SlideShare uma empresa Scribd logo
12º ENCONTRO
O sacramento do matrimônio
Para que fins Deus instituiu o Matrimônio?
A união matrimonial do homem e da mulher, fundada e
dotada de leis próprias pelo Criador, está por sua natureza
ordenada à comunhão e ao bem dos cônjuges e à geração
e bem dos filhos. Segundo o desígnio originário de Deus, a
união matrimonial é indissolúvel, como afirma Jesus Cristo:
“O que Deus uniu não o separe o homem” (Mc 10,9).
Introdução
 O amor dos pais para com os seus filhos e os detalhes
de amor que têm entre si os esposos, fazem-nos pensar
na grandeza do sacramento do matrimônio.
 Sabemos agradecer o que os nossos pais fazem por
nós? Ajudamo-los nas suas necessidades? Procuramos
tornar-lhes a vida agradável? Lembramo-nos de rezar
por eles todos os dias?
Ideias principais
O Matrimônio foi feito por Deus
O ser vivo mais simples é a célula. Uma célula viva
reproduz-se por um processo de fissão, de divisão. Começa a
crescer de tamanho e depois divide-se em duas células vivas.
À medida que as células crescem e se multiplicam, o
processo repete-se continuamente.
Ao planejar a raça humana, Deus poderia ter decretado
que ela se propagasse de maneira semelhante. Sob tal
desígnio, um homem poderia começar a dilatar-se mais e
mais, até formar gradualmente um duplicado dos seus órgãos
originais, e, no momento preciso, separarem-se as duas
metades e constituírem duas pessoas em vez de uma.
Este exemplo serve para compreendermos que Deus não
tinha por que ter feito a humanidade composta de homens e
mulheres. Deus não tinha por que ter compartilhado o seu
poder criador com as suas criaturas e fazer depender o
começo de uma nova vida da livre cooperação de um homem
e uma mulher com Ele. Há um número ilimitado de maneiras
diferentes que Deus poderia ter escolhido para a multiplicação
dos seres humanos, se o tivesse querido.
Mas Deus quis precisamente como é: dividiu os seres humanos em
homens e mulheres, e deu-lhes o poder de produzirem novas vidas
humanas em união com Ele. Pela íntima união a que chamamos ato
sexual, o homem e a mulher produzem uma imagem física deles mesmos,
e nesse novo corpo, tão maravilhosamente começado, Deus infunde uma
alma espiritual e imortal. Foi Deus quem concedeu aos homens a
faculdade de procriar, que é como se chama a faculdade sexual. E foi Deus
que uniu ao ato sexual um grau muito elevado de prazer físico. Por Deus
ser o autor do sexo e tudo o que Ele faz ser bom, o sexo é algo bom. E não
somente é bom, mas santo e sagrado.
Quando se perde o sentido da sacralidade do sexo, a santidade é
esquecida e o sexo converte-se num brinquedo, num instrumento excitante
de prazer, deixando de ser instrumento de Deus. A infidelidade conjugal e a
prostituição, o divórcio fácil e as uniões casuais são alguns dos males que
surgem quando se violenta o sexo, arrancando-o da ordem divina das
coisas.
Deus, para assegurar o reto uso do poder
procriador, fundou a instituição matrimonial: a união
indissolúvel, por toda a vida, de um homem com uma
mulher. A necessidade dessa união é evidente, pois
não só é necessário que nasçam filhos, mas também
que sejam cuidados e criados com amor pelo pai e
pela mãe que os trouxeram ao mundo.
Mas Deus não instituiu o matrimônio com o fim exclusivo de
povoar a terra. “Não é bom que o homem esteja só”, disse Deus
quando Adão dormia no Éden. “Dar-lhe-ei uma companheira
semelhante a ele”. É desígnio divino que o homem e a mulher se
completem um ao outro, que se apoiem um no outro, que
contribuam para o mútuo crescimento espiritual. Nessa união por
toda a vida de um homem e uma mulher, tanto as suas mentes e
corações como os seus corpos se fundem numa unidade nova e
mais rica, cumprindo assim o fim estabelecido por Deus. Deus
estabeleceu essa união única e irrevogável do matrimônio
quando, no Paraíso, fez de Eva a companheira de Adão.
Um sacramento é um sinal externo que confere uma graça interna. No
matrimônio, o sinal externo é a troca de consentimentos maritais entre
um homem e uma mulher batizados. Por outras palavras, o homem e a
mulher que vão contrair matrimônio administram o sacramento um ao
