SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 42
Baixar para ler offline
SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO NASEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO NA
INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVILINDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL
SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO NASEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO NA
INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVILINDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL
Objetivo e campo de aplicação
Objetivam a implementação de medidas de controle e
sistemas preventivos de segurança
nos processos, nas condições e no meio ambiente de
trabalho na Indústria da Construção.
Comunicação prévia
É obrigatória a comunicação à Delegacia Regional do
Trabalho, antes do início das atividades, das seguintes
informações:
• a) endereço correto da obra;
• b) endereço correto e qualificação do contratante,
empregador ou condomínio;
• c) tipo de obra;
• d) datas previstas do início e conclusão da obra;
• e) número máximo previsto de trabalhadores na obra.
PCMAT
São obrigatórios a elaboração e o cumprimento do
PCMAT nos estabelecimentos com 20 (vinte)
trabalhadores ou mais, contemplando os aspectos
desta NR e outros dispositivos complementares de
segurança.
Áreas de vivência
Os canteiros de obras devem dispor de:
a) instalações sanitárias;
b) vestiário;
c) alojamento;
d) local de refeições;
e) cozinha, quando houver preparo de refeições;
f) lavanderia;
g) área de lazer;
h) ambulatório.
Demolição
Antes de se iniciar a demolição, as linhas de
fornecimento de energia elétrica, água, inflamáveis
líquidos e gasosos liquefeitos, substâncias tóxicas,
canalizações de esgoto e de escoamento de água devem
ser desligadas, retiradas, protegidas ou isoladas,
respeitando-se as normas e determinações em vigor.
Escavações, fundações e
desmonte de rochas
A área de trabalho deve ser previamente limpa, devendo
ser retirados ou escorados solidamente árvores, rochas,
equipamentos, materiais e objetos
de qualquer natureza, quando houver risco de
comprometimento de sua estabilidade durante a
execução de serviços.
Carpintaria
As operações em máquinas e equipamentos necessários à
realização da atividade de carpintaria somente podem
ser realizadas por trabalhador
qualificado nos termos desta NR.
Armações de aço
A dobragem e o corte de vergalhões de aço em obra
devem ser feitos sobre bancadas ou plataformas
apropriadas e estáveis, apoiadas sobre
superfícies resistentes, niveladas e não escorregadias,
afastadas da área de circulação de trabalhadores.
Estruturas de concreto
As fôrmas devem ser projetadas e construídas de modo
que resistam às cargas máximas de serviço.
O uso de fôrmas deslizantes deve ser
supervisionado por profissional
legalmente habilitado.
Estruturas Metálicas
As peças devem estar previamente fixadas antes de
serem soldadas, rebitadas ou parafusadas.
Na edificação de estrutura metálica, abaixo dos serviços
de rebitagem, parafusagem ou soldagem, deve ser
mantido piso provisório, abrangendo toda a área de
trabalho situada no piso imediatamente inferior.
O piso provisório deve ser montado sem frestas, a fim de
se evitar queda de materiais ou equipamentos.
Operações de soldagem e corte
a quente
As operações de soldagem e corte a quente somente
podem ser realizadas por trabalhadores qualificados.
Quando forem executadas operações de soldagem e
corte a quente em chumbo, zinco ou materiais
revestidos de cádmio, será obrigatória a remoção por
ventilação local exaustora dos fumos originados no
processo de solda e corte, bem como na utilização de
eletrodos revestidos.
Escadas, rampas e passarelas
A madeira a ser usada para construção de escadas,
rampas e passarelas deve ser de boa qualidade, sem
apresentar nós e rachaduras que comprometam sua
resistência, estar seca, sendo proibido o uso de
pintura que encubra imperfeições.
Medidas de proteção contra
quedas de altura
É obrigatória a instalação de proteção coletiva onde
houver risco de queda de trabalhadores ou de
projeção de materiais.
As aberturas no piso devem ter fechamento provisório
resistente.
Movimentação e transporte de
materiais e pessoas
Os equipamentos de transporte vertical de materiais e
de pessoas devem ser dimensionados por profissional
legalmente habilitado.
A montagem e desmontagem devem ser realizadas
por trabalhador qualificado.
Andaimes
O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de
