramicos
Materiais revestimentos ceramicos
José Borba
 
Catalogo tecnico-telha-ondulada-brasilit
Catalogo tecnico-telha-ondulada-brasilitCatalogo tecnico-telha-ondulada-brasilit
Catalogo tecnico-telha-ondulada-brasilit
Anderson da Cunha
 
Revestimento cerâmico e azulejos história e execução
Revestimento cerâmico e azulejos   história e execuçãoRevestimento cerâmico e azulejos   história e execução
Revestimento cerâmico e azulejos história e execução
aa. Rubens Lima
 
Aula 9 curso de gestão de obras - materiais cerâmicos
Aula 9   curso de gestão de obras - materiais cerâmicosAula 9   curso de gestão de obras - materiais cerâmicos
Aula 9 curso de gestão de obras - materiais cerâmicos
profNICODEMOS
 
Construção de alvenaria de tijolo cerâmico maciço
Construção de alvenaria de tijolo cerâmico maciçoConstrução de alvenaria de tijolo cerâmico maciço
Construção de alvenaria de tijolo cerâmico maciço
Dalber Faria
 
ELEMENTOS DE CONCRETO ARMADO - FÔRMAS
ELEMENTOS DE CONCRETO ARMADO - FÔRMAS ELEMENTOS DE CONCRETO ARMADO - FÔRMAS
ELEMENTOS DE CONCRETO ARMADO - FÔRMAS
Rodrigo Andrade Brígido
 
5º e 6º aula concreto - patologia e aditivos
5º e 6º aula   concreto - patologia e aditivos5º e 6º aula   concreto - patologia e aditivos
5º e 6º aula concreto - patologia e aditivos
profNICODEMOS
 
Tipos de concreto
Tipos de concretoTipos de concreto
Tipos de concreto
profNICODEMOS
 
DRYWALL
DRYWALLDRYWALL
Prevenção e recuperação de fissuras
Prevenção e recuperação de fissurasPrevenção e recuperação de fissuras
Prevenção e recuperação de fissuras
Luciana Paixão Arquitetura
 
Isolamento termico acustico e impremiabilizante pdf
Isolamento termico acustico e impremiabilizante pdfIsolamento termico acustico e impremiabilizante pdf
Isolamento termico acustico e impremiabilizante pdf
JulioHerysonSilva
 
Guia de reparos das patologias de umidade em edificações
Guia de reparos das patologias de umidade em edificaçõesGuia de reparos das patologias de umidade em edificações
Guia de reparos das patologias de umidade em edificações
Julia Mendes
 
Caltalogo ferro
Caltalogo ferroCaltalogo ferro
Caltalogo ferro
Luciana Costa
 
Apresentação ceramica
Apresentação ceramica Apresentação ceramica
Apresentação ceramica
Henriqued
 
Aula 02 alvenaria
Aula 02   alvenariaAula 02   alvenaria
Aula 02 alvenaria
Sérgio Peixoto
 
Argamassa - Materiais de Construção
Argamassa - Materiais de ConstruçãoArgamassa - Materiais de Construção
Argamassa - Materiais de Construção
David Grubba
 
Fasciculo 24 instalações sanitárias
Fasciculo 24 instalações sanitáriasFasciculo 24 instalações sanitárias
Fasciculo 24 instalações sanitárias
Pedro Miguel Múrias Bessone Mauritti
 
Aula 2 materiais de construcao i-aglomerantes
Aula 2 materiais de construcao i-aglomerantesAula 2 materiais de construcao i-aglomerantes
Aula 2 materiais de construcao i-aglomerantes
Rafael Erdmann
 

Mais procurados (20)

Alvenaria de varios tipos
Alvenaria de varios tiposAlvenaria de varios tipos
Alvenaria de varios tipos
 
