SlideShare uma empresa Scribd logo
A  QUEDA  DO HOMEM
1. A PROVAÇÃODEPOIS DA CRIAÇÃO, DEUS COLOCOU O HOMEM NO JARDIM DO ÉDEM E O SUBMETEU A UM ESTADO DE PROVAÇÃO.CITAÇÃO: GÊNESIS 2:8-17.NECESSIDADE: ADÃO E EVA FORAM CRIADOS  COM NAUREZA SANTA, INCLINADA PARA O BEM, PORÉM HAVIA A NECESSIDADE DE PROVAREM SUA LEALDADE AO CRIADOR POR OBEDIÊNCIA.PROPÓSITO: VISAVA A TRANSFORMAÇÃO DA SUA NATUREZA SANTA EM CARÁTER SANTO.O PROUTO DA CRIAÇÃO, EM O PRODUTO DA TENTAÇÃO        RESISTIDA; DO ESTADO “posse non peccare”PARA O DE “non posse peccare”.
2. A TENTAÇÃOA) O TENTADOR:Gênesis 3.1,4,5;II Coríntios 11.3;Apocalipse 12.9.B) DEFINIÇÃO:A tentação é um incitamento dos desejos naturais para ir além dos limites estabelecidos.Adão e Eva tinham três desejos inatos, como todos nós temos. Constituíam três avenidas para a cidadela da alma.1. De gozar as coisas;2. De obtê-las;3. De fazê-las.
C) AS EXIGÊNCIAS NECESSÁRIAS    À TENTAÇÃO:1º) O caso subtendido: “ Mas da árvore da ciência do bem e do mal dela não comerás”. Gênesis 2.17.2º) A liberdade completa para atuar.3º) O conhecimento das conseqüências – “Porque no dia em que dela comerdes, certamente morrerás”. Gênesis 2.17.Houve duas alternativas:Obedecer ou Desobedecer!
D) A TENTAÇÃO EXPLANADA:A árvore proibida era um símbolo dido direito e do domínio superior de Deus e indicavaque tudo lhe pertencia.Foi chamada árvore do conhecimento do bem e do mal, porque por ela o primeiro casal chegou a aprender a distinção entre o bem e o mal. Chegou a conhecer o bem sem o poder de fazê-lo e a conhecer o mal sem o poder de evitá-lo.
OBSERVAÇÃO IMPORTANTE!COMPARAÇÃO – VEJA O CONTRASTE NA TENTAÇÃO DE CRISTO!Leia: Mateus 4.1-11.E) PECADO DE ADÃO E EVA:1.) Escutaram as calúnias contra Deus, v. 1b.2.) Duvidaram da Palavra de Deus e do seu amor, vs. 2-5.3.) Olharam para o que Deus proibiu (quando a serpente a encontrou ela estava ao lado da árvore).4.) Cobiçaram o que Deus proibiu. Gn. 3:6.5.) Desobedeceram ao mandamento Gn. 2.17; 3.6.
O QUE ADÃO APRENDEU AO PECAR?1. Sobre o caráter de Deus.2. Aprendeu que sua comunhão com Deus e sua felicidade dependiam da obediência ao Senhor.3. Aprendeu que existe um tentador, um inimigo de Deus.
3.) O PECADOA) Origem do pecado (mal):Está envolvida em obscuridade, é um dos mistérios não revelados da Escritura.Na esfera angélica, Is. 14:12-17; Ez. 28:2; II Pe 2:4., temos como lemos supra citado a entrada do pecado pela rebelião de Satanás contra Deus. O pecado humano originou-se de um ato livre de Adão e Eva. Na esfera angélica, o pecado entrou pelo orgulho.
O pecado é uma realidade, não uma ilusão!Um fato é uma coisa óbvia, como o sol e o seu brilho,o carvão e o negrume,a neve e sua brancura.O pecado é um fato!O homem reconhece o fato do pecado. A sua consciência o acusa. Sabe o que é errado. Lei escrita no coração. Sensu deidade.
A lei descobre o fato do pecado, Rm 3.20.A lei é um padrão revelar quão aquém o homem está em relação a glória de Deus, é uma escola para revelar nossas deficiências, um espelho para mostrar nossas transgressões, um estetoscópio para descobrir nossas enfermidades, uma regra para evidenciar a ausência de retidão, um promotor que exige nossa condenação, e um juiz para condenar-nos a morte. O fato do pecado é provado por todos os governos humanos.Leia: Romanos 7: 7-25.
DEFINIÇÕES TEOLÓGICAS:“Pecado é qualquer falta de conformidade com a lei de Deus e qualquer transgressão dessa lei”. – Breve Catecismo, p 24.DEFINIÇÃO BÍBLICA: O pecado é iniqüidade.Iniqüidade quer dizer insubmissão, ilegalidade.Citações: I Jo 3.4; Pv 21.4; Jo 16.8,9; Gl 3.10,12;Rm 14.23.Pecado é errar o alvo!O pecado não é um mero ato, mas disposição, estado!