sustentação e fixação, deve ser realizado por
profissional legalmente habilitado.
Os andaimes devem ser dimensionados e construídos
de modo a suportar, com segurança, as cargas de
trabalho a que estarão sujeitos.
Cabos de Aço e Cabos de Fibra
Sintética
É obrigatória a observância das condições de
utilização, dimensionamento e conservação dos
cabos de aço utilizados em obras de
construção, conforme o disposto na norma técnica
vigente NBR 6327/83 - Cabo de Aço/Usos Gerais
da ABNT.
Alvenaria, revestimentos e
acabamentos
Devem ser utilizadas técnicas que garantam a
estabilidade das paredes de alvenaria da periferia.
Os quadros fixos de tomadas energizadas devem ser
protegidos sempre que no local foremexecutados
serviços de revestimento e acabamento.
Os locais abaixo das áreas de colocação de vidro
devem ser interditados ou protegidos contra queda
de material. Após a colocação, os vidros devem ser
marcados de maneira visível.
Serviços em Telhados
Para trabalhos em telhados, devem ser usados
dispositivos que permitam a movimentação segura
dos trabalhadores, sendo obrigatória a
instalação de cabo-guia de aço, para fixação do
cinto de segurança tipo páraquedista.
Serviços em Flutuantes
Na execução de trabalhos com risco de queda n’água,
devem ser usados coletes salva-vidas ou outros
equipamentos de flutuação.
Deve haver sempre, nas proximidades e em local de
fácil acesso, botes salva-vidas em número suficiente e
devidamente equipados.
Locais Confinados
Nas atividades que exponham os trabalhadores a riscos
de asfixia , explosão, intoxicação e doenças do
trabalho devem ser adotadas medidas
especiais de proteção.
Instalações Elétricas
A execução e manutenção das instalações elétricas
devem ser realizadas por trabalhador qualificado, e a
supervisão por profissional legalmente habilitado.
Somente podem ser realizados serviços nas instalações
quando o circuito elétrico não estiver energizado.
Máquinas, Equipamentos e
Ferramentas Diversas
A operação de máquinas e equipamentos que exponham
o operador ou terceiros a riscos só pode ser feita por
trabalhador qualificado e identificado por crachá.
Devem ser protegidas todas as partes móveis dos
motores, transmissões e partes perigosas das máquinas
ao alcance dos trabalhadores.
Equipamento de Proteção
Individual
A empresa é obrigada a fornecer aos trabalhadores,
gratuitamente, EPI adequado ao risco e em perfeito
estado de conservação e funcionamento, consoante as
disposições contidas na NR 6 - EPI.
O cinto de segurança tipo abdominal somente deve ser
utilizado em serviços de eletricidade e em situações em
que funcione como limitador de movimentação.
Armazenagem e Estocagem de
Materiais
Os materiais devem ser armazenados e estocados de
modo a não prejudicar o trânsito de pessoas e de
trabalhadores, a circulação de materiais, o acesso aos
equipamentos de combate a incêndio, não obstruir
portas ou saídas de emergência e não provocar
empuxos ou sobrecargas nas paredes, lajes ou
estruturas de sustentação, além do previsto em seu
dimensionamento.
Transporte de trabalhadores em
veículos automotores
O transporte coletivo de trabalhadores em veículos
automotores dentro do canteiro ou fora dele deve
observar as normas de segurança vigentes.
O transporte coletivo dos trabalhadores deve ser feito
através de meios de transportes normalizados pelas
entidades competentes e adequados
às características do percurso.
Proteção Contra Incêndio
É obrigatória a adoção de medidas que atendam, de
forma eficaz, às necessidades de prevenção e combate
a incêndio para os diversos setores, atividades,
máquinas e equipamentos do canteiro de obras.
Deve haver um sistema de alarme capaz de dar sinais
perceptíveis em todos os locais da construção.
Sinalização de Segurança
O canteiro de obras deve ser sinalizado com o objetivo de:
identificar os locais de apoio que compõem o canteiro de
obras;
indicar as saídas por meio de dizeres ou setas;
manter comunicação através de avisos, cartazes ou
similares;
advertir contra perigo de contato ou acionamento
acidental com partes móveis das máquinas e
equipamentos.
Treinamento
Todos os empregados devem receber treinamentos
admissional e periódico, visando a garantir a execução
de suas atividades com segurança.
O treinamento admissional deve ter carga horária
mínima de 6 horas, ser ministrado dentro do horário
de trabalho, antes de o trabalhador iniciar suas
atividades,
Ordem e Limpeza