Aula revestimentos
Aula   revestimentos Aula   revestimentos
Aula revestimentos
 
Materiais revestimentos ceramicos
Materiais   revestimentos ceramicosMateriais   revestimentos ceramicos
Materiais revestimentos ceramicos
 
Catalogo tecnico-telha-ondulada-brasilit
Catalogo tecnico-telha-ondulada-brasilitCatalogo tecnico-telha-ondulada-brasilit
Catalogo tecnico-telha-ondulada-brasilit
 
Revestimento cerâmico e azulejos história e execução
Revestimento cerâmico e azulejos   história e execuçãoRevestimento cerâmico e azulejos   história e execução
Revestimento cerâmico e azulejos história e execução
 
Aula 9 curso de gestão de obras - materiais cerâmicos
Aula 9   curso de gestão de obras - materiais cerâmicosAula 9   curso de gestão de obras - materiais cerâmicos
Aula 9 curso de gestão de obras - materiais cerâmicos
 
Construção de alvenaria de tijolo cerâmico maciço
Construção de alvenaria de tijolo cerâmico maciçoConstrução de alvenaria de tijolo cerâmico maciço
Construção de alvenaria de tijolo cerâmico maciço
 
ELEMENTOS DE CONCRETO ARMADO - FÔRMAS
ELEMENTOS DE CONCRETO ARMADO - FÔRMAS ELEMENTOS DE CONCRETO ARMADO - FÔRMAS
ELEMENTOS DE CONCRETO ARMADO - FÔRMAS
 
5º e 6º aula concreto - patologia e aditivos
5º e 6º aula   concreto - patologia e aditivos5º e 6º aula   concreto - patologia e aditivos
5º e 6º aula concreto - patologia e aditivos
 
Tipos de concreto
Tipos de concretoTipos de concreto
Tipos de concreto
 
DRYWALL
DRYWALLDRYWALL
DRYWALL
 
Prevenção e recuperação de fissuras
Prevenção e recuperação de fissurasPrevenção e recuperação de fissuras
Prevenção e recuperação de fissuras
 
Isolamento termico acustico e impremiabilizante pdf
Isolamento termico acustico e impremiabilizante pdfIsolamento termico acustico e impremiabilizante pdf
Isolamento termico acustico e impremiabilizante pdf
 
Guia de reparos das patologias de umidade em edificações
Guia de reparos das patologias de umidade em edificaçõesGuia de reparos das patologias de umidade em edificações
Guia de reparos das patologias de umidade em edificações
 
Caltalogo ferro
Caltalogo ferroCaltalogo ferro
Caltalogo ferro
 
Apresentação ceramica
Apresentação ceramica Apresentação ceramica
Apresentação ceramica
 
Aula 02 alvenaria
Aula 02   alvenariaAula 02   alvenaria
Aula 02 alvenaria
 
Argamassa - Materiais de Construção
Argamassa - Materiais de ConstruçãoArgamassa - Materiais de Construção
Argamassa - Materiais de Construção
 
Fasciculo 24 instalações sanitárias
Fasciculo 24 instalações sanitáriasFasciculo 24 instalações sanitárias
Fasciculo 24 instalações sanitárias
 
Aula 2 materiais de construcao i-aglomerantes
Aula 2 materiais de construcao i-aglomerantesAula 2 materiais de construcao i-aglomerantes
Aula 2 materiais de construcao i-aglomerantes
 

Destaque

Elementos de vedação
Elementos de vedaçãoElementos de vedação
Elementos de vedação
Otivo Junior
 
Paineis apresentação/Panels presentation
Paineis apresentação/Panels presentationPaineis apresentação/Panels presentation
Paineis apresentação/Panels presentation
Jorge Lucio Spinola
 
ApresentaçãO Fluxo Dry Wall
ApresentaçãO Fluxo Dry WallApresentaçãO Fluxo Dry Wall
ApresentaçãO Fluxo Dry Wall
eng_guilherme
 
