SlideShare uma empresa Scribd logo
REDAÇÃO
Na comunicação cotidiana, utilizamos maneiras
diferentes de expressar nossos pensamentos, nossos
desejos, nossos sentimentos, nossas opiniões, nosso
conhecimento, nossa criatividade. Há momentos em que
discutimos sobre algum assunto da atualidade; há outros
em que contamos o que aconteceu durante o dia : em
outros, caracterizamos determinado local ou pessoa.
No texto escrito, também existem
diferentes arranjos para a construção do
sentido. São os três modos fundamentais
que orientam a prática redacional: a
descrisção , a narração e a dissertação-
três formas diversas de escrever, que
colocam em jogo diferentes habilidades
textuais.
Descrição:
De acordo com Othon Garcia,

 É a apresentação verbal de um objeto,
 que pode ser coisa, paisagem, e até um
 sentimento.
O texto descritivo explora os detalhes da coisa
descrita e acentua as qualidades do observador,
do escritor, uma vez que, para provocar efeitos
visuais ou sensoriais no leitor, quem redige deve
ser capaz de perceber, de imaginar seu objeto
de descrição em múltiplos por menores antes
de compartilhar o quadro por meio de palavras.
Principais características da descrição:

   Figurativa: os elementos apresentados devem ter referência concreta, capazes de promover a
    percepção imagética sensorial daquilo que é descrito.

   Simultaneidade: a descrição realiza um congelamento temporal; não relata mudanças de
    situação, mas sim propriedade dos objetos descritos. Como em uma fotografia, o texto descritivo
    fornece um olhar congelado da cena, como se o tempo, naquele momento parasse.

   Predomínio de atributos: adjetivos e qualificativos em geral constroem uma imagem da coisa
    descrita, sua identidade e sua singularidade.

   Uso preferencial dos verbos de ligação: por realizar um recorte temporal , a descrição é feita
    principalmente por verbos de ligação ou que apontam estado(ser, estar, permanecer, ficar
    etc.)em detrimento aos verbos de ação.

   Emprego freqüente de comparações, metáforas e outras figuras de linguagem: como estratégias
    descritivas, é comum a utilização de recursos lingüísticos que forneçam subsídios à imaginação
    do leitor.
Há que se observar, ainda, que existem dois modos
diferentes de descrever: o narrador pode privilegiar, em
certos momentos, informações mais objetivas, mais
físicas, em sua descrição; ou, por outro lado, pode
enfatizar informações mais subjetivas, carregadas de
impressão ou emotividade, acerca da matéria da
descrição.

No primeiro caso, temos a descrição realista ou objetiva:
no segundo, a descrição impressionista ou subjetiva.
DESCRIÇÃO E JORNALISMO

No discurso jornalístico, a descrição é
comum, principalmente nas editorias ou
nas publicações voltadas ao turismo, ou
nos textos de publicações especializadas
que requerem apresentações de produtos
ou ambientes.
NARAÇÃO

    A habilidade de contar histórias, sem dúvida, participa
    da cultura humana de forma intrínseca, decisiva. Para
    Walter Beijamin:

   A narração instituiu a tradição que transmite o
    acontecido de geração a geração. E é na narração que
    se situa grande parte da nossa capacidade
    comunicacional.

   Como modalidade redacional, identificamos a narração
    como forma de texto no qual contamos um ou mais
    fatos, que acontecem em determinados tempos e
    espaço e envolvem personagens, estes considerados
    agentes da narração.
Principais características textuais da narração

   Ênfase factual: é em torno do fato ou de um conjunto de
    acontecimentos que se ordena o texto narrativo.

   Progressão temporal: os fatos se organizam em uma linha temporal
    (antes, durante e depois); há transformações mudanças.

   Figuratividade: assim como na descrição , predominam os
    elementos concretos na composição do texto.

   Predomínio dos verbos de ação: são os verbos que traduzem
    movimento, mudança de situação, opostos aos verbos de ligação
    ou estado.

