SlideShare uma empresa Scribd logo
Os 7 SacramentosOs 7 Sacramentos
Catequese 2005Catequese 2005
Capela N.Sa.Aparecida eCapela N.Sa.Aparecida e
Sta. EdwigesSta. Edwiges
  
O conhecimento humano começa pelos sentidos e, para chegar a 
conhecer as coisas que os ultrapassam, temos de utilizar 
imagens, símbolos ou comparações, que desvelam um pouco o 
desconhecido. Deus procedeu conosco do mesmo modo, 
instituindo os sinais sensíveis que chamamos de sacramentos, 
para expressar as realidades sobrenaturais da graça. 
Mas a onipotência divina faz mais do que nós podemos fazer. 
Deus concedeu a estes sinais sensíveis para 
SIGNIFICAR e PRODUZIR a graça.
INTRODUÇÃO:
Entendendo melhor...Entendendo melhor...
• Para entender melhor o efeito dos sacramentos podemos
compará-los com a vida natural, vendo que na ordem da graça:
– nascemos para a vida sobrenatural pelo Batismo,
– nós nos fortalecemos pela Confirmação,
– mantemos a vida com o alimento da Eucaristia,
– se perdemos a vida da graça pelo pecado, a recuperamos pela
Penitência,
– e com a Unção dos Enfermos nos preparamos para a viagem
que acabará no céu.
Para socorrer as necessidades da Igreja como sociedade,
temos o sacramento da:
– Ordem sacerdotal, que institui os ministros da Igreja,
– Matrimônio, que com os filhos perpetua a sociedade humana
e faz crescer a Igreja quando estes são regenerados pelo
batismo.
IDÉIAS PRINCIPAIS:
Os sacramentos são sinais sensíveis e eficazes da graça, instituídos por
Jesus Cristo e confiados à Igreja, através dos quais nos é dispensada a
vida divina.
Sinal sensível é uma coisa conhecida que manifesta outra menos
conhecida. Ex.: se vejo fumaça, descubro que existe fogo.
Mas dizemos também sinal eficaz porque o sacramento não só significa,
mas que produz a graça (a fumaça só significa fogo, mas não o produz).
1. O que são os sacramentos?
Podemos nos perguntar por que Cristo quis fazer assim as
coisas?
- Ele pode comunicar a graça diretamente, sem recorrer a
nenhum meio sensível, ainda que tenha querido acomodar-se a
nossa maneira de ser, dando-nos os dons divinos por meio de
realidades materiais que usamos, para que fosse mais fácil para
nós consegui-los.
No batismo, por exemplo, assim como a água purifica
naturalmente, o sacramento purifica: o sacramento lava e limpa
sobrenaturalmente a alma, tirando o pecado original e qualquer
outro pecado que possa existir, mediante a infusão da graça.
2. O porque da instituição dos
sacramentos
A pedagogia de Cristo nos ensina...A pedagogia de Cristo nos ensina...
• Esta foi a pedagogia de Cristo durante sua vida pública, servindo-seEsta foi a pedagogia de Cristo durante sua vida pública, servindo-se
de coisas naturais, de ações externas e de palavras. Tocou comde coisas naturais, de ações externas e de palavras. Tocou com
sua mão o leproso e lhe disse; "sua mão o leproso e lhe disse; "Quero, fica limpo"Quero, fica limpo" (Mateus 8,3);(Mateus 8,3);
untou com barro os olhos do cego de nascimento e ele recuperou auntou com barro os olhos do cego de nascimento e ele recuperou a
vista (cf. João 9,6-7); para comunicar aos Apóstolos o poder devista (cf. João 9,6-7); para comunicar aos Apóstolos o poder de
perdoar os pecados, soprou sobre eles e pronunciou umas palavrasperdoar os pecados, soprou sobre eles e pronunciou umas palavras
(cf. João 20,22).(cf. João 20,22).
• Assim como a Santíssima Humanidade de Cristo é o instrumentoAssim como a Santíssima Humanidade de Cristo é o instrumento
único à Divindadeúnico à Divindade de que se serve o Verbo para realizar ade que se serve o Verbo para realizar a
