SlideShare uma empresa Scribd logo
GOIÁS - 2014
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 1
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 2
MANUAL DE
PREENCHIMENTO DE
RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
GOIÁS - 2014
4ª Edição - Atualizada e Ampliada
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 3
SECRETÁRIO DA SEGURANÇA PÚBLICA
Joaquim Cláudio Figueiredo Mesquita
COMANDANTE GERAL DO CBMGO
Cel QOC Carlos Helbingen Júnior
SUBCOMANDANTE GERAL DO CBMGO
Cel QOC Divino Aparecido de Melo
COMISSÃO DE ELABORAÇÃO
Ten Cel QOC Sebastião Nolasco Ribeiro
Maj QOC Douglas Castilho de Queiroz
ST QP/Combatente Marcelo Gomes
ST QP/Combatente Eduardo Gonçalves de Almeida
1º Sgt QP/Combatente Yanne Andressa Oliveira da Cunha Cabral
1º Sgt QP/Combatente Luzia Marques Cruvinel
1º Sgt QP/Combatente Heydson Lopes Cardoso
2º Sgt QP/Combatente Renato Queiroz Silva
4ª REVISÃO
Ten Cel QOC José Borges Filho
2º Ten QOC Diogo Arantes Araújo e Silva
1º Sgt QP/Combatente Heydson Lopes Cardoso
Sd QP/Combatente Romiltom Pereira dos Santos
Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás
Telefone: (62) 3201-2000
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 4
Apresentação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6
Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8
Relatório Básico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .12
Relatório de Incêndio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .18
Relatório de Busca e Salvamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .24
Relatório de Resgate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .26
Relatório de Ações Preventivas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .32
Relatório de Defesa Civil . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .34
Relatório de Produtos Perigosos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .38
Relatório de Vistoria em Hidrantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .42
Relatório de Acidentes com Viaturas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .44
Relatório de Recursos e Materiais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .48
Folha de Continuação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .50
Anexo1:Classificação e Codificação Brasileira de Desastres . . . . . .54
Introduação a Codificação das naturezas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .59
Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO . . . .60
Anexo 3: Codificação do local . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .69
Acesso ao SIAE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .70
Sumário
>>
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 5
Apresentação
Este manual apresenta os modelos de relatórios de ocorrência do Corpo de
Bombeiros Militar do Estado de Goiás e suas respectivas Instruções de
Preenchimento.
A utilização dos relatórios é a melhor forma para padronização dos dados
específicos dos serviços do CBMGO. O relatório é composto por um formulário
básico e um Formulário de Recursos Materiais comum a todas as ocorrências,
acompanhado de formulários específicos, conforme as naturezas: Busca e
Salvamento, Combate a Incêndio, Ações Preventivas, Vistoria em Hidrantes,
Resgate, Defesa Civil, Acidente com Viaturas e Produtos Perigosos.
Com linguagem simples e direta, o manual é uma ferramenta a mais no
auxílio aos bombeiros para a melhor coleta dos dados dos Eventos. É preciso
ressaltar, entretanto, a necessidade de constante avaliação dos relatórios à
medida que a realidade das ruas impor novas demandas.
Esta edição, a quarta desde o lançamento da 1ª Edição em 2010, traz
atualizações e revisões nos relatórios de preenchimentos, atendendo as
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 6 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 6
exigências da SENASP com relação a padronização Nacional dos Relatórios de
Ocorrências dos Corpos de Bombeiros do Brasil.
A mudança mais considerável, por exigência da própria SENASP, foi a
criação de um relatório que especifique os recursos e materiais utilizados nas
ocorrências atendidas pela guarnição. Neste sentido, foi acrescentado aos
relatórios já existentes o relatório de RECURSOS MATERIAIS, devendo ser
preenchido em todas as ocorrências onde houver a atuação da guarnição.
Outra mudança está na Codificação do Local da Ocorrência, Anexo 3, onde
foi introduzido um novo Grupo MEIO DE TRANSPORTE. Esta mudança veio
solucionar o impasse nos atendimentos realizados dentro de veículos que não
foram provenientes de acidentes de trânsito. Ex: Vítima sofre uma queda
dentro do ônibus devido a uma freiada brusca, neste caso o Grupo da
Codificação do Local da Ocorrência será enquadrado em Meio de Transporte, e
não mais em Logradouro Público.
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 7 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 7
Introdução
Os relatórios têm por objetivo levantar dados sobre todo e qualquer evento
atendido pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO). Evento,
também conhecidos como ocorrência, é todo acontecimento de ordem natural ou
geradopelohomemqueimplicaematendimentopertinentesaoCorpodeBombeiros.
Osrelatóriosforamelaboradosparaevitaraduplicidadedeinformaçõeseacoleta
de dados desnecessários. Com o objetivo de agilizar o preenchimento, priorizou-se
hipóteses que exigem apenas marcar os itens pré-estabelecidos (questões de
multiescolha). Não se deve descrever no Histórico dados já mencionados no corpo do
relatóriooudadosdesnecessáriosàdescriçãodoevento.
Um único evento pode gerar tantos quantos relatórios forem necessários. Um
evento de acidente automobilístico, por exemplo, pode gerar um relatório de Resgate
(atendimento pré-hospitalar), Busca e Salvamento (desencarceramento), Ações
Preventivas (limpeza de pista), Defesa Civil (confecção de um RODOC) e Produtos
Perigosos (remoção e/ou transbordo). No exemplo citado, cada guarnição fará o
relatório correspondente de acordo com a natureza de sua atuação, porém o Relatório
Básicoserápreenchidopelocomandantedaviaturadebuscaesalvamento.
Em todos os eventos deve ser preenchido o relatório básico de ocorrência, e
apenas um, junto com os relatórios específicos (tantos quantos forem necessários) de
acordocomosatendimentosrealizados.
O único relatório específico que poderá ter vários preenchimentos é o relatório de
resgate, pois este depende do número de vítimas atendidas no evento. Em todos os
eventos que envolverem vítimas, deverá ser preenchido o relatório de resgate
específicoparacadavítima,inclusivenoscasosdecadáveres.
Caso não haja a necessidade de transporte da vítima a unidade de saúde, a
guarnição deverá preencher além do relatório básico o relatório de resgate, e neste
ultimocolheraassinaturadavítima.
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 8 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 8
Em eventos que envolvam mais de uma guarnição, a responsável pelo
preenchimento do Relatório Básico será a viatura que tem precedência no evento.
Exemplo: nos eventos de incêndio será a Guarnição de Incêndio, nos presos em
ferragens será a Guarnição de Salvamento. A exceção ocorrerá nos atendimentos de
resgate, onde a prioridade será a vítima, ou seja, a guarnição que estiver com a vítima
menosgraveseráaresponsávelemrealizaroprenchimentodorelatóriobásico.
Opreenchimentodorelatórionãodeveráficarcondicionadoàviaturaesimaotipo
deatendimentoprestado,conformeexemplos:
Exemplo1:Emumevento,ondenãofoideslocadoaguarniçãodesalvamento,sea
guarnição de resgate efetuar uma ação de salvamento, retirando as ferragens da
vítima,caberáaelarealizaropreenchimentodorelatóriodesalvamento.
Exemplo2:Aguarniçãoderesgateestáretirandoumavítimadedentrodoveículo,
e neste momento , percebe um princípio de incêndio no veículo. O militar pega o
extintor e faz a extinção do princípio de incêndio, realizando assim, uma atividade de
incêndiooqueimplica opreenchimentodorelatóriodeincêndio.
Caso o relatório seja insuficiente para descrever o evento deverá ser utilizada a
Folha de Continuação indicando no rodapé do relatório básico o número de folhas
preenchidas. Na Folha de Continuação deverá constar o número do evento (fornecido
peloCentrodeOperações).
O responsável pelo preenchimento do relatório e fechamento da ocorrência no
SIAE - Sistema Integrado de Atendimento a Emergências é o comandante da
guarnição. O vistoriante do relatório será o bombeiro militar mais antigo de serviço no
quartel, salvo determinação contrária do Comandante da Unidade, o qual poderá
encarregar outro militar específico para fazer a validação dos dados antes do
fechamentonosistema.
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 9 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 9
Relatórios
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 10 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 10
Da esquerda para direita: 1o Sgt Luzia,
TC Nolasco, ST Almeida e 1o Sgt Heydson
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 11 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 11
Relatório Básico 1/2
>>
1
4
17
3
2
6
8
11
13
9 10
15
5
7
20
21
22
14
19
12
16
23
18
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 12 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 12
Campo 1: Preencher com o nome da unidade da guarnição que atende o evento.
Campo 2: Preencher com o número do aviso (nº da ocorrência) fornecido pelo Centro de
Operações.
Campo 3: Preencher com a data em que o evento foi gerado. Nem sempre haverá
coincidência com a data do fato (neste caso, citar a data do fato no Histórico).
Obedecer ao formato dia/mês/ano, usando sempre dois algarismos.
Campo 4:Preencher com o endereço completo do local do evento.
Campo 5:Preencher com o prefixo da viatura.
Campo 6: Assinalar se a guarnição recebeu apoio de outras guarnições dos bombeiros. Se
sim, escrever os prefixos das viaturas que apoiaram o evento.
Campo 7: Escrever o horário e a quilometragem da viatura no atendimento do evento.
Quando houver mais de uma viatura empenhada, o horário de saída será o da
primeira viatura a deslocar e horário de chegada no evento será o da primeira
viatura a chegar ao local.
Campo 8:Assinalar o ítem, caso o evento seja considerado como urgente. Lembrando que:
Urgência: Estado que necessita de encaminhamento rápido ao hospital.
O tempo gasto entre o momento em que a vítima é encontrada
e o seu encaminhamento deve ser o mais curto possível.
Campo9: Assinalaroapoiodeórgãosexternos.Casonãoestejaespecificado,marcaraopção
"Outro"eescreveronomedaentidadeauxiliadora.
Campo 10: Assinalar as dificuldades encontradas no atendimento ao evento. Caso a opção
assinaladaseja"faltadematerial",énecessáriodescrevê-lo.
Campo 11: Assinalar apenas uma das opções sobre o tipo de chamada, observando que:
Ocorrência:Verificado a necessidade e houver atuação da guarnição;
Trote:Verificado que se tratava de um trote (má fé);
Cancelada:Quando durante o deslocamento for dado QTA, ou for verificado que
não se tratava de serviço de Bombeiros, mas sem a intenção de trote;
Transporte por Terceiros: Quando chegar no local e constatar que a ví́tima foi
transportada por outros meios.
Sem Atuação:Quando não houver atuação da guarnição;
>>
Relatório
BÁSICO
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 13 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 13
24
25
26
27
28
Relatório Básico 2/2
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 14 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 14
Campo 12: Preencher com o total das vítimas fatais do evento, levando em consideração
óbitos no local e/ou nas viaturas em deslocamento. Informar o total das vítimas
não fatais do evento, incluindo as não atendidas pelo CBMGO, bem como totalizar
o numero de vítimas sem lesões. Preencher também com a quantidade de
bombeirosnolocaldoeventoeaquantidadedeviaturas.
Campo 13: Assinalar apenas uma opção, especificando se o serviço era ordinário (serviço
de dia) ou extraordinário (escala extra).
Campo 14: Escrever o código inicial e final do evento conforme Anexo 2.
Código Inicial: É o código da natureza do evento informado antes da chegada da
guarnição no local (informações preliminares).
CódigoFinal:É o código da natureza real do evento constatado pela guarnição.
Campo15:Assinalarapenasumaopção,informandoaformadeacionamento,observandoque:
193:A viatura for acionada pelo Centro de Operações;
199:A viatura for acionada pela Defesa Civil;
Rádio:A viatura for acionada pelo rádio de outra viatura;
Pessoalmente:O solicitante for pessoalmente acionar;
Ordem Verbal:For dada uma ordem verbal que não seja do Centro de Operações;
Ordem deServiço:Em atendimento a ordem de serviço, se houver necessidade
de atuação.
Campo 16:Assinalar apenas uma das três opções para identificar o vulto da ocorrência.
Classificação do vulto estabelecida no POP 001- COB.
Tabela conforme POP 001 -COB.
Nota 1: Acidentes de trânsito com vítima fatal é considerado de grande vulto, independente do
número de vítmas envolvidas.
Nota 2: Salvamentos de animais em poço ou locais diversos sempre será de pequeno vulto.
Campo 17:Escrever a codificação do local conforme Anexo 3.
Campo 18:Identificar as coordenadas geográficas do local do evento.
>>
Relatório
BÁSICO
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 15 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 15
Campo 19: Preenchercomonomecompletodapessoaquerecusaro atendimento/auxíliodo
CBMGO e o número de seu documento (RG ou CPF). Se possível, relacionar duas
testemunhas.
Nota:Recusadeatendimentoédiferentederecusadetransporte,paraoscasosderecusade
transporteosdadosdavítimaserãocolhidosnorelatórioderesgate.
Campo20:Assinalarosrelatóriosaserempreenchidosidentificandocomocódigodaocorrência
deacordocomosatendimentosrealizadosnoEvento.
Campo 21: Preencher com a identificação dos componentes da guarnição e assinatura do
comandantedaguarnição.
Campo22:Preenchercomaidentificaçãoeassinaturadovistoriantedaocorrência.
Campo23:Assinalar se há "Folha de continuação". Caso exista, especificar a quantidade de
páginas
Campo24:Assinalar a qualificação e identificar as pessoas envolvidas no evento. Se houver
maisde2(duas),relacioná-lasnohistórico.Casooespaçosejainsulficienteutilizara
FolhadeContinuação.
Nota1:Idadeesexoécampodepreenchimentoobrigatório,casoavítimanãoportar
documentos,deveráinformaraidadeesexoaparente.
Campo 25: Identificar os veículos envolvidos no evento. Se houver mais de 2 (dois) veículos
envolvidos,relacioná-losnohistóricoouutilizaraFolhadeContinuação.
Campo 26: Assinalar um ou mais itens que ficaram sob custódia e especificar no Campo 27
do relatório as características do item. Escrever os dados da pessoa, com
endereço, telefone e documentos, e/ou a VTR e o órgão que recebeu a custódia.
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 16 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 16
Campo27:Descreverositensqueficaramsobcustódiaeoestadodeles.
Nota1:É obrigatóriaaassinatura dequem recebeua custódia.
Campo 28: Preencher com dados relevantes ou alguma intercorrência no local do evento.
Tomarocuidadoparanãodescreverdadosjámencionadosnocorpodorelatórioou
informaçõesóbvias.
>>
Relatório
BÁSICO
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 17 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 17
1
3
4
4
5
9 10
2
7
8
Relatório de Incêndio 1/2
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 18 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
6
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 18
Campo1: Especificarotipodeincêndioatendido,observandoque:
Vegetação:PreencherasinformaçõesGerais(ParteA)easinformaçõesespecíficas
doincêndioemVegetação(ParteB).
Veículos:PreencherasinformaçõesGerais(ParteA)easinformaçõesespecíficasdo
incêndioemVeículos(ParteC).
Edificações:PreencherasinformaçõesGerais(ParteA)easinformaçõesespecíficas
doincêndioemEdificações(ParteD).
Observação: Nasocorrênciasqueseiniciarememdeterminadotipodeincêndio(vegetação,veículo,edificação)epropagarem–se
atingindooutromaterial,transformando-seoutrotipodeincêndio,deveráseracrescentadaanaturezaespecíficado
novotipodeincêndio,sendoobrigatórioopreenchimentonorelatóriodoscamposreferentesaostiposdeincêndios
registrados, ou seja, como exemplo, um incêndio em terreno baldio (70209) que propagou-se a uma residência
(60509), deverá ter as duas naturezas específicas e preenchido no relatório os campos referentes ao incêndio em
vegetaçãoeaoincêndioemedificação.
PARTEA:INFORMAÇÕESGERAIS (Deveráserpreenchidaemtodosostiposdeincêndio).
Campo 2: Assinalar as ações preventivas e corretivas adotadas no local do evento.
Nocasodoisolamento,trata-sedeimpedirentradadeterceirosnaáreadosinistro.
Campo 3: Assinalar se as condições meteorológicas estavam favoráveis ou desfavoráveis.
Em um combate a incêndio em vegetação, por exemplo, a umidade baixa seria
condição desfavorável, em caso de chuva e temperatura baixa, seria favorável.
Campo4: Indicarotempodeextinçãoederescaldonoincêndio,informaramedidaemhoras.
Campo5: Assinalarosrecursoshídricosutilizadosparaaextinçãodoincêndio.Casoutilizede
algum recurso não descrito, marcar “outro” e escrever o recurso hídrico utilizado.
Campo6: Informaraquantidadetotaldeáguautilizadanoincêndio.
Campo 7: Assinalar as possíveis causas do incêndio. Caso não esteja relacionada, marcar a opção "Outras" e
descrevê-las:
Fenômenos Termoelétricos: Relacionados a aumento de temperatura na rede elétrica (fiação da
edificação);
FenômenosQuímicos:Relacionadocomreaçãoquímicaexotérmicaquecausaliberaçãodeenergia;
FenômenosNaturais:Relacionado com fenômenos da natureza; a combustão espontânea se trata de
fenômenonatural;
InstalaçãoInadequada:Relacionadacominstalaçõesemdesconformidadecomasnormas;
CausasIndeterminadas:Quandonãoforpossívelidentificaracausa;
VazamentoGLP/GNV:RelacionadocomvazamentodeGLPouGNV;
ResultadodeAçãodeCrianças:Relacionadocomdescuidodecrianças.Quandopossívelrelatarotipo
dedescuidonorelatório.
>>
Relatório
INCÊNDIO
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 19 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 19
11
13
17
18
14
15
19
20
21
22
27
24
Relatório de Incêndio 2/2
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 20 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
12
16
23
25
26
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 20
PARTEB:IINCÊNDIOEMVEGETAÇÃO
Campo8: Assinalarotipodevegetaçãoatingidapeloincêndio,observandoque:
Campo(áreanativa):cobertaporvegetaçãorasteiraherbáceacompredominânciade
gramíneas,podendoocorreralgunsindivíduosarbustivos;
Mato(áreaalterada):vegetaçãoruderal,predominantementerasteira,com
elementosarbustivos,ocorrendoemáreasurbanasoubeiradeestradas;
Capoeira (área alterada): vegetação alterada com predominância de
arbustos densos, resultante do processo de regeneração natural ou
sucessão secundária da comunidade original;
Cerrado(áreanativa):caracterizado pela presença de árvores baixas, tortuosas, de
casca grossa, espalhadas sobre um estrato rasteiro, composto por gramíneas e
arbustos finos. Áreas onde há predomínio visual de vegetação arbórea-arbustiva,
formandoumdossel(cobertura)bemdesenvolvido,porémdescontínuo;
Pastagem (áreaalterada):formaçõesabertas,rasteirasconstituídasdeespéciesde
gramíneas e outras forrageiras nativas ou cultivadas. Trata-se de área dedicada à
criaçãodegado,correspondendo,namaioriadasvezes,àpecuáriaintensiva.
Cultura Agrícola Diversa (área alterada): área desmatada para plantio de
espécies vegetais homogêneas com fins de alimentação ou utilização em
indústrias, exceto arrozal, milharal ou canavial, podendo ser rasteiras,
arbustivas ou arbóreas, incluindo a fruticultura;
Canavial (área alterada): área desmatada para plantio de espécies vegetais
homogêneas com fins de alimentação ou utilização em indústrias, campo
semeado de cana-de-açúcar.
Arrozal/Milharal (área alterada): área desmatada para plantio de espécies
vegetais homogêneas com fins de alimentação ou utilização em indústrias,
campo semeado de arroz ou milho.
Floresta Plantada (área alterada): vegetação arbórea plantada, geralmente com
indivíduos alinhados, apresentando forma regular. Podem corresponder ao
reflorestamentocomespéciesnativasouexóticas;
Mata/Floresta(áreanativa):caracterizadapelapresençadeárvoresaltas(acimade
7,0m)comascopassetocandoeestratorasteiroralo.Apresentaumdossel(cobertura)
contínuooupraticamentecontínuoecoberturaarbóreadecercade70%a100%;
Caatinga(áreanativa):dominadaporarvoretasearbustosespinhososqueperdemas
folhasnaestaçãosecaeporplantassuculentascomocactos,broméliasegravatáse
ervasquevivemapenasnaestaçãochuvosa;
Campo9: Assinalarazonaatingidapeloevento;
Faixadedomínio:MargensdeRodoviaseestradas.
>>
Relatório
de
INCÊNDIO
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 21 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 21
Unidadedeconservação:Áreasnaturaispassíveisdeproteção,comcaracterísticas
naturaisrelevantes,legalmenteinstituidaspelopoderpúblico.
Campo10:Informarasáreasatingidaspeloevento,marcandoaunidadedemedidaaplicada;
Áreatotal:Áreatotaldavegetação.Observaraquestãodeaceirosnaturais.
Exemplo: em um incêndio em faixa de domínio a área total deve-se levar em conta
aceirosnaturaiscomocórregos,estradas,etc.
Áreaqueimada:Áreaatingidapelaschamas.
Áreaprotegida: ÉadiferençaentreaÁreaTotaleaÁreaQueimada.Éaáreaquenão
foi afetada pelo incêndio, sendo preservada pelos métodos de combate e extinção
dosincêndios.
PARTEC:INCÊNDIOEMVEÍCULOS
Campo11: Assinalarotipodeveículoenvolvidonosinistro.
Campo12: Assinalarotipodedanosnaspartesespecíficasdoveículoatingido.
PARTED:INCÊNDIOEMEDIFICAÇÕES
Campo 13: Especificar a classe do incêndio. Se houver mais de uma classe, marcar todas e
relatarnohistórico,apredominante.
Campo14: Informaraquantidadedepavimentosdaedificação.
Campo15:Especificaronúmerodepavimentosatingidospelosinistro,observandoque:
Nota1:Edificaçõescomapenasumpavimentoespecificar:de01a01;
Nota2:Pavimentosabaixodoníveldeacessoserãoespecificadoscomsinalnegativo
queprecederáonúmeroqueidentificaopavimento.
Campo16: Relataraáreaatingidapeloincêndio.Lembrandoque:
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 22 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
NOMEDAMEDIDA BRAÇAS METROS HECTARES
Alqueire 100 x 100 220 x 220 4,84