HARMATANOErrar o alvo, fracassar Romanos 3.23.Nas epistolas Paulinas ocorre 70 vezes!  No Velho Testamento 170 vezes!   Tanto fala de disposição como de ATOS!
Judas errou o ALVO ao trair a Cristo. Mateus 27.4.PARABAÍNO – passar do limite, transpô-lo. Rm. 4.15; 5.14; Mt. 15.2 é transgressão.PARAPTOMA - passo em falso que induz à queda.Mt. 6.14; Rm. 5.15-17; Ef. 1.7, ofensa.OFEILETOS - faltoso, sujeito a obrigação Mt. 6.12, devedor.ANOMIA - falta de sujeito à qualquer lei, desenfreadamente, insubordinação, II Tes. 2.7; I Jo 3.4, iniqüidade.Pecado na essência é egoísmo, exaltação da própria vontade para exclusão da vontade divina.Rm. 5.19; II Co. 10.6.
QUATRO ASPECTOS DO PECADO:DAS COISAS VISTAS ÀS NÃO VISTAS!1. Pecados pessoaisO homem não se torna pecaminoso por pecar, porque é pecaminoso por natureza. Portanto, o pecado é interno da alma e externo do corpo.Os pecados internos, da imaginação, do desejo, dos pensamentos cobiçosos, malévolos, etc, são os mais imperceptíveis e às vezes até esquecidos, porém os mais pernicioso, pois todo o pecado é primeiramente contra Deus, depois contra o próximo e contra nós mesmos.
Textos: Sl. 51.4; Hb 1.1,2; Jo 3.18.O único pecado não perdoado,blasfêmia contra o espírito.Mateus 12.31.O pecado é sempre o mesmo, e a cura é sempre o Sangue de Cristo!O IRREGENERADO - TEM QUE CRER!O REGENERADO - TEM QUE CONFESSAR!
Textos sobre remissão de pecados:Jeová fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós. Is. 53.6; Apaga as tuas transgressões. Is. 44.22;Lança os nossos pecados no fundo do mar. Mq. 7.19;Não me lembrarei dos teus pecados. Is. 43.25.São perdoados. Rm. 4.7; Lc 7.48; Col. 2.13.
2. NATUREZA PECAMINOSADisposição de pecar hereditariamente (Adão).Essa natureza torna o homem inerentemente pecador.O homem está como uma árvore podre em sua raiz, não produz frutos bons sem ser tratado por Deus.Por causa dessa natureza, que é a fonte de todos os pecados, o homem tem uma aversão natural por pecar, mas peca porque nasce pecador.Mas essa natureza pode ser subjugada, controlada pelo poder do Espírito Santo franqueada a nós na base da morte de Cristo.
3.) NOSSO ESTADO DEBAIXO DOPECADO – Rm. 3.9, 11:32;Gl. 3.2.O estado de pecado em que o homem atualmente está, é o resultado do decreto divino (Efésios 2.12; Romanos 9:4, 5; Romanos 10.12).Logo só há salvação e remissão de pecados por meio de Cristo Jesus.4.) PECADO IMPUTADOImpossibilidade de salvação por mérito pessoal, conseqüência aparente é a morte física.Rm. 5.12; I Co. 15.22.
Conseqüências do pecado:Sobre Adão, Eva e seu ambiente:A.) Imediatas: Senso de vergonha, a consciência foi despertada, tentaram se esconder e atribuir a culpa ao outro.B.) Judiciais: 1) Juízo divino Gn 3:14-19.Na serpente – maldição – Miquéias 7.17., Is. 65.25.Na mulher – dores e sujeição – Jo 16.21.No homem – tristeza e trabalho árduo, Jó 5.7; Ec 2.22.Na terra, maldição, espinhos e abrolhos.
2.) SEPARAÇÃO:O quádruplo juízo divino resultou numa tríplice separação: Gênesis 3.22-24.Da árvore da vida – Pv. 3.18. Sabedoria.Do jardim Da presença pessoal e visível de Deus.O pecado separa o homem de Deus. Is. 59.2.3.) MORTE: Gn 2.17. Era tríplice essa morte:
    Morte tríplice:Física: separação da alma edo corpo, que é a consumação dos sofrimentos.Num 16.29; 27.3; Sl 90.7, 8, 9 e 11.Espiritual: separação entre  homem e Deus, relacional. Mt. 8.22; Lc 15.22; Jo 5.8; Ef 2:1.Eterna: Resultado da morte espiritual, a separação eterna do espírito e do corpo de Deus. Ap. 20.14; Mt 25.41; II Tes. 1:9.Sobre a raça: pecado herdado, universalidade do pecado, Rm 5.10-12; Sl 143.2; Ef 2:3.
Pecado