Tijolo ceramico
Tijolo ceramicoTijolo ceramico
Tijolo ceramico
Carlos Elson Cunha
 
Patologias na construção civil detalhes construtivos fissuras na alvenaria
Patologias na construção civil   detalhes construtivos fissuras na alvenariaPatologias na construção civil   detalhes construtivos fissuras na alvenaria
Patologias na construção civil detalhes construtivos fissuras na alvenaria
Ricardo Lopes
 
Apresentação - Porthome Drywall
Apresentação - Porthome DrywallApresentação - Porthome Drywall
Apresentação - Porthome Drywall
Porthome Drywall
 
Relatório jet casa
Relatório jet casaRelatório jet casa
Relatório jet casa
Inaê Franco
 
Lei 11941/2009
Lei 11941/2009Lei 11941/2009
SISTEMA CONSTRUTIVO DRY-SYSTEM DECORLIT
SISTEMA CONSTRUTIVO DRY-SYSTEM DECORLITSISTEMA CONSTRUTIVO DRY-SYSTEM DECORLIT
SISTEMA CONSTRUTIVO DRY-SYSTEM DECORLIT
mgoseas
 
Apresentação Casa Pronta
Apresentação Casa ProntaApresentação Casa Pronta
Apresentação Casa Pronta
Casa Pronta
 
Casa Express -sistema construtivo
Casa Express -sistema construtivoCasa Express -sistema construtivo
Casa Express -sistema construtivo
imobsollo
 
Apresent drywall01
Apresent drywall01Apresent drywall01
Apresent drywall01
Amós Duarte
 
Alvenaria 2
Alvenaria 2Alvenaria 2
Alvenaria 2
Evander Kapitango
 
Perfil dos Fabricantes de Telhas de Aço e Steel Deck 2015
Perfil dos Fabricantes de Telhas de Aço e Steel Deck 2015Perfil dos Fabricantes de Telhas de Aço e Steel Deck 2015
Perfil dos Fabricantes de Telhas de Aço e Steel Deck 2015
Centro Brasileiro da Construção em Aço
 
Telhado 3 de 3 [modo de compatibilidade]
Telhado 3 de 3 [modo de compatibilidade]Telhado 3 de 3 [modo de compatibilidade]
Telhado 3 de 3 [modo de compatibilidade]
Astenio Araujo
 
Apresentação CEF
Apresentação CEFApresentação CEF
Apresentação CEF
luisa_pires
 
Radier
RadierRadier
Radier
Thiago Ivo
 
Isadora Matos, Raquel Silva, Sarah Cunha - Estruturas em Gesso
Isadora Matos, Raquel Silva, Sarah Cunha - Estruturas em GessoIsadora Matos, Raquel Silva, Sarah Cunha - Estruturas em Gesso
Isadora Matos, Raquel Silva, Sarah Cunha - Estruturas em Gesso
diogenesfm
 
Telhado 2 de 3 [modo de compatibilidade]
Telhado 2 de 3 [modo de compatibilidade]Telhado 2 de 3 [modo de compatibilidade]
Telhado 2 de 3 [modo de compatibilidade]
Astenio Araujo
 
Impermeabilização para Steel Frame
Impermeabilização para Steel FrameImpermeabilização para Steel Frame
Impermeabilização para Steel Frame
Construcril
 

Destaque (20)

Elementos de vedação
Elementos de vedaçãoElementos de vedação
Elementos de vedação
 
Paineis apresentação/Panels presentation
Paineis apresentação/Panels presentationPaineis apresentação/Panels presentation
Paineis apresentação/Panels presentation
 
ApresentaçãO Fluxo Dry Wall
ApresentaçãO Fluxo Dry WallApresentaçãO Fluxo Dry Wall
ApresentaçãO Fluxo Dry Wall
 