Metroquadrado 0,0001
Quarta 50 x 50 110 x 110 1,21
Tarefa 25 x 25 55 x 55 0,30
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 22
ÁreadoSinistro:Áreatotaldaedificação.
´
Áreadestruída:Áreaatingidapeloincêndio,sejapelaschamasoupelafumaça.
´
ÁreaPreservada: Áreanãoatingidapeloincêndio.
Campo17:Nocampo"fontedecalor/ignição"identificaraprovávelfontedecalordoincêndio.
Campo18:Nocampo"áreadaorigem"doincêndioidentificar olocalprovávelondeoincêndio
teveinício;
Campo19: Assinalarotipodeestruturapredominantedaedificação.
Campo20:Assinalarasituaçãodaenergiaelétricadobemsinistradonachegadadaguarnição
noevento.
Campo21:Seaenergiafordesligadaporbombeiromilitar,identificarobrigatoriamenteomilitar
querealizouocortedaenergia,informandoPosto/Graduação,RGMilitareNomede
Guerra.
Campo22:Preenchercomacorpredominantedaschamas.
Campo23:Assinalaroestadodovidrodobem sinistradonachegadadaguarniçãonoevento.
Campo24:Preenchercomacorpredominantedafumaçadoincêndio.
Campo25:Assinalarosmeiospreventivosativos(usodiretonocombate) epassivos(utilizados
paraevacuação)empregadosnoevento.
Aba:Saliências ou projeção vertical ou horizontal pra fora do prédio, para dificultar
comobarreiraapropagaçãodoincêndio.Ex.:umamarquiz;
Peitoril:Alvenariaabaixodajanela;
Vergas:Alvenariaouestruturadeconcretoacimadajanela;
Campo26:Relacionartodososbensdaedificaçãosinistrada,distinguindoentreosbens
atingidoseosbensprotegidos.
Campo27:Informarosomatóriodosvaloresestimadosdosbensrelacionados.
>>
Relatório
de
INCÊNDIO
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 23 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 23
1
11
3
5
6 7
9
10
Relatório de Busca e Salvamento 1/1
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 24 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
4
8
2
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 24
>>
Relatório
de
BUSCA
E
SALVAMENTO
Campo1: Assinalarostiposdebuscaesalvamentorealizados.Deve-semarcarmaisdeumtipo
de Busca em caso de eventos mistos, ou seja, eventos onde foi realizado
cumulativamenteatividadeTerrestre,Alturaou
Campo2: Assinalarosenvolvidosnoevento.
Campo3: Informaradistânciaentreoprovavéllocaldaocorrênciaeolocalondefoiencontrado
ocorpo/ben/objeto.
Campo4: Informaracoordenadageográficaondeocorpo/ben/objetofoilocalizado.
Campo5: Informarotipodemergulhorealizadopelaguarnição.
Campo6: Informarotipodefundodolocaldasbuscas.
Campo7: Informaravisibilidadedaguarniçaonomeiolíquido.
Campo8: Infomarosmergulhadoresenvolvidosnoeventoepreencherasinformaçõesrelativas
aomergulho.
Campo9: Informarosomatóriodemergulhadoresqueparticiparamdaocorrência.
Campo 10: Assinalar o tipo de animal envolvido no evento, o estado aparente do animal e
descrever a espécie de animal. Em casos de eventos com mais de três tipos de
animais, descrevê-los no histórico da
ocorrênciaounaFolhadeContinuação.
Campo11: Assinalarasaçõestomadaspelaguarniçãonolocal.Casonãoestejarelacionada,
marcaraopção"Outras"edescrevê-las.Lembrandoque:
Esgotamento:Retiradadelíquidoacumuladocomutilizaçãodebomba;
Escoramento:Apoiar ou segurar com escoras qualquer superfície sob ameaça de
colapso;
Escoamento:Retiradadelíquidoacumuladosemutilizaçãodebomba;
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 25 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 25
2
6
3
4
5
Relatório de Resgate 1/2
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 26 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
1
8
10
7
11
12
13
9
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 26
Campo1: Preenchercomonome,idadeesexodavítima.Casonãosejapossívelaidentificação,
escrever"NãoIdentificada".Nestasituação,colocaraidadeaproximadaeosexoda
vítima.Preenchertambémoendereço,telefoneeRG/CPF.
Campo2: Assinalarapenasumaopçãoidentificandoasituaçãoemqueavítimaseencontrava,
sendoque:
Consciente:Vítimasquereagemaperguntasouàvozalta;
Inconsciente:Vítimasquenãoreagemaperguntasouàvozalta;
Óbito:Assinalarestaopçãosomentenoscasosdefinidosnoprotocoloderesgateou
atestadospormédico.Noúltimocaso,colherassinaturadoprofissionalenúmerodo
ConselhoRegionaldeMedicina.
Campo 3: Assinalar se a vítima é bombeiro, se a resposta for sim, assinalar se o bombeiro
estava:
EmServiço:Escaladoparaoserviçobombeiromilitar;
ForadoServiço,Em CumprimentodoDever:Defolga,mascumprindo oseudevere
realizandoserviçodebombeiro;
ForadoServiço:Em horáriodefolga.
Campo4: Assinalarseéacidentedetrabalhooudomestico,lembrandoqueacidentedetrabalho
éoqueocorrepeloexercíciodotrabalhoparaempresaouparasimesmo,nocasodo
autônomo,alemdissoconsidera-secomoacidentedetrabalhooacidentequeocorre
duranteotrajetodaresidênciadotrabalhadoreolocaldetrabalho.Logooacidente
domesticoéaquelequeocorrenoambientedomiciliar.
Campo5: Informar se o atendimento foi realizado com a presença de um médico no local da
ocorrência.
Campo6: Assinalarodestinodavítima,observandoque:
AtendidanoLocal:Semnecessidadedeencaminhamentoàunidadedesaúde.
Recusadetransporte:VítimarecusartransporteoferecidopeloCBMGO,nestecaso
deverácolheraassinaturadavítima.
TransportadaporoutraViatura:Apósatendimentodosuportebásicoouavançado,a
vitimafortransferidaparaoutraviatura.
Transportada por Terceiros: Vítima for transportada por veículo pessoal ou
ambulânciadeoutrasinstituiçõespúblicasouprivadas.
UnidadedeSaúde:Vítimaencaminhadaàunidadedesaúde.
PolíciaTécnico-Científica:Vítimaemóbito,aoscuidadosdaPolíciaTécnico-Científica.
Transportada por Suporte Aeromédico: Após atendimento do suporte básico ou
avançado,avítimaforencaminhadaaosuporteaeromédico.
>>
Relatório
de
RESGATE
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 27 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 27
14
15
20
21
22
23
25
26
Relatório de Resgate 2/2
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 28 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
17
18
16
19
24
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 28
>>
Relatório
de
RESGATE
Campo7:EscreveronomedaUnidadedeSaúdeparaondeavítimaforencaminhada.
Campo8:AssinalarotipodeUnidadedeSaúde.
Campo9:Assinalarsuaclassificação,observandoque:
Primário:Unidade de saúde sem resolutividade, onde se faz apenas consultas com
um clínico geral ou pediatra, sem estrutura para nenhum procedimento (posto de
bairro).
Secundário: Unidade de saúde com alguma resolutividade, onde se têm algumas
especialidades e procedimentos como soro, suturas, observação de pacientes,
retirada de pequenos objetos estranhos e alguns exames para investigação (Cais,
Ciams,eClínicas).
Terciário:Unidadedesaúdecommuitaresolutividade,ondesefazgrandescirurgias,
tratamentos mais complexos, e tem toda estrutura para exames e especialidades
paratrauma(hospitais).
Campo 10: Preencher com o tempo (em minutos) de permanência da viatura na unidade de
saúde.
Campo 11: Assinalar alterações que diminuíram a agilidade do recebimento da vítima na
unidadedesaúde.
Campo12:Preencher com o nome completo, CRM e a assinatura do médico responsável pela
vítima.
Campo13:Descreverfatosrelevantes,sobreoestadoousituaçãodavítima,nãorelacionadosno
relatório.
Campo14:AssinalaraescaladecomadeGlasgowdavítimaepreencherasomanofinaldatabela.
Campo 15: Preencher com o monitoramento contínuo do nível de saturação do oxigênio no
sangue e o pulso do paciente no evento, cinco minutos após a saída do local e na
chegadaaohospital.
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 29 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 29
Campo16: Assinalardentreasopçõesasituaçãodavítimanomomentodoevento.
Campo17: Preenchercomosdadosdossinaisvitaisdavítimanosquadroscorrespondentes.
Campo18: Assinalaraposiçãodavítima,marcandoapenasumitem.
Campo19: Assinalarositensdesegurançautilizadospelavítimanomomentodoevento.Seos
itens de segurança forem removidos por terceiros ou pela vítima, assinalar a opção
"sim"erelatarnohistórico.
Campo20: Assinalar as lesões apresentadas pela vítima relacionando o tipo de lesão no eixo
vertical com o local das mesmas no eixo horizontal conforme exemplo abaixo. Em
casodevítimasdequeimadurasdeveráassinalaroitem"outraslesões"preenchendo
otópicoespecíficodequeimaduras.
LEGENDA(PRINCIPAISLESÕES):
FCcontuso:Ferimentocortocontuso;
FPerfurante:Ferimentoperfurante;
Pesc:Pescoço;
Abd:Abdômen;
MSD:Membrosuperiordireito;
MSE:Membrosuperioresquerdo;
MID:Membroinferiordireito;
MIE:Membroinferioresquerdo.
Campo21: Assinalaroagentecausadordaqueimadura,observandoque:
Térmicos:Sãoascausadaspelatemperaturaechoqueelétrico.
Químicos:Porprodutosquímicos.
Radiação:Porraiosultravioletas-UV,raiosXouporradiaçõesionizantes.
Abrasão:Causadaspeloatritocomsolo.
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 30 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 30
Campo22: Assinalarseasviasaéreasforamatingidas.
Campo23: Indicandoaporcentagemdasuperfícieatingidapelaqueimadura,observandoque:
Campo24: Assinalarotipodelesãopredominantenavítima.
Campo25: Escreveronomedoagentecausadordaqueimadura.
Campo26: Assinalarosprocedimentosbásicosrealizadosnavítimapelaunidadederesgate,
bemcomoosprocedimentosrealizadosnavitimapelaunidadedesuporteavançado.
LEGENDA:
MI:MembroInferior
MS:MembroSuperior
DESA:DesfibriladorSemiautomático
>>
Relatório
de
RESGATE
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 31 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 31
1
2
3
4
5
6
Relatório de Ações Preventivas 1/1
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 32 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 32
>>
Relatório
de
AÇÕES
PREVENTIVAS
Campo1:AssinalarotipodeAçãoPreventivarealizada.
Proativa: São eventos de carater preventivo que não necessitam de urgência no
deslocamento para o seu atendimento. (preencher os apenas os campos 2, 3 e 4).
Reativa:Sãoeventosdecaraterpreventivoque,emsuagrandemaioria,necessitam
de urgência no deslocametno para o seu atendimento. (preencher os apenas os
campos5e6).
Campo2:Assinalarasmedidaspreventivasadotadas.Casoaaçãonãoestejarelacionada,
marcarocampo"Outra"edescrevê-la.
Campo3: Assinalarosmétodosutilizadosparaarealizaçãodaaçãopreventiva.Casoométodo
nãoestejarelacionado,marcarocampo"Outra"edescrevê-lo.
Campo4: Assinalaredescreverinformaçõesadicionaisdoevento.
Campo5: Assinalarasmedidasdiversas-açõesdecaráternãoemergencial-adotadas.Casoa
medidanãoestejarelacionada,marcarocampo"Outra"edescrevê-la.
Campo6: Assinalaredescreverinformaçõesadicionaisdoevento.
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 33 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 33
1
2
3
7
8
9
4
5
6
Relatório de Defesa Civil 1/1
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 34 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 34
>>
Relatório
de
DEFESA
CIVIL
Campo 1: Preencher com o agente causador do sinistro. Descreva o evento adverso que
provocou o desastre, informando sobre suas características intrínsecas e
magnitude.
Campo 2: Preencher com as áreas onde tenha ocorrido o evento, que tenha sido atingida
ou prejudicada pelo sinistro. Descreva a(s) área(s) afetada(s) delimitando-a(s),
com o máximo de precisão. Anexe fotos, mapa ou croqui representando-a(s).
Campo 3: Assinalar a intensidade dos danos encontrados nas áreas afetadas com base
na Classificação Geral dos Desastres do Sistema Nacional de Defesa Civil
(Sindec).
Campo 4: Escrever a classificação da ocorrência (COBRADE NUMÉRICO) segundo anexo
1. Este campo é de preenchimento obrigatório e em caso de dificuldade em
relacionar a ocorrência ao COBRADE realizar consulta na Defesa Civil.
Campo 5: Informar a quantidade de pessoas vitimadas, de alguma forma, em
consequência do desastre, discriminando:
Desalojadas: Obrigadas a abandonar temporária ou definitivamente sua
habitação, mas que não necessitam de abrigo patrocinado pelo Governo;
Desabrigadas: Obrigadas a abandonar temporária ou definitivamente sua
habitação, mas que necessitam de abrigo patrocinado pelo Governo;
Deslocadas: Que por meio de desastre, perseguição política ou religiosa ou por
outro motivo, são obrigadas a migrarem da região que habitam para outra;
Desaparecidas: Que não foram localizadas ou de destino desconhecido, em
circunstancia do desastre;
Mortas: Pessoas falecidas, em consequência do desastre;
Enfermas: Que apresentavam alguma patologia clínica em consequência do
desastre;
Feridas Levemente: Que apresentam lesões simples, sem risco de morte
iminente e que não necessitam de hospitalização;
Feridas Gravemente: Que apresentam lesões graves, com risco de morte
iminente necessitando de hospitalização;
Afetadas: Total de pessoas vitimadas de alguma forma em consequência do
desastre. Uma pessoa pode sofrer mais de um tipo de dano ou não se
enquadrar em nenhum dano especificado acima. Exemplos:
a) a pessoa que foi desabrigada e ferida
(duas vezes atingida) é contada como uma afetada.
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 35 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 35
b) a pessoa que teve sua casa atingida por inundação e não se enquadra
em nenhum dos danos humanos é contada como uma afetada.
Em consequência, o número de pessoas afetadas não é, obrigatoriamente, o
somatório dos danos humanos. Não se esqueça de incluir nesses números os
membros das equipes da Defesa Civil afetados de alguma forma durante o
atendimento.
Campo 6: Indicar a quantidade de edificações danificadas ou destruídas pelo desastre (se
não exata, pelo menos estimada), discriminando:
Residência: Casas ou unidades habitacionais afetadas pelo desastre, inclusive
apartamentos.
Comércio: Estabelecimentos destinados à permutação, troca, compra e venda
de produtos ou valores.
Indústria: estabelecimentos destinados à transformação e produção de
mercadorias.
Prédio Público: Edificações ou instalações públicas afetadas pelo desastre,
excluindo as destinadas a ensino e saúde, que serão totalizadas em campo
próprio.
Comunitário: Instalações comunitárias, como centros de convivência, creches e
outras.
Estabelecimento de Saúde: Estabelecimento público ou privado onde se
pratica medicina ou procede-se exames clínicos, radiografias, etc.
Área de Proteção Ambiental - APA: Áreas públicas ou privadas destinadas a
preservação da fauna/flora (Parque Nacional, Estadual, Municipal, Reserva
particular, etc.). No espaço entre parênteses, indique a unidade de medida
utilizada para indicar a área afetada (ha, km² etc.).
Obra de arte: Estruturas tais como bueiros, pontes, viadutos, túneis, muros de
arrimo, etc., necessárias à construção de estradas.
Estrada: caminho destinado ao transito de pessoas, animais e veículos,
pavimentado ou não. Anote no espaço a distancia em quilômetros (km).
Ensino: Estabelecimento público ou privado onde se ministra,
sistematicamente, ensino coletivo.
Campo 7: Assinalar qual elemento do meio ambiente foi afetado pelo evento.
Campo 8: Assinalar os serviços essenciais afetados pelo desastre. Em caso de danos,
comprometimento ou destruição destes à coletividade, identificando:
Saúde: Hospitais, Centros e postos de saúde, etc.
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 36 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 36
Comunicação:Instalações e eixos de comunicações.
Educação: Ensino fundamental, médio e superior.
Energia: Sistema de geração, transmissão, estações e rede de distribuição.
Transporte: Terminais, vias de tráfegos e os meios de transporte propriamente
ditos (veículos).
Água/Esgoto: Captação, estação de tratamento, armazenamento, rede de
distribuição ou coleta.
Segurança: Garantia de ordem, incolumidade física e da posse aos cidadãos.
Campo 9: Assinalar se houve o cadastro de pessoas afetadas. Descrever no básico os
documentos confeccionados anexados ao relatório, como Noprede, Avadan,
Fotos, croqui, laudos técnicos, etc.
Observação: No histórico do relatório básico, deverá constar a atuação da
equipe e a solução/sugestão.
>>
Relatório
de
DEFESA
CIVIL
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 37 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 37
1
2
5
6
8
9 10 11
12
13
14
15
4
7
3
Relatório de Produtos Perigosos 1/1
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 38 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 38
>>
Relatório
de
PRODUTOS
PERIGOSOS
Campo 1: Preencher por extenso com o nome químico comum ou o dado pelo fabricante do
produtoperigoso.
Campo 2: Informar o número ONU - localizado no Painel de Segurança (placa de cor laranja
afixadanaslaterais,traseiraedianteiradoveículo);
Campo3: Informar o número de classe ou subclasse de risco - localizado na parte inferior do
RótulodeRisco.
Exemplocampos1,2,3e4:
Campo4: Descreverotipoderecipientenoqualseencontravaoproduto;
Campo5: Indicarovolumeestimadodoprodutoextravasado/liberadoeassinalaraunidadede
medida;
Campo6: Indicarovolumeestimadodorecipiente(oquantoelecomporta)eassinalaraunidade
demedida;
Campo7: Assinalaroestadofísicodoproduto.
Campo8: Identificaraquantidadedepessoascontaminadas,irradiadas,evacuadaseatingidas,
nolocaldoevento,observandoque:
Contaminados:Vítimasinfectadaspeloproduto;
Irradiadas:Pessoas que se aproximaram do material radioativo e receberam carga
radioativa;
Evacuadas:Pessoasemsituaçãoderiscoretiradasdolocaldoevento;
Atingidos:Somadaspessoascontaminadas,irradiadaseevacuadas.
Campo9: Descreveraáreaisoladadoevento-sinistradasobacessoexclusivodasequipesde
socorro,eassinalaraunidadedemedida.
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 39 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 39
Campo 10: Descrever a área contaminada - afetada diretamente pelo produto, e assinalar a
unidadedemedida.
Campo11: Descreveraáreadeabandono-áreaevacuada,eassinalaraunidadedemedida.
Campo12: Assinalaroselementosdomeioambientecontaminadospeloproduto.
Campo13: Assinalaroórgãoresponsávelpelodestinofinaldoprodutocausadordeevento.
Campo14: Assinalarasaçõespreventivas/corretivasadotadasnolocaldoevento.
Campo15: Assinalaracausapresumidadosinístro.
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 40 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 40
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 41 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
Vidas alheias e riquezas salvar.
>>
Relatório
de
PRODUTOS
PERIGOSOS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 41
1
2
3
4
5
6
7
8
Relatório de Vistoria em Hidrantes1/1
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 42 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 42
>>
Relatório
de
VISTORIA
EM
HIDRANTES
Campo1: Assinalaroobjetivodavistoriacomo:
Cadastramento:AtodeincluirohidrantenobancodedadosmantidopeloCentrode
Operações;
Teste:Verificarafuncionalidadeeoperabilidadedohidrante;
Inspeção:Vistoriaderotina;
Manutenção: É o ato de sanar pequenos defeitos e manter a operabilidade dos
hidrantes.
Campo 2: Preencher com o número que identifica o hidrante e assinalar o tipo de hidrante
vistoriado.Casonãoestejavisível,onúmeroseráfornecidopelobancodedadosdo
CentrodeOperações.
Campo3:Assinalarascondiçõesdeusoeascaracterísticasdohidrante.
Campo4:Assinalarositensqueimpedemoudificultamoacessoaohidrante.
Campo5:Assinalaraspeçasdanificadasouqueprecisamsertrocadas.
Campo6:Assinalarositensrelacionadoscomamáinstalaçãodohidrante.
Campo7:Assinalarositensrelacionadoscomosproblemasdemanutençãodohidrante.
Campo 8:Assinalar a falta de pintura com tinta refletiva nas cores amarela ou vermelha em
partesdohidrante.
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 43 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 43
1
2
3
4
5
Relatório de Acidentes com Viaturas1/2
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 44 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
6
7
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 44
>>
Relatório
de
ACIDENTES
COM
VIATURAS
Campo1: Preenchercomdadosdomilitarqueconduziaaviaturaenvolvidanosinistro.Informar
também,acategoria, número,validadeetempodeCNH.
Campo2: Assinalarotipodedeslocamentoedavia.
Campo3: Assinalaracausaprincipaldoevento,observandoque:
Atropelamento:Quandoatropelarpedestre;
Colisão:Quandocolidircomoutroveículonatraseiraoufrontal;
Atropelamentodeanimal:Quandoatropelaranimais;
Choquecomobjetofixo:Quandocolidircomobjetofixo,diferentedeoutroveículo;
Tombamento:Quandotombarlateralmentesematingiroteto;
Abalroamento: Quando colidir lateralmente, estando um veículo do lado do outro,
mesmoemsentidocontrário;
Capotamento:Quandogirarnopróprioeixoeatingiroteto.
Campo4: Assinalarquaisfatorescolaboraramparaosinistro.
Campo5: Assinalarascondiçõesadversaseousodeequipamentosdesegurançarelacionando-
os.
Campo6: Assinalaracategoriada viaturaenvolvidanoacidente.
Campo7: Preenchercomosdadoseaassinaturadoresponsávelpelosdanosàviaturaem
decorrênciadoacidente.
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 45 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 45
8
9
Relatório de Acidentes com Viaturas 2/2
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 46 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 46
Campo8: Indicarnafiguraaáreadoveículoafetadapeloeventoemarcaraintensidadedaavaria
naspartesatingidas.
Campo9: Desenhar o cenário do acidente observando a localização de acordo com a posição
geográfica. Informar sentido das vias, semáforos, posição do veículo, faixas de
pedestreeoutrasinformaçõesrelevantesparacaracterizaroacidente.
>>
Relatório
de
ACIDENTES
COM
VIATURAS
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 47 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 47
Relatório de Recursos Materiais 1/1
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 48 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
1
2
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 48
Campo1: Assinalarosrecursosmateriaisutilizadosportodasasguarniçõesqueatenderamo
evento.Casoaguarniçãoutilizarum recursoquenãoconstenalista,assinalaro
campooutrosrecursoseinformarporextensootipoderecursoutilizado.
Campo2: Assinalarosmateriaisutilizadosportodasasguarniçõesqueatenderamoevento.
Casoaguarniçãoutilizarum materialquenãoconstenalista,assinalarocampo
outrosmateriaiseinformarporextensootipodematerialutilizado.
>>
Relatório
de
RECURSOS
MATERIAIS
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 49 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 49
Folha de Continuação 1/1
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 50 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
1
2
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 50
