SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
REPRODUÇÃO NOS ANIMAIS
Comportamentos reprodutores ,[object Object],[object Object],Noutras,  as cores do corpo  tornam-se mais garridas para atrair a fêmea. Noutras, ainda,  libertam cheiros  que atraem o outro sexo. Há ainda animais cujos machos, na época do acasalamento, fazem  exibições nupciais  para atrair a fêmea: cantam, emitem sons, fazem gestos, dança,…  Durante a  exibição nupcial , a ave-lira macho abre a sua  cauda colorida  junto da fêmea. O grou macho executa diante da fêmea uma  exibição nupcial em convite  ao acasalamento
Durante a época da reprodução,  a abetarda  macho faz grandes exibições: abre a cauda, incha o peito, arqueia as asas levantando as penas e inclina a cabeça para trás, depois roda muito lentamente sobre as patas.   A  abetarda  realiza uma espécie de dança para atrair a fêmea. Esta dança tem o nome de  “banho de espuma”  pois parece realmente que a ave fica coberta de espuma e muito maior. Os  rituais de acasalamento  ou  paradas nupciais , permitem que  macho  e  fêmea  da mesma espécie  se reconheçam  e que a fêmea escolha o macho com as melhores características para transmitir à descendência, bem como com maior capacidade física para defender o território e as crias.
O que é a reprodução ? ,[object Object]
TIPOS DE REPRODUÇÃO São necessários dois  indivíduos  (macho  e  fêmea) para dar origem a um novo ser semelhante.  Reprodução Assexuada É  apenas  necessário  um  indivíduo  para  dar  origem  a  um novo ser semelhante.  Reprodução Sexuada
CÉLULAS SEXUAIS Células sexuais femininas:  óvulos A célula que resulta da fecundação é o ovo Células  sexuais  masculinas: espermatozóides Fecundação : União de um óvulo com um espermatozóide
FECUNDAÇÃO ,[object Object],Dá-se  fora  do  corpo  da  fêmea  (normalmente  dentro  de  água – como é o caso da maioria dos peixes e dos anfíbios).   Fecundação  interna Dá-se dentro do corpo da fêmea.
DISMORFISMO SEXUAL ,[object Object],O macho facilmente se distingue da fêmea pelo colorido das suas penas O macho é mais robusto e a sua cabeça é maior Não se distingue o macho da fêmea DISMORFISMO ACENTUADO DISMORFISMO POUCO ACENTUADO SEM DISMORFISMO SEXUAL
DESENVOLVIMENTO DO NOVO SER O novo ser desenvolve-se dentro de um ovo com casca muito  fina que fica dentro do corpo da mãe O novo ser desenvolve-se fora do corpo da mãe, dentro de um ovo  que lhe fornece as reservas alimentares para o seu desenvolvimento O novo ser desenvolve-se no interior do corpo da mãe e à custa dos  materiais (nutrientes) que esta lhe fornece OVOVIVÍPAROS OVÍPAROS VÍVIPAROS
DESENVOLVIMENTO APÓS O NASCIMENTO Alguns animais, ao nascer, têm já uma forma semelhante à do ser adulto. Há, contudo, outros animais que sofrem grandes transformações até atingirem a forma adulta. O novo ser nasce com um aspecto diferente dos progenitores,  sofrendo  transformações  internas e externas até se tornar adulto.   Se  o  novo  ser  nasce  semelhante  aos progenitores.   DESENVOLVIMENTO INDIRECTO DESENVOLVIMENTO DIRECTO
METAMORFOSES Chamam-se  metamorfoses  às profundas mudanças de forma que sofrem alguns animais, desde o nascimento até ao estado adulto. Quando os  indivíduos passam directamente da  fase larvar à fase adulta. Exemplo: gafanhoto.   Quando  as  transformações  apresentam  as  fases - Larva, ninfa e adulto. Exemplo: borboleta.  INCOMPLETA COMPLETA
METAMORFOSE DA BORBOLETA A)  Ovo da borboleta  B)  Lagarta  C)  Preparando o casulo  D e E)  Dentro do casulo (crisálida)  F,G e H)  Rompendo a cutícula da crisálida  I)  Borboleta pronta para voar   
METAMORFOSE DO GAFANHOTO
METAMORFOSE DA RÃ