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua DeidadeLição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Éder Tomé
 
Conhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoConhecendo a salvação
Conhecendo a salvação
Josue Lima
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
guestc5d870
 
Aula 2 hamartiologia
Aula 2   hamartiologiaAula 2   hamartiologia
Aula 2 hamartiologia
magnao2
 
Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1
Luciana Lisboa
 
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de DeusSlide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Éder Tomé
 
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser ResistidoLição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Éder Tomé
 
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de FéLição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Éder Tomé
 
CETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministério
CETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministérioCETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministério
CETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministério
Ednilson do Valle
 
O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015
O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015
O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
Angeologia Aula Unica
Angeologia Aula UnicaAngeologia Aula Unica
Angeologia Aula Unica
neymattos
 
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristãLição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
Joanilson França Garcia
 
Pecado segundo a Bíblia
Pecado segundo a BíbliaPecado segundo a Bíblia
Pecado segundo a Bíblia
Ariana Garrett
 
A Epistola de Tiago
A Epistola de TiagoA Epistola de Tiago
A Epistola de Tiago
UEPB
 
Lição 10 - Vivendo neste Presente Século
Lição 10 - Vivendo neste Presente SéculoLição 10 - Vivendo neste Presente Século
Lição 10 - Vivendo neste Presente Século
Éder Tomé
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Éder Tomé
 
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoLição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Erberson Pinheiro
 
Lição 02 - Doutrina dos Anjos
Lição 02 - Doutrina dos AnjosLição 02 - Doutrina dos Anjos
Lição 02 - Doutrina dos Anjos
Coop. Fabio Silva
 
Uma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibradaUma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibrada
Moisés Sampaio
 
Cristologia aula01
Cristologia aula01Cristologia aula01
Cristologia aula01
Pastor W. Costa
 

Mais procurados (20)

Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua DeidadeLição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
 
Conhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoConhecendo a salvação
Conhecendo a salvação
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
 