Redenção da humanidade, assim as coisas ou ações dosRedenção da humanidade, assim as coisas ou ações dos
sacramentos são os instrumentossacramentos são os instrumentos separadosseparados pelos quais Deus nospelos quais Deus nos
santifica, acomodando-se a nossa maneira de ser e de entender.santifica, acomodando-se a nossa maneira de ser e de entender.
3. Jesus Cristo instituiu os 7 sacramentos3. Jesus Cristo instituiu os 7 sacramentos
• Todos os sacramentos foram instituídos porTodos os sacramentos foram instituídos por
Jesus Cristo -que é o autor da graça e podeJesus Cristo -que é o autor da graça e pode
comunicá-la por meio de sinais sensíveis - ecomunicá-la por meio de sinais sensíveis - e
eficazes que são sete:eficazes que são sete:
– Batismo, Confirmação, Eucaristia, Penitência,Batismo, Confirmação, Eucaristia, Penitência,
Unção dos Enfermos, Ordem e Matrimônio.Unção dos Enfermos, Ordem e Matrimônio.
– Nos sete sacramentos estão atendidas todas asNos sete sacramentos estão atendidas todas as
necessidades da vida sobrenatural do cristão.necessidades da vida sobrenatural do cristão.
4.4. Os sacramentos da IgrejaOs sacramentos da Igreja
• Cristo confiou os sacramentos a suaCristo confiou os sacramentos a sua
Igreja, e podemos dizer que são "daIgreja, e podemos dizer que são "da
Igreja" em um duplo sentido: a Igreja fazIgreja" em um duplo sentido: a Igreja faz
ou administra ou celebra os sacramentos,ou administra ou celebra os sacramentos,
e os sacramentos constroem a Igreja (oe os sacramentos constroem a Igreja (o
batismo gera novos filhos da Igreja, etc..).batismo gera novos filhos da Igreja, etc..).
Existem, pois, por ela e para ela.Existem, pois, por ela e para ela.
5.5. Os sacramentos da féOs sacramentos da fé
• Os sacramentos estão ordenados àOs sacramentos estão ordenados à
santificação dos homens, à edificação dosantificação dos homens, à edificação do
Corpo de Cristo e, em definitivo, a darCorpo de Cristo e, em definitivo, a dar
culto a Deus, mas como sinais, temculto a Deus, mas como sinais, tem
também uma finalidade instrutiva. Não sótambém uma finalidade instrutiva. Não só
supõem a fé, também a fortalecem, asupõem a fé, também a fortalecem, a
alimentam e a expressam com palavras ealimentam e a expressam com palavras e
ações; por isso são chamadosações; por isso são chamados
sacramentos da fé.sacramentos da fé.
6.6. Efeitos dos sacramentosEfeitos dos sacramentos
• Os sacramentos, se são recebidos com as disposições requeridas,Os sacramentos, se são recebidos com as disposições requeridas,
produzem como fruto:produzem como fruto:
• Graça santificanteGraça santificante .. Os sacramentos dão ou aumentam a graçaOs sacramentos dão ou aumentam a graça
santificante. O batismo e a penitência dão a graça; os outros cincosantificante. O batismo e a penitência dão a graça; os outros cinco
aumentam a graça santificante e só se devem recebê-los estando na graçaaumentam a graça santificante e só se devem recebê-los estando na graça
de Deus. Aquele que os recebe em pecado mortal comete pecado dede Deus. Aquele que os recebe em pecado mortal comete pecado de
sacrilégio.sacrilégio.
• Graça sacramentalGraça sacramental .. Além da graça santificante que concedem osAlém da graça santificante que concedem os
sacramentos, cada um outorga algo especial que chamamossacramentos, cada um outorga algo especial que chamamos graçagraça
sacramentalsacramental. É um direito de receber de Deus, no momento oportuno, a. É um direito de receber de Deus, no momento oportuno, a
ajuda necessária para cumprir as obrigações contraídas ao receber aqueleajuda necessária para cumprir as obrigações contraídas ao receber aquele