Campo1: Utilizarafolhadecontinuaçãoparacomplementarqualquerinformaçãonão
comportadanosrelatórios.
Nota1: Afolhadecontinuaçãoéimportanteemeventosqueperduramporvários
dias,necessitandodeumhistóricoquerelateaatuaçãodaguarniçãoemcadadiaou
duranteumperíodooperacionalestabelecido.
Campo2: Informaronúmerodafolhadecontinuaçãopreenchidaequantasfolhasexistemno
total.
>>
FOLHA
DE
CONTINUAÇÃO
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 51 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 51
Anexos
>>
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 52 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
Da esquerda para direita:
ST Gomes, Sgt Queiroz,
Sgt Yanne e TC Douglas
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 52
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 53 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 53
D e S A S t R e n A t u R A l c o b R A D e
geológIco
Terremoto
Tremor de terra 1.1.1.1.0
Tsunami 1.1.1.2.0
Emanação Vulcânica 1.1.2.0.0
Movimento de massa
Quedas, Tombamentos e Rolamentos
Blocos 1.1.3.1.1
Lascas 1.1.3.1.2
Matações 1.1.3.1.3
Lajes 1.1.3.1.4
Deslizamentos
Deslizamentos de Solo ou Rocha 1.1.3.2.1
Corridas de Massa
Solo/Lama 1.1.3.3.1
Rocha/Detrito 1.1.3.3.2
Subsidências e colapsos 1.1.3.4.0
Erosão
Erosão Costeira/Marinha 1.1.4.1.0
Erosão de Margem Fluvial 1.1.4.2.0
Erosão Continental
Laminar 1.1.4.3.1
Ravinas 1.1.4.3.2
Boçorocas 1.1.4.3.2
HIDRológIco
Inundações 1.2.1.0.0
Enxurradas 1.2.2.0.0
Alagamentos 1.2.3.0.0
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 54 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
Anexo 1: Classificação e Codificação Brasileira de Desastres
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 54
D e S A S t R e n A t u R A l c o b R A D e
meteReológIco
Sistema de Grande Escala/Escala Regional
Ciclones
Ventos Costeiros (Mobilidade de Dunas) 1.3.1.1.1
Marés de Tempestades (Ressacas) 1.3.1.1.2
Frentes Frias/Zonas de convergência 1.3.1.1.1
Tempestades
Tempestade Local/Convectiva
Tornados 1.3.2.1.1
Tempestades de raios 1.3.2.1.2
Granizo 1.3.2.1.3
Chuvas Intensas 1.3.2.1.4
Vendaval 1.3.2.1.5
Temperaturas Extremas
Onda de Calor
Onda de Frio
Friagem 1.3.3.2.1
Geadas 1.3.3.2.2
clImAtológIco
Seca
Estiagem 1.4.1.1.0
Seca 1.4.1.2.0
Incêndio Florestal
Incêndios em Parques, 1.4.1.3.1
Áreas de Proteção Ambiental
e Áreas de Preservação
Permanente Nacionais, Estaduais
ou Municipais.
Incêndio em áreas não protegidas, 1.4.1.3.2
com reflexos na qualidade do ar
Baixa Humidade do Ar 1.4.1.4.0
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 55 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
>>
Anexo
1:
Classificação
e
Codificação
Brasileira
de
Desastres
-
COBRAD
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 55
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 56 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
DeSAStRe nAtuRAl cobRADe
bIológIco
Epidemias
Doenças infecciosas virais 1.5.1.1.0
Doenças infecciosas bacterianas 1.5.1.2.0
Doenças infecciosas parasíticas 1.5.1.3.0
Doenças infecciosas fúngicas 1.5.1.4.0
Infestações/Pragas
Infestações de animais 1.5.2.1.0
Infestações de algas
Marés vermelhas 1.5.2.2.1
Ciano bactérias em reservatórios 1.5.2.2.2
D e S A S t R e t e c n o l ó g I c o c o b R A D e
DeSAStReS RelAcIonADoS A SubStâncIAS RADIoAtIvAS
Desastres Siderais com riscos radioativos
Queda de Satélite (radionuclídeos) 2.1.1.1.0
Desastres com substâncias e equipamentos
radioativos de uso em pesquisas, indústrias
e usinas nucleares
Fontes radioativas em processo de produção 2.1.2.1.0
Desastres relacionados com riscos de intensa
poluição ambiental provocada por resíduos
radioativos
Outras fontes de liberação de radionuclídeos para o meio ambiente 2.1.3.1.0
Anexo 1: Classificação e Codificação Brasileira de Desastres
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 56
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 57 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
DeSAStRe tecnológIco cobRADe
DeSAStReS RelAcIonADoS A PRoDutoS PeRIgoSoS
Desastres em plantas e distritos industriais,
parques e armazenamentos com extravasamentos
de produtos perigosos
Liberação de produtos químicos para a atmosfera causada por explosão ou incêndio 2.2.1.1.0
Desastres relacionados à poluição da água
Liberação de produtos químicos nos sistemas de água potável 2.2.2.1.0
Derramamento de produtos químicos em ambiente lacustre, fluvial, marinho e aquíferos 2.2.2.2.0
Desastres relacionados à Conflitos Bélicos
Liberação de produtos químicos e contaminação como consequência de ações militares 2.2.3.1.0
Desastres relacionados à transporte de produtos
perigosos
Transporte rodoviário 2.2.4.1.0
Transporte ferroviário 2.2.4.2.0
Transporte aéreo 2.2.4.3.0
Transporte dutoviário 2.2.4.4.0
Transporte marítimo 2.2.4.5.0
Transporte aquaviário 2.2.4.6.0
DeSAStReS RelAcIonADoS A IncênDIoS uRbAnoS
Incêndios urbanos
Incêndio em plantas e distritos industriais, parques e depósitos 2.3.1.1.0
Incêndio em aglomerados residenciais 2.3.1.2.0
DeSAStReS RelAcIonADoS A obRAS cIvíS
Colapso de edificações 2.4.1.0.0
Rompimento/colapso de barragens 2.4.2.0.0
>>
Anexo
1:
Classificação
e
Codificação
Brasileira
de
Desastres
-
COBRAD
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 57
Anexo 1: Classificação e Codificação Brasileira de Desastres
DeSAStRe tecnológIco cobRADe
DeSAStReS RelAcIonADoS A tRAnSPoRte De PASSAgeIRoS e cARgAS não
PeRIgoSAS
Transporte rodoviário 2.5.1.0.0
Transporte ferroviário 2.5.2.0.0
Transporte aéreo 2.5.3.0.0
Transporte marítimo 2.5.4.0.0
Transporte aquaviário 2.5.5.0.0
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 58 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 58
3
3 0 7
0
gRuPo SubgRuPo nAtuReZA
Existem 329 Naturezas das ocorrências que estão dispostas em 9 grupos e 34
sub-grupos. A codificação das Naturezas de Ocorrências do CBMGO é composta por um
número formado por 5 algarísmos, ou seja, todos os códigos possuem o formato da figura
abaixo. O primeiro algarísmo diz respeito ao Grupo da Natureza. O segundo e terceiro al-
garísmos correspondem ao sub-grupo específico daquele grupo. O quarto e quinto algarís-
mos deste número relata a tipificação do evento. A aglutinação desses algarísmos de-
screvem a NATUREZA DO EVENTO, ou seja, o breve relato do que acontecera. No exemp-
lo abaixo, trata-se de uma ocorrência de RESGATE proveniente de uma AGRESSÃO por
CEROL.
IntRoDuÇão A coDIFIcAÇão DAS nAtuReZAS
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 59 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
>>
Anexo
1:
Classificação
e
Codificação
Brasileira
de
Desastres
-
COBRAD
ReSgAte AgReSSão ceRol
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 59
GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO
ACIDENTES COM VIATURA
Administrativa Administrativa 10101
Operacional Apoio (AT, AE, APA, ATC, AG) 10201
Incêndio 10202
Aeronave 10203
Resgate (UR, USA, MOB, AA) 10204
Salvamento 10205
Embarcação (MN, BIS, BS, LS) 10206
Mista 10207
AÇÕES PREVENTIVAS
Diversas Abastecimento com água 20101
Bombeiros mirins 20102
Condução de ataúde 20103
Desfile com equipes esportivas 20104
Desfile com personalidades 20105
Enchente (proteção) 20106
Escoamento (proteção) 20107
Funerais 20108
Identificação/sinalização de área de risco 20109
Inclusão social 20110
Limpeza de pista 20111
Participação cívico-militar 20112
Reparo ou colocação de objeto em nível superior 20113
Replantio de árvore 20114
Transporte de bens ou produtos 20115
Abastecimento de aeronave 20116
Balizamento de emergência 20117
Embarque/ desembarque de passageiros 20118
Posicionamento para intervenção 20119
Aceiros/ Queimada controlada 20120
Outras/a.p diversas 20199
Comunitárias Aquática 20201
Terrestre 20202
Aérea 20203
Resgate 20204
Acidente doméstico 20205
Acidente de tráfego 20206
Acidente de trabalho 20207
Desabamento/soterramento 20208
Incêndio urbano 20209
Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 60 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 60
GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO
AÇÕES PREVENTIVAS Incêndio
Comunitárias (continuação) florestal 20210
Festas e eventos 20211
Aceiro/queimada controlada 20212
Outras/a.p comunitárias 20299
RESGATE
Acidente de trânsito Atropelamento 30101
Bicicleta x bicicleta 30102
Bicicleta x objeto fixo 30103
Capotamento/tombamento 30104
Carro x bicicleta 30105
Carro x carro 30106
Carro x moto 30107
Carro x objeto fixo 30108
Moto x bicicleta 30109
Moto x moto 30110
Moto x objeto fixo 30111
Queda de bicicleta 30112
Queda de moto 30113
Veículo de grande porte x bicicleta 30114
Veículo de grande porte x carro 30115
Veículo de grande porte x moto 30116
Veículo de grande porte x objeto fixo 30117
Veículo de grande porte x veículo de grande porte 30118
Animal x Bicicleta 30119
Animal x Carro 30120
Animal x Moto 30121
Animal x Veículo de grande porte 30122
Embarcação 30123
Embarcação x Embarcação 30124
Queda de embarcação 30125
Aeronáutico 30126
Veículo de tração animal x Bicicleta 30127
Veículo de tração animal x Carro 30128
Veículo de tração animal x Moto 30129
Veículo de tração animal x Veículo de grande porte 30130
Veículo de tração animal x Veículo de tração animal 30131
Veículo de tração animal x Objeto fixo 30132
Saída de pista / Colisão Misteriosa 30133
Outro/Acidente De Trânsito 30199
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 61 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
>>
Anexo
2:
Codificação
das
naturezas
de
ocorrências
do
CBMGO
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 61
Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO
GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO
RESGATE
Acidente esportivo Artes marciais 30201
Atletismo 30202
Basquete 30203
Esportes radicais 30204
Futebol 30205
Handebol 30206
Hipismo 30207
Natação 30208
Vôlei 30209
Outros/Acidente esportivo 30299
Agressão Física 30301
Por animal (picada, mordida, etc.) 30302
Por arma branca 30303
Por arma de fogo 30304
Por objeto 30305
Sexual 30306
Cerol 30307
Outra/agressão 30399
Emergência clínica Acidente Vascular Cerebral - AVC 30401
Convulsão 30402
Crise Hipertensiva 30403
Desmaio (Síncope) 30404
Distúrbio Mental/Paciente Psiquiátrico/QBU 30405
Hemorragia 30406
Obstétrico (gravidez, assistência ao parto) 30407
Parada cardiorrespiratória 30408
Problemas cardíacos 30409
Problemas respiratórios 30410
Problemas no sistema digestivo 30411
Problemas no sistema urinário 30412
Doenças crônicas degenerativas 30413
Problemas osteomusculares 30414
Obstrução de vias aéreas/engasgamento 30415
Outro/emergência clínica 30499
Iminênciadeafogamento Córrego 30501
Lago 30502
Piscina 30503
Rio 30504
Outro/minência de afogamento 30599
Intoxicação exógena Agrotóxicos 30601
Álcool 30602
Drogas ilícitas/entorpecentes 30603
Fumaça 30604
Medicamentos 30605
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 62 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 62
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 63 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO
RESGATE
Intoxicação exógena (cont.) Outra/intoxicação exógena 30699
Lesão térmica Choque elétrico 30701
Descarga atmosférica 30702
Fogos de artifício 30703
Térmica (calor, frio) 30704
Radiação ionizante 30705
Substâncias químicas 30706
Outra/lesão térmica 30799
Queda de altura Da própria altura 30801
De altura < 3 metros 30802
De altura > 3 metros 30803
Tentativa de Auto-extermínio
Altura 30901
Enforcamento 30902
Envenenamento 30903
Por arma branca 30904
Por arma de fogo 30905
Outra/tentativa de autoextermínio 30999
Transporte De paciente obeso 31001
De recém nascido 31002
Hospital x residência (civil) 31003
Hospital x residência (militar) 31004
Intra-hospitalar (civil) 31005
Intra-hospitalar (militar) 31006
Outro/transporte 31099
Acidentes Ṕessoais Utensílios 31101
Máquinas 31102
Ferramentas 31103
Anel / Similar 31104
Objetos diversos 31199
Acidentes diversos Soterramento/ desabamento 31201
Afogamento 31202
Engolfamento 31203
Queda de estrutura/objeto diverso 31204
Outro/ Acidentes diversos 31299
>>
Anexo
2:
Codificação
das
naturezas
de
ocorrências
do
CBMGO
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 63
GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO
BUSCA E SALVAMENTO
Animais Abelha/marimbondo/similar 40101
Bovino 40102
Doméstico 40103
Equino 40104
Silvestre 40105
Caprino 40106
Outros/animais 40199
Bens Resgate de veículo submerso 40201
Resgate de bens (rio/lago/represa/etc.) 40202
Resgate de bens em locais diversos 40203
Resgate de embarcação/motor de popa 40204
Outros/bens 40299
Pessoas Acidente com máquinas e equipamentos 40301
Com risco de vida em local diverso 40302
Desaparecida - busca 40303
Em elevador 40304
Em poço/cisterna 40305
Em soterramento/desabamento/ desmoronamento 40306
Presas em ferragens veículos 40307
Retirada de anel / similar 40308
Contenção forçada/abordagem física 40309
Outras/pessoas 40399
Diversos Acidente aeronáutico 40401
Acidente com embarcações 40402
Acidente ferroviário 40403
Acidente rodoviário 40404
Ações de esgotamento 40405
Alagamento 40406
Animal raivoso ou agressivo 40407
Auxílio a embarcações 40408
Desobstrução de via pública 40409
Edificação com risco de desabamento 40410
Eventos envolvendo árvores 40411
Enchente/ Inundação 40412
Outros/b.s diversos 40499
Cadáver Em meio líquido 40502
Em poço/ Cisterna / Similar 40503
Em locais diversos 40599
Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 64 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 64
GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO
DEFESA CIVIL
Defesa Civil 50000
INCÊNDIO URBANO
Concentração de público Academia de ginástica ou de dança ou similar 60101
Auditório ou similar 60102
Autódromo ou similar 60103
Bar, lanchonete ou similar 60104
Biblioteca 60105
Boate, casa noturna ou similar 60106
Centro de convenções ou de exposições, feira ou similar 60107
Cinema 60108
Circo, parque de diversões ou similar 60109
Clube, salão de festas ou similar 60110
Estádio/Campo 60111
Galeria de exposições ou similar 60112
Ginásio de esportes 60113
Igreja, templo ou similar 60114
Museu 60115
Playground 60116
Restaurante 60117
Shopping ou similar 60118
Teatro 60119
Terminal de passageiros 60120
Outro/concentração de público 60199
Edificação comercial Açougue, frigorífico, matadouro ou similar 60201
Agência bancária 60202
Agência de câmbio ou similar 60203
Agência de emprego ou similar 60204
Agência de veículo 60205
Agência de viagem, turismo ou similar 60206
Alfaiataria 60207
Barbearia, salão de beleza ou similar 60208
Cartório 60209
Casa lotérica 60210
Copiadora, reprografia ou similar 60211
Empresa de segurança ou similar 60212
Empresa de transporte de passageiro ou de carga 60213
Empresa importadora ou exportadora 60214
Escritório 60215
Farmácia, perfumaria ou similar 60216
Funerária 60217
Livraria, papelaria ou similar 60218
Loja de departamentos/mercado 60219
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 65 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
>>
Anexo
2:
Codificação
das
naturezas
de
ocorrências
do
CBMGO
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 65
Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO
GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO
INCÊNDIO URBANO
Edificação comercial (cont.) Padaria ou similar 60220
Posto de combustível 60221
Posto de revenda de gás liquefeito de petróleo - GLP 60222
Vídeo-locadora 60223
Outra/comercial 60299
Edificação especial Armazém, hangar, galpão ou similar 60301
Arquivo público ou privado 60302
Canteiro de obras 60303
Cemitério 60304
Central de processamento de dados - CPD 60305
Composição ferroviária 60306
Empresa de comunicação 60307
Estação de tratamento ou distribuição de água 60308
Estação ou subestação de distribuição de energia elétrica 60309
Estacionamento, garagem ou similar 60310
Fábrica ou revenda de fogos de artifício ou artefato explosivo60311
Instituição militar 60312
Laboratório 60313
Lixão, entulho ou similar 60314
Parque de tancagem ou tanque isolado 60315
Pátio/pista aeroportuária 60316
Terrenobaldio, lote vago ousimilar 60317
Outra/especial 60399
Edificação hospitalar Asilo, casa geriátrica ou similar 60401
Clínica veterinária ou similar 60402
Hospital 60403
Policlínica, clínica ou similar 60404
Outra/hospitalar 60499
Edificação residencial Coletiva - asilo 60501
Coletiva - orfanato 60502
Coletiva - penitenciária ou afim 60503
Coletiva - pensionato 60504
Multifamiliar apartamento (até 2 pavimentos) 60505
Multifamiliar apartamento (acima de 2 pavimentos) 60506
Multifamiliar casa 60507
Unifamiliar apartamento 60508
Unifamiliar casa 60509
Outra/residencial 60599
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 66 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 66
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 67 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO
INCÊNDIO URBANO
Edificação escolar Creche 60601
Ensino fundamental ou médio 60602
Ensino superior 60603
Ensino profissionalizante 60604
Outra/escolar 60699
Edificação transitória Hotel ou apart-hotel 60701
Motel 60702
Pousada 60703
Outra/transitóOria 60799
Depósito Algodão, tecido, estopa ou similar 60801
Borracha, pneu ou similar 60802
Eletrodoméstico ou similar 60803
Explosivo, munição ou similar 60804
Gás liquefeito de petróleo - GLP 60805
Líquido inflamável 60806
Madeira 60807
Plástico ou similar 60808
Outro/Depósito 60899
Edificação industrial Destilaria, refinaria ou similar 60901
Eletroeletrônica 60902
Metalúrgica 60903
Náutica 60904
Química 60905
Siderúrgica 60906
Têxtil 60907
Outra/industrial 60999
Veículos Aeronaves 61001
Embarcações 61002
Ferroviários 61003
Veículo de carga 61004
Veículo de carga perigosa 61005
Veículo de passeio 61006
Veículo de transporte coletivo 61007
Outro/veículo 61099
Diversos Lata de lixo/container/similar 61101
Obras de arte (pontes, viadulto, etc) 61102
Outros/incêndios diversos 61199
>>
Anexo
2:
Codificação
das
naturezas
de
ocorrências
do
CBMGO
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 67
Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 68 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO
INCÊNDIO EM VEGETAÇÃO
Culturaagrícola Canavial 70101
Arrozal/milharal 70102
Cultura agrícola diversas 70103
Vegetação Caatinga 70201
Campo 70202
Capoeira 70203
Cerrado 70204
Floresta plantada 70205
Mata/floresta 70206
Mato 70207
Pastagem 70208
PRODUTOS PERIGOSOS
Explosões 80101
Transporte 80102
Vazamento 80103
Intervenção preventiva 80104
Outros 80199
VISTORIA EM HIDRANTES
Cadastramento 90101
Inspeção 90102
Manutenção 90103
Teste 90104
Outras/vistorias 90199
PRODUTIVIDADE
Registro Duplicidade de ocorrência BM 100101
Falso aviso de ocorrência/trote 100102
Aviso de ocorrência falsa/engano 100103
Despacho Encaminhada - serviços de emergência 100201
Encaminhada - serviço de salvamento/incêndio 100202
Encaminhada - Defesa Civil municipal 100203
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 68
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 69 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
Anexo 3: Codificação do local
>>
Anexo
3:
Codificação
do
local
GRUPO LOCAL DO FATO CÓDIGO
LOGRADOURO PÚBLICO
Beco 101
Escadaria 102
Ferrovia 103
Praça 104
Estrada 105
Rodovia 106
Via de trânsito rápido 107
Via arterial 108
Via coletora 109
Via local 110
Outro/Logradouro 199
MEIO AQUÁTICO
Açude, barragem ou represa 202
Cacimba 203
Córrego 204
Cisterna 205
Lago ou lagoa 206
Piscina 207
Reservatório elevado (caixa d'água) 208
Rio ou riacho 209
Outro/Meio Aquático 299
VEGETAÇÃO
Cultura agrícola 301
Vegetação nativa 302
Vegetação alterada 303
Parque (municipal, estadual, nacional) 304
Bosque 305
Outra/Vegetação 399
EDIFICAÇÃO
Concentração de Público 401
Edificação comercial 402
Edificação especial 403
Edificação hospitalar 404
Edificação residencial 405
Edificação escolar 406
Edificação transitória 407
Depósito 408
Edificação industrial 409
Outra/Edificação 499
MEIO DETRANSPORTE
Aeronáves 501
Embarcações 502
Veículo de Transporte Coletivo 503
Veículo de Passeio 504
Outro/Meio de Transporte 599
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 69
PERFIL DO USUÁRIO NO SICAD/SIAE
Todo militar possui um perfil no SICAD atribuído pela CGF. Além do
perfil do SICAD, o militar deverá também, possuir um perfil para acesso ao
SIAE atribuido pelo GESTOR SIAE de sua unidade. Segue relação dos per-
fis, e suas permissões relacionados ao SICAD/SIAE.
ATENDENTE / DESPACHANTE – Praça designada para atendimento emer-
gencial ao público. Ela recebe, registra a informação, empenha a guarnição,
controla os deslocamentos e pré-finaliza as informações no sistema;
FECHAMENTO – Militar responsável para transcrever o relatório final da
ocorrência no sistema, ou seja, fazer o fechamento da ocorrência no SIAE;
FINALIZADOR - Militar que além de realizar a transcrição do relatório no sis
tema, realiza empenho de viaturas, registro de ocorrências e escala de via
turas. Essa função é comumente atribuida aos militares de unidades do inte-
rior;
CHEFE DE ALA – Subtenentes e Sargentos empregados no Centro Estadual
de Atendimento Operacional de Bombeiros, atuando no auxílio ao Coorde-
nador de Operações na coordenação do serviço operacional do CBMGO;
CONSULTOR /AUXILIAR CONSULTOR – Oficial /Praça encarregado de re-
alizar a emissão de extratos de ocorrências do CBMGO ao público externo;
GESTOR /AUXILIAR GESTOR SIAE – Oficial /Praça encarregado de gerir o
SIAE no âmbito da sua unidade, controlando e realizando manutenção de
nível básico no sistema, como cadastro de usuários (definindo perfis de aces-
so), emitindo relatórios de produtividade, bem como, cadastros e alterações
de viaturas operacionais no SYSVTR;
COORDENADOR DE OPERAÇÕES – Oficial Intermediário ou subalterno
que coordena todo o serviço operacional do CBMGO, atuando dentro do
COB como comandante operacional, devendo acompanhar todo o emprego
de guarnições e/ou viaturas para o atendimento de emergência;
Acesso ao SIAe
>>
http://cydc.sisp.ssp.go.br/Login/Index.do
http://cydc.siae2010.ssp.go.br
MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 70 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 70
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 71
MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 72

