SlideShare uma empresa Scribd logo
SEGURANÇA COM ESCADAS, RAMPAS E
PASSARELAS NA CONSTRUÇÃO CIVIL
Juarez Sabino da Silva Junior
Técnico de Segurança do Trabalho
REGRAS DE SEGURANÇA
 A madeira a ser usada para construção de escadas, rampas e passarelas
deve ser de boa qualidade, sem apresentar nós e rachaduras que
comprometam sua resistência, estar seca, sendo proibido o uso de pintura
que encubra imperfeições.
 As escadas de uso coletivo, rampas e passarelas para a circulação de
pessoas e materiais devem ser de construção sólida e dotadas de corrimão
e rodapé.
REGRAS DE SEGURANÇA
 A transposição de pisos com diferença de nível superior a 0,40m (quarenta
centímetros) deve ser feita por meio de escadas ou rampas.
 É obrigatória a instalação de rampa ou escada provisória de uso coletivo
para transposição de níveis como meio de circulação de trabalhadores.
ESCADAS
 As escadas provisórias de uso coletivo devem ser dimensionadas em
função do fluxo de trabalhadores, respeitando-se a largura mínima de 0,80
(oitenta centímetros), devendo ter pelo menos a cada 2,90m (dois metros e
noventa centímetros) de altura um patamar intermediário.
 Os patamares intermediários devem ter largura e comprimento, no mínimo,
iguais à largura da escada.
ESCADAS
 A escada de mão deve ter seu uso restrito para acessos provisórios e
serviços de pequeno porte.
 É proibido o uso de escada de mão com montante único.
 As escadas de mão poderão ter até 7,00m (sete metros) de extensão e o
espaçamento entre os degraus deve ser uniforme, variando entre 0,25m
(vinte e cinco centímetros) a 0,30m (trinta centímetros).
ESCADAS
É proibido colocar escada de mão:
 Nas proximidades de portas ou áreas de circulação;
 Onde houver risco de queda de objetos ou materiais;
 Nas proximidades de aberturas e vãos.
ESCADAS
A escada de mão deve:
 Ultrapassar em 1,00m (um metro) o piso superior;
 Ser fixada nos pisos inferior e superior ou ser dotada de dispositivo que
impeça o seu escorregamento;
 Ser dotada de degraus antiderrapantes;
 Ser apoiada em piso resistente.
ESCADAS
 É proibido o uso de escada de mão junto a redes e equipamentos elétricos
desprotegidos.
 A escada de abrir deve ser rígida, estável e provida de dispositivos que a
mantenham com abertura constante, devendo ter comprimento máximo de
6,00m (seis metros), quando fechada.
ESCADAS
 A escada extensível deve ser dotada de dispositivo limitador de curso, colocado no
quarto vão a contar da catraca. Caso não haja o limitador de curso, quando
estendida, deve permitir uma sobreposição de no mínimo 1,00m (um metro).
 A escada fixa, tipo marinheiro, com 6,00 (seis metros) ou mais de altura, deve ser
provida de gaiola protetora a partir de 2,00m (dois metros) acima da base até
1,00m (um metro) acima da última superfície de trabalho.
ESCADAS
 Para cada lance de 9,00m (nove metros), deve existir um patamar intermediário de
descanso, protegido por guarda-corpo e rodapé.
RAMPAS E PASSARELAS
 As rampas e passarelas provisórias devem ser construídas e mantidas em perfeitas
condições de uso e segurança.
 Nas rampas provisórias, com inclinação superior a 18º (dezoito graus), devem ser
fixadas peças transversais, espaçadas em 0,40m (quarenta centímetros), no
máximo, para apoio dos pés.
RAMPAS E PASSARELAS
 As rampas provisórias usadas para trânsito de caminhões devem ter largura mínima
de 4,00m (quatro metros) e ser fixadas em suas extremidades.
 Não devem existir ressaltos entre o piso da passarela e o piso do terreno.
RAMPAS E PASSARELAS
 Os apoios das extremidades das passarelas devem ser dimensionados em função
do comprimento total das mesmas e das cargas a que estarão submetidas.
 Este material foi baseado na Norma regulamentadora 18.
MATERIAL CONSULTADO
Juarez Sabino da Silva Junior
Técnico de Segurança do Trabalho
juarezsabino@hotmail.com
12 99163-5163
OBRIGADO PELA ATENÇÃO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Uso de Escadas - NR 35.pdf
Uso de Escadas - NR 35.pdfUso de Escadas - NR 35.pdf
Uso de Escadas - NR 35.pdf
rafaelrustiqueli
 