Aula 2 hamartiologia
Aula 2   hamartiologiaAula 2   hamartiologia
Aula 2 hamartiologia
 
Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1
 
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de DeusSlide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
 
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser ResistidoLição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
 
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de FéLição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
 
CETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministério
CETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministérioCETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministério
CETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministério
 
O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015
O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015
O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015
 
Angeologia Aula Unica
Angeologia Aula UnicaAngeologia Aula Unica
Angeologia Aula Unica
 
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristãLição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
 
Pecado segundo a Bíblia
Pecado segundo a BíbliaPecado segundo a Bíblia
Pecado segundo a Bíblia
 
A Epistola de Tiago
A Epistola de TiagoA Epistola de Tiago
A Epistola de Tiago
 
Lição 10 - Vivendo neste Presente Século
Lição 10 - Vivendo neste Presente SéculoLição 10 - Vivendo neste Presente Século
Lição 10 - Vivendo neste Presente Século
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
 
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoLição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
 
Lição 02 - Doutrina dos Anjos
Lição 02 - Doutrina dos AnjosLição 02 - Doutrina dos Anjos
Lição 02 - Doutrina dos Anjos
 
Uma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibradaUma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibrada
 
Cristologia aula01
Cristologia aula01Cristologia aula01
Cristologia aula01
 

Semelhante a Pecado

LBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deus
LBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deusLBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deus
LBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deus
Natalino das Neves Neves
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
antonio ferreira
 
harmatiologia-220207182758 (1).pptxkkkkk
harmatiologia-220207182758 (1).pptxkkkkkharmatiologia-220207182758 (1).pptxkkkkk
harmatiologia-220207182758 (1).pptxkkkkk
vinicius252017
 
07 doutrina cristã do pecado
07   doutrina cristã do pecado07   doutrina cristã do pecado
07 doutrina cristã do pecado
Luiz Ferreira
 
TEOLOGIA_SISTEMATICA_II.pdf
TEOLOGIA_SISTEMATICA_II.pdfTEOLOGIA_SISTEMATICA_II.pdf
TEOLOGIA_SISTEMATICA_II.pdf
JorgeCousseiro1
 
As sete dispensações
As sete dispensaçõesAs sete dispensações
As sete dispensações
Pastora Neide Quadrangular
 
2º módulo 1ª aula
2º módulo   1ª aula2º módulo   1ª aula
2º módulo 1ª aula
Monergista Post
 
2º módulo 1ª aula
2º módulo   1ª aula2º módulo   1ª aula
2º módulo 1ª aula
Joel Silva
 
2º módulo 1ª aula
2º módulo   1ª aula2º módulo   1ª aula
2º módulo 1ª aula
Joel Silva
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
Antonio Ferreira
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
Antonio Ferreira
 
Unidade 7 - A Natureza da Tentacão e do Pecado
Unidade 7 - A Natureza da Tentacão e do PecadoUnidade 7 - A Natureza da Tentacão e do Pecado
Unidade 7 - A Natureza da Tentacão e do Pecado
Ramón Zazatt
 
153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2
153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2
153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2
Robson Tavares Fernandes
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
Wallace Souza
 
02 - Pecado. doutrina ensinamento sobre como essa doutrina afeta a prática cr...
02 - Pecado. doutrina ensinamento sobre como essa doutrina afeta a prática cr...02 - Pecado. doutrina ensinamento sobre como essa doutrina afeta a prática cr...
02 - Pecado. doutrina ensinamento sobre como essa doutrina afeta a prática cr...
IvairCampos1
 
@Lição 04 o pecado
@Lição 04   o pecado@Lição 04   o pecado
@Lição 04 o pecado
ajcm3110
 
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
José Carlos Polozi
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
Junior Paes
 
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a DeusLição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Erberson Pinheiro
 
