SlideShare uma empresa Scribd logo
CATEGORIAS OU ELEMENTOS
DO TEXTO NARRATIVO
VAMOS RECORDAR…
Comecemos pela SÍNTESE…
Uma história é narrada (contada) por
alguém - o NARRADOR - que coordena
os outros elementos. Assim, o narrador
decide a quem quer contar a história - o
NARRATÁRIO – e escolhe as
PERSONAGENS que melhor lhe convêm
para desenvolver uma AÇÃO, localizada
num ESPAÇO e num TEMPO.
NARRADOR
• Esta entidade – inventada pelo autor – tem sempre a
função de contar a história, coordenar as personagens e
orientar os acontecimentos.
• Quanto à participação, pode ser
PARTICIPANTE
como personagem principal – AUTODIEGÉTICO; ou
Como personagem secundária – HOMODIEGÉTICO.
NÃO PARTICIPANTE – HETERODIEGÉTICO.
• Quanto ao ponto de vista, pode ser
OBJETIVO – quando relata os acontecimentos sem emitir
a sua opinião ou juízos de valor.
SUBJETIVO – quando, pelo contrário, comenta e valoriza
ou desvaloriza certas situações, personagens ou
acontecimentos.
• Quanto à ciência, pode optar por
 FOCALIZAÇÃO OMNISCIENTE – quando mostra conhecer
muito bem tudo o que está a narrar, incluindo os
pensamentos das personagens.
 FOCALIZAÇÃO INTERNA – quando nos mostra apenas
aquilo que uma das suas personagens está a visualizar.
 FOCALIZAÇÃO EXTERNA – quando se apresenta como
mera testemunha do que se passa à sua volta, narrando
só o que observa.
NARRATÁRIO
• Entidade singular ou plural a quem se dirige
a história narrada.
• O narratário pode ser
EXPLÍCITO – ex: “Benévolo leitor”, em
Viagens na minha terra de Almeida
Garrett; ou
IMPLÍCITO – quando não é mencionado
pelo narrador – pressupõe-se que é o
leitor que está a ler aquela história.
PERSONAGEM
• As personagens podem classificar-se
Quanto à INDIVIDUALIDADE:
personagem INDIVIDUAL – um só indivíduo com
características individuais.
personagem COLETIVA – grupos sociais, grupos políticos,
multidões, um país…
Quanto à CONCEÇÃO (grau de complexidade):
personagem PLANA ou TIPO – se representa qualidades
próprias de um determinado grupo social e cuja
personalidade não evolui ao longo da história.
personagem MODELADA ou REDONDA – se é um ser cuja
personalidade evolui ao longo da ação.
Quanto ao RELEVO:
personagem PRINCIPAL – é a protagonista,
tem o papel principal na história.
personagem SECUNDÁRIA – tem um papel
muito importante na ação, não tem o papel
principal.
personagem NOMEADA – aquela que
nunca intervém na ação, nem está presente,
mas que é nomeada por outra(s)
personagem(ns).
FIGURANTE – não intervém na ação, apenas
está presente e a sua presença dá indicações
ao leitor.
TEMPO
• Podemos encontrar
• tempo CRONOLÓGICO – obedece à sucessão dos
dias e é-nos apresentado por notações temporais
como “naquele dia” e “ontem” entre outras…*
• tempo PSICOLÓGICO – expressa a impressão que
uma personagem manifesta em relação à
passagem do tempo; assim, a passagem do tempo
será mais ou menos extensa de acordo com o
estado emocional dessa personagem.
• Na narrativa, distingue-se:
TEMPO da HISTÓRIA ou da AÇÃO – é a sucessão dos
acontecimentos, segundo uma ordem de causa e
efeito.
TEMPO do DISCURSO – é a forma como o narrador
organiza a sucessão do tempo, ao longo da narração:
ANALEPSE – trata-se de um recuo no tempo.
PROLEPSE – trata-se de uma projeção do futuro.
SUMÁRIO – trata-se de um resumo (sumário) de
acontecimentos ocorridos num certo tempo e sobre os
quais o narrador não quer dar pormenores.
ELIPSE – trata-se de um salto no tempo ( o narrador não
nos diz nada do que aconteceu durante um certo
tempo).
ESPAÇO
• Podemos encontrar
– espaço FÍSICO – EXTERIOR ou INTERIOR.
– espaço PSICOLÓGICO – a vivência que uma
personagem revela face a um determinado espaço:
atração ou rejeição.
– espaço SOCIAL – representa o meio onde uma
personagem se movimenta, revelando o mundo
polémico, instável e complexo do ser humano em
sociedade.
AÇÃO
• É o elemento dinâmico de toda a narrativa. Não
se pode conceber sem as outras categorias da
narrativa.
• Na AÇÃO, podemos encontrar
 momentos dinâmicos – NARRAÇÃO.
 momentos de pausa – DESCRIÇÃO.
• Na ação, as sequências narrativas organizam-se
por
 ENCADEAMENTO.
 ALTERNÂNCIA.
 ENCAIXE.
O que devo saber depois de estudar
estes conteúdos
• TEMPO:
– Localizar a ação no tempo.
– Fazer o levantamento das marcas temporais no texto.
– Identificar vivências psicológicas do tempo da ação.
– Identificar analepses, prolepses, sumários ou elipses.
• ESPAÇO:
– Fazer o levantamento das marcas espaciais no texto.
– Identificar vivências psicológicas do espaço.
– Identificar marcas do espaço social em que a(s)
personagem(ns) se movimenta(m).
• PERSONAGEM:
– Indicar a personagem principal e justificar.
– Distinguir as personagens principais das
secundárias, figurantes e nomeadas.
– Caracterizar personagens, a nível físico,
psicológico e social.
– Indicar o processo de caracterização: direto ou
indireto.
• NARRADOR:
– Identificar o narrador, quanto à presença, quanto
à ciência e quanto ao ponto de vista.
• NARRATÁRIO:
–Reconhecer se é explícito ou implícito.
• AÇÃO:
–Indicar a relevância de um acontecimento.
–Indicar a organização das sequências
narrativas.
–Delimitar os momentos da ação: introdução,
desenvolvimento e conclusão.
–Reconhecer se se trata de uma narrativa
aberta (tem condições para continuar) ou de
uma narrativa fechada (não poderia
continuar).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação da disciplina língua portuguesa (ensino médio)
Apresentação da disciplina língua portuguesa (ensino médio)Apresentação da disciplina língua portuguesa (ensino médio)
Apresentação da disciplina língua portuguesa (ensino médio)
Jose Arnaldo Silva
 