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reprodução dos animais
Reprodução dos animaisReprodução dos animais
Reprodução dos animaisPaulo_Jorge
 
Revisão ENEM - Genômica celular
Revisão ENEM - Genômica celularRevisão ENEM - Genômica celular
Revisão ENEM - Genômica celularemanuel
 
Aula 8º ano - Reprodução humana
Aula 8º ano - Reprodução humanaAula 8º ano - Reprodução humana
Aula 8º ano - Reprodução humanaLeonardo Kaplan
 
Reprodução sexuada e meiose - parte II
Reprodução sexuada e meiose - parte IIReprodução sexuada e meiose - parte II
Reprodução sexuada e meiose - parte IIAna Castro
 
Aula 07 núcleo e cromossomos
Aula 07   núcleo e cromossomosAula 07   núcleo e cromossomos
Aula 07 núcleo e cromossomosHamilton Nobrega
 
Reprodução nas fêmeas bovinas endocrinologia-
Reprodução nas fêmeas bovinas  endocrinologia-Reprodução nas fêmeas bovinas  endocrinologia-
Reprodução nas fêmeas bovinas endocrinologia-Pedro Carvalho
 
Flores e frutos
Flores e frutosFlores e frutos
Flores e frutosURCA
 
Noções de Cladistica
Noções de CladisticaNoções de Cladistica
Noções de Cladisticaemanuel
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução HumanaSérgio Luiz
 

Mais procurados (20)

Embriologia
Embriologia Embriologia
Embriologia
 
14a-aula--aves.pdf
14a-aula--aves.pdf14a-aula--aves.pdf
14a-aula--aves.pdf
 
Reprodução dos animais
Reprodução dos animaisReprodução dos animais
Reprodução dos animais
 
Revisão ENEM - Genômica celular
Revisão ENEM - Genômica celularRevisão ENEM - Genômica celular
Revisão ENEM - Genômica celular
 
.Classe Aves.
.Classe Aves..Classe Aves.
.Classe Aves.
 
Embriologia slides
Embriologia  slidesEmbriologia  slides
Embriologia slides
 
Reprodução humana
Reprodução humanaReprodução humana
Reprodução humana
 
Aula 8º ano - Reprodução humana
Aula 8º ano - Reprodução humanaAula 8º ano - Reprodução humana
Aula 8º ano - Reprodução humana
 
Reprodução sexuada e meiose - parte II
Reprodução sexuada e meiose - parte IIReprodução sexuada e meiose - parte II
Reprodução sexuada e meiose - parte II
 
Aula 07 núcleo e cromossomos
Aula 07   núcleo e cromossomosAula 07   núcleo e cromossomos
Aula 07 núcleo e cromossomos
 
Reprodução em animais
Reprodução em animaisReprodução em animais
Reprodução em animais
 
Peixes - Ensino Fundamental
Peixes - Ensino FundamentalPeixes - Ensino Fundamental
Peixes - Ensino Fundamental
 
Reprodução nas fêmeas bovinas endocrinologia-
Reprodução nas fêmeas bovinas  endocrinologia-Reprodução nas fêmeas bovinas  endocrinologia-
Reprodução nas fêmeas bovinas endocrinologia-
 
Embriologia básica
Embriologia básicaEmbriologia básica
Embriologia básica
 
Flores e frutos
Flores e frutosFlores e frutos
Flores e frutos
 
Unidade 3 hereditariedade
Unidade 3   hereditariedadeUnidade 3   hereditariedade
Unidade 3 hereditariedade
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
Noções de Cladistica
Noções de CladisticaNoções de Cladistica
Noções de Cladistica
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
 

Destaque

InfluêNcia Dos Factores Do Meio No Comportamento Dos
InfluêNcia Dos Factores Do Meio No Comportamento DosInfluêNcia Dos Factores Do Meio No Comportamento Dos
InfluêNcia Dos Factores Do Meio No Comportamento Dosvisiense
 
