SlideShare uma empresa Scribd logo
1
Separatas a Esmo #3
2
Separatas a Esmo #3
Poemas sobre
Sua Majestade,
o LIVRO
Uma microantologia
Seleção e edição de
Sammis Reachers
Separatas a Esmo #3
marocidental.blogspot.com
3
Separatas a Esmo #3
Sumário
Breve proseado a título de apresentação .................................... 04
Dia do Livro – Gilberto Madeira ..................................................... 05
Saudade – Tony Roberson de Mello Rodrigues ............................. 06
Aula de leitura – Ricardo Azevedo ................................................. 07
Sem título – Emily Dickinson .......................................................... 09
Homem... – Jean De La Rivière ....................................................... 10
Devorar – Alphonsus de Guimaraens Filho ..................................... 11
Viajar pela leitura – Clarice Pacheco ............................................... 12
Leite, leitura – Paulo Leminski ........................................................ 13
O editor – Alberto Martins ............................................................. 14
Livro – Luísa Ducla Soares ............................................................... 15
A casa estava quieta e o mundo calmo – Wallace Stevens ........... 16
De quem a culpa? – Victor Hugo ..................................................... 17
Carta ao Livro de Bolso – Sammis Reachers .................................. 20
Os livros – Eugénio de Andrade ...................................................... 22
Um Livro – João Pedro Mésseder ................................................... 23
Ler – Edith Chacon Theodoro ......................................................... 25
A um livro – Florbela Espanca ........................................................ 26
O Livro e a América – Castro Alves ................................................ 27
Os meus livros – Jorge Luis Borges ................................................ 32
Biblioteca Verde – Carlos Drummond de Andrade ........................ 33
O homem que lê – Rainer Maria Rilke ........................................... 36
A Leitora – António Ramos Rosa .................................................... 38
TROVAS .......................................................................................... 39
Bibliografia ..................................................................................... 45
Outras antologias .......................................................................... 46
4
Separatas a Esmo #3
Breve prosado a título de apresentação
Esta coleção mambembe, “Separatas a Esmo”, é a desculpa
que me dou quando não quero realizar uma antologia temática de
maior fôlego, mas não posso deixar de cumprir meu solitário papel
social de antologista, que é nutrir o leitor com leituras benfazejas
(ou que ao menos eu goste de ler). Assim, bom é já avisar que há
de certeza muitos outros poemas sobre o Livro e a Leitura que aqui
poderiam figurar; estão por aí, perdidos/pulsantes no
hiperuniverso da literatura. Mas temos aqui algo com que
começar, algo com que alegrar-nos.
A confirmar o caráter de breve
fôlego deste plaquete, preciso
assinalar que a maior parte destes
poemas foram retirados, sim, de
antologia senão de facto, ao menos
de direito e ISBN, a obra (que também
organizamos) O Livro e o Prazer da
Leitura em 600 Citações (Uiclap, 2023).
A maior parte, mas não todos. Há
poemas aqui que não entraram na
referida seleta, e aquela é, afinal,
focada no universo das frases. Aqui, embora em espaço exíguo, a
poesia reina sozinha, esporte primevo que sempre lhe aprouve e
bem vestiu.
No mais, aqui estão, graciosamente para você ler e
compartilhar, poemas sobre Sua Majestade, o Livro.
Sammis Reachers
5
Separatas a Esmo #3
Dia do Livro
Gilberto Madeira
Hoje é o Dia do maior mistério do mundo.
Aquele que nos faz viajar sem sair do lugar;
Que nos confronta sem nos ferir;
Que nos ensina sem ser soberbo;
Que nos fortalece sem se tornar uma muleta;
Que nos remedia sem causar dependência.
Um LIVRO!
6
Separatas a Esmo #3
Saudade
Tony Roberson de Mello Rodrigues
Aqui em casa,
Que falta nos faz Cecília:
Seus poemas eram lidos
Em família.
Nas tardes de garoa,
Choviam heterônimos:
Que falta nos faz Pessoa!
Redescobrir a pureza humana,
Domesticar os demônios,
Enlouquecer as filigranas...
Falta-nos Quintana.
Pobres dos homens que anseiam
O mundo que mais tarde
Incendeiam...
E o livro, inquieto,
Grita do alto da estante:
- Empoeirou-se o meu instante?
7
Separatas a Esmo #3
Aula de leitura
Ricardo Azevedo
A leitura é muito mais
do que decifrar palavras.
Quem quiser parar pra ver
pode até se surpreender:
vai ler nas folhas do chão,
se é outono ou se é verão;
nas ondas soltas do mar,
se é hora de navegar;
e no jeito da pessoa,
se trabalha ou se é à-toa;
na cara do lutador,
quando está sentindo dor;
vai ler na casa de alguém
o gosto que o dono tem;
e no pelo do cachorro,
se é melhor gritar socorro;
e na cinza da fumaça,
o tamanho da desgraça;
e no tom que sopra o vento,
8
Separatas a Esmo #3
se corre o barco ou vai lento;
também na cor da fruta,
e no cheiro da comida,
e no ronco do motor,
e nos dentes do cavalo,
e na pele da pessoa,
e no brilho do sorriso,
vai ler nas nuvens do céu,
vai ler na palma da mão,
vai ler até nas estrelas
e no som do coração.
Uma arte que dá medo
é a de ler um olhar,
pois os olhos têm segredos
difíceis de decifrar.
9
Separatas a Esmo #3
Sem título
Emily Dickinson
Fragata melhor não há
Pra nos levar a terra alheia,
Nem melhor corcel que a página
Onde a poesia curveteia.
10
Separatas a Esmo #3
Homem...
Jean De La Rivière
Homem, para viver satisfeito,
Para aprender a viver, leia!
E não perca seu tempo,
Procurando defeitos nos livros.
Nenhum livro é tão perfeito
Que nele algo não possa ser criticado.
Mas também nenhum é tão mal feito
Que nele algo não possa ser aproveitado.
11
Separatas a Esmo #3
Devorar
Alphonsus de Guimaraens Filho
Devorar esses livros como quem
Come folhas de alface. Devorá-los,
De muitos condimentos salpicá-los,
Para que afinal nos saibam bem.
Não feri-los, roê-los, esmagá-los.
Devorá-los com a fome que nos vem
Da esperança talvez de iluminá-los,
De revelá-los sem tristeza, sem.
Não impulso de papirofagia,
Ou de quem come cinza. Tão-somente
Ir ao cerne da noite que os retém.
Devorá-los com certa nostalgia,
Em nós fundi-los derradeiramente,
E então deixá-los como lhes convém.
12
Separatas a Esmo #3
Viajar pela leitura
Clarice Pacheco
Viajar pela leitura
sem rumo, sem intenção.
Só para viver a aventura
que é ter um livro nas mãos.
É uma pena que só saiba disso
quem gosta de ler.
Experimente!
Assim, sem compromisso,
você vai me entender.
Mergulhe de cabeça
na imaginação!
13
Separatas a Esmo #3
Leite, leitura
Paulo Leminski
letras, literatura,
tudo o que passa,
tudo o que dura
tudo o que duramente passa
tudo o que passageiramente dura
tudo, tudo, tudo
não passa de caricatura
de você, minha amargura
de ver que viver não tem cura
14
Separatas a Esmo #3
O editor
Alberto Martins
Passa o dia entre livros
Que não existem, ainda estão por ser escritos
Ou nunca chegarão a ser impressos.
Não trabalha no campo
Mas tem as mãos escalavradas:
A pele dos dedos descama feito pergaminho.
De noite voltam para casa
Ele e sua sombra – enxertada de palavras.
15
Separatas a Esmo #3
Livro
Luísa Ducla Soares
Um amigo para falar comigo.
Um navio para viajar
Um jardim para brincar
Uma escola para levar debaixo do braço
Livro um abraço para além do tempo e espaço.
16
Separatas a Esmo #3
A casa estava quieta e o mundo calmo
Wallace Stevens
Trad. Paulo Henriques Britto
A casa estava quieta e o mundo calmo.
Leitor tornou-se livro, e a noite de verão
Era como o ser consciente do livro.
A casa estava quieta e o mundo calmo.
Palavras eram ditas como se livro não houvesse,
Só que o leitor debruçado sobre a página
Queria debruçar-se, queria mais que muito ser
O sábio para quem o livro é verdadeiro
E a noite de verão é como perfeição da mente.
A casa estava quieta porque tinha de estar.
Estar quieta era parte do sentido e da mente:
Acesso da perfeição à página.
E o mundo estava calmo. Em mundo calmo,
Em que não há outro sentido, a verdade
É calma, é verão e é noite, a verdade
É o leitor insone debruçado a ler.
17
Separatas a Esmo #3
De quem a culpa?
Victor Hugo
– Tu fostes incendiar a Biblioteca?
– Sim,
Queimei-a.
– Mas é um crime inaudito e ruim,
Que mesmo contra ti, infame, praticaste!
A luz que a tua alma aclara, intrépido, apagaste!
É a tua própria luz que acabas de soprar.
Isso que teu ódio ímpio e louco ousa queimar
é teu bem, teu tesouro, a herança da tua alma,
o livro te protege, instrui, anima e acalma.
O livro toma sempre a tua defensiva.
Vale uma biblioteca o ato de fé, que agora,
cada uma geração, nos livros, rediviva,