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Livro volume ii história op esp
Livro volume ii história op espLivro volume ii história op esp
Livro volume ii história op esp
PDCA CONSULTORES ASSOCIADOS
 
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
Falcão Brasil
 
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO FORMAÇÃO DO 3º SARGENTO TEMPORÁRIO DE COMUNICAÇÕ...
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO FORMAÇÃO DO 3º SARGENTO TEMPORÁRIO DE COMUNICAÇÕ...PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO FORMAÇÃO DO 3º SARGENTO TEMPORÁRIO DE COMUNICAÇÕ...
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO FORMAÇÃO DO 3º SARGENTO TEMPORÁRIO DE COMUNICAÇÕ...
Falcão Brasil
 
PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1
PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1
PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1
Falcão Brasil
 
CGCFN-6101 - Manual de Fundamentos das Comunicações
CGCFN-6101 - Manual de Fundamentos das ComunicaçõesCGCFN-6101 - Manual de Fundamentos das Comunicações
CGCFN-6101 - Manual de Fundamentos das Comunicações
Falcão Brasil
 
CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2
CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2
CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2
Falcão Brasil
 
Pistola
PistolaPistola
Pistola
Eval Frans
 
Fundamentos tiro
Fundamentos tiroFundamentos tiro
Fundamentos tiro
rui37
 
Equipamentos Táticos para Técnicas Verticais do Comando de Operações Táticas
Equipamentos Táticos para Técnicas Verticais do Comando de Operações TáticasEquipamentos Táticos para Técnicas Verticais do Comando de Operações Táticas
Equipamentos Táticos para Técnicas Verticais do Comando de Operações Táticas
Falcão Brasil
 
22 -policiamento_de_choque
22  -policiamento_de_choque22  -policiamento_de_choque
22 -policiamento_de_choque
JAIR Reis
 
Check talha catraca
Check talha catracaCheck talha catraca
Check talha catraca
Marco Faria
 
Agente de Segurança de Dignitarios
Agente de Segurança de DignitariosAgente de Segurança de Dignitarios
Agente de Segurança de Dignitarios
Abelardo Borges Rodrigues Neto
 
Mergulhadores de Combate
Mergulhadores de CombateMergulhadores de Combate
Mergulhadores de Combate
Falcão Brasil
 
Roteiros de inspeção de equipamentos de combate a incêndios
Roteiros de inspeção de equipamentos de combate a incêndiosRoteiros de inspeção de equipamentos de combate a incêndios
Roteiros de inspeção de equipamentos de combate a incêndios
Universidade Federal Fluminense
 
CGCFN-1-14 - Manual de Segurança de Embaixadas
CGCFN-1-14 - Manual de Segurança de EmbaixadasCGCFN-1-14 - Manual de Segurança de Embaixadas
CGCFN-1-14 - Manual de Segurança de Embaixadas
Falcão Brasil
 
Estudo do mosquetão 7,62
Estudo do mosquetão 7,62Estudo do mosquetão 7,62
Estudo do mosquetão 7,62
Marcos Bittencourt
 
Salvamento terrestre
Salvamento terrestreSalvamento terrestre
Salvamento terrestre
Ulisses Souza
 
Conseg - Uso Progressivo Da Forca
Conseg - Uso Progressivo Da ForcaConseg - Uso Progressivo Da Forca
Conseg - Uso Progressivo Da Forca
cipasap
 
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2
Falcão Brasil
 
CADERNO DE INSTRUÇÃO PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE INSTRUÇÃO CI 32/1
CADERNO DE INSTRUÇÃO PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE INSTRUÇÃO CI 32/1CADERNO DE INSTRUÇÃO PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE INSTRUÇÃO CI 32/1
CADERNO DE INSTRUÇÃO PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE INSTRUÇÃO CI 32/1
Falcão Brasil
 

Mais procurados (20)

Livro volume ii história op esp
Livro volume ii história op espLivro volume ii história op esp
Livro volume ii história op esp
 
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
 
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO FORMAÇÃO DO 3º SARGENTO TEMPORÁRIO DE COMUNICAÇÕ...
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO FORMAÇÃO DO 3º SARGENTO TEMPORÁRIO DE COMUNICAÇÕ...PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO FORMAÇÃO DO 3º SARGENTO TEMPORÁRIO DE COMUNICAÇÕ...
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO FORMAÇÃO DO 3º SARGENTO TEMPORÁRIO DE COMUNICAÇÕ...
 
PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1
PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1
PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1
 
CGCFN-6101 - Manual de Fundamentos das Comunicações
CGCFN-6101 - Manual de Fundamentos das ComunicaçõesCGCFN-6101 - Manual de Fundamentos das Comunicações
CGCFN-6101 - Manual de Fundamentos das Comunicações
 
CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2
CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2
CADERNO DE INSTRUÇÃO PISTA DE COMBATE DE GC NA DEFESA EXTERNA CI 21-76 2
 
Pistola
PistolaPistola
Pistola
 
Fundamentos tiro
Fundamentos tiroFundamentos tiro
Fundamentos tiro
 
Equipamentos Táticos para Técnicas Verticais do Comando de Operações Táticas
Equipamentos Táticos para Técnicas Verticais do Comando de Operações TáticasEquipamentos Táticos para Técnicas Verticais do Comando de Operações Táticas
Equipamentos Táticos para Técnicas Verticais do Comando de Operações Táticas
 
22 -policiamento_de_choque
22  -policiamento_de_choque22  -policiamento_de_choque
22 -policiamento_de_choque
 
Check talha catraca
Check talha catracaCheck talha catraca
Check talha catraca
 
Agente de Segurança de Dignitarios
Agente de Segurança de DignitariosAgente de Segurança de Dignitarios
Agente de Segurança de Dignitarios
 
Mergulhadores de Combate
Mergulhadores de CombateMergulhadores de Combate
Mergulhadores de Combate
 
Roteiros de inspeção de equipamentos de combate a incêndios
Roteiros de inspeção de equipamentos de combate a incêndiosRoteiros de inspeção de equipamentos de combate a incêndios
Roteiros de inspeção de equipamentos de combate a incêndios
 
CGCFN-1-14 - Manual de Segurança de Embaixadas
CGCFN-1-14 - Manual de Segurança de EmbaixadasCGCFN-1-14 - Manual de Segurança de Embaixadas
CGCFN-1-14 - Manual de Segurança de Embaixadas
 
Estudo do mosquetão 7,62
Estudo do mosquetão 7,62Estudo do mosquetão 7,62
Estudo do mosquetão 7,62
 
Salvamento terrestre
Salvamento terrestreSalvamento terrestre
Salvamento terrestre
 
Conseg - Uso Progressivo Da Forca
Conseg - Uso Progressivo Da ForcaConseg - Uso Progressivo Da Forca
Conseg - Uso Progressivo Da Forca
 
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2
 
CADERNO DE INSTRUÇÃO PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE INSTRUÇÃO CI 32/1
CADERNO DE INSTRUÇÃO PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE INSTRUÇÃO CI 32/1CADERNO DE INSTRUÇÃO PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE INSTRUÇÃO CI 32/1
CADERNO DE INSTRUÇÃO PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE INSTRUÇÃO CI 32/1
 

Semelhante a Manual de Preenchimento de Relatório de Ocorrência

REGISTRO ATIVIDADE BOMBEIRO CIVIL
REGISTRO ATIVIDADE BOMBEIRO CIVILREGISTRO ATIVIDADE BOMBEIRO CIVIL
REGISTRO ATIVIDADE BOMBEIRO CIVIL
BOMBEIRO CASTRO
 
Manual Operacional de Bombeiros – Operações Envolvendo Produtos Perigosos
Manual Operacional de Bombeiros – Operações Envolvendo Produtos PerigososManual Operacional de Bombeiros – Operações Envolvendo Produtos Perigosos
Manual Operacional de Bombeiros – Operações Envolvendo Produtos Perigosos
Falcão Brasil
 
01 mob-produtos-perigosos-cbmgo-2017-corrigido
01 mob-produtos-perigosos-cbmgo-2017-corrigido01 mob-produtos-perigosos-cbmgo-2017-corrigido
01 mob-produtos-perigosos-cbmgo-2017-corrigido
AILTON RUIZ
 
Estabilizaçao Veicular
Estabilizaçao VeicularEstabilizaçao Veicular
Estabilizaçao Veicular
ehunzicker
 