sacramento. Assim, o batismo dá a graça especial para viver como bonssacramento. Assim, o batismo dá a graça especial para viver como bons
filhos de Deus; a confirmação concede a força e o valor para confessar efilhos de Deus; a confirmação concede a força e o valor para confessar e
defender a fé até a morte, se for preciso; o matrimonio, para que osdefender a fé até a morte, se for preciso; o matrimonio, para que os
cônjuges sejam bons esposos e eduquem de forma cristã os filhos; etc.cônjuges sejam bons esposos e eduquem de forma cristã os filhos; etc.
• CaráterCaráter.. O batismo, confirmação e ordem sacerdotal concedem, alémO batismo, confirmação e ordem sacerdotal concedem, além
disso, o caráter, que é um sinal espiritual e indelével que confere umadisso, o caráter, que é um sinal espiritual e indelével que confere uma
peculiar participação no sacerdócio de Cristo. Por isso, estes sacramentospeculiar participação no sacerdócio de Cristo. Por isso, estes sacramentos
só se recebem uma única vez.só se recebem uma única vez.
7. De que se compõe um sacramento7. De que se compõe um sacramento
• Um sacramento se compõe deUm sacramento se compõe de matéria,matéria,
forma e o ministroforma e o ministro que o realiza com aque o realiza com a
intenção de fazer o que faz a Igreja:intenção de fazer o que faz a Igreja:
– A matériaA matéria é a realidade ou ação sensível,é a realidade ou ação sensível,
como a água natural no batismo, os atos docomo a água natural no batismo, os atos do
penitente na confissão (contrição, confissão epenitente na confissão (contrição, confissão e
satisfação).satisfação).
– A formaA forma são as palavras que, ao fazê-lo, sesão as palavras que, ao fazê-lo, se
pronunciam.pronunciam.
– OO ministroministro é a pessoa que faz ou administraé a pessoa que faz ou administra
o sacramento.o sacramento.
8. Diversidade de sacramentos8. Diversidade de sacramentos
• Seguindo a analogia entre vida natural e etapas da vida sobrenatural,Seguindo a analogia entre vida natural e etapas da vida sobrenatural,
podem-se distinguir nos sacramentos, três grupos distintos:podem-se distinguir nos sacramentos, três grupos distintos:
• a)a) Sacramentos daSacramentos da iniciação cristãiniciação cristã:: Batismo, Confirmação e Eucaristia, queBatismo, Confirmação e Eucaristia, que
põem os fundamentos da vida cristã e comunicam a vida nova em Cristo.põem os fundamentos da vida cristã e comunicam a vida nova em Cristo.
• b)b) Sacramentos deSacramentos de curacura:: Penitência e Unção dos Enfermos, que curam oPenitência e Unção dos Enfermos, que curam o
pecado e as feridas da nossa debilidade.pecado e as feridas da nossa debilidade.
• c)c) Sacramentos aSacramentos a serviço da comunidade:serviço da comunidade: Ordem sacerdotal e Matrimônio,Ordem sacerdotal e Matrimônio,
estabelecidos para socorrer as necessidades da comunidade cristã e daestabelecidos para socorrer as necessidades da comunidade cristã e da
sociedade humana.sociedade humana.
• Os sacramentos formam um organismo no qual cada um deles tem suaOs sacramentos formam um organismo no qual cada um deles tem sua
função vital. A Eucaristia ocupa um lugar único, enquanto "sacramento dosfunção vital. A Eucaristia ocupa um lugar único, enquanto "sacramento dos
sacramentos".sacramentos". Podemos dizer com Santo Tomás de Aquino que "todos osPodemos dizer com Santo Tomás de Aquino que "todos os
outros sacramentos estão ordenados para a Eucaristia como seu fim".outros sacramentos estão ordenados para a Eucaristia como seu fim".

