SlideShare uma empresa Scribd logo
Ordem e Matrimonio
A Ordem e o Matrimônio
são sacramentos
instituídos para os outros.
Estes sacramentos visam
a construção do Povo de
Deus.
É através deste sacramento que a missão
confiada por Cristo aos seus Apóstolos continua
a ser exercida na Igreja, até ao fim dos tempos.
Ordem indica um corpo eclesial, do qual se
passa a fazer parte, através de uma consagração
(Ordenação), a qual, por um particular dom do
Espírito Santo, permite exercer um poder
sagrado em nome e com autoridade de Cristo
para o serviço do povo de Deus.
Qualquer homem
batizado e católico que
a Igreja chamar.
Ninguém pode exigir a
recepção deste
sacramento.
Compete aos Bispos,
sucessores dos
Apóstolos, conferir os
graus da Ordem.
O sacramento da Ordem é composto por
três graus:
DIACONADO
PRESBÍTERADO
EPISCOPADO
Por excelência o ministro da Palavra;
O Diácono pode: proclamar o Evangelho,
preparar o Altar, assistir casamentos, dar
bênçãos e realizar batizados e exéquias.
“...tal como na Igreja primitiva, que haja, ao lado
dos Presbíteros, pessoas que assumam
sobretudo tarefas eclesiais de teor sociopastoral.”
Exercerá seu ministério
numa Igreja Particular, em
comunhão com o Bispo.
Anunciará a Palavra de
Deus, celebrará os
sacramentos e presidirá
principalmente à Sagrada
Eucaristia.
Possuidor da plenitude do sacramento da Ordem,
é sucessor dos Apóstolos.
A Igreja o encarrega dos serviços do ensino, da
santificação e da direção, já que a ele é confiada
uma Igreja Particular, onde desempenhará seu
ministério pastoral, ajudado pelos padres e
diáconos; é o ponto de unidade dessa Igreja.
Somente o Bispo pode conceder o sacramento
da Ordem.
Ordem e Matrimonio
A Igreja Católica
Romana exige esta
forma de vida dos seus
bispos e padres; as
Igrejas Católicas
Orientais, apenas de
seus bispos.
O diaconado
permanente pode ser
conferido a homens
casados.
Deus dispôs o homem e a mulher um para o
outro “de modo que já não são dois, mas uma só
carne” (Mt19,6).
Assim, devem viver no amor, ser fecundos e
tornar-se sinal de Deus.
A união matrimonial do homem e da mulher,
fundada e dotada de leis próprias pelo Criador,
está por sua natureza ordenada à comunhão e
ao bem do casal e à geração e bem dos filhos.
Segundo desígnio ordinário de Deus, a união
matrimonial é indissolúvel “O que Deus uniu o
homem não separe” (Mc 10,9).
É a vontade de se entregar
mútua e definitivamente,
com o objetivo de viver uma
aliança de amor fiel e
fecundo.
É indispensável e
insubstituível, para que o
Matrimônio seja válido;
deve ser um ato humano,
consciente e livre.
Sua celebração litúrgica
é pública; os ministros
são, um para o outro,
homem e mulher; na
presença do sacerdote
(ou testemunha
qualificada pela Igreja)
para que este invoque a
benção de Deus para o
casal; e demais
testemunhas.
O sacramento do
Matrimônio gera entre o
casal um vínculo
perpétuo e exclusivo. O
próprio Deus sela o
consenso dos esposos.
Portanto, o Matrimônio
concluído e consumado
jamais pode ser
dissolvido.
A Igreja admite a separação física dos esposos,
por motivos graves.
Mas eles, enquanto vive o cônjuge, não estão
livres para contrair uma nova união, a menos que
seu Matrimônio seja nulo, de acordo com o CDC
(cânones 1055 a 1124), e como tal seja
declarada pela autoridade eclesiástica.
Adultério e poligamia;
Rejeição da fecundidade;
Divórcio;
Fiel ao Senhor, a Igreja não pode reconhecer
como Matrimônio a união dos divorciados
recasados civilmente.
“Se alguém repudia sua mulher e se casa com
outra, é adúltero com respeito à primeira; e se a
mulher repudia seu marido e se casa com outro,
ela é adultera” (Mc 10, 11-12)
Eles não podem receber a absolvição
sacramental, nem se aproximar da comunhão
eucarística.
“A Igreja, contudo, reafirma a sua
práxis, fundada na Sagrada
Escritura, de não admitir à
comunhão eucarística os divorciados
que contraíram nova união. (...), do
momento em que seu estado e
condições de vida contradizem
objetivamente aquela união de amor
entre Cristo e a Igreja, significada e
atuada na Eucaristia.”
“... Proíbe os pastores, por qualquer motivo ou
pretexto mesmo pastoral, de fazer em favor dos
divorciados que contraem um nova união,
cerimônias de qualquer gênero. Estas dariam a
impressão de celebração de novas núpcias
sacramentais válidas, e consequentemente
induziriam em erro sobre a indissolubilidade do
matrimônio contraído validamente.”
Ordem e Matrimonio
“As uniões estáveis entre pessoas do mesmo
sexo recebem agora em nosso país
reconhecimento de Estado. Tais uniões não
podem ser equiparadas à família, que se
fundamenta no consentimento matrimonial, na
complementaridade e na reciprocidade entre um
homem e uma mulher, abertos à procriação e
educação dos filhos”.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Comunhão e mutualidade
Comunhão e  mutualidadeComunhão e  mutualidade
Comunhão e mutualidade
Cleudson Corrêa
 