   Presença de personagens, tempo e espaço: a ação está sempre
    vinculada a determinados agentes da narrativa e acontece em
    determinado tempo e espaço( orientação factual-temporal-
    espacial).
ENREDO

   Trama ou intriga na verdade é a história propriamente dita, conjunto das
    ações apresentadas, movidas pelo conflito que alimenta a narrativa.

O enredo compreende quatro fases progressivas:

   Apresentação: ocorre a identificação de alguns personagens e do contexto
    ou seja, referencias de tempo e espaço em que época e em que lugar a
    história vai acontecer.

   Complicação: inaugura-se a trama propriamente dita, o encadeamento de
    ações, o conflito.

   Clímax: é o momento: de maior tensão de uma história e o marco de que a
    partir desse ponto o relato caminha para seu fim.

   Desfecho:é a resolução dos conflitos.
ELEMENTOS DA NARRATIVA

    Além do enredo ou da trama da narrativa, consideram-se elementos estruturais:

   Personagens: exercem as ações previstas na integra. Podem ser identificadas
    quanto ao papel: protagonistas (centrais ), antagonistas (opõem-se aos protagonistas
    ) e secundárias; e quanto a caracterização: planas possuem traços fixos; redondas
    apresentam maior complexidades- são personagens que podem surpreender o leitor
    e sofrer mudanças de perfil no decorrer da trama.

   Espaço: lugar em que acontecem as ações.

   Tempo: pode ser cronológico, quando predomina o sentido progressivo das ações
    começo, meio e fim, ou psicológico, quando o foco da narrativa não está no
    ordenamento das ações a partir de uma linha do tempo, mas sim a partir do fluxo de
    consciência dos personagens.

   Foco narrativo: é representado pela figura do narrador que, como entidade ficcional,
    não deve ser confundido com o autor. O narrador pode ser apresentado em primeira
    pessoa narrador personagem- ou em terceira pessoa- narrador observador.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Texto Narrativo Categorias
Texto Narrativo CategoriasTexto Narrativo Categorias
Texto Narrativo Categorias
Elsa Maximiano
 
Categorias da narrativa 9º ano
Categorias da narrativa   9º anoCategorias da narrativa   9º ano
Categorias da narrativa 9º ano
ElisabeteMarques
 
Categorias da narrativa
Categorias da narrativaCategorias da narrativa
Categorias da narrativa
nando_reis
 
Lp 9º ano
Lp 9º anoLp 9º ano
Lp 9º ano
Manuel Oliveira
 
Categoriasdanarrativa 7ano
Categoriasdanarrativa 7anoCategoriasdanarrativa 7ano
Categoriasdanarrativa 7ano
Heliadora
 
Categorias da Narrativa
Categorias da NarrativaCategorias da Narrativa
Categorias da Narrativa
Vanda Sousa
 
Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
mariaanliaf
 
Textos Narrativos
Textos NarrativosTextos Narrativos
Textos Narrativos
RitaAlexandra
 
A DescriçãO
A DescriçãOA DescriçãO
A DescriçãO
martinsramon
 
106670377 categorias-da-narrativa
106670377 categorias-da-narrativa106670377 categorias-da-narrativa
106670377 categorias-da-narrativa
Manuela Marques
 
Categorias Da Narrativa
Categorias Da NarrativaCategorias Da Narrativa
Categorias Da Narrativa
Maria Fonseca
 
Categorias da narrativa
Categorias da narrativaCategorias da narrativa
Categorias da narrativa
Vanda Marques
 
Categorias da Narrativa
Categorias da NarrativaCategorias da Narrativa
Categorias da Narrativa
Teresa Pombo
 
Categorias da narrativa
Categorias da narrativaCategorias da narrativa
Categorias da narrativa
Cristina Fontes
 
Categorias narrativa - síntese
Categorias narrativa - sínteseCategorias narrativa - síntese
Categorias narrativa - síntese
Nelma Patela
 