Tijolo ceramico
Tijolo ceramicoTijolo ceramico
Tijolo ceramico
 
Patologias na construção civil detalhes construtivos fissuras na alvenaria
Patologias na construção civil   detalhes construtivos fissuras na alvenariaPatologias na construção civil   detalhes construtivos fissuras na alvenaria
Patologias na construção civil detalhes construtivos fissuras na alvenaria
 
Apresentação - Porthome Drywall
Apresentação - Porthome DrywallApresentação - Porthome Drywall
Apresentação - Porthome Drywall
 
Relatório jet casa
Relatório jet casaRelatório jet casa
Relatório jet casa
 
Lei 11941/2009
Lei 11941/2009Lei 11941/2009
Lei 11941/2009
 
SISTEMA CONSTRUTIVO DRY-SYSTEM DECORLIT
SISTEMA CONSTRUTIVO DRY-SYSTEM DECORLITSISTEMA CONSTRUTIVO DRY-SYSTEM DECORLIT
SISTEMA CONSTRUTIVO DRY-SYSTEM DECORLIT
 
Apresentação Casa Pronta
Apresentação Casa ProntaApresentação Casa Pronta
Apresentação Casa Pronta
 
Casa Express -sistema construtivo
Casa Express -sistema construtivoCasa Express -sistema construtivo
Casa Express -sistema construtivo
 
Apresent drywall01
Apresent drywall01Apresent drywall01
Apresent drywall01
 
Alvenaria 2
Alvenaria 2Alvenaria 2
Alvenaria 2
 
Perfil dos Fabricantes de Telhas de Aço e Steel Deck 2015
Perfil dos Fabricantes de Telhas de Aço e Steel Deck 2015Perfil dos Fabricantes de Telhas de Aço e Steel Deck 2015
Perfil dos Fabricantes de Telhas de Aço e Steel Deck 2015
 
Telhado 3 de 3 [modo de compatibilidade]
Telhado 3 de 3 [modo de compatibilidade]Telhado 3 de 3 [modo de compatibilidade]
Telhado 3 de 3 [modo de compatibilidade]
 
Apresentação CEF
Apresentação CEFApresentação CEF
Apresentação CEF
 
Radier
RadierRadier
Radier
 
Isadora Matos, Raquel Silva, Sarah Cunha - Estruturas em Gesso
Isadora Matos, Raquel Silva, Sarah Cunha - Estruturas em GessoIsadora Matos, Raquel Silva, Sarah Cunha - Estruturas em Gesso
Isadora Matos, Raquel Silva, Sarah Cunha - Estruturas em Gesso
 
Telhado 2 de 3 [modo de compatibilidade]
Telhado 2 de 3 [modo de compatibilidade]Telhado 2 de 3 [modo de compatibilidade]
Telhado 2 de 3 [modo de compatibilidade]
 
Impermeabilização para Steel Frame
Impermeabilização para Steel FrameImpermeabilização para Steel Frame
Impermeabilização para Steel Frame
 

Semelhante a sistemas de vedação vertical

apostila de dry wall
apostila de dry wallapostila de dry wall
apostila de dry wall
William Paula
 
sistema construtivo inovador (drywall)
sistema construtivo inovador (drywall)sistema construtivo inovador (drywall)
sistema construtivo inovador (drywall)
JulioHerysonSilva
 
Palestra Drywall
Palestra DrywallPalestra Drywall
Palestra Drywall
Ludmila Souza
 
A execução in situ com lajes protendidas
A execução in situ com lajes protendidasA execução in situ com lajes protendidas
A execução in situ com lajes protendidas
Luciana Paixão Arquitetura
 
Materiais projeto e
Materiais projeto eMateriais projeto e
Materiais projeto e
Nayra Reis
 
04 07 2004
04 07 200404 07 2004
04 07 2004
Formal Arquitetura
 
Folder cimenticios-2012
Folder cimenticios-2012Folder cimenticios-2012
Folder cimenticios-2012
Hilrocha
 