O canteiro de obras deve apresentar-se organizado,
limpo e desimpedido, notadamente nas vias de
circulação, passagens e escadarias.
O entulho e quaisquer sobras de materiais devem ser
regulamente coletados e removidos. Por ocasião de sua
remoção, devem ser tomados cuidados especiais, de
forma a evitar poeira excessiva e eventuais riscos.
Tapumes e Galerias
É obrigatória a colocação de tapumes ou barreiras
sempre que se executarem atividades da indústria da
construção, de forma a impedir o acesso de pessoas
estranhas aos serviços.
Os tapumes devem ser construídos e fixados de forma
resistente, e ter altura mínima de 2,20m em relação ao
nível do terreno.
Acidente Fatal
Em caso de ocorrência de acidente fatal, é obrigatória a
adoção das seguintes medidas:
a) comunicar o acidente fatal, de imediato, à
autoridade policial competente e ao órgão regional
do Ministério do Trabalho, que repassará
imediatamente ao sindicato da categoria
profissional do local da obra;
b) isolar o local diretamente relacionado ao acidente,
mantendo suas características até sua liberação pela
autoridade policial competente e pelo órgão regional
do Ministério do Trabalho.
Dados Estatísticos
O empregador deve encaminhar, por meio do serviço de
postagem, à FUNDACENTRO, o Anexo I, Ficha de
Acidente do Trabalho, desta norma até 10 (dez) dias
após o acidente, mantendo cópia e protocolo de
encaminhamento por um período de 3 (três) anos, para
fins de fiscalização do órgão regional competente do
Ministério do Trabalho - MTb.
CIPA nas empresas da
indústria da construção
A empresa que possuir na mesma cidade 1 (um) ou mais
canteiros de obra ou frentes de trabalho, com menos
de 70 (setenta) empregados, deve organizar CIPA
centralizada.
A CIPA centralizada será composta de representantes
do empregador e dos empregados, devendo ter pelo
menos 1 (um) representante titular e 1 (um) suplente,
por grupo de até 50 (cinqüenta) empregados em cada
canteiro de obra ou frente de trabalho, respeitando-se
a paridade prevista na NR 5.
Comitês permanentes na
indústria da construção
Fica criado o Comitê Permanente Nacional sobre
Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria
da Construção, denominado CPN, e os Comitês
Permanentes Regionais sobre Condições e Meio
Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção,
denominados CPR (Unidade(s) da Federação).
Recomendações Técnicas de
Procedimentos
O Ministério do Trabalho, através da Fundação Jorge
Duprat de Figueiredo de Segurança e Medicina do
Trabalho - FUNDACENTRO, publicará
"Recomendações Técnicas de Procedimentos - RTP",
após sua aprovação pelo Comitê Permanente Nacional
sobre Condições e Meio Ambiente de Trabalho
na Indústria da Construção - CPN, visando subsidiar
as empresas no cumprimento desta Norma.
Disposições Gerais
Quanto às máquinas, equipamentos e ferramentas
diversas:
a) os protetores removíveis só podem ser retirados para
limpeza, lubrificação, reparo e ajuste, e após devem
ser, obrigatoriamente, recolocados;
b) os operadores não podem se afastar da área de
controle das máquinas ou equipamentos sob sua
responsabilidade, quando em funcionamento;
Disposições Finais
Devem ser colocados, em lugar visível para os
trabalhadores, cartazes alusivos à prevenção de
acidentes e doenças de trabalho.
É obrigatório o fornecimento de água potável, filtrada e
fresca para os trabalhadores por meio de bebedouros
de jato inclinado ou equipamento similar que garanta
as mesmas condições, na proporção de 1 para cada
grupo de 25 trabalhadores ou fração.
Disposições Transitórias
O Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho
na Indústria da Construção-PCMAT, referido no
subitem 18.3.1., deverá ser elaborado e implantado
nos dois primeiros anos, a partir da vigência desta
Norma, conforme abaixo discriminado:
a) no primeiro ano de vigência desta NR, nos
estabelecimentos com 100 ou mais trabalhadores;
b) no segundo ano de vigência desta NR, nos
estabelecimentos com 50 ou mais trabalhadores.
Conclusão
"Na vida o importante não é ser, ter ou aparecer o
importante é fazer construir e desenvolver."
FIMFIM
"Liderar é a arte de construir relacionamentos com
valores nobres e sobre bases sólidas!”
"Experiência não é o que acontece com um homem;
é o que um homem faz com o que lhe acontece."
(Aldous Huxley)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manual de montagem de andaimes
Manual de montagem de andaimesManual de montagem de andaimes
Manual de montagem de andaimesCertiflor Formacao
 
