SlideShare uma empresa Scribd logo
SINAIS
VITAIS
Cuidador
de Idoso
Familiar
Cuidador
de Idoso
Familiar
Para muitos, essa responsabilidade se torna
uma parte essencial da vida, embora seja
desafiadora e exigente.
1.
Este guia prático foi criado para oferecer
orientações úteis aos cuidadores que
assumem a nobre tarefa de cuidar de um ente
querido em casa.
2.
Ao longo deste guia, compartilharemos
conselhos e informações valiosas para tornar
essa jornada de cuidados mais eficaz e
harmoniosa, sempre visando o bem-estar
tanto do seu familiar quanto o seu.
3.
CUIDAR DE UM FAMILIAR É UM GESTO DE
AMOR E CARINHO INCOMPARÁVEL
Contudo, é importante enfatizar que, por
mais detalhadas e rigorosas que sejam as
informações aqui fornecidas, elas não
substituem o acompanhamento regular de um
médico ou enfermeiro.
1.
O objetivo é ajudar, esclarecer e
complementar seu conhecimento, para que,
estando mais informado, você possa tomar
decisões mais conscientes.
2.
Cuidador de
Idoso Familiar
Cuidador de
Idoso Familiar
A avaliação regular dos sinais vitais é
essencial para detectar precocemente
alterações que possam indicar
complicações médicas, desempenhando
um papel crucial na prevenção e gestão
de problemas de saúde (INEM, 2017). A
seguir, apresentamos uma tabela com os
valores de referência a serem
considerados durante a avaliação dos
sinais vitais.
AVALIAÇÃO
DE SINAIS
VITAIS
VALORES DE REFERÊNCIA DOS SINAIS VITAIS
Sinal Vital
Valor de
Referência
Respiração
(Saturação de Oxigênio)
95% a 100% SpO²
Pressão Arterial 120/80 mmHg
Frequência Cardíaca
60 a 100
batimentos por
minuto (bpm)
Temperatura Corporal 36,1°C a 37,2°C
REFERÊNCIA
DOS SINAIS
VITAIS
A saturação de oxigênio mede a
quantidade de oxigênio transportada
pelo sangue. Valores normais estão
entre 95% e 100%. Níveis abaixo de
90% podem indicar hipoxemia,
necessitando de atenção médica
imediata.
Respiração
Saturação
de Oxigênio
A pressão arterial é a força que o sangue
exerce contra as paredes das artérias. O
valor ideal é 120/80 mmHg. Leituras
consistentemente acima de 140/90
mmHg indicam hipertensão, enquanto
leituras abaixo de 90/60 mmHg indicam
hipotensão.
Pressão
Arterial
A frequência cardíaca indica o número
de batimentos do coração por minuto.
Valores normais variam de 60 a 100
bpm. Frequências fora dessa faixa
podem sinalizar arritmias ou outras
condições cardíacas.
Frequência
Cardíaca
A temperatura corporal normal varia de
36,1°C a 37,2°C. Febre é geralmente
considerada quando a temperatura
ultrapassa 38°C, enquanto hipotermia
ocorre abaixo de 35°C.
Temperatura
Corporal
JORGE
MELLO
ENFERMAGEM
51 998430800
PORTO ALEGRE - RS
www.CUIDADOR.xyz | @cuidadorPessoaIdosa
DO IDOSO
SINAIS
SINAIS
VITAIS
VITAIS

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdf

hipertensao_arterial
hipertensao_arterialhipertensao_arterial
hipertensao_arterial
catianelameida
 
4674033
46740334674033
Manual de Orientação a Pacientes Hipertensos
Manual de Orientação a Pacientes HipertensosManual de Orientação a Pacientes Hipertensos
Manual de Orientação a Pacientes Hipertensos
Sérgio Amaral
 
O QUE É PRESSÃO ARTERIAL?
O QUE É PRESSÃO ARTERIAL?O QUE É PRESSÃO ARTERIAL?
O QUE É PRESSÃO ARTERIAL?
Clínica Lares
 
Hipertensao arterial2
Hipertensao arterial2Hipertensao arterial2
Hipertensao arterial2
catianelameida
 
Primeiros Socorros
Primeiros SocorrosPrimeiros Socorros
Primeiros Socorros
James Abrantes
 
Hipertensao arterial
Hipertensao arterialHipertensao arterial
Hipertensao arterial
Maria LuciaFlucinhab Pimentel
 