ACM
ACMACM
Cartilla de cómo hacer bloques ecológica
Cartilla de cómo hacer bloques ecológicaCartilla de cómo hacer bloques ecológica
Cartilla de cómo hacer bloques ecológica
danius2009
 
Catalogo placa cimenticia verde ok bx (1)
Catalogo placa cimenticia  verde ok bx (1)Catalogo placa cimenticia  verde ok bx (1)
Catalogo placa cimenticia verde ok bx (1)
cleidson fonseca
 
Precise Forms - Apresentação ao Brasil !
Precise Forms - Apresentação ao Brasil !Precise Forms - Apresentação ao Brasil !
Precise Forms - Apresentação ao Brasil !
RamonJCRibeiro
 
Pisos industriais
Pisos industriaisPisos industriais
Pisos industriais
Gail Pisos
 
Manual tecnico trevo_drywall_2016
Manual tecnico trevo_drywall_2016Manual tecnico trevo_drywall_2016
Manual tecnico trevo_drywall_2016
Pricila Correali
 
Manual tecnico trevo_drywall_2016
Manual tecnico trevo_drywall_2016Manual tecnico trevo_drywall_2016
Manual tecnico trevo_drywall_2016
Marta Tessaro
 
Cortina de vidro
Cortina de vidroCortina de vidro
Cortina de vidro
Leo Borges
 
IBRACON2008_0123
IBRACON2008_0123IBRACON2008_0123
IBRACON2008_0123
Carla Barroso, MSc, MBA
 
Presentation - New
 Presentation - New Presentation - New
Presentation - New
Daniella Prado
 
Quality house Novo conceito construtivo
Quality house Novo conceito construtivoQuality house Novo conceito construtivo
Quality house Novo conceito construtivo
Mercatus Import Export Ltda e AJLX trade Limited
 
Catalogo concreto protendido-site
Catalogo concreto protendido-siteCatalogo concreto protendido-site
Catalogo concreto protendido-site
Newton Munhoz
 
Concreto celular
Concreto celularConcreto celular
Concreto celular
Ademir Gardacho
 

Semelhante a sistemas de vedação vertical (20)

apostila de dry wall
apostila de dry wallapostila de dry wall
apostila de dry wall
 
sistema construtivo inovador (drywall)
sistema construtivo inovador (drywall)sistema construtivo inovador (drywall)
sistema construtivo inovador (drywall)
 
Palestra Drywall
Palestra DrywallPalestra Drywall
Palestra Drywall
 
A execução in situ com lajes protendidas
A execução in situ com lajes protendidasA execução in situ com lajes protendidas
A execução in situ com lajes protendidas
 
Materiais projeto e
Materiais projeto eMateriais projeto e
Materiais projeto e
 
04 07 2004
04 07 200404 07 2004
04 07 2004
 
Folder cimenticios-2012
Folder cimenticios-2012Folder cimenticios-2012
Folder cimenticios-2012
 
ACM
ACMACM
ACM
 
Cartilla de cómo hacer bloques ecológica
Cartilla de cómo hacer bloques ecológicaCartilla de cómo hacer bloques ecológica
Cartilla de cómo hacer bloques ecológica
 
Catalogo placa cimenticia verde ok bx (1)
Catalogo placa cimenticia  verde ok bx (1)Catalogo placa cimenticia  verde ok bx (1)
Catalogo placa cimenticia verde ok bx (1)
 
Precise Forms - Apresentação ao Brasil !
Precise Forms - Apresentação ao Brasil !Precise Forms - Apresentação ao Brasil !
Precise Forms - Apresentação ao Brasil !
 