InfluêNcia Dos Factores Do Meio Nas Plantas
InfluêNcia Dos Factores Do Meio Nas PlantasInfluêNcia Dos Factores Do Meio Nas Plantas
InfluêNcia Dos Factores Do Meio Nas Plantasvisiense
 
Teste reprodução animal
Teste reprodução animalTeste reprodução animal
Teste reprodução animalmarcommendes
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivosshaleny
 
Correção da Ficha de Avalição 2
Correção da Ficha de Avalição 2Correção da Ficha de Avalição 2
Correção da Ficha de Avalição 2sofiasimao
 
5 a importância da água-ar
5 a importância da água-ar5 a importância da água-ar
5 a importância da água-armarcommendes
 
Teste microc, celula, class 5º 12 13
Teste microc, celula, class  5º 12 13Teste microc, celula, class  5º 12 13
Teste microc, celula, class 5º 12 13marcommendes
 
Resumos de ciências 5º ano 1º teste 1º período
Resumos de ciências 5º ano 1º teste 1º períodoResumos de ciências 5º ano 1º teste 1º período
Resumos de ciências 5º ano 1º teste 1º períodoAcima da Média
 

Destaque (14)

Metamorfoses
MetamorfosesMetamorfoses
Metamorfoses
 
InfluêNcia Dos Factores Do Meio No Comportamento Dos
InfluêNcia Dos Factores Do Meio No Comportamento DosInfluêNcia Dos Factores Do Meio No Comportamento Dos
InfluêNcia Dos Factores Do Meio No Comportamento Dos
 
A raiz
A raizA raiz
A raiz
 
Microscópio
MicroscópioMicroscópio
Microscópio
 
InfluêNcia Dos Factores Do Meio Nas Plantas
InfluêNcia Dos Factores Do Meio Nas PlantasInfluêNcia Dos Factores Do Meio Nas Plantas
InfluêNcia Dos Factores Do Meio Nas Plantas
 
Raiz e caule
Raiz e cauleRaiz e caule
Raiz e caule
 
Flor
FlorFlor
Flor
 
Teste reprodução animal
Teste reprodução animalTeste reprodução animal
Teste reprodução animal
 
Teste plantas
Teste plantasTeste plantas
Teste plantas
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivos
 
Correção da Ficha de Avalição 2
Correção da Ficha de Avalição 2Correção da Ficha de Avalição 2
Correção da Ficha de Avalição 2
 
5 a importância da água-ar
5 a importância da água-ar5 a importância da água-ar
5 a importância da água-ar
 
Teste microc, celula, class 5º 12 13
Teste microc, celula, class  5º 12 13Teste microc, celula, class  5º 12 13
Teste microc, celula, class 5º 12 13
 
Resumos de ciências 5º ano 1º teste 1º período
Resumos de ciências 5º ano 1º teste 1º períodoResumos de ciências 5º ano 1º teste 1º período
Resumos de ciências 5º ano 1º teste 1º período
 

Semelhante a ReproduçãO Nos Animais

Reprodução dos animais (alterada)
Reprodução dos animais (alterada)Reprodução dos animais (alterada)
Reprodução dos animais (alterada)Isabel Ribeiro
 
ReproduçãO Nos Animais 5º Ano
ReproduçãO Nos Animais 5º AnoReproduçãO Nos Animais 5º Ano
ReproduçãO Nos Animais 5º AnoMariaJoão Agualuza
 
Reprodução Nos Animais
Reprodução Nos AnimaisReprodução Nos Animais
Reprodução Nos Animaisvisiense
 
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoReprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoMariaJoão Agualuza
 
REPRODUÇÃO NOS ANIMAIS.pptx
REPRODUÇÃO NOS ANIMAIS.pptxREPRODUÇÃO NOS ANIMAIS.pptx
REPRODUÇÃO NOS ANIMAIS.pptxDaniloLuizLopes
 
04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animais04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animaisCarla Gomes
 
Reprodução dos Animais
Reprodução dos AnimaisReprodução dos Animais
Reprodução dos Animais00367p
 
04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animais04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animaisCarla Gomes
 