outro. Não é correto dizer que “João e Maria foram casados pelo padre
Pio”. O correto é dizer: “João e Maria casaram-se na presença do padre
Pio”. O sacerdote não pode administrar o sacramento do matrimônio: os
únicos que podem fazê-lo são os nubentes. O sacerdote ou diácono não
é senão a testemunha oficial que representa Cristo e a sua Igreja.
Ordinariamente, a presença do ministro, sacerdote ou diácono, é
essencial; sem ele, não haveria sacramento nem matrimônio. Mas não é
ele quem o administra.
O Matrimônio encerra graças especiais
Sendo um sacramento, o matrimônio confere
graça, e, como qualquer sacramento, confere dois
gêneros de graça. Em primeiro lugar, no próprio
momento em que é recebido, infunde um aumento
de graça santificante. Quando os noivos se voltam
para descer os degraus do altar, as suas almas
são espiritualmente mais fortes e mais belas do
que quando, minutos antes, subiram ao altar.
Além do aumento da graça santificante, o matrimônio
confere também a sua própria graça especial, a graça
sacramental, que consiste no direito de receber de Deus as
graças atuais de que os esposos possam necessitar através
dos anos para assegurarem uma união feliz e frutuosa. Para
que possa produzir plenamente os seus efeitos, esta graça
necessita da cooperação de ambos os cônjuges. A graça
destina-se a essa entidade singular, a esse “um em dois”
que o matrimônio operou. Mas se uma das partes falta ao
cumprimento dos seus deveres cristãos, o outro cônjuge
poderá contar ainda com graças excepcionais de fortaleza e
sabedoria.
A graça sacramental do matrimônio aperfeiçoa o amor natural
entre marido e mulher, elevando-o a um nível sobrenatural que
ultrapassa indizivelmente a mera compatibilidade mental e física.
Dá ao amor conjugal uma qualidade santificante que o torna
instrumento e caminho para crescer e alcançar a santidade.
Confere, além disso, generosidade e responsabilidade para gerar e
criar os filhos, prudência e discernimento para enfrentar os
inúmeros problemas que a vida familiar traz consigo. Ajuda os
esposos a adaptarem-se aos defeitos um do outro e a desculpá-los.
E tudo isto é apenas uma parte do que a graça do matrimônio pode
fazer por aqueles que, com a sua cooperação, dão a Deus ocasião
de mostrar o seu poder.
Do vínculo matrimonial, surgem as duas propriedades
do matrimônio: a unidade e a indissolubilidade.
A unidade do matrimônio significa que um homem só
pode ter uma esposa, e uma mulher um só marido.
A indissolubilidade do matrimônio significa que é uma
união permanente. Uma vez que um homem e uma mulher
se tenham unido num matrimônio cristão consumado, não
há poder na terra, nem sequer o do Papa, que possa
dissolver esse vínculo.
Hoje em dia e em muitos países, são numerosos os católicos
que recorrem ao divórcio, em conformidade com as leis civis,
contraindo civilmente uma nova união. A Igreja sustenta, por
fidelidade à palavra de Jesus Cristo, que não pode reconhecer
como válida uma nova união se o primeiro matrimônio foi válido.
Se os divorciados se casam pela lei civil, ficam numa situação
objetivamente contrária à lei de Deus. Por isso, não podem
aproximar-se da comunhão eucarística enquanto persistir tal
situação. Pelo mesmo motivo, ficam impedidos de exercer
certas responsabilidades eclesiais. A reconciliação, por meio do
sacramento da Penitência não pode ser dada senão àqueles
que se arrependeram de ter violado o sinal da Aliança e da
fidelidade a Cristo e se comprometeram a viver em continência
completa.
Com respeito a cristãos que vivem nesta situação
e que muitas vezes conservam a fé e desejam
educar cristãmente os seus filhos, os sacerdotes e
toda a comunidade devem dar provas duma
solicitude atenta, para que eles não se sintam
separados da Igreja; em cuja vida podem e devem
participar como batizados que são.
Perguntas
www.conhecendominhafe.blogspot.com.br
1. Para que fins Deus instituiu o sacramento do Matrimônio?
2. Matrimônio é uma obrigação para todos?
3. Quem são os ministros deste sacramento?
4. Quais são os efeitos deste sacramento?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
Catequese Anjos dos Céus
 