O Futuro Do Conjuntivo
O Futuro Do ConjuntivoO Futuro Do Conjuntivo
O Futuro Do Conjuntivo
Rainer Sousa
 
Folha de-redação-enem
Folha de-redação-enemFolha de-redação-enem
Folha de-redação-enem
Mayra Souza
 
Sinopse ou story line
Sinopse ou story lineSinopse ou story line
Sinopse ou story line
Josué Brazil
 
Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
ma.no.el.ne.ves
 
Descritores de Língua Portuguesa
Descritores de Língua PortuguesaDescritores de Língua Portuguesa
Descritores de Língua Portuguesa
Edileusa Camargo
 
Atividade sobre semantica
Atividade sobre semanticaAtividade sobre semantica
Atividade sobre semantica
Luciniki
 
O texto narrativo ppt
O texto narrativo pptO texto narrativo ppt
O texto narrativo ppt
Salomé Raposo
 
Intertextualidade
Intertextualidade Intertextualidade
Intertextualidade
Denise
 
Elementos da narrativa - Professora Vivian Trombini
Elementos da narrativa - Professora Vivian TrombiniElementos da narrativa - Professora Vivian Trombini
Elementos da narrativa - Professora Vivian Trombini
VIVIAN TROMBINI
 
6 ano - Gênero textual: Lendas
6 ano - Gênero textual: Lendas6 ano - Gênero textual: Lendas
6 ano - Gênero textual: Lendas
Clarice Lima
 
Actos ilocutorios
Actos ilocutoriosActos ilocutorios
Actos ilocutorios
Vanda Sousa
 
Construindo fábulas
Construindo fábulasConstruindo fábulas
Construindo fábulas
Lucia Meneguetti
 
Gêneros e Tipos Textuais.pdf
Gêneros e Tipos Textuais.pdfGêneros e Tipos Textuais.pdf
Gêneros e Tipos Textuais.pdf
JliaRamosVieira1
 
