SlideShare uma empresa Scribd logo
22 º
Encontro
Jesus disse; curai os doentes (cf Mt 10,8)
Jesus Cristo
instituiu este
sacramento
O sacramento da Unção dos
enfermos foi instituído por
Cristo, ainda que quem o
promulgou tenha sido o
Apóstolo São Tiago, que
mostra a Tradição da Igreja
quando diz: “Alguém de vós
está enfermo? Chame os
presbíteros da Igreja e orem
sobre ele, ungindo-o com o
óleo em nome do Senhor. A
oração da fé salvará o
enfermo, e o Senhor o
aliviará. E se tiver algum
pecado, lhe será perdoado”
(Tiago 5, 14-15).
JESUS CUIDA
DOS DOENTES
Pela sagrada Unção dos
Enfermos e pela oração
dos presbítero, a Igreja
toda entrega os doentes
aos cuidados do Senhor
sofredor e glorificado,
para que os alivie e
salve.
Exorta os mesmos a que
livremente se associem
à paixão e à morte de
Cristo e contribuam para
o bem do povo de Deus
O que é a Unção dos
enfermos?
Jesus Cristo deixou-nos um
remédio salutar para toda e
qualquer necessidade da
vida
sobrenatural, e nos últimos
momentos da existência o
demônio monta uma grande
batalha, necessitando a
alma de auxílios especiais.
Estes auxílios foram
vinculados por Jesus Cristo à
Unção dos enfermos,
sacramento instituído para o
alívio espiritual e também
corporal do cristão
gravemente enfermo. Por
este sacramento o cristão se
une a Jesus Cristo para ter
os mesmos sentimentos dele
frente à dor e à morte.
LIBERDADE NA
ACEITAÇÃO DO
SACRAMENTO
Um importante requisito para a
realização do Sacramento é a
vontade do doente querer
recebê-lo, ou seja, não adianta
a família querer impor algo que
o próprio doente não deseja
(isso não vale só para esse
Sacramento, mas sim para
todos os outros). A família pode
aconselhá-lo, chamar o padre à
casa do doente, mas não impor
o Sacramento sem a vontade e
a consciência do doente. Se o
doente querer e tiver a
consciência da importância do
Sacramento, aí sim, o
Sacramento terá muitos frutos
e graças.
"Então os discípulos partiram e pregaram para que as pessoas
se convertessem. Expulsavam muitos demônios e curavam
muitos doentes, ungido-os com óleo“
(cf. Mc 6, 12s), (Mat. 2.1-12).
Quantas vezes um cristão
pode receber o sacramento?
Quantas forem necessárias,
sempre que estiver em estado
grave. Pode recebê-lo inclusive
quando o estado grave se produz
com recaída de um estado anterior
pelo qual havia recebido o
sacramento.
Que efeitos tem a Unção dos
enfermos?
A unção une o enfermo à Paixão de
Cristo para seu bem e o de toda a
Igreja; obtém consolo, paz e
ânimo; obtém o perdão dos
pecados (se o enfermo não pôde
obtê-lo pelo sacramento da
reconciliação), restabelece a saúde
corporal (se convém à saúde
espiritual) e prepara para a
passagem para a vida eterna.
MISSÃO DA IGREJA EM
RELAÇÃO AOS DOENTES:
Afirma são Tiago em sua Carta:
“Alguém entre vós está triste? Reze!
Está alegre? Cante. Está alguém
enfermo? Chame os sacerdotes da
Igreja, e estes façam orações sobre
ele, ungindo-o com óleo em nome
do Senhor”. (Tg. 5. 13-14)
O ENFERMO É SALVO PELA
ORAÇÃO E PELA FÉ:
Afirma São Tiago: “A oração da Fé
salvará o enfermo e o senhor o
ressuscitará. Se ele cometeu
pecados, ser-lhe-ão perdoados.
Confessai os vossos pecados uns aos
outros e orai uns pelos outros para
serdes curados”. (Tg.5. 15-16).
A PASTORAL DA SAÚDE E A UNÇÃO DOS ENFERMOS
Na Igreja Católica, há a pastoral da saúde que são pessoas que visitam os doentes, podendo ministrar
orações, e entregar a comunhão ao doente. Recomenda-se que seja feita ao menos uma visita aos
enfermos, nos hospitais ou em suas casas, pelos agentes da Pastoral da Saúde, antes da vinda do
Sacerdote, a fim de os preparar para a recepção dos Sacramentos. Além das visitas comuns, os
agentes da Pastoral da Saúde, promovam também, se o doente desejar, breves Celebrações da Palavra
em suas residências ou nos quartos dos hospitais. Quando for ministrada a Sagrada Eucaristia, esta
Celebração é indispensável, devendo haver leitura bíblica, o Pai Nosso e outras orações apropriadas
O Matrimônio é o
sacramento que
santifica a união
indissolúvel entre
um homem e
uma mulher
cristãos, e
concede-lhe a
graça para
cumprir fielmente
seus deveres de
esposos e de
pais.
O Matrimônio foi instituído por Deus quando criou o homem e a mulher.
(Gn 2, 18-24)
JESUS CONFIRMA
A ALIANÇA DO MATRIMONIO
O sacramento do
Matrimônio
significa a união de
Cristo com a Igreja.
Concede aos
esposos a graça de
se amarem com o
mesmo amor com
que Cristo amou a
sua Igreja.
A aliança símbolo de união entre os
esposos que ficam unidos pelos laços do
Matrimônio
Pela "Aliança" se
considera que há uma