Os sacramentos da igreja - Aula 11
Os sacramentos da igreja - Aula 11Os sacramentos da igreja - Aula 11
Os sacramentos da igreja - Aula 11
Rubens Júnior
 
Sacramentos e batismo
Sacramentos e batismoSacramentos e batismo
Sacramentos e batismo
Eric Araújo
 
Os 7 Sacramentos Católicos
Os 7 Sacramentos CatólicosOs 7 Sacramentos Católicos
Os 7 Sacramentos Católicos
Adalberto Queiroz
 
Crisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoCrisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativo
Rafael Maciel
 
O sacramento do Crisma
O sacramento do CrismaO sacramento do Crisma
O sacramento do Crisma
António José Fonseca
 
Os sacramentos em nossa vida
Os sacramentos em nossa vidaOs sacramentos em nossa vida
Os sacramentos em nossa vida
Juliana Cristina M. Muniz
 
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianosOs sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
Presentepravoce SOS
 
Introdução aos sacramentos 09.04.13
Introdução aos sacramentos   09.04.13Introdução aos sacramentos   09.04.13
Introdução aos sacramentos 09.04.13
Daiane Costa
 
Ordem e Matrimonio
Ordem e MatrimonioOrdem e Matrimonio
Ordem e Matrimonio
garzella
 
Os Sacramentos
Os SacramentosOs Sacramentos
Os Sacramentos
Eric Araújo
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
Paulo Kuke
 
22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços
22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços
22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços
Catequese Anjos dos Céus
 
Curso de batismo
Curso de batismoCurso de batismo
Curso de batismo
Melonita
 
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhosOs sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
Catequese Panatis
 
Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01
Rubens Júnior
 
O que é ser cristão crisma
O que é ser cristão crismaO que é ser cristão crisma
O que é ser cristão crisma
Luciana Carneiro
 
Os sacramentos da igreja - Aula 10
Os sacramentos da igreja - Aula 10Os sacramentos da igreja - Aula 10
Os sacramentos da igreja - Aula 10
Rubens Júnior
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
Paulo Kuke
 
O sacramento da ordem
O sacramento da ordemO sacramento da ordem
O sacramento da ordem
António José Fonseca
 

Mais procurados (20)

21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
 
Os sacramentos da igreja - Aula 11
Os sacramentos da igreja - Aula 11Os sacramentos da igreja - Aula 11
Os sacramentos da igreja - Aula 11
 
Sacramentos e batismo
Sacramentos e batismoSacramentos e batismo
Sacramentos e batismo
 
Os 7 Sacramentos Católicos
Os 7 Sacramentos CatólicosOs 7 Sacramentos Católicos
Os 7 Sacramentos Católicos
 
Crisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoCrisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativo
 
O sacramento do Crisma
O sacramento do CrismaO sacramento do Crisma
O sacramento do Crisma
 
Os sacramentos em nossa vida
Os sacramentos em nossa vidaOs sacramentos em nossa vida
Os sacramentos em nossa vida
 
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianosOs sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
 
Introdução aos sacramentos 09.04.13
Introdução aos sacramentos   09.04.13Introdução aos sacramentos   09.04.13
Introdução aos sacramentos 09.04.13
 
Ordem e Matrimonio
Ordem e MatrimonioOrdem e Matrimonio
Ordem e Matrimonio
 
Os Sacramentos
Os SacramentosOs Sacramentos
Os Sacramentos
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
 
22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços
22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços
22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços
 
Curso de batismo
Curso de batismoCurso de batismo
Curso de batismo
 
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhosOs sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
 
Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01
 
O que é ser cristão crisma
O que é ser cristão crismaO que é ser cristão crisma
O que é ser cristão crisma
 
Os sacramentos da igreja - Aula 10
Os sacramentos da igreja - Aula 10Os sacramentos da igreja - Aula 10
Os sacramentos da igreja - Aula 10
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
 