Pisos industriais
Pisos industriaisPisos industriais
Pisos industriais
 
Manual tecnico trevo_drywall_2016
Manual tecnico trevo_drywall_2016Manual tecnico trevo_drywall_2016
Manual tecnico trevo_drywall_2016
 
Manual tecnico trevo_drywall_2016
Manual tecnico trevo_drywall_2016Manual tecnico trevo_drywall_2016
Manual tecnico trevo_drywall_2016
 
Cortina de vidro
Cortina de vidroCortina de vidro
Cortina de vidro
 
IBRACON2008_0123
IBRACON2008_0123IBRACON2008_0123
IBRACON2008_0123
 
Presentation - New
 Presentation - New Presentation - New
Presentation - New
 
Quality house Novo conceito construtivo
Quality house Novo conceito construtivoQuality house Novo conceito construtivo
Quality house Novo conceito construtivo
 
Catalogo concreto protendido-site
Catalogo concreto protendido-siteCatalogo concreto protendido-site
Catalogo concreto protendido-site
 
Concreto celular
Concreto celularConcreto celular
Concreto celular
 

Último

Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 

sistemas de vedação vertical

  • 1. Equipe: Climeiro Herculano Lucas Ferreira
  • 2. Sistema de Vedação Vertical Racionalizado.  Racionalização - racional + ação, usar da sua inteligência para execução de tarefas onde o efeito deverá ser integrado a menos desperdício, menos esforço, menos custo, menos retrabalho, menos reposição, chegando a tarefa final com custo benifício com excelência .  Trabalho com sistema construtivo Forma Pronta, a mais o menos 25 anos e o desperdício em obras civis , com relação a madeira e na execução de formas era muito grande. Chegando a perdas muito grandes. Com a racionalização das estrutura de concreto e a utilização do Sistema de Forma Pronta, conseguimos um custo benefício muito grande para o sistema de formas, propiciando a palavra "RACIONALIZAÇÂO", dos materiais.
  • 3.  Concreto Celular;  Sistemas Drywall;  Sistemas Steel-Frame.
  • 4. Concreto celular autoclavado é um produto constituído de cal, cimento, areia e pó de alumínio (um agente expansor que funciona como fermento, fazendo a argamassa crescer e ficar cheia de células de ar, tornando-a leve), além de água.
  • 5.  Cortada em blocos ou painéis, que vão para uma autoclave para cura, a argamassa dá origem ao silicato de cálcio, composto com alta resistência à compressão e ao fogo e de ótimo desempenho termo acústico.
  • 6.
  • 7.  Os blocos são utilizados para vedação de vãos e enchimento de lajes nervuradas, e os painéis armados para paredes ou lajes. Também são encontrados blocos-canaletas para vergas e contra-vergas (acabamento horizontal sobre ombreiras de porta ou janela).
  • 8.  Leve;  Economizar na mão de Obra;  Alta resistência ao fogo;  Ótimo desempenho termo acústico;  Dispensa certos tipos de revestimentos;  Boa resistência em comparação com o bloco cerâmico.
  • 9.  Por ser leve, o produto é indicado principalmente para estruturas que não devem sofrer sobrecargas, podem ser cortados e transportados com facilidade.  É preciso estar atento aos custos. O valor do bloco de concreto celular é normalmente mais alto que o de outros materiais (bloco de concreto ou cerâmicos), porém o preço final da obra pode ser mais baixo: por serem mais leves e terem grandes dimensões, sua colocação é mais rápida, permitindo economizar na mão-de-obra.
  • 10.  Valor alto;  Não permitir instalações internas na sua estrutura.
  • 11.
  • 12.  Dry wall ou Placa de Reboco. Significa em português "parede seca", é uma tecnologia que substitui as vedações internas convencionais (paredes, tetos e revestimentos) de edifícios de quaisquer tipos, consistindo de chapas de gesso aparafusadas em estruturas de perfis de aço galvanizado. Esta tecnologia já é utilizada na Europa e nos Estados Unidos há mais de 100 anos e no Brasil este sistema veio ganhando espaço nos últimos anos em função da instalação em nosso país de três grandes fabricantes europeus do sistema: LAFARGE (francesa), PLACO (francesa) e KNAUF (alemã).