Manual Operacional de Bombeiros – Sistema de Comando de Incidentes
Manual Operacional de Bombeiros – Sistema de Comando de IncidentesManual Operacional de Bombeiros – Sistema de Comando de Incidentes
Manual Operacional de Bombeiros – Sistema de Comando de Incidentes
Falcão Brasil
 
6 produtos Perigosos.pdf
6 produtos Perigosos.pdf6 produtos Perigosos.pdf
6 produtos Perigosos.pdf
SidneyAlbergaria
 
Manual Operacional de Bombeiros – Perícia de Incêndio
Manual Operacional de Bombeiros – Perícia de IncêndioManual Operacional de Bombeiros – Perícia de Incêndio
Manual Operacional de Bombeiros – Perícia de Incêndio
Falcão Brasil
 
Manual Operacional de Bombeiros – Defesa Civil
Manual Operacional de Bombeiros – Defesa CivilManual Operacional de Bombeiros – Defesa Civil
Manual Operacional de Bombeiros – Defesa Civil
Falcão Brasil
 
Manual-24 Análise de Risco em Incêndio Estrutural
Manual-24 Análise de Risco em Incêndio EstruturalManual-24 Análise de Risco em Incêndio Estrutural
Manual-24 Análise de Risco em Incêndio Estrutural
Falcão Brasil
 
It 17-cbmba 2016-brigada-de-incendio (2)
It 17-cbmba 2016-brigada-de-incendio (2)It 17-cbmba 2016-brigada-de-incendio (2)
It 17-cbmba 2016-brigada-de-incendio (2)
Almir Agostinho
 
Nbr 14276++++++
Nbr 14276++++++Nbr 14276++++++
Nbr 14276++++++
Joyce Domingues
 
Nbr 14276 (2006)--_programa_de_brigada_de_incêndio
Nbr 14276 (2006)--_programa_de_brigada_de_incêndioNbr 14276 (2006)--_programa_de_brigada_de_incêndio
Nbr 14276 (2006)--_programa_de_brigada_de_incêndio
Paula Santana
 
TCC Técnico Segurança Trabalho 22/11/2014 Senac 24 Maio - SP
TCC Técnico Segurança Trabalho 22/11/2014 Senac 24 Maio - SPTCC Técnico Segurança Trabalho 22/11/2014 Senac 24 Maio - SP
TCC Técnico Segurança Trabalho 22/11/2014 Senac 24 Maio - SP
Marcio Neris
 
Manual plano de emergencia polo de camaçari
Manual plano de emergencia polo de camaçariManual plano de emergencia polo de camaçari
Manual plano de emergencia polo de camaçari
juliamartins
 
Plano emergencia ambiental obra ip
Plano emergencia ambiental obra ipPlano emergencia ambiental obra ip
Plano emergencia ambiental obra ip
marcosdrz
 
Edição 101 novembro 2014 - pragas sob controlet
Edição 101   novembro 2014 - pragas sob controletEdição 101   novembro 2014 - pragas sob controlet
Edição 101 novembro 2014 - pragas sob controlet
Rafael Mermejo
 
Revista Incendio
Revista IncendioRevista Incendio
Revista Incendio
Beterson Klein
 
Brigada plano abandono
Brigada   plano abandonoBrigada   plano abandono
Brigada plano abandono
Gliceu Grossi
 
Manual-21 Atendimento às Emergências com Produtos Perigosos
Manual-21 Atendimento às Emergências com Produtos PerigososManual-21 Atendimento às Emergências com Produtos Perigosos
Manual-21 Atendimento às Emergências com Produtos Perigosos
Falcão Brasil
 
Manual-19 Pesquisas de Causas de Incêndio
Manual-19 Pesquisas de Causas de IncêndioManual-19 Pesquisas de Causas de Incêndio
Manual-19 Pesquisas de Causas de Incêndio
Falcão Brasil
 

Semelhante a Manual de Preenchimento de Relatório de Ocorrência (20)

REGISTRO ATIVIDADE BOMBEIRO CIVIL
REGISTRO ATIVIDADE BOMBEIRO CIVILREGISTRO ATIVIDADE BOMBEIRO CIVIL
REGISTRO ATIVIDADE BOMBEIRO CIVIL
 
Manual Operacional de Bombeiros – Operações Envolvendo Produtos Perigosos
Manual Operacional de Bombeiros – Operações Envolvendo Produtos PerigososManual Operacional de Bombeiros – Operações Envolvendo Produtos Perigosos
Manual Operacional de Bombeiros – Operações Envolvendo Produtos Perigosos
 
01 mob-produtos-perigosos-cbmgo-2017-corrigido
01 mob-produtos-perigosos-cbmgo-2017-corrigido01 mob-produtos-perigosos-cbmgo-2017-corrigido
01 mob-produtos-perigosos-cbmgo-2017-corrigido
 
Estabilizaçao Veicular
Estabilizaçao VeicularEstabilizaçao Veicular
Estabilizaçao Veicular
 
Manual Operacional de Bombeiros – Sistema de Comando de Incidentes
Manual Operacional de Bombeiros – Sistema de Comando de IncidentesManual Operacional de Bombeiros – Sistema de Comando de Incidentes
Manual Operacional de Bombeiros – Sistema de Comando de Incidentes
 
6 produtos Perigosos.pdf
6 produtos Perigosos.pdf6 produtos Perigosos.pdf
6 produtos Perigosos.pdf
 
Manual Operacional de Bombeiros – Perícia de Incêndio
Manual Operacional de Bombeiros – Perícia de IncêndioManual Operacional de Bombeiros – Perícia de Incêndio
Manual Operacional de Bombeiros – Perícia de Incêndio
 
Manual Operacional de Bombeiros – Defesa Civil
Manual Operacional de Bombeiros – Defesa CivilManual Operacional de Bombeiros – Defesa Civil
Manual Operacional de Bombeiros – Defesa Civil
 
Manual-24 Análise de Risco em Incêndio Estrutural
Manual-24 Análise de Risco em Incêndio EstruturalManual-24 Análise de Risco em Incêndio Estrutural
Manual-24 Análise de Risco em Incêndio Estrutural
 
It 17-cbmba 2016-brigada-de-incendio (2)
It 17-cbmba 2016-brigada-de-incendio (2)It 17-cbmba 2016-brigada-de-incendio (2)
It 17-cbmba 2016-brigada-de-incendio (2)
 
Nbr 14276++++++
Nbr 14276++++++Nbr 14276++++++
Nbr 14276++++++
 
Nbr 14276 (2006)--_programa_de_brigada_de_incêndio
Nbr 14276 (2006)--_programa_de_brigada_de_incêndioNbr 14276 (2006)--_programa_de_brigada_de_incêndio
Nbr 14276 (2006)--_programa_de_brigada_de_incêndio
 
TCC Técnico Segurança Trabalho 22/11/2014 Senac 24 Maio - SP
TCC Técnico Segurança Trabalho 22/11/2014 Senac 24 Maio - SPTCC Técnico Segurança Trabalho 22/11/2014 Senac 24 Maio - SP
TCC Técnico Segurança Trabalho 22/11/2014 Senac 24 Maio - SP
 
Manual plano de emergencia polo de camaçari
Manual plano de emergencia polo de camaçariManual plano de emergencia polo de camaçari
Manual plano de emergencia polo de camaçari
 
Plano emergencia ambiental obra ip
Plano emergencia ambiental obra ipPlano emergencia ambiental obra ip
Plano emergencia ambiental obra ip
 
Edição 101 novembro 2014 - pragas sob controlet
Edição 101   novembro 2014 - pragas sob controletEdição 101   novembro 2014 - pragas sob controlet
Edição 101 novembro 2014 - pragas sob controlet
 
Revista Incendio
Revista IncendioRevista Incendio
Revista Incendio
 
Brigada plano abandono
Brigada   plano abandonoBrigada   plano abandono
Brigada plano abandono
 
Manual-21 Atendimento às Emergências com Produtos Perigosos
Manual-21 Atendimento às Emergências com Produtos PerigososManual-21 Atendimento às Emergências com Produtos Perigosos
Manual-21 Atendimento às Emergências com Produtos Perigosos
 
Manual-19 Pesquisas de Causas de Incêndio
Manual-19 Pesquisas de Causas de IncêndioManual-19 Pesquisas de Causas de Incêndio
Manual-19 Pesquisas de Causas de Incêndio
 

Mais de Falcão Brasil

A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdfEstado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdfSegurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Falcão Brasil
 
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdfSegurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Falcão Brasil
 
Sistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdf
Sistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdfSistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdf
Sistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdf
Falcão Brasil
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
Programa Inclusão Digital do Censipam.pdf
Programa Inclusão Digital do Censipam.pdfPrograma Inclusão Digital do Censipam.pdf
Programa Inclusão Digital do Censipam.pdf
Falcão Brasil
 
Projeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Projeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdfProjeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Projeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Falcão Brasil
 
Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdfSistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Falcão Brasil
 
Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...
Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...
Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...
Falcão Brasil
 
Prognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdf
Prognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdfPrognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdf
Prognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdf
Falcão Brasil
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Falcão Brasil
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 
Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdfSistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...
Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...
Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...
Falcão Brasil
 

Mais de Falcão Brasil (20)

A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdfEstado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdfSegurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
 
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdfSegurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
 
Sistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdf
Sistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdfSistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdf
Sistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdf
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
Programa Inclusão Digital do Censipam.pdf
Programa Inclusão Digital do Censipam.pdfPrograma Inclusão Digital do Censipam.pdf
Programa Inclusão Digital do Censipam.pdf
 
Projeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Projeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdfProjeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Projeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
 
Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdfSistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
 
Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...
Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...
Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...
 
Prognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdf
Prognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdfPrognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdf
Prognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdf
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 
Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdfSistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdf
 
Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...
Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...
Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...
 

Último

oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 

Último (20)

oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 

Manual de Preenchimento de Relatório de Ocorrência

  • 1. GOIÁS - 2014 MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 1
  • 2. MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 2
  • 3. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS GOIÁS - 2014 4ª Edição - Atualizada e Ampliada MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 3
  • 4. SECRETÁRIO DA SEGURANÇA PÚBLICA Joaquim Cláudio Figueiredo Mesquita COMANDANTE GERAL DO CBMGO Cel QOC Carlos Helbingen Júnior SUBCOMANDANTE GERAL DO CBMGO Cel QOC Divino Aparecido de Melo COMISSÃO DE ELABORAÇÃO Ten Cel QOC Sebastião Nolasco Ribeiro Maj QOC Douglas Castilho de Queiroz ST QP/Combatente Marcelo Gomes ST QP/Combatente Eduardo Gonçalves de Almeida 1º Sgt QP/Combatente Yanne Andressa Oliveira da Cunha Cabral 1º Sgt QP/Combatente Luzia Marques Cruvinel 1º Sgt QP/Combatente Heydson Lopes Cardoso 2º Sgt QP/Combatente Renato Queiroz Silva 4ª REVISÃO Ten Cel QOC José Borges Filho 2º Ten QOC Diogo Arantes Araújo e Silva 1º Sgt QP/Combatente Heydson Lopes Cardoso Sd QP/Combatente Romiltom Pereira dos Santos Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás Telefone: (62) 3201-2000 MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 4
  • 5. Apresentação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6 Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8 Relatório Básico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .12 Relatório de Incêndio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .18 Relatório de Busca e Salvamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .24 Relatório de Resgate . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .26 Relatório de Ações Preventivas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .32 Relatório de Defesa Civil . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .34 Relatório de Produtos Perigosos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .38 Relatório de Vistoria em Hidrantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .42 Relatório de Acidentes com Viaturas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .44 Relatório de Recursos e Materiais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .48 Folha de Continuação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .50 Anexo1:Classificação e Codificação Brasileira de Desastres . . . . . .54 Introduação a Codificação das naturezas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .59 Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO . . . .60 Anexo 3: Codificação do local . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .69 Acesso ao SIAE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .70 Sumário >> MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 5
  • 6. Apresentação Este manual apresenta os modelos de relatórios de ocorrência do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás e suas respectivas Instruções de Preenchimento. A utilização dos relatórios é a melhor forma para padronização dos dados específicos dos serviços do CBMGO. O relatório é composto por um formulário básico e um Formulário de Recursos Materiais comum a todas as ocorrências, acompanhado de formulários específicos, conforme as naturezas: Busca e Salvamento, Combate a Incêndio, Ações Preventivas, Vistoria em Hidrantes, Resgate, Defesa Civil, Acidente com Viaturas e Produtos Perigosos. Com linguagem simples e direta, o manual é uma ferramenta a mais no auxílio aos bombeiros para a melhor coleta dos dados dos Eventos. É preciso ressaltar, entretanto, a necessidade de constante avaliação dos relatórios à medida que a realidade das ruas impor novas demandas. Esta edição, a quarta desde o lançamento da 1ª Edição em 2010, traz atualizações e revisões nos relatórios de preenchimentos, atendendo as >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 6 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 6
  • 7. exigências da SENASP com relação a padronização Nacional dos Relatórios de Ocorrências dos Corpos de Bombeiros do Brasil. A mudança mais considerável, por exigência da própria SENASP, foi a criação de um relatório que especifique os recursos e materiais utilizados nas ocorrências atendidas pela guarnição. Neste sentido, foi acrescentado aos relatórios já existentes o relatório de RECURSOS MATERIAIS, devendo ser preenchido em todas as ocorrências onde houver a atuação da guarnição. Outra mudança está na Codificação do Local da Ocorrência, Anexo 3, onde foi introduzido um novo Grupo MEIO DE TRANSPORTE. Esta mudança veio solucionar o impasse nos atendimentos realizados dentro de veículos que não foram provenientes de acidentes de trânsito. Ex: Vítima sofre uma queda dentro do ônibus devido a uma freiada brusca, neste caso o Grupo da Codificação do Local da Ocorrência será enquadrado em Meio de Transporte, e não mais em Logradouro Público. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 7 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 7
  • 8. Introdução Os relatórios têm por objetivo levantar dados sobre todo e qualquer evento atendido pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO). Evento, também conhecidos como ocorrência, é todo acontecimento de ordem natural ou geradopelohomemqueimplicaematendimentopertinentesaoCorpodeBombeiros. Osrelatóriosforamelaboradosparaevitaraduplicidadedeinformaçõeseacoleta de dados desnecessários. Com o objetivo de agilizar o preenchimento, priorizou-se hipóteses que exigem apenas marcar os itens pré-estabelecidos (questões de multiescolha). Não se deve descrever no Histórico dados já mencionados no corpo do relatóriooudadosdesnecessáriosàdescriçãodoevento. Um único evento pode gerar tantos quantos relatórios forem necessários. Um evento de acidente automobilístico, por exemplo, pode gerar um relatório de Resgate (atendimento pré-hospitalar), Busca e Salvamento (desencarceramento), Ações Preventivas (limpeza de pista), Defesa Civil (confecção de um RODOC) e Produtos Perigosos (remoção e/ou transbordo). No exemplo citado, cada guarnição fará o relatório correspondente de acordo com a natureza de sua atuação, porém o Relatório Básicoserápreenchidopelocomandantedaviaturadebuscaesalvamento. Em todos os eventos deve ser preenchido o relatório básico de ocorrência, e apenas um, junto com os relatórios específicos (tantos quantos forem necessários) de acordocomosatendimentosrealizados. O único relatório específico que poderá ter vários preenchimentos é o relatório de resgate, pois este depende do número de vítimas atendidas no evento. Em todos os eventos que envolverem vítimas, deverá ser preenchido o relatório de resgate específicoparacadavítima,inclusivenoscasosdecadáveres. Caso não haja a necessidade de transporte da vítima a unidade de saúde, a guarnição deverá preencher além do relatório básico o relatório de resgate, e neste ultimocolheraassinaturadavítima. >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 8 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 8
  • 9. Em eventos que envolvam mais de uma guarnição, a responsável pelo preenchimento do Relatório Básico será a viatura que tem precedência no evento. Exemplo: nos eventos de incêndio será a Guarnição de Incêndio, nos presos em ferragens será a Guarnição de Salvamento. A exceção ocorrerá nos atendimentos de resgate, onde a prioridade será a vítima, ou seja, a guarnição que estiver com a vítima menosgraveseráaresponsávelemrealizaroprenchimentodorelatóriobásico. Opreenchimentodorelatórionãodeveráficarcondicionadoàviaturaesimaotipo deatendimentoprestado,conformeexemplos: Exemplo1:Emumevento,ondenãofoideslocadoaguarniçãodesalvamento,sea guarnição de resgate efetuar uma ação de salvamento, retirando as ferragens da vítima,caberáaelarealizaropreenchimentodorelatóriodesalvamento. Exemplo2:Aguarniçãoderesgateestáretirandoumavítimadedentrodoveículo, e neste momento , percebe um princípio de incêndio no veículo. O militar pega o extintor e faz a extinção do princípio de incêndio, realizando assim, uma atividade de incêndiooqueimplica opreenchimentodorelatóriodeincêndio. Caso o relatório seja insuficiente para descrever o evento deverá ser utilizada a Folha de Continuação indicando no rodapé do relatório básico o número de folhas preenchidas. Na Folha de Continuação deverá constar o número do evento (fornecido peloCentrodeOperações). O responsável pelo preenchimento do relatório e fechamento da ocorrência no SIAE - Sistema Integrado de Atendimento a Emergências é o comandante da guarnição. O vistoriante do relatório será o bombeiro militar mais antigo de serviço no quartel, salvo determinação contrária do Comandante da Unidade, o qual poderá encarregar outro militar específico para fazer a validação dos dados antes do fechamentonosistema. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 9 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 9
  • 10. Relatórios >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 10 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 10
  • 11. Da esquerda para direita: 1o Sgt Luzia, TC Nolasco, ST Almeida e 1o Sgt Heydson MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 11 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 11
  • 12. Relatório Básico 1/2 >> 1 4 17 3 2 6 8 11 13 9 10 15 5 7 20 21 22 14 19 12 16 23 18 MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 12 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 12
  • 13. Campo 1: Preencher com o nome da unidade da guarnição que atende o evento. Campo 2: Preencher com o número do aviso (nº da ocorrência) fornecido pelo Centro de Operações. Campo 3: Preencher com a data em que o evento foi gerado. Nem sempre haverá coincidência com a data do fato (neste caso, citar a data do fato no Histórico). Obedecer ao formato dia/mês/ano, usando sempre dois algarismos. Campo 4:Preencher com o endereço completo do local do evento. Campo 5:Preencher com o prefixo da viatura. Campo 6: Assinalar se a guarnição recebeu apoio de outras guarnições dos bombeiros. Se sim, escrever os prefixos das viaturas que apoiaram o evento. Campo 7: Escrever o horário e a quilometragem da viatura no atendimento do evento. Quando houver mais de uma viatura empenhada, o horário de saída será o da primeira viatura a deslocar e horário de chegada no evento será o da primeira viatura a chegar ao local. Campo 8:Assinalar o ítem, caso o evento seja considerado como urgente. Lembrando que: Urgência: Estado que necessita de encaminhamento rápido ao hospital. O tempo gasto entre o momento em que a vítima é encontrada e o seu encaminhamento deve ser o mais curto possível. Campo9: Assinalaroapoiodeórgãosexternos.Casonãoestejaespecificado,marcaraopção "Outro"eescreveronomedaentidadeauxiliadora. Campo 10: Assinalar as dificuldades encontradas no atendimento ao evento. Caso a opção assinaladaseja"faltadematerial",énecessáriodescrevê-lo. Campo 11: Assinalar apenas uma das opções sobre o tipo de chamada, observando que: Ocorrência:Verificado a necessidade e houver atuação da guarnição; Trote:Verificado que se tratava de um trote (má fé); Cancelada:Quando durante o deslocamento for dado QTA, ou for verificado que não se tratava de serviço de Bombeiros, mas sem a intenção de trote; Transporte por Terceiros: Quando chegar no local e constatar que a ví́tima foi transportada por outros meios. Sem Atuação:Quando não houver atuação da guarnição; >> Relatório BÁSICO MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 13 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 13
  • 14. 24 25 26 27 28 Relatório Básico 2/2 >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 14 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 14
  • 15. Campo 12: Preencher com o total das vítimas fatais do evento, levando em consideração óbitos no local e/ou nas viaturas em deslocamento. Informar o total das vítimas não fatais do evento, incluindo as não atendidas pelo CBMGO, bem como totalizar o numero de vítimas sem lesões. Preencher também com a quantidade de bombeirosnolocaldoeventoeaquantidadedeviaturas. Campo 13: Assinalar apenas uma opção, especificando se o serviço era ordinário (serviço de dia) ou extraordinário (escala extra). Campo 14: Escrever o código inicial e final do evento conforme Anexo 2. Código Inicial: É o código da natureza do evento informado antes da chegada da guarnição no local (informações preliminares). CódigoFinal:É o código da natureza real do evento constatado pela guarnição. Campo15:Assinalarapenasumaopção,informandoaformadeacionamento,observandoque: 193:A viatura for acionada pelo Centro de Operações; 199:A viatura for acionada pela Defesa Civil; Rádio:A viatura for acionada pelo rádio de outra viatura; Pessoalmente:O solicitante for pessoalmente acionar; Ordem Verbal:For dada uma ordem verbal que não seja do Centro de Operações; Ordem deServiço:Em atendimento a ordem de serviço, se houver necessidade de atuação. Campo 16:Assinalar apenas uma das três opções para identificar o vulto da ocorrência. Classificação do vulto estabelecida no POP 001- COB. Tabela conforme POP 001 -COB. Nota 1: Acidentes de trânsito com vítima fatal é considerado de grande vulto, independente do número de vítmas envolvidas. Nota 2: Salvamentos de animais em poço ou locais diversos sempre será de pequeno vulto. Campo 17:Escrever a codificação do local conforme Anexo 3. Campo 18:Identificar as coordenadas geográficas do local do evento. >> Relatório BÁSICO MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 15 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 15
  • 16. Campo 19: Preenchercomonomecompletodapessoaquerecusaro atendimento/auxíliodo CBMGO e o número de seu documento (RG ou CPF). Se possível, relacionar duas testemunhas. Nota:Recusadeatendimentoédiferentederecusadetransporte,paraoscasosderecusade transporteosdadosdavítimaserãocolhidosnorelatórioderesgate. Campo20:Assinalarosrelatóriosaserempreenchidosidentificandocomocódigodaocorrência deacordocomosatendimentosrealizadosnoEvento. Campo 21: Preencher com a identificação dos componentes da guarnição e assinatura do comandantedaguarnição. Campo22:Preenchercomaidentificaçãoeassinaturadovistoriantedaocorrência. Campo23:Assinalar se há "Folha de continuação". Caso exista, especificar a quantidade de páginas Campo24:Assinalar a qualificação e identificar as pessoas envolvidas no evento. Se houver maisde2(duas),relacioná-lasnohistórico.Casooespaçosejainsulficienteutilizara FolhadeContinuação. Nota1:Idadeesexoécampodepreenchimentoobrigatório,casoavítimanãoportar documentos,deveráinformaraidadeesexoaparente. Campo 25: Identificar os veículos envolvidos no evento. Se houver mais de 2 (dois) veículos envolvidos,relacioná-losnohistóricoouutilizaraFolhadeContinuação. Campo 26: Assinalar um ou mais itens que ficaram sob custódia e especificar no Campo 27 do relatório as características do item. Escrever os dados da pessoa, com endereço, telefone e documentos, e/ou a VTR e o órgão que recebeu a custódia. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 16 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 16
  • 17. Campo27:Descreverositensqueficaramsobcustódiaeoestadodeles. Nota1:É obrigatóriaaassinatura dequem recebeua custódia. Campo 28: Preencher com dados relevantes ou alguma intercorrência no local do evento. Tomarocuidadoparanãodescreverdadosjámencionadosnocorpodorelatórioou informaçõesóbvias. >> Relatório BÁSICO MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 17 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 17
  • 18. 1 3 4 4 5 9 10 2 7 8 Relatório de Incêndio 1/2 >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 18 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS 6 MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 18
  • 19. Campo1: Especificarotipodeincêndioatendido,observandoque: Vegetação:PreencherasinformaçõesGerais(ParteA)easinformaçõesespecíficas doincêndioemVegetação(ParteB). Veículos:PreencherasinformaçõesGerais(ParteA)easinformaçõesespecíficasdo incêndioemVeículos(ParteC). Edificações:PreencherasinformaçõesGerais(ParteA)easinformaçõesespecíficas doincêndioemEdificações(ParteD). Observação: Nasocorrênciasqueseiniciarememdeterminadotipodeincêndio(vegetação,veículo,edificação)epropagarem–se atingindooutromaterial,transformando-seoutrotipodeincêndio,deveráseracrescentadaanaturezaespecíficado novotipodeincêndio,sendoobrigatórioopreenchimentonorelatóriodoscamposreferentesaostiposdeincêndios registrados, ou seja, como exemplo, um incêndio em terreno baldio (70209) que propagou-se a uma residência (60509), deverá ter as duas naturezas específicas e preenchido no relatório os campos referentes ao incêndio em vegetaçãoeaoincêndioemedificação. PARTEA:INFORMAÇÕESGERAIS (Deveráserpreenchidaemtodosostiposdeincêndio). Campo 2: Assinalar as ações preventivas e corretivas adotadas no local do evento. Nocasodoisolamento,trata-sedeimpedirentradadeterceirosnaáreadosinistro. Campo 3: Assinalar se as condições meteorológicas estavam favoráveis ou desfavoráveis. Em um combate a incêndio em vegetação, por exemplo, a umidade baixa seria condição desfavorável, em caso de chuva e temperatura baixa, seria favorável. Campo4: Indicarotempodeextinçãoederescaldonoincêndio,informaramedidaemhoras. Campo5: Assinalarosrecursoshídricosutilizadosparaaextinçãodoincêndio.Casoutilizede algum recurso não descrito, marcar “outro” e escrever o recurso hídrico utilizado. Campo6: Informaraquantidadetotaldeáguautilizadanoincêndio. Campo 7: Assinalar as possíveis causas do incêndio. Caso não esteja relacionada, marcar a opção "Outras" e descrevê-las: Fenômenos Termoelétricos: Relacionados a aumento de temperatura na rede elétrica (fiação da edificação); FenômenosQuímicos:Relacionadocomreaçãoquímicaexotérmicaquecausaliberaçãodeenergia; FenômenosNaturais:Relacionado com fenômenos da natureza; a combustão espontânea se trata de fenômenonatural; InstalaçãoInadequada:Relacionadacominstalaçõesemdesconformidadecomasnormas; CausasIndeterminadas:Quandonãoforpossívelidentificaracausa; VazamentoGLP/GNV:RelacionadocomvazamentodeGLPouGNV; ResultadodeAçãodeCrianças:Relacionadocomdescuidodecrianças.Quandopossívelrelatarotipo dedescuidonorelatório. >> Relatório INCÊNDIO MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 19 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 19
  • 20. 11 13 17 18 14 15 19 20 21 22 27 24 Relatório de Incêndio 2/2 >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 20 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS 12 16 23 25 26 MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 20
  • 21. PARTEB:IINCÊNDIOEMVEGETAÇÃO Campo8: Assinalarotipodevegetaçãoatingidapeloincêndio,observandoque: Campo(áreanativa):cobertaporvegetaçãorasteiraherbáceacompredominânciade gramíneas,podendoocorreralgunsindivíduosarbustivos; Mato(áreaalterada):vegetaçãoruderal,predominantementerasteira,com elementosarbustivos,ocorrendoemáreasurbanasoubeiradeestradas; Capoeira (área alterada): vegetação alterada com predominância de arbustos densos, resultante do processo de regeneração natural ou sucessão secundária da comunidade original; Cerrado(áreanativa):caracterizado pela presença de árvores baixas, tortuosas, de casca grossa, espalhadas sobre um estrato rasteiro, composto por gramíneas e arbustos finos. Áreas onde há predomínio visual de vegetação arbórea-arbustiva, formandoumdossel(cobertura)bemdesenvolvido,porémdescontínuo; Pastagem (áreaalterada):formaçõesabertas,rasteirasconstituídasdeespéciesde gramíneas e outras forrageiras nativas ou cultivadas. Trata-se de área dedicada à criaçãodegado,correspondendo,namaioriadasvezes,àpecuáriaintensiva. Cultura Agrícola Diversa (área alterada): área desmatada para plantio de espécies vegetais homogêneas com fins de alimentação ou utilização em indústrias, exceto arrozal, milharal ou canavial, podendo ser rasteiras, arbustivas ou arbóreas, incluindo a fruticultura; Canavial (área alterada): área desmatada para plantio de espécies vegetais homogêneas com fins de alimentação ou utilização em indústrias, campo semeado de cana-de-açúcar. Arrozal/Milharal (área alterada): área desmatada para plantio de espécies vegetais homogêneas com fins de alimentação ou utilização em indústrias, campo semeado de arroz ou milho. Floresta Plantada (área alterada): vegetação arbórea plantada, geralmente com indivíduos alinhados, apresentando forma regular. Podem corresponder ao reflorestamentocomespéciesnativasouexóticas; Mata/Floresta(áreanativa):caracterizadapelapresençadeárvoresaltas(acimade 7,0m)comascopassetocandoeestratorasteiroralo.Apresentaumdossel(cobertura) contínuooupraticamentecontínuoecoberturaarbóreadecercade70%a100%; Caatinga(áreanativa):dominadaporarvoretasearbustosespinhososqueperdemas folhasnaestaçãosecaeporplantassuculentascomocactos,broméliasegravatáse ervasquevivemapenasnaestaçãochuvosa; Campo9: Assinalarazonaatingidapeloevento; Faixadedomínio:MargensdeRodoviaseestradas. >> Relatório de INCÊNDIO MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 21 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 21
  • 22. Unidadedeconservação:Áreasnaturaispassíveisdeproteção,comcaracterísticas naturaisrelevantes,legalmenteinstituidaspelopoderpúblico. Campo10:Informarasáreasatingidaspeloevento,marcandoaunidadedemedidaaplicada; Áreatotal:Áreatotaldavegetação.Observaraquestãodeaceirosnaturais. Exemplo: em um incêndio em faixa de domínio a área total deve-se levar em conta aceirosnaturaiscomocórregos,estradas,etc. Áreaqueimada:Áreaatingidapelaschamas. Áreaprotegida: ÉadiferençaentreaÁreaTotaleaÁreaQueimada.Éaáreaquenão foi afetada pelo incêndio, sendo preservada pelos métodos de combate e extinção dosincêndios. PARTEC:INCÊNDIOEMVEÍCULOS Campo11: Assinalarotipodeveículoenvolvidonosinistro. Campo12: Assinalarotipodedanosnaspartesespecíficasdoveículoatingido. PARTED:INCÊNDIOEMEDIFICAÇÕES Campo 13: Especificar a classe do incêndio. Se houver mais de uma classe, marcar todas e relatarnohistórico,apredominante. Campo14: Informaraquantidadedepavimentosdaedificação. Campo15:Especificaronúmerodepavimentosatingidospelosinistro,observandoque: Nota1:Edificaçõescomapenasumpavimentoespecificar:de01a01; Nota2:Pavimentosabaixodoníveldeacessoserãoespecificadoscomsinalnegativo queprecederáonúmeroqueidentificaopavimento. Campo16: Relataraáreaatingidapeloincêndio.Lembrandoque: MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 22 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS NOMEDAMEDIDA BRAÇAS METROS HECTARES Alqueire 100 x 100 220 x 220 4,84 Metroquadrado 0,0001 Quarta 50 x 50 110 x 110 1,21 Tarefa 25 x 25 55 x 55 0,30 MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 22
