SlideShare uma empresa Scribd logo
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO
ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
SUMÁRIO
1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS ............................................. 3
2. FINALIDADE ..................................... ................................. 4
3. REFERÊNCIA ....................................................................... 4
4. O CURSO .............................................................................. 4
5. OBJETIVOS GERAIS DO CURSO ..................................... 5
6. FUNCIONAMENTO DO CURSO ....................................... 6
7. O ALUNO E A ESCOLA ….................................................. 6
8. O ALUNO E A PREPARAÇÃO DO MATERIAL................ 8
9. O ALUNO E A PREPARAÇÃO FÍSICA...............................14
10. O ALUNO E A PREPARAÇÃO INTELECTUAL............. 15
11. O ALUNO E A PREPARAÇÃO PSICOLÓGICA...............15
12. CONSIDERAÇÕES FINAIS.............................................. 15
ANEXO A – COMPOSIÇÃO DOS KITS ................................ 16
ANEXO B – NUMERAÇÃO DO MATERIAL ....................... 19
ANEXO C – PROPOSTA DE TREINAMENTO FÍSICO ....... 20
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS
Em primeiro lugar, a Equipe de Instrução do Curso de Busca e Salvamento
apresenta os cumprimentos pela sua escolha.
Foi uma opção sua e envolverá muita luta e força de vontade. Opção que o
distingue e o faz merecedor de nossa admiração.
Portanto, desejamos sucesso em sua nova e vibrante missão.
Lembre-se de que poucos têm a felicidade e o justo orgulho de ostentar o
gorro LARANJA, histórico e imortal símbolo de quem SOCORRE FERIDOS E
SALVA VIDAS.
A presente nota visa a orientar a sua preparação material, física, intelectual e
psicológica. Leia-a atentamente e siga as orientações nela contidas.
Esta é a sua oportunidade!
Saiba aproveitá-la!
Portanto, Prepare-se!
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
2. FINALIDADE
a. Ambientar os candidatos ao Curso de Busca e Salvamento (S.A.R.) quanto
aos objetivos gerais do curso, o seu funcionamento e as condições de aprovação;
b. Orientar os candidatos ao S.A.R. quanto às normas internas essenciais do
Centro de Instrução de Aviação do Exército; e
c. Orientar os candidatos ao Curso de Busca e Salvamento quanto à
preparação do material, física, intelectual, e psicomotora.
3. REFERÊNCIAS
a. Portaria Nr 245 – EME, de 16 de outubro de 2014 - Curso SAR para Of;
b. Portaria Nr 248-EME, de 20 de outubro de 2014 - Curso SAR para
ST/Sgt;
c. IRISM/SAR.
4. O CURSO
Na 2º Guerra mundial, devido às batalhas aéreas no Canal da Mancha,
quando houve um grande abate de aviões das partes em conflito, surgiu a
necessidade de criar um grupo, com a finalidade de recuperar tripulações
experientes e treinadas, com capacidade de realizar o serviço de BUSCA, através
de padrões pré-estabelecidos, progredindo no campo de batalha seja em qualquer
tipo de região: montanhosa, de selva, áridas e aquática; e SALVÁ-LAS realizando
medidas de Pronto Socorrismo e transportando a vítima para o atendimento final
por uma equipe médica. Este grupo, equipe, homens que trabalham arriscando a
própria vida em benefício do próximo, cujo o lema é “PARA QUE OUTROS
POSSAM VIVER” é denominado de SAR (Search And Rescue) que em português
significa Busca e Salvamento.
Em dezembro de 1947, no Brasil, houve um acidente de uma Aeronave
Catalina em Aquiqui, no Pará. As dificuldades enfrentadas nas buscas da aeronave,
devido a região ser de selvas e pantanais, levaram as autoridades aeronáuticas
locais a criar uma Comissão Organizadora do Serviço de Busca e Salvamento da 1º
Zona Aérea.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
Em 1986 a Aviação do Exército é reativada, e ciente dos riscos que suas
atividades envolvem, surgiu a necessidade da criação do seu próprio Serviço de
Busca e Salvamento. Em 1990, foi enviado um oficial e quatro sargentos para a
FAB (Força Aérea Brasileira) afim de se especializarem nas atividades de Busca e
Salvamento, realizando o curso do PARA-SAR no Esquadrão Aeroterrestre de
Salvamento, no Campo dos Afonsos – Rio de Janeiro/RJ.
Hoje, ministrado pela Seção de Emprego Geral, Busca e Salvamento do
Centro de Instrução de Aviação do Exército, o Curso de Busca e Salvamento
funciona em 27 (vinte e sete) semanas e tem como finalidade capacitar o Oficial e
Sargento a desempenhar funções ligadas à: Segurança de Aeródromos, Prevenção
de Acidentes, Resgate de tripulações acidentadas, Operações Aeromóveis e
Atividades Especiais de Mergulho, Montanha e Patrulha, nos diversos escalões da
Aviação do Exército (Av Ex) e Organizações Militares Aeromóveis (OM Amv).
5. OBJETIVOS GERAIS DO CURSO
a. Proporcionar ao aluno conhecimentos que permitam o desempenho dos
cargos e funções inerentes ao RESGATEIRO.
b. Habilitar capitães, tenentes e sargentos, nos níveis que lhes couber, dentre
outros, ao exercício das seguintes atividades:
1) Atendimento Pré-Hospitalar;
2) Princípios Legais de Salvamento;
3) Ação Inicial no Local do Acidente;
4) Busca e Salvamento;
5) Técnicas de infiltração e exfiltração aeromóvel;
6) Operações SAR em ambiente Aquático;
7) Operações SAR em ambiente de Montanha;
8) Operações SAR em ambiente de Selva;
9) Meteorologia;
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
6. FUNCIONAMENTO DO CURSO
a. Duração - O SAR tem a duração de 27 (vinte e sete) semanas. O
candidato deverá se apresentar com uniforme 8º B2, devendo conduzir também o
uniforme 9º B2, 14º e 15º ou os respectivos uniformes equivalentes de outras
Forças.
b. Regime de trabalho
1) As sessões de instrução têm a duração de 50 (cinquenta) minutos com
10 (dez) minutos de intervalo entre elas.
2) A carga horária semanal é de 40 (quarenta) horas diurnas e 20 (vinte)
horas noturnas, podendo variar conforme necessidade do curso.
3) O quadro de trabalho semanal na fase de operações, não será de
conhecimento do aluno (QTS fechado).
c. Complementação do Ensino - Há, no decorrer do curso, programas de
visitas, estágios e pesquisas, visando a complementar a formação e ampliar os
conhecimentos necessários ao desempenho das funções específicas da
especialidade.
* O Aluno na Apresentação para o curso tem que estar portando a
carteira de vacinação.
7. O ALUNO E A ESCOLA
a. Deveres e direitos
1) Deveres Art 43 do R-62
I - assistir integralmente a todos os trabalhos escolares previstos para
seu Cur ou Estg;
II - dedicar-se ao seu auto-aperfeiçoamento intelectual, técnico, físico e
moral;
III - contribuir para o prestígio do CIAvEx;
IV - conduzir-se com probidade em todas as atividades desenvolvidas
pelo CIAvEx;
V - cooperar para a conservação do material e das instalações do
CIAvEx;
VI - cumprir os dispositivos regulamentares e as determinações
superiores;
VII - empenhar-se em práticas sadias de higiene individual e coletiva;
VIII - participar de todas as atividades escolares presenciais e não presenciais
previstas; e
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
IX - observar rigorosamente os ditames impostos pelas leis vigentes,
pela ética militar e pelas normas de moral e bons costumes.
2) Direitos Art. 45 do R-62
I - solicitar revisão de avaliação, de acordo com as normas em vigor no
CIAvEx;
II - reunir-se com outros alunos para organizar, dentro do CIAvEx,
agremiações de cunho cultural, cívico, recreativo ou desportivo, nas condições
estabelecidas ou aprovadas pelo Dir Ens;
III - recorrer, quando se julgar prejudicado, à autoridade competente,
conforme estabelecido neste Regulamento e no Regulamento Disciplinar do
Exército (RDE);
IV - solicitar trancamento de matrícula ou desligamento do Curso ou
Estg, de acordo com o previsto neste Regulamento;
V - ser submetido à recuperação de aprendizagem, caso não alcance o
rendimento mínimo previsto, conforme estabelecido neste Regulamento;
VI - ter acesso à SPscPed para fins de orientação educacional adequada.
b. Frequência
- Art. 29 do R-62. A freqüência dos alunos aos trabalhos escolares é
obrigatória, sendo considerada ato de serviço.
Parágrafo único. Para efeito deste artigo, consideram-se trabalhos
escolares:
I - aulas ou sessões de instrução;
II - estágios constantes do planejamento anual de ensino;
III - atividades presenciais e não presenciais;
IV - avaliações; e
V - outras atividades constantes da grade curricular ou da
complementação do ensino.
- Art. 30 do R-62. O aluno perde um ponto por tempo de trabalho escolar a
que deixar de comparecer ou a que não assistir integralmente, se sua falta for
justificada, e três pontos se não for justificada, independentemente das sanções
disciplinares.
§ 1º O aluno perderá um máximo de dez pontos se deixar de
comparecer ou se assistir parcialmente a um trabalho escolar de duração superior a
oito horas, quando sua falta for justificada, e o triplo de pontos se não for
justificada.
§ 2º O número total de pontos perdidos mensalmente pelo aluno,
contados sempre a partir do início do Cur ou Estg, será publicado em BI.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
§ 3º O limite máximo de pontos perdidos por um aluno, durante o ano
ou período letivo, para efeito de exclusão por faltas, equivale a vinte e cinco por
cento do total da carga horária de trabalhos escolares previstos para o Cur ou Estg.
- Art. 31 do R-62. Os critérios para apuração de freqüência são os seguintes:
I - não terá a falta justificada e perderá três pontos por tempo de
atividade o aluno que deixar de comparecer, sem justo motivo, às atividades
previstas;
II - terá a falta justificada e perderá um ponto por tempo de atividade o
aluno que estiver em uma das seguintes situações:
a) visita médica em caso de urgência ou devidamente autorizada;
b) dispensa por prescrição médica;
c) ausente da aula, instrução ou formatura, por motivo de doença,
atestada por médico;
d) em gozo de dispensa, concedida pelo Comandante do CIAvEx, por
motivo de força maior;
e) à disposição da justiça;
f) dispensado para doação de sangue, quando autorizado;
g) dispensado por motivo de luto; e
h) outros motivos de força maior, a critério do Dir Ens;
III - o aluno não perderá pontos nas seguintes situações:
a) serviço ordinário;
b) serviço extraordinário, publicado ou não em BI;
c) realização de prova formal de segunda chamada;
d) entrevista na SPscPed, se convocado; e
e) motivo de força maior, a critério do Dir Ens;
IV - o aluno que chegar após quinze minutos do início da sessão de
instrução, ingressará na atividade, mas será considerado faltoso, perdendo pontos
ou não, conforme as razões do atraso; e
V - nenhum instrutor poderá dispensar qualquer aluno de sessão de
instrução, salvo por motivo imperioso, justificado por escrito.
8. O ALUNO E A PREPARAÇÃO DO MATERIAL
a. A preparação minuciosa do material a ser utilizado é muito importante e
contribuirá para o êxito no curso. Será apresentado neste item o material que
deverá ser providenciado pelo aluno na constituição dos fardos abertos, de
combate, de bagagem.
b. Quando o aluno for deslocado para as instruções, conduzirá seu fardo
aberto e de combate.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
c. A constituição de alguns kits deve atender as peculiaridades de cada
indivíduo, de maneira que nele exista o material julgado necessário para o
cumprimento das missões. Alguns são de caráter obrigatório. Deve-se atentar para
a praticidade e portabilidade do kit, ou seja, este não deve ser demasiadamente
grande, além de ser acondicionado ao equipamento, num local que permita
rapidamente seu uso. Na maior parte do tempo durante o curso a mochila do aluno
será a única fonte de material.
d. Quanto ao kit de 1º socorros, é importante ressaltar que em qualquer
situação é proibida a auto medicação. Assim, havendo necessidade, a equipe
médica que acompanha permanentemente o turno de alunos realizará o
atendimento médico e prescreverá o medicamento a ser utilizado.
e. O padrão da numeração do material é o de acordo com o Anexo “A” –
Numeração do Material, desta orientação.
f. Fardamentos a serem utilizados durante o curso.
1) gorros - A partir da 1ª Fase os alunos utilizarão o gorro de aluno,
numerado, a ser distribuído pelo Curso SAR durante a semana administrativa;
2) Uniformes
a) Durante o curso serão utilizados os seguintes uniformes: 9°B2, 8°B2,
14° e 15°. Militares de outras Forças ou de Nações Amigas deverão providenciar
os respectivos correspondentes;
b) Durante todo o período do curso, no uniforme 9º B2 não deverá
constar sutache algum. Não é permitido o uso de brevês e distintivos de
Arma/Quadro/Serviço e Posto/Graduação, bem como o uso de seus respectivos
velcros (“sombras”);
c) Não é permitido o uso de alianças, anéis, cordões, pulseiras, etc. É
recomendável a utilização de relógio;
3) Identificações dos alunos
a) Os alunos deverão providenciar plaquetas de identificação,
padronizado pela eqp de instrução, em 01 (uma) via. Estas plaquetas deverão ser
presas ao pescoço com cadarço de linha de velame, sem o miolo, que deverá ter as
pontas unidas por um nó pescador simples.
b) Cada plaqueta deverá possuir os seguintes dados gravados em LETRA
DE FORMA MAIÚSCULA:
(1) Nome completo;
(2) Número da identidade;
(3) Tipo sanguíneo;
(4) Fator RH;
(5) Nr do PREC CP (para militares do EB);
(6) No verso, se possui ou não alergia a algum medicamento.
c) É obrigatório o uso das plaquetas em todas as atividades do curso.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
4) Materiais para instruções Aquática
a) Máscara preta, de qualquer modelo, numerada;
b) Snorkel (tubinho) preto, de qualquer modelo, numerado;
c) Par de Nadadeiras fechada, de qualquer modelo, numeradas.
Obs: É aconselhável que o aluno possua seu próprio material já ajustado
ao corpo, como a máscara, por exemplo. Entretanto, esse material será fornecido
pelo Curso SAR.
5) Fardo aberto, composto dos seguintes itens:
a) Suspensório
(1) Modelo em “Y”, contendo dois bolsos, V.O., sem ferragens e
montado no cinto N.A. com cadarço de linha velame;
(2) O bolso esquerdo deve conter 01 (um) apito, 01 (um) canivete
(podendo ser do tipo “múltiplas funções” ou apenas lâmina) e 01 (uma) lanterna
MAGLITE ou similar (à prova d’água) do tipo “solitaire”. Este material deve ser
ancorado ao suspensório com fiel simples de cadarço de linha de velame, com o
comprimento que permita ao aluno empunhar o material com o braço esticado;
(3) O bolso direito deve conter uma bússola, de qualquer modelo e
ancorada ao suspensório da mesma forma que os itens do bolso esquerdo.
(4) O Anexo A explora melhor este item.
b) Cinto N.A.
De qualquer modelo, sem ferragens e na cor VO;
c) Porta-carregador de fuzil
(1) Em número de 02 (dois), de qualquer modelo, V.O., sem ferragens e
com passador, montado no cinto N.A. à frente do corpo. Uma liga de borracha
deverá reforçar sua fixação ao cinto;
(2) No interior do porta-carregador da esquerda serão conduzidos dois
carregadores de fuzil municiados, identificados com fita adesiva vermelha;
(3) No interior do porta-carregador da direita serão conduzidos o lenço
tático para manutenção. Este item deverá ser padronizado no âmbito do turno
devendo ser confeccionado com material impermeável, em dimensões tais que
caibam todas as peças do PÁRA-FAL desmontado em 1º escalão mais a munição
de 7,62mm bem como seus respectivos carregadores. As silhuetas das referidas
peças devem estar pintadas no lenço tático. O porta-carregador deverá conter ainda
um kit de anotação miniaturizado.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
Fig. Porta Carregador do Fuzil
d) Facão de 14 polegadas com bainha na cor preta
Montada no cinto N.A. à esquerda do corpo, sem ferragens e com
passador ou velcro. Seu cabo deve ser protegido com borracha de câmara de ar.
e) Conjunto Porta-cantil/Cantil/Caneco
De qualquer modelo, V.O., sem ferragens e com passador, montado no
cinto N A a esquerda/retaguarda do corpo e à direita/retaguarda (sem caneco) do
corpo, preso ao mesmo com tira de borracha de câmara de ar;
Fig. Porta-cantil/Cantil/Caneco
8) Mochilas
a) Devera ser utilizada no decorrer do curso a mochila de grande
capacidade, com armação. As mochilas devem ser VO e devidamente numeradas;
b) A mochila deverá conter no mínimo os seguintes materiais:
(1) Manta velame;
(2) Saco de dormir;
(3) Poncho Modelo padrão EB ou americano.
(4)Lanterna a prova d’água
(5)Ração R/2 Será distribuída pelo curso nas semanas administrativas.
(6)Lona preta Nas dimensões 1,20m X 1,50m, para proteção do material e
organização durante os cerimoniais, bem como finalidades diversas.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
(7) Conjunto marmita e talheres articulados
(a) Conjunto completo;
(b) Deve conter sacos plásticos finos para proteger a marmita dos
resíduos, em número suficiente para 10 (dez) dias de operações.
(8) Uniforme de muda
Composto de 1 (uma) unidade das seguintes peças do uniforme: gandola,
calça, camisa, cinto VO, 3 (três) pares de meias e cuecas (ou sunga preta e ou
bermuda térmica). conjunto “Anorak”, etc.
(09) Roupa civil para infiltração e contatos
(a) Composta de calça (jeans ou brim), camisa, calçado fechado, par de
meias e cinto. Disfarces simples como bonés, óculos, etc, também poderão ser
utilizados;