presta: é a noite rendendo um testemunho à aurora.
Oh! nesse venerando acervo de verdade,
nessas obras geniais jorrando claridades,
tumba da antiguidade erguida em repertório.
Nos séculos de luz, nesse genuflexório,
no passado, lição que soletra o porvir.
18
Separatas a Esmo #3
Nisso que se criou para não se extinguir.
Nos poetas, nos heróis, belos, imarscíveis,
na ruma divinal dos Eschylos terríveis,
dos Homeros, dos Jobs, de pé sobre o arrebol,
em Moliére, em Voltaire e Kant, à luz do sol,
ímpio! Foste chegar uma tocha inflamada!
Todo o espírito humano em cinza, em fumarada!
Esqueceste que o livro é teu libertador?
Lá na altura ele está, como altivo condor:
brilha. Porque ele brilha é que nos ilumina;
destrói o cadafalso, a miséria, a chacina.
Ele fala, e nos diz: nada de escravo ou pária.
Abre um livro, vai ler: Platão, Milton, Beccaria,
esses profetas: Dante, e Corneille e Shakespeare;
a alma imensa que têm, em ti sentes surgir;
lendo-os, sentes-te igual a eles todos, altivo;
lendo, tornas-te meigo, austero e pensativo.
Eles, em tua mente, aumentam de grandeza.
À escuridão de um claustro a alva vem dar clareza.
À proporção que ele entra e afunda em tua mente,
tornas-te mais feliz, tornas-te mais vivente.
19
Separatas a Esmo #3
Tua alma torna-se apta a arguida responder.
Reconheces-te bom e sentes derreter
como a neve ao calor, a vaidade sombria,
o mal, o preconceito, a tirania!
Pois, no homem o saber é o que chega primeiro;
depois a liberdade. Esta divina luz
é tua, e foste tu que, de pronto, a apagaste.
O livro atinge os fins que tu próprio sonhaste.
Entra em teu pensamento e solta e desenleia
os grilhões com que o erro, a verdade aperreia.
A consciência é um nó górdio horrível, que asfixia.
O livro é teu guardião, teu médico, teu guia.
Tua raiva, ele acalma, e tira-te a demência.
Eis o que perdes, tu, por tua intransigência.
O livro é teu tesouro; é a riqueza, é o saber,
o direito, a verdade, a virtude, o dever,
a razão, aclarando a tua inteligência.
E tu queimaste tudo, infame!...
– Eu não sei ler!
20
Separatas a Esmo #3
Carta ao Livro de Bolso
Sammis Reachers
Adolescido tomo
lanterna dos afogados
paraninfo da literatura
rancho da tropa, democrática
classe econômica
talismã, lítero muiraquitã iniciático
sustentáculo dos sebos, colecionário
de ceitils, centavos e xelins
ingresso de matinê
na nau de Stevenson, na floresta
de London
na faiscante Paris espadachim e amante
dos Dumas
condensário das imensidões
de Moby Dick ao pai Quixote
dramas d’antanho em prosa e papel jornal
21
Separatas a Esmo #3
poemas seletos lidos com lenta pressa
enquanto sacoleja o bonde ou o busão
lâmpada de celulose que exulta
na cama de solteiro do quartinho dos fundos
tanto te devemos, fiador dos desamparados
bengala dos moços, livro de bolso
22
Separatas a Esmo #3
Os livros
Eugénio de Andrade
Os livros. A sua cálida,
terna, serena pele. Amorosa
companhia. Dispostos sempre
a partilhar o sol
das suas águas. Tão dóceis,
tão calados, tão leais,
tão luminosos na sua
branca e vegetal e cerrada
melancolia. Amados
como nenhuns outros companheiros
da alma. Tão musicais
no fluvial e transbordante
ardor de cada dia.
23
Separatas a Esmo #3
Um Livro
João Pedro Mésseder
Levou-me um livro em viagem
não sei por onde é que andei.
Corri o Alasca, o deserto
andei com o sultão no Brunei?
P’ra falar verdade, não sei.
Com um livro cruzei o mar,
não sei com quem naveguei.
Com marinheiros, corsários,
tremendo de febres e medo?
P’ra falar verdade não sei.
Um livro levou-me p’ra longe
não sei por onde é que andei.
Por cidades devastadas
no meio da fome e da guerra?
P’ra falar verdade não sei.
Um livro levou-me com ele
24
Separatas a Esmo #3
até ao coração de alguém
e aí me enamorei –
de uns olhos ou de uns cabelos?
P’ra falar verdade não sei.
Um livro num passe de mágica
tocou-me com o seu feitiço:
Deu-me a paz e deu-me a guerra,
mostrou-me as faces do homem
– porque um livro é tudo isso.
Levou-me um livro com ele
pelo mundo a passear.
Não me perdi nem me achei
– porque um livro é afinal…
um pouco da vida, bem sei.
25
Separatas a Esmo #3
Ler
Edith Chacon Theodoro
Ler.
Ler sempre.
Ler muito.
Ler “quase tudo”.
Ler com os olhos, os ouvidos, com o tato, pelos poros e demais
sentidos.
Ler com razão e sensibilidade.
Ler desejos, o tempo, o som do silêncio e do vento.
Ler imagens, paisagens, viagens.
Ler verdades e mentiras.
Ler o fracasso, o sucesso, o ilegível, o impensável, as entrelinhas.
Ler na escola, em casa, no campo, na estrada, em qualquer lugar.
Ler a vida e a morte.
Saber ser leitor, tendo o direito de saber ler.
Ler simplesmente ler.
26
Separatas a Esmo #3
A um livro
Florbela Espanca
No silêncio de cinzas do meu Ser
Agita-se uma sombra de cipreste,
Sombra roubada ao livro que ando a ler,
A esse livro de mágoas que me deste.
Estranho livro aquele que escreveste,
Artista da saudade e do sofrer!
Estranho livro aquele em que puseste
Tudo o que eu sinto, sem poder dizer!
Leio-o, e folheio, assim, toda a minh’alma!
O livro que me deste é meu, e salma
As orações que choro e rio e canto! …
Poeta igual a mim, ai que me dera
Dizer o que tu dizes! … Quem soubera
Velar a minha Dor desse teu manto! …
27
Separatas a Esmo #3
O Livro e a América
Castro Alves
Talhado para as grandezas,
Pra crescer, criar, subir,
O Novo Mundo nos músculos
Sente a seiva do porvir.
— Estatuário de colossos —
Cansado doutros esboços
Disse um dia Jeová:
"Vai, Colombo, abre a cortina
"Da minha eterna oficina...
"Tira a América de lá".
Molhado inda do dilúvio,
Qual Tritão descomunal,
O continente desperta
No concerto universal.
Dos oceanos em tropa
Um — traz-lhe as artes da Europa,
Outro — as bagas de Ceilão...
E os Andes petrificados,
28
Separatas a Esmo #3
Como braços levantados,
Lhe apontam para a amplidão.
Olhando em torno então brada:
"Tudo marcha!... Ó grande Deus!
As cataratas — pra terra,
As estrelas — para os céus
Lá, do pólo sobre as plagas,
O seu rebanho de vagas
Vai o mar apascentar...
Eu quero marchar com os ventos,
Corn os mundos... co'os
firmamentos!!!"
E Deus responde — "Marchar!"
"Marchar! ... Mas como?... Da Grécia
Nos dóricos Partenons
A mil deuses levantando
Mil marmóreos Panteon?...
Marchar co'a espada de Roma
— Leoa de ruiva coma
De presa enorme no chão,
Saciando o ódio profundo...
29
Separatas a Esmo #3
— Com as garras nas mãos do mundo,
— Com os dentes no coração?...
"Marchar!... Mas como a Alemanha
Na tirania feudal,
Levantando uma montanha
Em cada uma catedral?...
Não!... Nem templos feitos de ossos,
Nem gládios a cavar fossos
São degraus do progredir...
Lá brada César morrendo:
"No pugilato tremendo
"Quem sempre vence é o porvir!"
Filhos do sec’lo das luzes!
Filhos da Grande nação!
Quando ante Deus vos mostrardes,
Tereis um livro na mão:
O livro — esse audaz guerreiro
Que conquista o mundo inteiro
Sem nunca ter Waterloo...
Eólo de pensamentos,
Que abrira a gruta dos ventos
30
Separatas a Esmo #3
Donde a Igualdade vooul...
Por uma fatalidade
Dessas que descem de além,
O sec'lo, que viu Colombo,
Viu Guttenberg também.
Quando no tosco estaleiro
Da Alemanha o velho obreiro
A ave da imprensa gerou...
O Genovês salta os mares...
Busca um ninho entre os palmares
E a pátria da imprensa achou...
Por isso na impaciência
Desta sede de saber,
Como as aves do deserto
As almas buscam beber...
Oh! Bendito o que semeia
Livros... livros à mão cheia...
E manda o povo pensar!
O livro caindo n'alma
É germe — que faz a palma,
É chuva — que faz o mar.
31
Separatas a Esmo #3
Vós, que o templo das idéias
Largo — abris às multidões,
Pra o batismo luminoso
Das grandes revoluções,
Agora que o trem de ferro
Acorda o tigre no cerro
E espanta os caboclos nus,
Fazei desse "rei dos ventos"
— Ginete dos pensamentos,
— Arauto da grande luz! ...
Bravo! a quem salva o futuro
Fecundando a multidão! ...
Num poema amortalhada
Nunca morre uma nação.
Como Goethe moribundo
Brada "Luz!" o Novo Mundo
Num brado de Briaréu...
Luz! pois, no vale e na serra...
Que, se a luz rola na terra,
Deus colhe gênios no céu!...
32
Separatas a Esmo #3
Os meus livros
Jorge Luis Borges
Os meus livros (que não sabem que existo)
São uma parte de mim, como este rosto
De têmporas e olhos já cinzentos
Que em vão vou procurando nos espelhos
E que percorro com a minha mão côncava.
Não sem alguma lógica amargura
Entendo que as palavras essenciais,
As que me exprimem, estarão nessas folhas
Que não sabem quem sou, não nas que escrevo.
Mais vale assim. As vozes desses mortos
Dir-me-ão para sempre.
33
Separatas a Esmo #3
Biblioteca Verde
Carlos Drummond de Andrade
Papai, me compra a Biblioteca Internacional de Obras Célebres.
São só 24 volumes encadernados
em percalina verde.
Meu filho, é livro demais para uma criança.
Compra assim mesmo, pai, eu cresço logo.
Quando crescer eu compro. Agora não.
Papai, me compra agora. É em percalina verde,