Guia para analise de risco - NR 35
Guia para analise de risco - NR 35Guia para analise de risco - NR 35
Guia para analise de risco - NR 35
Fabiano Micaella
 
Manual contra quedas
Manual contra quedasManual contra quedas
Manual contra quedas
EvandroPFonseca
 
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e IITrabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Claudio Cesar Pontes ن
 
Treinamento nr 20 completo
Treinamento nr 20 completoTreinamento nr 20 completo
Treinamento nr 20 completo
marciliolopeslopes
 
Segurança na Construção Civil - TST
Segurança na Construção Civil - TSTSegurança na Construção Civil - TST
Segurança na Construção Civil - TST
Day Vasconcellos
 
Checklist escadas2
Checklist escadas2Checklist escadas2
Checklist escadas2
NRFACIL www.nrfacil.com.br
 
Proc seguranca
Proc segurancaProc seguranca
Proc seguranca
diverças empresas
 
Treinamento NR 12
Treinamento NR 12Treinamento NR 12
Treinamento NR 12
Mauro Sergio Vales de Souza
 
NR 35
NR 35NR 35
NR 35
Gil Mendes
 
Nbr 16489
Nbr 16489Nbr 16489
Nbr 16489
Nivaldo Brandolt
 
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRASMODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
Mateus Borges
 
Treinamento - Produtos Químicos
Treinamento - Produtos QuímicosTreinamento - Produtos Químicos
Treinamento - Produtos Químicos
HugoDalevedove
 
NR-1
NR-1NR-1
Nr – 18
Nr – 18Nr – 18
NR - 35 Trabalho em altura
NR - 35 Trabalho em altura NR - 35 Trabalho em altura
NR - 35 Trabalho em altura
EVALDO JUNIO SILVA DA GAMA
 
Ordem de-servico
Ordem de-servicoOrdem de-servico
Ordem de-servico
Wíndila Santana
 
Ficha-de-Procedimentos-de-Segurança-Trabalhos-em-Altura.pdf
Ficha-de-Procedimentos-de-Segurança-Trabalhos-em-Altura.pdfFicha-de-Procedimentos-de-Segurança-Trabalhos-em-Altura.pdf
Ficha-de-Procedimentos-de-Segurança-Trabalhos-em-Altura.pdf
tjoana
 
Checklist escada andaime
Checklist escada andaimeChecklist escada andaime
Checklist escada andaime
Anderson Bhering Tst
 
Nr 34
Nr 34Nr 34

Mais procurados (20)

Uso de Escadas - NR 35.pdf
Uso de Escadas - NR 35.pdfUso de Escadas - NR 35.pdf
Uso de Escadas - NR 35.pdf
 
Guia para analise de risco - NR 35
Guia para analise de risco - NR 35Guia para analise de risco - NR 35
Guia para analise de risco - NR 35
 
Manual contra quedas
Manual contra quedasManual contra quedas
Manual contra quedas
 
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e IITrabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
 
Treinamento nr 20 completo
Treinamento nr 20 completoTreinamento nr 20 completo
Treinamento nr 20 completo
 
Segurança na Construção Civil - TST
Segurança na Construção Civil - TSTSegurança na Construção Civil - TST
Segurança na Construção Civil - TST
 
Checklist escadas2
Checklist escadas2Checklist escadas2
Checklist escadas2
 
Proc seguranca
Proc segurancaProc seguranca
Proc seguranca
 
Treinamento NR 12
Treinamento NR 12Treinamento NR 12
Treinamento NR 12
 
NR 35
NR 35NR 35
NR 35
 
Nbr 16489
Nbr 16489Nbr 16489
Nbr 16489
 
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRASMODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
MODELO DE TREINAMENTO NR12 VOLTADO A FRENTES DE SERVIÇO EM OBRAS
 
Treinamento - Produtos Químicos
Treinamento - Produtos QuímicosTreinamento - Produtos Químicos
Treinamento - Produtos Químicos
 