(b) Não é permitido o uso de camiseta regata, sandálias, bermuda,
camisas de campanhas políticas, clubes de futebol, abrigos ou afins.
(10) Cabo solteiro
(a) Na cor preta, com 05 (cinco) metros de comprimento por 10 (dez)
milímetros de espessura;
(b) O cabo solteiro deverá ser acondicionado no lado esquerdo externo
da mochila, preso com borrachas de câmara de ar (passador superior e inferior da
mochila) e soltura rápida de cadarço velame (passador central).
Fig. Acondicionamento do cabo solteiro
(11) Kits individuais
(a) Os kits individuais devem ser cuidadosamente acondicionados em
recipientes plásticos do tipo “tupperware” ou similares (de rosca), identificados
com o nome do kit, o número do aluno e com seu conteúdo relacionado e exposto
do lado de fora do recipiente, conforme o exposto:
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
Fig. Exemplo de identificação de Kit
(b) O material que compõe os kits deverá ser padronizado para o turno
(Anexo C – Composição mínima dos Kits);
(c) Os kits individuais são os seguintes:
- Kit de Manutenção do Armamento;
- Kit de Manutenção do Uniforme;
- Kit de Saúde;
- Kit de Anotação;
- Kit de Higiene;
- Kit de Camulflagem.
- Kit de sobrevivência
- Kit de caixão de areia
12) Material didático
a) Para as instruções em sala de aula, os alunos deverão dispor do
seguinte material didático (sugestão):
(1) Caderno(s) de matérias ou fichário;
(2) Jogo de esquadros, régua de 30 cm, transferidor e compasso;
(3) Jogo de canetas de retroprojetor (recomendável ponta fina),
frasco com álcool e pano para limpeza;
(4) Caneta “4 cores”, lápis, lapiseira 0,5mm e borracha;
(5) Calculadora;
(6) Bloco de apontamentos pautado;
(7) Folhas de papel ofício ou A4 avulsas;
(8) Pasta polionda, identificada, na cor vermelha (padronizada para
o turno);
(9) Caneta lumicolor
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
b) É recomendável ainda que cada aluno possua um exemplar dos
seguintes manuais e cadernos de instrução:
(1) CI 21-75 (Patrulhas)
(2) C 21-26 (Leitura de Cartas e Fotografias Aéreas)
(3) MD33-M-02 (Abreviaturas, Siglas, Símbolos e Conversões
Cartográficas
Obs: Poderão ser utilizadas as edições atualizadas ou Cópias xerocadas, desde
que completas.
c) O material didático será sempre guardado nos escaninhos da sala de
aula, ao término das instruções.
13) Impermeabilização de Eqp Rádio e demais Eqp.
Por ocasião das fases de Operações, a impermeabilização dos Eqp
rádio e demais materiais que necessitem de impermeabilização fica, totalmente, a
cargo do Aluno, necessitando que o mesmo tenha um estoque de sacos plásticos de
diversos tamanhos e de boa espessura em condições de uso.
14) Material para instruções de tiro.
Para as instruções envolvendo tiro com o Armto de dotação, cada
aluno deve conduzir o seu protetor auricular e óculos de proteção.
9. O ALUNO E A PREPARAÇÃO FÍSICA
a. Treine para estar em boa forma. Seu organismo deverá estar preparado
para suportar esforços físicos prolongados sob situações adversas.
b. Apure seu estado físico-orgânico. Faça um “Check-up” médico e dentário.
c. Faça corridas longas.
d. Pratique flutuação.
e. Todos os alunos deverão estar em condições de conduzir, como guia, o
aquecimento e a ginástica básica, de acordo com o C 20-20.
f. Se você está fraco em natação, procure melhorar seu desempenho.
g. Tenha apnéia estática de pelo menos 01 (um) minuto. Pratique exercícios
básicos com implementos (respiração com o snorkel, alagar e desalagar a máscara,
“canivete”, recuperação dos implementos no fundo da piscina, etc.).
h. Pratique as técnicas de escalada e os principais nós e amarrações.
i. Uma boa alimentação é imprescindível nesta preparação.
j. Não utilize medicamentos ou suplementos alimentares sem orientação
médica. Eles podem ser extremamente prejudiciais à saúde.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
k. O Curso S.A.R. desenvolveu uma proposta de treinamento que tem por
objetivo orientar ao candidato do Curso de Busca e Salvamento no seu preparo
físico individual, visando obter um rendimento adequado nas atividades do curso.
A proposta está anexa a este documento.
10. O ALUNO E A PREPARAÇÃO INTELECTUAL
- É interessante que seja feita uma revisão geral dos assuntos que você já
conhece e que fazem parte do currículo do curso. Dentre eles, destacamos:
a. 1º Socorros (A.P.H.);
b. Relembrar os conhecimentos sobre Patrulhas;
c. Relembrar os conhecimentos sobre Nós e Amarrações;
d. Pratique técnicas de Orientação e Escaladas.
11. O ALUNO E A PREPARAÇÃO PSICOLÓGICA
a. Esquematize sua vida para os próximos 06 (seis) meses. O apoio da
família é fundamental à sua tranquilidade como aluno;
b. Confie no seu potencial e na sua preparação. A vitória sempre foi de quem
nunca duvidou dela;
c. Acima de tudo, tranquilize-se, pois a Equipe de Instrução fará o
máximo para que você tenha acesso a todas as ferramentas necessárias para a
formação dos novos Homens de Resgate.
.
12. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Para consecução dos objetivos do curso, a Equipe de Instrução e os alunos
utilizarão uma imensa gama de recursos cognitivos, psicomotores e materiais,
procurando atender às individualidades, sempre pautado nos prazos estabelecidos
pelo sistema de ensino, de forma enérgica, respeitosa e com serenidade.
A par dos conhecimentos e habilitações táticas e técnicas que compõem o
perfil do Resgateiro, será desenvolvido o ESPÍRITO DE EQUIPE que caracteriza
o seu trabalho, que tem como missão salvar vidas e socorrer feridos.
O EXCELENTE condicionamento físico e o PREPARO INTELECTUAL E
PSICOLÓGICO são pré-requisitos muito importantes do candidato.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
ANEXO A – COMPOSIÇÃO DOS KITS
1) Kit de Manutenção do Armamento / Facão.
- chave de fenda;
- cordel para limpeza do cano (com tecido ou escova na extremidade);
- escova para limpeza externa do armamento;
- estopa ou panos limpos (existência de no minimo 2 unidades);
- lenço tático amarelo (0,60 m x 0,30 m);
- óleo (existência de no minimo 50 ml);
- pedra de amolar (opcional);
2) Kit de Manutenção do Uniforme:
- Graxa para calçados;
- Escovinha para aplicação da graxa;
- Agulhas e Botões;
- Linha V.O.;
- Alfinetes de segurança e comuns;
- Par reserva de bombachas.
3) Kit de Anotações:
- bloco de papel (impermeavel) para anotações;
- bússola (poderá estar no suspensório);
- calculadora, pequena - opcional;
- canetas de retroprojetor de ponta fina (azul ou preta e vermelha);
- canetas esferográficas azuis e/ou pretas (necessárias para as avaliações);
- lapiseira e borracha;
- escalímetro;
- vasilhame com álcool e pano para limpeza das anotações;
- mementos diversos (Bizus de apostilas 1M) - opcional.
Obs: O Aluno deverá possuir um Kit de Anotação colocado no bolso da farda.
Será constituído por um bloco de plástico, uma caneta retroprojetor e uma caneta
azul ou preta.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
4) Kit de Higiene Pessoal
- aparelho e creme de barbear;
- escova, pasta de dentes e fio dental;
- espelho portátil;
- loção antisséptica (opcional);
- sabonete, toalha (na mochila);
- papel higiênico (na mochila), levar o suficiente para a semana;
- Material para banho a seco - tubo de álcool e pano ou lenços
umedecidos (utilizado para limpar áreas críticas do corpo, como virilha e axilas,
colocado na mochila);
- Protetor solar (opcional); e
- Repelente.
Obs: para a verificação do aprestamento, o papel higiênico e o material para
banho a seco deverão ser colocados juntos ao kit de higiene pessoal.
5) Kit de camuflagem:
- Bastão ou pastas de camuflagem (nas cores verde, preto e marrom; com
predominância da cor verde).;
- espelho – opcional;
6) Kit de Primeiros Socorros:
- protetor labial – opcional;
- água oxigenada;
- álcool iodado ou similar;
- atadura para imobilização;
- antisséptico de uso tópico;
- antitérmico / analgésico;
- cotonete;
- esparadrapo impermeável;
- gase ;
- hipoglós ou similar;
- isotônico em pó;
- 01 (um) Par de luvas cirúrgicas;
- pinça pequena;
- agulha;
- tesoura;
- outros medicamentos de uso habitual do militar, conforme prescrição
médica (SFC).
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
7) Kit caixão de areia.
- Pó xadrez (verde, marrom, preto e azul);
- Linha de lã;
- Miniaturas de edificações, vtr, soldados e aeronaveis;
8) Kit sobrevivência.
- Linha de pesca;
- Iscas;
- Anzol;
- Zagaia;
- Kit fogo.
9) No Fardo de combate.
- Poncho;
- Manta;
- Toalha de banho/rosto;
- Baterias reservas;
- Marmita/talher articulado/um caneco;
- Kits diversos (o kit camuflagem podera estar no fado aberto);
- Kit Roupa de muda (deverão estar juntos: camisa camuflada, calça,
gandola, meias, cueca);
- Roupa de contato (na fase de operações);
- Lona preta para mostra de material ( 1,20 m x 1,50 m);
- Saco de dormir.
10) No Fardo aberto.
- Lanterna velada ( opcional);
- Bússola;
- Apito;
- Dois cantis com caneco;
- Dois porta carregadores de fuzil;
- Facão de 14 polegadas.
- O aluno deverá conduzir também:
- Para-fal (Quando ordenado);
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
ANEXO B – NUMERAÇÃO DO MATERIAL
1. NÚMEROS EM TECIDO
a. O número do aluno, com dois algarismos, deve ser estampado na cor preta
sobre tecido resistente LARANJA com bordas arrematadas para que não desfie,
nas dimensões 05 X 09 cm.
b. O padrão da matriz dos números é a cargo do turno;
c. Estes números identificarão os seguintes materiais e da seguinte forma:
1) Gorro – 02 (dois), na frente e retaguarda;
2) Mochila de grande capacidade – 01(um), na tampa da mochila;
3) Bolsa velame(T10) - 01 (um), na tampa do bolso externo.
e. O Pára-Fal deverá ser identificado da mesma forma nas Placas do Guarda
Mão.
2. NÚMEROS EM ESPARADRAPO
a. O número do aluno, com dois algarismos, deve ser pintado na cor preta
sobre o esparadrapo, cortado nas dimensões 05 X 04cm.
b. O padrão da matriz dos números é a cargo do turno;
Todo material deve ser identificado.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
ANEXO C – PROPOSTA DE TREINAMENTO
1. FINALIDADE
- Orientar o candidato ao Curso de Busca e Salvamento no seu preparo físico
individual, visando obter um rendimento adequado nas atividades do curso.
- Oferecer subsídios ao candidato do Curso de Busca e Salvamento para
realizar a preparação física e nutricional visando seu melhor rendimento no curso.
2. OBJETIVO
Apresentar plano de treinamento físico e orientação nutricional, tendo como
referência o tempo necessário para o desenvolvimento dessa preparação.
3. REFERÊNCIAS
- EB20-MC-10.350, 4º edição 2015, Manual de Treinamento Físico Militar;
- IRISM/ SAR;
- Orientação Nutricional.
4. CONSIDERAÇÕES INICIAIS
O programa de treinamento foi desenvolvido com o objetivo de preparar o
militar para as exigências físicas do Curso de Busca e Salvamento. Porém,
somente os militares capazes de correr pelo menos 2900 m, em 12 minutos, e
nadar 200 m fardado, sem coturno e sem tempo limite, podem utilizá-lo como
referência.
O treinamento deve ser iniciado precisamente 12 semanas antes do início do
curso.
As atividades diárias estão divididas entre 1º e 2º períodos, estando
discriminadas em quadros semanais. É importante que tal planejamento seja
seguido, para que ocorra a recuperação necessária e se alcance a melhoria desejada
na aptidão física. Em caso de interrupção de até uma semana no treinamento, o
mesmo deve ser reiniciado repetindo-se as atividades da última semana realizada.
Estão presentes no programa, tanto atividades predominantemente aeróbias,
ou de longa duração, como natação, corridas e flutuação, quanto atividades para
melhoria da força e resistência musculares, que estão citadas como Musculação.
Como sugestão ao programa de musculação, abaixo de cada tabela semanal
seguem alguns exercícios importantes para este programa de treinamento.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
Outro aspecto de importância, é a inclusão de exercícios gerais de
alongamento após cada sessão de treinamento. Os movimentos devem ser
conduzidos de forma lenta até a posição inicial de desconforto, permanecendo
nessa posição cerca de 20 segundos. Antes, durante e após cada sessão de
exercícios, deve-se seguir as seguintes recomendações quanto à ingestão de
líquidos:
- Ingerir 500 ml de água uma hora antes do início das atividades físicas;
- Ingerir 300 ml de água, a cada 25 ou 30 minutos, em atividades como
corrida e marcha, que durem mais de 40 minutos; após as atividades, para cada
quilograma de peso corporal perdido, deve-se repor um litro de líquido (água,
repositores hidroeletrolíticos e/ou sucos). O líquido a ser ingerido,
preferencialmente, deve estar fresco (15 a 22ºC);
- Os complementos podem ser realizados no 1º ou 2º períodos;
A seguir encontra-se um plano de treinamento em que a única diferença para
a realidade do Curso será o tempo de descanso entre as atividades habituais
(sequência das instruções, rotina, etc). O aluno que seguir este plano de preparação
estará em excelentes condições físicas para realizar todo o curso. No seu
Treinamento neuromuscular, dê bastante atenção para a musculatura dos ombros,
braços e costas, para que você evite lesões na execução de escalada. Permanecer
em condições de SALVAR E RESGATAR é fundamental no curso e na missão.
As preparações intelectual e psicológica são tão importantes quanto à
preparação física. Com isso o aluno deve realizar sua preparação intelectual e
psicológica para estar em perfeitas condições de suportar as 27 semanas de duração
do Curso de Busca e Salvamento.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
1ª SEMANA
Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período
Corrida 4600m
em 24min
Corrida 5.200m
em 26min
Corrida 4600m
em 24min
Corrida 5.200m
em 26min
Musculação
Corrida 6000m
em 31 min
Musculação Musculação Livre Musculação
3x15 flexão
3x30 abdominal
3x4 barra
2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período
Natação
200m livre
100m perna
100m braço
300m peito
10min flutuação
Natação
200m livre
100m perna
100m braço
300m peito
10min flutuação
Natação
200m livre
100m perna
100m braço
300m peito
10min flutuação
Natação
200m livre
100m perna
100m braço
300m peito
10min flutuação
Natação
200m livre
100m perna
100m braço
300m peito
10min flutuação Livre
Complemento
1 subida na corda
com os pés
Complemento
3x15 flexão
3x30 abdominal
3x4 barra
Complemento
1 subida na corda
com os pés
Complemento
1 subida na corda
com os pés
Complemento
1 subida na corda
com os pés
- Natação de sunga, atentar para o alongamento;
- A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes
de iniciar a atividade);
- Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros
superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e
Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley,
Remada Sentada e Desenvolvimento;
- Para a musculação utilizar 70% da carga máxima.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
2ª SEMANA
Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período
Corrida 5000m
em 26min
Corrida 5.400m
em 27min
Corrida 4800m
em 26min
Corrida 5.400m
em 26min
Musculação
Corrida 6500m
em 32 min
Musculação Musculação Livre Musculação
3x15 flexão
3x30 abdominal
3x5 barra
2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período
Natação
200m livre
200m perna
200m braço
300m peito
15min flutuação
Natação
200m livre
200m perna
200m braço
300m peito
15min flutuação
Natação
200m livre
200m perna
200m braço
300m peito
15min flutuação
Natação
200m livre
200m perna
200m braço
300m peito
15min flutuação
Natação
200m livre
200m perna
200m braço
300m peito
15min flutuação Livre
Complemento
1 subida na corda
com os pés
Complemento
3x15 flexão
3x30 abdominal
3x5 barra
Complemento
1 subida na corda
com os pés
Complemento
3x15 flexão
3x30 abdominal
3x5 barra
Complemento
1 subida na corda
com os pés
- Natação de sunga, atentar para o alongamento;
- A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes
de iniciar a atividade);
- Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros
superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e
Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley,
Remada Sentada e Desenvolvimento;
- Para a musculação utilizar 70% da carga máxima.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
3ª SEMANA
Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período
Corrida 5800m
em 29min
Corrida 7000m
em 35min
Corrida 6000m
em 30min
Corrida 7000m
em 35min
Musculação
Corrida 7000m
em 33 min
Musculação Musculação Livre Musculação
3x20 flexão
3x40 abdominal
3x6 barra
2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
400m peito
15min flutuação
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
400m peito
15min flutuação
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
400m peito
15min flutuação
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
400m peito
15min flutuação
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
400m peito
15min flutuação Livre
Complemento
1 subida na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x20 flexão
3x40 abdominal
3x6 barra
Complemento
1 subida na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x20 flexão
3x40 abdominal
3x6 barra
Complemento
1 subida na corda
sem o auxílio dos