HAMARTIOLOGIA_ DOUTRINA DO PECADO (6).pdf
HAMARTIOLOGIA_ DOUTRINA DO PECADO (6).pdfHAMARTIOLOGIA_ DOUTRINA DO PECADO (6).pdf
HAMARTIOLOGIA_ DOUTRINA DO PECADO (6).pdf
Tiago Silva
 

Semelhante a Pecado (20)

LBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deus
LBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deusLBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deus
LBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deus
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
 
harmatiologia-220207182758 (1).pptxkkkkk
harmatiologia-220207182758 (1).pptxkkkkkharmatiologia-220207182758 (1).pptxkkkkk
harmatiologia-220207182758 (1).pptxkkkkk
 
07 doutrina cristã do pecado
07   doutrina cristã do pecado07   doutrina cristã do pecado
07 doutrina cristã do pecado
 
TEOLOGIA_SISTEMATICA_II.pdf
TEOLOGIA_SISTEMATICA_II.pdfTEOLOGIA_SISTEMATICA_II.pdf
TEOLOGIA_SISTEMATICA_II.pdf
 
As sete dispensações
As sete dispensaçõesAs sete dispensações
As sete dispensações
 
2º módulo 1ª aula
2º módulo   1ª aula2º módulo   1ª aula
2º módulo 1ª aula
 
2º módulo 1ª aula
2º módulo   1ª aula2º módulo   1ª aula
2º módulo 1ª aula
 
2º módulo 1ª aula
2º módulo   1ª aula2º módulo   1ª aula
2º módulo 1ª aula
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
 
Unidade 7 - A Natureza da Tentacão e do Pecado
Unidade 7 - A Natureza da Tentacão e do PecadoUnidade 7 - A Natureza da Tentacão e do Pecado
Unidade 7 - A Natureza da Tentacão e do Pecado
 
153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2
153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2
153 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_2_corintios-parte_2
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
 
02 - Pecado. doutrina ensinamento sobre como essa doutrina afeta a prática cr...
02 - Pecado. doutrina ensinamento sobre como essa doutrina afeta a prática cr...02 - Pecado. doutrina ensinamento sobre como essa doutrina afeta a prática cr...
02 - Pecado. doutrina ensinamento sobre como essa doutrina afeta a prática cr...
 
@Lição 04 o pecado
@Lição 04   o pecado@Lição 04   o pecado
@Lição 04 o pecado
 
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a DeusLição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
 
HAMARTIOLOGIA_ DOUTRINA DO PECADO (6).pdf
HAMARTIOLOGIA_ DOUTRINA DO PECADO (6).pdfHAMARTIOLOGIA_ DOUTRINA DO PECADO (6).pdf
HAMARTIOLOGIA_ DOUTRINA DO PECADO (6).pdf
 

Mais de UEPB

Sindrome de timóteo
Sindrome de timóteoSindrome de timóteo
Sindrome de timóteo
UEPB
 
O dilúvio
O dilúvioO dilúvio
O dilúvio
UEPB
 
História patriarcal
História patriarcalHistória patriarcal
História patriarcal
UEPB
 
Romanos 2
Romanos 2Romanos 2
Romanos 2
UEPB
 
Dons do espírito santo 2
Dons do espírito santo 2Dons do espírito santo 2
Dons do espírito santo 2
UEPB
 
Os Dons do Espirito Santo
Os Dons do Espirito Santo Os Dons do Espirito Santo
Os Dons do Espirito Santo
UEPB
 
Continuação da Análise de I Corintios
Continuação da Análise de I CorintiosContinuação da Análise de I Corintios
Continuação da Análise de I Corintios
UEPB
 
Estudo Bíblico de I Corintios
Estudo Bíblico de I CorintiosEstudo Bíblico de I Corintios
Estudo Bíblico de I Corintios
UEPB
 
Carta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossensesCarta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossenses
UEPB
 
Intimidade x privacidade
Intimidade x privacidadeIntimidade x privacidade
Intimidade x privacidade
UEPB
 
Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
UEPB
 
I Corintios Inicio
 I Corintios Inicio I Corintios Inicio
I Corintios Inicio
UEPB
 
Jesus, a figueira e a adoração
Jesus, a figueira e a adoraçãoJesus, a figueira e a adoração
Jesus, a figueira e a adoração
UEPB
 

Mais de UEPB (13)

Sindrome de timóteo
Sindrome de timóteoSindrome de timóteo
Sindrome de timóteo
 
O dilúvio
O dilúvioO dilúvio
O dilúvio
 
História patriarcal
História patriarcalHistória patriarcal
História patriarcal
 
Romanos 2
Romanos 2Romanos 2
Romanos 2
 
Dons do espírito santo 2
Dons do espírito santo 2Dons do espírito santo 2
Dons do espírito santo 2
 
Os Dons do Espirito Santo
Os Dons do Espirito Santo Os Dons do Espirito Santo
Os Dons do Espirito Santo
 
Continuação da Análise de I Corintios
Continuação da Análise de I CorintiosContinuação da Análise de I Corintios
Continuação da Análise de I Corintios
 
Estudo Bíblico de I Corintios
Estudo Bíblico de I CorintiosEstudo Bíblico de I Corintios
Estudo Bíblico de I Corintios
 
Carta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossensesCarta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossenses
 
Intimidade x privacidade
Intimidade x privacidadeIntimidade x privacidade
Intimidade x privacidade
 
Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
 
I Corintios Inicio
 I Corintios Inicio I Corintios Inicio
I Corintios Inicio
 
Jesus, a figueira e a adoração
Jesus, a figueira e a adoraçãoJesus, a figueira e a adoração
Jesus, a figueira e a adoração
 

Último

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 

Último (12)