Hipertensão Arterial
Hipertensão ArterialHipertensão Arterial
Hipertensão Arterial
Juliana Borges
 
aula 2 sinais vitais
aula 2 sinais vitais aula 2 sinais vitais
aula 2 sinais vitais
RosaSantos738119
 
2ª aula slides sinais vitais
2ª aula slides   sinais vitais2ª aula slides   sinais vitais
2ª aula slides sinais vitais
Simone Alvarenga
 
Avaliação de dados vitais
 Avaliação de dados vitais Avaliação de dados vitais
Avaliação de dados vitais
Lucimar Campos
 
Hipertensão Arterial manual completo
Hipertensão Arterial manual completoHipertensão Arterial manual completo
Hipertensão Arterial manual completo
Tookmed
 
Hipertensão Arterial Sistêmica
Hipertensão Arterial SistêmicaHipertensão Arterial Sistêmica
Hipertensão Arterial Sistêmica
Denise Selegato
 
Hipertensao Arterial.ppt
Hipertensao Arterial.pptHipertensao Arterial.ppt
Hipertensao Arterial.ppt
leidianerodrigues35
 
HIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptx
HIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptxHIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptx
HIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptx
CarlaAlves362153
 
Dia mundial de combate a hipertensão
Dia mundial de combate a hipertensãoDia mundial de combate a hipertensão
Dia mundial de combate a hipertensão
Thiago Gacciona
 
Cartilha pressao alta
Cartilha pressao altaCartilha pressao alta
Cartilha pressao alta
karol_ribeiro
 
Epidemiologia da-hipertensao-arterial
Epidemiologia da-hipertensao-arterialEpidemiologia da-hipertensao-arterial
Epidemiologia da-hipertensao-arterial
Elizabeth Medeiros
 
Doenças crônicas – Pressão Alta
Doenças crônicas – Pressão Alta Doenças crônicas – Pressão Alta
Doenças crônicas – Pressão Alta
Dario Hart
 
Sinais vitais, saúde, bem estar, vida saudável
Sinais vitais, saúde, bem estar, vida saudávelSinais vitais, saúde, bem estar, vida saudável
Sinais vitais, saúde, bem estar, vida saudável
UFPI
 

Semelhante a SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdf (20)

hipertensao_arterial
hipertensao_arterialhipertensao_arterial
hipertensao_arterial
 
4674033
46740334674033
4674033
 
Manual de Orientação a Pacientes Hipertensos
Manual de Orientação a Pacientes HipertensosManual de Orientação a Pacientes Hipertensos
Manual de Orientação a Pacientes Hipertensos
 
O QUE É PRESSÃO ARTERIAL?
O QUE É PRESSÃO ARTERIAL?O QUE É PRESSÃO ARTERIAL?
O QUE É PRESSÃO ARTERIAL?
 
Hipertensao arterial2
Hipertensao arterial2Hipertensao arterial2
Hipertensao arterial2
 
Primeiros Socorros
Primeiros SocorrosPrimeiros Socorros
Primeiros Socorros
 
Hipertensao arterial
Hipertensao arterialHipertensao arterial
Hipertensao arterial
 
Hipertensão Arterial
Hipertensão ArterialHipertensão Arterial
Hipertensão Arterial
 
aula 2 sinais vitais
aula 2 sinais vitais aula 2 sinais vitais
aula 2 sinais vitais
 
2ª aula slides sinais vitais
2ª aula slides   sinais vitais2ª aula slides   sinais vitais
2ª aula slides sinais vitais
 
Avaliação de dados vitais
 Avaliação de dados vitais Avaliação de dados vitais
Avaliação de dados vitais
 
Hipertensão Arterial manual completo
Hipertensão Arterial manual completoHipertensão Arterial manual completo
Hipertensão Arterial manual completo
 
Hipertensão Arterial Sistêmica
Hipertensão Arterial SistêmicaHipertensão Arterial Sistêmica
Hipertensão Arterial Sistêmica
 
Hipertensao Arterial.ppt
Hipertensao Arterial.pptHipertensao Arterial.ppt
Hipertensao Arterial.ppt
 
HIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptx
HIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptxHIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptx
HIPERTENSO_ARTERIAL_SISTMICA.pptx
 
Dia mundial de combate a hipertensão
Dia mundial de combate a hipertensãoDia mundial de combate a hipertensão
Dia mundial de combate a hipertensão
 