só 24 volumes. Compra, compra, compra.
Fica quieto, menino, eu vou comprar.
Rio de Janeiro? Aqui é o Coronel.
Me mande urgente sua Biblioteca
bem acondicionada, não quero defeito.
Se vier com um arranhão recuso, já sabe:
quero devolução de meu dinheiro.
Está bem, Coronel, ordens são ordens.
Segue a Biblioteca pelo trem-de-ferro,
fino caixote de alumínio e pinho.
Termina o ramal, o burro de carga
vai levando tamanho universo.
34
Separatas a Esmo #3
Chega cheirando a papel novo, mata
de pinheiros toda verde. Sou
o mais rico menino destas redondezas.
(Orgulho, não; inveja de mim mesmo.)
Ninguém mais aqui possui a coleção
das Obras Célebres. Tenho de ler tudo.
Antes de ler, que bom passar a mão
no som da percalina, esse cristal
de fluida transparência: verde, verde.
Amanhã começo a ler. Agora não.
Agora quero ver figuras. Todas.
Templo de Tebas. Osíris, Medusa,
Apolo nu, Vênus nua… Nossa
Senhora, tem disso nos livros?
Depressa, as letras. Careço ler tudo.
A mãe se queixa: Não dorme este menino.
O irmão reclama: Apaga a luz, cretino!
Esparmacete cai na cama, queima
a perna, o sono. Olha que eu tomo e rasgo
essa Biblioteca antes que pegue fogo
na casa. Vai dormir, menino, antes que eu perca
a paciência e te dê uma sova. Dorme,
filhinho meu, tão doido, tão fraquinho.
35
Separatas a Esmo #3
Mas leio, leio. Em filosofias
tropeço e caio, cavalgo de novo
meu verde livro, em cavalarias
me perco, medievo; em contos, poemas
me vejo viver. Como te devoro,
verde pastagem. Ou antes carruagem
de fugir de mim e me trazer de volta
à casa a qualquer hora num fechar de páginas?
Tudo que sei é ela que me ensina.
O que saberei, o que não saberei nunca,
está na Biblioteca em verde murmúrio
de flauta-percalina eternamente.
36
Separatas a Esmo #3
O homem que lê
Rainer Maria Rilke
Eu lia há muito. Desde que esta tarde
com o seu ruído de chuva chegou às janelas.
Abstraí-me do vento lá fora:
o meu livro era difícil.
Olhei as suas páginas como rostos
que se ensombram pela profunda reflexão
e em redor da minha leitura parava o tempo. —
De repente sobre as páginas lançou-se uma luz
e em vez da tímida confusão de palavras
estava: tarde, tarde… em todas elas.
Não olho ainda para fora, mas rasgam-se já
as longas linhas, e as palavras rolam
dos seus fios, para onde elas querem.
Então sei: sobre os jardins
transbordantes, radiantes, abriram-se os céus;
o sol deve ter surgido de novo. —
E agora cai a noite de Verão, até onde a vista alcança:
o que está disperso ordena-se em poucos grupos,
obscuramente, pelos longos caminhos vão pessoas
37
Separatas a Esmo #3
e estranhamente longe, como se significasse algo mais,
ouve-se o pouco que ainda acontece.
E quando agora levantar os olhos deste livro,
nada será estranho, tudo grande.
Aí fora existe o que vivo dentro de mim
e aqui e mais além nada tem fronteiras;
apenas me entreteço mais ainda com ele
quando o meu olhar se adapta às coisas
e à grave simplicidade das multidões, —
então a terra cresce acima de si mesma.
E parece que abarca todo o céu:
a primeira estrela é como a última casa.
38
Separatas a Esmo #3
A Leitora
António Ramos Rosa
A leitora abre o espaço num sopro subtil.
Lê na violência e no espanto da brancura.
Principia apaixonada, de surpresa em surpresa.
Ilumina e inunda e dissemina de arco em arco.
Ela fala com as pedras do livro, com as sílabas da sombra.
Ela adere à matéria porosa, à madeira do vento.
Desce pelos bosques como uma menina descalça.
Aproxima-se das praias onde o corpo se eleva
em chama de água. Na imaculada superfície
ou na espessura latejante, despe-se das formas,
branca no ar. É um torvelinho harmonioso,
um pássaro suspenso. A terra ergue-se inteira
na sede obscura de palavras verticais.
A água move-se até ao seu princípio puro.
O poema é um arbusto que não cessa de tremer.
39
Separatas a Esmo #3
TROVAS
Quando passo alguns minutos
No pomar, a um livro atento,
Eu penso em colher bons frutos...
– os frutos do pensamento.
Nereu Humberto Frickmann
É celulose modesta,
Mas seu destino, fecundo,
Pois – da sombria floresta –
O livro ilumina o mundo.
Maria Thereza Cavalheiro
Se queres ter um Amigo
Que não fala, pois é mudo,
O Livro é luz que bendigo,
Que calado, fala tudo.
Filemon F. Martins
40
Separatas a Esmo #3
Não sei se todos ponderam
a troca que o livro traz…
Grandes homens o fizeram,
grandes homens ele faz!
Lucília A. Trindade Decarli
Não me tenhas por ausente;
Se não vai carta, não zangue.
O livro é o melhor presente,
Feito com suor e sangue.
Renato Baez
Todo livro, quando aberto,
é pólen, é flor, é fruto...
Fechado é sombra, é deserto,
é silêncio, é campa, é luto.
Cyro Armando Catta Preta
“Livro é presente de amigo”
– é o que se diz fartamente.
E eu acrescento comigo:
“Livro é um amigo presente”.
Anatole Ramos
41
Separatas a Esmo #3
Aberto em asas de paz,
na escola, no lar, na igreja,
por todo o bem que nos faz,
o livro bendito seja!
Vera Vargas
Semeador de esperanças,
Lobato foi mais além:
dando livros às crianças,
semeou sonhos também!
David de Araújo
De livros encham-se as casas,
eis um conselho excelente,
pois o livro, aberto em asas,
põe asas n’alma da gente.
Orlando Brito
Dai bons livros à criança
e um ensino permanente:
o livro é verde esperança,
que abre os caminhos da mente.
P. de Petrus
42
Separatas a Esmo #3
O livro, triste mar morto,
na estante, limpo, fechado.
Luzeiro, molde, conforto,
livro velhinho, ensebado.
Nair Starling
Livro bom, lido com calma,
traz emoção e alegria...
Por isso dói tanto n’alma
ver uma estante vazia!
Hermoclides Siqueira Franco
A luz que mais forte brilha,
que mais aclara e perdura,
tem origem na cartilha:
denomina-se Cultura.
José Nogueira da Costa
Livros há cuja estrutura
lembra a do arado, na essência:
– rasgam sulcos de cultura
no campo da inteligência.
Cesídio Ambrogi
43
Separatas a Esmo #3
Deste espaço que, na vida,
preenchemos com tempo certo,
daremos conta devida,
da Vida no Livro aberto!
Alberto Fernando Bastos
Dar um livro de presente
este remédio me enseja:
quem o dá é inteligente
e espera que o outro o seja...
Aparício Fernandes
Bendito aquele que lança
um livro sério, profundo,
e faz voltar a esperança
que vai fugindo do mundo.
Paulo Emílio Pinto
Um livro, um filho, uma planta,
pela estrada percorrida...
Quem consegue glória tanta,
plantou sementes na vida.
Wilson Dantas
44
Separatas a Esmo #3
Nada mais belo, decerto,
no cenário da esperança,
que a imagem de um livro aberto
sob o olhar de uma criança!
José Lucas de Barros
Sempre em silêncio profundo,
entre dores e alegrias,
no livro se encerra um mundo
de eternas sabedorias.
Reinaldo de Aguiar
O livro é o maior dos bens,
sem ele crescem teus males...
Dize-me os livros que tens
e eu te direi quanto vales.
Durval Mendonça
Mais sábio na vida é quem
possui a sabedoria
daqueles que sempre têm
bons livros por companhia.
Sebas Sundfeld
45
Separatas a Esmo #3
Bibliografia
6 poemas sobre leitura para ler e apreciar. Como Fazer um
Poema. < https://comofazerumpoema.com/poemas-sobre-leitura-
importancia-
poesia/?fbclid=IwAR1EhqY3TMMV05cKqn6_iyuqZe4sFsYsCXbNlH
YkbZRwBvsXoRiWowkIhwo >.
10 Poesias sobre livros. Seleção de Felipo. Portal Minhas
Atividades. < https://minhasatividades.com/poesias-sobre-livros/
>.
O Livro e a América. Blocos Online. <
https://www.blocosonline.com.br/literatura/poesia/pndp/pndp01
0701.htm >.
Poema “Aula de Leitura”. Tudo sobre Leitura (blog). <
https://tudosobreleitura.blogspot.com/2011/02/poema-aula-de-
leitura.html?m=1&fbclid=IwAR0GzPRQBpN8zwMmJZsaO8Nd79G
2D4kSU-SHtyIMES8Vs6lLgPpw88ahEsg >.
REACHERS, Sammis. O Livro e o Prazer da Leitura em 600
Citações. São Paulo: Uiclap, 2023.
Trovas sobre o Livro. Falando de Trova. <
https://falandodetrova.com.br/trovassobreolivro >.
46
Separatas a Esmo #3
(Cinquenta) Outras Antologias
Sou um pacato professor de Geografia por ofício e literato por
destino, eleição ou obsessão.
Ao longo dos anos, já foram mais de cinquenta as antologias, de
maior ou menor fôlego e dos mais variados temas e gêneros, as
que publicamos. Grande parte delas está graciosamente
disponibilizada na forma de e-books gratuitos, parte deles
acessíveis no Google Livros:
https://www.google.com/search?tbm=bks&q=Sammis+Reachers.
Algumas outras estão comercializadas na Amazon:
https://www.amazon.com.br/s?k=sammis+reachers.
Há ainda, em formato impresso, antologias na Uiclap:
https://uiclap.bio/sammisreachers.
Por fim, você poderá ter acesso a muitos outros textos e livros
autorais do autor (poesia, crônica, conto, romance) aqui:
http://linktr.ee/sreachers.
Ah, sim: A coleção Separatas a Esmo conta com duas outras
edições, os volumes Para Que Serve a Imprensa, Afinal?, e Piadas &
Anedotas Geográficas. Conheça e baixe gratuitamente aqui:
https://marocidental.blogspot.com/p/separatas-esmo.html.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologia

Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr CarrascoObra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
IEE Wilcam
 
CORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
CORDEL_APRESENTACAO.pdfcccccccccccccccccccCORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
CORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
IedaGoethe
 
Eternizadas julho__25
Eternizadas  julho__25Eternizadas  julho__25
Eternizadas julho__25
michelechristine
 
Boletim Contacto - março de 2020
Boletim Contacto - março de 2020Boletim Contacto - março de 2020
Boletim Contacto - março de 2020
Bibliotecas Infante D. Henrique
 
Eternizadas dez__16
Eternizadas  dez__16Eternizadas  dez__16
Eternizadas dez__16
michelechristine
 
Calendário Mensal: Outubro 2010
Calendário Mensal: Outubro 2010Calendário Mensal: Outubro 2010
Calendário Mensal: Outubro 2010
Gisele Santos
 
Literatura de cordel
Literatura de cordelLiteratura de cordel
Literatura de cordel
Edson Alves
 
Eternizadas setembro__10
Eternizadas  setembro__10Eternizadas  setembro__10
Eternizadas setembro__10
michelechristine
 
Contacto 1.º período
Contacto   1.º períodoContacto   1.º período
Contacto 1.º período
Bibliotecas Infante D. Henrique
 
Cortazar
CortazarCortazar
Suplemento acre 0011 e book
Suplemento acre 0011 e book Suplemento acre 0011 e book
Suplemento acre 0011 e book
AMEOPOEMA Editora
 
Acre004ago set-outde2014e-book-140924131458-phpapp01(1)
Acre004ago set-outde2014e-book-140924131458-phpapp01(1)Acre004ago set-outde2014e-book-140924131458-phpapp01(1)
Acre004ago set-outde2014e-book-140924131458-phpapp01(1)
Ana Fonseca
 
Acre 004 (ago set-out de 2014) e-book revista de arte e poesia em geral circ...
Acre 004 (ago set-out de 2014)  e-book revista de arte e poesia em geral circ...Acre 004 (ago set-out de 2014)  e-book revista de arte e poesia em geral circ...
Acre 004 (ago set-out de 2014) e-book revista de arte e poesia em geral circ...
AMEOPOEMA Editora
 
Conto
ContoConto
Mania
ManiaMania
Terca, 27 de Abril
Terca, 27 de Abril Terca, 27 de Abril
Terca, 27 de Abril
complementoindirecto
 
Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010
Gisele Santos
 
Poemas concurso de leitura 2012 13
Poemas concurso de leitura 2012 13Poemas concurso de leitura 2012 13
Poemas concurso de leitura 2012 13
cristinasantos420
 
Chicos 42 abril 2015
Chicos 42 abril 2015Chicos 42 abril 2015
Chicos 42 abril 2015
Chicos Cataletras
 
A Hora Do Nada
A Hora Do NadaA Hora Do Nada
A Hora Do Nada
Ana Tapadas
 

Semelhante a Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologia (20)

Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr CarrascoObra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
 
CORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
CORDEL_APRESENTACAO.pdfcccccccccccccccccccCORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
CORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
 
Eternizadas julho__25
Eternizadas  julho__25Eternizadas  julho__25
Eternizadas julho__25
 
Boletim Contacto - março de 2020
Boletim Contacto - março de 2020Boletim Contacto - março de 2020
Boletim Contacto - março de 2020
 
Eternizadas dez__16
Eternizadas  dez__16Eternizadas  dez__16
Eternizadas dez__16
 
Calendário Mensal: Outubro 2010
Calendário Mensal: Outubro 2010Calendário Mensal: Outubro 2010
Calendário Mensal: Outubro 2010
 
Literatura de cordel
Literatura de cordelLiteratura de cordel
Literatura de cordel
 
Eternizadas setembro__10
Eternizadas  setembro__10Eternizadas  setembro__10
Eternizadas setembro__10
 
Contacto 1.º período
Contacto   1.º períodoContacto   1.º período
Contacto 1.º período
 
Cortazar
CortazarCortazar
Cortazar
 
Suplemento acre 0011 e book
Suplemento acre 0011 e book Suplemento acre 0011 e book
Suplemento acre 0011 e book
 
Acre004ago set-outde2014e-book-140924131458-phpapp01(1)
Acre004ago set-outde2014e-book-140924131458-phpapp01(1)Acre004ago set-outde2014e-book-140924131458-phpapp01(1)
Acre004ago set-outde2014e-book-140924131458-phpapp01(1)
 
Acre 004 (ago set-out de 2014) e-book revista de arte e poesia em geral circ...
Acre 004 (ago set-out de 2014)  e-book revista de arte e poesia em geral circ...Acre 004 (ago set-out de 2014)  e-book revista de arte e poesia em geral circ...
Acre 004 (ago set-out de 2014) e-book revista de arte e poesia em geral circ...
 