pés
- Natação de sunga, atentar para o alongamento;
- A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes
de iniciar a atividade);
- Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros
superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e
Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley,
Remada Sentada e Desenvolvimento;
- Para a musculação utilizar 70% da carga máxima.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
4ª SEMANA
Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período
Corrida 6000m
em 30min
Corrida 7500m
em 37min
Corrida 7000m
em 35min
Corrida 7500m
em 37min
Musculação
Corrida 8000m
em 40 min
Musculação Musculação Livre Musculação
3x20 flexão
3x40 abdominal
3x7 barra
2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
500m peito
20min flutuação
2x 30seg apinéia
estática
Natação
200m livre
100m perna
100m braço
500m peito
20min flutuação
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
400m peito
15min flutuação
2x 30seg apinéia
estática
Natação
200m livre
100m perna
100m braço
500m peito
20min flutuação
Natação
200m livre
100m perna
100m braço
500m peito
20min flutuação
Livre
Complemento
1 subida na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x20 flexão
3x40 abdominal
3x7 barra
Complemento
1 subida na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x20 flexão
3x40 abdominal
3x7 barra
Complemento
1 subida na corda
sem o auxílio dos
pés
- Natação de sunga, atentar para o alongamento;
- A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes
de iniciar a atividade);
- Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros
superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e
Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley,
Remada Sentada e Desenvolvimento;
- Para a musculação utilizar 70% da carga máxima.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
5ª SEMANA
Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período
Corrida 6500m
em 32min
Corrida 8000m
em 40min
Corrida 7500m
em 37min
Corrida 8000m
em 40min
Musculação
Corrida 8500m
em 42 min
Musculação Musculação Livre Musculação
3x25 flexão
3x50 abdominal
3x8 barra
2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
600m peito
20min flutuação
2x 45seg apinéia
estática
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
600m peito
20min flutuação
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
600m peito
20min flutuação
2x 45seg apinéia
estática
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
600m peito
20min flutuação
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
600m peito
20min flutuação
Livre
Complemento
2 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x25 flexão
3x50 abdominal
3x8 barra
Complemento
2 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x25 flexão
3x50 abdominal
3x8 barra
Complemento
2 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
- Natação de sunga, atentar para o alongamento;
- A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes
de iniciar a atividade);
- Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros
superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e
Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley,
Remada Sentada e Desenvolvimento;
- Para a musculação utilizar 80% da carga máxima.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
6ª SEMANA
Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período
Corrida 6000m
em 30min
Corrida 7000m
em 35min
Corrida 6500m
em 32min
Corrida 7000m
em 35min
Musculação
Corrida 8000m
em 40 min
Musculação Musculação Livre Musculação
3x25 flexão
3x50 abdominal
3x6 barra
2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
400m peito
25min flutuação
3x 30seg apinéia
estática
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
400m peito
25min flutuação
Alagar e desalagar
máscara
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
400m peito
25min flutuação
3x 30seg apinéia
estática
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
400m peito
25min flutuação
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
400m peito
25min flutuação
Livre
Complemento
2 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x25 flexão
3x50 abdominal
3x6 barra
Complemento
3 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x25 flexão
3x50 abdominal
3x6 barra
Complemento
3 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
- Natação de sunga, atentar para o alongamento;
- A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes
de iniciar a atividade);
- Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros
superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e
Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley,
Remada Sentada e Desenvolvimento;
- Para a musculação utilizar 70% da carga máxima.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
7ª SEMANA
Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período
Corrida 6500m
em 31min
Corrida 8000m
em 38min
Corrida 7500m
em 35min
Corrida 8000m
em 38min
Musculação
Corrida 8500m
em 40 min
Musculação Musculação Livre Musculação
3x30 flexão
3x50 abdominal
3x6 barra
2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
500m peito
30min flutuação
3x 30seg apinéia
estática
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
500m peito
30min flutuação
Alagar e desalagar
máscara
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
500m peito
30min flutuação
3x 30seg apinéia
estática
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
500m peito
30min flutuação
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
500m peito
30min flutuação
Livre
Complemento
3 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x30 flexão
3x50 abdominal
3x6 barra
Complemento
4 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x30 flexão
3x50 abdominal
3x6 barra
Complemento
3 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
- Natação de sunga, atentar para o alongamento;
- A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes
de iniciar a atividade);
- Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros
superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e
Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley,
Remada Sentada e Desenvolvimento;
- Para a musculação utilizar 80% da carga máxima.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
8ª SEMANA
Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período
Corrida 7000m
em 33min
Corrida 9000m
em 42min
Corrida 7500m
em 35min
Corrida 9000m
em 42min
Musculação
Corrida 9500m
em 45 min
Musculação Musculação Livre Musculação
3x30 flexão
3x50 abdominal
3x7 barra
2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
600m peito
20min flutuação
3x 45seg apinéia
estática
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
600m peito
20min flutuação
Alagar e desalagar
máscara
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
800m peito
20min flutuação
3x 45seg apinéia
estática
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
600m peito
20min flutuação
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
600m peito
20min flutuação
Livre
Complemento
2 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x30 flexão
3x50 abdominal
3x7 barra
Complemento
3 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x30 flexão
3x50 abdominal
3x7 barra
Complemento
3 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
- Natação de sunga, atentar para o alongamento;
- A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes
de iniciar a atividade);
- Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros
superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e
Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley,
Remada Sentada e Desenvolvimento;
- Para a musculação utilizar 80% da carga máxima;
- A flutuação deverá será feita com cinto de lastro de 1Kg ou similar.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
9ª SEMANA
Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período
Marcha de 12Km
com Eqp e
mochila de 12Kg
em 2h30min
Corrida 9500m
em 44min
Marcha de 12Km
com Eqp e
mochila de 12Kg
em 2h30min
Corrida 9500m
em 44min
Musculação
Corrida 10000m
em 48 min
Musculação Musculação Livre Musculação
3x30 flexão
3x60 abdominal
3x8 barra
2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
700m peito
25min flutuação
3x 1 min apinéia
estática
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
700m peito
25min flutuação
Alagar e desalagar
máscara
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
900m peito
25min flutuação
3x 1 min apinéia
estática
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
700m peito
25min flutuação
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
700m peito
25min flutuação
Livre
Complemento
2 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x30 flexão
3x60 abdominal
3x8 barra
Complemento
3 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x30 flexão
3x60 abdominal
3x8 barra
Complemento
3 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
- Natação de sunga, atentar para o alongamento;
- A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes
de iniciar a atividade);
- Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros
superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e
Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley,
Remada Sentada e Desenvolvimento;
- Para a musculação utilizar 80% da carga máxima;
- A flutuação deverá será feita com cinto de lastro de 2Kg ou similar.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
10ª SEMANA
Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período
Marcha de 16Km
com Eqp e
mochila de 15Kg
em 3h
Corrida 10000m
em 47min
Marcha de 16Km
com Eqp e
mochila de 15Kg
em 3h
Corrida 10000m
em 47min
Musculação
Corrida 12000m
em 57 min
Musculação Musculação Livre Musculação
3x30 flexão
3x60 abdominal
3x9 barra
2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
800m peito
30min flutuação
2x 30 seg apinéia
dinâmica
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
800m peito
30min flutuação
Alagar e desalagar
máscara
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
800m peito
30min flutuação
2x 30 seg apinéia
dinâmica
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
800m peito
30min flutuação
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
800m peito
30min flutuação
Livre
Complemento
3 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x35 flexão
3x60 abdominal
3x9 barra
Complemento
4 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x35 flexão
3x60 abdominal
3x9 barra
Complemento
4 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
- Natação de sunga, atentar para o alongamento;
- A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes
de iniciar a atividade);
- Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros
superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e
Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley,
Remada Sentada e Desenvolvimento;
- Para a musculação utilizar 80% da carga máxima;
- A flutuação deverá será feita com cinto de lastro de 3Kg ou similar.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
11ª SEMANA
Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período
Marcha de 16Km
com Eqp e
mochila de 20Kg
em 3h
Corrida 10000m
em 45min
Marcha de 20Km
com Eqp e
mochila de 16Kg
em 4h
Corrida 10000m
em 45min
Musculação
Corrida 13000m
em 1h02 min
Musculação Musculação Livre Musculação
3x40 flexão
3x60 abdominal
3x10 barra
2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
900m peito
30min flutuação
3x 30 seg apinéia
dinâmica
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
900m peito
30min flutuação
Alagar e desalagar
máscara
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
1100m peito
30min flutuação
2x 30 seg apinéia
dinâmica
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
900m peito
30min flutuação
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
900m peito
30min flutuação
Livre
Complemento
3 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x40 flexão
3x60 abdominal
3x10 barra
Complemento
4 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x35 flexão
3x60 abdominal
3x9 barra
Complemento
4 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
- Natação de sunga, atentar para o alongamento;
- A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes
de iniciar a atividade);
- Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros
superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e
Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley,
Remada Sentada e Desenvolvimento;
- Para a musculação utilizar 80% da carga máxima;
- A flutuação deverá será feita com cinto de lastro de 3Kg ou similar.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
12ª SEMANA
Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período
Marcha de 20Km
com Eqp e
mochila de 20Kg
em 4h e 15min
Corrida 11000m
em 48min
Marcha de 20Km
com Eqp e
mochila de 20Kg
em 4h e 15 min
Corrida 11000m
em 48min
Musculação
Corrida 14000m
em 1h06min
Musculação Musculação Livre Musculação
3x30 flexão
3x60 abdominal
3x11 barra
2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
100m peito
30min flutuação
3x 30 seg apinéia
dinâmica
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
100m peito
30min flutuação
Alagar e desalagar
máscara
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
1300m peito
30min flutuação
2x 30 seg apinéia
dinâmica
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
900m peito
30min flutuação
Natação
200m livre
300m perna
300m braço
900m peito
30min flutuação
Livre
Complemento
3 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x40 flexão
3x60 abdominal
3x10 barra
Complemento
4 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
Complemento
3x30 flexão
3x60 abdominal
3x11 barra
Complemento
5 subidas na corda
sem o auxílio dos
pés
- Natação de sunga, atentar para o alongamento;
- A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes
de iniciar a atividade);
- Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros
superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e
Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley,
Remada Sentada e Desenvolvimento;
- Para a musculação utilizar 80% da carga máxima;
- A flutuação deverá será feita com cinto de lastro de 3Kg ou similar.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
5. ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL
1) Vários fatores interferem no planejamento dietético, entre eles: idade, peso,
altura e atividade física. Assim sendo, fica impossível neste momento a prescrição
individual de dietas e, portanto, será feita apenas uma orientação nutricional
qualitativa. O objetivo desta orientação é promover um melhor estado de saúde e
incorporar práticas nutricionais que aperfeiçoem o treinamento e permitam uma
rápida recuperação.
Vale ressaltar que a alimentação feita de maneira correta é suficiente para
fornecer todos os nutrientes importantes para o organismo, não sendo necessário o
uso de suplementos.
2) Orientações básicas: a) Incluir diariamente no cardápio os seguintes grupos
de alimentos.
- Cereais: arroz, milho, aveia, trigo e derivados (ex: pães, biscoitos, massas,
farinhas)
- Leguminosas: feijão, lentilha, ervilha, soja.
- Carnes: boi, frango, peixe, peru.
- Leites e derivados: iogurte, coalhada, queijos brancos.
- H ortaliças: alface, tomate, brócolis, cenoura, vagem, batata, inhame.
- Frutas: laranja, banana, mamão, kiwi, tangerina.
Obs: O grupo dos cereais, leguminosas e frutas são ricos em carboidratos.
b) Fazer de 4 a 6 refeições por dia, incluindo em todas elas alimentos fontes de
carboidratos.
Ex: - Desjejum e Lanche: Leite e/ou derivados, Pão ou biscoito, Fruta, Cereal
- Colação e Ceia: Fruta, Biscoito ou cereal
- Almoço e Jantar: Verduras e legumes, Arroz (cereal), Feijão (leguminosa),
Carne, Batata ou aipim ou farinha ou massa, e uma Fruta
c) Evitar treinar em jejum. Isto leva a um maior desgaste das reservas de
energia e aumenta a probabilidade da ocorrência de lesões. Quando a atividade
física for de manhã, fazer o desjejum 1 hora antes, e se for à tarde, iniciar 3 horas
após o almoço.
d) Na primeira hora após o exercício, deve-se fazer ingestão de alimentos
fontes de carboidratos. Ex: Suco de laranja, Banana, ou Biscoito de maisena
e) Beber bastante líquido, pelo menos 8 (oito) copos de água por dia.
Entretanto, durante a refeição beber apenas 1 (um) copo.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO
JURAMENTO S.A.R.
É MEU DEVER
COMO MEMBRO DO SERVIÇO DE
BUSCA E SALVAMENTO
SOCORRER FERIDOS E SALVAR VIDAS
ESTAREI PRONTO
EM QUALQUER OCASIÃO
PARA CUMPRIR COM ESTE DEVER
COLOCANDO-O ACIMA DOS MEUS
INTERESSES
PESSOAIS E BEM ESTAR.
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
BUSCA!!!
ORAÇÃO DO S.A.R.
SENHOR TÚ QUE DECIDE ENTRE A VIDA E A MORTE
DAI-NOS NA MISSÃO DE RESGATE
A NÓS COMBATENTES DO SÉCULO DO AÇO
A FORÇA E A CORAGEM PARA PROSSEGUIR
A RUSTICIDDE PARA SUPERAR OS SERTÕES
A TÉCNICA PARA SALVAR NO MAR
E A CALMA PARA SOBREPUJAR AS MONTANHAS
DAI-NOS TAMBÉM ONIPOTENTE
SABEDORIA PARA DECIDIR E RESGATAR
E A PERSEVERANÇA PARA RETORNAR
PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER
BUSCA!!!
“PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