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptxNR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptxLeomir Borghardt
 
Apresentação NR 35 - Trabalho em altura lino
 Apresentação NR 35 - Trabalho em altura   lino Apresentação NR 35 - Trabalho em altura   lino
Apresentação NR 35 - Trabalho em altura linolino1250
 
treinamento nr 18
treinamento nr 18treinamento nr 18
treinamento nr 18pwolter
 
Seminário de NR-18 - Carpintaria.
Seminário de NR-18 - Carpintaria.Seminário de NR-18 - Carpintaria.
Seminário de NR-18 - Carpintaria.Jhonas de Queiroz
 
Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18
Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18
Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18Ricardo Matoso
 
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da ConstruçãoNR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da ConstruçãoLarissa Aguiar
 
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRASMODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRASMateus Borges
 
Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalho
Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalhoNr 18 - andaimes e plataformas de trabalho
Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalhoDavid Alves Rbeiro
 
Ts 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeira
Ts 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeiraTs 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeira
Ts 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeiraBiela_123456
 
Trabalho a quente modulo II
Trabalho a quente   modulo IITrabalho a quente   modulo II
Trabalho a quente modulo IIemanueltstegeon
 

Mais procurados (20)

Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
 
Treinamento NR 18 .pptx
Treinamento NR 18  .pptxTreinamento NR 18  .pptx
Treinamento NR 18 .pptx
 
curso-de-nr-12-unochapeco
curso-de-nr-12-unochapecocurso-de-nr-12-unochapeco
curso-de-nr-12-unochapeco
 
Manual de montagem de andaimes
Manual de montagem de andaimesManual de montagem de andaimes
Manual de montagem de andaimes
 
Treinamento NR-12
Treinamento NR-12Treinamento NR-12
Treinamento NR-12
 
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptxNR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
 
Nr 35 protemar
Nr 35 protemarNr 35 protemar
Nr 35 protemar
 
Apresentação NR 35 - Trabalho em altura lino
 Apresentação NR 35 - Trabalho em altura   lino Apresentação NR 35 - Trabalho em altura   lino
Apresentação NR 35 - Trabalho em altura lino
 
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
 
Nr33
Nr33Nr33
Nr33
 
treinamento nr 18
treinamento nr 18treinamento nr 18
treinamento nr 18
 
Nr 34
Nr 34Nr 34
Nr 34
 
Seminário de NR-18 - Carpintaria.
Seminário de NR-18 - Carpintaria.Seminário de NR-18 - Carpintaria.
Seminário de NR-18 - Carpintaria.
 
Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18
Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18
Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18
 
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da ConstruçãoNR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
 
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRASMODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
 
Treinamento de andaimes
Treinamento de andaimesTreinamento de andaimes
Treinamento de andaimes
 
Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalho
Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalhoNr 18 - andaimes e plataformas de trabalho
Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalho
 
Ts 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeira
Ts 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeiraTs 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeira
Ts 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeira
 
Trabalho a quente modulo II
Trabalho a quente   modulo IITrabalho a quente   modulo II
Trabalho a quente modulo II
 

Destaque

Andaimes evolução gráfica
Andaimes   evolução gráficaAndaimes   evolução gráfica
Andaimes evolução gráficaNayana Carneiro
 
Seguranca com-escadas-rampas-passarelas-construcao-civil
Seguranca com-escadas-rampas-passarelas-construcao-civilSeguranca com-escadas-rampas-passarelas-construcao-civil
Seguranca com-escadas-rampas-passarelas-construcao-civilMônica Nobrega
 
Requisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quente
Requisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quenteRequisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quente
Requisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quenteGraciele Soares
 
Seminário sobre Canteiro de Obras
Seminário sobre Canteiro de ObrasSeminário sobre Canteiro de Obras
Seminário sobre Canteiro de ObrasLincoln Cesar
 
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de ObrasA Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obrasxandaobyte
 
Segurança no processo de soldagem e corte
Segurança no processo de soldagem e corteSegurança no processo de soldagem e corte
Segurança no processo de soldagem e corteCibele Guimaraes
 
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.Rodrigo Camilo Araujo
 
Canteiro de obras
Canteiro de obrasCanteiro de obras
Canteiro de obrasAlan Santos
 
Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18David Silvestre
 

Destaque (12)

Andaimes evolução gráfica
Andaimes   evolução gráficaAndaimes   evolução gráfica
Andaimes evolução gráfica
 
NR 18 .17
NR 18 .17NR 18 .17
NR 18 .17
 
Seguranca com-escadas-rampas-passarelas-construcao-civil
Seguranca com-escadas-rampas-passarelas-construcao-civilSeguranca com-escadas-rampas-passarelas-construcao-civil
Seguranca com-escadas-rampas-passarelas-construcao-civil
 
Requisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quente
Requisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quenteRequisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quente
Requisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quente
 
Seminário sobre Canteiro de Obras
Seminário sobre Canteiro de ObrasSeminário sobre Canteiro de Obras
Seminário sobre Canteiro de Obras
 
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de ObrasA Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
 
Segurança no processo de soldagem e corte
Segurança no processo de soldagem e corteSegurança no processo de soldagem e corte
Segurança no processo de soldagem e corte
 
Tapumes e galerias
Tapumes e galeriasTapumes e galerias
Tapumes e galerias
 
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
 
Cartilha seguranca trabalho pcmat
Cartilha seguranca trabalho pcmatCartilha seguranca trabalho pcmat
Cartilha seguranca trabalho pcmat
 
Canteiro de obras
Canteiro de obrasCanteiro de obras
Canteiro de obras
 
Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18
 

Semelhante a Nr – 18

Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura   nr 35Trabalho em altura   nr 35
Trabalho em altura nr 35Josiel Leite
 
Apost. Trabalho em Alturas.pdf
Apost. Trabalho em Alturas.pdfApost. Trabalho em Alturas.pdf
Apost. Trabalho em Alturas.pdfTiago Morais
 