igualdade espiritual dos
esposos e a sua
capacidade exige uma
doação total da pessoa
um ao outro.
Essenciais do Matrimônio são:
unidade, indissolubilidade e abertura à
fecundidade.
EM CANÁ DA GALILÉIA, JESUS SE MANIFESTA
NUM CASAMENTO
No inicio de sua vida pública,
Jesus faz o seu primeiro sinal
- a pedido de sua Mãe Maria –
por ocasião de uma festa de
casamento.
A Igreja atribui grande
importância à presença de Jesus
nas núpcias de Caná.
Vê nela a confirmação de que o
casamento é uma realidade boa
e o anúncio de que, daí em
diante, será ele um sinal da
presença de Cristo.
O relato de São João sobre as Bodas de Caná (cap. 2,1-11) mostra claramente como
Jesus valoriza a família. Foi o Seu primeiro milagre, abençoando com Sua presença os
noivos, que pretendiam iniciar uma nova família. Ele quis iniciar o anúncio do Reino em
um casamento, mostrando que a família é importante para Ele.
O MATRIMÔNIO E O LAR CRISTÃO
O matrimônio pode ser
chamado também: a
consagração dos pais.
Pois este sacramento é
santificada a família e
consagrada ao Senhor
para ser um pequeno
santuário, uma Igreja
doméstica, onde pai e mãe
dentro do sacerdócio
comum dos fiéis realizam
a sua missão.
E o sacerdócio da família.
Jesus nos mostra a importância da família, com a sua família
__ A FAMILIA SAGRADA – JESUS MARIA JOSÉ __
O lar cristão
O DEVER DOS PAIS
Os pais devem fazer o acompanhamento dos filhos, procurar saber o
que está acontecendo com eles, tentar ajudá-los de várias maneiras:
com orientações, com atitudes exemplares, com o diálogo, com
orações. Sempre. Tanto em casa, como na escola, na vida religiosa e
social, nos namoros, entre outros.
A união sacramental de um casal é;
exclusiva
(um só homem
com uma só
mulher) e
indissolúvel
(até que a morte
os separe).
“Por isso, deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher e
os dois não serão senão uma só carne. Assim, já não são dois,
mas uma só carne. Não separe, pois, o homem o que Deus
uniu.“ Mc 10, 2-9
É o sacramento
graças ao qual a
missão confiada
por Cristo aos seus
Apóstolos continua
a ser exercida na
Igreja, até o final
dos tempos
permite exercer um poder sagrado em nome e com a autoridade de
Cristo para o serviço do povo de Deus.
Ordem indica um corpo eclesial,
do qual se passa a fazer parte,
mediante uma especial
consagração (Ordenação), a
qual, por um particular dom do
Espírito Santo,
Disse-lhes: 'Segue-me'. O homem levantou-se e o seguiu" (Mt 9, 9).
Compõe-se de três graus, que
são insubstituíveis para a
estrutura orgânica da Igreja:
 o episcopado,
 o presbiterado e
 o diaconato.
Só o batizado de sexo
masculino pode receber
validamente este sacramento: a
Igreja reconhece-se vinculada a
esta escolha feita pelo próprio
Senhor. Ninguém pode exigir a
recepção do sacramento da
Ordem, antes deve ser
considerado apto para o
ministério pela autoridade da
Igreja.
De quantos graus se compõe o sacramento da Ordem?
Como se celebra o sacramento da
Ordem?
Para cada um dos três graus, o
sacramento da Ordem é conferido pela
imposição das mãos sobre a cabeça do
ordinando por parte do Bispo, que
pronuncia a solene oração
consecratória. Com ela, o Bispo invoca
de Deus, para o ordinando, a especial
efusão do Espírito Santo e dos seus
dons, em ordem ao ministério.
Quem pode conferir este sacramento?
Compete aos Bispos validamente
ordenados, enquanto sucessores dos
Apóstolos, conferir os três graus do
sacramento da Ordem.
Quais são os efeitos do
sacramento da Ordem?
Este sacramento dá uma
especial efusão do Espírito
Santo, que configura o
ordenado a Cristo na sua
tríplice função de
Sacerdote, Profeta e Rei,
segundo os respectivos
graus do sacramento. A
ordenação confere um
carácter espiritual indelével:
por isso não pode ser
repetida nem conferida por
um tempo limitado.
JESUS
O SACERDOTE PERFEITO
Jesus veio para com o seu
sacrifício levar à plenitude os
sacrifícios da Antiga Aliança; por
isso, Ele aboliu o sacerdócio
levítico e fez-se Ele mesmo o
Único Sacerdote da Nova e
Eterna Aliança, de acordo com
Melquisedec, Rei e Sacerdote
(Hb 7,1-10; 10,4-10). Como
único Sacerdote ofereceu um
Único sacrifício, oblação perfeita
da sua vida da sua vontade,
entregues ao Pai. O seu Sim,
inspirado no amor a nós, apagou
o Não dito pelo primeiro homem
por falta de amor ao Pai.
O Sacerdote “in persona Cristo” tem a
missão de conduzir os fiéis a
Deus através dos Sacramentos;
• Batismo
• Eucaristia
• Confissão
• Crisma
• Unção dos Enfermos
• Matrimonio
• Ordem
A mis s ão
“Jesus te ama”
Horários das Missas aos
Domingos
7h, 8h30, 10h e 18h

