SlideShare uma empresa Scribd logo
Rafael Bordalo Pinheiro As críticas à Monarquia Centenário da República 1910-2010
Rafael Bordalo Pinheiro Rafael Augusto Prostes Bordalo Pinheiro (Lisboa, 21 de Março de 1846 — 23 de Janeiro de 1905) foi um artista português, de obra vasta dispersa por largas dezenas de livros e publicações, precursor do cartaz artístico em Portugal, desenhador, aguarelista, ilustrador, decorador, caricaturista político e social, jornalista, ceramista e professor. É o autor da representação popular do Zé Povinho, que se veio a tornar num símbolo do povo português.
Zé Povinho Zé Povinho é uma personagem de crítica social, criada por Rafael Bordalo Pinheiro e adoptada como personificação nacional portuguesa. É também conhecido como João Bítor, grande amante de binho e xixas. Resignado perante a corrupção e a injustiça, ajoelhado pela carga dos impostos e ignorante das grandes questões: "O Zé Povinho olha para um lado e para o outro e... fica como sempre... na mesma". (RaphaelBordallo-Pinheiro)  Tem como característica principal o gesto do manguito (como se pode ver na figura), representando a sua faceta de revolta e insolência.
“A Paródia” Na revista “A Paródia”, surgida em 1900, Rafael Bordalo demonstra o seu desencanto face à vida política do País.  “O desprezo que começa a sentir pelos jogos políticos e oportunismo extensivo a todos os partidos e instituições nacionais, transparece logo na capa do 1º número onde apresenta a política nacional como “A grande porca “.
“A Paródia” Nos números seguintes prossegue com "O grande cão" (finanças),
“A Paródia” "A galinha choca" (economia),
“A Paródia” "O grande papagaio"  (retórica parlamentar)
“A Paródia” "A grande toupeira", representativa da reacção.
“A Paródia” A colaboração do filho, Manuel Gustavo, viria a aumentar a lista de símbolos políticos com "O progresso nacional: O grande caranguejo",
“A Paródia” "A burocracia: A grande rata",
“A Paródia” "A beneficência: O grande cágado"
“A Paródia” "A instrução pública: A grande burra".
“A Nação no seu estado interessante aguarda um novo aborto”
Autores:Hélder Brandão, Daniel Silva12º C e Antony Costa, 9º B Biografia de Rafael Bordalo Pinheiro Fontes http://www.citi.pt/cultura/artes_plasticas/caricatura/bordalo_pinheiro/biografia.html http://cvc.instituto-camoes.pt/figuras/rbpinheiro.html http://pt.wikipedia.org/wiki/Rafael_Bordalo_Pinheiro http://pt.wikipedia.org/wiki/Z%C3%A9_Povinho http://www.citi.pt/cultura/artes_plasticas/caricatura/bordalo_pinheiro/parodia.html Fonte imagens http://www.repository.utl.pt/bitstream/10400.5/1440/3/Anexo%20Imagens_Doutoramento%20Design_MAF%20Jul%2007.pdf

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A emergência da cultura de massas
A emergência da cultura de massasA emergência da cultura de massas
A emergência da cultura de massas
Vera Oliveira
 
Arte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xixArte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xix
Ana Barreiros
 
Modernismo em Portugal
Modernismo em PortugalModernismo em Portugal
Modernismo em Portugal
Carlos Vieira
 
Corrida De Cavalos - Os Maias
Corrida De Cavalos - Os MaiasCorrida De Cavalos - Os Maias
Corrida De Cavalos - Os Maias
mauro dinis
 

Mais procurados (20)

Álvaro de Campos
Álvaro de CamposÁlvaro de Campos
Álvaro de Campos
 
Álvaro Campos - 3ª Fase
Álvaro Campos - 3ª FaseÁlvaro Campos - 3ª Fase
Álvaro Campos - 3ª Fase
 
Pablo Picasso
Pablo PicassoPablo Picasso
Pablo Picasso
 
Os Maias - Análise
Os Maias - AnáliseOs Maias - Análise
Os Maias - Análise
 
A emergência da cultura de massas
A emergência da cultura de massasA emergência da cultura de massas
A emergência da cultura de massas
 
A cultura do palco
A cultura do palcoA cultura do palco
A cultura do palco
 
Os Maias - Jantar no Hotel Central
Os Maias - Jantar no Hotel CentralOs Maias - Jantar no Hotel Central
Os Maias - Jantar no Hotel Central
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Alberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicasAlberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicas
 
Arte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xixArte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xix
 
Análise Capitulo XV - Os Maias
Análise Capitulo XV -  Os MaiasAnálise Capitulo XV -  Os Maias
Análise Capitulo XV - Os Maias
 
Intertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
Intertextualidade entre Os Lusíadas e MensagemIntertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
Intertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
 
Violência VS. Espírito Desportivo
Violência VS. Espírito DesportivoViolência VS. Espírito Desportivo
Violência VS. Espírito Desportivo
 
Modernismo em Portugal
Modernismo em PortugalModernismo em Portugal
Modernismo em Portugal
 
Televisão portuguesa
Televisão portuguesaTelevisão portuguesa
Televisão portuguesa
 
Fernando pessoa ortónimo e heterónimos
Fernando pessoa ortónimo e heterónimos Fernando pessoa ortónimo e heterónimos
Fernando pessoa ortónimo e heterónimos
 
Mensagem - Fernando Pessoa
Mensagem - Fernando Pessoa Mensagem - Fernando Pessoa
Mensagem - Fernando Pessoa
 
Corrida De Cavalos - Os Maias
Corrida De Cavalos - Os MaiasCorrida De Cavalos - Os Maias
Corrida De Cavalos - Os Maias
 
Geração de 70
Geração de 70Geração de 70
Geração de 70
 
Guernica
GuernicaGuernica
Guernica
 

Destaque (6)

Aa rafael bordalo pinheiro ceramica 2 (som) [somente leitura] [modo de compat...
Aa rafael bordalo pinheiro ceramica 2 (som) [somente leitura] [modo de compat...Aa rafael bordalo pinheiro ceramica 2 (som) [somente leitura] [modo de compat...
Aa rafael bordalo pinheiro ceramica 2 (som) [somente leitura] [modo de compat...
 
Fracções; Exercícios
Fracções; ExercíciosFracções; Exercícios
Fracções; Exercícios
 
Ficha de trabalho de matemática
Ficha de trabalho de matemáticaFicha de trabalho de matemática
Ficha de trabalho de matemática
 
Teste1 fracçoes
Teste1 fracçoes Teste1 fracçoes
Teste1 fracçoes
 
Ficha revisões fracções
Ficha revisões fracçõesFicha revisões fracções
Ficha revisões fracções
 
Matemática trimestral 2º periodo 4º ano b
Matemática trimestral 2º periodo 4º ano bMatemática trimestral 2º periodo 4º ano b
Matemática trimestral 2º periodo 4º ano b
 

Semelhante a Rafael Bordalo Pinheiro

Brasil século XX aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR
 Brasil  século XX  aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR	 Brasil  século XX  aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR
Brasil século XX aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR
Luis Nassif
 
[C6] hq no brasil (paula)
[C6] hq no brasil (paula)[C6] hq no brasil (paula)
[C6] hq no brasil (paula)
agaoque
 
Caricaturas da 1ª República
Caricaturas da 1ª RepúblicaCaricaturas da 1ª República
Caricaturas da 1ª República
Carolina Penedo
 
Comemoração do Centenário da República
Comemoração do Centenário da RepúblicaComemoração do Centenário da República
Comemoração do Centenário da República
cnoetz
 
Alguns quadrinistas e seus personagens
Alguns quadrinistas e seus personagensAlguns quadrinistas e seus personagens
Alguns quadrinistas e seus personagens
Guzteon
 

Semelhante a Rafael Bordalo Pinheiro (20)

j carlos
j carlosj carlos
j carlos
 
Monteiro Lobato
Monteiro LobatoMonteiro Lobato
Monteiro Lobato
 
B.desenhada 1
B.desenhada 1B.desenhada 1
B.desenhada 1
 
Histórico das produções clássicas
Histórico das produções clássicasHistórico das produções clássicas
Histórico das produções clássicas
 
O homem do Sitio do Pica Pau Amarelo
O homem do Sitio do Pica Pau AmareloO homem do Sitio do Pica Pau Amarelo
O homem do Sitio do Pica Pau Amarelo
 
Brasil século XX aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR
 Brasil  século XX  aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR	 Brasil  século XX  aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR
Brasil século XX aO PÉ DA LETRA DA CANÇÃO POPULAR
 
Roteiros republicanos do concelho de oeiras ii
Roteiros republicanos do concelho de oeiras iiRoteiros republicanos do concelho de oeiras ii
Roteiros republicanos do concelho de oeiras ii
 
Modernismo em Portugal.pptx
Modernismo em Portugal.pptxModernismo em Portugal.pptx
Modernismo em Portugal.pptx
 
[C6] hq no brasil (paula)
[C6] hq no brasil (paula)[C6] hq no brasil (paula)
[C6] hq no brasil (paula)
 
Caricaturas da 1ª República
Caricaturas da 1ª RepúblicaCaricaturas da 1ª República
Caricaturas da 1ª República
 
“O Jogo da Política Moderna!”
“O Jogo da Política Moderna!” “O Jogo da Política Moderna!”
“O Jogo da Política Moderna!”
 
