SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
4/5/2014 Metodologia de Cálculo do CAsubs - Resseguradores — SUSEP
http://www.susep.gov.br/setores-susep/cgsoa/coris/requerimentos-de-capital/paginas/metodologia-de-calculo-do-casubs-resseguradores 1/2
METODOLOGIA DE CÁLCULO DO CASUBS - RESSEGURADORES
O CRsu bs dos ressegu radores locais é definido na RESOLUÇÃ O CNSP nº 188/2008.
O CRsubs dos resseguradores locais é composto pela soma de duas parcelas: uma para as
operações de resseguro proporcional e outra para as operações de resseguro não
proporcional e demais operações não classificadas na primeira parcela, conforme definido
no Art. 3º da Resolução CNSP nº 188/2008.
A parcela referente aos resseguros proporcionais é obtida pela aplicação do modelo relativo
ao CRsubs das sociedades seguradoras. A segunda parcela, referentes às demais operações
de resseguro, é obtida pela aplicação do modelo de margem de solvência conforme disposto
no Art. 4º da Resolução CNSP nº188/2008.
Cálculo da parcela referente aos resseguros proporcionais:
Como é aplicado o modelo relativo aos riscos de subscrição das sociedades seguradoras, o
cálculo da parcela referente aos resseguros proporcionais deve considerar o disposto nos
anexos I, II e III da Resolução CNSP nº 280/2013 e na Circular SUSEP nº
486/2014.
No cálculo da parcela do CRsubs referente aos resseguros proporcionais são considerados
12 meses de prêmio e sinistro retidos anteriores ao mês para o qual está sendo realizado o
cálculo. Por exemplo, para o cálculo do valor relativo a janeiro/2014 são considerados
prêmios e sinistros de janeiro/2013 a dezembro/2013. Para tanto, utilizam-se as
informações de prêmio retido (sem considerar os riscos vigentes e não emitidos - RVNE) e
de sinistro retido apresentadas pelos resseguradores locais no Quadro 91 do FIP.
A alocação dos prêmios e sinistros retidos nas classes de negócio e regiões de atuação deve
obedecer ao disposto na Circular SUSEP nº 486/2014. Com a entrada em vigor desta
norma em janeiro/2014, os valores de prêmios e sinistros do quadro 91 do FIP devem ser
preenchidos por grupo de ramo e alocados na região 2. O cálculo do capital a partir de
janeiro/2014 deverá considerar essa alocação por grupo de ramo inclusive para os valores
preenchidos em meses anteriores.
Considerando o disposto no parágrafo único do artigo 1º da Resolução CNSP nº 280/2013,
seguindo o modelo relativo aos riscos de subscrição das sociedades seguradoras, não é
considerado no cálculo da parcela em questão o resseguro proporcional relativo às
operações dos ramos de seguro 1066 (SFH), 0588 e 0589 (DPVAT), 1457 e 0457 (DPEM).
Também não são considerados no cálculo desta parcela os ramos 0992, 0994 e 1392
referentes ao VGBL, VAGP, VRGP, VRSA, PRI e os ramos 0983, 0986, 0991, 1329, 1383,
1386 e 1391 referentes a seguros de vida individual.
BRASIL Acesso à informação Faltam 3 9 dias para a CopaParticipe Serviços Legislação Canais
4/5/2014 Metodologia de Cálculo do CAsubs - Resseguradores — SUSEP
http://www.susep.gov.br/setores-susep/cgsoa/coris/requerimentos-de-capital/paginas/metodologia-de-calculo-do-casubs-resseguradores 2/2
Cálculo da parcela referente às demais operações:
Para o cálculo da parcela do CRsubs correspondente às demais operações que não as
consideradas na primeira parcela, deve-se observar o disposto no Art. 4º da resolução
CNSP nº188/2008.
Sendo assim, para os planos estruturados sobre o regime de regime de repartição e para as
operações dos riscos decorrentes de contratos de seguros de danos, o maior dentre os
seguintes valores deve ser observado:
a. 20% (vinte por cento) do total de prêmios retidos nos últimos 12 (doze) meses; e
b. 33% (trinta e três por cento) da média anual do total dos sinistros retidos nos
últimos 36 (trinta e seis) meses.
Nesse caso não há defasagem no cálculo. Por exemplo, para o cálculo relativo a
janeiro/2014 são considerados os prêmios de fevereiro/2013 a janeiro/2014 e os sinistros de
fevereiro/2011 a janeiro/2014. Os valores de prêmio e sinistro retidos utilizados no cálculo
são apurados pela diferença entre os valores informados no Quadro 23R do FIP
descontados os valores totais informados no Quadro 91 do FIP.
No Quadro 91, o prêmio retido utilizado é aquele com RVNE.
No quadro 23R, são utilizados os seguintes campos para o cálculo do prêmio e sinistro
retido:
Para Prêmio Retido:
Prêmio Emitido – Cmpid: 11259
Prêmio de Retrocessão – Cessão – Cmpid: 11269
Para Sinistro Retido:
Sinistro Ocorrido – Cmpid: 11260
Indenização de Sinistros – Recuperação – Cmpid: 11263
Despesa com Sinistros – Recuperação – Cmpid: 11264
Variação da Provisão de IBNR – Cmpid: 11266
Variação da Provisão de IBNER – Cmpid: 11267
Salvados e Ressarcidos – Cmpid: 12689 (Para os meses anteriores a 12/2013
deve ser utilizado o Cmpid 1 1 2 7 1 )
OBS: Para os meses anteriores a 06/2011 o Sinistro Retido deve ser obtido
diretamente do Cmpid 6566, sem a necessidade de consolidar os campos acima
Os valores apurados no quadro 23R representam o acumulado durante o ano. Portanto,
para se obter o prêmio e o sinistro retido de um certo mês, é necessário subtrair o valor
encontrado nesse mês pelo valor do mês anterior, com exceção de janeiro, cujo valor é
apenas o do próprio mês.
OBS: No caso de ter havido fusão, cisão, incorporação ou transferência de carteira nos
últimos 12 meses, o cálculo do CRsubs deverá observar também a Circular SUSEP nº 413.