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sacramentos slides
Sacramentos   slidesSacramentos   slides
Sacramentos slides
Alexandre Alves
 
Sacramento da eucaristia
Sacramento da eucaristiaSacramento da eucaristia
Sacramento da eucaristia
Jorge Pereira
 
Eucaristia
EucaristiaEucaristia
Eucaristia
Jean
 
Sacramento da Eucaristia.pptx
Sacramento da Eucaristia.pptxSacramento da Eucaristia.pptx
Sacramento da Eucaristia.pptx
BrunoPaz18
 
Querigma parte por parte
Querigma parte por parteQuerigma parte por parte
Querigma parte por parte
Cassio Felipe
 
Formação de Liturgia - 03/11/2013
Formação de Liturgia - 03/11/2013Formação de Liturgia - 03/11/2013
Formação de Liturgia - 03/11/2013
eusouaimaculada
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
Paulo Kuke
 
Os sacramentos da igreja - Aula 02
Os sacramentos da igreja - Aula 02Os sacramentos da igreja - Aula 02
Os sacramentos da igreja - Aula 02
Rubens Júnior
 
Ano liturgico.ritmos
Ano liturgico.ritmosAno liturgico.ritmos
Ano liturgico.ritmos
Ramon Gimenez
 
Liturgia e Catequese 16x9.ppt
Liturgia e Catequese 16x9.pptLiturgia e Catequese 16x9.ppt
Liturgia e Catequese 16x9.ppt
Nuno Melo
 
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhosOs sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
Catequese Panatis
 
A espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequistaA espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequista
Francisco Rodrigues
 
CNBB documento 107 - Aplicação prática
CNBB documento 107 - Aplicação práticaCNBB documento 107 - Aplicação prática
CNBB documento 107 - Aplicação prática
IRINEU FILHO
 
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro ppsFormação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
José Luiz Silva Pinto
 
Apostila do curso de liturgia
Apostila do curso de liturgiaApostila do curso de liturgia
Apostila do curso de liturgia
Simone Oliveira
 
Culto a virgem maria
Culto a virgem mariaCulto a virgem maria
23º Encontro - Sacramento da Confissão
23º Encontro - Sacramento da Confissão23º Encontro - Sacramento da Confissão
23º Encontro - Sacramento da Confissão
Catequese Anjos dos Céus
 
Catequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidadeCatequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidade
Fábio Vasconcelos
 
Mistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistérioMistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistério
Fábio Vasconcelos
 
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristãItinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
lomes
 

Mais procurados (20)

Sacramentos slides
Sacramentos   slidesSacramentos   slides
Sacramentos slides
 
Sacramento da eucaristia
Sacramento da eucaristiaSacramento da eucaristia
Sacramento da eucaristia
 
Eucaristia
EucaristiaEucaristia
Eucaristia
 
Sacramento da Eucaristia.pptx
Sacramento da Eucaristia.pptxSacramento da Eucaristia.pptx
Sacramento da Eucaristia.pptx
 
Querigma parte por parte
Querigma parte por parteQuerigma parte por parte
Querigma parte por parte
 
Formação de Liturgia - 03/11/2013
Formação de Liturgia - 03/11/2013Formação de Liturgia - 03/11/2013
Formação de Liturgia - 03/11/2013
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
 
Os sacramentos da igreja - Aula 02
Os sacramentos da igreja - Aula 02Os sacramentos da igreja - Aula 02
Os sacramentos da igreja - Aula 02
 
Ano liturgico.ritmos
Ano liturgico.ritmosAno liturgico.ritmos
Ano liturgico.ritmos
 
Liturgia e Catequese 16x9.ppt
Liturgia e Catequese 16x9.pptLiturgia e Catequese 16x9.ppt
Liturgia e Catequese 16x9.ppt
 
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhosOs sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
 
A espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequistaA espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequista
 
CNBB documento 107 - Aplicação prática
CNBB documento 107 - Aplicação práticaCNBB documento 107 - Aplicação prática
CNBB documento 107 - Aplicação prática
 
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro ppsFormação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
 
Apostila do curso de liturgia
Apostila do curso de liturgiaApostila do curso de liturgia
Apostila do curso de liturgia
 
Culto a virgem maria
Culto a virgem mariaCulto a virgem maria
Culto a virgem maria
 
23º Encontro - Sacramento da Confissão
23º Encontro - Sacramento da Confissão23º Encontro - Sacramento da Confissão
23º Encontro - Sacramento da Confissão
 
Catequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidadeCatequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidade
 
Mistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistérioMistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistério
 
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristãItinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
 

Semelhante a Os 7 Sacramentos Católicos

25 Os Sete Sacramentos Da Igreja
25  Os Sete Sacramentos Da Igreja25  Os Sete Sacramentos Da Igreja
25 Os Sete Sacramentos Da Igreja
p1guarei
 
Cateq pt 25
Cateq pt 25Cateq pt 25
Cateq pt 25
Cursos Católicos
 
Preparação para o Crisma.pptx
Preparação para o Crisma.pptxPreparação para o Crisma.pptx
Preparação para o Crisma.pptx
Adão Silva
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
Paulo Kuke
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
Paulo Kuke
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
Paulo Kuke
 