Traços característicos de textos narrativos
Traços característicos de textos narrativosTraços característicos de textos narrativos
Traços característicos de textos narrativos
Maristela Couto
 
O texto narrativo ppt
O texto narrativo pptO texto narrativo ppt
O texto narrativo ppt
Salomé Raposo
 
Ficha informativa texto narrativo
Ficha informativa  texto narrativoFicha informativa  texto narrativo
Ficha informativa texto narrativo
Teresa Rocha
 

Mais procurados (18)

Texto Narrativo Categorias
Texto Narrativo CategoriasTexto Narrativo Categorias
Texto Narrativo Categorias
 
Categorias da narrativa 9º ano
Categorias da narrativa   9º anoCategorias da narrativa   9º ano
Categorias da narrativa 9º ano
 
Categorias da narrativa
Categorias da narrativaCategorias da narrativa
Categorias da narrativa
 
Lp 9º ano
Lp 9º anoLp 9º ano
Lp 9º ano
 
Categoriasdanarrativa 7ano
Categoriasdanarrativa 7anoCategoriasdanarrativa 7ano
Categoriasdanarrativa 7ano
 
Categorias da Narrativa
Categorias da NarrativaCategorias da Narrativa
Categorias da Narrativa
 
Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
 
Textos Narrativos
Textos NarrativosTextos Narrativos
Textos Narrativos
 
A DescriçãO
A DescriçãOA DescriçãO
A DescriçãO
 
106670377 categorias-da-narrativa
106670377 categorias-da-narrativa106670377 categorias-da-narrativa
106670377 categorias-da-narrativa
 
Categorias Da Narrativa
Categorias Da NarrativaCategorias Da Narrativa
Categorias Da Narrativa
 
Categorias da narrativa
Categorias da narrativaCategorias da narrativa
Categorias da narrativa
 
Categorias da Narrativa
Categorias da NarrativaCategorias da Narrativa
Categorias da Narrativa
 
Categorias da narrativa
Categorias da narrativaCategorias da narrativa
Categorias da narrativa
 
Categorias narrativa - síntese
Categorias narrativa - sínteseCategorias narrativa - síntese
Categorias narrativa - síntese
 
Traços característicos de textos narrativos
Traços característicos de textos narrativosTraços característicos de textos narrativos
Traços característicos de textos narrativos
 
O texto narrativo ppt
O texto narrativo pptO texto narrativo ppt
O texto narrativo ppt
 
Ficha informativa texto narrativo
Ficha informativa  texto narrativoFicha informativa  texto narrativo
Ficha informativa texto narrativo
 

Semelhante a Redação

Análise da narrativa de um seriado.
Análise da narrativa de um seriado.Análise da narrativa de um seriado.
Análise da narrativa de um seriado.
deise
 
Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
mariaanliaf
 
Narração
NarraçãoNarração
Narração
Joseline Pippi
 
Categoriasdanarrativa
CategoriasdanarrativaCategoriasdanarrativa
Categoriasdanarrativa
Heliadora
 
Categorias da narrativa 7º Ano
Categorias da narrativa 7º AnoCategorias da narrativa 7º Ano
Categorias da narrativa 7º Ano
Heliadora
 
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃOTipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
Sônia Maciel Alves
 
Roteiro de análise de livro
Roteiro de análise de livroRoteiro de análise de livro
Roteiro de análise de livro
Escola Estadual Joaquim Abarca -
 
Categorias narrativa
Categorias narrativaCategorias narrativa
Categorias narrativa
Carlos Lima
 
Narrativa 0005
Narrativa 0005Narrativa 0005
Narrativa 0005
Bruno G.
 