Mais conteúdo relacionado

Destaque

O gênero nonsense como ferramenta do desenvolvimento da criatividade graccy
O gênero nonsense como ferramenta do desenvolvimento da criatividade graccyO gênero nonsense como ferramenta do desenvolvimento da criatividade graccy
O gênero nonsense como ferramenta do desenvolvimento da criatividade graccy
Jonas dos Santos Messias
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
ramire
 
Sabieu que def
Sabieu que defSabieu que def
Sabieu que def
somelsde6
 
Certificado de concluso tre
Certificado de concluso treCertificado de concluso tre
Certificado de concluso tre
Karlla Costa
 

Destaque (16)

Inss
InssInss
Inss
 
Criança esperança
Criança esperançaCriança esperança
Criança esperança
 
Câncer tem cura
Câncer tem curaCâncer tem cura
Câncer tem cura
 
O gênero nonsense como ferramenta do desenvolvimento da criatividade graccy
O gênero nonsense como ferramenta do desenvolvimento da criatividade graccyO gênero nonsense como ferramenta do desenvolvimento da criatividade graccy
O gênero nonsense como ferramenta do desenvolvimento da criatividade graccy
 
Urban farming
Urban farmingUrban farming
Urban farming
 
Zinger assessoria de imprensa
Zinger assessoria de imprensaZinger assessoria de imprensa
Zinger assessoria de imprensa
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
F28 bota4
F28 bota4F28 bota4
F28 bota4
 
Ciclotron ctpr600
Ciclotron   ctpr600Ciclotron   ctpr600
Ciclotron ctpr600
 
DXN COLOMBIA OPORTUNIDAD DE NEGOCIO
DXN COLOMBIA OPORTUNIDAD DE NEGOCIODXN COLOMBIA OPORTUNIDAD DE NEGOCIO
DXN COLOMBIA OPORTUNIDAD DE NEGOCIO
 
Sabieu que def
Sabieu que defSabieu que def
Sabieu que def
 
Certificado de concluso tre
Certificado de concluso treCertificado de concluso tre
Certificado de concluso tre
 