Cartilha pressao alta
Cartilha pressao altaCartilha pressao alta
Cartilha pressao alta
 
Epidemiologia da-hipertensao-arterial
Epidemiologia da-hipertensao-arterialEpidemiologia da-hipertensao-arterial
Epidemiologia da-hipertensao-arterial
 
Doenças crônicas – Pressão Alta
Doenças crônicas – Pressão Alta Doenças crônicas – Pressão Alta
Doenças crônicas – Pressão Alta
 
Sinais vitais, saúde, bem estar, vida saudável
Sinais vitais, saúde, bem estar, vida saudávelSinais vitais, saúde, bem estar, vida saudável
Sinais vitais, saúde, bem estar, vida saudável
 

Último

VIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdf
VIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdfVIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdf
VIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdf
kailanejoyce4
 
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
jhordana1
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
BarbaraKelle
 
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Lenilson Souza
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
jhordana1
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
walterjose20
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de espaços    e equipamentoshigienização de espaços    e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  FaciaAULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AntonioXavier35
 

Último (9)

VIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdf
VIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdfVIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdf
VIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdf
 
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
 
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de espaços    e equipamentoshigienização de espaços    e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  FaciaAULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
 

SINAIS VITAIS guia prático do cuidador de idoso.pdf

  • 2. Cuidador de Idoso Familiar Cuidador de Idoso Familiar Para muitos, essa responsabilidade se torna uma parte essencial da vida, embora seja desafiadora e exigente. 1. Este guia prático foi criado para oferecer orientações úteis aos cuidadores que assumem a nobre tarefa de cuidar de um ente querido em casa. 2. Ao longo deste guia, compartilharemos conselhos e informações valiosas para tornar essa jornada de cuidados mais eficaz e harmoniosa, sempre visando o bem-estar tanto do seu familiar quanto o seu. 3. CUIDAR DE UM FAMILIAR É UM GESTO DE AMOR E CARINHO INCOMPARÁVEL
  • 3. Contudo, é importante enfatizar que, por mais detalhadas e rigorosas que sejam as informações aqui fornecidas, elas não substituem o acompanhamento regular de um médico ou enfermeiro. 1. O objetivo é ajudar, esclarecer e complementar seu conhecimento, para que, estando mais informado, você possa tomar decisões mais conscientes. 2. Cuidador de Idoso Familiar Cuidador de Idoso Familiar
  • 4. A avaliação regular dos sinais vitais é essencial para detectar precocemente alterações que possam indicar complicações médicas, desempenhando um papel crucial na prevenção e gestão de problemas de saúde (INEM, 2017). A seguir, apresentamos uma tabela com os valores de referência a serem considerados durante a avaliação dos sinais vitais. AVALIAÇÃO DE SINAIS VITAIS VALORES DE REFERÊNCIA DOS SINAIS VITAIS
  • 5. Sinal Vital Valor de Referência Respiração (Saturação de Oxigênio) 95% a 100% SpO² Pressão Arterial 120/80 mmHg Frequência Cardíaca 60 a 100 batimentos por minuto (bpm) Temperatura Corporal 36,1°C a 37,2°C REFERÊNCIA DOS SINAIS VITAIS
  • 6. A saturação de oxigênio mede a quantidade de oxigênio transportada pelo sangue. Valores normais estão entre 95% e 100%. Níveis abaixo de 90% podem indicar hipoxemia, necessitando de atenção médica imediata. Respiração Saturação de Oxigênio
  • 7. A pressão arterial é a força que o sangue exerce contra as paredes das artérias. O valor ideal é 120/80 mmHg. Leituras consistentemente acima de 140/90 mmHg indicam hipertensão, enquanto leituras abaixo de 90/60 mmHg indicam hipotensão. Pressão Arterial
  • 8. A frequência cardíaca indica o número de batimentos do coração por minuto. Valores normais variam de 60 a 100 bpm. Frequências fora dessa faixa podem sinalizar arritmias ou outras condições cardíacas. Frequência Cardíaca
  • 9. A temperatura corporal normal varia de 36,1°C a 37,2°C. Febre é geralmente considerada quando a temperatura ultrapassa 38°C, enquanto hipotermia ocorre abaixo de 35°C. Temperatura Corporal
  • 10. JORGE MELLO ENFERMAGEM 51 998430800 PORTO ALEGRE - RS www.CUIDADOR.xyz | @cuidadorPessoaIdosa DO IDOSO SINAIS SINAIS VITAIS VITAIS