  • 23. ÁreadoSinistro:Áreatotaldaedificação. ´ Áreadestruída:Áreaatingidapeloincêndio,sejapelaschamasoupelafumaça. ´ ÁreaPreservada: Áreanãoatingidapeloincêndio. Campo17:Nocampo"fontedecalor/ignição"identificaraprovávelfontedecalordoincêndio. Campo18:Nocampo"áreadaorigem"doincêndioidentificar olocalprovávelondeoincêndio teveinício; Campo19: Assinalarotipodeestruturapredominantedaedificação. Campo20:Assinalarasituaçãodaenergiaelétricadobemsinistradonachegadadaguarnição noevento. Campo21:Seaenergiafordesligadaporbombeiromilitar,identificarobrigatoriamenteomilitar querealizouocortedaenergia,informandoPosto/Graduação,RGMilitareNomede Guerra. Campo22:Preenchercomacorpredominantedaschamas. Campo23:Assinalaroestadodovidrodobem sinistradonachegadadaguarniçãonoevento. Campo24:Preenchercomacorpredominantedafumaçadoincêndio. Campo25:Assinalarosmeiospreventivosativos(usodiretonocombate) epassivos(utilizados paraevacuação)empregadosnoevento. Aba:Saliências ou projeção vertical ou horizontal pra fora do prédio, para dificultar comobarreiraapropagaçãodoincêndio.Ex.:umamarquiz; Peitoril:Alvenariaabaixodajanela; Vergas:Alvenariaouestruturadeconcretoacimadajanela; Campo26:Relacionartodososbensdaedificaçãosinistrada,distinguindoentreosbens atingidoseosbensprotegidos. Campo27:Informarosomatóriodosvaloresestimadosdosbensrelacionados. >> Relatório de INCÊNDIO MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 23 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 23
  • 24. 1 11 3 5 6 7 9 10 Relatório de Busca e Salvamento 1/1 >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 24 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS 4 8 2 MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 24
  • 25. >> Relatório de BUSCA E SALVAMENTO Campo1: Assinalarostiposdebuscaesalvamentorealizados.Deve-semarcarmaisdeumtipo de Busca em caso de eventos mistos, ou seja, eventos onde foi realizado cumulativamenteatividadeTerrestre,Alturaou Campo2: Assinalarosenvolvidosnoevento. Campo3: Informaradistânciaentreoprovavéllocaldaocorrênciaeolocalondefoiencontrado ocorpo/ben/objeto. Campo4: Informaracoordenadageográficaondeocorpo/ben/objetofoilocalizado. Campo5: Informarotipodemergulhorealizadopelaguarnição. Campo6: Informarotipodefundodolocaldasbuscas. Campo7: Informaravisibilidadedaguarniçaonomeiolíquido. Campo8: Infomarosmergulhadoresenvolvidosnoeventoepreencherasinformaçõesrelativas aomergulho. Campo9: Informarosomatóriodemergulhadoresqueparticiparamdaocorrência. Campo 10: Assinalar o tipo de animal envolvido no evento, o estado aparente do animal e descrever a espécie de animal. Em casos de eventos com mais de três tipos de animais, descrevê-los no histórico da ocorrênciaounaFolhadeContinuação. Campo11: Assinalarasaçõestomadaspelaguarniçãonolocal.Casonãoestejarelacionada, marcaraopção"Outras"edescrevê-las.Lembrandoque: Esgotamento:Retiradadelíquidoacumuladocomutilizaçãodebomba; Escoramento:Apoiar ou segurar com escoras qualquer superfície sob ameaça de colapso; Escoamento:Retiradadelíquidoacumuladosemutilizaçãodebomba; MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 25 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 25
  • 26. 2 6 3 4 5 Relatório de Resgate 1/2 >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 26 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS 1 8 10 7 11 12 13 9 MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 26
  • 27. Campo1: Preenchercomonome,idadeesexodavítima.Casonãosejapossívelaidentificação, escrever"NãoIdentificada".Nestasituação,colocaraidadeaproximadaeosexoda vítima.Preenchertambémoendereço,telefoneeRG/CPF. Campo2: Assinalarapenasumaopçãoidentificandoasituaçãoemqueavítimaseencontrava, sendoque: Consciente:Vítimasquereagemaperguntasouàvozalta; Inconsciente:Vítimasquenãoreagemaperguntasouàvozalta; Óbito:Assinalarestaopçãosomentenoscasosdefinidosnoprotocoloderesgateou atestadospormédico.Noúltimocaso,colherassinaturadoprofissionalenúmerodo ConselhoRegionaldeMedicina. Campo 3: Assinalar se a vítima é bombeiro, se a resposta for sim, assinalar se o bombeiro estava: EmServiço:Escaladoparaoserviçobombeiromilitar; ForadoServiço,Em CumprimentodoDever:Defolga,mascumprindo oseudevere realizandoserviçodebombeiro; ForadoServiço:Em horáriodefolga. Campo4: Assinalarseéacidentedetrabalhooudomestico,lembrandoqueacidentedetrabalho éoqueocorrepeloexercíciodotrabalhoparaempresaouparasimesmo,nocasodo autônomo,alemdissoconsidera-secomoacidentedetrabalhooacidentequeocorre duranteotrajetodaresidênciadotrabalhadoreolocaldetrabalho.Logooacidente domesticoéaquelequeocorrenoambientedomiciliar. Campo5: Informar se o atendimento foi realizado com a presença de um médico no local da ocorrência. Campo6: Assinalarodestinodavítima,observandoque: AtendidanoLocal:Semnecessidadedeencaminhamentoàunidadedesaúde. Recusadetransporte:VítimarecusartransporteoferecidopeloCBMGO,nestecaso deverácolheraassinaturadavítima. TransportadaporoutraViatura:Apósatendimentodosuportebásicoouavançado,a vitimafortransferidaparaoutraviatura. Transportada por Terceiros: Vítima for transportada por veículo pessoal ou ambulânciadeoutrasinstituiçõespúblicasouprivadas. UnidadedeSaúde:Vítimaencaminhadaàunidadedesaúde. PolíciaTécnico-Científica:Vítimaemóbito,aoscuidadosdaPolíciaTécnico-Científica. Transportada por Suporte Aeromédico: Após atendimento do suporte básico ou avançado,avítimaforencaminhadaaosuporteaeromédico. >> Relatório de RESGATE MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 27 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 27
  • 28. 14 15 20 21 22 23 25 26 Relatório de Resgate 2/2 >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 28 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS 17 18 16 19 24 MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 28
  • 29. >> Relatório de RESGATE Campo7:EscreveronomedaUnidadedeSaúdeparaondeavítimaforencaminhada. Campo8:AssinalarotipodeUnidadedeSaúde. Campo9:Assinalarsuaclassificação,observandoque: Primário:Unidade de saúde sem resolutividade, onde se faz apenas consultas com um clínico geral ou pediatra, sem estrutura para nenhum procedimento (posto de bairro). Secundário: Unidade de saúde com alguma resolutividade, onde se têm algumas especialidades e procedimentos como soro, suturas, observação de pacientes, retirada de pequenos objetos estranhos e alguns exames para investigação (Cais, Ciams,eClínicas). Terciário:Unidadedesaúdecommuitaresolutividade,ondesefazgrandescirurgias, tratamentos mais complexos, e tem toda estrutura para exames e especialidades paratrauma(hospitais). Campo 10: Preencher com o tempo (em minutos) de permanência da viatura na unidade de saúde. Campo 11: Assinalar alterações que diminuíram a agilidade do recebimento da vítima na unidadedesaúde. Campo12:Preencher com o nome completo, CRM e a assinatura do médico responsável pela vítima. Campo13:Descreverfatosrelevantes,sobreoestadoousituaçãodavítima,nãorelacionadosno relatório. Campo14:AssinalaraescaladecomadeGlasgowdavítimaepreencherasomanofinaldatabela. Campo 15: Preencher com o monitoramento contínuo do nível de saturação do oxigênio no sangue e o pulso do paciente no evento, cinco minutos após a saída do local e na chegadaaohospital. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 29 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 29
  • 30. Campo16: Assinalardentreasopçõesasituaçãodavítimanomomentodoevento. Campo17: Preenchercomosdadosdossinaisvitaisdavítimanosquadroscorrespondentes. Campo18: Assinalaraposiçãodavítima,marcandoapenasumitem. Campo19: Assinalarositensdesegurançautilizadospelavítimanomomentodoevento.Seos itens de segurança forem removidos por terceiros ou pela vítima, assinalar a opção "sim"erelatarnohistórico. Campo20: Assinalar as lesões apresentadas pela vítima relacionando o tipo de lesão no eixo vertical com o local das mesmas no eixo horizontal conforme exemplo abaixo. Em casodevítimasdequeimadurasdeveráassinalaroitem"outraslesões"preenchendo otópicoespecíficodequeimaduras. LEGENDA(PRINCIPAISLESÕES): FCcontuso:Ferimentocortocontuso; FPerfurante:Ferimentoperfurante; Pesc:Pescoço; Abd:Abdômen; MSD:Membrosuperiordireito; MSE:Membrosuperioresquerdo; MID:Membroinferiordireito; MIE:Membroinferioresquerdo. Campo21: Assinalaroagentecausadordaqueimadura,observandoque: Térmicos:Sãoascausadaspelatemperaturaechoqueelétrico. Químicos:Porprodutosquímicos. Radiação:Porraiosultravioletas-UV,raiosXouporradiaçõesionizantes. Abrasão:Causadaspeloatritocomsolo. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 30 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 30
  • 31. Campo22: Assinalarseasviasaéreasforamatingidas. Campo23: Indicandoaporcentagemdasuperfícieatingidapelaqueimadura,observandoque: Campo24: Assinalarotipodelesãopredominantenavítima. Campo25: Escreveronomedoagentecausadordaqueimadura. Campo26: Assinalarosprocedimentosbásicosrealizadosnavítimapelaunidadederesgate, bemcomoosprocedimentosrealizadosnavitimapelaunidadedesuporteavançado. LEGENDA: MI:MembroInferior MS:MembroSuperior DESA:DesfibriladorSemiautomático >> Relatório de RESGATE MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 31 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 31
  • 32. 1 2 3 4 5 6 Relatório de Ações Preventivas 1/1 >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 32 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 32
  • 33. >> Relatório de AÇÕES PREVENTIVAS Campo1:AssinalarotipodeAçãoPreventivarealizada. Proativa: São eventos de carater preventivo que não necessitam de urgência no deslocamento para o seu atendimento. (preencher os apenas os campos 2, 3 e 4). Reativa:Sãoeventosdecaraterpreventivoque,emsuagrandemaioria,necessitam de urgência no deslocametno para o seu atendimento. (preencher os apenas os campos5e6). Campo2:Assinalarasmedidaspreventivasadotadas.Casoaaçãonãoestejarelacionada, marcarocampo"Outra"edescrevê-la. Campo3: Assinalarosmétodosutilizadosparaarealizaçãodaaçãopreventiva.Casoométodo nãoestejarelacionado,marcarocampo"Outra"edescrevê-lo. Campo4: Assinalaredescreverinformaçõesadicionaisdoevento. Campo5: Assinalarasmedidasdiversas-açõesdecaráternãoemergencial-adotadas.Casoa medidanãoestejarelacionada,marcarocampo"Outra"edescrevê-la. Campo6: Assinalaredescreverinformaçõesadicionaisdoevento. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 33 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 33
  • 34. 1 2 3 7 8 9 4 5 6 Relatório de Defesa Civil 1/1 >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 34 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 34
  • 35. >> Relatório de DEFESA CIVIL Campo 1: Preencher com o agente causador do sinistro. Descreva o evento adverso que provocou o desastre, informando sobre suas características intrínsecas e magnitude. Campo 2: Preencher com as áreas onde tenha ocorrido o evento, que tenha sido atingida ou prejudicada pelo sinistro. Descreva a(s) área(s) afetada(s) delimitando-a(s), com o máximo de precisão. Anexe fotos, mapa ou croqui representando-a(s). Campo 3: Assinalar a intensidade dos danos encontrados nas áreas afetadas com base na Classificação Geral dos Desastres do Sistema Nacional de Defesa Civil (Sindec). Campo 4: Escrever a classificação da ocorrência (COBRADE NUMÉRICO) segundo anexo 1. Este campo é de preenchimento obrigatório e em caso de dificuldade em relacionar a ocorrência ao COBRADE realizar consulta na Defesa Civil. Campo 5: Informar a quantidade de pessoas vitimadas, de alguma forma, em consequência do desastre, discriminando: Desalojadas: Obrigadas a abandonar temporária ou definitivamente sua habitação, mas que não necessitam de abrigo patrocinado pelo Governo; Desabrigadas: Obrigadas a abandonar temporária ou definitivamente sua habitação, mas que necessitam de abrigo patrocinado pelo Governo; Deslocadas: Que por meio de desastre, perseguição política ou religiosa ou por outro motivo, são obrigadas a migrarem da região que habitam para outra; Desaparecidas: Que não foram localizadas ou de destino desconhecido, em circunstancia do desastre; Mortas: Pessoas falecidas, em consequência do desastre; Enfermas: Que apresentavam alguma patologia clínica em consequência do desastre; Feridas Levemente: Que apresentam lesões simples, sem risco de morte iminente e que não necessitam de hospitalização; Feridas Gravemente: Que apresentam lesões graves, com risco de morte iminente necessitando de hospitalização; Afetadas: Total de pessoas vitimadas de alguma forma em consequência do desastre. Uma pessoa pode sofrer mais de um tipo de dano ou não se enquadrar em nenhum dano especificado acima. Exemplos: a) a pessoa que foi desabrigada e ferida (duas vezes atingida) é contada como uma afetada. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 35 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 35
  • 36. b) a pessoa que teve sua casa atingida por inundação e não se enquadra em nenhum dos danos humanos é contada como uma afetada. Em consequência, o número de pessoas afetadas não é, obrigatoriamente, o somatório dos danos humanos. Não se esqueça de incluir nesses números os membros das equipes da Defesa Civil afetados de alguma forma durante o atendimento. Campo 6: Indicar a quantidade de edificações danificadas ou destruídas pelo desastre (se não exata, pelo menos estimada), discriminando: Residência: Casas ou unidades habitacionais afetadas pelo desastre, inclusive apartamentos. Comércio: Estabelecimentos destinados à permutação, troca, compra e venda de produtos ou valores. Indústria: estabelecimentos destinados à transformação e produção de mercadorias. Prédio Público: Edificações ou instalações públicas afetadas pelo desastre, excluindo as destinadas a ensino e saúde, que serão totalizadas em campo próprio. Comunitário: Instalações comunitárias, como centros de convivência, creches e outras. Estabelecimento de Saúde: Estabelecimento público ou privado onde se pratica medicina ou procede-se exames clínicos, radiografias, etc. Área de Proteção Ambiental - APA: Áreas públicas ou privadas destinadas a preservação da fauna/flora (Parque Nacional, Estadual, Municipal, Reserva particular, etc.). No espaço entre parênteses, indique a unidade de medida utilizada para indicar a área afetada (ha, km² etc.). Obra de arte: Estruturas tais como bueiros, pontes, viadutos, túneis, muros de arrimo, etc., necessárias à construção de estradas. Estrada: caminho destinado ao transito de pessoas, animais e veículos, pavimentado ou não. Anote no espaço a distancia em quilômetros (km). Ensino: Estabelecimento público ou privado onde se ministra, sistematicamente, ensino coletivo. Campo 7: Assinalar qual elemento do meio ambiente foi afetado pelo evento. Campo 8: Assinalar os serviços essenciais afetados pelo desastre. Em caso de danos, comprometimento ou destruição destes à coletividade, identificando: Saúde: Hospitais, Centros e postos de saúde, etc. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 36 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 36
  • 37. Comunicação:Instalações e eixos de comunicações. Educação: Ensino fundamental, médio e superior. Energia: Sistema de geração, transmissão, estações e rede de distribuição. Transporte: Terminais, vias de tráfegos e os meios de transporte propriamente ditos (veículos). Água/Esgoto: Captação, estação de tratamento, armazenamento, rede de distribuição ou coleta. Segurança: Garantia de ordem, incolumidade física e da posse aos cidadãos. Campo 9: Assinalar se houve o cadastro de pessoas afetadas. Descrever no básico os documentos confeccionados anexados ao relatório, como Noprede, Avadan, Fotos, croqui, laudos técnicos, etc. Observação: No histórico do relatório básico, deverá constar a atuação da equipe e a solução/sugestão. >> Relatório de DEFESA CIVIL MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 37 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 37
  • 38. 1 2 5 6 8 9 10 11 12 13 14 15 4 7 3 Relatório de Produtos Perigosos 1/1 >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 38 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 38
  • 39. >> Relatório de PRODUTOS PERIGOSOS Campo 1: Preencher por extenso com o nome químico comum ou o dado pelo fabricante do produtoperigoso. Campo 2: Informar o número ONU - localizado no Painel de Segurança (placa de cor laranja afixadanaslaterais,traseiraedianteiradoveículo); Campo3: Informar o número de classe ou subclasse de risco - localizado na parte inferior do RótulodeRisco. Exemplocampos1,2,3e4: Campo4: Descreverotipoderecipientenoqualseencontravaoproduto; Campo5: Indicarovolumeestimadodoprodutoextravasado/liberadoeassinalaraunidadede medida; Campo6: Indicarovolumeestimadodorecipiente(oquantoelecomporta)eassinalaraunidade demedida; Campo7: Assinalaroestadofísicodoproduto. Campo8: Identificaraquantidadedepessoascontaminadas,irradiadas,evacuadaseatingidas, nolocaldoevento,observandoque: Contaminados:Vítimasinfectadaspeloproduto; Irradiadas:Pessoas que se aproximaram do material radioativo e receberam carga radioativa; Evacuadas:Pessoasemsituaçãoderiscoretiradasdolocaldoevento; Atingidos:Somadaspessoascontaminadas,irradiadaseevacuadas. Campo9: Descreveraáreaisoladadoevento-sinistradasobacessoexclusivodasequipesde socorro,eassinalaraunidadedemedida. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 39 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 39
  • 40. Campo 10: Descrever a área contaminada - afetada diretamente pelo produto, e assinalar a unidadedemedida. Campo11: Descreveraáreadeabandono-áreaevacuada,eassinalaraunidadedemedida. Campo12: Assinalaroselementosdomeioambientecontaminadospeloproduto. Campo13: Assinalaroórgãoresponsávelpelodestinofinaldoprodutocausadordeevento. Campo14: Assinalarasaçõespreventivas/corretivasadotadasnolocaldoevento. Campo15: Assinalaracausapresumidadosinístro. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 40 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 40
  • 41. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 41 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS Vidas alheias e riquezas salvar. >> Relatório de PRODUTOS PERIGOSOS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 41
  • 42. 1 2 3 4 5 6 7 8 Relatório de Vistoria em Hidrantes1/1 >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 42 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 42
  • 43. >> Relatório de VISTORIA EM HIDRANTES Campo1: Assinalaroobjetivodavistoriacomo: Cadastramento:AtodeincluirohidrantenobancodedadosmantidopeloCentrode Operações; Teste:Verificarafuncionalidadeeoperabilidadedohidrante; Inspeção:Vistoriaderotina; Manutenção: É o ato de sanar pequenos defeitos e manter a operabilidade dos hidrantes. Campo 2: Preencher com o número que identifica o hidrante e assinalar o tipo de hidrante vistoriado.Casonãoestejavisível,onúmeroseráfornecidopelobancodedadosdo CentrodeOperações. Campo3:Assinalarascondiçõesdeusoeascaracterísticasdohidrante. Campo4:Assinalarositensqueimpedemoudificultamoacessoaohidrante. Campo5:Assinalaraspeçasdanificadasouqueprecisamsertrocadas. Campo6:Assinalarositensrelacionadoscomamáinstalaçãodohidrante. Campo7:Assinalarositensrelacionadoscomosproblemasdemanutençãodohidrante. Campo 8:Assinalar a falta de pintura com tinta refletiva nas cores amarela ou vermelha em partesdohidrante. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 43 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 43
  • 44. 1 2 3 4 5 Relatório de Acidentes com Viaturas1/2 >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 44 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS 6 7 MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 44
  • 45. >> Relatório de ACIDENTES COM VIATURAS Campo1: Preenchercomdadosdomilitarqueconduziaaviaturaenvolvidanosinistro.Informar também,acategoria, número,validadeetempodeCNH. Campo2: Assinalarotipodedeslocamentoedavia. Campo3: Assinalaracausaprincipaldoevento,observandoque: Atropelamento:Quandoatropelarpedestre; Colisão:Quandocolidircomoutroveículonatraseiraoufrontal; Atropelamentodeanimal:Quandoatropelaranimais; Choquecomobjetofixo:Quandocolidircomobjetofixo,diferentedeoutroveículo; Tombamento:Quandotombarlateralmentesematingiroteto; Abalroamento: Quando colidir lateralmente, estando um veículo do lado do outro, mesmoemsentidocontrário; Capotamento:Quandogirarnopróprioeixoeatingiroteto. Campo4: Assinalarquaisfatorescolaboraramparaosinistro. Campo5: Assinalarascondiçõesadversaseousodeequipamentosdesegurançarelacionando- os. Campo6: Assinalaracategoriada viaturaenvolvidanoacidente. Campo7: Preenchercomosdadoseaassinaturadoresponsávelpelosdanosàviaturaem decorrênciadoacidente. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 45 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 45
  • 46. 8 9 Relatório de Acidentes com Viaturas 2/2 >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 46 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 46
  • 47. Campo8: Indicarnafiguraaáreadoveículoafetadapeloeventoemarcaraintensidadedaavaria naspartesatingidas. Campo9: Desenhar o cenário do acidente observando a localização de acordo com a posição geográfica. Informar sentido das vias, semáforos, posição do veículo, faixas de pedestreeoutrasinformaçõesrelevantesparacaracterizaroacidente. >> Relatório de ACIDENTES COM VIATURAS MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 47 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 47
  • 48. Relatório de Recursos Materiais 1/1 >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 48 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS 1 2 MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 48
  • 49. Campo1: Assinalarosrecursosmateriaisutilizadosportodasasguarniçõesqueatenderamo evento.Casoaguarniçãoutilizarum recursoquenãoconstenalista,assinalaro campooutrosrecursoseinformarporextensootipoderecursoutilizado. Campo2: Assinalarosmateriaisutilizadosportodasasguarniçõesqueatenderamoevento. Casoaguarniçãoutilizarum materialquenãoconstenalista,assinalarocampo outrosmateriaiseinformarporextensootipodematerialutilizado. >> Relatório de RECURSOS MATERIAIS MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 49 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 49