O espirito santo de deus
O  espirito  santo  de  deusO  espirito  santo  de  deus
O espirito santo de deus
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
ESPIRITUALIDADE - CATEQUISTAS.pptx
ESPIRITUALIDADE - CATEQUISTAS.pptxESPIRITUALIDADE - CATEQUISTAS.pptx
ESPIRITUALIDADE - CATEQUISTAS.pptx
TarcisioAugusto1
 
Capitulo 5 as virtudes sobrenaturais e os dons de santificação
Capitulo 5   as virtudes sobrenaturais e os dons de santificaçãoCapitulo 5   as virtudes sobrenaturais e os dons de santificação
Capitulo 5 as virtudes sobrenaturais e os dons de santificação
Klaus Newman
 
M7 ensino 01 02
M7 ensino 01 02M7 ensino 01 02
Oração e santidade! mateus 6.9
Oração e santidade!  mateus 6.9Oração e santidade!  mateus 6.9
Oração e santidade! mateus 6.9
Joel Manhaes
 
Apostila 18
Apostila 18Apostila 18
Apostila 18
Omar Gebara
 
Teologia
TeologiaTeologia
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Éder Tomé
 
01 identidade-da-rcc
01 identidade-da-rcc01 identidade-da-rcc
01 identidade-da-rcc
Marcelo Bernini
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
A GRAÇA TRANSFORMADORA
A GRAÇA TRANSFORMADORAA GRAÇA TRANSFORMADORA
A GRAÇA TRANSFORMADORA
paulodetarsopontes
 
A Fonte Aberta - O Mistério da Piedade Revelado - Richard Sibbes
A Fonte Aberta - O Mistério da Piedade Revelado - Richard SibbesA Fonte Aberta - O Mistério da Piedade Revelado - Richard Sibbes
A Fonte Aberta - O Mistério da Piedade Revelado - Richard Sibbes
Silvio Dutra
 
Adv apresentação-2014
Adv   apresentação-2014Adv   apresentação-2014
Adv apresentação-2014
Grupo Adv Jovem
 
Santidade
SantidadeSantidade
Santidade
PR MARCIO
 

Semelhante a Os 7 Sacramentos Católicos (20)

25 Os Sete Sacramentos Da Igreja
25  Os Sete Sacramentos Da Igreja25  Os Sete Sacramentos Da Igreja
25 Os Sete Sacramentos Da Igreja
 
Cateq pt 25
Cateq pt 25Cateq pt 25
Cateq pt 25
 
Preparação para o Crisma.pptx
Preparação para o Crisma.pptxPreparação para o Crisma.pptx
Preparação para o Crisma.pptx
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
 
O espirito santo de deus
O  espirito  santo  de  deusO  espirito  santo  de  deus
O espirito santo de deus
 
ESPIRITUALIDADE - CATEQUISTAS.pptx
ESPIRITUALIDADE - CATEQUISTAS.pptxESPIRITUALIDADE - CATEQUISTAS.pptx
ESPIRITUALIDADE - CATEQUISTAS.pptx
 
Capitulo 5 as virtudes sobrenaturais e os dons de santificação
Capitulo 5   as virtudes sobrenaturais e os dons de santificaçãoCapitulo 5   as virtudes sobrenaturais e os dons de santificação
Capitulo 5 as virtudes sobrenaturais e os dons de santificação
 
M7 ensino 01 02
M7 ensino 01 02M7 ensino 01 02
M7 ensino 01 02
 
Oração e santidade! mateus 6.9
Oração e santidade!  mateus 6.9Oração e santidade!  mateus 6.9
Oração e santidade! mateus 6.9
 
Apostila 18
Apostila 18Apostila 18
Apostila 18
 
Teologia
TeologiaTeologia
Teologia
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
 
01 identidade-da-rcc
01 identidade-da-rcc01 identidade-da-rcc
01 identidade-da-rcc
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
A GRAÇA TRANSFORMADORA
A GRAÇA TRANSFORMADORAA GRAÇA TRANSFORMADORA
A GRAÇA TRANSFORMADORA
 
A Fonte Aberta - O Mistério da Piedade Revelado - Richard Sibbes
A Fonte Aberta - O Mistério da Piedade Revelado - Richard SibbesA Fonte Aberta - O Mistério da Piedade Revelado - Richard Sibbes
A Fonte Aberta - O Mistério da Piedade Revelado - Richard Sibbes
 
Adv apresentação-2014
Adv   apresentação-2014Adv   apresentação-2014
Adv apresentação-2014
 