Week 7 DPUrt392 Aj.Morraget
Week 7 DPUrt392 Aj.MorragetWeek 7 DPUrt392 Aj.Morraget
Week 7 DPUrt392 Aj.Morraget
 
Week 4-5 การเขียนเพื่อออนไลน์ DPUrt392 Aj.Morraget
Week 4-5 การเขียนเพื่อออนไลน์ DPUrt392 Aj.MorragetWeek 4-5 การเขียนเพื่อออนไลน์ DPUrt392 Aj.Morraget
Week 4-5 การเขียนเพื่อออนไลน์ DPUrt392 Aj.Morraget
 
Fairfax fauquier community twin bridge as c2C
Fairfax fauquier community twin bridge as c2CFairfax fauquier community twin bridge as c2C
Fairfax fauquier community twin bridge as c2C
 
Marineland
Marineland Marineland
Marineland
 

Semelhante a Metodologia de cálculo do c asubs resseguradores — susep

Semelhante a Metodologia de cálculo do c asubs resseguradores — susep (20)

Circular SUSEP 462 - dispõe sobre a forma de cálculo e os procedimentos para ...
Circular SUSEP 462 - dispõe sobre a forma de cálculo e os procedimentos para ...Circular SUSEP 462 - dispõe sobre a forma de cálculo e os procedimentos para ...
Circular SUSEP 462 - dispõe sobre a forma de cálculo e os procedimentos para ...
 
Circular CNSP 462 - Provisões Técnicas
Circular CNSP 462 - Provisões TécnicasCircular CNSP 462 - Provisões Técnicas
Circular CNSP 462 - Provisões Técnicas
 
Resolucao dpvat 2021
Resolucao dpvat 2021Resolucao dpvat 2021
Resolucao dpvat 2021
 
Circular SUSEP 448 - critérios e percentuais de IBNR e RVNE
Circular SUSEP 448 - critérios e percentuais de IBNR e RVNECircular SUSEP 448 - critérios e percentuais de IBNR e RVNE
Circular SUSEP 448 - critérios e percentuais de IBNR e RVNE
 
Programa de PLR 2013
Programa de PLR 2013Programa de PLR 2013
Programa de PLR 2013
 
Acordo de-participação-nos-lucros-ou-resultados-da-ect-2013-2014-2015
Acordo de-participação-nos-lucros-ou-resultados-da-ect-2013-2014-2015Acordo de-participação-nos-lucros-ou-resultados-da-ect-2013-2014-2015
Acordo de-participação-nos-lucros-ou-resultados-da-ect-2013-2014-2015
 
Circular SUSEP 338 - altera e consolida regras e critérios complementares de ...
Circular SUSEP 338 - altera e consolida regras e critérios complementares de ...Circular SUSEP 338 - altera e consolida regras e critérios complementares de ...
Circular SUSEP 338 - altera e consolida regras e critérios complementares de ...
 
Convenção Coletiva 2022.pdf
Convenção Coletiva 2022.pdfConvenção Coletiva 2022.pdf
Convenção Coletiva 2022.pdf
 
Teste de adequação de passivos susep
Teste de adequação de passivos   susepTeste de adequação de passivos   susep
Teste de adequação de passivos susep
 
Circular SUSEP 457 - TAP testes de adequação de passivos
Circular SUSEP 457 - TAP testes de adequação de passivosCircular SUSEP 457 - TAP testes de adequação de passivos
Circular SUSEP 457 - TAP testes de adequação de passivos
 
6º Congresso Estadual | Melquesebec Silva
6º Congresso Estadual | Melquesebec Silva6º Congresso Estadual | Melquesebec Silva
6º Congresso Estadual | Melquesebec Silva
 
Palestra cgsoa provisoes
Palestra cgsoa   provisoesPalestra cgsoa   provisoes
Palestra cgsoa provisoes
 
Provisões técnicas
Provisões técnicasProvisões técnicas
Provisões técnicas
 
Provisões técnicas
Provisões técnicasProvisões técnicas
Provisões técnicas
 
Programa de PLR 2014
Programa de PLR 2014Programa de PLR 2014
Programa de PLR 2014
 