NR-1
NR-1NR-1
NR-1
 
Nr – 18
Nr – 18Nr – 18
Nr – 18
 
NR - 35 Trabalho em altura
NR - 35 Trabalho em altura NR - 35 Trabalho em altura
NR - 35 Trabalho em altura
 
Ordem de-servico
Ordem de-servicoOrdem de-servico
Ordem de-servico
 
Ficha-de-Procedimentos-de-Segurança-Trabalhos-em-Altura.pdf
Ficha-de-Procedimentos-de-Segurança-Trabalhos-em-Altura.pdfFicha-de-Procedimentos-de-Segurança-Trabalhos-em-Altura.pdf
Ficha-de-Procedimentos-de-Segurança-Trabalhos-em-Altura.pdf
 
Checklist escada andaime
Checklist escada andaimeChecklist escada andaime
Checklist escada andaime
 
Nr 34
Nr 34Nr 34
Nr 34
 

Destaque

Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18
Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18
Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18
Ricardo Matoso
 
NR 18 - Condições de Meio Ambiente e Trabalho na Industria da Construção
NR 18 - Condições de Meio Ambiente e Trabalho na Industria da ConstruçãoNR 18 - Condições de Meio Ambiente e Trabalho na Industria da Construção
NR 18 - Condições de Meio Ambiente e Trabalho na Industria da Construção
Willian Machado Moro dos Santos
 
treinamento nr 18
treinamento nr 18treinamento nr 18
treinamento nr 18
pwolter
 
Nr18
Nr18Nr18
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
Rodrigo Camilo Araujo
 
Seminário sobre Canteiro de Obras
Seminário sobre Canteiro de ObrasSeminário sobre Canteiro de Obras
Seminário sobre Canteiro de Obras
Lincoln Cesar
 
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de ObrasA Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
xandaobyte
 
Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalho
Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalhoNr 18 - andaimes e plataformas de trabalho
Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalho
David Alves Rbeiro
 
Tapumes e galerias
Tapumes e galeriasTapumes e galerias
Tapumes e galerias
Paulo Cesar Nunes
 
Andaimes evolução gráfica
Andaimes   evolução gráficaAndaimes   evolução gráfica
Andaimes evolução gráfica
Nayana Carneiro
 
NR 18 .17
NR 18 .17NR 18 .17
NR 18 .17
shasha00
 
Segurança no processo de soldagem e corte
Segurança no processo de soldagem e corteSegurança no processo de soldagem e corte
Segurança no processo de soldagem e corte
Cibele Guimaraes
 
Requisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quente
Requisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quenteRequisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quente
Requisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quente
Graciele Soares
 
Cartilha seguranca trabalho pcmat
Cartilha seguranca trabalho pcmatCartilha seguranca trabalho pcmat
Cartilha seguranca trabalho pcmat
Eliane Damião Alves
 
Canteiro de obras
Canteiro de obrasCanteiro de obras
Canteiro de obras
Alan Santos
 
Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18
David Silvestre
 
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
Claudio Cesar Pontes ن
 

Destaque (17)

Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18
Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18
Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18
 
NR 18 - Condições de Meio Ambiente e Trabalho na Industria da Construção
NR 18 - Condições de Meio Ambiente e Trabalho na Industria da ConstruçãoNR 18 - Condições de Meio Ambiente e Trabalho na Industria da Construção
NR 18 - Condições de Meio Ambiente e Trabalho na Industria da Construção
 
treinamento nr 18
treinamento nr 18treinamento nr 18
treinamento nr 18
 
Nr18
Nr18Nr18
Nr18
 
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
 
Seminário sobre Canteiro de Obras
Seminário sobre Canteiro de ObrasSeminário sobre Canteiro de Obras
Seminário sobre Canteiro de Obras
 
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de ObrasA Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
 
Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalho
Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalhoNr 18 - andaimes e plataformas de trabalho
Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalho
 
Tapumes e galerias
Tapumes e galeriasTapumes e galerias
Tapumes e galerias
 
Andaimes evolução gráfica
Andaimes   evolução gráficaAndaimes   evolução gráfica
Andaimes evolução gráfica
 