O sacramento da ordem
O sacramento da ordemO sacramento da ordem
O sacramento da ordem
 

Destaque

Os sacramentos da igreja - Aula 09
Os sacramentos da igreja - Aula 09Os sacramentos da igreja - Aula 09
Os sacramentos da igreja - Aula 09
Rubens Júnior
 
Os sacramentos da igreja - Aula 08
Os sacramentos da igreja - Aula 08Os sacramentos da igreja - Aula 08
Os sacramentos da igreja - Aula 08
Rubens Júnior
 
Parte 5 - Matrimônio na dimensão da aliança e da graça
Parte 5 - Matrimônio na dimensão da aliança e da graçaParte 5 - Matrimônio na dimensão da aliança e da graça
Parte 5 - Matrimônio na dimensão da aliança e da graça
WebExecutivo1
 
Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2
Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2 Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2
Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2
familiaregsul4
 
Sacramento do matrimônio
Sacramento do matrimônioSacramento do matrimônio
Sacramento do matrimônio
familiaregsul4
 
Noivos sacramento do matrimônio slides
Noivos   sacramento do matrimônio slidesNoivos   sacramento do matrimônio slides
Noivos sacramento do matrimônio slides
Mauricio Soares
 

Destaque (6)

Os sacramentos da igreja - Aula 09
Os sacramentos da igreja - Aula 09Os sacramentos da igreja - Aula 09
Os sacramentos da igreja - Aula 09
 
Os sacramentos da igreja - Aula 08
Os sacramentos da igreja - Aula 08Os sacramentos da igreja - Aula 08
Os sacramentos da igreja - Aula 08
 
Parte 5 - Matrimônio na dimensão da aliança e da graça
Parte 5 - Matrimônio na dimensão da aliança e da graçaParte 5 - Matrimônio na dimensão da aliança e da graça
Parte 5 - Matrimônio na dimensão da aliança e da graça
 
Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2
Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2 Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2
Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2
 
Sacramento do matrimônio
Sacramento do matrimônioSacramento do matrimônio
Sacramento do matrimônio
 
Noivos sacramento do matrimônio slides
Noivos   sacramento do matrimônio slidesNoivos   sacramento do matrimônio slides
Noivos sacramento do matrimônio slides
 

Semelhante a Os sacramentos da igreja - Aula 12

2 casamento religioso
2 casamento religioso2 casamento religioso
2 casamento religioso
faculdadeteologica
 
Lar cristao
Lar cristaoLar cristao
Lar cristao
Daniel Camilo
 
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdfI. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
FreiSauloSilva
 
Lição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Lição 13- Sobre a Família e a sua NaturezaLição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Lição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Éder Tomé
 
Casamento e Família - ebook Ultimato
Casamento e Família - ebook UltimatoCasamento e Família - ebook Ultimato
Casamento e Família - ebook Ultimato
Arlisson Bruno Coutinho de Sousa
 
Palestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdf
Palestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdfPalestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdf
Palestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdf
mpaffetti
 
Ebook casamento familia
Ebook casamento familiaEbook casamento familia
Ebook casamento familia
Eliezer Rabelo
 
Casamento familia
Casamento familiaCasamento familia
Casamento familia
Davi Montenegro
 
2 noivado e casamento
2 noivado e casamento2 noivado e casamento
2 noivado e casamento
marcio lages
 
2T2022_L5_slides_caramuru.pdf
2T2022_L5_slides_caramuru.pdf2T2022_L5_slides_caramuru.pdf
2T2022_L5_slides_caramuru.pdf
WilmaFeitosa3
 
Alicerces para um casamento feliz(1)
Alicerces para um casamento feliz(1)Alicerces para um casamento feliz(1)
Alicerces para um casamento feliz(1)
antonio ferreira
 
Alicerces para um casamento feliz
Alicerces para um casamento felizAlicerces para um casamento feliz
Alicerces para um casamento feliz
antonio ferreira
 
O sacramento do matrimónio. Para que fins instituiu Deus o Matrimónio?
O sacramento do matrimónio. Para que fins instituiu Deus o Matrimónio?O sacramento do matrimónio. Para que fins instituiu Deus o Matrimónio?
O sacramento do matrimónio. Para que fins instituiu Deus o Matrimónio?
PedroAndrade177170
 