Santidade
SantidadeSantidade
Santidade
 

Último

10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
GuilhermeCerqueira17
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
LEILANEGOUVEIA1
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 

Último (14)

10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 

Os 7 Sacramentos Católicos

  • 1. Os 7 SacramentosOs 7 Sacramentos Catequese 2005Catequese 2005 Capela N.Sa.Aparecida eCapela N.Sa.Aparecida e Sta. EdwigesSta. Edwiges
  • 3. Entendendo melhor...Entendendo melhor... • Para entender melhor o efeito dos sacramentos podemos compará-los com a vida natural, vendo que na ordem da graça: – nascemos para a vida sobrenatural pelo Batismo, – nós nos fortalecemos pela Confirmação, – mantemos a vida com o alimento da Eucaristia, – se perdemos a vida da graça pelo pecado, a recuperamos pela Penitência, – e com a Unção dos Enfermos nos preparamos para a viagem que acabará no céu. Para socorrer as necessidades da Igreja como sociedade, temos o sacramento da: – Ordem sacerdotal, que institui os ministros da Igreja, – Matrimônio, que com os filhos perpetua a sociedade humana e faz crescer a Igreja quando estes são regenerados pelo batismo.
  • 4. IDÉIAS PRINCIPAIS: Os sacramentos são sinais sensíveis e eficazes da graça, instituídos por Jesus Cristo e confiados à Igreja, através dos quais nos é dispensada a vida divina. Sinal sensível é uma coisa conhecida que manifesta outra menos conhecida. Ex.: se vejo fumaça, descubro que existe fogo. Mas dizemos também sinal eficaz porque o sacramento não só significa, mas que produz a graça (a fumaça só significa fogo, mas não o produz). 1. O que são os sacramentos?
  • 5. Podemos nos perguntar por que Cristo quis fazer assim as coisas? - Ele pode comunicar a graça diretamente, sem recorrer a nenhum meio sensível, ainda que tenha querido acomodar-se a nossa maneira de ser, dando-nos os dons divinos por meio de realidades materiais que usamos, para que fosse mais fácil para nós consegui-los. No batismo, por exemplo, assim como a água purifica naturalmente, o sacramento purifica: o sacramento lava e limpa sobrenaturalmente a alma, tirando o pecado original e qualquer outro pecado que possa existir, mediante a infusão da graça. 2. O porque da instituição dos sacramentos
  • 6. A pedagogia de Cristo nos ensina...A pedagogia de Cristo nos ensina... • Esta foi a pedagogia de Cristo durante sua vida pública, servindo-seEsta foi a pedagogia de Cristo durante sua vida pública, servindo-se de coisas naturais, de ações externas e de palavras. Tocou comde coisas naturais, de ações externas e de palavras. Tocou com sua mão o leproso e lhe disse; "sua mão o leproso e lhe disse; "Quero, fica limpo"Quero, fica limpo" (Mateus 8,3);(Mateus 8,3); untou com barro os olhos do cego de nascimento e ele recuperou auntou com barro os olhos do cego de nascimento e ele recuperou a vista (cf. João 9,6-7); para comunicar aos Apóstolos o poder devista (cf. João 9,6-7); para comunicar aos Apóstolos o poder de perdoar os pecados, soprou sobre eles e pronunciou umas palavrasperdoar os pecados, soprou sobre eles e pronunciou umas palavras (cf. João 20,22).(cf. João 20,22). • Assim como a Santíssima Humanidade de Cristo é o instrumentoAssim como a Santíssima Humanidade de Cristo é o instrumento único à Divindadeúnico à Divindade de que se serve o Verbo para realizar ade que se serve o Verbo para realizar a Redenção da humanidade, assim as coisas ou ações dosRedenção da humanidade, assim as coisas ou ações dos sacramentos são os instrumentossacramentos são os instrumentos separadosseparados pelos quais Deus nospelos quais Deus nos santifica, acomodando-se a nossa maneira de ser e de entender.santifica, acomodando-se a nossa maneira de ser e de entender.
  • 7. 3. Jesus Cristo instituiu os 7 sacramentos3. Jesus Cristo instituiu os 7 sacramentos • Todos os sacramentos foram instituídos porTodos os sacramentos foram instituídos por Jesus Cristo -que é o autor da graça e podeJesus Cristo -que é o autor da graça e pode comunicá-la por meio de sinais sensíveis - ecomunicá-la por meio de sinais sensíveis - e eficazes que são sete:eficazes que são sete: – Batismo, Confirmação, Eucaristia, Penitência,Batismo, Confirmação, Eucaristia, Penitência, Unção dos Enfermos, Ordem e Matrimônio.Unção dos Enfermos, Ordem e Matrimônio. – Nos sete sacramentos estão atendidas todas asNos sete sacramentos estão atendidas todas as necessidades da vida sobrenatural do cristão.necessidades da vida sobrenatural do cristão.
  • 8. 4.4. Os sacramentos da IgrejaOs sacramentos da Igreja • Cristo confiou os sacramentos a suaCristo confiou os sacramentos a sua Igreja, e podemos dizer que são "daIgreja, e podemos dizer que são "da Igreja" em um duplo sentido: a Igreja fazIgreja" em um duplo sentido: a Igreja faz ou administra ou celebra os sacramentos,ou administra ou celebra os sacramentos, e os sacramentos constroem a Igreja (oe os sacramentos constroem a Igreja (o batismo gera novos filhos da Igreja, etc..).batismo gera novos filhos da Igreja, etc..). Existem, pois, por ela e para ela.Existem, pois, por ela e para ela.