Redação tabela de correção 20102
Redação tabela de correção 20102Redação tabela de correção 20102
Redação tabela de correção 20102
Marcia Facelli
 
Gênero Textual: histórias em quadrinhos
Gênero Textual: histórias em quadrinhosGênero Textual: histórias em quadrinhos
Gênero Textual: histórias em quadrinhos
Alice Nogueira
 
Diário
DiárioDiário
Gênero textual notícia - 6º ano
Gênero textual notícia - 6º anoGênero textual notícia - 6º ano
Gênero textual notícia - 6º ano
AnaMaria2404
 
Categorias da narrativa
Categorias da narrativaCategorias da narrativa
Categorias da narrativa
nando_reis
 
Mário Quintana
Mário QuintanaMário Quintana
Mário Quintana
Colégio Santa Luzia
 

Mais procurados (20)

Apresentação da disciplina língua portuguesa (ensino médio)
Apresentação da disciplina língua portuguesa (ensino médio)Apresentação da disciplina língua portuguesa (ensino médio)
Apresentação da disciplina língua portuguesa (ensino médio)
 
O Futuro Do Conjuntivo
O Futuro Do ConjuntivoO Futuro Do Conjuntivo
O Futuro Do Conjuntivo
 
Folha de-redação-enem
Folha de-redação-enemFolha de-redação-enem
Folha de-redação-enem
 
Sinopse ou story line
Sinopse ou story lineSinopse ou story line
Sinopse ou story line
 
Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
 
Descritores de Língua Portuguesa
Descritores de Língua PortuguesaDescritores de Língua Portuguesa
Descritores de Língua Portuguesa
 
Atividade sobre semantica
Atividade sobre semanticaAtividade sobre semantica
Atividade sobre semantica
 
O texto narrativo ppt
O texto narrativo pptO texto narrativo ppt
O texto narrativo ppt
 
Intertextualidade
Intertextualidade Intertextualidade
Intertextualidade
 
Elementos da narrativa - Professora Vivian Trombini
Elementos da narrativa - Professora Vivian TrombiniElementos da narrativa - Professora Vivian Trombini
Elementos da narrativa - Professora Vivian Trombini
 
6 ano - Gênero textual: Lendas
6 ano - Gênero textual: Lendas6 ano - Gênero textual: Lendas
6 ano - Gênero textual: Lendas
 
Actos ilocutorios
Actos ilocutoriosActos ilocutorios
Actos ilocutorios
 
Construindo fábulas
Construindo fábulasConstruindo fábulas
Construindo fábulas
 
Gêneros e Tipos Textuais.pdf
Gêneros e Tipos Textuais.pdfGêneros e Tipos Textuais.pdf
Gêneros e Tipos Textuais.pdf
 
Redação tabela de correção 20102
Redação tabela de correção 20102Redação tabela de correção 20102
Redação tabela de correção 20102
 
Gênero Textual: histórias em quadrinhos
Gênero Textual: histórias em quadrinhosGênero Textual: histórias em quadrinhos
Gênero Textual: histórias em quadrinhos
 
Diário
DiárioDiário
Diário
 
Gênero textual notícia - 6º ano
Gênero textual notícia - 6º anoGênero textual notícia - 6º ano
Gênero textual notícia - 6º ano
 
Categorias da narrativa
Categorias da narrativaCategorias da narrativa
Categorias da narrativa
 
Mário Quintana
Mário QuintanaMário Quintana
Mário Quintana
 

Destaque

Narrativa 0002
Narrativa 0002Narrativa 0002
Narrativa 0002
Bruno G.
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
Isabel Aguiar
 
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
Isabel Aguiar
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
Isabel Aguiar
 
Rebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blogRebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blog
Isabel Aguiar
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIX
Isabel Aguiar
 
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIOQUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
Isabel Aguiar
 
Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro
Isabel Aguiar
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889
Isabel Aguiar
 
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
Isabel Aguiar
 
Introdução à História
Introdução à HistóriaIntrodução à História
Introdução à História
Lú Carvalho
 
A cartomante
A cartomanteA cartomante
O tempo nos maias
O tempo nos maias O tempo nos maias
O tempo nos maias
Claudia Custodio
 
Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
O Texto Narrativo
O Texto NarrativoO Texto Narrativo
O Texto Narrativo
Paulo Alves de Araujo
 
Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
VIVIAN TROMBINI
 
Análise do conto "Venha ver o pôr-do-sol".
Análise do conto "Venha ver o pôr-do-sol".Análise do conto "Venha ver o pôr-do-sol".
Análise do conto "Venha ver o pôr-do-sol".
Alicia de Carvalho Belato
 
Análise de venha ver o pôr do sol
Análise de venha ver o pôr do solAnálise de venha ver o pôr do sol
Análise de venha ver o pôr do sol
ma.no.el.ne.ves
 

Destaque (20)

Narrativa 0002
Narrativa 0002Narrativa 0002
Narrativa 0002
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
 
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
 
Rebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blogRebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blog
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIX
 
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIOQUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
 
Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
 
SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889
 
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
 
Introdução à História
Introdução à HistóriaIntrodução à História
Introdução à História
 
A cartomante
A cartomanteA cartomante
A cartomante
 
O tempo nos maias
O tempo nos maias O tempo nos maias
O tempo nos maias
 
Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
 
O Texto Narrativo
O Texto NarrativoO Texto Narrativo
O Texto Narrativo
 
Elementos da narrativa
Elementos da narrativaElementos da narrativa
Elementos da narrativa
 
Análise do conto "Venha ver o pôr-do-sol".
Análise do conto "Venha ver o pôr-do-sol".Análise do conto "Venha ver o pôr-do-sol".
Análise do conto "Venha ver o pôr-do-sol".
 
Análise de venha ver o pôr do sol
Análise de venha ver o pôr do solAnálise de venha ver o pôr do sol
Análise de venha ver o pôr do sol
 

Semelhante a Categorias narrativa - síntese

Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
mariaanliaf
 
Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
mariaanliaf
 
Narração
NarraçãoNarração
Narração
Gracy Viana Viana
 
Categorias da narrativa 9º ano
Categorias da narrativa   9º anoCategorias da narrativa   9º ano
Categorias da narrativa 9º ano
ElisabeteMarques
 
Categorias narrativa
Categorias narrativaCategorias narrativa
Categorias narrativa
Carlos Lima
 
Roteiro de análise de livro
Roteiro de análise de livroRoteiro de análise de livro
Roteiro de análise de livro
Escola Estadual Joaquim Abarca -
 
Narrativa
NarrativaNarrativa
Narrativa
tiagofl
 
Categoriasdanarrativa
CategoriasdanarrativaCategoriasdanarrativa
Categoriasdanarrativa
Heliadora
 
Categorias da narrativa 7º Ano
Categorias da narrativa 7º AnoCategorias da narrativa 7º Ano
Categorias da narrativa 7º Ano
Heliadora
 
Categorias Da Narrativa
Categorias Da NarrativaCategorias Da Narrativa
Categorias Da Narrativa
Maria Fonseca
 
Categorias da Narrativa
Categorias da NarrativaCategorias da Narrativa
Categorias da Narrativa
Teresa Pombo
 
ppt categorias Narrativa
ppt categorias Narrativappt categorias Narrativa
ppt categorias Narrativa
Teresa Pombo
 
Texto Narrativo Categorias
Texto Narrativo CategoriasTexto Narrativo Categorias
Texto Narrativo Categorias
Elsa Maximiano
 
Categoriasnarrativa
CategoriasnarrativaCategoriasnarrativa
Categoriasnarrativa
Louranes Rodrigues Lima
 
Categoriasnarrativa
CategoriasnarrativaCategoriasnarrativa
Categoriasnarrativa
Louranes Rodrigues Lima
 
Categorias da narrativa
Categorias da narrativa Categorias da narrativa
Categorias da narrativa
Ana Paula Loureiro
 
Categorias da narrativa
Categorias da narrativaCategorias da narrativa
Categorias da narrativa
Cristina Fontes
 
Análise da narrativa de um seriado.
Análise da narrativa de um seriado.Análise da narrativa de um seriado.
Análise da narrativa de um seriado.
deise
 
Categoriasdanarrativa 7ano
Categoriasdanarrativa 7anoCategoriasdanarrativa 7ano
Categoriasdanarrativa 7ano
Heliadora
 
Narrativa 0008
Narrativa 0008Narrativa 0008
Narrativa 0008
Bruno G.
 