Monteiro Lobato
Monteiro LobatoMonteiro Lobato
Monteiro Lobato
 
Comemoração do Centenário da República
Comemoração do Centenário da RepúblicaComemoração do Centenário da República
Comemoração do Centenário da República
 
Roteiros republicanos do concelho de oeiras i
Roteiros republicanos do concelho de oeiras iRoteiros republicanos do concelho de oeiras i
Roteiros republicanos do concelho de oeiras i
 
Roteiros republicanos do concelho de oeiras i
Roteiros republicanos do concelho de oeiras iRoteiros republicanos do concelho de oeiras i
Roteiros republicanos do concelho de oeiras i
 
Era Vargas: a construção de um Brasil novo
Era Vargas: a construção de um Brasil novoEra Vargas: a construção de um Brasil novo
Era Vargas: a construção de um Brasil novo
 
Alguns quadrinistas e seus personagens
Alguns quadrinistas e seus personagensAlguns quadrinistas e seus personagens
Alguns quadrinistas e seus personagens
 
Charge e Cartum
Charge e CartumCharge e Cartum
Charge e Cartum
 
Pré modernismo
Pré modernismoPré modernismo
Pré modernismo
 
Alguns riscos da caricatura no teatro de revista
Alguns riscos da caricatura no teatro de revistaAlguns riscos da caricatura no teatro de revista
Alguns riscos da caricatura no teatro de revista
 

Último

Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
rarakey779
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
EduardaMedeiros18
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 

Rafael Bordalo Pinheiro

  • 1. Rafael Bordalo Pinheiro As críticas à Monarquia Centenário da República 1910-2010
  • 2. Rafael Bordalo Pinheiro Rafael Augusto Prostes Bordalo Pinheiro (Lisboa, 21 de Março de 1846 — 23 de Janeiro de 1905) foi um artista português, de obra vasta dispersa por largas dezenas de livros e publicações, precursor do cartaz artístico em Portugal, desenhador, aguarelista, ilustrador, decorador, caricaturista político e social, jornalista, ceramista e professor. É o autor da representação popular do Zé Povinho, que se veio a tornar num símbolo do povo português.
  • 3. Zé Povinho Zé Povinho é uma personagem de crítica social, criada por Rafael Bordalo Pinheiro e adoptada como personificação nacional portuguesa. É também conhecido como João Bítor, grande amante de binho e xixas. Resignado perante a corrupção e a injustiça, ajoelhado pela carga dos impostos e ignorante das grandes questões: "O Zé Povinho olha para um lado e para o outro e... fica como sempre... na mesma". (RaphaelBordallo-Pinheiro) Tem como característica principal o gesto do manguito (como se pode ver na figura), representando a sua faceta de revolta e insolência.
  • 4. “A Paródia” Na revista “A Paródia”, surgida em 1900, Rafael Bordalo demonstra o seu desencanto face à vida política do País. “O desprezo que começa a sentir pelos jogos políticos e oportunismo extensivo a todos os partidos e instituições nacionais, transparece logo na capa do 1º número onde apresenta a política nacional como “A grande porca “.
  • 5. “A Paródia” Nos números seguintes prossegue com "O grande cão" (finanças),
  • 6. “A Paródia” "A galinha choca" (economia),
  • 7. “A Paródia” "O grande papagaio" (retórica parlamentar)
  • 8. “A Paródia” "A grande toupeira", representativa da reacção.
  • 9. “A Paródia” A colaboração do filho, Manuel Gustavo, viria a aumentar a lista de símbolos políticos com "O progresso nacional: O grande caranguejo",
  • 10. “A Paródia” "A burocracia: A grande rata",
  • 11. “A Paródia” "A beneficência: O grande cágado"
  • 12. “A Paródia” "A instrução pública: A grande burra".
  • 13. “A Nação no seu estado interessante aguarda um novo aborto”
  • 14. Autores:Hélder Brandão, Daniel Silva12º C e Antony Costa, 9º B Biografia de Rafael Bordalo Pinheiro Fontes http://www.citi.pt/cultura/artes_plasticas/caricatura/bordalo_pinheiro/biografia.html http://cvc.instituto-camoes.pt/figuras/rbpinheiro.html http://pt.wikipedia.org/wiki/Rafael_Bordalo_Pinheiro http://pt.wikipedia.org/wiki/Z%C3%A9_Povinho http://www.citi.pt/cultura/artes_plasticas/caricatura/bordalo_pinheiro/parodia.html Fonte imagens http://www.repository.utl.pt/bitstream/10400.5/1440/3/Anexo%20Imagens_Doutoramento%20Design_MAF%20Jul%2007.pdf