  • 50. Folha de Continuação 1/1 >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 50 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS 1 2 MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 50
  • 51. Campo1: Utilizarafolhadecontinuaçãoparacomplementarqualquerinformaçãonão comportadanosrelatórios. Nota1: Afolhadecontinuaçãoéimportanteemeventosqueperduramporvários dias,necessitandodeumhistóricoquerelateaatuaçãodaguarniçãoemcadadiaou duranteumperíodooperacionalestabelecido. Campo2: Informaronúmerodafolhadecontinuaçãopreenchidaequantasfolhasexistemno total. >> FOLHA DE CONTINUAÇÃO MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 51 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 51
  • 52. Anexos >> MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 52 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS Da esquerda para direita: ST Gomes, Sgt Queiroz, Sgt Yanne e TC Douglas MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 52
  • 53. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 53 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 53
  • 54. D e S A S t R e n A t u R A l c o b R A D e geológIco Terremoto Tremor de terra 1.1.1.1.0 Tsunami 1.1.1.2.0 Emanação Vulcânica 1.1.2.0.0 Movimento de massa Quedas, Tombamentos e Rolamentos Blocos 1.1.3.1.1 Lascas 1.1.3.1.2 Matações 1.1.3.1.3 Lajes 1.1.3.1.4 Deslizamentos Deslizamentos de Solo ou Rocha 1.1.3.2.1 Corridas de Massa Solo/Lama 1.1.3.3.1 Rocha/Detrito 1.1.3.3.2 Subsidências e colapsos 1.1.3.4.0 Erosão Erosão Costeira/Marinha 1.1.4.1.0 Erosão de Margem Fluvial 1.1.4.2.0 Erosão Continental Laminar 1.1.4.3.1 Ravinas 1.1.4.3.2 Boçorocas 1.1.4.3.2 HIDRológIco Inundações 1.2.1.0.0 Enxurradas 1.2.2.0.0 Alagamentos 1.2.3.0.0 MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 54 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS Anexo 1: Classificação e Codificação Brasileira de Desastres MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 54
  • 55. D e S A S t R e n A t u R A l c o b R A D e meteReológIco Sistema de Grande Escala/Escala Regional Ciclones Ventos Costeiros (Mobilidade de Dunas) 1.3.1.1.1 Marés de Tempestades (Ressacas) 1.3.1.1.2 Frentes Frias/Zonas de convergência 1.3.1.1.1 Tempestades Tempestade Local/Convectiva Tornados 1.3.2.1.1 Tempestades de raios 1.3.2.1.2 Granizo 1.3.2.1.3 Chuvas Intensas 1.3.2.1.4 Vendaval 1.3.2.1.5 Temperaturas Extremas Onda de Calor Onda de Frio Friagem 1.3.3.2.1 Geadas 1.3.3.2.2 clImAtológIco Seca Estiagem 1.4.1.1.0 Seca 1.4.1.2.0 Incêndio Florestal Incêndios em Parques, 1.4.1.3.1 Áreas de Proteção Ambiental e Áreas de Preservação Permanente Nacionais, Estaduais ou Municipais. Incêndio em áreas não protegidas, 1.4.1.3.2 com reflexos na qualidade do ar Baixa Humidade do Ar 1.4.1.4.0 MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 55 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS >> Anexo 1: Classificação e Codificação Brasileira de Desastres - COBRAD MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 55
  • 56. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 56 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS DeSAStRe nAtuRAl cobRADe bIológIco Epidemias Doenças infecciosas virais 1.5.1.1.0 Doenças infecciosas bacterianas 1.5.1.2.0 Doenças infecciosas parasíticas 1.5.1.3.0 Doenças infecciosas fúngicas 1.5.1.4.0 Infestações/Pragas Infestações de animais 1.5.2.1.0 Infestações de algas Marés vermelhas 1.5.2.2.1 Ciano bactérias em reservatórios 1.5.2.2.2 D e S A S t R e t e c n o l ó g I c o c o b R A D e DeSAStReS RelAcIonADoS A SubStâncIAS RADIoAtIvAS Desastres Siderais com riscos radioativos Queda de Satélite (radionuclídeos) 2.1.1.1.0 Desastres com substâncias e equipamentos radioativos de uso em pesquisas, indústrias e usinas nucleares Fontes radioativas em processo de produção 2.1.2.1.0 Desastres relacionados com riscos de intensa poluição ambiental provocada por resíduos radioativos Outras fontes de liberação de radionuclídeos para o meio ambiente 2.1.3.1.0 Anexo 1: Classificação e Codificação Brasileira de Desastres MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 56
  • 57. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 57 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS DeSAStRe tecnológIco cobRADe DeSAStReS RelAcIonADoS A PRoDutoS PeRIgoSoS Desastres em plantas e distritos industriais, parques e armazenamentos com extravasamentos de produtos perigosos Liberação de produtos químicos para a atmosfera causada por explosão ou incêndio 2.2.1.1.0 Desastres relacionados à poluição da água Liberação de produtos químicos nos sistemas de água potável 2.2.2.1.0 Derramamento de produtos químicos em ambiente lacustre, fluvial, marinho e aquíferos 2.2.2.2.0 Desastres relacionados à Conflitos Bélicos Liberação de produtos químicos e contaminação como consequência de ações militares 2.2.3.1.0 Desastres relacionados à transporte de produtos perigosos Transporte rodoviário 2.2.4.1.0 Transporte ferroviário 2.2.4.2.0 Transporte aéreo 2.2.4.3.0 Transporte dutoviário 2.2.4.4.0 Transporte marítimo 2.2.4.5.0 Transporte aquaviário 2.2.4.6.0 DeSAStReS RelAcIonADoS A IncênDIoS uRbAnoS Incêndios urbanos Incêndio em plantas e distritos industriais, parques e depósitos 2.3.1.1.0 Incêndio em aglomerados residenciais 2.3.1.2.0 DeSAStReS RelAcIonADoS A obRAS cIvíS Colapso de edificações 2.4.1.0.0 Rompimento/colapso de barragens 2.4.2.0.0 >> Anexo 1: Classificação e Codificação Brasileira de Desastres - COBRAD MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 57
  • 58. Anexo 1: Classificação e Codificação Brasileira de Desastres DeSAStRe tecnológIco cobRADe DeSAStReS RelAcIonADoS A tRAnSPoRte De PASSAgeIRoS e cARgAS não PeRIgoSAS Transporte rodoviário 2.5.1.0.0 Transporte ferroviário 2.5.2.0.0 Transporte aéreo 2.5.3.0.0 Transporte marítimo 2.5.4.0.0 Transporte aquaviário 2.5.5.0.0 MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 58 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 58
  • 59. 3 3 0 7 0 gRuPo SubgRuPo nAtuReZA Existem 329 Naturezas das ocorrências que estão dispostas em 9 grupos e 34 sub-grupos. A codificação das Naturezas de Ocorrências do CBMGO é composta por um número formado por 5 algarísmos, ou seja, todos os códigos possuem o formato da figura abaixo. O primeiro algarísmo diz respeito ao Grupo da Natureza. O segundo e terceiro al- garísmos correspondem ao sub-grupo específico daquele grupo. O quarto e quinto algarís- mos deste número relata a tipificação do evento. A aglutinação desses algarísmos de- screvem a NATUREZA DO EVENTO, ou seja, o breve relato do que acontecera. No exemp- lo abaixo, trata-se de uma ocorrência de RESGATE proveniente de uma AGRESSÃO por CEROL. IntRoDuÇão A coDIFIcAÇão DAS nAtuReZAS MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 59 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS >> Anexo 1: Classificação e Codificação Brasileira de Desastres - COBRAD ReSgAte AgReSSão ceRol MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 59
  • 60. GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO ACIDENTES COM VIATURA Administrativa Administrativa 10101 Operacional Apoio (AT, AE, APA, ATC, AG) 10201 Incêndio 10202 Aeronave 10203 Resgate (UR, USA, MOB, AA) 10204 Salvamento 10205 Embarcação (MN, BIS, BS, LS) 10206 Mista 10207 AÇÕES PREVENTIVAS Diversas Abastecimento com água 20101 Bombeiros mirins 20102 Condução de ataúde 20103 Desfile com equipes esportivas 20104 Desfile com personalidades 20105 Enchente (proteção) 20106 Escoamento (proteção) 20107 Funerais 20108 Identificação/sinalização de área de risco 20109 Inclusão social 20110 Limpeza de pista 20111 Participação cívico-militar 20112 Reparo ou colocação de objeto em nível superior 20113 Replantio de árvore 20114 Transporte de bens ou produtos 20115 Abastecimento de aeronave 20116 Balizamento de emergência 20117 Embarque/ desembarque de passageiros 20118 Posicionamento para intervenção 20119 Aceiros/ Queimada controlada 20120 Outras/a.p diversas 20199 Comunitárias Aquática 20201 Terrestre 20202 Aérea 20203 Resgate 20204 Acidente doméstico 20205 Acidente de tráfego 20206 Acidente de trabalho 20207 Desabamento/soterramento 20208 Incêndio urbano 20209 Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 60 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 60
  • 61. GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO AÇÕES PREVENTIVAS Incêndio Comunitárias (continuação) florestal 20210 Festas e eventos 20211 Aceiro/queimada controlada 20212 Outras/a.p comunitárias 20299 RESGATE Acidente de trânsito Atropelamento 30101 Bicicleta x bicicleta 30102 Bicicleta x objeto fixo 30103 Capotamento/tombamento 30104 Carro x bicicleta 30105 Carro x carro 30106 Carro x moto 30107 Carro x objeto fixo 30108 Moto x bicicleta 30109 Moto x moto 30110 Moto x objeto fixo 30111 Queda de bicicleta 30112 Queda de moto 30113 Veículo de grande porte x bicicleta 30114 Veículo de grande porte x carro 30115 Veículo de grande porte x moto 30116 Veículo de grande porte x objeto fixo 30117 Veículo de grande porte x veículo de grande porte 30118 Animal x Bicicleta 30119 Animal x Carro 30120 Animal x Moto 30121 Animal x Veículo de grande porte 30122 Embarcação 30123 Embarcação x Embarcação 30124 Queda de embarcação 30125 Aeronáutico 30126 Veículo de tração animal x Bicicleta 30127 Veículo de tração animal x Carro 30128 Veículo de tração animal x Moto 30129 Veículo de tração animal x Veículo de grande porte 30130 Veículo de tração animal x Veículo de tração animal 30131 Veículo de tração animal x Objeto fixo 30132 Saída de pista / Colisão Misteriosa 30133 Outro/Acidente De Trânsito 30199 MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 61 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS >> Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 61
  • 62. Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO RESGATE Acidente esportivo Artes marciais 30201 Atletismo 30202 Basquete 30203 Esportes radicais 30204 Futebol 30205 Handebol 30206 Hipismo 30207 Natação 30208 Vôlei 30209 Outros/Acidente esportivo 30299 Agressão Física 30301 Por animal (picada, mordida, etc.) 30302 Por arma branca 30303 Por arma de fogo 30304 Por objeto 30305 Sexual 30306 Cerol 30307 Outra/agressão 30399 Emergência clínica Acidente Vascular Cerebral - AVC 30401 Convulsão 30402 Crise Hipertensiva 30403 Desmaio (Síncope) 30404 Distúrbio Mental/Paciente Psiquiátrico/QBU 30405 Hemorragia 30406 Obstétrico (gravidez, assistência ao parto) 30407 Parada cardiorrespiratória 30408 Problemas cardíacos 30409 Problemas respiratórios 30410 Problemas no sistema digestivo 30411 Problemas no sistema urinário 30412 Doenças crônicas degenerativas 30413 Problemas osteomusculares 30414 Obstrução de vias aéreas/engasgamento 30415 Outro/emergência clínica 30499 Iminênciadeafogamento Córrego 30501 Lago 30502 Piscina 30503 Rio 30504 Outro/minência de afogamento 30599 Intoxicação exógena Agrotóxicos 30601 Álcool 30602 Drogas ilícitas/entorpecentes 30603 Fumaça 30604 Medicamentos 30605 MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 62 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 62
  • 63. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 63 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO RESGATE Intoxicação exógena (cont.) Outra/intoxicação exógena 30699 Lesão térmica Choque elétrico 30701 Descarga atmosférica 30702 Fogos de artifício 30703 Térmica (calor, frio) 30704 Radiação ionizante 30705 Substâncias químicas 30706 Outra/lesão térmica 30799 Queda de altura Da própria altura 30801 De altura < 3 metros 30802 De altura > 3 metros 30803 Tentativa de Auto-extermínio Altura 30901 Enforcamento 30902 Envenenamento 30903 Por arma branca 30904 Por arma de fogo 30905 Outra/tentativa de autoextermínio 30999 Transporte De paciente obeso 31001 De recém nascido 31002 Hospital x residência (civil) 31003 Hospital x residência (militar) 31004 Intra-hospitalar (civil) 31005 Intra-hospitalar (militar) 31006 Outro/transporte 31099 Acidentes Ṕessoais Utensílios 31101 Máquinas 31102 Ferramentas 31103 Anel / Similar 31104 Objetos diversos 31199 Acidentes diversos Soterramento/ desabamento 31201 Afogamento 31202 Engolfamento 31203 Queda de estrutura/objeto diverso 31204 Outro/ Acidentes diversos 31299 >> Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 63
  • 64. GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO BUSCA E SALVAMENTO Animais Abelha/marimbondo/similar 40101 Bovino 40102 Doméstico 40103 Equino 40104 Silvestre 40105 Caprino 40106 Outros/animais 40199 Bens Resgate de veículo submerso 40201 Resgate de bens (rio/lago/represa/etc.) 40202 Resgate de bens em locais diversos 40203 Resgate de embarcação/motor de popa 40204 Outros/bens 40299 Pessoas Acidente com máquinas e equipamentos 40301 Com risco de vida em local diverso 40302 Desaparecida - busca 40303 Em elevador 40304 Em poço/cisterna 40305 Em soterramento/desabamento/ desmoronamento 40306 Presas em ferragens veículos 40307 Retirada de anel / similar 40308 Contenção forçada/abordagem física 40309 Outras/pessoas 40399 Diversos Acidente aeronáutico 40401 Acidente com embarcações 40402 Acidente ferroviário 40403 Acidente rodoviário 40404 Ações de esgotamento 40405 Alagamento 40406 Animal raivoso ou agressivo 40407 Auxílio a embarcações 40408 Desobstrução de via pública 40409 Edificação com risco de desabamento 40410 Eventos envolvendo árvores 40411 Enchente/ Inundação 40412 Outros/b.s diversos 40499 Cadáver Em meio líquido 40502 Em poço/ Cisterna / Similar 40503 Em locais diversos 40599 Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 64 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 64
  • 65. GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO DEFESA CIVIL Defesa Civil 50000 INCÊNDIO URBANO Concentração de público Academia de ginástica ou de dança ou similar 60101 Auditório ou similar 60102 Autódromo ou similar 60103 Bar, lanchonete ou similar 60104 Biblioteca 60105 Boate, casa noturna ou similar 60106 Centro de convenções ou de exposições, feira ou similar 60107 Cinema 60108 Circo, parque de diversões ou similar 60109 Clube, salão de festas ou similar 60110 Estádio/Campo 60111 Galeria de exposições ou similar 60112 Ginásio de esportes 60113 Igreja, templo ou similar 60114 Museu 60115 Playground 60116 Restaurante 60117 Shopping ou similar 60118 Teatro 60119 Terminal de passageiros 60120 Outro/concentração de público 60199 Edificação comercial Açougue, frigorífico, matadouro ou similar 60201 Agência bancária 60202 Agência de câmbio ou similar 60203 Agência de emprego ou similar 60204 Agência de veículo 60205 Agência de viagem, turismo ou similar 60206 Alfaiataria 60207 Barbearia, salão de beleza ou similar 60208 Cartório 60209 Casa lotérica 60210 Copiadora, reprografia ou similar 60211 Empresa de segurança ou similar 60212 Empresa de transporte de passageiro ou de carga 60213 Empresa importadora ou exportadora 60214 Escritório 60215 Farmácia, perfumaria ou similar 60216 Funerária 60217 Livraria, papelaria ou similar 60218 Loja de departamentos/mercado 60219 MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 65 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS >> Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 65
  • 66. Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO INCÊNDIO URBANO Edificação comercial (cont.) Padaria ou similar 60220 Posto de combustível 60221 Posto de revenda de gás liquefeito de petróleo - GLP 60222 Vídeo-locadora 60223 Outra/comercial 60299 Edificação especial Armazém, hangar, galpão ou similar 60301 Arquivo público ou privado 60302 Canteiro de obras 60303 Cemitério 60304 Central de processamento de dados - CPD 60305 Composição ferroviária 60306 Empresa de comunicação 60307 Estação de tratamento ou distribuição de água 60308 Estação ou subestação de distribuição de energia elétrica 60309 Estacionamento, garagem ou similar 60310 Fábrica ou revenda de fogos de artifício ou artefato explosivo60311 Instituição militar 60312 Laboratório 60313 Lixão, entulho ou similar 60314 Parque de tancagem ou tanque isolado 60315 Pátio/pista aeroportuária 60316 Terrenobaldio, lote vago ousimilar 60317 Outra/especial 60399 Edificação hospitalar Asilo, casa geriátrica ou similar 60401 Clínica veterinária ou similar 60402 Hospital 60403 Policlínica, clínica ou similar 60404 Outra/hospitalar 60499 Edificação residencial Coletiva - asilo 60501 Coletiva - orfanato 60502 Coletiva - penitenciária ou afim 60503 Coletiva - pensionato 60504 Multifamiliar apartamento (até 2 pavimentos) 60505 Multifamiliar apartamento (acima de 2 pavimentos) 60506 Multifamiliar casa 60507 Unifamiliar apartamento 60508 Unifamiliar casa 60509 Outra/residencial 60599 MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 66 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 66
  • 67. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 67 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO INCÊNDIO URBANO Edificação escolar Creche 60601 Ensino fundamental ou médio 60602 Ensino superior 60603 Ensino profissionalizante 60604 Outra/escolar 60699 Edificação transitória Hotel ou apart-hotel 60701 Motel 60702 Pousada 60703 Outra/transitóOria 60799 Depósito Algodão, tecido, estopa ou similar 60801 Borracha, pneu ou similar 60802 Eletrodoméstico ou similar 60803 Explosivo, munição ou similar 60804 Gás liquefeito de petróleo - GLP 60805 Líquido inflamável 60806 Madeira 60807 Plástico ou similar 60808 Outro/Depósito 60899 Edificação industrial Destilaria, refinaria ou similar 60901 Eletroeletrônica 60902 Metalúrgica 60903 Náutica 60904 Química 60905 Siderúrgica 60906 Têxtil 60907 Outra/industrial 60999 Veículos Aeronaves 61001 Embarcações 61002 Ferroviários 61003 Veículo de carga 61004 Veículo de carga perigosa 61005 Veículo de passeio 61006 Veículo de transporte coletivo 61007 Outro/veículo 61099 Diversos Lata de lixo/container/similar 61101 Obras de arte (pontes, viadulto, etc) 61102 Outros/incêndios diversos 61199 >> Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 67
  • 68. Anexo 2: Codificação das naturezas de ocorrências do CBMGO MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 68 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS GRUPO SUBGRUPO NATUREZA CÓDIGO INCÊNDIO EM VEGETAÇÃO Culturaagrícola Canavial 70101 Arrozal/milharal 70102 Cultura agrícola diversas 70103 Vegetação Caatinga 70201 Campo 70202 Capoeira 70203 Cerrado 70204 Floresta plantada 70205 Mata/floresta 70206 Mato 70207 Pastagem 70208 PRODUTOS PERIGOSOS Explosões 80101 Transporte 80102 Vazamento 80103 Intervenção preventiva 80104 Outros 80199 VISTORIA EM HIDRANTES Cadastramento 90101 Inspeção 90102 Manutenção 90103 Teste 90104 Outras/vistorias 90199 PRODUTIVIDADE Registro Duplicidade de ocorrência BM 100101 Falso aviso de ocorrência/trote 100102 Aviso de ocorrência falsa/engano 100103 Despacho Encaminhada - serviços de emergência 100201 Encaminhada - serviço de salvamento/incêndio 100202 Encaminhada - Defesa Civil municipal 100203 MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 68
  • 69. MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 69 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS Anexo 3: Codificação do local >> Anexo 3: Codificação do local GRUPO LOCAL DO FATO CÓDIGO LOGRADOURO PÚBLICO Beco 101 Escadaria 102 Ferrovia 103 Praça 104 Estrada 105 Rodovia 106 Via de trânsito rápido 107 Via arterial 108 Via coletora 109 Via local 110 Outro/Logradouro 199 MEIO AQUÁTICO Açude, barragem ou represa 202 Cacimba 203 Córrego 204 Cisterna 205 Lago ou lagoa 206 Piscina 207 Reservatório elevado (caixa d'água) 208 Rio ou riacho 209 Outro/Meio Aquático 299 VEGETAÇÃO Cultura agrícola 301 Vegetação nativa 302 Vegetação alterada 303 Parque (municipal, estadual, nacional) 304 Bosque 305 Outra/Vegetação 399 EDIFICAÇÃO Concentração de Público 401 Edificação comercial 402 Edificação especial 403 Edificação hospitalar 404 Edificação residencial 405 Edificação escolar 406 Edificação transitória 407 Depósito 408 Edificação industrial 409 Outra/Edificação 499 MEIO DETRANSPORTE Aeronáves 501 Embarcações 502 Veículo de Transporte Coletivo 503 Veículo de Passeio 504 Outro/Meio de Transporte 599 MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 69
  • 70. PERFIL DO USUÁRIO NO SICAD/SIAE Todo militar possui um perfil no SICAD atribuído pela CGF. Além do perfil do SICAD, o militar deverá também, possuir um perfil para acesso ao SIAE atribuido pelo GESTOR SIAE de sua unidade. Segue relação dos per- fis, e suas permissões relacionados ao SICAD/SIAE. ATENDENTE / DESPACHANTE – Praça designada para atendimento emer- gencial ao público. Ela recebe, registra a informação, empenha a guarnição, controla os deslocamentos e pré-finaliza as informações no sistema; FECHAMENTO – Militar responsável para transcrever o relatório final da ocorrência no sistema, ou seja, fazer o fechamento da ocorrência no SIAE; FINALIZADOR - Militar que além de realizar a transcrição do relatório no sis tema, realiza empenho de viaturas, registro de ocorrências e escala de via turas. Essa função é comumente atribuida aos militares de unidades do inte- rior; CHEFE DE ALA – Subtenentes e Sargentos empregados no Centro Estadual de Atendimento Operacional de Bombeiros, atuando no auxílio ao Coorde- nador de Operações na coordenação do serviço operacional do CBMGO; CONSULTOR /AUXILIAR CONSULTOR – Oficial /Praça encarregado de re- alizar a emissão de extratos de ocorrências do CBMGO ao público externo; GESTOR /AUXILIAR GESTOR SIAE – Oficial /Praça encarregado de gerir o SIAE no âmbito da sua unidade, controlando e realizando manutenção de nível básico no sistema, como cadastro de usuários (definindo perfis de aces- so), emitindo relatórios de produtividade, bem como, cadastros e alterações de viaturas operacionais no SYSVTR; COORDENADOR DE OPERAÇÕES – Oficial Intermediário ou subalterno que coordena todo o serviço operacional do CBMGO, atuando dentro do COB como comandante operacional, devendo acompanhar todo o emprego de guarnições e/ou viaturas para o atendimento de emergência; Acesso ao SIAe >> http://cydc.sisp.ssp.go.br/Login/Index.do http://cydc.siae2010.ssp.go.br MANUAL DE PREENCHIMENTO DE RELATÓRIO DE OCORRÊNCIA | 70 | CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 70
  • 71. MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 71
  • 72. MANUAL BOMBEIROS 2014 - SENASP:Layout 1 14/09/2015 15:21 Page 72