FamíLia Cristã Modulo 4
FamíLia Cristã Modulo 4FamíLia Cristã Modulo 4
FamíLia Cristã Modulo 4
fogotv
 
A arte de amar e ser amado
A arte de amar e ser amadoA arte de amar e ser amado
A arte de amar e ser amado
Elumar Pereira Da Silva
 
3 casamento sob a otica de deus
3   casamento sob a otica de deus3   casamento sob a otica de deus
3 casamento sob a otica de deus
PIB Penha
 
Pregação Pr. Coty - Casamento
Pregação Pr. Coty - CasamentoPregação Pr. Coty - Casamento
Pregação Pr. Coty - Casamento
mendoncakarine
 
Lição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o CasamentoLição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o Casamento
Márcio Pereira
 
Lição -10 Sobre o Casamento
Lição -10 Sobre o CasamentoLição -10 Sobre o Casamento
Lição -10 Sobre o Casamento
Márcio Pereira
 
Divórcio e novo casamento uma visão realista e biblica
Divórcio e novo casamento uma visão realista e biblicaDivórcio e novo casamento uma visão realista e biblica
Divórcio e novo casamento uma visão realista e biblica
ASD Remanescentes
 

Semelhante a Os sacramentos da igreja - Aula 12 (20)

2 casamento religioso
2 casamento religioso2 casamento religioso
2 casamento religioso
 
Lar cristao
Lar cristaoLar cristao
Lar cristao
 
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdfI. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
 
Lição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Lição 13- Sobre a Família e a sua NaturezaLição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Lição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
 
Casamento e Família - ebook Ultimato
Casamento e Família - ebook UltimatoCasamento e Família - ebook Ultimato
Casamento e Família - ebook Ultimato
 
Palestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdf
Palestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdfPalestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdf
Palestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdf
 
Ebook casamento familia
Ebook casamento familiaEbook casamento familia
Ebook casamento familia
 
Casamento familia
Casamento familiaCasamento familia
Casamento familia
 
2 noivado e casamento
2 noivado e casamento2 noivado e casamento
2 noivado e casamento
 
2T2022_L5_slides_caramuru.pdf
2T2022_L5_slides_caramuru.pdf2T2022_L5_slides_caramuru.pdf
2T2022_L5_slides_caramuru.pdf
 
Alicerces para um casamento feliz(1)
Alicerces para um casamento feliz(1)Alicerces para um casamento feliz(1)
Alicerces para um casamento feliz(1)
 
Alicerces para um casamento feliz
Alicerces para um casamento felizAlicerces para um casamento feliz
Alicerces para um casamento feliz
 
O sacramento do matrimónio. Para que fins instituiu Deus o Matrimónio?
O sacramento do matrimónio. Para que fins instituiu Deus o Matrimónio?O sacramento do matrimónio. Para que fins instituiu Deus o Matrimónio?
O sacramento do matrimónio. Para que fins instituiu Deus o Matrimónio?
 
FamíLia Cristã Modulo 4
FamíLia Cristã Modulo 4FamíLia Cristã Modulo 4
FamíLia Cristã Modulo 4
 
A arte de amar e ser amado
A arte de amar e ser amadoA arte de amar e ser amado
A arte de amar e ser amado
 
3 casamento sob a otica de deus
3   casamento sob a otica de deus3   casamento sob a otica de deus
3 casamento sob a otica de deus
 
Pregação Pr. Coty - Casamento
Pregação Pr. Coty - CasamentoPregação Pr. Coty - Casamento
Pregação Pr. Coty - Casamento
 
Lição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o CasamentoLição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o Casamento
 
Lição -10 Sobre o Casamento
Lição -10 Sobre o CasamentoLição -10 Sobre o Casamento
Lição -10 Sobre o Casamento
 
Divórcio e novo casamento uma visão realista e biblica
Divórcio e novo casamento uma visão realista e biblicaDivórcio e novo casamento uma visão realista e biblica
Divórcio e novo casamento uma visão realista e biblica
 

Último

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 

Último (18)