Circular SUSEP 317 - dispõe sobre regras para planos coletivos de pessoas
Circular SUSEP 317 - dispõe sobre regras para planos coletivos de pessoasCircular SUSEP 317 - dispõe sobre regras para planos coletivos de pessoas
Circular SUSEP 317 - dispõe sobre regras para planos coletivos de pessoas
 
Informativo de Seguros e Resseguros (02/2017)
Informativo de Seguros e Resseguros (02/2017)Informativo de Seguros e Resseguros (02/2017)
Informativo de Seguros e Resseguros (02/2017)
 
Circular SUSEP 452 - ativos de resseguros redutores
Circular SUSEP 452 - ativos de resseguros redutoresCircular SUSEP 452 - ativos de resseguros redutores
Circular SUSEP 452 - ativos de resseguros redutores
 
Circular CNSP 452 - Ativos de Resseguro Redutores
Circular CNSP 452 - Ativos de Resseguro RedutoresCircular CNSP 452 - Ativos de Resseguro Redutores
Circular CNSP 452 - Ativos de Resseguro Redutores
 
Veja o estudo de recomposição tarifária
Veja o estudo de recomposição tarifáriaVeja o estudo de recomposição tarifária
Veja o estudo de recomposição tarifária
 

Mais de Universidade Federal Fluminense

Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações apl...
Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações   apl...Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações   apl...
Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações apl...
Universidade Federal Fluminense
 
Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações apl...
Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações   apl...Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações   apl...
Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações apl...
Universidade Federal Fluminense
 

Mais de Universidade Federal Fluminense (20)

Associating technical methodologies of “multi scenario” risk analysis to supo...
Associating technical methodologies of “multi scenario” risk analysis to supo...Associating technical methodologies of “multi scenario” risk analysis to supo...
Associating technical methodologies of “multi scenario” risk analysis to supo...
 
Precificação de riscos segurados e constituição de reservas técnicas legais ...
Precificação de riscos segurados e constituição de reservas técnicas legais  ...Precificação de riscos segurados e constituição de reservas técnicas legais  ...
Precificação de riscos segurados e constituição de reservas técnicas legais ...
 
A evolução do mercado de seguros no Brasil e no Mundo: Estudo Cronológico
A evolução do mercado de seguros no Brasil e no Mundo: Estudo CronológicoA evolução do mercado de seguros no Brasil e no Mundo: Estudo Cronológico
A evolução do mercado de seguros no Brasil e no Mundo: Estudo Cronológico
 
Precificação de riscos segurados e constituição de reservas técnicas legais ...
Precificação de riscos segurados e constituição de reservas técnicas legais  ...Precificação de riscos segurados e constituição de reservas técnicas legais  ...
Precificação de riscos segurados e constituição de reservas técnicas legais ...
 
Programas de gerenciamento de riscos - notas de aula Curso de Ciências Atuari...
Programas de gerenciamento de riscos - notas de aula Curso de Ciências Atuari...Programas de gerenciamento de riscos - notas de aula Curso de Ciências Atuari...
Programas de gerenciamento de riscos - notas de aula Curso de Ciências Atuari...
 
Os desmandos públicos em vários momentos: a atuação do tribunal de contas da...
Os desmandos públicos em vários momentos:  a atuação do tribunal de contas da...Os desmandos públicos em vários momentos:  a atuação do tribunal de contas da...
Os desmandos públicos em vários momentos: a atuação do tribunal de contas da...
 
Os desmandos públicos em vários momentos: a atuação do Tribunal de Contas da ...
Os desmandos públicos em vários momentos: a atuação do Tribunal de Contas da ...Os desmandos públicos em vários momentos: a atuação do Tribunal de Contas da ...
Os desmandos públicos em vários momentos: a atuação do Tribunal de Contas da ...
 
Obras completas de Rui Barbosa - discursos parlamentares - a falta de justiça...
Obras completas de Rui Barbosa - discursos parlamentares - a falta de justiça...Obras completas de Rui Barbosa - discursos parlamentares - a falta de justiça...
Obras completas de Rui Barbosa - discursos parlamentares - a falta de justiça...
 