Conto
ContoConto
Conto
 
Mania
ManiaMania
Mania
 
Terca, 27 de Abril
Terca, 27 de Abril Terca, 27 de Abril
Terca, 27 de Abril
 
Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010
 
Poemas concurso de leitura 2012 13
Poemas concurso de leitura 2012 13Poemas concurso de leitura 2012 13
Poemas concurso de leitura 2012 13
 
Chicos 42 abril 2015
Chicos 42 abril 2015Chicos 42 abril 2015
Chicos 42 abril 2015
 
A Hora Do Nada
A Hora Do NadaA Hora Do Nada
A Hora Do Nada
 

Mais de Sammis Reachers

PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
Sammis Reachers
 
Amplitude #4 - Revista Cristã de Literatura e Artes
Amplitude #4 - Revista Cristã de Literatura e ArtesAmplitude #4 - Revista Cristã de Literatura e Artes
Amplitude #4 - Revista Cristã de Literatura e Artes
Sammis Reachers
 
Vivendo a vontade de Deus para adolescentes - Cleide Silva
Vivendo a vontade de Deus para adolescentes - Cleide SilvaVivendo a vontade de Deus para adolescentes - Cleide Silva
Vivendo a vontade de Deus para adolescentes - Cleide Silva
Sammis Reachers
 
Fanzine Samizdat #7 - Especial Metapoesia - Sammis Reachers
Fanzine Samizdat #7 - Especial Metapoesia - Sammis ReachersFanzine Samizdat #7 - Especial Metapoesia - Sammis Reachers
Fanzine Samizdat #7 - Especial Metapoesia - Sammis Reachers
Sammis Reachers
 
O Aborto em Frases, Poemas e Reflexões - Antologia
O Aborto em Frases, Poemas e Reflexões - AntologiaO Aborto em Frases, Poemas e Reflexões - Antologia
O Aborto em Frases, Poemas e Reflexões - Antologia
Sammis Reachers
 
1000 Citações sobre Amor, Esperança e Fé
1000 Citações sobre Amor, Esperança e Fé 1000 Citações sobre Amor, Esperança e Fé
1000 Citações sobre Amor, Esperança e Fé
Sammis Reachers
 
Fanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdf
Fanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdfFanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdf
Fanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdf
Sammis Reachers
 
Revista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãos
Revista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãosRevista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãos
Revista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãos
Sammis Reachers
 
150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book
150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book
150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book
Sammis Reachers
 
Linha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistas
Linha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistasLinha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistas
Linha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistas
Sammis Reachers
 
GoMobilize - Manual de Mibilização Missionária
GoMobilize - Manual de Mibilização MissionáriaGoMobilize - Manual de Mibilização Missionária
GoMobilize - Manual de Mibilização Missionária
Sammis Reachers
 
Curso de Visitação Hospitalar para Adultos
Curso de Visitação Hospitalar para AdultosCurso de Visitação Hospitalar para Adultos
Curso de Visitação Hospitalar para Adultos
Sammis Reachers
 
COMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdf
COMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdfCOMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdf
COMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdf
Sammis Reachers
 
As Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdf
As Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdfAs Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdf
As Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdf
Sammis Reachers
 
Sonetos Natalinos - Filemon Martins
Sonetos Natalinos - Filemon MartinsSonetos Natalinos - Filemon Martins
Sonetos Natalinos - Filemon Martins
Sammis Reachers
 
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis Reachers
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis ReachersRenato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis Reachers
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis Reachers
Sammis Reachers
 
CARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis Reachers
CARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis ReachersCARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis Reachers
CARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis Reachers
Sammis Reachers
 
Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...
Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...
Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...
Sammis Reachers
 
Pôsteres para Mobilização para Missões em LETTERING
Pôsteres para Mobilização para Missões em LETTERINGPôsteres para Mobilização para Missões em LETTERING
Pôsteres para Mobilização para Missões em LETTERING
Sammis Reachers
 
O que Jesus fez? E-book gratuito
O que Jesus fez? E-book gratuitoO que Jesus fez? E-book gratuito
O que Jesus fez? E-book gratuito
Sammis Reachers
 

Mais de Sammis Reachers (20)

PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
 
Amplitude #4 - Revista Cristã de Literatura e Artes
Amplitude #4 - Revista Cristã de Literatura e ArtesAmplitude #4 - Revista Cristã de Literatura e Artes
Amplitude #4 - Revista Cristã de Literatura e Artes
 
Vivendo a vontade de Deus para adolescentes - Cleide Silva
Vivendo a vontade de Deus para adolescentes - Cleide SilvaVivendo a vontade de Deus para adolescentes - Cleide Silva
Vivendo a vontade de Deus para adolescentes - Cleide Silva
 
Fanzine Samizdat #7 - Especial Metapoesia - Sammis Reachers
Fanzine Samizdat #7 - Especial Metapoesia - Sammis ReachersFanzine Samizdat #7 - Especial Metapoesia - Sammis Reachers
Fanzine Samizdat #7 - Especial Metapoesia - Sammis Reachers
 
O Aborto em Frases, Poemas e Reflexões - Antologia
O Aborto em Frases, Poemas e Reflexões - AntologiaO Aborto em Frases, Poemas e Reflexões - Antologia
O Aborto em Frases, Poemas e Reflexões - Antologia
 
1000 Citações sobre Amor, Esperança e Fé
1000 Citações sobre Amor, Esperança e Fé 1000 Citações sobre Amor, Esperança e Fé
1000 Citações sobre Amor, Esperança e Fé
 
Fanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdf
Fanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdfFanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdf
Fanzine Samizdat #6 - Sammis Reachers.pdf
 
Revista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãos
Revista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãosRevista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãos
Revista Muito Além dos Videogames Extra 2 - Jogos bíblicos e cristãos
 
150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book
150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book
150 Citações de Soren Kierkegaard - E-book
 
Linha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistas
Linha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistasLinha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistas
Linha de Esplendor Sem Fim - Histórias missionárias metodistas
 
GoMobilize - Manual de Mibilização Missionária
GoMobilize - Manual de Mibilização MissionáriaGoMobilize - Manual de Mibilização Missionária
GoMobilize - Manual de Mibilização Missionária
 
Curso de Visitação Hospitalar para Adultos
Curso de Visitação Hospitalar para AdultosCurso de Visitação Hospitalar para Adultos
Curso de Visitação Hospitalar para Adultos
 
COMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdf
COMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdfCOMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdf
COMO CRIAR UM INFORMATIVO MISSIONARIO QUE GERE RESULTADOS.pdf
 
As Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdf
As Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdfAs Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdf
As Mais Belas Citações Sobre a Gratidão - 250 Citações Selecionadas.pdf
 
Sonetos Natalinos - Filemon Martins
Sonetos Natalinos - Filemon MartinsSonetos Natalinos - Filemon Martins
Sonetos Natalinos - Filemon Martins
 
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis Reachers
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis ReachersRenato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis Reachers
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis Reachers
 
CARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis Reachers
CARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis ReachersCARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis Reachers
CARTAS E RETORNOS - Poesia - Sammis Reachers
 
Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...
Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...
Sabenças & Sentenças da Missão: Frases e provocações missionais de Sammis Rea...
 
Pôsteres para Mobilização para Missões em LETTERING
Pôsteres para Mobilização para Missões em LETTERINGPôsteres para Mobilização para Missões em LETTERING
Pôsteres para Mobilização para Missões em LETTERING
 
O que Jesus fez? E-book gratuito
O que Jesus fez? E-book gratuitoO que Jesus fez? E-book gratuito
O que Jesus fez? E-book gratuito
 

Último

Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
CamilaSouza544051
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 

Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologia

  • 2. 2 Separatas a Esmo #3 Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO Uma microantologia Seleção e edição de Sammis Reachers Separatas a Esmo #3 marocidental.blogspot.com
  • 3. 3 Separatas a Esmo #3 Sumário Breve proseado a título de apresentação .................................... 04 Dia do Livro – Gilberto Madeira ..................................................... 05 Saudade – Tony Roberson de Mello Rodrigues ............................. 06 Aula de leitura – Ricardo Azevedo ................................................. 07 Sem título – Emily Dickinson .......................................................... 09 Homem... – Jean De La Rivière ....................................................... 10 Devorar – Alphonsus de Guimaraens Filho ..................................... 11 Viajar pela leitura – Clarice Pacheco ............................................... 12 Leite, leitura – Paulo Leminski ........................................................ 13 O editor – Alberto Martins ............................................................. 14 Livro – Luísa Ducla Soares ............................................................... 15 A casa estava quieta e o mundo calmo – Wallace Stevens ........... 16 De quem a culpa? – Victor Hugo ..................................................... 17 Carta ao Livro de Bolso – Sammis Reachers .................................. 20 Os livros – Eugénio de Andrade ...................................................... 22 Um Livro – João Pedro Mésseder ................................................... 23 Ler – Edith Chacon Theodoro ......................................................... 25 A um livro – Florbela Espanca ........................................................ 26 O Livro e a América – Castro Alves ................................................ 27 Os meus livros – Jorge Luis Borges ................................................ 32 Biblioteca Verde – Carlos Drummond de Andrade ........................ 33 O homem que lê – Rainer Maria Rilke ........................................... 36 A Leitora – António Ramos Rosa .................................................... 38 TROVAS .......................................................................................... 39 Bibliografia ..................................................................................... 45 Outras antologias .......................................................................... 46
  • 4. 4 Separatas a Esmo #3 Breve prosado a título de apresentação Esta coleção mambembe, “Separatas a Esmo”, é a desculpa que me dou quando não quero realizar uma antologia temática de maior fôlego, mas não posso deixar de cumprir meu solitário papel social de antologista, que é nutrir o leitor com leituras benfazejas (ou que ao menos eu goste de ler). Assim, bom é já avisar que há de certeza muitos outros poemas sobre o Livro e a Leitura que aqui poderiam figurar; estão por aí, perdidos/pulsantes no hiperuniverso da literatura. Mas temos aqui algo com que começar, algo com que alegrar-nos. A confirmar o caráter de breve fôlego deste plaquete, preciso assinalar que a maior parte destes poemas foram retirados, sim, de antologia senão de facto, ao menos de direito e ISBN, a obra (que também organizamos) O Livro e o Prazer da Leitura em 600 Citações (Uiclap, 2023). A maior parte, mas não todos. Há poemas aqui que não entraram na referida seleta, e aquela é, afinal, focada no universo das frases. Aqui, embora em espaço exíguo, a poesia reina sozinha, esporte primevo que sempre lhe aprouve e bem vestiu. No mais, aqui estão, graciosamente para você ler e compartilhar, poemas sobre Sua Majestade, o Livro. Sammis Reachers
  • 5. 5 Separatas a Esmo #3 Dia do Livro Gilberto Madeira Hoje é o Dia do maior mistério do mundo. Aquele que nos faz viajar sem sair do lugar; Que nos confronta sem nos ferir; Que nos ensina sem ser soberbo; Que nos fortalece sem se tornar uma muleta; Que nos remedia sem causar dependência. Um LIVRO!
  • 6. 6 Separatas a Esmo #3 Saudade Tony Roberson de Mello Rodrigues Aqui em casa, Que falta nos faz Cecília: Seus poemas eram lidos Em família. Nas tardes de garoa, Choviam heterônimos: Que falta nos faz Pessoa! Redescobrir a pureza humana, Domesticar os demônios, Enlouquecer as filigranas... Falta-nos Quintana. Pobres dos homens que anseiam O mundo que mais tarde Incendeiam... E o livro, inquieto, Grita do alto da estante: - Empoeirou-se o meu instante?
  • 7. 7 Separatas a Esmo #3 Aula de leitura Ricardo Azevedo A leitura é muito mais do que decifrar palavras. Quem quiser parar pra ver pode até se surpreender: vai ler nas folhas do chão, se é outono ou se é verão; nas ondas soltas do mar, se é hora de navegar; e no jeito da pessoa, se trabalha ou se é à-toa; na cara do lutador, quando está sentindo dor; vai ler na casa de alguém o gosto que o dono tem; e no pelo do cachorro, se é melhor gritar socorro; e na cinza da fumaça, o tamanho da desgraça; e no tom que sopra o vento,
  • 8. 8 Separatas a Esmo #3 se corre o barco ou vai lento; também na cor da fruta, e no cheiro da comida, e no ronco do motor, e nos dentes do cavalo, e na pele da pessoa, e no brilho do sorriso, vai ler nas nuvens do céu, vai ler na palma da mão, vai ler até nas estrelas e no som do coração. Uma arte que dá medo é a de ler um olhar, pois os olhos têm segredos difíceis de decifrar.
  • 9. 9 Separatas a Esmo #3 Sem título Emily Dickinson Fragata melhor não há Pra nos levar a terra alheia, Nem melhor corcel que a página Onde a poesia curveteia.
  • 10. 10 Separatas a Esmo #3 Homem... Jean De La Rivière Homem, para viver satisfeito, Para aprender a viver, leia! E não perca seu tempo, Procurando defeitos nos livros. Nenhum livro é tão perfeito Que nele algo não possa ser criticado. Mas também nenhum é tão mal feito Que nele algo não possa ser aproveitado.
  • 11. 11 Separatas a Esmo #3 Devorar Alphonsus de Guimaraens Filho Devorar esses livros como quem Come folhas de alface. Devorá-los, De muitos condimentos salpicá-los, Para que afinal nos saibam bem. Não feri-los, roê-los, esmagá-los. Devorá-los com a fome que nos vem Da esperança talvez de iluminá-los, De revelá-los sem tristeza, sem. Não impulso de papirofagia, Ou de quem come cinza. Tão-somente Ir ao cerne da noite que os retém. Devorá-los com certa nostalgia, Em nós fundi-los derradeiramente, E então deixá-los como lhes convém.
  • 12. 12 Separatas a Esmo #3 Viajar pela leitura Clarice Pacheco Viajar pela leitura sem rumo, sem intenção. Só para viver a aventura que é ter um livro nas mãos. É uma pena que só saiba disso quem gosta de ler. Experimente! Assim, sem compromisso, você vai me entender. Mergulhe de cabeça na imaginação!
  • 13. 13 Separatas a Esmo #3 Leite, leitura Paulo Leminski letras, literatura, tudo o que passa, tudo o que dura tudo o que duramente passa tudo o que passageiramente dura tudo, tudo, tudo não passa de caricatura de você, minha amargura de ver que viver não tem cura
  • 14. 14 Separatas a Esmo #3 O editor Alberto Martins Passa o dia entre livros Que não existem, ainda estão por ser escritos Ou nunca chegarão a ser impressos. Não trabalha no campo Mas tem as mãos escalavradas: A pele dos dedos descama feito pergaminho. De noite voltam para casa Ele e sua sombra – enxertada de palavras.
  • 15. 15 Separatas a Esmo #3 Livro Luísa Ducla Soares Um amigo para falar comigo. Um navio para viajar Um jardim para brincar Uma escola para levar debaixo do braço Livro um abraço para além do tempo e espaço.
  • 16. 16 Separatas a Esmo #3 A casa estava quieta e o mundo calmo Wallace Stevens Trad. Paulo Henriques Britto A casa estava quieta e o mundo calmo. Leitor tornou-se livro, e a noite de verão Era como o ser consciente do livro. A casa estava quieta e o mundo calmo. Palavras eram ditas como se livro não houvesse, Só que o leitor debruçado sobre a página Queria debruçar-se, queria mais que muito ser O sábio para quem o livro é verdadeiro E a noite de verão é como perfeição da mente. A casa estava quieta porque tinha de estar. Estar quieta era parte do sentido e da mente: Acesso da perfeição à página. E o mundo estava calmo. Em mundo calmo, Em que não há outro sentido, a verdade É calma, é verão e é noite, a verdade É o leitor insone debruçado a ler.
  • 17. 17 Separatas a Esmo #3 De quem a culpa? Victor Hugo – Tu fostes incendiar a Biblioteca? – Sim, Queimei-a. – Mas é um crime inaudito e ruim, Que mesmo contra ti, infame, praticaste! A luz que a tua alma aclara, intrépido, apagaste! É a tua própria luz que acabas de soprar. Isso que teu ódio ímpio e louco ousa queimar é teu bem, teu tesouro, a herança da tua alma, o livro te protege, instrui, anima e acalma. O livro toma sempre a tua defensiva. Vale uma biblioteca o ato de fé, que agora, cada uma geração, nos livros, rediviva, presta: é a noite rendendo um testemunho à aurora. Oh! nesse venerando acervo de verdade, nessas obras geniais jorrando claridades, tumba da antiguidade erguida em repertório. Nos séculos de luz, nesse genuflexório, no passado, lição que soletra o porvir.