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 

Os sacramentos da igreja - Aula 12

  • 1. 12º ENCONTRO O sacramento do matrimônio
  • 2. Para que fins Deus instituiu o Matrimônio? A união matrimonial do homem e da mulher, fundada e dotada de leis próprias pelo Criador, está por sua natureza ordenada à comunhão e ao bem dos cônjuges e à geração e bem dos filhos. Segundo o desígnio originário de Deus, a união matrimonial é indissolúvel, como afirma Jesus Cristo: “O que Deus uniu não o separe o homem” (Mc 10,9).
  • 3. Introdução  O amor dos pais para com os seus filhos e os detalhes de amor que têm entre si os esposos, fazem-nos pensar na grandeza do sacramento do matrimônio.  Sabemos agradecer o que os nossos pais fazem por nós? Ajudamo-los nas suas necessidades? Procuramos tornar-lhes a vida agradável? Lembramo-nos de rezar por eles todos os dias?
  • 5. O Matrimônio foi feito por Deus O ser vivo mais simples é a célula. Uma célula viva reproduz-se por um processo de fissão, de divisão. Começa a crescer de tamanho e depois divide-se em duas células vivas. À medida que as células crescem e se multiplicam, o processo repete-se continuamente. Ao planejar a raça humana, Deus poderia ter decretado que ela se propagasse de maneira semelhante. Sob tal desígnio, um homem poderia começar a dilatar-se mais e mais, até formar gradualmente um duplicado dos seus órgãos originais, e, no momento preciso, separarem-se as duas metades e constituírem duas pessoas em vez de uma.
  • 6. Este exemplo serve para compreendermos que Deus não tinha por que ter feito a humanidade composta de homens e mulheres. Deus não tinha por que ter compartilhado o seu poder criador com as suas criaturas e fazer depender o começo de uma nova vida da livre cooperação de um homem e uma mulher com Ele. Há um número ilimitado de maneiras diferentes que Deus poderia ter escolhido para a multiplicação dos seres humanos, se o tivesse querido.
  • 7. Mas Deus quis precisamente como é: dividiu os seres humanos em homens e mulheres, e deu-lhes o poder de produzirem novas vidas humanas em união com Ele. Pela íntima união a que chamamos ato sexual, o homem e a mulher produzem uma imagem física deles mesmos, e nesse novo corpo, tão maravilhosamente começado, Deus infunde uma alma espiritual e imortal. Foi Deus quem concedeu aos homens a faculdade de procriar, que é como se chama a faculdade sexual. E foi Deus que uniu ao ato sexual um grau muito elevado de prazer físico. Por Deus ser o autor do sexo e tudo o que Ele faz ser bom, o sexo é algo bom. E não somente é bom, mas santo e sagrado. Quando se perde o sentido da sacralidade do sexo, a santidade é esquecida e o sexo converte-se num brinquedo, num instrumento excitante de prazer, deixando de ser instrumento de Deus. A infidelidade conjugal e a prostituição, o divórcio fácil e as uniões casuais são alguns dos males que surgem quando se violenta o sexo, arrancando-o da ordem divina das coisas.
  • 8. Deus, para assegurar o reto uso do poder procriador, fundou a instituição matrimonial: a união indissolúvel, por toda a vida, de um homem com uma mulher. A necessidade dessa união é evidente, pois não só é necessário que nasçam filhos, mas também que sejam cuidados e criados com amor pelo pai e pela mãe que os trouxeram ao mundo.
  • 9. Mas Deus não instituiu o matrimônio com o fim exclusivo de povoar a terra. “Não é bom que o homem esteja só”, disse Deus quando Adão dormia no Éden. “Dar-lhe-ei uma companheira semelhante a ele”. É desígnio divino que o homem e a mulher se completem um ao outro, que se apoiem um no outro, que contribuam para o mútuo crescimento espiritual. Nessa união por toda a vida de um homem e uma mulher, tanto as suas mentes e corações como os seus corpos se fundem numa unidade nova e mais rica, cumprindo assim o fim estabelecido por Deus. Deus estabeleceu essa união única e irrevogável do matrimônio quando, no Paraíso, fez de Eva a companheira de Adão.