Narrativa
NarrativaNarrativa
Narrativa
tiagofl
 
Tipologia e gênero textual
Tipologia e gênero textualTipologia e gênero textual
Tipologia e gênero textual
Andriane Cursino
 
Elementos da narrativa 2016.2
Elementos da narrativa 2016.2Elementos da narrativa 2016.2
Elementos da narrativa 2016.2
Pibid-Letras Córdula
 
Apostila tipologia textual
Apostila tipologia textualApostila tipologia textual
Apostila tipologia textual
VERA OLIVEIRA
 
Tipos de texto
Tipos de textoTipos de texto
Tipos de texto
manuela016
 
Gêneros textuais. algumas estruturas.
Gêneros textuais. algumas estruturas.Gêneros textuais. algumas estruturas.
Gêneros textuais. algumas estruturas.
luci1971
 
Gêneros textuais: algumas estruturas.
Gêneros textuais: algumas estruturas.Gêneros textuais: algumas estruturas.
Gêneros textuais: algumas estruturas.
luci1971
 
1663014648693.pptxmagicalconteudosdoanoqiestao
1663014648693.pptxmagicalconteudosdoanoqiestao1663014648693.pptxmagicalconteudosdoanoqiestao
1663014648693.pptxmagicalconteudosdoanoqiestao
swizzydejesus
 
Slides sobre a Tipologia Textual da Língua Portuguesa.pptx
Slides sobre a Tipologia Textual da Língua Portuguesa.pptxSlides sobre a Tipologia Textual da Língua Portuguesa.pptx
Slides sobre a Tipologia Textual da Língua Portuguesa.pptx
MauricioOliveira258223
 
Texto Narrativo Categorias
Texto Narrativo CategoriasTexto Narrativo Categorias
Texto Narrativo Categorias
José Ferreira
 
Narração
NarraçãoNarração
Narração
Gracy Viana Viana
 

Semelhante a Redação (20)

Análise da narrativa de um seriado.
Análise da narrativa de um seriado.Análise da narrativa de um seriado.
Análise da narrativa de um seriado.
 
Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
 
Narração
NarraçãoNarração
Narração
 
Categoriasdanarrativa
CategoriasdanarrativaCategoriasdanarrativa
Categoriasdanarrativa
 
Categorias da narrativa 7º Ano
Categorias da narrativa 7º AnoCategorias da narrativa 7º Ano
Categorias da narrativa 7º Ano
 
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃOTipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
 
Roteiro de análise de livro
Roteiro de análise de livroRoteiro de análise de livro
Roteiro de análise de livro
 
Categorias narrativa
Categorias narrativaCategorias narrativa
Categorias narrativa
 
Narrativa 0005
Narrativa 0005Narrativa 0005
Narrativa 0005
 
Narrativa
NarrativaNarrativa
Narrativa
 
Tipologia e gênero textual
Tipologia e gênero textualTipologia e gênero textual
Tipologia e gênero textual
 
Elementos da narrativa 2016.2
Elementos da narrativa 2016.2Elementos da narrativa 2016.2
Elementos da narrativa 2016.2
 
Apostila tipologia textual
Apostila tipologia textualApostila tipologia textual
Apostila tipologia textual
 
Tipos de texto
Tipos de textoTipos de texto
Tipos de texto
 
Gêneros textuais. algumas estruturas.
Gêneros textuais. algumas estruturas.Gêneros textuais. algumas estruturas.
Gêneros textuais. algumas estruturas.
 
Gêneros textuais: algumas estruturas.
Gêneros textuais: algumas estruturas.Gêneros textuais: algumas estruturas.
Gêneros textuais: algumas estruturas.
 
1663014648693.pptxmagicalconteudosdoanoqiestao
1663014648693.pptxmagicalconteudosdoanoqiestao1663014648693.pptxmagicalconteudosdoanoqiestao
1663014648693.pptxmagicalconteudosdoanoqiestao
 
Slides sobre a Tipologia Textual da Língua Portuguesa.pptx
Slides sobre a Tipologia Textual da Língua Portuguesa.pptxSlides sobre a Tipologia Textual da Língua Portuguesa.pptx
Slides sobre a Tipologia Textual da Língua Portuguesa.pptx
 
Texto Narrativo Categorias
Texto Narrativo CategoriasTexto Narrativo Categorias
Texto Narrativo Categorias
 