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O sacramento do Crisma
O sacramento do CrismaO sacramento do Crisma
O sacramento do Crisma
António José Fonseca
 
O que é catequese
O que é catequeseO que é catequese
O que é catequese
Francisco Rodrigues
 
Introdução aos sacramentos 09.04.13
Introdução aos sacramentos   09.04.13Introdução aos sacramentos   09.04.13
Introdução aos sacramentos 09.04.13
Daiane Costa
 
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhosOs sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
Catequese Panatis
 
Ser cristão objetivo primeiro da catequese
Ser cristão   objetivo primeiro da catequeseSer cristão   objetivo primeiro da catequese
Ser cristão objetivo primeiro da catequese
Catequese Anjos dos Céus
 
Formação em Liturgia
Formação em LiturgiaFormação em Liturgia
Formação em Liturgia
iaymesobrino
 
Semana santa formação
Semana santa formaçãoSemana santa formação
Semana santa formação
mbsilva1971
 
Missa parte por_parte
Missa parte por_parteMissa parte por_parte
Missa parte por_parte
Presentepravoce SOS
 
Formação com Catequistas
Formação com CatequistasFormação com Catequistas
Formação com Catequistas
José Vieira Dos Santos
 
Crisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoCrisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativo
Rafael Maciel
 
25 Os Setes Sacramentos Da Igreja
25  Os Setes Sacramentos Da Igreja25  Os Setes Sacramentos Da Igreja
25 Os Setes Sacramentos Da Igreja
p1guarei
 
Rica
RicaRica
Preparação para batismo
Preparação para batismoPreparação para batismo
Preparação para batismo
Luciane tonete
 
Metologia na catequese
Metologia na catequeseMetologia na catequese
Metologia na catequese
Jorge Felliphe
 
Ordem e Matrimonio
Ordem e MatrimonioOrdem e Matrimonio
Ordem e Matrimonio
garzella
 
A espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequistaA espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequista
Francisco Rodrigues
 
Formação do batismo
Formação do batismoFormação do batismo
Formação do batismo
Henrique Avelar
 
Material de apoio à iniciação cristã
Material de apoio à iniciação cristãMaterial de apoio à iniciação cristã
Material de apoio à iniciação cristã
Catequese Anjos dos Céus
 
A santa missa parte por parte
A santa missa parte por parteA santa missa parte por parte
A santa missa parte por parte
Francisco Rodrigues
 
Os sacramentos da igreja - Aula 03
Os sacramentos da igreja - Aula 03Os sacramentos da igreja - Aula 03
Os sacramentos da igreja - Aula 03
Rubens Júnior
 

Mais procurados (20)

O sacramento do Crisma
O sacramento do CrismaO sacramento do Crisma
O sacramento do Crisma
 
O que é catequese
O que é catequeseO que é catequese
O que é catequese
 
Introdução aos sacramentos 09.04.13
Introdução aos sacramentos   09.04.13Introdução aos sacramentos   09.04.13
Introdução aos sacramentos 09.04.13
 
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhosOs sacramentos  -  1ª reunião de crismandos e padrinhos
Os sacramentos - 1ª reunião de crismandos e padrinhos
 
Ser cristão objetivo primeiro da catequese
Ser cristão   objetivo primeiro da catequeseSer cristão   objetivo primeiro da catequese
Ser cristão objetivo primeiro da catequese
 
Formação em Liturgia
Formação em LiturgiaFormação em Liturgia
Formação em Liturgia
 
Semana santa formação
Semana santa formaçãoSemana santa formação
Semana santa formação
 
Missa parte por_parte
Missa parte por_parteMissa parte por_parte
Missa parte por_parte
 
Formação com Catequistas
Formação com CatequistasFormação com Catequistas
Formação com Catequistas
 
Crisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoCrisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativo
 
25 Os Setes Sacramentos Da Igreja
25  Os Setes Sacramentos Da Igreja25  Os Setes Sacramentos Da Igreja
25 Os Setes Sacramentos Da Igreja
 
Rica
RicaRica
Rica
 
Preparação para batismo
Preparação para batismoPreparação para batismo
Preparação para batismo
 
Metologia na catequese
Metologia na catequeseMetologia na catequese
Metologia na catequese
 
Ordem e Matrimonio
Ordem e MatrimonioOrdem e Matrimonio
Ordem e Matrimonio
 
A espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequistaA espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequista
 
Formação do batismo
Formação do batismoFormação do batismo
Formação do batismo
 
Material de apoio à iniciação cristã
Material de apoio à iniciação cristãMaterial de apoio à iniciação cristã
Material de apoio à iniciação cristã
 
A santa missa parte por parte
A santa missa parte por parteA santa missa parte por parte
A santa missa parte por parte
 
Os sacramentos da igreja - Aula 03
Os sacramentos da igreja - Aula 03Os sacramentos da igreja - Aula 03
Os sacramentos da igreja - Aula 03
 

Destaque

17 encontro A Santa Ceia
17 encontro  A Santa Ceia17 encontro  A Santa Ceia
17 encontro A Santa Ceia
Catequese Anjos dos Céus
 
17º. Jesus nos fala por meio de histórias
17º. Jesus nos fala por meio de histórias17º. Jesus nos fala por meio de histórias
17º. Jesus nos fala por meio de histórias
Catequese Anjos dos Céus
 
A Historia Da Salvacao
A Historia Da SalvacaoA Historia Da Salvacao
A Historia Da Salvacao
JNR
 
A história da salvação
A história da salvaçãoA história da salvação
A história da salvação
Vinicio Pacifico
 
11 encontro nascimento de jesus-215
11 encontro nascimento de jesus-21511 encontro nascimento de jesus-215
11 encontro nascimento de jesus-215
Catequese Anjos dos Céus
 
Lição 1 - Introdução à História da Salvação
Lição 1 - Introdução à História da SalvaçãoLição 1 - Introdução à História da Salvação
Lição 1 - Introdução à História da Salvação
Cleonilson Freitas
 
2º Encontro Catequese - Igreja-Missa-Biblia
2º Encontro Catequese - Igreja-Missa-Biblia2º Encontro Catequese - Igreja-Missa-Biblia
2º Encontro Catequese - Igreja-Missa-Biblia
Catequese Anjos dos Céus
 