NR 18 .17
NR 18 .17NR 18 .17
NR 18 .17
 
Segurança no processo de soldagem e corte
Segurança no processo de soldagem e corteSegurança no processo de soldagem e corte
Segurança no processo de soldagem e corte
 
Requisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quente
Requisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quenteRequisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quente
Requisitos de segurança para as operações de soldagem e corte a quente
 
Cartilha seguranca trabalho pcmat
Cartilha seguranca trabalho pcmatCartilha seguranca trabalho pcmat
Cartilha seguranca trabalho pcmat
 
Canteiro de obras
Canteiro de obrasCanteiro de obras
Canteiro de obras
 
Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18
 
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
 

Semelhante a Seguranca com-escadas-rampas-passarelas-construcao-civil

Escadas
EscadasEscadas
NR 18 .12
NR 18 .12NR 18 .12
NR 18 .12
shasha00
 
Procedimento Trabalho Em altura
Procedimento Trabalho Em alturaProcedimento Trabalho Em altura
Procedimento Trabalho Em altura
co100za
 
Seguranca construcao civil
Seguranca construcao civilSeguranca construcao civil
Seguranca construcao civil
VitorGonalves81
 
6 metodologia de trabalho nr35
6 metodologia de trabalho nr356 metodologia de trabalho nr35
6 metodologia de trabalho nr35
Thiago Balzana
 
Lei168 7 deficiente fisico
Lei168 7 deficiente fisicoLei168 7 deficiente fisico
Lei168 7 deficiente fisico
Georgenes Melo
 
Treinamento de Segurança em Trabalho em Altura NR-35
Treinamento de Segurança em Trabalho em Altura NR-35Treinamento de Segurança em Trabalho em Altura NR-35
Treinamento de Segurança em Trabalho em Altura NR-35
Gabrielcarvalhodasil
 
Engenharia de Segurança do Trabalho na Industria da Construção
Engenharia de Segurança do Trabalho na Industria da ConstruçãoEngenharia de Segurança do Trabalho na Industria da Construção
Engenharia de Segurança do Trabalho na Industria da Construção
Jaqueline Trindade Dos Santos
 
Guia de acessibilidade e mobilidade para todos
Guia de acessibilidade e mobilidade para todosGuia de acessibilidade e mobilidade para todos
Guia de acessibilidade e mobilidade para todos
Jaime Ribeiro
 
Guia para-analise-de-risco-sindimov (1)
Guia para-analise-de-risco-sindimov (1)Guia para-analise-de-risco-sindimov (1)
Guia para-analise-de-risco-sindimov (1)
Osmar Gomes Pinto
 
Guia para analise de riscos
Guia para analise de riscos Guia para analise de riscos
Guia para analise de riscos
Lazaro Carvalho Neto
 
Escadas rampas elevadores
Escadas rampas elevadoresEscadas rampas elevadores
Escadas rampas elevadores
Carlos Elson Cunha
 
TRABALHO EM ALTURA NOVO.ppt
TRABALHO EM ALTURA NOVO.pptTRABALHO EM ALTURA NOVO.ppt
TRABALHO EM ALTURA NOVO.ppt
Felipelipilef2nd
 
Guia para analise de risco
Guia para analise de riscoGuia para analise de risco
Guia para analise de risco
Julio Pinho
 
Guia para analise de risco nr-35 engenheiro gulin (1) (1)
Guia para analise de risco nr-35 engenheiro gulin (1) (1)Guia para analise de risco nr-35 engenheiro gulin (1) (1)
Guia para analise de risco nr-35 engenheiro gulin (1) (1)
antonio jose da silva
 
Análise de risco nr35
Análise de risco nr35Análise de risco nr35
Análise de risco nr35
Edmauro Monteiro
 
Guia para analise de risco
Guia para analise de riscoGuia para analise de risco
Guia para analise de risco
Luis Araujo
 
Guia para analise de risco
Guia para analise de riscoGuia para analise de risco
Guia para analise de risco
Marco Vinicio Pereira Silva
 
Guia para-analise-de-risco-trabalho-em altura
Guia para-analise-de-risco-trabalho-em alturaGuia para-analise-de-risco-trabalho-em altura
Guia para-analise-de-risco-trabalho-em altura
Jaqueline Trindade Dos Santos
 