O Verdadeiro Batismo Biblico
O Verdadeiro Batismo BiblicoO Verdadeiro Batismo Biblico
O Verdadeiro Batismo Biblico
ASD Remanescentes
 
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
Catequese Anjos dos Céus
 
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristãItinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
lomes
 
Maria
MariaMaria
Discipulos de Emaús.ppt
Discipulos de Emaús.pptDiscipulos de Emaús.ppt
Discipulos de Emaús.ppt
Mário Tito Almeida
 
Missa parte a parte
Missa parte a parteMissa parte a parte
Missa parte a parte
paroquianogueira
 
A missa– parte por parte
A missa– parte por parteA missa– parte por parte
A missa– parte por parte
Jean
 
Mas, quem é maria
Mas, quem é mariaMas, quem é maria
Mas, quem é maria
Eliane E. de oliveira
 
Espiritualidade crista
 Espiritualidade crista  Espiritualidade crista
Espiritualidade crista
luciano
 
Catequese iniciacao a vida cristã ii
Catequese   iniciacao a vida cristã iiCatequese   iniciacao a vida cristã ii
Catequese iniciacao a vida cristã ii
Henrique Fernandes de Souza
 
22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços
22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços
22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços
Catequese Anjos dos Céus
 
A Quaresma
A QuaresmaA Quaresma
A Quaresma
Daniel Junior
 
Concílio Vaticano II - 50 Anos
Concílio Vaticano II - 50 AnosConcílio Vaticano II - 50 Anos
Concílio Vaticano II - 50 Anos
Rubens Júnior
 
Mistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistérioMistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistério
Fábio Vasconcelos
 
Documento 19 - CNBB
Documento 19 - CNBBDocumento 19 - CNBB
Documento 19 - CNBB
Flávia Valéria Duarte Silva
 
Formação de catequistas
Formação de catequistasFormação de catequistas
Formação de catequistas
sheilajo
 
Oração do pai nosso
Oração do pai nossoOração do pai nosso
Oração do pai nosso
Daniel de Carvalho Luz
 
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de CatequeseCNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
Luís Miguel Rodrigues
 
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianosOs sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
Presentepravoce SOS
 

Mais procurados (20)

Comunhão e mutualidade
Comunhão e  mutualidadeComunhão e  mutualidade
Comunhão e mutualidade
 