14ºEncontro - Jesus chama os Apostolos
14ºEncontro - Jesus chama os Apostolos14ºEncontro - Jesus chama os Apostolos
14ºEncontro - Jesus chama os Apostolos
Catequese Anjos dos Céus
 
Salvação dos Ricos
Salvação dos RicosSalvação dos Ricos
Salvação dos Ricos
igmateus
 
Quaresma e Semana Santa 2016
Quaresma e Semana Santa 2016Quaresma e Semana Santa 2016
Quaresma e Semana Santa 2016
Catequese Anjos dos Céus
 
A Modestia
A ModestiaA Modestia
10 encontro maria-2015
10 encontro   maria-201510 encontro   maria-2015
10 encontro maria-2015
Catequese Anjos dos Céus
 
13º Encontro Batismo de Jesus e sua missão
13º Encontro Batismo de Jesus e sua missão13º Encontro Batismo de Jesus e sua missão
13º Encontro Batismo de Jesus e sua missão
Catequese Anjos dos Céus
 
20º Encontro Santíssima Trindade
20º Encontro   Santíssima Trindade20º Encontro   Santíssima Trindade
20º Encontro Santíssima Trindade
Catequese Anjos dos Céus
 
8 encontro mandamento 7 8 9 10
8 encontro mandamento 7 8 9 108 encontro mandamento 7 8 9 10
8 encontro mandamento 7 8 9 10
Catequese Anjos dos Céus
 
12º encontro joao batista
12º encontro   joao batista12º encontro   joao batista
12º encontro joao batista
Catequese Anjos dos Céus
 
15º Encontro os Milagres de Jesus
15º Encontro os Milagres de Jesus15º Encontro os Milagres de Jesus
15º Encontro os Milagres de Jesus
Catequese Anjos dos Céus
 
Querigma e catequese
Querigma e catequeseQuerigma e catequese
Querigma e catequese
Francisco Rodrigues
 
A promessa de Deus a Abraão
A promessa de Deus a AbraãoA promessa de Deus a Abraão
A promessa de Deus a Abraão
Cabralrocha
 
5º encontro abraão - inicio da salvação
5º encontro   abraão - inicio da salvação5º encontro   abraão - inicio da salvação
5º encontro abraão - inicio da salvação
Catequese Anjos dos Céus
 

Destaque (20)

17 encontro A Santa Ceia
17 encontro  A Santa Ceia17 encontro  A Santa Ceia
17 encontro A Santa Ceia
 
17º. Jesus nos fala por meio de histórias
17º. Jesus nos fala por meio de histórias17º. Jesus nos fala por meio de histórias
17º. Jesus nos fala por meio de histórias
 
A Historia Da Salvacao
A Historia Da SalvacaoA Historia Da Salvacao
A Historia Da Salvacao
 
A história da salvação
A história da salvaçãoA história da salvação
A história da salvação
 
11 encontro nascimento de jesus-215
11 encontro nascimento de jesus-21511 encontro nascimento de jesus-215
11 encontro nascimento de jesus-215
 
Lição 1 - Introdução à História da Salvação
Lição 1 - Introdução à História da SalvaçãoLição 1 - Introdução à História da Salvação
Lição 1 - Introdução à História da Salvação
 
2º Encontro Catequese - Igreja-Missa-Biblia
2º Encontro Catequese - Igreja-Missa-Biblia2º Encontro Catequese - Igreja-Missa-Biblia
2º Encontro Catequese - Igreja-Missa-Biblia
 
14ºEncontro - Jesus chama os Apostolos
14ºEncontro - Jesus chama os Apostolos14ºEncontro - Jesus chama os Apostolos
14ºEncontro - Jesus chama os Apostolos
 
Salvação dos Ricos
Salvação dos RicosSalvação dos Ricos
Salvação dos Ricos
 
Quaresma e Semana Santa 2016
Quaresma e Semana Santa 2016Quaresma e Semana Santa 2016
Quaresma e Semana Santa 2016
 
A Modestia
A ModestiaA Modestia
A Modestia
 
10 encontro maria-2015
10 encontro   maria-201510 encontro   maria-2015
10 encontro maria-2015
 
13º Encontro Batismo de Jesus e sua missão
13º Encontro Batismo de Jesus e sua missão13º Encontro Batismo de Jesus e sua missão
13º Encontro Batismo de Jesus e sua missão
 
20º Encontro Santíssima Trindade
20º Encontro   Santíssima Trindade20º Encontro   Santíssima Trindade
20º Encontro Santíssima Trindade
 
8 encontro mandamento 7 8 9 10
8 encontro mandamento 7 8 9 108 encontro mandamento 7 8 9 10
8 encontro mandamento 7 8 9 10
 
12º encontro joao batista
12º encontro   joao batista12º encontro   joao batista
12º encontro joao batista
 
15º Encontro os Milagres de Jesus
15º Encontro os Milagres de Jesus15º Encontro os Milagres de Jesus
15º Encontro os Milagres de Jesus
 
Querigma e catequese
Querigma e catequeseQuerigma e catequese
Querigma e catequese
 
A promessa de Deus a Abraão
A promessa de Deus a AbraãoA promessa de Deus a Abraão
A promessa de Deus a Abraão
 
5º encontro abraão - inicio da salvação
5º encontro   abraão - inicio da salvação5º encontro   abraão - inicio da salvação
5º encontro abraão - inicio da salvação
 

Semelhante a 22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços

Os Sacramentos da Nova Lei Instituídos por Jesus
Os Sacramentos da Nova Lei Instituídos por JesusOs Sacramentos da Nova Lei Instituídos por Jesus
Os Sacramentos da Nova Lei Instituídos por Jesus
Walben
 