Apostila trabalho em altura
Apostila trabalho em alturaApostila trabalho em altura
Apostila trabalho em alturaRubens Souza
 
NR18 - 15 Pontos de Atenção Para O Trabalho Seguro - 10 Jan 23.pptx
NR18 - 15 Pontos de Atenção Para O Trabalho Seguro - 10 Jan 23.pptxNR18 - 15 Pontos de Atenção Para O Trabalho Seguro - 10 Jan 23.pptx
NR18 - 15 Pontos de Atenção Para O Trabalho Seguro - 10 Jan 23.pptxDanielZidirich1
 
Segurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwnSegurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwnNestor Neto
 
6 pagina saude_do_trabalhador_1255004468
6 pagina saude_do_trabalhador_12550044686 pagina saude_do_trabalhador_1255004468
6 pagina saude_do_trabalhador_1255004468Orlando Junior Binda
 
Trabalho em altura escrevendo....
Trabalho em altura  escrevendo....Trabalho em altura  escrevendo....
Trabalho em altura escrevendo....Roberta Soares
 
Trabalho em altura escrevendo....
Trabalho em altura  escrevendo....Trabalho em altura  escrevendo....
Trabalho em altura escrevendo....Roberta Soares
 
treinamentonr18-230216180546-cd25240c.pdf
treinamentonr18-230216180546-cd25240c.pdftreinamentonr18-230216180546-cd25240c.pdf
treinamentonr18-230216180546-cd25240c.pdfRoberto Luna Jr
 
FICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdf
FICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdfFICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdf
FICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdfPedro B. Sousa
 

Semelhante a Nr – 18 (20)

Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura   nr 35Trabalho em altura   nr 35
Trabalho em altura nr 35
 
NRS 02 18 24
NRS 02 18 24NRS 02 18 24
NRS 02 18 24
 
Apost. Trabalho em Alturas.pdf
Apost. Trabalho em Alturas.pdfApost. Trabalho em Alturas.pdf
Apost. Trabalho em Alturas.pdf
 
Apostila altura
Apostila alturaApostila altura
Apostila altura
 
Apostila trabalho em altura
Apostila trabalho em alturaApostila trabalho em altura
Apostila trabalho em altura
 
Apostila trabalho em altura
Apostila trabalho em alturaApostila trabalho em altura
Apostila trabalho em altura
 
NR18 - 15 Pontos de Atenção Para O Trabalho Seguro - 10 Jan 23.pptx
NR18 - 15 Pontos de Atenção Para O Trabalho Seguro - 10 Jan 23.pptxNR18 - 15 Pontos de Atenção Para O Trabalho Seguro - 10 Jan 23.pptx
NR18 - 15 Pontos de Atenção Para O Trabalho Seguro - 10 Jan 23.pptx
 
Ebook regras gerais_da_seguranca (1)
Ebook regras gerais_da_seguranca (1)Ebook regras gerais_da_seguranca (1)
Ebook regras gerais_da_seguranca (1)
 
Segurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwnSegurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwn
 
6 pagina saude_do_trabalhador_1255004468
6 pagina saude_do_trabalhador_12550044686 pagina saude_do_trabalhador_1255004468
6 pagina saude_do_trabalhador_1255004468
 
Apr montagem-de-telhado
Apr montagem-de-telhadoApr montagem-de-telhado
Apr montagem-de-telhado
 
Trabalho em altura1
Trabalho em altura1Trabalho em altura1
Trabalho em altura1
 
Trabalho em altura escrevendo....
Trabalho em altura  escrevendo....Trabalho em altura  escrevendo....
Trabalho em altura escrevendo....
 
Trabalho em altura escrevendo....
Trabalho em altura  escrevendo....Trabalho em altura  escrevendo....
Trabalho em altura escrevendo....
 
NR18.ppt
NR18.pptNR18.ppt
NR18.ppt
 
NR18.ppt
NR18.pptNR18.ppt
NR18.ppt
 
NR18 3 (1).ppt
NR18 3 (1).pptNR18 3 (1).ppt
NR18 3 (1).ppt
 
treinamentonr18-230216180546-cd25240c.pdf
treinamentonr18-230216180546-cd25240c.pdftreinamentonr18-230216180546-cd25240c.pdf
treinamentonr18-230216180546-cd25240c.pdf
 
Treinamento NR18.pptx
Treinamento NR18.pptxTreinamento NR18.pptx
Treinamento NR18.pptx
 
FICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdf
FICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdfFICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdf
FICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdf
 

Mais de Paulo R. Itami da Cruz (20)