  • 18. 18 Separatas a Esmo #3 Nisso que se criou para não se extinguir. Nos poetas, nos heróis, belos, imarscíveis, na ruma divinal dos Eschylos terríveis, dos Homeros, dos Jobs, de pé sobre o arrebol, em Moliére, em Voltaire e Kant, à luz do sol, ímpio! Foste chegar uma tocha inflamada! Todo o espírito humano em cinza, em fumarada! Esqueceste que o livro é teu libertador? Lá na altura ele está, como altivo condor: brilha. Porque ele brilha é que nos ilumina; destrói o cadafalso, a miséria, a chacina. Ele fala, e nos diz: nada de escravo ou pária. Abre um livro, vai ler: Platão, Milton, Beccaria, esses profetas: Dante, e Corneille e Shakespeare; a alma imensa que têm, em ti sentes surgir; lendo-os, sentes-te igual a eles todos, altivo; lendo, tornas-te meigo, austero e pensativo. Eles, em tua mente, aumentam de grandeza. À escuridão de um claustro a alva vem dar clareza. À proporção que ele entra e afunda em tua mente, tornas-te mais feliz, tornas-te mais vivente.
  • 19. 19 Separatas a Esmo #3 Tua alma torna-se apta a arguida responder. Reconheces-te bom e sentes derreter como a neve ao calor, a vaidade sombria, o mal, o preconceito, a tirania! Pois, no homem o saber é o que chega primeiro; depois a liberdade. Esta divina luz é tua, e foste tu que, de pronto, a apagaste. O livro atinge os fins que tu próprio sonhaste. Entra em teu pensamento e solta e desenleia os grilhões com que o erro, a verdade aperreia. A consciência é um nó górdio horrível, que asfixia. O livro é teu guardião, teu médico, teu guia. Tua raiva, ele acalma, e tira-te a demência. Eis o que perdes, tu, por tua intransigência. O livro é teu tesouro; é a riqueza, é o saber, o direito, a verdade, a virtude, o dever, a razão, aclarando a tua inteligência. E tu queimaste tudo, infame!... – Eu não sei ler!
  • 20. 20 Separatas a Esmo #3 Carta ao Livro de Bolso Sammis Reachers Adolescido tomo lanterna dos afogados paraninfo da literatura rancho da tropa, democrática classe econômica talismã, lítero muiraquitã iniciático sustentáculo dos sebos, colecionário de ceitils, centavos e xelins ingresso de matinê na nau de Stevenson, na floresta de London na faiscante Paris espadachim e amante dos Dumas condensário das imensidões de Moby Dick ao pai Quixote dramas d’antanho em prosa e papel jornal
  • 21. 21 Separatas a Esmo #3 poemas seletos lidos com lenta pressa enquanto sacoleja o bonde ou o busão lâmpada de celulose que exulta na cama de solteiro do quartinho dos fundos tanto te devemos, fiador dos desamparados bengala dos moços, livro de bolso
  • 22. 22 Separatas a Esmo #3 Os livros Eugénio de Andrade Os livros. A sua cálida, terna, serena pele. Amorosa companhia. Dispostos sempre a partilhar o sol das suas águas. Tão dóceis, tão calados, tão leais, tão luminosos na sua branca e vegetal e cerrada melancolia. Amados como nenhuns outros companheiros da alma. Tão musicais no fluvial e transbordante ardor de cada dia.
  • 23. 23 Separatas a Esmo #3 Um Livro João Pedro Mésseder Levou-me um livro em viagem não sei por onde é que andei. Corri o Alasca, o deserto andei com o sultão no Brunei? P’ra falar verdade, não sei. Com um livro cruzei o mar, não sei com quem naveguei. Com marinheiros, corsários, tremendo de febres e medo? P’ra falar verdade não sei. Um livro levou-me p’ra longe não sei por onde é que andei. Por cidades devastadas no meio da fome e da guerra? P’ra falar verdade não sei. Um livro levou-me com ele
  • 24. 24 Separatas a Esmo #3 até ao coração de alguém e aí me enamorei – de uns olhos ou de uns cabelos? P’ra falar verdade não sei. Um livro num passe de mágica tocou-me com o seu feitiço: Deu-me a paz e deu-me a guerra, mostrou-me as faces do homem – porque um livro é tudo isso. Levou-me um livro com ele pelo mundo a passear. Não me perdi nem me achei – porque um livro é afinal… um pouco da vida, bem sei.
  • 25. 25 Separatas a Esmo #3 Ler Edith Chacon Theodoro Ler. Ler sempre. Ler muito. Ler “quase tudo”. Ler com os olhos, os ouvidos, com o tato, pelos poros e demais sentidos. Ler com razão e sensibilidade. Ler desejos, o tempo, o som do silêncio e do vento. Ler imagens, paisagens, viagens. Ler verdades e mentiras. Ler o fracasso, o sucesso, o ilegível, o impensável, as entrelinhas. Ler na escola, em casa, no campo, na estrada, em qualquer lugar. Ler a vida e a morte. Saber ser leitor, tendo o direito de saber ler. Ler simplesmente ler.
  • 26. 26 Separatas a Esmo #3 A um livro Florbela Espanca No silêncio de cinzas do meu Ser Agita-se uma sombra de cipreste, Sombra roubada ao livro que ando a ler, A esse livro de mágoas que me deste. Estranho livro aquele que escreveste, Artista da saudade e do sofrer! Estranho livro aquele em que puseste Tudo o que eu sinto, sem poder dizer! Leio-o, e folheio, assim, toda a minh’alma! O livro que me deste é meu, e salma As orações que choro e rio e canto! … Poeta igual a mim, ai que me dera Dizer o que tu dizes! … Quem soubera Velar a minha Dor desse teu manto! …
  • 27. 27 Separatas a Esmo #3 O Livro e a América Castro Alves Talhado para as grandezas, Pra crescer, criar, subir, O Novo Mundo nos músculos Sente a seiva do porvir. — Estatuário de colossos — Cansado doutros esboços Disse um dia Jeová: "Vai, Colombo, abre a cortina "Da minha eterna oficina... "Tira a América de lá". Molhado inda do dilúvio, Qual Tritão descomunal, O continente desperta No concerto universal. Dos oceanos em tropa Um — traz-lhe as artes da Europa, Outro — as bagas de Ceilão... E os Andes petrificados,
  • 28. 28 Separatas a Esmo #3 Como braços levantados, Lhe apontam para a amplidão. Olhando em torno então brada: "Tudo marcha!... Ó grande Deus! As cataratas — pra terra, As estrelas — para os céus Lá, do pólo sobre as plagas, O seu rebanho de vagas Vai o mar apascentar... Eu quero marchar com os ventos, Corn os mundos... co'os firmamentos!!!" E Deus responde — "Marchar!" "Marchar! ... Mas como?... Da Grécia Nos dóricos Partenons A mil deuses levantando Mil marmóreos Panteon?... Marchar co'a espada de Roma — Leoa de ruiva coma De presa enorme no chão, Saciando o ódio profundo...
  • 29. 29 Separatas a Esmo #3 — Com as garras nas mãos do mundo, — Com os dentes no coração?... "Marchar!... Mas como a Alemanha Na tirania feudal, Levantando uma montanha Em cada uma catedral?... Não!... Nem templos feitos de ossos, Nem gládios a cavar fossos São degraus do progredir... Lá brada César morrendo: "No pugilato tremendo "Quem sempre vence é o porvir!" Filhos do sec’lo das luzes! Filhos da Grande nação! Quando ante Deus vos mostrardes, Tereis um livro na mão: O livro — esse audaz guerreiro Que conquista o mundo inteiro Sem nunca ter Waterloo... Eólo de pensamentos, Que abrira a gruta dos ventos
  • 30. 30 Separatas a Esmo #3 Donde a Igualdade vooul... Por uma fatalidade Dessas que descem de além, O sec'lo, que viu Colombo, Viu Guttenberg também. Quando no tosco estaleiro Da Alemanha o velho obreiro A ave da imprensa gerou... O Genovês salta os mares... Busca um ninho entre os palmares E a pátria da imprensa achou... Por isso na impaciência Desta sede de saber, Como as aves do deserto As almas buscam beber... Oh! Bendito o que semeia Livros... livros à mão cheia... E manda o povo pensar! O livro caindo n'alma É germe — que faz a palma, É chuva — que faz o mar.
  • 31. 31 Separatas a Esmo #3 Vós, que o templo das idéias Largo — abris às multidões, Pra o batismo luminoso Das grandes revoluções, Agora que o trem de ferro Acorda o tigre no cerro E espanta os caboclos nus, Fazei desse "rei dos ventos" — Ginete dos pensamentos, — Arauto da grande luz! ... Bravo! a quem salva o futuro Fecundando a multidão! ... Num poema amortalhada Nunca morre uma nação. Como Goethe moribundo Brada "Luz!" o Novo Mundo Num brado de Briaréu... Luz! pois, no vale e na serra... Que, se a luz rola na terra, Deus colhe gênios no céu!...
  • 32. 32 Separatas a Esmo #3 Os meus livros Jorge Luis Borges Os meus livros (que não sabem que existo) São uma parte de mim, como este rosto De têmporas e olhos já cinzentos Que em vão vou procurando nos espelhos E que percorro com a minha mão côncava. Não sem alguma lógica amargura Entendo que as palavras essenciais, As que me exprimem, estarão nessas folhas Que não sabem quem sou, não nas que escrevo. Mais vale assim. As vozes desses mortos Dir-me-ão para sempre.