Sacramentos
SacramentosSacramentos
Sacramentos
João Pereira
 
Os 7 sacramentos
Os 7 sacramentosOs 7 sacramentos
Os 7 sacramentos
torrasko
 
4 Fase e 2 ANO - 2023.docx
4 Fase e 2 ANO - 2023.docx4 Fase e 2 ANO - 2023.docx
4 Fase e 2 ANO - 2023.docx
DuroFernandezChitofo
 
Os Sacramentos de Iniciação Cristã na Igreja
Os Sacramentos de Iniciação Cristã na IgrejaOs Sacramentos de Iniciação Cristã na Igreja
Os Sacramentos de Iniciação Cristã na Igreja
Walben
 
17 ist - a vida cristã - revisão geral ii
17   ist - a vida cristã - revisão geral ii17   ist - a vida cristã - revisão geral ii
17 ist - a vida cristã - revisão geral ii
Léo Mendonça
 
Constituição conciliar vaticano ii
Constituição conciliar vaticano iiConstituição conciliar vaticano ii
Constituição conciliar vaticano ii
Antonio Soares
 
Meios de graça na igreja
Meios de graça na igrejaMeios de graça na igreja
Meios de graça na igreja
Ivan Barreto
 
Meios de graça na igreja
Meios de graça na igrejaMeios de graça na igreja
Meios de graça na igreja
Ivan Barreto
 
Liçao 04
Liçao 04  Liçao 04
Liçao 04
Edson Soeiro
 
Liçao- 04
Liçao- 04  Liçao- 04
Liçao- 04
Edson Soeiro
 
Liçao-04
Liçao-04  Liçao-04
Liçao-04
Edson Soeiro
 
15 - ist - a vida cristã - cura
15  - ist - a vida cristã - cura15  - ist - a vida cristã - cura
15 - ist - a vida cristã - cura
Léo Mendonça
 
Jornal março
Jornal marçoJornal março
Jornal março
PNS Aparecida
 
Os sacramentos
Os sacramentosOs sacramentos
Os sacramentos
torrasko
 
Livrinho dos sacramentos
Livrinho dos sacramentosLivrinho dos sacramentos
Livrinho dos sacramentos
torrasko
 
Creio na comunhão dos santos, na remissão dos pecados
Creio na comunhão dos santos, na remissão dos pecadosCreio na comunhão dos santos, na remissão dos pecados
Creio na comunhão dos santos, na remissão dos pecados
JMVSobreiro
 
Fiducia Supplicans – significado pastoral das bênçãos (Portugues).pptx
Fiducia Supplicans – significado pastoral das bênçãos (Portugues).pptxFiducia Supplicans – significado pastoral das bênçãos (Portugues).pptx
Fiducia Supplicans – significado pastoral das bênçãos (Portugues).pptx
Martin M Flynn
 
Sacramentos Catequese para os adultos.pptx
Sacramentos Catequese para os adultos.pptxSacramentos Catequese para os adultos.pptx
Sacramentos Catequese para os adultos.pptx
DevairJose1
 
Tese 10 eclesiologia
Tese 10 eclesiologiaTese 10 eclesiologia
Tese 10 eclesiologia
Zé Vitor Rabelo
 

Semelhante a 22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços (20)

Os Sacramentos da Nova Lei Instituídos por Jesus
Os Sacramentos da Nova Lei Instituídos por JesusOs Sacramentos da Nova Lei Instituídos por Jesus
Os Sacramentos da Nova Lei Instituídos por Jesus
 
Sacramentos
SacramentosSacramentos
Sacramentos
 
Os 7 sacramentos
Os 7 sacramentosOs 7 sacramentos
Os 7 sacramentos
 
4 Fase e 2 ANO - 2023.docx
4 Fase e 2 ANO - 2023.docx4 Fase e 2 ANO - 2023.docx
4 Fase e 2 ANO - 2023.docx
 
Os Sacramentos de Iniciação Cristã na Igreja
Os Sacramentos de Iniciação Cristã na IgrejaOs Sacramentos de Iniciação Cristã na Igreja
Os Sacramentos de Iniciação Cristã na Igreja
 
17 ist - a vida cristã - revisão geral ii
17   ist - a vida cristã - revisão geral ii17   ist - a vida cristã - revisão geral ii
17 ist - a vida cristã - revisão geral ii
 
Constituição conciliar vaticano ii
Constituição conciliar vaticano iiConstituição conciliar vaticano ii
Constituição conciliar vaticano ii
 
Meios de graça na igreja
Meios de graça na igrejaMeios de graça na igreja
Meios de graça na igreja
 
Meios de graça na igreja
Meios de graça na igrejaMeios de graça na igreja
Meios de graça na igreja
 
Liçao 04
Liçao 04  Liçao 04
Liçao 04
 
Liçao- 04
Liçao- 04  Liçao- 04
Liçao- 04
 
Liçao-04
Liçao-04  Liçao-04
Liçao-04
 
15 - ist - a vida cristã - cura
15  - ist - a vida cristã - cura15  - ist - a vida cristã - cura
15 - ist - a vida cristã - cura
 
Jornal março
Jornal marçoJornal março
Jornal março
 
Os sacramentos
Os sacramentosOs sacramentos
Os sacramentos
 
Livrinho dos sacramentos
Livrinho dos sacramentosLivrinho dos sacramentos
Livrinho dos sacramentos
 
Creio na comunhão dos santos, na remissão dos pecados
Creio na comunhão dos santos, na remissão dos pecadosCreio na comunhão dos santos, na remissão dos pecados
Creio na comunhão dos santos, na remissão dos pecados
 
Fiducia Supplicans – significado pastoral das bênçãos (Portugues).pptx
Fiducia Supplicans – significado pastoral das bênçãos (Portugues).pptxFiducia Supplicans – significado pastoral das bênçãos (Portugues).pptx
Fiducia Supplicans – significado pastoral das bênçãos (Portugues).pptx
 