Os impactos nos programas de gestão de riscos: avaliação de uma pesquisa rand...
Os impactos nos programas de gestão de riscos: avaliação de uma pesquisa rand...Os impactos nos programas de gestão de riscos: avaliação de uma pesquisa rand...
Os impactos nos programas de gestão de riscos: avaliação de uma pesquisa rand...
 
The five structural columns of risk analysis techniques
The five structural columns of risk analysis techniquesThe five structural columns of risk analysis techniques
The five structural columns of risk analysis techniques
 
Transporte de cargas especiais e os riscos envolvidos aplicação da metodolo...
Transporte de cargas especiais e os riscos envolvidos   aplicação da metodolo...Transporte de cargas especiais e os riscos envolvidos   aplicação da metodolo...
Transporte de cargas especiais e os riscos envolvidos aplicação da metodolo...
 
Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações apl...
Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações   apl...Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações   apl...
Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações apl...
 
Cenários críticos na implantação de empreendimentos industriais
Cenários críticos na implantação de empreendimentos industriaisCenários críticos na implantação de empreendimentos industriais
Cenários críticos na implantação de empreendimentos industriais
 
Modelo de mensuração de riscos e vulnerabilidade social a desastres de popula...
Modelo de mensuração de riscos e vulnerabilidade social a desastres de popula...Modelo de mensuração de riscos e vulnerabilidade social a desastres de popula...
Modelo de mensuração de riscos e vulnerabilidade social a desastres de popula...
 
Metodologias de mensuração de riscos
Metodologias de mensuração de riscosMetodologias de mensuração de riscos
Metodologias de mensuração de riscos
 
Estruturando uma matriz de decisão para uma obra civil
Estruturando uma matriz de decisão para uma obra civilEstruturando uma matriz de decisão para uma obra civil
Estruturando uma matriz de decisão para uma obra civil
 
Cenários críticos na implantação de empreendimentos industriais
Cenários críticos na implantação de empreendimentos industriaisCenários críticos na implantação de empreendimentos industriais
Cenários críticos na implantação de empreendimentos industriais
 
Os seguros e os riscos como compreendê-los
Os seguros e os riscos   como compreendê-losOs seguros e os riscos   como compreendê-los
Os seguros e os riscos como compreendê-los
 
Estruturando uma matriz de decisão para uma obra civil
Estruturando uma matriz de decisão para uma obra civilEstruturando uma matriz de decisão para uma obra civil
Estruturando uma matriz de decisão para uma obra civil
 
Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações apl...
Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações   apl...Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações   apl...
Os métodos de prospecção de cenários e sua importância nas organizações apl...
 

Último

atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 

Último (20)

Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundario
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 