  • 13.  O drywall é uma técnica de revestimento que substitui paredes e forros construídos em alvenaria, através do uso de placas pré-moldadas, confeccionadas com papel acartonado e gesso.
  • 14.  Rapidez e limpeza na montagem;  Barateamento dos custos;  Resistentes;  Leves;  De fácil manuseio e instalação.  Reformas fáceis;  Isolamento de ruídos.
  • 15.  A forma de montagem e os componentes utilizados permitem que a parede seja configurada para atender a diferentes níveis de desempenho, de acordo com as exigências ou necessidades de cada ambiente em termos mecânicos, acústicos, térmicos e de comportamento frente ao fogo.
  • 16.
  • 17.  A tecnologia é totalmente desenvolvida por empresas estrangeiras, inclusive no Brasil. Mas, para que seja utilizado no mercado brasileiro, independente da origem de fabricação, o drywall precisa estar regularizado de acordo com algumas normas específicas para o segmento, estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).  No país existem, ainda, entidades como a Associação Brasileira de Fabricantes de Chapas para Drywall e a Associação Drywall, que estão disponíveis para sanar dúvidas de profissionais e consumidores.  Portanto, antes de adquirir o produto é necessário obter mais informações sobre a procedência do drywall, bem como exigir certificação junto aos órgãos competentes. Não esquecer ainda, da importância de contratar os serviços de profissionais que dominem as técnicas de manuseio e instalação da tecnologia. Isso vale tanto para engenheiro civis, arquitetos e componentes da mão de obra para construção, como mestres de obras e pedreiros.
  • 18.
  • 19.  Stell – Frame. Steel Frame: São perfis leves de aço formados a frio, a partir de chapas de aço galvanizados, com espessuras que variam entre 0,8 e 1,25 mm. Os perfis mais usuais são denominados “guias” (perfis U simples) e “montantes” (perfis U enrijecidos). Os perfis utilizados devem ter galvanização mínima de Z-275.
  • 20. Revestimento interno O fechamento interno é realizado com chapas de Drywall, que proporcionam uma superfície lisa e pronta para receber acabamento. Para paredes que receberão armários ou peças suspensas, recomenda-se o uso do LP OSB Home como reforço em paredes de Drywall. Esta aplicação tem como vantagem a liberdade do usuário aplicar armários ou peças suspensas em qualquer ponto da parede, sem a necessidade de prever o mapeamento dos reforços.
  • 21.
  • 22.  Paredes Revestimento externo Sobre o LP OSB Home é aplicada a LP Membrana, que garante a estanqueidade e a adequada ventilação das paredes, permitindo a saída da umidade interna das paredes e protegendo-as contra a umidade externa. O Steel Frame permite a aplicação de diversos revestimentos externos como LP Siding Vinílico, LP SmartSide Lap, revestimento argamassado, placa cimentícia, revestimento cerâmico e outros. Caso sejam utilizados os painéis LP SmartSide Panel e Panel H a LP Membrana é aplicada diretamente sobre o esqueleto estrutural, ou seja, sob os painéis.
  • 23.  Instalações elétricas e hidráulicas Podem ser idênticas às que são utilizadas na construção convencional. A vantagem é que no Sistema Steel Frame as paredes funcionam como shafts visíveis, facilitando a execução e manutenção das instalações.
  • 24.  Isolamentos O Steel Frame apresenta um ótimo conforto térmico e acústico. Além disso, permite a utilização de diversos tipos de isolamento que podem ser instalados nas paredes internas e externas, forro e telhados de acordo com a necessidade do projeto. Esquadrias As instalações de portas e janelas no Steel Frame podem ser executadas de maneira similar ao Sistema Convencional, com espuma de poliuretano ou com parafusos.
  • 25.
  • 26. Esperamos que essa apresentação tenha influenciado no teu aprendizado.