O Verdadeiro Batismo Biblico
O Verdadeiro Batismo BiblicoO Verdadeiro Batismo Biblico
O Verdadeiro Batismo Biblico
 
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
 
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristãItinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
 
Maria
MariaMaria
Maria
 
Discipulos de Emaús.ppt
Discipulos de Emaús.pptDiscipulos de Emaús.ppt
Discipulos de Emaús.ppt
 
Missa parte a parte
Missa parte a parteMissa parte a parte
Missa parte a parte
 
A missa– parte por parte
A missa– parte por parteA missa– parte por parte
A missa– parte por parte
 
Mas, quem é maria
Mas, quem é mariaMas, quem é maria
Mas, quem é maria
 
Espiritualidade crista
 Espiritualidade crista  Espiritualidade crista
Espiritualidade crista
 
Catequese iniciacao a vida cristã ii
Catequese   iniciacao a vida cristã iiCatequese   iniciacao a vida cristã ii
Catequese iniciacao a vida cristã ii
 
22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços
22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços
22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços
 
A Quaresma
A QuaresmaA Quaresma
A Quaresma
 
Concílio Vaticano II - 50 Anos
Concílio Vaticano II - 50 AnosConcílio Vaticano II - 50 Anos
Concílio Vaticano II - 50 Anos
 
Mistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistérioMistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistério
 
Documento 19 - CNBB
Documento 19 - CNBBDocumento 19 - CNBB
Documento 19 - CNBB
 
Formação de catequistas
Formação de catequistasFormação de catequistas
Formação de catequistas
 
Oração do pai nosso
Oração do pai nossoOração do pai nosso
Oração do pai nosso
 
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de CatequeseCNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
 
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianosOs sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
Os sacramentos-de-iniciação-cristã-salesianos
 

Destaque

O sacramento do matrimônio
O sacramento do matrimônioO sacramento do matrimônio
O sacramento do matrimônio
Presentepravoce SOS
 
Eucaristia
EucaristiaEucaristia
Eucaristia
Jean
 
Sacramento da eucaristia
Sacramento da eucaristiaSacramento da eucaristia
Sacramento da eucaristia
Jorge Pereira
 
Matrimónio
MatrimónioMatrimónio
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhosOs sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
Catequese Panatis
 
Os 7 Sacramentos Católicos
Os 7 Sacramentos CatólicosOs 7 Sacramentos Católicos
Os 7 Sacramentos Católicos
Adalberto Queiroz
 
Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01
Rubens Júnior
 
Introdução aos sacramentos
Introdução aos sacramentosIntrodução aos sacramentos
Introdução aos sacramentos
Jean
 
Crisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoCrisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativo
Rafael Maciel
 
Passo a passo para baixar slides
Passo a passo para baixar slidesPasso a passo para baixar slides
Passo a passo para baixar slides
Dênia Cavalcante
 

Destaque (10)

O sacramento do matrimônio
O sacramento do matrimônioO sacramento do matrimônio
O sacramento do matrimônio
 
Eucaristia
EucaristiaEucaristia
Eucaristia
 
Sacramento da eucaristia
Sacramento da eucaristiaSacramento da eucaristia
Sacramento da eucaristia
 
Matrimónio
MatrimónioMatrimónio
Matrimónio
 
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhosOs sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
 
Os 7 Sacramentos Católicos
Os 7 Sacramentos CatólicosOs 7 Sacramentos Católicos
Os 7 Sacramentos Católicos
 
Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01
 
Introdução aos sacramentos
Introdução aos sacramentosIntrodução aos sacramentos
Introdução aos sacramentos
 
Crisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoCrisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativo
 
Passo a passo para baixar slides
Passo a passo para baixar slidesPasso a passo para baixar slides
Passo a passo para baixar slides
 

Semelhante a Ordem e Matrimonio

16 - ist - a vida cristã - ao serviço da comunhão
16 - ist - a vida cristã - ao serviço da comunhão16 - ist - a vida cristã - ao serviço da comunhão
16 - ist - a vida cristã - ao serviço da comunhão
Léo Mendonça
 