Guia apr 1
Guia apr 1Guia apr 1
Guia apr 1
Eng_edgard
 

Semelhante a Seguranca com-escadas-rampas-passarelas-construcao-civil (20)

Escadas
EscadasEscadas
Escadas
 
NR 18 .12
NR 18 .12NR 18 .12
NR 18 .12
 
Procedimento Trabalho Em altura
Procedimento Trabalho Em alturaProcedimento Trabalho Em altura
Procedimento Trabalho Em altura
 
Seguranca construcao civil
Seguranca construcao civilSeguranca construcao civil
Seguranca construcao civil
 
6 metodologia de trabalho nr35
6 metodologia de trabalho nr356 metodologia de trabalho nr35
6 metodologia de trabalho nr35
 
Lei168 7 deficiente fisico
Lei168 7 deficiente fisicoLei168 7 deficiente fisico
Lei168 7 deficiente fisico
 
Treinamento de Segurança em Trabalho em Altura NR-35
Treinamento de Segurança em Trabalho em Altura NR-35Treinamento de Segurança em Trabalho em Altura NR-35
Treinamento de Segurança em Trabalho em Altura NR-35
 
Engenharia de Segurança do Trabalho na Industria da Construção
Engenharia de Segurança do Trabalho na Industria da ConstruçãoEngenharia de Segurança do Trabalho na Industria da Construção
Engenharia de Segurança do Trabalho na Industria da Construção
 
Guia de acessibilidade e mobilidade para todos
Guia de acessibilidade e mobilidade para todosGuia de acessibilidade e mobilidade para todos
Guia de acessibilidade e mobilidade para todos
 
Guia para-analise-de-risco-sindimov (1)
Guia para-analise-de-risco-sindimov (1)Guia para-analise-de-risco-sindimov (1)
Guia para-analise-de-risco-sindimov (1)
 
Guia para analise de riscos
Guia para analise de riscos Guia para analise de riscos
Guia para analise de riscos
 
Escadas rampas elevadores
Escadas rampas elevadoresEscadas rampas elevadores
Escadas rampas elevadores
 
TRABALHO EM ALTURA NOVO.ppt
TRABALHO EM ALTURA NOVO.pptTRABALHO EM ALTURA NOVO.ppt
TRABALHO EM ALTURA NOVO.ppt
 
Guia para analise de risco
Guia para analise de riscoGuia para analise de risco
Guia para analise de risco
 
Guia para analise de risco nr-35 engenheiro gulin (1) (1)
Guia para analise de risco nr-35 engenheiro gulin (1) (1)Guia para analise de risco nr-35 engenheiro gulin (1) (1)
Guia para analise de risco nr-35 engenheiro gulin (1) (1)
 
Análise de risco nr35
Análise de risco nr35Análise de risco nr35
Análise de risco nr35
 
Guia para analise de risco
Guia para analise de riscoGuia para analise de risco
Guia para analise de risco
 
Guia para analise de risco
Guia para analise de riscoGuia para analise de risco
Guia para analise de risco
 
Guia para-analise-de-risco-trabalho-em altura
Guia para-analise-de-risco-trabalho-em alturaGuia para-analise-de-risco-trabalho-em altura
Guia para-analise-de-risco-trabalho-em altura
 
Guia apr 1
Guia apr 1Guia apr 1
Guia apr 1
 

Último

Aula 4 - 3D laser scanning para bim em engenharia
Aula 4 - 3D laser scanning para bim em engenhariaAula 4 - 3D laser scanning para bim em engenharia
Aula 4 - 3D laser scanning para bim em engenharia
JosAtila
 
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60AManual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Tronicline Automatismos
 
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
Consultoria Acadêmica
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
Consultoria Acadêmica
 
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptxMAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
Vilson Stollmeier
 
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
carlos silva Rotersan
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
Consultoria Acadêmica
 

Último (7)

Aula 4 - 3D laser scanning para bim em engenharia
Aula 4 - 3D laser scanning para bim em engenhariaAula 4 - 3D laser scanning para bim em engenharia
Aula 4 - 3D laser scanning para bim em engenharia
 
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60AManual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60A
 
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
 
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptxMAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
 