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 

Pecado

  • 1.
  • 2. A QUEDA DO HOMEM
  • 3. 1. A PROVAÇÃODEPOIS DA CRIAÇÃO, DEUS COLOCOU O HOMEM NO JARDIM DO ÉDEM E O SUBMETEU A UM ESTADO DE PROVAÇÃO.CITAÇÃO: GÊNESIS 2:8-17.NECESSIDADE: ADÃO E EVA FORAM CRIADOS COM NAUREZA SANTA, INCLINADA PARA O BEM, PORÉM HAVIA A NECESSIDADE DE PROVAREM SUA LEALDADE AO CRIADOR POR OBEDIÊNCIA.PROPÓSITO: VISAVA A TRANSFORMAÇÃO DA SUA NATUREZA SANTA EM CARÁTER SANTO.O PROUTO DA CRIAÇÃO, EM O PRODUTO DA TENTAÇÃO RESISTIDA; DO ESTADO “posse non peccare”PARA O DE “non posse peccare”.
  • 4. 2. A TENTAÇÃOA) O TENTADOR:Gênesis 3.1,4,5;II Coríntios 11.3;Apocalipse 12.9.B) DEFINIÇÃO:A tentação é um incitamento dos desejos naturais para ir além dos limites estabelecidos.Adão e Eva tinham três desejos inatos, como todos nós temos. Constituíam três avenidas para a cidadela da alma.1. De gozar as coisas;2. De obtê-las;3. De fazê-las.
  • 5. C) AS EXIGÊNCIAS NECESSÁRIAS À TENTAÇÃO:1º) O caso subtendido: “ Mas da árvore da ciência do bem e do mal dela não comerás”. Gênesis 2.17.2º) A liberdade completa para atuar.3º) O conhecimento das conseqüências – “Porque no dia em que dela comerdes, certamente morrerás”. Gênesis 2.17.Houve duas alternativas:Obedecer ou Desobedecer!
  • 6. D) A TENTAÇÃO EXPLANADA:A árvore proibida era um símbolo dido direito e do domínio superior de Deus e indicavaque tudo lhe pertencia.Foi chamada árvore do conhecimento do bem e do mal, porque por ela o primeiro casal chegou a aprender a distinção entre o bem e o mal. Chegou a conhecer o bem sem o poder de fazê-lo e a conhecer o mal sem o poder de evitá-lo.
  • 7.
  • 8. OBSERVAÇÃO IMPORTANTE!COMPARAÇÃO – VEJA O CONTRASTE NA TENTAÇÃO DE CRISTO!Leia: Mateus 4.1-11.E) PECADO DE ADÃO E EVA:1.) Escutaram as calúnias contra Deus, v. 1b.2.) Duvidaram da Palavra de Deus e do seu amor, vs. 2-5.3.) Olharam para o que Deus proibiu (quando a serpente a encontrou ela estava ao lado da árvore).4.) Cobiçaram o que Deus proibiu. Gn. 3:6.5.) Desobedeceram ao mandamento Gn. 2.17; 3.6.
  • 9. O QUE ADÃO APRENDEU AO PECAR?1. Sobre o caráter de Deus.2. Aprendeu que sua comunhão com Deus e sua felicidade dependiam da obediência ao Senhor.3. Aprendeu que existe um tentador, um inimigo de Deus.
  • 10. 3.) O PECADOA) Origem do pecado (mal):Está envolvida em obscuridade, é um dos mistérios não revelados da Escritura.Na esfera angélica, Is. 14:12-17; Ez. 28:2; II Pe 2:4., temos como lemos supra citado a entrada do pecado pela rebelião de Satanás contra Deus. O pecado humano originou-se de um ato livre de Adão e Eva. Na esfera angélica, o pecado entrou pelo orgulho.
  • 11. O pecado é uma realidade, não uma ilusão!Um fato é uma coisa óbvia, como o sol e o seu brilho,o carvão e o negrume,a neve e sua brancura.O pecado é um fato!O homem reconhece o fato do pecado. A sua consciência o acusa. Sabe o que é errado. Lei escrita no coração. Sensu deidade.
  • 12. A lei descobre o fato do pecado, Rm 3.20.A lei é um padrão revelar quão aquém o homem está em relação a glória de Deus, é uma escola para revelar nossas deficiências, um espelho para mostrar nossas transgressões, um estetoscópio para descobrir nossas enfermidades, uma regra para evidenciar a ausência de retidão, um promotor que exige nossa condenação, e um juiz para condenar-nos a morte. O fato do pecado é provado por todos os governos humanos.Leia: Romanos 7: 7-25.
  • 13. DEFINIÇÕES TEOLÓGICAS:“Pecado é qualquer falta de conformidade com a lei de Deus e qualquer transgressão dessa lei”. – Breve Catecismo, p 24.DEFINIÇÃO BÍBLICA: O pecado é iniqüidade.Iniqüidade quer dizer insubmissão, ilegalidade.Citações: I Jo 3.4; Pv 21.4; Jo 16.8,9; Gl 3.10,12;Rm 14.23.Pecado é errar o alvo!O pecado não é um mero ato, mas disposição, estado!