Sacramentos Catequese para os adultos.pptx
Sacramentos Catequese para os adultos.pptxSacramentos Catequese para os adultos.pptx
Sacramentos Catequese para os adultos.pptx
 
Tese 10 eclesiologia
Tese 10 eclesiologiaTese 10 eclesiologia
Tese 10 eclesiologia
 

Mais de Catequese Anjos dos Céus

Programação da Semana Santa de 2016
Programação da Semana Santa de 2016Programação da Semana Santa de 2016
Programação da Semana Santa de 2016
Catequese Anjos dos Céus
 
1º Encontro - catequese- primeira comunhão 2016
1º Encontro - catequese- primeira comunhão 20161º Encontro - catequese- primeira comunhão 2016
1º Encontro - catequese- primeira comunhão 2016
Catequese Anjos dos Céus
 
23º Encontro - Sacramento da Confissão
23º Encontro - Sacramento da Confissão23º Encontro - Sacramento da Confissão
23º Encontro - Sacramento da Confissão
Catequese Anjos dos Céus
 
19º Encontro - A ressurreição de Jesus
19º Encontro - A ressurreição de Jesus19º Encontro - A ressurreição de Jesus
19º Encontro - A ressurreição de Jesus
Catequese Anjos dos Céus
 
18º Encontro Paixao-morte-ressurreição e ascensão de Jesus
18º Encontro  Paixao-morte-ressurreição e ascensão de Jesus18º Encontro  Paixao-morte-ressurreição e ascensão de Jesus
18º Encontro Paixao-morte-ressurreição e ascensão de Jesus
Catequese Anjos dos Céus
 
15º Encontro de Crisma - Nascimento e Batismo de Jesus
15º Encontro de Crisma -  Nascimento e Batismo de Jesus15º Encontro de Crisma -  Nascimento e Batismo de Jesus
15º Encontro de Crisma - Nascimento e Batismo de Jesus
Catequese Anjos dos Céus
 
14º Encontro da Crisma - MARIA
14º Encontro da Crisma - MARIA14º Encontro da Crisma - MARIA
14º Encontro da Crisma - MARIA
Catequese Anjos dos Céus
 
13º Encontro Batismo de Jesus e sua Missão
13º Encontro Batismo de Jesus e sua Missão13º Encontro Batismo de Jesus e sua Missão
13º Encontro Batismo de Jesus e sua Missão
Catequese Anjos dos Céus
 
Apostila crisma-2015
Apostila crisma-2015Apostila crisma-2015
Apostila crisma-2015
Catequese Anjos dos Céus
 
09 enc juizes reis profetas
09 enc juizes reis profetas09 enc juizes reis profetas
09 enc juizes reis profetas
Catequese Anjos dos Céus
 
7° encontro mandamento 4, 5 e 6
7° encontro   mandamento 4, 5 e 67° encontro   mandamento 4, 5 e 6
7° encontro mandamento 4, 5 e 6
Catequese Anjos dos Céus
 
6º encontro Moises e os Mandamentos-pdf
6º encontro Moises e os Mandamentos-pdf6º encontro Moises e os Mandamentos-pdf
6º encontro Moises e os Mandamentos-pdf
Catequese Anjos dos Céus
 
Reunião de pais
Reunião de paisReunião de pais
Reunião de pais
Catequese Anjos dos Céus
 
Ser cristão objetivo primeiro da catequese
Ser cristão   objetivo primeiro da catequeseSer cristão   objetivo primeiro da catequese
Ser cristão objetivo primeiro da catequese
Catequese Anjos dos Céus
 
Projeto de evangelização igreja viva, sempre em missão
Projeto de evangelização   igreja viva, sempre em missãoProjeto de evangelização   igreja viva, sempre em missão
Projeto de evangelização igreja viva, sempre em missão
Catequese Anjos dos Céus
 

Mais de Catequese Anjos dos Céus (15)

Programação da Semana Santa de 2016
Programação da Semana Santa de 2016Programação da Semana Santa de 2016
Programação da Semana Santa de 2016
 
1º Encontro - catequese- primeira comunhão 2016
1º Encontro - catequese- primeira comunhão 20161º Encontro - catequese- primeira comunhão 2016
1º Encontro - catequese- primeira comunhão 2016
 
23º Encontro - Sacramento da Confissão
23º Encontro - Sacramento da Confissão23º Encontro - Sacramento da Confissão
23º Encontro - Sacramento da Confissão
 
19º Encontro - A ressurreição de Jesus
19º Encontro - A ressurreição de Jesus19º Encontro - A ressurreição de Jesus
19º Encontro - A ressurreição de Jesus
 
18º Encontro Paixao-morte-ressurreição e ascensão de Jesus
18º Encontro  Paixao-morte-ressurreição e ascensão de Jesus18º Encontro  Paixao-morte-ressurreição e ascensão de Jesus
18º Encontro Paixao-morte-ressurreição e ascensão de Jesus
 
15º Encontro de Crisma - Nascimento e Batismo de Jesus
15º Encontro de Crisma -  Nascimento e Batismo de Jesus15º Encontro de Crisma -  Nascimento e Batismo de Jesus
15º Encontro de Crisma - Nascimento e Batismo de Jesus
 
14º Encontro da Crisma - MARIA
14º Encontro da Crisma - MARIA14º Encontro da Crisma - MARIA
14º Encontro da Crisma - MARIA
 
13º Encontro Batismo de Jesus e sua Missão
13º Encontro Batismo de Jesus e sua Missão13º Encontro Batismo de Jesus e sua Missão
13º Encontro Batismo de Jesus e sua Missão
 