Sexualidade e castidade
Sexualidade e castidadeSexualidade e castidade
Sexualidade e castidade
RCCPBJovem
 
Rica
RicaRica
Matrimonio (1)
Matrimonio (1)Matrimonio (1)
Matrimonio (1)
Maria Dias
 
Hf p xii-enc_sacra-virginitas
Hf p xii-enc_sacra-virginitasHf p xii-enc_sacra-virginitas
Hf p xii-enc_sacra-virginitas
Daniel Linhares
 
Decreto Apostolicam Actuositatem
Decreto Apostolicam ActuositatemDecreto Apostolicam Actuositatem
Decreto Apostolicam Actuositatem
José Vieira Dos Santos
 
Apostolicam actuositatem
Apostolicam actuositatemApostolicam actuositatem
Apostolicam actuositatem
Elaine Ribeiro
 
Celebração do Matrimónio
 Celebração do Matrimónio Celebração do Matrimónio
Celebração do Matrimónio
paroquiadealcobaca
 
Os sacramentos da igreja - Aula 12
Os sacramentos da igreja - Aula 12Os sacramentos da igreja - Aula 12
Os sacramentos da igreja - Aula 12
Rubens Júnior
 
Vocação
VocaçãoVocação
Vocação
Martin M Flynn
 
Os sacramentos da igreja - Aula 11
Os sacramentos da igreja - Aula 11Os sacramentos da igreja - Aula 11
Os sacramentos da igreja - Aula 11
Rubens Júnior
 
Constituiã‡ãƒo apostã“lica provida mater ecclesia
Constituiã‡ãƒo apostã“lica provida mater ecclesiaConstituiã‡ãƒo apostã“lica provida mater ecclesia
Constituiã‡ãƒo apostã“lica provida mater ecclesia
cnisbrasil
 
Celebração do Baptismo
 Celebração do Baptismo Celebração do Baptismo
Celebração do Baptismo
paroquiadealcobaca
 
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdfI. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
FreiSauloSilva
 
Os 7 sacramentos
Os 7 sacramentosOs 7 sacramentos
Os 7 sacramentos
torrasko
 
Tríduo da família 1º dia dsd_matrimônio
Tríduo da família 1º dia dsd_matrimônioTríduo da família 1º dia dsd_matrimônio
Tríduo da família 1º dia dsd_matrimônio
José Neto de França
 
Amoris Laetitia 3 + 4 (Portuguese).pptx
Amoris Laetitia 3 + 4 (Portuguese).pptxAmoris Laetitia 3 + 4 (Portuguese).pptx
Amoris Laetitia 3 + 4 (Portuguese).pptx
Martin M Flynn
 
Reunião Mensaal de Pastoral - Decreto presbiterorum ordinis (po) simplificado
Reunião Mensaal de Pastoral - Decreto presbiterorum ordinis (po)   simplificadoReunião Mensaal de Pastoral - Decreto presbiterorum ordinis (po)   simplificado
Reunião Mensaal de Pastoral - Decreto presbiterorum ordinis (po) simplificado
Kamila Mendonça
 
Palestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdf
Palestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdfPalestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdf
Palestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdf
mpaffetti
 
Fundaçaõ institucional
Fundaçaõ institucionalFundaçaõ institucional
Fundaçaõ institucional
GUMBALLWATTERSON1
 

Semelhante a Ordem e Matrimonio (20)

16 - ist - a vida cristã - ao serviço da comunhão
16 - ist - a vida cristã - ao serviço da comunhão16 - ist - a vida cristã - ao serviço da comunhão
16 - ist - a vida cristã - ao serviço da comunhão
 
Sexualidade e castidade
Sexualidade e castidadeSexualidade e castidade
Sexualidade e castidade
 
Rica
RicaRica
Rica
 
Matrimonio (1)
Matrimonio (1)Matrimonio (1)
Matrimonio (1)
 