Semelhante a Categorias narrativa - síntese (20)

Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
 
Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
 
Narração
NarraçãoNarração
Narração
 
Categorias da narrativa 9º ano
Categorias da narrativa   9º anoCategorias da narrativa   9º ano
Categorias da narrativa 9º ano
 
Categorias narrativa
Categorias narrativaCategorias narrativa
Categorias narrativa
 
Roteiro de análise de livro
Roteiro de análise de livroRoteiro de análise de livro
Roteiro de análise de livro
 
Narrativa
NarrativaNarrativa
Narrativa
 
Categoriasdanarrativa
CategoriasdanarrativaCategoriasdanarrativa
Categoriasdanarrativa
 
Categorias da narrativa 7º Ano
Categorias da narrativa 7º AnoCategorias da narrativa 7º Ano
Categorias da narrativa 7º Ano
 
Categorias Da Narrativa
Categorias Da NarrativaCategorias Da Narrativa
Categorias Da Narrativa
 
Categorias da Narrativa
Categorias da NarrativaCategorias da Narrativa
Categorias da Narrativa
 
ppt categorias Narrativa
ppt categorias Narrativappt categorias Narrativa
ppt categorias Narrativa
 
Texto Narrativo Categorias
Texto Narrativo CategoriasTexto Narrativo Categorias
Texto Narrativo Categorias
 
Categoriasnarrativa
CategoriasnarrativaCategoriasnarrativa
Categoriasnarrativa
 
Categoriasnarrativa
CategoriasnarrativaCategoriasnarrativa
Categoriasnarrativa
 
Categorias da narrativa
Categorias da narrativa Categorias da narrativa
Categorias da narrativa
 
Categorias da narrativa
Categorias da narrativaCategorias da narrativa
Categorias da narrativa
 
Análise da narrativa de um seriado.
Análise da narrativa de um seriado.Análise da narrativa de um seriado.
Análise da narrativa de um seriado.
 
Categoriasdanarrativa 7ano
Categoriasdanarrativa 7anoCategoriasdanarrativa 7ano
Categoriasdanarrativa 7ano
 