PROGRAMA DE INSTRUÇÃO MILITAR EB70-P-11.001
PROGRAMA DE INSTRUÇÃO MILITAR EB70-P-11.001PROGRAMA DE INSTRUÇÃO MILITAR EB70-P-11.001
PROGRAMA DE INSTRUÇÃO MILITAR EB70-P-11.001
Falcão Brasil
 
CGCFN-17 - Normas Administrativas sobre Cães de Guerra na Marinha do Brasil
CGCFN-17 - Normas Administrativas sobre Cães de Guerra na Marinha do BrasilCGCFN-17 - Normas Administrativas sobre Cães de Guerra na Marinha do Brasil
CGCFN-17 - Normas Administrativas sobre Cães de Guerra na Marinha do Brasil
Falcão Brasil
 
CGCFN-1-1 - Manual de Operações Anfíbias dos Grupamentos de Fuzileiros Navais
CGCFN-1-1 -  Manual de Operações Anfíbias dos Grupamentos de Fuzileiros NavaisCGCFN-1-1 -  Manual de Operações Anfíbias dos Grupamentos de Fuzileiros Navais
CGCFN-1-1 - Manual de Operações Anfíbias dos Grupamentos de Fuzileiros Navais
Falcão Brasil
 
Formação do oficial fuzileiro naval
Formação do oficial fuzileiro navalFormação do oficial fuzileiro naval
Formação do oficial fuzileiro naval
Falcão Brasil
 
Núcleo de Operações Especiais (NOE) da PRF
Núcleo de Operações Especiais (NOE) da PRFNúcleo de Operações Especiais (NOE) da PRF
Núcleo de Operações Especiais (NOE) da PRF
Falcão Brasil
 
CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2
CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2
CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2
Falcão Brasil
 
OPERAÇÕES EM AMBIENTE INTERAGÊNCIAS EB20-MC-10.201
OPERAÇÕES EM AMBIENTE INTERAGÊNCIAS EB20-MC-10.201OPERAÇÕES EM AMBIENTE INTERAGÊNCIAS EB20-MC-10.201
OPERAÇÕES EM AMBIENTE INTERAGÊNCIAS EB20-MC-10.201
Falcão Brasil
 
Orientação aos Candidatos do Curso Especial de Mergulhador de Combate (C-ESP-...
Orientação aos Candidatos do Curso Especial de Mergulhador de Combate (C-ESP-...Orientação aos Candidatos do Curso Especial de Mergulhador de Combate (C-ESP-...
Orientação aos Candidatos do Curso Especial de Mergulhador de Combate (C-ESP-...
Falcão Brasil
 
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009 CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
Falcão Brasil
 
MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5
MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5
MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5
Falcão Brasil
 
CGCFN-11 - Normas para Administração de Pessoal do Corpo de Fuzileiros Navais
CGCFN-11 - Normas para Administração de Pessoal do Corpo de Fuzileiros NavaisCGCFN-11 - Normas para Administração de Pessoal do Corpo de Fuzileiros Navais
CGCFN-11 - Normas para Administração de Pessoal do Corpo de Fuzileiros Navais
Falcão Brasil
 
MANUAL TÉCNICO MANUAL DO INSTRUTOR T 21-250
MANUAL TÉCNICO MANUAL DO INSTRUTOR T 21-250MANUAL TÉCNICO MANUAL DO INSTRUTOR T 21-250
MANUAL TÉCNICO MANUAL DO INSTRUTOR T 21-250
Falcão Brasil
 
MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20
MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20
MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20
Falcão Brasil
 
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011
Falcão Brasil
 
Binóculos de Visão Noturna do Comando de Operações Táticas
Binóculos de Visão Noturna do Comando de Operações TáticasBinóculos de Visão Noturna do Comando de Operações Táticas
Binóculos de Visão Noturna do Comando de Operações Táticas
Falcão Brasil
 
Anexo a do guia do aluno comanf 2012 composição dos kits
Anexo a do guia do aluno comanf 2012   composição dos kitsAnexo a do guia do aluno comanf 2012   composição dos kits
Anexo a do guia do aluno comanf 2012 composição dos kits
Falcão Brasil
 
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
Falcão Brasil
 
Livro da Mística da Guerra na Selva
Livro da Mística da Guerra na SelvaLivro da Mística da Guerra na Selva
Livro da Mística da Guerra na Selva
Falcão Brasil
 
Cronologia da-historia-de-portugal
Cronologia da-historia-de-portugalCronologia da-historia-de-portugal
Cronologia da-historia-de-portugal
josepinho
 
Planilha treinamento testes comanf 2012
Planilha treinamento testes comanf 2012Planilha treinamento testes comanf 2012
Planilha treinamento testes comanf 2012
Falcão Brasil
 

Mais procurados (20)

PROGRAMA DE INSTRUÇÃO MILITAR EB70-P-11.001
PROGRAMA DE INSTRUÇÃO MILITAR EB70-P-11.001PROGRAMA DE INSTRUÇÃO MILITAR EB70-P-11.001
PROGRAMA DE INSTRUÇÃO MILITAR EB70-P-11.001
 
CGCFN-17 - Normas Administrativas sobre Cães de Guerra na Marinha do Brasil
CGCFN-17 - Normas Administrativas sobre Cães de Guerra na Marinha do BrasilCGCFN-17 - Normas Administrativas sobre Cães de Guerra na Marinha do Brasil
CGCFN-17 - Normas Administrativas sobre Cães de Guerra na Marinha do Brasil
 
CGCFN-1-1 - Manual de Operações Anfíbias dos Grupamentos de Fuzileiros Navais
CGCFN-1-1 -  Manual de Operações Anfíbias dos Grupamentos de Fuzileiros NavaisCGCFN-1-1 -  Manual de Operações Anfíbias dos Grupamentos de Fuzileiros Navais
CGCFN-1-1 - Manual de Operações Anfíbias dos Grupamentos de Fuzileiros Navais
 
Formação do oficial fuzileiro naval
Formação do oficial fuzileiro navalFormação do oficial fuzileiro naval
Formação do oficial fuzileiro naval
 
Núcleo de Operações Especiais (NOE) da PRF
Núcleo de Operações Especiais (NOE) da PRFNúcleo de Operações Especiais (NOE) da PRF
Núcleo de Operações Especiais (NOE) da PRF
 
CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2
CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2
CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2
 
OPERAÇÕES EM AMBIENTE INTERAGÊNCIAS EB20-MC-10.201
OPERAÇÕES EM AMBIENTE INTERAGÊNCIAS EB20-MC-10.201OPERAÇÕES EM AMBIENTE INTERAGÊNCIAS EB20-MC-10.201
OPERAÇÕES EM AMBIENTE INTERAGÊNCIAS EB20-MC-10.201
 
Orientação aos Candidatos do Curso Especial de Mergulhador de Combate (C-ESP-...
Orientação aos Candidatos do Curso Especial de Mergulhador de Combate (C-ESP-...Orientação aos Candidatos do Curso Especial de Mergulhador de Combate (C-ESP-...
Orientação aos Candidatos do Curso Especial de Mergulhador de Combate (C-ESP-...
 
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009 CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
 
MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5
MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5
MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5
 
CGCFN-11 - Normas para Administração de Pessoal do Corpo de Fuzileiros Navais
CGCFN-11 - Normas para Administração de Pessoal do Corpo de Fuzileiros NavaisCGCFN-11 - Normas para Administração de Pessoal do Corpo de Fuzileiros Navais
CGCFN-11 - Normas para Administração de Pessoal do Corpo de Fuzileiros Navais
 
MANUAL TÉCNICO MANUAL DO INSTRUTOR T 21-250
MANUAL TÉCNICO MANUAL DO INSTRUTOR T 21-250MANUAL TÉCNICO MANUAL DO INSTRUTOR T 21-250
MANUAL TÉCNICO MANUAL DO INSTRUTOR T 21-250
 
MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20
MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20
MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20
 
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011
 
Binóculos de Visão Noturna do Comando de Operações Táticas
Binóculos de Visão Noturna do Comando de Operações TáticasBinóculos de Visão Noturna do Comando de Operações Táticas
Binóculos de Visão Noturna do Comando de Operações Táticas
 
Anexo a do guia do aluno comanf 2012 composição dos kits
Anexo a do guia do aluno comanf 2012   composição dos kitsAnexo a do guia do aluno comanf 2012   composição dos kits
Anexo a do guia do aluno comanf 2012 composição dos kits
 
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
 
Livro da Mística da Guerra na Selva
Livro da Mística da Guerra na SelvaLivro da Mística da Guerra na Selva
Livro da Mística da Guerra na Selva
 
Cronologia da-historia-de-portugal
Cronologia da-historia-de-portugalCronologia da-historia-de-portugal
Cronologia da-historia-de-portugal
 
Planilha treinamento testes comanf 2012
Planilha treinamento testes comanf 2012Planilha treinamento testes comanf 2012
Planilha treinamento testes comanf 2012
 

Semelhante a Orientação aos Candidatos do Curso de Busca e Salvamento (S.A.R.)