Hf p xii-enc_sacra-virginitas
Hf p xii-enc_sacra-virginitasHf p xii-enc_sacra-virginitas
Hf p xii-enc_sacra-virginitas
 
Decreto Apostolicam Actuositatem
Decreto Apostolicam ActuositatemDecreto Apostolicam Actuositatem
Decreto Apostolicam Actuositatem
 
Apostolicam actuositatem
Apostolicam actuositatemApostolicam actuositatem
Apostolicam actuositatem
 
Celebração do Matrimónio
 Celebração do Matrimónio Celebração do Matrimónio
Celebração do Matrimónio
 
Os sacramentos da igreja - Aula 12
Os sacramentos da igreja - Aula 12Os sacramentos da igreja - Aula 12
Os sacramentos da igreja - Aula 12
 
Vocação
VocaçãoVocação
Vocação
 
Os sacramentos da igreja - Aula 11
Os sacramentos da igreja - Aula 11Os sacramentos da igreja - Aula 11
Os sacramentos da igreja - Aula 11
 
Constituiã‡ãƒo apostã“lica provida mater ecclesia
Constituiã‡ãƒo apostã“lica provida mater ecclesiaConstituiã‡ãƒo apostã“lica provida mater ecclesia
Constituiã‡ãƒo apostã“lica provida mater ecclesia
 
Celebração do Baptismo
 Celebração do Baptismo Celebração do Baptismo
Celebração do Baptismo
 
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdfI. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
 
Os 7 sacramentos
Os 7 sacramentosOs 7 sacramentos
Os 7 sacramentos
 
Tríduo da família 1º dia dsd_matrimônio
Tríduo da família 1º dia dsd_matrimônioTríduo da família 1º dia dsd_matrimônio
Tríduo da família 1º dia dsd_matrimônio
 
Amoris Laetitia 3 + 4 (Portuguese).pptx
Amoris Laetitia 3 + 4 (Portuguese).pptxAmoris Laetitia 3 + 4 (Portuguese).pptx
Amoris Laetitia 3 + 4 (Portuguese).pptx
 
Reunião Mensaal de Pastoral - Decreto presbiterorum ordinis (po) simplificado
Reunião Mensaal de Pastoral - Decreto presbiterorum ordinis (po)   simplificadoReunião Mensaal de Pastoral - Decreto presbiterorum ordinis (po)   simplificado
Reunião Mensaal de Pastoral - Decreto presbiterorum ordinis (po) simplificado
 
Palestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdf
Palestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdfPalestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdf
Palestra ECC Vivencia Sacramento Matrimônio .pdf
 
Fundaçaõ institucional
Fundaçaõ institucionalFundaçaõ institucional
Fundaçaõ institucional
 

Último

Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
luartfelt
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
AlexandreJr7
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
mfixa3824
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 

Último (20)

Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 

Ordem e Matrimonio

  • 2. A Ordem e o Matrimônio são sacramentos instituídos para os outros. Estes sacramentos visam a construção do Povo de Deus.
  • 3. É através deste sacramento que a missão confiada por Cristo aos seus Apóstolos continua a ser exercida na Igreja, até ao fim dos tempos.
  • 4. Ordem indica um corpo eclesial, do qual se passa a fazer parte, através de uma consagração (Ordenação), a qual, por um particular dom do Espírito Santo, permite exercer um poder sagrado em nome e com autoridade de Cristo para o serviço do povo de Deus.
  • 5. Qualquer homem batizado e católico que a Igreja chamar. Ninguém pode exigir a recepção deste sacramento.
  • 6. Compete aos Bispos, sucessores dos Apóstolos, conferir os graus da Ordem.
  • 7. O sacramento da Ordem é composto por três graus: DIACONADO PRESBÍTERADO EPISCOPADO
  • 8. Por excelência o ministro da Palavra; O Diácono pode: proclamar o Evangelho, preparar o Altar, assistir casamentos, dar bênçãos e realizar batizados e exéquias. “...tal como na Igreja primitiva, que haja, ao lado dos Presbíteros, pessoas que assumam sobretudo tarefas eclesiais de teor sociopastoral.”
  • 9. Exercerá seu ministério numa Igreja Particular, em comunhão com o Bispo. Anunciará a Palavra de Deus, celebrará os sacramentos e presidirá principalmente à Sagrada Eucaristia.
  • 10. Possuidor da plenitude do sacramento da Ordem, é sucessor dos Apóstolos. A Igreja o encarrega dos serviços do ensino, da santificação e da direção, já que a ele é confiada uma Igreja Particular, onde desempenhará seu ministério pastoral, ajudado pelos padres e diáconos; é o ponto de unidade dessa Igreja. Somente o Bispo pode conceder o sacramento da Ordem.
  • 12. A Igreja Católica Romana exige esta forma de vida dos seus bispos e padres; as Igrejas Católicas Orientais, apenas de seus bispos. O diaconado permanente pode ser conferido a homens casados.
  • 13. Deus dispôs o homem e a mulher um para o outro “de modo que já não são dois, mas uma só carne” (Mt19,6). Assim, devem viver no amor, ser fecundos e tornar-se sinal de Deus.
  • 14. A união matrimonial do homem e da mulher, fundada e dotada de leis próprias pelo Criador, está por sua natureza ordenada à comunhão e ao bem do casal e à geração e bem dos filhos. Segundo desígnio ordinário de Deus, a união matrimonial é indissolúvel “O que Deus uniu o homem não separe” (Mc 10,9).
  • 15. É a vontade de se entregar mútua e definitivamente, com o objetivo de viver uma aliança de amor fiel e fecundo. É indispensável e insubstituível, para que o Matrimônio seja válido; deve ser um ato humano, consciente e livre.
  • 16. Sua celebração litúrgica é pública; os ministros são, um para o outro, homem e mulher; na presença do sacerdote (ou testemunha qualificada pela Igreja) para que este invoque a benção de Deus para o casal; e demais testemunhas.
  • 17. O sacramento do Matrimônio gera entre o casal um vínculo perpétuo e exclusivo. O próprio Deus sela o consenso dos esposos. Portanto, o Matrimônio concluído e consumado jamais pode ser dissolvido.
  • 18. A Igreja admite a separação física dos esposos, por motivos graves. Mas eles, enquanto vive o cônjuge, não estão livres para contrair uma nova união, a menos que seu Matrimônio seja nulo, de acordo com o CDC (cânones 1055 a 1124), e como tal seja declarada pela autoridade eclesiástica.
  • 19. Adultério e poligamia; Rejeição da fecundidade; Divórcio;
  • 20. Fiel ao Senhor, a Igreja não pode reconhecer como Matrimônio a união dos divorciados recasados civilmente. “Se alguém repudia sua mulher e se casa com outra, é adúltero com respeito à primeira; e se a mulher repudia seu marido e se casa com outro, ela é adultera” (Mc 10, 11-12) Eles não podem receber a absolvição sacramental, nem se aproximar da comunhão eucarística.
  • 21. “A Igreja, contudo, reafirma a sua práxis, fundada na Sagrada Escritura, de não admitir à comunhão eucarística os divorciados que contraíram nova união. (...), do momento em que seu estado e condições de vida contradizem objetivamente aquela união de amor entre Cristo e a Igreja, significada e atuada na Eucaristia.”
  • 22. “... Proíbe os pastores, por qualquer motivo ou pretexto mesmo pastoral, de fazer em favor dos divorciados que contraem um nova união, cerimônias de qualquer gênero. Estas dariam a impressão de celebração de novas núpcias sacramentais válidas, e consequentemente induziriam em erro sobre a indissolubilidade do matrimônio contraído validamente.”
  • 24. “As uniões estáveis entre pessoas do mesmo sexo recebem agora em nosso país reconhecimento de Estado. Tais uniões não podem ser equiparadas à família, que se fundamenta no consentimento matrimonial, na complementaridade e na reciprocidade entre um homem e uma mulher, abertos à procriação e educação dos filhos”.