Reprodução dos animais
Reprodução dos animaisReprodução dos animais
Reprodução dos animaisJoaquim André
 
4 Processos Reprodutivos nos animais 2016
4 Processos Reprodutivos nos animais 20164 Processos Reprodutivos nos animais 2016
4 Processos Reprodutivos nos animais 2016MariaJoão Agualuza
 
Reprodução dos animais Poppy
Reprodução dos animais PoppyReprodução dos animais Poppy
Reprodução dos animais PoppyPoppyStardoll7
 
Insetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez OliveiraInsetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez OliveiraErnandez Oliveira
 
A diversidade de processos reprodutivos dos animais
A diversidade de processos reprodutivos dos animaisA diversidade de processos reprodutivos dos animais
A diversidade de processos reprodutivos dos animaisDavid_Costa_30
 

Semelhante a ReproduçãO Nos Animais (20)

Reprodução dos animais (alterada)
Reprodução dos animais (alterada)Reprodução dos animais (alterada)
Reprodução dos animais (alterada)
 
reproducao 2.ppt
reproducao 2.pptreproducao 2.ppt
reproducao 2.ppt
 
ReproduçãO Nos Animais 5º Ano
ReproduçãO Nos Animais 5º AnoReproduçãO Nos Animais 5º Ano
ReproduçãO Nos Animais 5º Ano
 
Reprodução Nos Animais
Reprodução Nos AnimaisReprodução Nos Animais
Reprodução Nos Animais
 
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoReprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
 
REPRODUÇÃO NOS ANIMAIS.pptx
REPRODUÇÃO NOS ANIMAIS.pptxREPRODUÇÃO NOS ANIMAIS.pptx
REPRODUÇÃO NOS ANIMAIS.pptx
 
Reprodução nos Animais
 Reprodução nos Animais Reprodução nos Animais
Reprodução nos Animais
 
04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animais04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animais
 
Reprodução dos Animais
Reprodução dos AnimaisReprodução dos Animais
Reprodução dos Animais
 
04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animais04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animais
 
Reprodução dos animais
Reprodução dos animaisReprodução dos animais
Reprodução dos animais
 
4 Processos Reprodutivos nos animais 2016
4 Processos Reprodutivos nos animais 20164 Processos Reprodutivos nos animais 2016
4 Processos Reprodutivos nos animais 2016
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Reprodução dos animais Poppy
Reprodução dos animais PoppyReprodução dos animais Poppy
Reprodução dos animais Poppy
 
Reprodução dos animais
Reprodução dos animaisReprodução dos animais
Reprodução dos animais
 
Insetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez OliveiraInsetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
 
A diversidade de processos reprodutivos dos animais
A diversidade de processos reprodutivos dos animaisA diversidade de processos reprodutivos dos animais
A diversidade de processos reprodutivos dos animais
 
01 tema1 grupoa
01 tema1 grupoa01 tema1 grupoa
01 tema1 grupoa
 
01 tema1 grupoa
01 tema1 grupoa01 tema1 grupoa
01 tema1 grupoa
 
Animais Reprodução 5F
Animais Reprodução 5F Animais Reprodução 5F
Animais Reprodução 5F
 

Mais de ilda

Desenvolvimento Intrauterino
Desenvolvimento IntrauterinoDesenvolvimento Intrauterino
Desenvolvimento Intrauterinoilda
 
R E P R O D UÇÃ O
R E P R O D UÇÃ OR E P R O D UÇÃ O
R E P R O D UÇÃ Oilda
 
Diversidade Das Plantas
Diversidade Das PlantasDiversidade Das Plantas
Diversidade Das Plantasilda
 
ConstituiçãO Do Sistema CirculatóRio
ConstituiçãO Do Sistema CirculatóRioConstituiçãO Do Sistema CirculatóRio
ConstituiçãO Do Sistema CirculatóRioilda
 
Os Alimentos como Veículo de nutrientes
Os Alimentos como Veículo de nutrientesOs Alimentos como Veículo de nutrientes
Os Alimentos como Veículo de nutrientesilda
 
LocomoçãO Dos Animais
LocomoçãO Dos AnimaisLocomoçãO Dos Animais
LocomoçãO Dos Animaisilda
 