  • 9. 5.5. Os sacramentos da féOs sacramentos da fé • Os sacramentos estão ordenados àOs sacramentos estão ordenados à santificação dos homens, à edificação dosantificação dos homens, à edificação do Corpo de Cristo e, em definitivo, a darCorpo de Cristo e, em definitivo, a dar culto a Deus, mas como sinais, temculto a Deus, mas como sinais, tem também uma finalidade instrutiva. Não sótambém uma finalidade instrutiva. Não só supõem a fé, também a fortalecem, asupõem a fé, também a fortalecem, a alimentam e a expressam com palavras ealimentam e a expressam com palavras e ações; por isso são chamadosações; por isso são chamados sacramentos da fé.sacramentos da fé.
  • 10. 6.6. Efeitos dos sacramentosEfeitos dos sacramentos • Os sacramentos, se são recebidos com as disposições requeridas,Os sacramentos, se são recebidos com as disposições requeridas, produzem como fruto:produzem como fruto: • Graça santificanteGraça santificante .. Os sacramentos dão ou aumentam a graçaOs sacramentos dão ou aumentam a graça santificante. O batismo e a penitência dão a graça; os outros cincosantificante. O batismo e a penitência dão a graça; os outros cinco aumentam a graça santificante e só se devem recebê-los estando na graçaaumentam a graça santificante e só se devem recebê-los estando na graça de Deus. Aquele que os recebe em pecado mortal comete pecado dede Deus. Aquele que os recebe em pecado mortal comete pecado de sacrilégio.sacrilégio. • Graça sacramentalGraça sacramental .. Além da graça santificante que concedem osAlém da graça santificante que concedem os sacramentos, cada um outorga algo especial que chamamossacramentos, cada um outorga algo especial que chamamos graçagraça sacramentalsacramental. É um direito de receber de Deus, no momento oportuno, a. É um direito de receber de Deus, no momento oportuno, a ajuda necessária para cumprir as obrigações contraídas ao receber aqueleajuda necessária para cumprir as obrigações contraídas ao receber aquele sacramento. Assim, o batismo dá a graça especial para viver como bonssacramento. Assim, o batismo dá a graça especial para viver como bons filhos de Deus; a confirmação concede a força e o valor para confessar efilhos de Deus; a confirmação concede a força e o valor para confessar e defender a fé até a morte, se for preciso; o matrimonio, para que osdefender a fé até a morte, se for preciso; o matrimonio, para que os cônjuges sejam bons esposos e eduquem de forma cristã os filhos; etc.cônjuges sejam bons esposos e eduquem de forma cristã os filhos; etc. • CaráterCaráter.. O batismo, confirmação e ordem sacerdotal concedem, alémO batismo, confirmação e ordem sacerdotal concedem, além disso, o caráter, que é um sinal espiritual e indelével que confere umadisso, o caráter, que é um sinal espiritual e indelével que confere uma peculiar participação no sacerdócio de Cristo. Por isso, estes sacramentospeculiar participação no sacerdócio de Cristo. Por isso, estes sacramentos só se recebem uma única vez.só se recebem uma única vez.
  • 11. 7. De que se compõe um sacramento7. De que se compõe um sacramento • Um sacramento se compõe deUm sacramento se compõe de matéria,matéria, forma e o ministroforma e o ministro que o realiza com aque o realiza com a intenção de fazer o que faz a Igreja:intenção de fazer o que faz a Igreja: – A matériaA matéria é a realidade ou ação sensível,é a realidade ou ação sensível, como a água natural no batismo, os atos docomo a água natural no batismo, os atos do penitente na confissão (contrição, confissão epenitente na confissão (contrição, confissão e satisfação).satisfação). – A formaA forma são as palavras que, ao fazê-lo, sesão as palavras que, ao fazê-lo, se pronunciam.pronunciam. – OO ministroministro é a pessoa que faz ou administraé a pessoa que faz ou administra o sacramento.o sacramento.
  • 12. 8. Diversidade de sacramentos8. Diversidade de sacramentos • Seguindo a analogia entre vida natural e etapas da vida sobrenatural,Seguindo a analogia entre vida natural e etapas da vida sobrenatural, podem-se distinguir nos sacramentos, três grupos distintos:podem-se distinguir nos sacramentos, três grupos distintos: • a)a) Sacramentos daSacramentos da iniciação cristãiniciação cristã:: Batismo, Confirmação e Eucaristia, queBatismo, Confirmação e Eucaristia, que põem os fundamentos da vida cristã e comunicam a vida nova em Cristo.põem os fundamentos da vida cristã e comunicam a vida nova em Cristo. • b)b) Sacramentos deSacramentos de curacura:: Penitência e Unção dos Enfermos, que curam oPenitência e Unção dos Enfermos, que curam o pecado e as feridas da nossa debilidade.pecado e as feridas da nossa debilidade. • c)c) Sacramentos aSacramentos a serviço da comunidade:serviço da comunidade: Ordem sacerdotal e Matrimônio,Ordem sacerdotal e Matrimônio, estabelecidos para socorrer as necessidades da comunidade cristã e daestabelecidos para socorrer as necessidades da comunidade cristã e da sociedade humana.sociedade humana. • Os sacramentos formam um organismo no qual cada um deles tem suaOs sacramentos formam um organismo no qual cada um deles tem sua função vital. A Eucaristia ocupa um lugar único, enquanto "sacramento dosfunção vital. A Eucaristia ocupa um lugar único, enquanto "sacramento dos sacramentos".sacramentos". Podemos dizer com Santo Tomás de Aquino que "todos osPodemos dizer com Santo Tomás de Aquino que "todos os outros sacramentos estão ordenados para a Eucaristia como seu fim".outros sacramentos estão ordenados para a Eucaristia como seu fim".