Pqd orient
Pqd orientPqd orient
Pqd orient
Triplo Sof
 
Pqd manual
Pqd manualPqd manual
Pqd manual
Thoth Nine
 
Fab regulamento CIAAR
Fab regulamento CIAARFab regulamento CIAAR
Fab regulamento CIAAR
Revista Sociedade Militar
 
Recuperação Paralela
Recuperação ParalelaRecuperação Paralela
Recuperação Paralela
pri_alquimim
 
ESTÁGIO BÁSICO PARA SARGENTO TEMPORÁRIO ENFERMAGEM PPE 06/3
ESTÁGIO BÁSICO PARA SARGENTO TEMPORÁRIO ENFERMAGEM PPE 06/3ESTÁGIO BÁSICO PARA SARGENTO TEMPORÁRIO ENFERMAGEM PPE 06/3
ESTÁGIO BÁSICO PARA SARGENTO TEMPORÁRIO ENFERMAGEM PPE 06/3
Falcão Brasil
 
Iniciação à canoagem na escola.pdf
Iniciação à canoagem na escola.pdfIniciação à canoagem na escola.pdf
Iniciação à canoagem na escola.pdf
João Paulo Freire
 
Edital 1a edicao 2012 curso de formacao de condudotres de caes de busca e...
Edital     1a edicao 2012 curso de formacao de condudotres de caes de busca e...Edital     1a edicao 2012 curso de formacao de condudotres de caes de busca e...
Edital 1a edicao 2012 curso de formacao de condudotres de caes de busca e...
Jorge Alex Rodrigues
 
Estágio de instrução e preparação para oficiais temporarios (eipot)
Estágio de instrução e preparação para oficiais temporarios (eipot)Estágio de instrução e preparação para oficiais temporarios (eipot)
Estágio de instrução e preparação para oficiais temporarios (eipot)
wallacecarneiro11
 
REGULAMENTO DA ESCOLA PREPARATÓRIA DE CADETES DO AR 21 33 2018 epcar
REGULAMENTO DA ESCOLA PREPARATÓRIA DE CADETES DO AR  21 33 2018 epcarREGULAMENTO DA ESCOLA PREPARATÓRIA DE CADETES DO AR  21 33 2018 epcar
REGULAMENTO DA ESCOLA PREPARATÓRIA DE CADETES DO AR 21 33 2018 epcar
Revista Sociedade Militar
 
ESTÁGIO DE INSTRUÇÃO E DE PREPARAÇÃO PARA OFICIAIS TEMPORÁRIOS (EIPOT) PPE 02/1
ESTÁGIO DE INSTRUÇÃO E DE PREPARAÇÃO PARA OFICIAIS TEMPORÁRIOS (EIPOT) PPE 02/1ESTÁGIO DE INSTRUÇÃO E DE PREPARAÇÃO PARA OFICIAIS TEMPORÁRIOS (EIPOT) PPE 02/1
ESTÁGIO DE INSTRUÇÃO E DE PREPARAÇÃO PARA OFICIAIS TEMPORÁRIOS (EIPOT) PPE 02/1
Falcão Brasil
 
Edital cfsd t i e ii 2014
Edital cfsd t i e ii 2014Edital cfsd t i e ii 2014
Edital cfsd t i e ii 2014
Paulo Russel
 
Caderno de orientao_ao_candidato_do_cos_2018_16_02_18
Caderno de orientao_ao_candidato_do_cos_2018_16_02_18Caderno de orientao_ao_candidato_do_cos_2018_16_02_18
Caderno de orientao_ao_candidato_do_cos_2018_16_02_18
Triplo Sof
 
PALESTRA_ADAP_2020 08JAN20.pdf
PALESTRA_ADAP_2020 08JAN20.pdfPALESTRA_ADAP_2020 08JAN20.pdf
PALESTRA_ADAP_2020 08JAN20.pdf
MatheusMozer4
 
Orientacao ecoe2018
Orientacao ecoe2018Orientacao ecoe2018
Orientacao ecoe2018
Triplo Sof
 
Programa do Ensino Profissional Marítimo para Aquaviários PREPOM - 2015
Programa do Ensino Profissional Marítimo para Aquaviários PREPOM - 2015Programa do Ensino Profissional Marítimo para Aquaviários PREPOM - 2015
Programa do Ensino Profissional Marítimo para Aquaviários PREPOM - 2015
Falcão Brasil
 
Sinopse cbsp
Sinopse cbspSinopse cbsp
Sinopse cbsp
Augusto Santos
 
Curso de Adaptação para Aquaviários - Módulo Específico para Marítimos Seção ...
Curso de Adaptação para Aquaviários - Módulo Específico para Marítimos Seção ...Curso de Adaptação para Aquaviários - Módulo Específico para Marítimos Seção ...
Curso de Adaptação para Aquaviários - Módulo Específico para Marítimos Seção ...
Falcão Brasil
 
Manual de formaturas
Manual de formaturasManual de formaturas
Manual de formaturas
Gi Olli
 
Manual de estagio_de_biologia_._programa_de_disciplina
Manual de estagio_de_biologia_._programa_de_disciplinaManual de estagio_de_biologia_._programa_de_disciplina
Manual de estagio_de_biologia_._programa_de_disciplina
familiaestagio
 
960 regulamento de_estagio_da_civil
960 regulamento de_estagio_da_civil960 regulamento de_estagio_da_civil
960 regulamento de_estagio_da_civil
Rudá Viana
 

Semelhante a Orientação aos Candidatos do Curso de Busca e Salvamento (S.A.R.) (20)

Pqd orient
Pqd orientPqd orient
Pqd orient
 
Pqd manual
Pqd manualPqd manual
Pqd manual
 
Fab regulamento CIAAR
Fab regulamento CIAARFab regulamento CIAAR
Fab regulamento CIAAR
 
Recuperação Paralela
Recuperação ParalelaRecuperação Paralela
Recuperação Paralela
 
ESTÁGIO BÁSICO PARA SARGENTO TEMPORÁRIO ENFERMAGEM PPE 06/3
ESTÁGIO BÁSICO PARA SARGENTO TEMPORÁRIO ENFERMAGEM PPE 06/3ESTÁGIO BÁSICO PARA SARGENTO TEMPORÁRIO ENFERMAGEM PPE 06/3
ESTÁGIO BÁSICO PARA SARGENTO TEMPORÁRIO ENFERMAGEM PPE 06/3
 
Iniciação à canoagem na escola.pdf
Iniciação à canoagem na escola.pdfIniciação à canoagem na escola.pdf
Iniciação à canoagem na escola.pdf
 
Edital 1a edicao 2012 curso de formacao de condudotres de caes de busca e...
Edital     1a edicao 2012 curso de formacao de condudotres de caes de busca e...Edital     1a edicao 2012 curso de formacao de condudotres de caes de busca e...
Edital 1a edicao 2012 curso de formacao de condudotres de caes de busca e...
 
Estágio de instrução e preparação para oficiais temporarios (eipot)
Estágio de instrução e preparação para oficiais temporarios (eipot)Estágio de instrução e preparação para oficiais temporarios (eipot)
Estágio de instrução e preparação para oficiais temporarios (eipot)
 
REGULAMENTO DA ESCOLA PREPARATÓRIA DE CADETES DO AR 21 33 2018 epcar
REGULAMENTO DA ESCOLA PREPARATÓRIA DE CADETES DO AR  21 33 2018 epcarREGULAMENTO DA ESCOLA PREPARATÓRIA DE CADETES DO AR  21 33 2018 epcar
REGULAMENTO DA ESCOLA PREPARATÓRIA DE CADETES DO AR 21 33 2018 epcar
 
ESTÁGIO DE INSTRUÇÃO E DE PREPARAÇÃO PARA OFICIAIS TEMPORÁRIOS (EIPOT) PPE 02/1
ESTÁGIO DE INSTRUÇÃO E DE PREPARAÇÃO PARA OFICIAIS TEMPORÁRIOS (EIPOT) PPE 02/1ESTÁGIO DE INSTRUÇÃO E DE PREPARAÇÃO PARA OFICIAIS TEMPORÁRIOS (EIPOT) PPE 02/1
ESTÁGIO DE INSTRUÇÃO E DE PREPARAÇÃO PARA OFICIAIS TEMPORÁRIOS (EIPOT) PPE 02/1
 
Edital cfsd t i e ii 2014
Edital cfsd t i e ii 2014Edital cfsd t i e ii 2014
Edital cfsd t i e ii 2014
 
Caderno de orientao_ao_candidato_do_cos_2018_16_02_18
Caderno de orientao_ao_candidato_do_cos_2018_16_02_18Caderno de orientao_ao_candidato_do_cos_2018_16_02_18
Caderno de orientao_ao_candidato_do_cos_2018_16_02_18
 
PALESTRA_ADAP_2020 08JAN20.pdf
PALESTRA_ADAP_2020 08JAN20.pdfPALESTRA_ADAP_2020 08JAN20.pdf
PALESTRA_ADAP_2020 08JAN20.pdf
 
Orientacao ecoe2018
Orientacao ecoe2018Orientacao ecoe2018
Orientacao ecoe2018
 
Programa do Ensino Profissional Marítimo para Aquaviários PREPOM - 2015
Programa do Ensino Profissional Marítimo para Aquaviários PREPOM - 2015Programa do Ensino Profissional Marítimo para Aquaviários PREPOM - 2015
Programa do Ensino Profissional Marítimo para Aquaviários PREPOM - 2015
 
Sinopse cbsp
Sinopse cbspSinopse cbsp
Sinopse cbsp
 
Curso de Adaptação para Aquaviários - Módulo Específico para Marítimos Seção ...
Curso de Adaptação para Aquaviários - Módulo Específico para Marítimos Seção ...Curso de Adaptação para Aquaviários - Módulo Específico para Marítimos Seção ...
Curso de Adaptação para Aquaviários - Módulo Específico para Marítimos Seção ...
 
Manual de formaturas
Manual de formaturasManual de formaturas
Manual de formaturas
 
Manual de estagio_de_biologia_._programa_de_disciplina
Manual de estagio_de_biologia_._programa_de_disciplinaManual de estagio_de_biologia_._programa_de_disciplina
Manual de estagio_de_biologia_._programa_de_disciplina
 
960 regulamento de_estagio_da_civil
960 regulamento de_estagio_da_civil960 regulamento de_estagio_da_civil
960 regulamento de_estagio_da_civil
 

Mais de Falcão Brasil

Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdfDesafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdfEstado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdfSegurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Falcão Brasil
 
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdfSegurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Falcão Brasil
 

Mais de Falcão Brasil (20)

Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdfDesafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdfEstado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdfSegurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
 
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdfSegurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
 

Último

reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
marcos oliveira
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 

Último (20)

reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 

Orientação aos Candidatos do Curso de Busca e Salvamento (S.A.R.)