Mais de ilda (6)

Desenvolvimento Intrauterino
Desenvolvimento IntrauterinoDesenvolvimento Intrauterino
Desenvolvimento Intrauterino
 
R E P R O D UÇÃ O
R E P R O D UÇÃ OR E P R O D UÇÃ O
R E P R O D UÇÃ O
 
Diversidade Das Plantas
Diversidade Das PlantasDiversidade Das Plantas
Diversidade Das Plantas
 
ConstituiçãO Do Sistema CirculatóRio
ConstituiçãO Do Sistema CirculatóRioConstituiçãO Do Sistema CirculatóRio
ConstituiçãO Do Sistema CirculatóRio
 
Os Alimentos como Veículo de nutrientes
Os Alimentos como Veículo de nutrientesOs Alimentos como Veículo de nutrientes
Os Alimentos como Veículo de nutrientes
 
LocomoçãO Dos Animais
LocomoçãO Dos AnimaisLocomoçãO Dos Animais
LocomoçãO Dos Animais
 

Último

Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfaulasgege
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfSandra Pratas
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e Américawilson778875
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.pptDaniloConceiodaSilva
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 

Último (20)

Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e América
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 

ReproduçãO Nos Animais

  • 2.
  • 3. Durante a época da reprodução, a abetarda macho faz grandes exibições: abre a cauda, incha o peito, arqueia as asas levantando as penas e inclina a cabeça para trás, depois roda muito lentamente sobre as patas. A abetarda realiza uma espécie de dança para atrair a fêmea. Esta dança tem o nome de “banho de espuma” pois parece realmente que a ave fica coberta de espuma e muito maior. Os rituais de acasalamento ou paradas nupciais , permitem que macho e fêmea da mesma espécie se reconheçam e que a fêmea escolha o macho com as melhores características para transmitir à descendência, bem como com maior capacidade física para defender o território e as crias.
  • 4.
  • 5. TIPOS DE REPRODUÇÃO São necessários dois indivíduos (macho e fêmea) para dar origem a um novo ser semelhante. Reprodução Assexuada É apenas necessário um indivíduo para dar origem a um novo ser semelhante. Reprodução Sexuada
  • 6. CÉLULAS SEXUAIS Células sexuais femininas: óvulos A célula que resulta da fecundação é o ovo Células sexuais masculinas: espermatozóides Fecundação : União de um óvulo com um espermatozóide
  • 7.
  • 8.
  • 9. DESENVOLVIMENTO DO NOVO SER O novo ser desenvolve-se dentro de um ovo com casca muito fina que fica dentro do corpo da mãe O novo ser desenvolve-se fora do corpo da mãe, dentro de um ovo que lhe fornece as reservas alimentares para o seu desenvolvimento O novo ser desenvolve-se no interior do corpo da mãe e à custa dos materiais (nutrientes) que esta lhe fornece OVOVIVÍPAROS OVÍPAROS VÍVIPAROS
  • 10. DESENVOLVIMENTO APÓS O NASCIMENTO Alguns animais, ao nascer, têm já uma forma semelhante à do ser adulto. Há, contudo, outros animais que sofrem grandes transformações até atingirem a forma adulta. O novo ser nasce com um aspecto diferente dos progenitores, sofrendo transformações internas e externas até se tornar adulto. Se o novo ser nasce semelhante aos progenitores. DESENVOLVIMENTO INDIRECTO DESENVOLVIMENTO DIRECTO
  • 11. METAMORFOSES Chamam-se metamorfoses às profundas mudanças de forma que sofrem alguns animais, desde o nascimento até ao estado adulto. Quando os indivíduos passam directamente da fase larvar à fase adulta. Exemplo: gafanhoto. Quando as transformações apresentam as fases - Larva, ninfa e adulto. Exemplo: borboleta. INCOMPLETA COMPLETA
  • 12. METAMORFOSE DA BORBOLETA A) Ovo da borboleta B) Lagarta C) Preparando o casulo D e E) Dentro do casulo (crisálida) F,G e H) Rompendo a cutícula da crisálida I) Borboleta pronta para voar