Instrumentação
InstrumentaçãoInstrumentação
Instrumentação
 
Nutrição e Saúde
Nutrição e SaúdeNutrição e Saúde
Nutrição e Saúde
 
Nr – 33
Nr – 33Nr – 33
Nr – 33
 
Nr – 32
Nr – 32Nr – 32
Nr – 32
 
Nr – 31
Nr – 31Nr – 31
Nr – 31
 
Nr – 30
Nr – 30Nr – 30
Nr – 30
 
Nr – 29
Nr – 29Nr – 29
Nr – 29
 
Nr – 28
Nr – 28Nr – 28
Nr – 28
 
Nr – 27
Nr – 27Nr – 27
Nr – 27
 
Nr – 26
Nr – 26Nr – 26
Nr – 26
 
Nr – 24
Nr – 24Nr – 24
Nr – 24
 
Nr – 23
Nr – 23Nr – 23
Nr – 23
 
Nr – 22
Nr – 22Nr – 22
Nr – 22
 
Nr – 21
Nr – 21Nr – 21
Nr – 21
 
Nr – 20
Nr – 20Nr – 20
Nr – 20
 
Nr – 19
Nr – 19Nr – 19
Nr – 19
 
Nr – 17
Nr – 17Nr – 17
Nr – 17
 
Nr – 16
Nr – 16Nr – 16
Nr – 16
 
Nr – 15
Nr – 15Nr – 15
Nr – 15
 
Nr – 13
Nr – 13Nr – 13
Nr – 13
 

Último

AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxConsultoria Acadêmica
 
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxPatrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxAssimoIovahale
 
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfCondutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfAroldoMenezes1
 
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna decipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna deGleuciane Rocha
 
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGuilhermeLucio9
 
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...DL assessoria 31
 
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024Consultoria Acadêmica
 
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024
MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024excellenceeducaciona
 

Último (8)

AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
 
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxPatrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
 
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfCondutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
 
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna decipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
 
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
 
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
 
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
 
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024
MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024
 