  • 33. 33 Separatas a Esmo #3 Biblioteca Verde Carlos Drummond de Andrade Papai, me compra a Biblioteca Internacional de Obras Célebres. São só 24 volumes encadernados em percalina verde. Meu filho, é livro demais para uma criança. Compra assim mesmo, pai, eu cresço logo. Quando crescer eu compro. Agora não. Papai, me compra agora. É em percalina verde, só 24 volumes. Compra, compra, compra. Fica quieto, menino, eu vou comprar. Rio de Janeiro? Aqui é o Coronel. Me mande urgente sua Biblioteca bem acondicionada, não quero defeito. Se vier com um arranhão recuso, já sabe: quero devolução de meu dinheiro. Está bem, Coronel, ordens são ordens. Segue a Biblioteca pelo trem-de-ferro, fino caixote de alumínio e pinho. Termina o ramal, o burro de carga vai levando tamanho universo.
  • 34. 34 Separatas a Esmo #3 Chega cheirando a papel novo, mata de pinheiros toda verde. Sou o mais rico menino destas redondezas. (Orgulho, não; inveja de mim mesmo.) Ninguém mais aqui possui a coleção das Obras Célebres. Tenho de ler tudo. Antes de ler, que bom passar a mão no som da percalina, esse cristal de fluida transparência: verde, verde. Amanhã começo a ler. Agora não. Agora quero ver figuras. Todas. Templo de Tebas. Osíris, Medusa, Apolo nu, Vênus nua… Nossa Senhora, tem disso nos livros? Depressa, as letras. Careço ler tudo. A mãe se queixa: Não dorme este menino. O irmão reclama: Apaga a luz, cretino! Esparmacete cai na cama, queima a perna, o sono. Olha que eu tomo e rasgo essa Biblioteca antes que pegue fogo na casa. Vai dormir, menino, antes que eu perca a paciência e te dê uma sova. Dorme, filhinho meu, tão doido, tão fraquinho.
  • 35. 35 Separatas a Esmo #3 Mas leio, leio. Em filosofias tropeço e caio, cavalgo de novo meu verde livro, em cavalarias me perco, medievo; em contos, poemas me vejo viver. Como te devoro, verde pastagem. Ou antes carruagem de fugir de mim e me trazer de volta à casa a qualquer hora num fechar de páginas? Tudo que sei é ela que me ensina. O que saberei, o que não saberei nunca, está na Biblioteca em verde murmúrio de flauta-percalina eternamente.
  • 36. 36 Separatas a Esmo #3 O homem que lê Rainer Maria Rilke Eu lia há muito. Desde que esta tarde com o seu ruído de chuva chegou às janelas. Abstraí-me do vento lá fora: o meu livro era difícil. Olhei as suas páginas como rostos que se ensombram pela profunda reflexão e em redor da minha leitura parava o tempo. — De repente sobre as páginas lançou-se uma luz e em vez da tímida confusão de palavras estava: tarde, tarde… em todas elas. Não olho ainda para fora, mas rasgam-se já as longas linhas, e as palavras rolam dos seus fios, para onde elas querem. Então sei: sobre os jardins transbordantes, radiantes, abriram-se os céus; o sol deve ter surgido de novo. — E agora cai a noite de Verão, até onde a vista alcança: o que está disperso ordena-se em poucos grupos, obscuramente, pelos longos caminhos vão pessoas
  • 37. 37 Separatas a Esmo #3 e estranhamente longe, como se significasse algo mais, ouve-se o pouco que ainda acontece. E quando agora levantar os olhos deste livro, nada será estranho, tudo grande. Aí fora existe o que vivo dentro de mim e aqui e mais além nada tem fronteiras; apenas me entreteço mais ainda com ele quando o meu olhar se adapta às coisas e à grave simplicidade das multidões, — então a terra cresce acima de si mesma. E parece que abarca todo o céu: a primeira estrela é como a última casa.
  • 38. 38 Separatas a Esmo #3 A Leitora António Ramos Rosa A leitora abre o espaço num sopro subtil. Lê na violência e no espanto da brancura. Principia apaixonada, de surpresa em surpresa. Ilumina e inunda e dissemina de arco em arco. Ela fala com as pedras do livro, com as sílabas da sombra. Ela adere à matéria porosa, à madeira do vento. Desce pelos bosques como uma menina descalça. Aproxima-se das praias onde o corpo se eleva em chama de água. Na imaculada superfície ou na espessura latejante, despe-se das formas, branca no ar. É um torvelinho harmonioso, um pássaro suspenso. A terra ergue-se inteira na sede obscura de palavras verticais. A água move-se até ao seu princípio puro. O poema é um arbusto que não cessa de tremer.
  • 39. 39 Separatas a Esmo #3 TROVAS Quando passo alguns minutos No pomar, a um livro atento, Eu penso em colher bons frutos... – os frutos do pensamento. Nereu Humberto Frickmann É celulose modesta, Mas seu destino, fecundo, Pois – da sombria floresta – O livro ilumina o mundo. Maria Thereza Cavalheiro Se queres ter um Amigo Que não fala, pois é mudo, O Livro é luz que bendigo, Que calado, fala tudo. Filemon F. Martins
  • 40. 40 Separatas a Esmo #3 Não sei se todos ponderam a troca que o livro traz… Grandes homens o fizeram, grandes homens ele faz! Lucília A. Trindade Decarli Não me tenhas por ausente; Se não vai carta, não zangue. O livro é o melhor presente, Feito com suor e sangue. Renato Baez Todo livro, quando aberto, é pólen, é flor, é fruto... Fechado é sombra, é deserto, é silêncio, é campa, é luto. Cyro Armando Catta Preta “Livro é presente de amigo” – é o que se diz fartamente. E eu acrescento comigo: “Livro é um amigo presente”. Anatole Ramos
  • 41. 41 Separatas a Esmo #3 Aberto em asas de paz, na escola, no lar, na igreja, por todo o bem que nos faz, o livro bendito seja! Vera Vargas Semeador de esperanças, Lobato foi mais além: dando livros às crianças, semeou sonhos também! David de Araújo De livros encham-se as casas, eis um conselho excelente, pois o livro, aberto em asas, põe asas n’alma da gente. Orlando Brito Dai bons livros à criança e um ensino permanente: o livro é verde esperança, que abre os caminhos da mente. P. de Petrus
  • 42. 42 Separatas a Esmo #3 O livro, triste mar morto, na estante, limpo, fechado. Luzeiro, molde, conforto, livro velhinho, ensebado. Nair Starling Livro bom, lido com calma, traz emoção e alegria... Por isso dói tanto n’alma ver uma estante vazia! Hermoclides Siqueira Franco A luz que mais forte brilha, que mais aclara e perdura, tem origem na cartilha: denomina-se Cultura. José Nogueira da Costa Livros há cuja estrutura lembra a do arado, na essência: – rasgam sulcos de cultura no campo da inteligência. Cesídio Ambrogi
  • 43. 43 Separatas a Esmo #3 Deste espaço que, na vida, preenchemos com tempo certo, daremos conta devida, da Vida no Livro aberto! Alberto Fernando Bastos Dar um livro de presente este remédio me enseja: quem o dá é inteligente e espera que o outro o seja... Aparício Fernandes Bendito aquele que lança um livro sério, profundo, e faz voltar a esperança que vai fugindo do mundo. Paulo Emílio Pinto Um livro, um filho, uma planta, pela estrada percorrida... Quem consegue glória tanta, plantou sementes na vida. Wilson Dantas
  • 44. 44 Separatas a Esmo #3 Nada mais belo, decerto, no cenário da esperança, que a imagem de um livro aberto sob o olhar de uma criança! José Lucas de Barros Sempre em silêncio profundo, entre dores e alegrias, no livro se encerra um mundo de eternas sabedorias. Reinaldo de Aguiar O livro é o maior dos bens, sem ele crescem teus males... Dize-me os livros que tens e eu te direi quanto vales. Durval Mendonça Mais sábio na vida é quem possui a sabedoria daqueles que sempre têm bons livros por companhia. Sebas Sundfeld
  • 45. 45 Separatas a Esmo #3 Bibliografia 6 poemas sobre leitura para ler e apreciar. Como Fazer um Poema. < https://comofazerumpoema.com/poemas-sobre-leitura- importancia- poesia/?fbclid=IwAR1EhqY3TMMV05cKqn6_iyuqZe4sFsYsCXbNlH YkbZRwBvsXoRiWowkIhwo >. 10 Poesias sobre livros. Seleção de Felipo. Portal Minhas Atividades. < https://minhasatividades.com/poesias-sobre-livros/ >. O Livro e a América. Blocos Online. < https://www.blocosonline.com.br/literatura/poesia/pndp/pndp01 0701.htm >. Poema “Aula de Leitura”. Tudo sobre Leitura (blog). < https://tudosobreleitura.blogspot.com/2011/02/poema-aula-de- leitura.html?m=1&fbclid=IwAR0GzPRQBpN8zwMmJZsaO8Nd79G 2D4kSU-SHtyIMES8Vs6lLgPpw88ahEsg >. REACHERS, Sammis. O Livro e o Prazer da Leitura em 600 Citações. São Paulo: Uiclap, 2023. Trovas sobre o Livro. Falando de Trova. < https://falandodetrova.com.br/trovassobreolivro >.
  • 46. 46 Separatas a Esmo #3 (Cinquenta) Outras Antologias Sou um pacato professor de Geografia por ofício e literato por destino, eleição ou obsessão. Ao longo dos anos, já foram mais de cinquenta as antologias, de maior ou menor fôlego e dos mais variados temas e gêneros, as que publicamos. Grande parte delas está graciosamente disponibilizada na forma de e-books gratuitos, parte deles acessíveis no Google Livros: https://www.google.com/search?tbm=bks&q=Sammis+Reachers. Algumas outras estão comercializadas na Amazon: https://www.amazon.com.br/s?k=sammis+reachers. Há ainda, em formato impresso, antologias na Uiclap: https://uiclap.bio/sammisreachers. Por fim, você poderá ter acesso a muitos outros textos e livros autorais do autor (poesia, crônica, conto, romance) aqui: http://linktr.ee/sreachers. Ah, sim: A coleção Separatas a Esmo conta com duas outras edições, os volumes Para Que Serve a Imprensa, Afinal?, e Piadas & Anedotas Geográficas. Conheça e baixe gratuitamente aqui: https://marocidental.blogspot.com/p/separatas-esmo.html.