Narrativa 0008
Narrativa 0008Narrativa 0008
Narrativa 0008
 

Último

Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 

Categorias narrativa - síntese

  • 1. CATEGORIAS OU ELEMENTOS DO TEXTO NARRATIVO VAMOS RECORDAR…
  • 2. Comecemos pela SÍNTESE… Uma história é narrada (contada) por alguém - o NARRADOR - que coordena os outros elementos. Assim, o narrador decide a quem quer contar a história - o NARRATÁRIO – e escolhe as PERSONAGENS que melhor lhe convêm para desenvolver uma AÇÃO, localizada num ESPAÇO e num TEMPO.
  • 3. NARRADOR • Esta entidade – inventada pelo autor – tem sempre a função de contar a história, coordenar as personagens e orientar os acontecimentos. • Quanto à participação, pode ser PARTICIPANTE como personagem principal – AUTODIEGÉTICO; ou Como personagem secundária – HOMODIEGÉTICO. NÃO PARTICIPANTE – HETERODIEGÉTICO.
  • 4. • Quanto ao ponto de vista, pode ser OBJETIVO – quando relata os acontecimentos sem emitir a sua opinião ou juízos de valor. SUBJETIVO – quando, pelo contrário, comenta e valoriza ou desvaloriza certas situações, personagens ou acontecimentos. • Quanto à ciência, pode optar por  FOCALIZAÇÃO OMNISCIENTE – quando mostra conhecer muito bem tudo o que está a narrar, incluindo os pensamentos das personagens.  FOCALIZAÇÃO INTERNA – quando nos mostra apenas aquilo que uma das suas personagens está a visualizar.  FOCALIZAÇÃO EXTERNA – quando se apresenta como mera testemunha do que se passa à sua volta, narrando só o que observa.
  • 5. NARRATÁRIO • Entidade singular ou plural a quem se dirige a história narrada. • O narratário pode ser EXPLÍCITO – ex: “Benévolo leitor”, em Viagens na minha terra de Almeida Garrett; ou IMPLÍCITO – quando não é mencionado pelo narrador – pressupõe-se que é o leitor que está a ler aquela história.
  • 6. PERSONAGEM • As personagens podem classificar-se Quanto à INDIVIDUALIDADE: personagem INDIVIDUAL – um só indivíduo com características individuais. personagem COLETIVA – grupos sociais, grupos políticos, multidões, um país… Quanto à CONCEÇÃO (grau de complexidade): personagem PLANA ou TIPO – se representa qualidades próprias de um determinado grupo social e cuja personalidade não evolui ao longo da história. personagem MODELADA ou REDONDA – se é um ser cuja personalidade evolui ao longo da ação.
  • 7. Quanto ao RELEVO: personagem PRINCIPAL – é a protagonista, tem o papel principal na história. personagem SECUNDÁRIA – tem um papel muito importante na ação, não tem o papel principal. personagem NOMEADA – aquela que nunca intervém na ação, nem está presente, mas que é nomeada por outra(s) personagem(ns). FIGURANTE – não intervém na ação, apenas está presente e a sua presença dá indicações ao leitor.
  • 8. TEMPO • Podemos encontrar • tempo CRONOLÓGICO – obedece à sucessão dos dias e é-nos apresentado por notações temporais como “naquele dia” e “ontem” entre outras…* • tempo PSICOLÓGICO – expressa a impressão que uma personagem manifesta em relação à passagem do tempo; assim, a passagem do tempo será mais ou menos extensa de acordo com o estado emocional dessa personagem.
  • 9. • Na narrativa, distingue-se: TEMPO da HISTÓRIA ou da AÇÃO – é a sucessão dos acontecimentos, segundo uma ordem de causa e efeito. TEMPO do DISCURSO – é a forma como o narrador organiza a sucessão do tempo, ao longo da narração: ANALEPSE – trata-se de um recuo no tempo. PROLEPSE – trata-se de uma projeção do futuro. SUMÁRIO – trata-se de um resumo (sumário) de acontecimentos ocorridos num certo tempo e sobre os quais o narrador não quer dar pormenores. ELIPSE – trata-se de um salto no tempo ( o narrador não nos diz nada do que aconteceu durante um certo tempo).
  • 10. ESPAÇO • Podemos encontrar – espaço FÍSICO – EXTERIOR ou INTERIOR. – espaço PSICOLÓGICO – a vivência que uma personagem revela face a um determinado espaço: atração ou rejeição. – espaço SOCIAL – representa o meio onde uma personagem se movimenta, revelando o mundo polémico, instável e complexo do ser humano em sociedade.
  • 11. AÇÃO • É o elemento dinâmico de toda a narrativa. Não se pode conceber sem as outras categorias da narrativa. • Na AÇÃO, podemos encontrar  momentos dinâmicos – NARRAÇÃO.  momentos de pausa – DESCRIÇÃO. • Na ação, as sequências narrativas organizam-se por  ENCADEAMENTO.  ALTERNÂNCIA.  ENCAIXE.
  • 12. O que devo saber depois de estudar estes conteúdos • TEMPO: – Localizar a ação no tempo. – Fazer o levantamento das marcas temporais no texto. – Identificar vivências psicológicas do tempo da ação. – Identificar analepses, prolepses, sumários ou elipses. • ESPAÇO: – Fazer o levantamento das marcas espaciais no texto. – Identificar vivências psicológicas do espaço. – Identificar marcas do espaço social em que a(s) personagem(ns) se movimenta(m).
  • 13. • PERSONAGEM: – Indicar a personagem principal e justificar. – Distinguir as personagens principais das secundárias, figurantes e nomeadas. – Caracterizar personagens, a nível físico, psicológico e social. – Indicar o processo de caracterização: direto ou indireto. • NARRADOR: – Identificar o narrador, quanto à presença, quanto à ciência e quanto ao ponto de vista.
  • 14. • NARRATÁRIO: –Reconhecer se é explícito ou implícito. • AÇÃO: –Indicar a relevância de um acontecimento. –Indicar a organização das sequências narrativas. –Delimitar os momentos da ação: introdução, desenvolvimento e conclusão. –Reconhecer se se trata de uma narrativa aberta (tem condições para continuar) ou de uma narrativa fechada (não poderia continuar).