Nr – 18

  • 1. SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO NASEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVILINDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL
  • 2. SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO NASEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVILINDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL
  • 3. Objetivo e campo de aplicação Objetivam a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos de segurança nos processos, nas condições e no meio ambiente de trabalho na Indústria da Construção.
  • 4. Comunicação prévia É obrigatória a comunicação à Delegacia Regional do Trabalho, antes do início das atividades, das seguintes informações: • a) endereço correto da obra; • b) endereço correto e qualificação do contratante, empregador ou condomínio; • c) tipo de obra; • d) datas previstas do início e conclusão da obra; • e) número máximo previsto de trabalhadores na obra.
  • 5. PCMAT São obrigatórios a elaboração e o cumprimento do PCMAT nos estabelecimentos com 20 (vinte) trabalhadores ou mais, contemplando os aspectos desta NR e outros dispositivos complementares de segurança.
  • 6. Áreas de vivência Os canteiros de obras devem dispor de: a) instalações sanitárias; b) vestiário; c) alojamento; d) local de refeições; e) cozinha, quando houver preparo de refeições; f) lavanderia; g) área de lazer; h) ambulatório.
  • 7. Demolição Antes de se iniciar a demolição, as linhas de fornecimento de energia elétrica, água, inflamáveis líquidos e gasosos liquefeitos, substâncias tóxicas, canalizações de esgoto e de escoamento de água devem ser desligadas, retiradas, protegidas ou isoladas, respeitando-se as normas e determinações em vigor.
  • 8. Escavações, fundações e desmonte de rochas A área de trabalho deve ser previamente limpa, devendo ser retirados ou escorados solidamente árvores, rochas, equipamentos, materiais e objetos de qualquer natureza, quando houver risco de comprometimento de sua estabilidade durante a execução de serviços.
  • 9. Carpintaria As operações em máquinas e equipamentos necessários à realização da atividade de carpintaria somente podem ser realizadas por trabalhador qualificado nos termos desta NR.
  • 10. Armações de aço A dobragem e o corte de vergalhões de aço em obra devem ser feitos sobre bancadas ou plataformas apropriadas e estáveis, apoiadas sobre superfícies resistentes, niveladas e não escorregadias, afastadas da área de circulação de trabalhadores.
  • 11. Estruturas de concreto As fôrmas devem ser projetadas e construídas de modo que resistam às cargas máximas de serviço. O uso de fôrmas deslizantes deve ser supervisionado por profissional legalmente habilitado.
  • 12. Estruturas Metálicas As peças devem estar previamente fixadas antes de serem soldadas, rebitadas ou parafusadas. Na edificação de estrutura metálica, abaixo dos serviços de rebitagem, parafusagem ou soldagem, deve ser mantido piso provisório, abrangendo toda a área de trabalho situada no piso imediatamente inferior. O piso provisório deve ser montado sem frestas, a fim de se evitar queda de materiais ou equipamentos.
  • 13. Operações de soldagem e corte a quente As operações de soldagem e corte a quente somente podem ser realizadas por trabalhadores qualificados. Quando forem executadas operações de soldagem e corte a quente em chumbo, zinco ou materiais revestidos de cádmio, será obrigatória a remoção por ventilação local exaustora dos fumos originados no processo de solda e corte, bem como na utilização de eletrodos revestidos.
  • 14. Escadas, rampas e passarelas A madeira a ser usada para construção de escadas, rampas e passarelas deve ser de boa qualidade, sem apresentar nós e rachaduras que comprometam sua resistência, estar seca, sendo proibido o uso de pintura que encubra imperfeições.
  • 15. Medidas de proteção contra quedas de altura É obrigatória a instalação de proteção coletiva onde houver risco de queda de trabalhadores ou de projeção de materiais. As aberturas no piso devem ter fechamento provisório resistente.
  • 16. Movimentação e transporte de materiais e pessoas Os equipamentos de transporte vertical de materiais e de pessoas devem ser dimensionados por profissional legalmente habilitado. A montagem e desmontagem devem ser realizadas por trabalhador qualificado.
  • 17. Andaimes O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de sustentação e fixação, deve ser realizado por profissional legalmente habilitado. Os andaimes devem ser dimensionados e construídos de modo a suportar, com segurança, as cargas de trabalho a que estarão sujeitos.
  • 18. Cabos de Aço e Cabos de Fibra Sintética É obrigatória a observância das condições de utilização, dimensionamento e conservação dos cabos de aço utilizados em obras de construção, conforme o disposto na norma técnica vigente NBR 6327/83 - Cabo de Aço/Usos Gerais da ABNT.
  • 19. Alvenaria, revestimentos e acabamentos Devem ser utilizadas técnicas que garantam a estabilidade das paredes de alvenaria da periferia. Os quadros fixos de tomadas energizadas devem ser protegidos sempre que no local foremexecutados serviços de revestimento e acabamento. Os locais abaixo das áreas de colocação de vidro devem ser interditados ou protegidos contra queda de material. Após a colocação, os vidros devem ser marcados de maneira visível.
  • 20. Serviços em Telhados Para trabalhos em telhados, devem ser usados dispositivos que permitam a movimentação segura dos trabalhadores, sendo obrigatória a instalação de cabo-guia de aço, para fixação do cinto de segurança tipo páraquedista.
  • 21. Serviços em Flutuantes Na execução de trabalhos com risco de queda n’água, devem ser usados coletes salva-vidas ou outros equipamentos de flutuação. Deve haver sempre, nas proximidades e em local de fácil acesso, botes salva-vidas em número suficiente e devidamente equipados.
  • 22. Locais Confinados Nas atividades que exponham os trabalhadores a riscos de asfixia , explosão, intoxicação e doenças do trabalho devem ser adotadas medidas especiais de proteção.
  • 23. Instalações Elétricas A execução e manutenção das instalações elétricas devem ser realizadas por trabalhador qualificado, e a supervisão por profissional legalmente habilitado. Somente podem ser realizados serviços nas instalações quando o circuito elétrico não estiver energizado.
  • 24. Máquinas, Equipamentos e Ferramentas Diversas A operação de máquinas e equipamentos que exponham o operador ou terceiros a riscos só pode ser feita por trabalhador qualificado e identificado por crachá. Devem ser protegidas todas as partes móveis dos motores, transmissões e partes perigosas das máquinas ao alcance dos trabalhadores.