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
 

Seguranca com-escadas-rampas-passarelas-construcao-civil

  • 1. SEGURANÇA COM ESCADAS, RAMPAS E PASSARELAS NA CONSTRUÇÃO CIVIL Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho
  • 2. REGRAS DE SEGURANÇA  A madeira a ser usada para construção de escadas, rampas e passarelas deve ser de boa qualidade, sem apresentar nós e rachaduras que comprometam sua resistência, estar seca, sendo proibido o uso de pintura que encubra imperfeições.  As escadas de uso coletivo, rampas e passarelas para a circulação de pessoas e materiais devem ser de construção sólida e dotadas de corrimão e rodapé.
  • 3. REGRAS DE SEGURANÇA  A transposição de pisos com diferença de nível superior a 0,40m (quarenta centímetros) deve ser feita por meio de escadas ou rampas.  É obrigatória a instalação de rampa ou escada provisória de uso coletivo para transposição de níveis como meio de circulação de trabalhadores.
  • 4. ESCADAS  As escadas provisórias de uso coletivo devem ser dimensionadas em função do fluxo de trabalhadores, respeitando-se a largura mínima de 0,80 (oitenta centímetros), devendo ter pelo menos a cada 2,90m (dois metros e noventa centímetros) de altura um patamar intermediário.  Os patamares intermediários devem ter largura e comprimento, no mínimo, iguais à largura da escada.
  • 5. ESCADAS  A escada de mão deve ter seu uso restrito para acessos provisórios e serviços de pequeno porte.  É proibido o uso de escada de mão com montante único.  As escadas de mão poderão ter até 7,00m (sete metros) de extensão e o espaçamento entre os degraus deve ser uniforme, variando entre 0,25m (vinte e cinco centímetros) a 0,30m (trinta centímetros).
  • 6. ESCADAS É proibido colocar escada de mão:  Nas proximidades de portas ou áreas de circulação;  Onde houver risco de queda de objetos ou materiais;  Nas proximidades de aberturas e vãos.
  • 7. ESCADAS A escada de mão deve:  Ultrapassar em 1,00m (um metro) o piso superior;  Ser fixada nos pisos inferior e superior ou ser dotada de dispositivo que impeça o seu escorregamento;  Ser dotada de degraus antiderrapantes;  Ser apoiada em piso resistente.
  • 8. ESCADAS  É proibido o uso de escada de mão junto a redes e equipamentos elétricos desprotegidos.  A escada de abrir deve ser rígida, estável e provida de dispositivos que a mantenham com abertura constante, devendo ter comprimento máximo de 6,00m (seis metros), quando fechada.
  • 9. ESCADAS  A escada extensível deve ser dotada de dispositivo limitador de curso, colocado no quarto vão a contar da catraca. Caso não haja o limitador de curso, quando estendida, deve permitir uma sobreposição de no mínimo 1,00m (um metro).  A escada fixa, tipo marinheiro, com 6,00 (seis metros) ou mais de altura, deve ser provida de gaiola protetora a partir de 2,00m (dois metros) acima da base até 1,00m (um metro) acima da última superfície de trabalho.
  • 10. ESCADAS  Para cada lance de 9,00m (nove metros), deve existir um patamar intermediário de descanso, protegido por guarda-corpo e rodapé.
  • 11. RAMPAS E PASSARELAS  As rampas e passarelas provisórias devem ser construídas e mantidas em perfeitas condições de uso e segurança.  Nas rampas provisórias, com inclinação superior a 18º (dezoito graus), devem ser fixadas peças transversais, espaçadas em 0,40m (quarenta centímetros), no máximo, para apoio dos pés.
  • 12. RAMPAS E PASSARELAS  As rampas provisórias usadas para trânsito de caminhões devem ter largura mínima de 4,00m (quatro metros) e ser fixadas em suas extremidades.  Não devem existir ressaltos entre o piso da passarela e o piso do terreno.
  • 13. RAMPAS E PASSARELAS  Os apoios das extremidades das passarelas devem ser dimensionados em função do comprimento total das mesmas e das cargas a que estarão submetidas.
  • 14.  Este material foi baseado na Norma regulamentadora 18. MATERIAL CONSULTADO
  • 15. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho juarezsabino@hotmail.com 12 99163-5163 OBRIGADO PELA ATENÇÃO