Narração
NarraçãoNarração
Narração
 

Mais de Elvis Vinícius

I mostra de projetos experimentais
I mostra de projetos experimentaisI mostra de projetos experimentais
I mostra de projetos experimentais
Elvis Vinícius
 
Jornalismo online resumo final
Jornalismo online   resumo finalJornalismo online   resumo final
Jornalismo online resumo final
Elvis Vinícius
 
Mafalda para rádio
Mafalda para rádioMafalda para rádio
Mafalda para rádio
Elvis Vinícius
 
Chico bento tv
Chico bento tvChico bento tv
Chico bento tv
Elvis Vinícius
 
O texto em rádio
O texto em rádioO texto em rádio
O texto em rádio
Elvis Vinícius
 
O século XXI de muitas mídias
O século XXI de muitas mídiasO século XXI de muitas mídias
O século XXI de muitas mídias
Elvis Vinícius
 
O texto na tv
O texto na tvO texto na tv
O texto na tv
Elvis Vinícius
 
Formação Econômica do Brasil - Celso Furtado
Formação Econômica do Brasil - Celso FurtadoFormação Econômica do Brasil - Celso Furtado
Formação Econômica do Brasil - Celso Furtado
Elvis Vinícius
 

Mais de Elvis Vinícius (8)

I mostra de projetos experimentais
I mostra de projetos experimentaisI mostra de projetos experimentais
I mostra de projetos experimentais
 
Jornalismo online resumo final
Jornalismo online   resumo finalJornalismo online   resumo final
Jornalismo online resumo final
 
Mafalda para rádio
Mafalda para rádioMafalda para rádio
Mafalda para rádio
 
Chico bento tv
Chico bento tvChico bento tv
Chico bento tv
 
O texto em rádio
O texto em rádioO texto em rádio
O texto em rádio
 
O século XXI de muitas mídias
O século XXI de muitas mídiasO século XXI de muitas mídias
O século XXI de muitas mídias
 
O texto na tv
O texto na tvO texto na tv
O texto na tv
 
Formação Econômica do Brasil - Celso Furtado
Formação Econômica do Brasil - Celso FurtadoFormação Econômica do Brasil - Celso Furtado
Formação Econômica do Brasil - Celso Furtado
 

Último

Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
marcos oliveira
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 

Último (20)

Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 

Redação

  • 2. Na comunicação cotidiana, utilizamos maneiras diferentes de expressar nossos pensamentos, nossos desejos, nossos sentimentos, nossas opiniões, nosso conhecimento, nossa criatividade. Há momentos em que discutimos sobre algum assunto da atualidade; há outros em que contamos o que aconteceu durante o dia : em outros, caracterizamos determinado local ou pessoa.
  • 3. No texto escrito, também existem diferentes arranjos para a construção do sentido. São os três modos fundamentais que orientam a prática redacional: a descrisção , a narração e a dissertação- três formas diversas de escrever, que colocam em jogo diferentes habilidades textuais.
  • 4. Descrição: De acordo com Othon Garcia, É a apresentação verbal de um objeto, que pode ser coisa, paisagem, e até um sentimento.
  • 5. O texto descritivo explora os detalhes da coisa descrita e acentua as qualidades do observador, do escritor, uma vez que, para provocar efeitos visuais ou sensoriais no leitor, quem redige deve ser capaz de perceber, de imaginar seu objeto de descrição em múltiplos por menores antes de compartilhar o quadro por meio de palavras.
  • 6. Principais características da descrição:  Figurativa: os elementos apresentados devem ter referência concreta, capazes de promover a percepção imagética sensorial daquilo que é descrito.  Simultaneidade: a descrição realiza um congelamento temporal; não relata mudanças de situação, mas sim propriedade dos objetos descritos. Como em uma fotografia, o texto descritivo fornece um olhar congelado da cena, como se o tempo, naquele momento parasse.  Predomínio de atributos: adjetivos e qualificativos em geral constroem uma imagem da coisa descrita, sua identidade e sua singularidade.  Uso preferencial dos verbos de ligação: por realizar um recorte temporal , a descrição é feita principalmente por verbos de ligação ou que apontam estado(ser, estar, permanecer, ficar etc.)em detrimento aos verbos de ação.  Emprego freqüente de comparações, metáforas e outras figuras de linguagem: como estratégias descritivas, é comum a utilização de recursos lingüísticos que forneçam subsídios à imaginação do leitor.
  • 7. Há que se observar, ainda, que existem dois modos diferentes de descrever: o narrador pode privilegiar, em certos momentos, informações mais objetivas, mais físicas, em sua descrição; ou, por outro lado, pode enfatizar informações mais subjetivas, carregadas de impressão ou emotividade, acerca da matéria da descrição. No primeiro caso, temos a descrição realista ou objetiva: no segundo, a descrição impressionista ou subjetiva.
  • 8. DESCRIÇÃO E JORNALISMO No discurso jornalístico, a descrição é comum, principalmente nas editorias ou nas publicações voltadas ao turismo, ou nos textos de publicações especializadas que requerem apresentações de produtos ou ambientes.
  • 9. NARAÇÃO A habilidade de contar histórias, sem dúvida, participa da cultura humana de forma intrínseca, decisiva. Para Walter Beijamin:  A narração instituiu a tradição que transmite o acontecido de geração a geração. E é na narração que se situa grande parte da nossa capacidade comunicacional.  Como modalidade redacional, identificamos a narração como forma de texto no qual contamos um ou mais fatos, que acontecem em determinados tempos e espaço e envolvem personagens, estes considerados agentes da narração.
  • 10. Principais características textuais da narração  Ênfase factual: é em torno do fato ou de um conjunto de acontecimentos que se ordena o texto narrativo.  Progressão temporal: os fatos se organizam em uma linha temporal (antes, durante e depois); há transformações mudanças.  Figuratividade: assim como na descrição , predominam os elementos concretos na composição do texto.  Predomínio dos verbos de ação: são os verbos que traduzem movimento, mudança de situação, opostos aos verbos de ligação ou estado.  Presença de personagens, tempo e espaço: a ação está sempre vinculada a determinados agentes da narrativa e acontece em determinado tempo e espaço( orientação factual-temporal- espacial).
  • 11. ENREDO  Trama ou intriga na verdade é a história propriamente dita, conjunto das ações apresentadas, movidas pelo conflito que alimenta a narrativa. O enredo compreende quatro fases progressivas:  Apresentação: ocorre a identificação de alguns personagens e do contexto ou seja, referencias de tempo e espaço em que época e em que lugar a história vai acontecer.  Complicação: inaugura-se a trama propriamente dita, o encadeamento de ações, o conflito.  Clímax: é o momento: de maior tensão de uma história e o marco de que a partir desse ponto o relato caminha para seu fim.  Desfecho:é a resolução dos conflitos.
  • 12. ELEMENTOS DA NARRATIVA Além do enredo ou da trama da narrativa, consideram-se elementos estruturais:  Personagens: exercem as ações previstas na integra. Podem ser identificadas quanto ao papel: protagonistas (centrais ), antagonistas (opõem-se aos protagonistas ) e secundárias; e quanto a caracterização: planas possuem traços fixos; redondas apresentam maior complexidades- são personagens que podem surpreender o leitor e sofrer mudanças de perfil no decorrer da trama.  Espaço: lugar em que acontecem as ações.  Tempo: pode ser cronológico, quando predomina o sentido progressivo das ações começo, meio e fim, ou psicológico, quando o foco da narrativa não está no ordenamento das ações a partir de uma linha do tempo, mas sim a partir do fluxo de consciência dos personagens.  Foco narrativo: é representado pela figura do narrador que, como entidade ficcional, não deve ser confundido com o autor. O narrador pode ser apresentado em primeira pessoa narrador personagem- ou em terceira pessoa- narrador observador.