Notas do Editor

  1. Esta foi a pedagogia de Cristo durante sua vida pública, servindo-se de coisas naturais, de ações externas e de palavras. Tocou com sua mão o leproso e lhe disse; "Quero, fica limpo" (Mateus 8,3); untou com barro os olhos do cego de nascimento e ele recuperou a vista (cf. João 9,6-7); para comunicar aos Apóstolos o poder de perdoar os pecados, soprou sobre eles e pronunciou umas palavras (cf. João 20,22). Assim como a Santíssima Humanidade de Cristo é o instrumento único à Divindade de que se serve o Verbo para realizar a Redenção da humanidade, assim as coisas ou ações dos sacramentos são os instrumentos separados pelos quais Deus nos santifica, acomodando-se a nossa maneira de ser e de entender.
  2. Esta foi a pedagogia de Cristo durante sua vida pública, servindo-se de coisas naturais, de ações externas e de palavras. Tocou com sua mão o leproso e lhe disse; "Quero, fica limpo" (Mateus 8,3); untou com barro os olhos do cego de nascimento e ele recuperou a vista (cf. João 9,6-7); para comunicar aos Apóstolos o poder de perdoar os pecados, soprou sobre eles e pronunciou umas palavras (cf. João 20,22). Assim como a Santíssima Humanidade de Cristo é o instrumento único à Divindade de que se serve o Verbo para realizar a Redenção da humanidade, assim as coisas ou ações dos sacramentos são os instrumentos separados pelos quais Deus nos santifica, acomodando-se a nossa maneira de ser e de entender.