  • 14. HARMATANOErrar o alvo, fracassar Romanos 3.23.Nas epistolas Paulinas ocorre 70 vezes! No Velho Testamento 170 vezes! Tanto fala de disposição como de ATOS!
  • 15. Judas errou o ALVO ao trair a Cristo. Mateus 27.4.PARABAÍNO – passar do limite, transpô-lo. Rm. 4.15; 5.14; Mt. 15.2 é transgressão.PARAPTOMA - passo em falso que induz à queda.Mt. 6.14; Rm. 5.15-17; Ef. 1.7, ofensa.OFEILETOS - faltoso, sujeito a obrigação Mt. 6.12, devedor.ANOMIA - falta de sujeito à qualquer lei, desenfreadamente, insubordinação, II Tes. 2.7; I Jo 3.4, iniqüidade.Pecado na essência é egoísmo, exaltação da própria vontade para exclusão da vontade divina.Rm. 5.19; II Co. 10.6.
  • 16. QUATRO ASPECTOS DO PECADO:DAS COISAS VISTAS ÀS NÃO VISTAS!1. Pecados pessoaisO homem não se torna pecaminoso por pecar, porque é pecaminoso por natureza. Portanto, o pecado é interno da alma e externo do corpo.Os pecados internos, da imaginação, do desejo, dos pensamentos cobiçosos, malévolos, etc, são os mais imperceptíveis e às vezes até esquecidos, porém os mais pernicioso, pois todo o pecado é primeiramente contra Deus, depois contra o próximo e contra nós mesmos.
  • 17. Textos: Sl. 51.4; Hb 1.1,2; Jo 3.18.O único pecado não perdoado,blasfêmia contra o espírito.Mateus 12.31.O pecado é sempre o mesmo, e a cura é sempre o Sangue de Cristo!O IRREGENERADO - TEM QUE CRER!O REGENERADO - TEM QUE CONFESSAR!
  • 18. Textos sobre remissão de pecados:Jeová fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós. Is. 53.6; Apaga as tuas transgressões. Is. 44.22;Lança os nossos pecados no fundo do mar. Mq. 7.19;Não me lembrarei dos teus pecados. Is. 43.25.São perdoados. Rm. 4.7; Lc 7.48; Col. 2.13.
  • 19. 2. NATUREZA PECAMINOSADisposição de pecar hereditariamente (Adão).Essa natureza torna o homem inerentemente pecador.O homem está como uma árvore podre em sua raiz, não produz frutos bons sem ser tratado por Deus.Por causa dessa natureza, que é a fonte de todos os pecados, o homem tem uma aversão natural por pecar, mas peca porque nasce pecador.Mas essa natureza pode ser subjugada, controlada pelo poder do Espírito Santo franqueada a nós na base da morte de Cristo.
  • 20. 3.) NOSSO ESTADO DEBAIXO DOPECADO – Rm. 3.9, 11:32;Gl. 3.2.O estado de pecado em que o homem atualmente está, é o resultado do decreto divino (Efésios 2.12; Romanos 9:4, 5; Romanos 10.12).Logo só há salvação e remissão de pecados por meio de Cristo Jesus.4.) PECADO IMPUTADOImpossibilidade de salvação por mérito pessoal, conseqüência aparente é a morte física.Rm. 5.12; I Co. 15.22.
  • 21. Conseqüências do pecado:Sobre Adão, Eva e seu ambiente:A.) Imediatas: Senso de vergonha, a consciência foi despertada, tentaram se esconder e atribuir a culpa ao outro.B.) Judiciais: 1) Juízo divino Gn 3:14-19.Na serpente – maldição – Miquéias 7.17., Is. 65.25.Na mulher – dores e sujeição – Jo 16.21.No homem – tristeza e trabalho árduo, Jó 5.7; Ec 2.22.Na terra, maldição, espinhos e abrolhos.
  • 22. 2.) SEPARAÇÃO:O quádruplo juízo divino resultou numa tríplice separação: Gênesis 3.22-24.Da árvore da vida – Pv. 3.18. Sabedoria.Do jardim Da presença pessoal e visível de Deus.O pecado separa o homem de Deus. Is. 59.2.3.) MORTE: Gn 2.17. Era tríplice essa morte:
  • 23. Morte tríplice:Física: separação da alma edo corpo, que é a consumação dos sofrimentos.Num 16.29; 27.3; Sl 90.7, 8, 9 e 11.Espiritual: separação entre homem e Deus, relacional. Mt. 8.22; Lc 15.22; Jo 5.8; Ef 2:1.Eterna: Resultado da morte espiritual, a separação eterna do espírito e do corpo de Deus. Ap. 20.14; Mt 25.41; II Tes. 1:9.Sobre a raça: pecado herdado, universalidade do pecado, Rm 5.10-12; Sl 143.2; Ef 2:3.