  • 1. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 2. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO SUMÁRIO 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS ............................................. 3 2. FINALIDADE ..................................... ................................. 4 3. REFERÊNCIA ....................................................................... 4 4. O CURSO .............................................................................. 4 5. OBJETIVOS GERAIS DO CURSO ..................................... 5 6. FUNCIONAMENTO DO CURSO ....................................... 6 7. O ALUNO E A ESCOLA ….................................................. 6 8. O ALUNO E A PREPARAÇÃO DO MATERIAL................ 8 9. O ALUNO E A PREPARAÇÃO FÍSICA...............................14 10. O ALUNO E A PREPARAÇÃO INTELECTUAL............. 15 11. O ALUNO E A PREPARAÇÃO PSICOLÓGICA...............15 12. CONSIDERAÇÕES FINAIS.............................................. 15 ANEXO A – COMPOSIÇÃO DOS KITS ................................ 16 ANEXO B – NUMERAÇÃO DO MATERIAL ....................... 19 ANEXO C – PROPOSTA DE TREINAMENTO FÍSICO ....... 20 “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 3. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS Em primeiro lugar, a Equipe de Instrução do Curso de Busca e Salvamento apresenta os cumprimentos pela sua escolha. Foi uma opção sua e envolverá muita luta e força de vontade. Opção que o distingue e o faz merecedor de nossa admiração. Portanto, desejamos sucesso em sua nova e vibrante missão. Lembre-se de que poucos têm a felicidade e o justo orgulho de ostentar o gorro LARANJA, histórico e imortal símbolo de quem SOCORRE FERIDOS E SALVA VIDAS. A presente nota visa a orientar a sua preparação material, física, intelectual e psicológica. Leia-a atentamente e siga as orientações nela contidas. Esta é a sua oportunidade! Saiba aproveitá-la! Portanto, Prepare-se! “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 4. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 2. FINALIDADE a. Ambientar os candidatos ao Curso de Busca e Salvamento (S.A.R.) quanto aos objetivos gerais do curso, o seu funcionamento e as condições de aprovação; b. Orientar os candidatos ao S.A.R. quanto às normas internas essenciais do Centro de Instrução de Aviação do Exército; e c. Orientar os candidatos ao Curso de Busca e Salvamento quanto à preparação do material, física, intelectual, e psicomotora. 3. REFERÊNCIAS a. Portaria Nr 245 – EME, de 16 de outubro de 2014 - Curso SAR para Of; b. Portaria Nr 248-EME, de 20 de outubro de 2014 - Curso SAR para ST/Sgt; c. IRISM/SAR. 4. O CURSO Na 2º Guerra mundial, devido às batalhas aéreas no Canal da Mancha, quando houve um grande abate de aviões das partes em conflito, surgiu a necessidade de criar um grupo, com a finalidade de recuperar tripulações experientes e treinadas, com capacidade de realizar o serviço de BUSCA, através de padrões pré-estabelecidos, progredindo no campo de batalha seja em qualquer tipo de região: montanhosa, de selva, áridas e aquática; e SALVÁ-LAS realizando medidas de Pronto Socorrismo e transportando a vítima para o atendimento final por uma equipe médica. Este grupo, equipe, homens que trabalham arriscando a própria vida em benefício do próximo, cujo o lema é “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER” é denominado de SAR (Search And Rescue) que em português significa Busca e Salvamento. Em dezembro de 1947, no Brasil, houve um acidente de uma Aeronave Catalina em Aquiqui, no Pará. As dificuldades enfrentadas nas buscas da aeronave, devido a região ser de selvas e pantanais, levaram as autoridades aeronáuticas locais a criar uma Comissão Organizadora do Serviço de Busca e Salvamento da 1º Zona Aérea. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 5. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO Em 1986 a Aviação do Exército é reativada, e ciente dos riscos que suas atividades envolvem, surgiu a necessidade da criação do seu próprio Serviço de Busca e Salvamento. Em 1990, foi enviado um oficial e quatro sargentos para a FAB (Força Aérea Brasileira) afim de se especializarem nas atividades de Busca e Salvamento, realizando o curso do PARA-SAR no Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento, no Campo dos Afonsos – Rio de Janeiro/RJ. Hoje, ministrado pela Seção de Emprego Geral, Busca e Salvamento do Centro de Instrução de Aviação do Exército, o Curso de Busca e Salvamento funciona em 27 (vinte e sete) semanas e tem como finalidade capacitar o Oficial e Sargento a desempenhar funções ligadas à: Segurança de Aeródromos, Prevenção de Acidentes, Resgate de tripulações acidentadas, Operações Aeromóveis e Atividades Especiais de Mergulho, Montanha e Patrulha, nos diversos escalões da Aviação do Exército (Av Ex) e Organizações Militares Aeromóveis (OM Amv). 5. OBJETIVOS GERAIS DO CURSO a. Proporcionar ao aluno conhecimentos que permitam o desempenho dos cargos e funções inerentes ao RESGATEIRO. b. Habilitar capitães, tenentes e sargentos, nos níveis que lhes couber, dentre outros, ao exercício das seguintes atividades: 1) Atendimento Pré-Hospitalar; 2) Princípios Legais de Salvamento; 3) Ação Inicial no Local do Acidente; 4) Busca e Salvamento; 5) Técnicas de infiltração e exfiltração aeromóvel; 6) Operações SAR em ambiente Aquático; 7) Operações SAR em ambiente de Montanha; 8) Operações SAR em ambiente de Selva; 9) Meteorologia; “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 6. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 6. FUNCIONAMENTO DO CURSO a. Duração - O SAR tem a duração de 27 (vinte e sete) semanas. O candidato deverá se apresentar com uniforme 8º B2, devendo conduzir também o uniforme 9º B2, 14º e 15º ou os respectivos uniformes equivalentes de outras Forças. b. Regime de trabalho 1) As sessões de instrução têm a duração de 50 (cinquenta) minutos com 10 (dez) minutos de intervalo entre elas. 2) A carga horária semanal é de 40 (quarenta) horas diurnas e 20 (vinte) horas noturnas, podendo variar conforme necessidade do curso. 3) O quadro de trabalho semanal na fase de operações, não será de conhecimento do aluno (QTS fechado). c. Complementação do Ensino - Há, no decorrer do curso, programas de visitas, estágios e pesquisas, visando a complementar a formação e ampliar os conhecimentos necessários ao desempenho das funções específicas da especialidade. * O Aluno na Apresentação para o curso tem que estar portando a carteira de vacinação. 7. O ALUNO E A ESCOLA a. Deveres e direitos 1) Deveres Art 43 do R-62 I - assistir integralmente a todos os trabalhos escolares previstos para seu Cur ou Estg; II - dedicar-se ao seu auto-aperfeiçoamento intelectual, técnico, físico e moral; III - contribuir para o prestígio do CIAvEx; IV - conduzir-se com probidade em todas as atividades desenvolvidas pelo CIAvEx; V - cooperar para a conservação do material e das instalações do CIAvEx; VI - cumprir os dispositivos regulamentares e as determinações superiores; VII - empenhar-se em práticas sadias de higiene individual e coletiva; VIII - participar de todas as atividades escolares presenciais e não presenciais previstas; e “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 7. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO IX - observar rigorosamente os ditames impostos pelas leis vigentes, pela ética militar e pelas normas de moral e bons costumes. 2) Direitos Art. 45 do R-62 I - solicitar revisão de avaliação, de acordo com as normas em vigor no CIAvEx; II - reunir-se com outros alunos para organizar, dentro do CIAvEx, agremiações de cunho cultural, cívico, recreativo ou desportivo, nas condições estabelecidas ou aprovadas pelo Dir Ens; III - recorrer, quando se julgar prejudicado, à autoridade competente, conforme estabelecido neste Regulamento e no Regulamento Disciplinar do Exército (RDE); IV - solicitar trancamento de matrícula ou desligamento do Curso ou Estg, de acordo com o previsto neste Regulamento; V - ser submetido à recuperação de aprendizagem, caso não alcance o rendimento mínimo previsto, conforme estabelecido neste Regulamento; VI - ter acesso à SPscPed para fins de orientação educacional adequada. b. Frequência - Art. 29 do R-62. A freqüência dos alunos aos trabalhos escolares é obrigatória, sendo considerada ato de serviço. Parágrafo único. Para efeito deste artigo, consideram-se trabalhos escolares: I - aulas ou sessões de instrução; II - estágios constantes do planejamento anual de ensino; III - atividades presenciais e não presenciais; IV - avaliações; e V - outras atividades constantes da grade curricular ou da complementação do ensino. - Art. 30 do R-62. O aluno perde um ponto por tempo de trabalho escolar a que deixar de comparecer ou a que não assistir integralmente, se sua falta for justificada, e três pontos se não for justificada, independentemente das sanções disciplinares. § 1º O aluno perderá um máximo de dez pontos se deixar de comparecer ou se assistir parcialmente a um trabalho escolar de duração superior a oito horas, quando sua falta for justificada, e o triplo de pontos se não for justificada. § 2º O número total de pontos perdidos mensalmente pelo aluno, contados sempre a partir do início do Cur ou Estg, será publicado em BI. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 8. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO § 3º O limite máximo de pontos perdidos por um aluno, durante o ano ou período letivo, para efeito de exclusão por faltas, equivale a vinte e cinco por cento do total da carga horária de trabalhos escolares previstos para o Cur ou Estg. - Art. 31 do R-62. Os critérios para apuração de freqüência são os seguintes: I - não terá a falta justificada e perderá três pontos por tempo de atividade o aluno que deixar de comparecer, sem justo motivo, às atividades previstas; II - terá a falta justificada e perderá um ponto por tempo de atividade o aluno que estiver em uma das seguintes situações: a) visita médica em caso de urgência ou devidamente autorizada; b) dispensa por prescrição médica; c) ausente da aula, instrução ou formatura, por motivo de doença, atestada por médico; d) em gozo de dispensa, concedida pelo Comandante do CIAvEx, por motivo de força maior; e) à disposição da justiça; f) dispensado para doação de sangue, quando autorizado; g) dispensado por motivo de luto; e h) outros motivos de força maior, a critério do Dir Ens; III - o aluno não perderá pontos nas seguintes situações: a) serviço ordinário; b) serviço extraordinário, publicado ou não em BI; c) realização de prova formal de segunda chamada; d) entrevista na SPscPed, se convocado; e e) motivo de força maior, a critério do Dir Ens; IV - o aluno que chegar após quinze minutos do início da sessão de instrução, ingressará na atividade, mas será considerado faltoso, perdendo pontos ou não, conforme as razões do atraso; e V - nenhum instrutor poderá dispensar qualquer aluno de sessão de instrução, salvo por motivo imperioso, justificado por escrito. 8. O ALUNO E A PREPARAÇÃO DO MATERIAL a. A preparação minuciosa do material a ser utilizado é muito importante e contribuirá para o êxito no curso. Será apresentado neste item o material que deverá ser providenciado pelo aluno na constituição dos fardos abertos, de combate, de bagagem. b. Quando o aluno for deslocado para as instruções, conduzirá seu fardo aberto e de combate. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 9. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO c. A constituição de alguns kits deve atender as peculiaridades de cada indivíduo, de maneira que nele exista o material julgado necessário para o cumprimento das missões. Alguns são de caráter obrigatório. Deve-se atentar para a praticidade e portabilidade do kit, ou seja, este não deve ser demasiadamente grande, além de ser acondicionado ao equipamento, num local que permita rapidamente seu uso. Na maior parte do tempo durante o curso a mochila do aluno será a única fonte de material. d. Quanto ao kit de 1º socorros, é importante ressaltar que em qualquer situação é proibida a auto medicação. Assim, havendo necessidade, a equipe médica que acompanha permanentemente o turno de alunos realizará o atendimento médico e prescreverá o medicamento a ser utilizado. e. O padrão da numeração do material é o de acordo com o Anexo “A” – Numeração do Material, desta orientação. f. Fardamentos a serem utilizados durante o curso. 1) gorros - A partir da 1ª Fase os alunos utilizarão o gorro de aluno, numerado, a ser distribuído pelo Curso SAR durante a semana administrativa; 2) Uniformes a) Durante o curso serão utilizados os seguintes uniformes: 9°B2, 8°B2, 14° e 15°. Militares de outras Forças ou de Nações Amigas deverão providenciar os respectivos correspondentes; b) Durante todo o período do curso, no uniforme 9º B2 não deverá constar sutache algum. Não é permitido o uso de brevês e distintivos de Arma/Quadro/Serviço e Posto/Graduação, bem como o uso de seus respectivos velcros (“sombras”); c) Não é permitido o uso de alianças, anéis, cordões, pulseiras, etc. É recomendável a utilização de relógio; 3) Identificações dos alunos a) Os alunos deverão providenciar plaquetas de identificação, padronizado pela eqp de instrução, em 01 (uma) via. Estas plaquetas deverão ser presas ao pescoço com cadarço de linha de velame, sem o miolo, que deverá ter as pontas unidas por um nó pescador simples. b) Cada plaqueta deverá possuir os seguintes dados gravados em LETRA DE FORMA MAIÚSCULA: (1) Nome completo; (2) Número da identidade; (3) Tipo sanguíneo; (4) Fator RH; (5) Nr do PREC CP (para militares do EB); (6) No verso, se possui ou não alergia a algum medicamento. c) É obrigatório o uso das plaquetas em todas as atividades do curso. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 10. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 4) Materiais para instruções Aquática a) Máscara preta, de qualquer modelo, numerada; b) Snorkel (tubinho) preto, de qualquer modelo, numerado; c) Par de Nadadeiras fechada, de qualquer modelo, numeradas. Obs: É aconselhável que o aluno possua seu próprio material já ajustado ao corpo, como a máscara, por exemplo. Entretanto, esse material será fornecido pelo Curso SAR. 5) Fardo aberto, composto dos seguintes itens: a) Suspensório (1) Modelo em “Y”, contendo dois bolsos, V.O., sem ferragens e montado no cinto N.A. com cadarço de linha velame; (2) O bolso esquerdo deve conter 01 (um) apito, 01 (um) canivete (podendo ser do tipo “múltiplas funções” ou apenas lâmina) e 01 (uma) lanterna MAGLITE ou similar (à prova d’água) do tipo “solitaire”. Este material deve ser ancorado ao suspensório com fiel simples de cadarço de linha de velame, com o comprimento que permita ao aluno empunhar o material com o braço esticado; (3) O bolso direito deve conter uma bússola, de qualquer modelo e ancorada ao suspensório da mesma forma que os itens do bolso esquerdo. (4) O Anexo A explora melhor este item. b) Cinto N.A. De qualquer modelo, sem ferragens e na cor VO; c) Porta-carregador de fuzil (1) Em número de 02 (dois), de qualquer modelo, V.O., sem ferragens e com passador, montado no cinto N.A. à frente do corpo. Uma liga de borracha deverá reforçar sua fixação ao cinto; (2) No interior do porta-carregador da esquerda serão conduzidos dois carregadores de fuzil municiados, identificados com fita adesiva vermelha; (3) No interior do porta-carregador da direita serão conduzidos o lenço tático para manutenção. Este item deverá ser padronizado no âmbito do turno devendo ser confeccionado com material impermeável, em dimensões tais que caibam todas as peças do PÁRA-FAL desmontado em 1º escalão mais a munição de 7,62mm bem como seus respectivos carregadores. As silhuetas das referidas peças devem estar pintadas no lenço tático. O porta-carregador deverá conter ainda um kit de anotação miniaturizado. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 11. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO Fig. Porta Carregador do Fuzil d) Facão de 14 polegadas com bainha na cor preta Montada no cinto N.A. à esquerda do corpo, sem ferragens e com passador ou velcro. Seu cabo deve ser protegido com borracha de câmara de ar. e) Conjunto Porta-cantil/Cantil/Caneco De qualquer modelo, V.O., sem ferragens e com passador, montado no cinto N A a esquerda/retaguarda do corpo e à direita/retaguarda (sem caneco) do corpo, preso ao mesmo com tira de borracha de câmara de ar; Fig. Porta-cantil/Cantil/Caneco 8) Mochilas a) Devera ser utilizada no decorrer do curso a mochila de grande capacidade, com armação. As mochilas devem ser VO e devidamente numeradas; b) A mochila deverá conter no mínimo os seguintes materiais: (1) Manta velame; (2) Saco de dormir; (3) Poncho Modelo padrão EB ou americano. (4)Lanterna a prova d’água (5)Ração R/2 Será distribuída pelo curso nas semanas administrativas. (6)Lona preta Nas dimensões 1,20m X 1,50m, para proteção do material e organização durante os cerimoniais, bem como finalidades diversas. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 12. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO (7) Conjunto marmita e talheres articulados (a) Conjunto completo; (b) Deve conter sacos plásticos finos para proteger a marmita dos resíduos, em número suficiente para 10 (dez) dias de operações. (8) Uniforme de muda Composto de 1 (uma) unidade das seguintes peças do uniforme: gandola, calça, camisa, cinto VO, 3 (três) pares de meias e cuecas (ou sunga preta e ou bermuda térmica). conjunto “Anorak”, etc. (09) Roupa civil para infiltração e contatos (a) Composta de calça (jeans ou brim), camisa, calçado fechado, par de meias e cinto. Disfarces simples como bonés, óculos, etc, também poderão ser utilizados; (b) Não é permitido o uso de camiseta regata, sandálias, bermuda, camisas de campanhas políticas, clubes de futebol, abrigos ou afins. (10) Cabo solteiro (a) Na cor preta, com 05 (cinco) metros de comprimento por 10 (dez) milímetros de espessura; (b) O cabo solteiro deverá ser acondicionado no lado esquerdo externo da mochila, preso com borrachas de câmara de ar (passador superior e inferior da mochila) e soltura rápida de cadarço velame (passador central). Fig. Acondicionamento do cabo solteiro (11) Kits individuais (a) Os kits individuais devem ser cuidadosamente acondicionados em recipientes plásticos do tipo “tupperware” ou similares (de rosca), identificados com o nome do kit, o número do aluno e com seu conteúdo relacionado e exposto do lado de fora do recipiente, conforme o exposto: “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 13. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO Fig. Exemplo de identificação de Kit (b) O material que compõe os kits deverá ser padronizado para o turno (Anexo C – Composição mínima dos Kits); (c) Os kits individuais são os seguintes: - Kit de Manutenção do Armamento; - Kit de Manutenção do Uniforme; - Kit de Saúde; - Kit de Anotação; - Kit de Higiene; - Kit de Camulflagem. - Kit de sobrevivência - Kit de caixão de areia 12) Material didático a) Para as instruções em sala de aula, os alunos deverão dispor do seguinte material didático (sugestão): (1) Caderno(s) de matérias ou fichário; (2) Jogo de esquadros, régua de 30 cm, transferidor e compasso; (3) Jogo de canetas de retroprojetor (recomendável ponta fina), frasco com álcool e pano para limpeza; (4) Caneta “4 cores”, lápis, lapiseira 0,5mm e borracha; (5) Calculadora; (6) Bloco de apontamentos pautado; (7) Folhas de papel ofício ou A4 avulsas; (8) Pasta polionda, identificada, na cor vermelha (padronizada para o turno); (9) Caneta lumicolor “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 14. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO b) É recomendável ainda que cada aluno possua um exemplar dos seguintes manuais e cadernos de instrução: (1) CI 21-75 (Patrulhas) (2) C 21-26 (Leitura de Cartas e Fotografias Aéreas) (3) MD33-M-02 (Abreviaturas, Siglas, Símbolos e Conversões Cartográficas Obs: Poderão ser utilizadas as edições atualizadas ou Cópias xerocadas, desde que completas. c) O material didático será sempre guardado nos escaninhos da sala de aula, ao término das instruções. 13) Impermeabilização de Eqp Rádio e demais Eqp. Por ocasião das fases de Operações, a impermeabilização dos Eqp rádio e demais materiais que necessitem de impermeabilização fica, totalmente, a cargo do Aluno, necessitando que o mesmo tenha um estoque de sacos plásticos de diversos tamanhos e de boa espessura em condições de uso. 14) Material para instruções de tiro. Para as instruções envolvendo tiro com o Armto de dotação, cada aluno deve conduzir o seu protetor auricular e óculos de proteção. 9. O ALUNO E A PREPARAÇÃO FÍSICA a. Treine para estar em boa forma. Seu organismo deverá estar preparado para suportar esforços físicos prolongados sob situações adversas. b. Apure seu estado físico-orgânico. Faça um “Check-up” médico e dentário. c. Faça corridas longas. d. Pratique flutuação. e. Todos os alunos deverão estar em condições de conduzir, como guia, o aquecimento e a ginástica básica, de acordo com o C 20-20. f. Se você está fraco em natação, procure melhorar seu desempenho. g. Tenha apnéia estática de pelo menos 01 (um) minuto. Pratique exercícios básicos com implementos (respiração com o snorkel, alagar e desalagar a máscara, “canivete”, recuperação dos implementos no fundo da piscina, etc.). h. Pratique as técnicas de escalada e os principais nós e amarrações. i. Uma boa alimentação é imprescindível nesta preparação. j. Não utilize medicamentos ou suplementos alimentares sem orientação médica. Eles podem ser extremamente prejudiciais à saúde. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 15. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO k. O Curso S.A.R. desenvolveu uma proposta de treinamento que tem por objetivo orientar ao candidato do Curso de Busca e Salvamento no seu preparo físico individual, visando obter um rendimento adequado nas atividades do curso. A proposta está anexa a este documento. 10. O ALUNO E A PREPARAÇÃO INTELECTUAL - É interessante que seja feita uma revisão geral dos assuntos que você já conhece e que fazem parte do currículo do curso. Dentre eles, destacamos: a. 1º Socorros (A.P.H.); b. Relembrar os conhecimentos sobre Patrulhas; c. Relembrar os conhecimentos sobre Nós e Amarrações; d. Pratique técnicas de Orientação e Escaladas. 11. O ALUNO E A PREPARAÇÃO PSICOLÓGICA a. Esquematize sua vida para os próximos 06 (seis) meses. O apoio da família é fundamental à sua tranquilidade como aluno; b. Confie no seu potencial e na sua preparação. A vitória sempre foi de quem nunca duvidou dela; c. Acima de tudo, tranquilize-se, pois a Equipe de Instrução fará o máximo para que você tenha acesso a todas as ferramentas necessárias para a formação dos novos Homens de Resgate. . 12. CONSIDERAÇÕES FINAIS Para consecução dos objetivos do curso, a Equipe de Instrução e os alunos utilizarão uma imensa gama de recursos cognitivos, psicomotores e materiais, procurando atender às individualidades, sempre pautado nos prazos estabelecidos pelo sistema de ensino, de forma enérgica, respeitosa e com serenidade. A par dos conhecimentos e habilitações táticas e técnicas que compõem o perfil do Resgateiro, será desenvolvido o ESPÍRITO DE EQUIPE que caracteriza o seu trabalho, que tem como missão salvar vidas e socorrer feridos. O EXCELENTE condicionamento físico e o PREPARO INTELECTUAL E PSICOLÓGICO são pré-requisitos muito importantes do candidato. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 16. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO ANEXO A – COMPOSIÇÃO DOS KITS 1) Kit de Manutenção do Armamento / Facão. - chave de fenda; - cordel para limpeza do cano (com tecido ou escova na extremidade); - escova para limpeza externa do armamento; - estopa ou panos limpos (existência de no minimo 2 unidades); - lenço tático amarelo (0,60 m x 0,30 m); - óleo (existência de no minimo 50 ml); - pedra de amolar (opcional); 2) Kit de Manutenção do Uniforme: - Graxa para calçados; - Escovinha para aplicação da graxa; - Agulhas e Botões; - Linha V.O.; - Alfinetes de segurança e comuns; - Par reserva de bombachas. 3) Kit de Anotações: - bloco de papel (impermeavel) para anotações; - bússola (poderá estar no suspensório); - calculadora, pequena - opcional; - canetas de retroprojetor de ponta fina (azul ou preta e vermelha); - canetas esferográficas azuis e/ou pretas (necessárias para as avaliações); - lapiseira e borracha; - escalímetro; - vasilhame com álcool e pano para limpeza das anotações; - mementos diversos (Bizus de apostilas 1M) - opcional. Obs: O Aluno deverá possuir um Kit de Anotação colocado no bolso da farda. Será constituído por um bloco de plástico, uma caneta retroprojetor e uma caneta azul ou preta. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 17. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 4) Kit de Higiene Pessoal - aparelho e creme de barbear; - escova, pasta de dentes e fio dental; - espelho portátil; - loção antisséptica (opcional); - sabonete, toalha (na mochila); - papel higiênico (na mochila), levar o suficiente para a semana; - Material para banho a seco - tubo de álcool e pano ou lenços umedecidos (utilizado para limpar áreas críticas do corpo, como virilha e axilas, colocado na mochila); - Protetor solar (opcional); e - Repelente. Obs: para a verificação do aprestamento, o papel higiênico e o material para banho a seco deverão ser colocados juntos ao kit de higiene pessoal. 5) Kit de camuflagem: - Bastão ou pastas de camuflagem (nas cores verde, preto e marrom; com predominância da cor verde).; - espelho – opcional; 6) Kit de Primeiros Socorros: - protetor labial – opcional; - água oxigenada; - álcool iodado ou similar; - atadura para imobilização; - antisséptico de uso tópico; - antitérmico / analgésico; - cotonete; - esparadrapo impermeável; - gase ; - hipoglós ou similar; - isotônico em pó; - 01 (um) Par de luvas cirúrgicas; - pinça pequena; - agulha; - tesoura; - outros medicamentos de uso habitual do militar, conforme prescrição médica (SFC). “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 18. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 7) Kit caixão de areia. - Pó xadrez (verde, marrom, preto e azul); - Linha de lã; - Miniaturas de edificações, vtr, soldados e aeronaveis; 8) Kit sobrevivência. - Linha de pesca; - Iscas; - Anzol; - Zagaia; - Kit fogo. 9) No Fardo de combate. - Poncho; - Manta; - Toalha de banho/rosto; - Baterias reservas; - Marmita/talher articulado/um caneco; - Kits diversos (o kit camuflagem podera estar no fado aberto); - Kit Roupa de muda (deverão estar juntos: camisa camuflada, calça, gandola, meias, cueca); - Roupa de contato (na fase de operações); - Lona preta para mostra de material ( 1,20 m x 1,50 m); - Saco de dormir. 10) No Fardo aberto. - Lanterna velada ( opcional); - Bússola; - Apito; - Dois cantis com caneco; - Dois porta carregadores de fuzil; - Facão de 14 polegadas. - O aluno deverá conduzir também: - Para-fal (Quando ordenado); “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 19. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO ANEXO B – NUMERAÇÃO DO MATERIAL 1. NÚMEROS EM TECIDO a. O número do aluno, com dois algarismos, deve ser estampado na cor preta sobre tecido resistente LARANJA com bordas arrematadas para que não desfie, nas dimensões 05 X 09 cm. b. O padrão da matriz dos números é a cargo do turno; c. Estes números identificarão os seguintes materiais e da seguinte forma: 1) Gorro – 02 (dois), na frente e retaguarda; 2) Mochila de grande capacidade – 01(um), na tampa da mochila; 3) Bolsa velame(T10) - 01 (um), na tampa do bolso externo. e. O Pára-Fal deverá ser identificado da mesma forma nas Placas do Guarda Mão. 2. NÚMEROS EM ESPARADRAPO a. O número do aluno, com dois algarismos, deve ser pintado na cor preta sobre o esparadrapo, cortado nas dimensões 05 X 04cm. b. O padrão da matriz dos números é a cargo do turno; Todo material deve ser identificado. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 20. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO ANEXO C – PROPOSTA DE TREINAMENTO 1. FINALIDADE - Orientar o candidato ao Curso de Busca e Salvamento no seu preparo físico individual, visando obter um rendimento adequado nas atividades do curso. - Oferecer subsídios ao candidato do Curso de Busca e Salvamento para realizar a preparação física e nutricional visando seu melhor rendimento no curso. 2. OBJETIVO Apresentar plano de treinamento físico e orientação nutricional, tendo como referência o tempo necessário para o desenvolvimento dessa preparação. 3. REFERÊNCIAS - EB20-MC-10.350, 4º edição 2015, Manual de Treinamento Físico Militar; - IRISM/ SAR; - Orientação Nutricional. 4. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O programa de treinamento foi desenvolvido com o objetivo de preparar o militar para as exigências físicas do Curso de Busca e Salvamento. Porém, somente os militares capazes de correr pelo menos 2900 m, em 12 minutos, e nadar 200 m fardado, sem coturno e sem tempo limite, podem utilizá-lo como referência. O treinamento deve ser iniciado precisamente 12 semanas antes do início do curso. As atividades diárias estão divididas entre 1º e 2º períodos, estando discriminadas em quadros semanais. É importante que tal planejamento seja seguido, para que ocorra a recuperação necessária e se alcance a melhoria desejada na aptidão física. Em caso de interrupção de até uma semana no treinamento, o mesmo deve ser reiniciado repetindo-se as atividades da última semana realizada. Estão presentes no programa, tanto atividades predominantemente aeróbias, ou de longa duração, como natação, corridas e flutuação, quanto atividades para melhoria da força e resistência musculares, que estão citadas como Musculação. Como sugestão ao programa de musculação, abaixo de cada tabela semanal seguem alguns exercícios importantes para este programa de treinamento. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 21. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO Outro aspecto de importância, é a inclusão de exercícios gerais de alongamento após cada sessão de treinamento. Os movimentos devem ser conduzidos de forma lenta até a posição inicial de desconforto, permanecendo nessa posição cerca de 20 segundos. Antes, durante e após cada sessão de exercícios, deve-se seguir as seguintes recomendações quanto à ingestão de líquidos: - Ingerir 500 ml de água uma hora antes do início das atividades físicas; - Ingerir 300 ml de água, a cada 25 ou 30 minutos, em atividades como corrida e marcha, que durem mais de 40 minutos; após as atividades, para cada quilograma de peso corporal perdido, deve-se repor um litro de líquido (água, repositores hidroeletrolíticos e/ou sucos). O líquido a ser ingerido, preferencialmente, deve estar fresco (15 a 22ºC); - Os complementos podem ser realizados no 1º ou 2º períodos; A seguir encontra-se um plano de treinamento em que a única diferença para a realidade do Curso será o tempo de descanso entre as atividades habituais (sequência das instruções, rotina, etc). O aluno que seguir este plano de preparação estará em excelentes condições físicas para realizar todo o curso. No seu Treinamento neuromuscular, dê bastante atenção para a musculatura dos ombros, braços e costas, para que você evite lesões na execução de escalada. Permanecer em condições de SALVAR E RESGATAR é fundamental no curso e na missão. As preparações intelectual e psicológica são tão importantes quanto à preparação física. Com isso o aluno deve realizar sua preparação intelectual e psicológica para estar em perfeitas condições de suportar as 27 semanas de duração do Curso de Busca e Salvamento. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 22. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 1ª SEMANA Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período Corrida 4600m em 24min Corrida 5.200m em 26min Corrida 4600m em 24min Corrida 5.200m em 26min Musculação Corrida 6000m em 31 min Musculação Musculação Livre Musculação 3x15 flexão 3x30 abdominal 3x4 barra 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período Natação 200m livre 100m perna 100m braço 300m peito 10min flutuação Natação 200m livre 100m perna 100m braço 300m peito 10min flutuação Natação 200m livre 100m perna 100m braço 300m peito 10min flutuação Natação 200m livre 100m perna 100m braço 300m peito 10min flutuação Natação 200m livre 100m perna 100m braço 300m peito 10min flutuação Livre Complemento 1 subida na corda com os pés Complemento 3x15 flexão 3x30 abdominal 3x4 barra Complemento 1 subida na corda com os pés Complemento 1 subida na corda com os pés Complemento 1 subida na corda com os pés - Natação de sunga, atentar para o alongamento; - A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes de iniciar a atividade); - Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley, Remada Sentada e Desenvolvimento; - Para a musculação utilizar 70% da carga máxima. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 23. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 2ª SEMANA Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período Corrida 5000m em 26min Corrida 5.400m em 27min Corrida 4800m em 26min Corrida 5.400m em 26min Musculação Corrida 6500m em 32 min Musculação Musculação Livre Musculação 3x15 flexão 3x30 abdominal 3x5 barra 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período Natação 200m livre 200m perna 200m braço 300m peito 15min flutuação Natação 200m livre 200m perna 200m braço 300m peito 15min flutuação Natação 200m livre 200m perna 200m braço 300m peito 15min flutuação Natação 200m livre 200m perna 200m braço 300m peito 15min flutuação Natação 200m livre 200m perna 200m braço 300m peito 15min flutuação Livre Complemento 1 subida na corda com os pés Complemento 3x15 flexão 3x30 abdominal 3x5 barra Complemento 1 subida na corda com os pés Complemento 3x15 flexão 3x30 abdominal 3x5 barra Complemento 1 subida na corda com os pés - Natação de sunga, atentar para o alongamento; - A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes de iniciar a atividade); - Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley, Remada Sentada e Desenvolvimento; - Para a musculação utilizar 70% da carga máxima. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 24. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 3ª SEMANA Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período Corrida 5800m em 29min Corrida 7000m em 35min Corrida 6000m em 30min Corrida 7000m em 35min Musculação Corrida 7000m em 33 min Musculação Musculação Livre Musculação 3x20 flexão 3x40 abdominal 3x6 barra 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período Natação 200m livre 300m perna 300m braço 400m peito 15min flutuação Natação 200m livre 300m perna 300m braço 400m peito 15min flutuação Natação 200m livre 300m perna 300m braço 400m peito 15min flutuação Natação 200m livre 300m perna 300m braço 400m peito 15min flutuação Natação 200m livre 300m perna 300m braço 400m peito 15min flutuação Livre Complemento 1 subida na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x20 flexão 3x40 abdominal 3x6 barra Complemento 1 subida na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x20 flexão 3x40 abdominal 3x6 barra Complemento 1 subida na corda sem o auxílio dos pés - Natação de sunga, atentar para o alongamento; - A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes de iniciar a atividade); - Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley, Remada Sentada e Desenvolvimento; - Para a musculação utilizar 70% da carga máxima. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 25. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 4ª SEMANA Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período Corrida 6000m em 30min Corrida 7500m em 37min Corrida 7000m em 35min Corrida 7500m em 37min Musculação Corrida 8000m em 40 min Musculação Musculação Livre Musculação 3x20 flexão 3x40 abdominal 3x7 barra 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período Natação 200m livre 300m perna 300m braço 500m peito 20min flutuação 2x 30seg apinéia estática Natação 200m livre 100m perna 100m braço 500m peito 20min flutuação Natação 200m livre 300m perna 300m braço 400m peito 15min flutuação 2x 30seg apinéia estática Natação 200m livre 100m perna 100m braço 500m peito 20min flutuação Natação 200m livre 100m perna 100m braço 500m peito 20min flutuação Livre Complemento 1 subida na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x20 flexão 3x40 abdominal 3x7 barra Complemento 1 subida na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x20 flexão 3x40 abdominal 3x7 barra Complemento 1 subida na corda sem o auxílio dos pés - Natação de sunga, atentar para o alongamento; - A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes de iniciar a atividade); - Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley, Remada Sentada e Desenvolvimento; - Para a musculação utilizar 70% da carga máxima. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 26. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 5ª SEMANA Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período Corrida 6500m em 32min Corrida 8000m em 40min Corrida 7500m em 37min Corrida 8000m em 40min Musculação Corrida 8500m em 42 min Musculação Musculação Livre Musculação 3x25 flexão 3x50 abdominal 3x8 barra 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período Natação 200m livre 300m perna 300m braço 600m peito 20min flutuação 2x 45seg apinéia estática Natação 200m livre 300m perna 300m braço 600m peito 20min flutuação Natação 200m livre 300m perna 300m braço 600m peito 20min flutuação 2x 45seg apinéia estática Natação 200m livre 300m perna 300m braço 600m peito 20min flutuação Natação 200m livre 300m perna 300m braço 600m peito 20min flutuação Livre Complemento 2 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x25 flexão 3x50 abdominal 3x8 barra Complemento 2 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x25 flexão 3x50 abdominal 3x8 barra Complemento 2 subidas na corda sem o auxílio dos pés - Natação de sunga, atentar para o alongamento; - A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes de iniciar a atividade); - Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley, Remada Sentada e Desenvolvimento; - Para a musculação utilizar 80% da carga máxima. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 27. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 6ª SEMANA Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período Corrida 6000m em 30min Corrida 7000m em 35min Corrida 6500m em 32min Corrida 7000m em 35min Musculação Corrida 8000m em 40 min Musculação Musculação Livre Musculação 3x25 flexão 3x50 abdominal 3x6 barra 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período Natação 200m livre 300m perna 300m braço 400m peito 25min flutuação 3x 30seg apinéia estática Natação 200m livre 300m perna 300m braço 400m peito 25min flutuação Alagar e desalagar máscara Natação 200m livre 300m perna 300m braço 400m peito 25min flutuação 3x 30seg apinéia estática Natação 200m livre 300m perna 300m braço 400m peito 25min flutuação Natação 200m livre 300m perna 300m braço 400m peito 25min flutuação Livre Complemento 2 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x25 flexão 3x50 abdominal 3x6 barra Complemento 3 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x25 flexão 3x50 abdominal 3x6 barra Complemento 3 subidas na corda sem o auxílio dos pés - Natação de sunga, atentar para o alongamento; - A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes de iniciar a atividade); - Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley, Remada Sentada e Desenvolvimento; - Para a musculação utilizar 70% da carga máxima. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 28. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 7ª SEMANA Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período Corrida 6500m em 31min Corrida 8000m em 38min Corrida 7500m em 35min Corrida 8000m em 38min Musculação Corrida 8500m em 40 min Musculação Musculação Livre Musculação 3x30 flexão 3x50 abdominal 3x6 barra 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período Natação 200m livre 300m perna 300m braço 500m peito 30min flutuação 3x 30seg apinéia estática Natação 200m livre 300m perna 300m braço 500m peito 30min flutuação Alagar e desalagar máscara Natação 200m livre 300m perna 300m braço 500m peito 30min flutuação 3x 30seg apinéia estática Natação 200m livre 300m perna 300m braço 500m peito 30min flutuação Natação 200m livre 300m perna 300m braço 500m peito 30min flutuação Livre Complemento 3 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x30 flexão 3x50 abdominal 3x6 barra Complemento 4 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x30 flexão 3x50 abdominal 3x6 barra Complemento 3 subidas na corda sem o auxílio dos pés - Natação de sunga, atentar para o alongamento; - A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes de iniciar a atividade); - Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley, Remada Sentada e Desenvolvimento; - Para a musculação utilizar 80% da carga máxima. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 29. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 8ª SEMANA Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período Corrida 7000m em 33min Corrida 9000m em 42min Corrida 7500m em 35min Corrida 9000m em 42min Musculação Corrida 9500m em 45 min Musculação Musculação Livre Musculação 3x30 flexão 3x50 abdominal 3x7 barra 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período Natação 200m livre 300m perna 300m braço 600m peito 20min flutuação 3x 45seg apinéia estática Natação 200m livre 300m perna 300m braço 600m peito 20min flutuação Alagar e desalagar máscara Natação 200m livre 300m perna 300m braço 800m peito 20min flutuação 3x 45seg apinéia estática Natação 200m livre 300m perna 300m braço 600m peito 20min flutuação Natação 200m livre 300m perna 300m braço 600m peito 20min flutuação Livre Complemento 2 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x30 flexão 3x50 abdominal 3x7 barra Complemento 3 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x30 flexão 3x50 abdominal 3x7 barra Complemento 3 subidas na corda sem o auxílio dos pés - Natação de sunga, atentar para o alongamento; - A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes de iniciar a atividade); - Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley, Remada Sentada e Desenvolvimento; - Para a musculação utilizar 80% da carga máxima; - A flutuação deverá será feita com cinto de lastro de 1Kg ou similar. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 30. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 9ª SEMANA Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período Marcha de 12Km com Eqp e mochila de 12Kg em 2h30min Corrida 9500m em 44min Marcha de 12Km com Eqp e mochila de 12Kg em 2h30min Corrida 9500m em 44min Musculação Corrida 10000m em 48 min Musculação Musculação Livre Musculação 3x30 flexão 3x60 abdominal 3x8 barra 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período Natação 200m livre 300m perna 300m braço 700m peito 25min flutuação 3x 1 min apinéia estática Natação 200m livre 300m perna 300m braço 700m peito 25min flutuação Alagar e desalagar máscara Natação 200m livre 300m perna 300m braço 900m peito 25min flutuação 3x 1 min apinéia estática Natação 200m livre 300m perna 300m braço 700m peito 25min flutuação Natação 200m livre 300m perna 300m braço 700m peito 25min flutuação Livre Complemento 2 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x30 flexão 3x60 abdominal 3x8 barra Complemento 3 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x30 flexão 3x60 abdominal 3x8 barra Complemento 3 subidas na corda sem o auxílio dos pés - Natação de sunga, atentar para o alongamento; - A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes de iniciar a atividade); - Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley, Remada Sentada e Desenvolvimento; - Para a musculação utilizar 80% da carga máxima; - A flutuação deverá será feita com cinto de lastro de 2Kg ou similar. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 31. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 10ª SEMANA Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período Marcha de 16Km com Eqp e mochila de 15Kg em 3h Corrida 10000m em 47min Marcha de 16Km com Eqp e mochila de 15Kg em 3h Corrida 10000m em 47min Musculação Corrida 12000m em 57 min Musculação Musculação Livre Musculação 3x30 flexão 3x60 abdominal 3x9 barra 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período Natação 200m livre 300m perna 300m braço 800m peito 30min flutuação 2x 30 seg apinéia dinâmica Natação 200m livre 300m perna 300m braço 800m peito 30min flutuação Alagar e desalagar máscara Natação 200m livre 300m perna 300m braço 800m peito 30min flutuação 2x 30 seg apinéia dinâmica Natação 200m livre 300m perna 300m braço 800m peito 30min flutuação Natação 200m livre 300m perna 300m braço 800m peito 30min flutuação Livre Complemento 3 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x35 flexão 3x60 abdominal 3x9 barra Complemento 4 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x35 flexão 3x60 abdominal 3x9 barra Complemento 4 subidas na corda sem o auxílio dos pés - Natação de sunga, atentar para o alongamento; - A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes de iniciar a atividade); - Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley, Remada Sentada e Desenvolvimento; - Para a musculação utilizar 80% da carga máxima; - A flutuação deverá será feita com cinto de lastro de 3Kg ou similar. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 32. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 11ª SEMANA Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período Marcha de 16Km com Eqp e mochila de 20Kg em 3h Corrida 10000m em 45min Marcha de 20Km com Eqp e mochila de 16Kg em 4h Corrida 10000m em 45min Musculação Corrida 13000m em 1h02 min Musculação Musculação Livre Musculação 3x40 flexão 3x60 abdominal 3x10 barra 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período Natação 200m livre 300m perna 300m braço 900m peito 30min flutuação 3x 30 seg apinéia dinâmica Natação 200m livre 300m perna 300m braço 900m peito 30min flutuação Alagar e desalagar máscara Natação 200m livre 300m perna 300m braço 1100m peito 30min flutuação 2x 30 seg apinéia dinâmica Natação 200m livre 300m perna 300m braço 900m peito 30min flutuação Natação 200m livre 300m perna 300m braço 900m peito 30min flutuação Livre Complemento 3 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x40 flexão 3x60 abdominal 3x10 barra Complemento 4 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x35 flexão 3x60 abdominal 3x9 barra Complemento 4 subidas na corda sem o auxílio dos pés - Natação de sunga, atentar para o alongamento; - A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes de iniciar a atividade); - Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley, Remada Sentada e Desenvolvimento; - Para a musculação utilizar 80% da carga máxima; - A flutuação deverá será feita com cinto de lastro de 3Kg ou similar. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 33. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 12ª SEMANA Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período 1º Período Marcha de 20Km com Eqp e mochila de 20Kg em 4h e 15min Corrida 11000m em 48min Marcha de 20Km com Eqp e mochila de 20Kg em 4h e 15 min Corrida 11000m em 48min Musculação Corrida 14000m em 1h06min Musculação Musculação Livre Musculação 3x30 flexão 3x60 abdominal 3x11 barra 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período 2º Período Natação 200m livre 300m perna 300m braço 100m peito 30min flutuação 3x 30 seg apinéia dinâmica Natação 200m livre 300m perna 300m braço 100m peito 30min flutuação Alagar e desalagar máscara Natação 200m livre 300m perna 300m braço 1300m peito 30min flutuação 2x 30 seg apinéia dinâmica Natação 200m livre 300m perna 300m braço 900m peito 30min flutuação Natação 200m livre 300m perna 300m braço 900m peito 30min flutuação Livre Complemento 3 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x40 flexão 3x60 abdominal 3x10 barra Complemento 4 subidas na corda sem o auxílio dos pés Complemento 3x30 flexão 3x60 abdominal 3x11 barra Complemento 5 subidas na corda sem o auxílio dos pés - Natação de sunga, atentar para o alongamento; - A corrida deverá ser realizada com uniforme 5º A (realizar a hidratação antes de iniciar a atividade); - Alternar a Musculação em MI (membros inferiores) e MS (membros superiores). MI: Agachamento, Leg-Press, Flexão e Extensão das Pernas e Panturrilha. MS: Rosca direta, supino reto, supino inclinado, Puxada no Pulley, Remada Sentada e Desenvolvimento; - Para a musculação utilizar 80% da carga máxima; - A flutuação deverá será feita com cinto de lastro de 3Kg ou similar. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 34. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO 5. ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL 1) Vários fatores interferem no planejamento dietético, entre eles: idade, peso, altura e atividade física. Assim sendo, fica impossível neste momento a prescrição individual de dietas e, portanto, será feita apenas uma orientação nutricional qualitativa. O objetivo desta orientação é promover um melhor estado de saúde e incorporar práticas nutricionais que aperfeiçoem o treinamento e permitam uma rápida recuperação. Vale ressaltar que a alimentação feita de maneira correta é suficiente para fornecer todos os nutrientes importantes para o organismo, não sendo necessário o uso de suplementos. 2) Orientações básicas: a) Incluir diariamente no cardápio os seguintes grupos de alimentos. - Cereais: arroz, milho, aveia, trigo e derivados (ex: pães, biscoitos, massas, farinhas) - Leguminosas: feijão, lentilha, ervilha, soja. - Carnes: boi, frango, peixe, peru. - Leites e derivados: iogurte, coalhada, queijos brancos. - H ortaliças: alface, tomate, brócolis, cenoura, vagem, batata, inhame. - Frutas: laranja, banana, mamão, kiwi, tangerina. Obs: O grupo dos cereais, leguminosas e frutas são ricos em carboidratos. b) Fazer de 4 a 6 refeições por dia, incluindo em todas elas alimentos fontes de carboidratos. Ex: - Desjejum e Lanche: Leite e/ou derivados, Pão ou biscoito, Fruta, Cereal - Colação e Ceia: Fruta, Biscoito ou cereal - Almoço e Jantar: Verduras e legumes, Arroz (cereal), Feijão (leguminosa), Carne, Batata ou aipim ou farinha ou massa, e uma Fruta c) Evitar treinar em jejum. Isto leva a um maior desgaste das reservas de energia e aumenta a probabilidade da ocorrência de lesões. Quando a atividade física for de manhã, fazer o desjejum 1 hora antes, e se for à tarde, iniciar 3 horas após o almoço. d) Na primeira hora após o exercício, deve-se fazer ingestão de alimentos fontes de carboidratos. Ex: Suco de laranja, Banana, ou Biscoito de maisena e) Beber bastante líquido, pelo menos 8 (oito) copos de água por dia. Entretanto, durante a refeição beber apenas 1 (um) copo. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”
  • 35. CURSO DE BUSCA E SALVAMENTO – ORIENTAÇÃO AO CANDIDATO JURAMENTO S.A.R. É MEU DEVER COMO MEMBRO DO SERVIÇO DE BUSCA E SALVAMENTO SOCORRER FERIDOS E SALVAR VIDAS ESTAREI PRONTO EM QUALQUER OCASIÃO PARA CUMPRIR COM ESTE DEVER COLOCANDO-O ACIMA DOS MEUS INTERESSES PESSOAIS E BEM ESTAR. “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER” BUSCA!!! ORAÇÃO DO S.A.R. SENHOR TÚ QUE DECIDE ENTRE A VIDA E A MORTE DAI-NOS NA MISSÃO DE RESGATE A NÓS COMBATENTES DO SÉCULO DO AÇO A FORÇA E A CORAGEM PARA PROSSEGUIR A RUSTICIDDE PARA SUPERAR OS SERTÕES A TÉCNICA PARA SALVAR NO MAR E A CALMA PARA SOBREPUJAR AS MONTANHAS DAI-NOS TAMBÉM ONIPOTENTE SABEDORIA PARA DECIDIR E RESGATAR E A PERSEVERANÇA PARA RETORNAR PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER BUSCA!!! “PARA QUE OUTROS POSSAM VIVER”