  • 10. Um sacramento é um sinal externo que confere uma graça interna. No matrimônio, o sinal externo é a troca de consentimentos maritais entre um homem e uma mulher batizados. Por outras palavras, o homem e a mulher que vão contrair matrimônio administram o sacramento um ao outro. Não é correto dizer que “João e Maria foram casados pelo padre Pio”. O correto é dizer: “João e Maria casaram-se na presença do padre Pio”. O sacerdote não pode administrar o sacramento do matrimônio: os únicos que podem fazê-lo são os nubentes. O sacerdote ou diácono não é senão a testemunha oficial que representa Cristo e a sua Igreja. Ordinariamente, a presença do ministro, sacerdote ou diácono, é essencial; sem ele, não haveria sacramento nem matrimônio. Mas não é ele quem o administra.
  • 11. O Matrimônio encerra graças especiais Sendo um sacramento, o matrimônio confere graça, e, como qualquer sacramento, confere dois gêneros de graça. Em primeiro lugar, no próprio momento em que é recebido, infunde um aumento de graça santificante. Quando os noivos se voltam para descer os degraus do altar, as suas almas são espiritualmente mais fortes e mais belas do que quando, minutos antes, subiram ao altar.
  • 12. Além do aumento da graça santificante, o matrimônio confere também a sua própria graça especial, a graça sacramental, que consiste no direito de receber de Deus as graças atuais de que os esposos possam necessitar através dos anos para assegurarem uma união feliz e frutuosa. Para que possa produzir plenamente os seus efeitos, esta graça necessita da cooperação de ambos os cônjuges. A graça destina-se a essa entidade singular, a esse “um em dois” que o matrimônio operou. Mas se uma das partes falta ao cumprimento dos seus deveres cristãos, o outro cônjuge poderá contar ainda com graças excepcionais de fortaleza e sabedoria.
  • 13. A graça sacramental do matrimônio aperfeiçoa o amor natural entre marido e mulher, elevando-o a um nível sobrenatural que ultrapassa indizivelmente a mera compatibilidade mental e física. Dá ao amor conjugal uma qualidade santificante que o torna instrumento e caminho para crescer e alcançar a santidade. Confere, além disso, generosidade e responsabilidade para gerar e criar os filhos, prudência e discernimento para enfrentar os inúmeros problemas que a vida familiar traz consigo. Ajuda os esposos a adaptarem-se aos defeitos um do outro e a desculpá-los. E tudo isto é apenas uma parte do que a graça do matrimônio pode fazer por aqueles que, com a sua cooperação, dão a Deus ocasião de mostrar o seu poder.
  • 14. Do vínculo matrimonial, surgem as duas propriedades do matrimônio: a unidade e a indissolubilidade. A unidade do matrimônio significa que um homem só pode ter uma esposa, e uma mulher um só marido. A indissolubilidade do matrimônio significa que é uma união permanente. Uma vez que um homem e uma mulher se tenham unido num matrimônio cristão consumado, não há poder na terra, nem sequer o do Papa, que possa dissolver esse vínculo.
  • 15. Hoje em dia e em muitos países, são numerosos os católicos que recorrem ao divórcio, em conformidade com as leis civis, contraindo civilmente uma nova união. A Igreja sustenta, por fidelidade à palavra de Jesus Cristo, que não pode reconhecer como válida uma nova união se o primeiro matrimônio foi válido. Se os divorciados se casam pela lei civil, ficam numa situação objetivamente contrária à lei de Deus. Por isso, não podem aproximar-se da comunhão eucarística enquanto persistir tal situação. Pelo mesmo motivo, ficam impedidos de exercer certas responsabilidades eclesiais. A reconciliação, por meio do sacramento da Penitência não pode ser dada senão àqueles que se arrependeram de ter violado o sinal da Aliança e da fidelidade a Cristo e se comprometeram a viver em continência completa.
  • 16. Com respeito a cristãos que vivem nesta situação e que muitas vezes conservam a fé e desejam educar cristãmente os seus filhos, os sacerdotes e toda a comunidade devem dar provas duma solicitude atenta, para que eles não se sintam separados da Igreja; em cuja vida podem e devem participar como batizados que são.
  • 18. www.conhecendominhafe.blogspot.com.br 1. Para que fins Deus instituiu o sacramento do Matrimônio? 2. Matrimônio é uma obrigação para todos? 3. Quem são os ministros deste sacramento? 4. Quais são os efeitos deste sacramento?