Apostila crisma-2015
Apostila crisma-2015Apostila crisma-2015
Apostila crisma-2015
 
09 enc juizes reis profetas
09 enc juizes reis profetas09 enc juizes reis profetas
09 enc juizes reis profetas
 
7° encontro mandamento 4, 5 e 6
7° encontro   mandamento 4, 5 e 67° encontro   mandamento 4, 5 e 6
7° encontro mandamento 4, 5 e 6
 
6º encontro Moises e os Mandamentos-pdf
6º encontro Moises e os Mandamentos-pdf6º encontro Moises e os Mandamentos-pdf
6º encontro Moises e os Mandamentos-pdf
 
Reunião de pais
Reunião de paisReunião de pais
Reunião de pais
 
Ser cristão objetivo primeiro da catequese
Ser cristão   objetivo primeiro da catequeseSer cristão   objetivo primeiro da catequese
Ser cristão objetivo primeiro da catequese
 
Projeto de evangelização igreja viva, sempre em missão
Projeto de evangelização   igreja viva, sempre em missãoProjeto de evangelização   igreja viva, sempre em missão
Projeto de evangelização igreja viva, sempre em missão
 

Último

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 

Último (20)

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 

22º Encontro - Sacramentos de Cura e Serviços

  • 2. Jesus disse; curai os doentes (cf Mt 10,8)
  • 3. Jesus Cristo instituiu este sacramento O sacramento da Unção dos enfermos foi instituído por Cristo, ainda que quem o promulgou tenha sido o Apóstolo São Tiago, que mostra a Tradição da Igreja quando diz: “Alguém de vós está enfermo? Chame os presbíteros da Igreja e orem sobre ele, ungindo-o com o óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o aliviará. E se tiver algum pecado, lhe será perdoado” (Tiago 5, 14-15).
  • 4. JESUS CUIDA DOS DOENTES Pela sagrada Unção dos Enfermos e pela oração dos presbítero, a Igreja toda entrega os doentes aos cuidados do Senhor sofredor e glorificado, para que os alivie e salve. Exorta os mesmos a que livremente se associem à paixão e à morte de Cristo e contribuam para o bem do povo de Deus
  • 5. O que é a Unção dos enfermos? Jesus Cristo deixou-nos um remédio salutar para toda e qualquer necessidade da vida sobrenatural, e nos últimos momentos da existência o demônio monta uma grande batalha, necessitando a alma de auxílios especiais. Estes auxílios foram vinculados por Jesus Cristo à Unção dos enfermos, sacramento instituído para o alívio espiritual e também corporal do cristão gravemente enfermo. Por este sacramento o cristão se une a Jesus Cristo para ter os mesmos sentimentos dele frente à dor e à morte.
  • 6. LIBERDADE NA ACEITAÇÃO DO SACRAMENTO Um importante requisito para a realização do Sacramento é a vontade do doente querer recebê-lo, ou seja, não adianta a família querer impor algo que o próprio doente não deseja (isso não vale só para esse Sacramento, mas sim para todos os outros). A família pode aconselhá-lo, chamar o padre à casa do doente, mas não impor o Sacramento sem a vontade e a consciência do doente. Se o doente querer e tiver a consciência da importância do Sacramento, aí sim, o Sacramento terá muitos frutos e graças.
  • 7. "Então os discípulos partiram e pregaram para que as pessoas se convertessem. Expulsavam muitos demônios e curavam muitos doentes, ungido-os com óleo“ (cf. Mc 6, 12s), (Mat. 2.1-12).
  • 8. Quantas vezes um cristão pode receber o sacramento? Quantas forem necessárias, sempre que estiver em estado grave. Pode recebê-lo inclusive quando o estado grave se produz com recaída de um estado anterior pelo qual havia recebido o sacramento. Que efeitos tem a Unção dos enfermos? A unção une o enfermo à Paixão de Cristo para seu bem e o de toda a Igreja; obtém consolo, paz e ânimo; obtém o perdão dos pecados (se o enfermo não pôde obtê-lo pelo sacramento da reconciliação), restabelece a saúde corporal (se convém à saúde espiritual) e prepara para a passagem para a vida eterna.
  • 9. MISSÃO DA IGREJA EM RELAÇÃO AOS DOENTES: Afirma são Tiago em sua Carta: “Alguém entre vós está triste? Reze! Está alegre? Cante. Está alguém enfermo? Chame os sacerdotes da Igreja, e estes façam orações sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor”. (Tg. 5. 13-14) O ENFERMO É SALVO PELA ORAÇÃO E PELA FÉ: Afirma São Tiago: “A oração da Fé salvará o enfermo e o senhor o ressuscitará. Se ele cometeu pecados, ser-lhe-ão perdoados. Confessai os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros para serdes curados”. (Tg.5. 15-16).
  • 10. A PASTORAL DA SAÚDE E A UNÇÃO DOS ENFERMOS Na Igreja Católica, há a pastoral da saúde que são pessoas que visitam os doentes, podendo ministrar orações, e entregar a comunhão ao doente. Recomenda-se que seja feita ao menos uma visita aos enfermos, nos hospitais ou em suas casas, pelos agentes da Pastoral da Saúde, antes da vinda do Sacerdote, a fim de os preparar para a recepção dos Sacramentos. Além das visitas comuns, os agentes da Pastoral da Saúde, promovam também, se o doente desejar, breves Celebrações da Palavra em suas residências ou nos quartos dos hospitais. Quando for ministrada a Sagrada Eucaristia, esta Celebração é indispensável, devendo haver leitura bíblica, o Pai Nosso e outras orações apropriadas