  • 25. Equipamento de Proteção Individual A empresa é obrigada a fornecer aos trabalhadores, gratuitamente, EPI adequado ao risco e em perfeito estado de conservação e funcionamento, consoante as disposições contidas na NR 6 - EPI. O cinto de segurança tipo abdominal somente deve ser utilizado em serviços de eletricidade e em situações em que funcione como limitador de movimentação.
  • 26. Armazenagem e Estocagem de Materiais Os materiais devem ser armazenados e estocados de modo a não prejudicar o trânsito de pessoas e de trabalhadores, a circulação de materiais, o acesso aos equipamentos de combate a incêndio, não obstruir portas ou saídas de emergência e não provocar empuxos ou sobrecargas nas paredes, lajes ou estruturas de sustentação, além do previsto em seu dimensionamento.
  • 27. Transporte de trabalhadores em veículos automotores O transporte coletivo de trabalhadores em veículos automotores dentro do canteiro ou fora dele deve observar as normas de segurança vigentes. O transporte coletivo dos trabalhadores deve ser feito através de meios de transportes normalizados pelas entidades competentes e adequados às características do percurso.
  • 28. Proteção Contra Incêndio É obrigatória a adoção de medidas que atendam, de forma eficaz, às necessidades de prevenção e combate a incêndio para os diversos setores, atividades, máquinas e equipamentos do canteiro de obras. Deve haver um sistema de alarme capaz de dar sinais perceptíveis em todos os locais da construção.
  • 29. Sinalização de Segurança O canteiro de obras deve ser sinalizado com o objetivo de: identificar os locais de apoio que compõem o canteiro de obras; indicar as saídas por meio de dizeres ou setas; manter comunicação através de avisos, cartazes ou similares; advertir contra perigo de contato ou acionamento acidental com partes móveis das máquinas e equipamentos.
  • 30. Treinamento Todos os empregados devem receber treinamentos admissional e periódico, visando a garantir a execução de suas atividades com segurança. O treinamento admissional deve ter carga horária mínima de 6 horas, ser ministrado dentro do horário de trabalho, antes de o trabalhador iniciar suas atividades,
  • 31. Ordem e Limpeza O canteiro de obras deve apresentar-se organizado, limpo e desimpedido, notadamente nas vias de circulação, passagens e escadarias. O entulho e quaisquer sobras de materiais devem ser regulamente coletados e removidos. Por ocasião de sua remoção, devem ser tomados cuidados especiais, de forma a evitar poeira excessiva e eventuais riscos.
  • 32. Tapumes e Galerias É obrigatória a colocação de tapumes ou barreiras sempre que se executarem atividades da indústria da construção, de forma a impedir o acesso de pessoas estranhas aos serviços. Os tapumes devem ser construídos e fixados de forma resistente, e ter altura mínima de 2,20m em relação ao nível do terreno.
  • 33. Acidente Fatal Em caso de ocorrência de acidente fatal, é obrigatória a adoção das seguintes medidas: a) comunicar o acidente fatal, de imediato, à autoridade policial competente e ao órgão regional do Ministério do Trabalho, que repassará imediatamente ao sindicato da categoria profissional do local da obra; b) isolar o local diretamente relacionado ao acidente, mantendo suas características até sua liberação pela autoridade policial competente e pelo órgão regional do Ministério do Trabalho.
  • 34. Dados Estatísticos O empregador deve encaminhar, por meio do serviço de postagem, à FUNDACENTRO, o Anexo I, Ficha de Acidente do Trabalho, desta norma até 10 (dez) dias após o acidente, mantendo cópia e protocolo de encaminhamento por um período de 3 (três) anos, para fins de fiscalização do órgão regional competente do Ministério do Trabalho - MTb.
  • 35. CIPA nas empresas da indústria da construção A empresa que possuir na mesma cidade 1 (um) ou mais canteiros de obra ou frentes de trabalho, com menos de 70 (setenta) empregados, deve organizar CIPA centralizada. A CIPA centralizada será composta de representantes do empregador e dos empregados, devendo ter pelo menos 1 (um) representante titular e 1 (um) suplente, por grupo de até 50 (cinqüenta) empregados em cada canteiro de obra ou frente de trabalho, respeitando-se a paridade prevista na NR 5.
  • 36. Comitês permanentes na indústria da construção Fica criado o Comitê Permanente Nacional sobre Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção, denominado CPN, e os Comitês Permanentes Regionais sobre Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção, denominados CPR (Unidade(s) da Federação).
  • 37. Recomendações Técnicas de Procedimentos O Ministério do Trabalho, através da Fundação Jorge Duprat de Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho - FUNDACENTRO, publicará "Recomendações Técnicas de Procedimentos - RTP", após sua aprovação pelo Comitê Permanente Nacional sobre Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção - CPN, visando subsidiar as empresas no cumprimento desta Norma.
  • 38. Disposições Gerais Quanto às máquinas, equipamentos e ferramentas diversas: a) os protetores removíveis só podem ser retirados para limpeza, lubrificação, reparo e ajuste, e após devem ser, obrigatoriamente, recolocados; b) os operadores não podem se afastar da área de controle das máquinas ou equipamentos sob sua responsabilidade, quando em funcionamento;
  • 39. Disposições Finais Devem ser colocados, em lugar visível para os trabalhadores, cartazes alusivos à prevenção de acidentes e doenças de trabalho. É obrigatório o fornecimento de água potável, filtrada e fresca para os trabalhadores por meio de bebedouros de jato inclinado ou equipamento similar que garanta as mesmas condições, na proporção de 1 para cada grupo de 25 trabalhadores ou fração.
  • 40. Disposições Transitórias O Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção-PCMAT, referido no subitem 18.3.1., deverá ser elaborado e implantado nos dois primeiros anos, a partir da vigência desta Norma, conforme abaixo discriminado: a) no primeiro ano de vigência desta NR, nos estabelecimentos com 100 ou mais trabalhadores; b) no segundo ano de vigência desta NR, nos estabelecimentos com 50 ou mais trabalhadores.
  • 41. Conclusão "Na vida o importante não é ser, ter ou aparecer o importante é fazer construir e desenvolver."
  • 42. FIMFIM "Liderar é a arte de construir relacionamentos com valores nobres e sobre bases sólidas!” "Experiência não é o que acontece com um homem; é o que um homem faz com o que lhe acontece." (Aldous Huxley)