  • 11. O Matrimônio é o sacramento que santifica a união indissolúvel entre um homem e uma mulher cristãos, e concede-lhe a graça para cumprir fielmente seus deveres de esposos e de pais. O Matrimônio foi instituído por Deus quando criou o homem e a mulher. (Gn 2, 18-24)
  • 12. JESUS CONFIRMA A ALIANÇA DO MATRIMONIO O sacramento do Matrimônio significa a união de Cristo com a Igreja. Concede aos esposos a graça de se amarem com o mesmo amor com que Cristo amou a sua Igreja.
  • 13. A aliança símbolo de união entre os esposos que ficam unidos pelos laços do Matrimônio Pela "Aliança" se considera que há uma igualdade espiritual dos esposos e a sua capacidade exige uma doação total da pessoa um ao outro. Essenciais do Matrimônio são: unidade, indissolubilidade e abertura à fecundidade.
  • 14. EM CANÁ DA GALILÉIA, JESUS SE MANIFESTA NUM CASAMENTO No inicio de sua vida pública, Jesus faz o seu primeiro sinal - a pedido de sua Mãe Maria – por ocasião de uma festa de casamento. A Igreja atribui grande importância à presença de Jesus nas núpcias de Caná. Vê nela a confirmação de que o casamento é uma realidade boa e o anúncio de que, daí em diante, será ele um sinal da presença de Cristo. O relato de São João sobre as Bodas de Caná (cap. 2,1-11) mostra claramente como Jesus valoriza a família. Foi o Seu primeiro milagre, abençoando com Sua presença os noivos, que pretendiam iniciar uma nova família. Ele quis iniciar o anúncio do Reino em um casamento, mostrando que a família é importante para Ele.
  • 15. O MATRIMÔNIO E O LAR CRISTÃO O matrimônio pode ser chamado também: a consagração dos pais. Pois este sacramento é santificada a família e consagrada ao Senhor para ser um pequeno santuário, uma Igreja doméstica, onde pai e mãe dentro do sacerdócio comum dos fiéis realizam a sua missão. E o sacerdócio da família. Jesus nos mostra a importância da família, com a sua família __ A FAMILIA SAGRADA – JESUS MARIA JOSÉ __
  • 16. O lar cristão O DEVER DOS PAIS Os pais devem fazer o acompanhamento dos filhos, procurar saber o que está acontecendo com eles, tentar ajudá-los de várias maneiras: com orientações, com atitudes exemplares, com o diálogo, com orações. Sempre. Tanto em casa, como na escola, na vida religiosa e social, nos namoros, entre outros.
  • 17. A união sacramental de um casal é; exclusiva (um só homem com uma só mulher) e indissolúvel (até que a morte os separe). “Por isso, deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher e os dois não serão senão uma só carne. Assim, já não são dois, mas uma só carne. Não separe, pois, o homem o que Deus uniu.“ Mc 10, 2-9
  • 18. É o sacramento graças ao qual a missão confiada por Cristo aos seus Apóstolos continua a ser exercida na Igreja, até o final dos tempos
  • 19. permite exercer um poder sagrado em nome e com a autoridade de Cristo para o serviço do povo de Deus. Ordem indica um corpo eclesial, do qual se passa a fazer parte, mediante uma especial consagração (Ordenação), a qual, por um particular dom do Espírito Santo, Disse-lhes: 'Segue-me'. O homem levantou-se e o seguiu" (Mt 9, 9).
  • 20. Compõe-se de três graus, que são insubstituíveis para a estrutura orgânica da Igreja:  o episcopado,  o presbiterado e  o diaconato. Só o batizado de sexo masculino pode receber validamente este sacramento: a Igreja reconhece-se vinculada a esta escolha feita pelo próprio Senhor. Ninguém pode exigir a recepção do sacramento da Ordem, antes deve ser considerado apto para o ministério pela autoridade da Igreja. De quantos graus se compõe o sacramento da Ordem?
  • 21. Como se celebra o sacramento da Ordem? Para cada um dos três graus, o sacramento da Ordem é conferido pela imposição das mãos sobre a cabeça do ordinando por parte do Bispo, que pronuncia a solene oração consecratória. Com ela, o Bispo invoca de Deus, para o ordinando, a especial efusão do Espírito Santo e dos seus dons, em ordem ao ministério. Quem pode conferir este sacramento? Compete aos Bispos validamente ordenados, enquanto sucessores dos Apóstolos, conferir os três graus do sacramento da Ordem.
  • 22. Quais são os efeitos do sacramento da Ordem? Este sacramento dá uma especial efusão do Espírito Santo, que configura o ordenado a Cristo na sua tríplice função de Sacerdote, Profeta e Rei, segundo os respectivos graus do sacramento. A ordenação confere um carácter espiritual indelével: por isso não pode ser repetida nem conferida por um tempo limitado.
  • 23. JESUS O SACERDOTE PERFEITO Jesus veio para com o seu sacrifício levar à plenitude os sacrifícios da Antiga Aliança; por isso, Ele aboliu o sacerdócio levítico e fez-se Ele mesmo o Único Sacerdote da Nova e Eterna Aliança, de acordo com Melquisedec, Rei e Sacerdote (Hb 7,1-10; 10,4-10). Como único Sacerdote ofereceu um Único sacrifício, oblação perfeita da sua vida da sua vontade, entregues ao Pai. O seu Sim, inspirado no amor a nós, apagou o Não dito pelo primeiro homem por falta de amor ao Pai.
  • 24. O Sacerdote “in persona Cristo” tem a missão de conduzir os fiéis a Deus através dos Sacramentos; • Batismo • Eucaristia • Confissão • Crisma • Unção dos Enfermos • Matrimonio • Ordem A mis s ão
  • 26. Horários das Missas aos Domingos 7h, 8h30, 10h e 18h