Metodologia de cálculo do c asubs resseguradores — susep

  • 1. 4/5/2014 Metodologia de Cálculo do CAsubs - Resseguradores — SUSEP http://www.susep.gov.br/setores-susep/cgsoa/coris/requerimentos-de-capital/paginas/metodologia-de-calculo-do-casubs-resseguradores 1/2 METODOLOGIA DE CÁLCULO DO CASUBS - RESSEGURADORES O CRsu bs dos ressegu radores locais é definido na RESOLUÇÃ O CNSP nº 188/2008. O CRsubs dos resseguradores locais é composto pela soma de duas parcelas: uma para as operações de resseguro proporcional e outra para as operações de resseguro não proporcional e demais operações não classificadas na primeira parcela, conforme definido no Art. 3º da Resolução CNSP nº 188/2008. A parcela referente aos resseguros proporcionais é obtida pela aplicação do modelo relativo ao CRsubs das sociedades seguradoras. A segunda parcela, referentes às demais operações de resseguro, é obtida pela aplicação do modelo de margem de solvência conforme disposto no Art. 4º da Resolução CNSP nº188/2008. Cálculo da parcela referente aos resseguros proporcionais: Como é aplicado o modelo relativo aos riscos de subscrição das sociedades seguradoras, o cálculo da parcela referente aos resseguros proporcionais deve considerar o disposto nos anexos I, II e III da Resolução CNSP nº 280/2013 e na Circular SUSEP nº 486/2014. No cálculo da parcela do CRsubs referente aos resseguros proporcionais são considerados 12 meses de prêmio e sinistro retidos anteriores ao mês para o qual está sendo realizado o cálculo. Por exemplo, para o cálculo do valor relativo a janeiro/2014 são considerados prêmios e sinistros de janeiro/2013 a dezembro/2013. Para tanto, utilizam-se as informações de prêmio retido (sem considerar os riscos vigentes e não emitidos - RVNE) e de sinistro retido apresentadas pelos resseguradores locais no Quadro 91 do FIP. A alocação dos prêmios e sinistros retidos nas classes de negócio e regiões de atuação deve obedecer ao disposto na Circular SUSEP nº 486/2014. Com a entrada em vigor desta norma em janeiro/2014, os valores de prêmios e sinistros do quadro 91 do FIP devem ser preenchidos por grupo de ramo e alocados na região 2. O cálculo do capital a partir de janeiro/2014 deverá considerar essa alocação por grupo de ramo inclusive para os valores preenchidos em meses anteriores. Considerando o disposto no parágrafo único do artigo 1º da Resolução CNSP nº 280/2013, seguindo o modelo relativo aos riscos de subscrição das sociedades seguradoras, não é considerado no cálculo da parcela em questão o resseguro proporcional relativo às operações dos ramos de seguro 1066 (SFH), 0588 e 0589 (DPVAT), 1457 e 0457 (DPEM). Também não são considerados no cálculo desta parcela os ramos 0992, 0994 e 1392 referentes ao VGBL, VAGP, VRGP, VRSA, PRI e os ramos 0983, 0986, 0991, 1329, 1383, 1386 e 1391 referentes a seguros de vida individual. BRASIL Acesso à informação Faltam 3 9 dias para a CopaParticipe Serviços Legislação Canais
  • 2. 4/5/2014 Metodologia de Cálculo do CAsubs - Resseguradores — SUSEP http://www.susep.gov.br/setores-susep/cgsoa/coris/requerimentos-de-capital/paginas/metodologia-de-calculo-do-casubs-resseguradores 2/2 Cálculo da parcela referente às demais operações: Para o cálculo da parcela do CRsubs correspondente às demais operações que não as consideradas na primeira parcela, deve-se observar o disposto no Art. 4º da resolução CNSP nº188/2008. Sendo assim, para os planos estruturados sobre o regime de regime de repartição e para as operações dos riscos decorrentes de contratos de seguros de danos, o maior dentre os seguintes valores deve ser observado: a. 20% (vinte por cento) do total de prêmios retidos nos últimos 12 (doze) meses; e b. 33% (trinta e três por cento) da média anual do total dos sinistros retidos nos últimos 36 (trinta e seis) meses. Nesse caso não há defasagem no cálculo. Por exemplo, para o cálculo relativo a janeiro/2014 são considerados os prêmios de fevereiro/2013 a janeiro/2014 e os sinistros de fevereiro/2011 a janeiro/2014. Os valores de prêmio e sinistro retidos utilizados no cálculo são apurados pela diferença entre os valores informados no Quadro 23R do FIP descontados os valores totais informados no Quadro 91 do FIP. No Quadro 91, o prêmio retido utilizado é aquele com RVNE. No quadro 23R, são utilizados os seguintes campos para o cálculo do prêmio e sinistro retido: Para Prêmio Retido: Prêmio Emitido – Cmpid: 11259 Prêmio de Retrocessão – Cessão – Cmpid: 11269 Para Sinistro Retido: Sinistro Ocorrido – Cmpid: 11260 Indenização de Sinistros – Recuperação – Cmpid: 11263 Despesa com Sinistros – Recuperação – Cmpid: 11264 Variação da Provisão de IBNR – Cmpid: 11266 Variação da Provisão de IBNER – Cmpid: 11267 Salvados e Ressarcidos – Cmpid: 12689 (Para os meses anteriores a 12/2013 deve ser utilizado o Cmpid 1 1 2 7 1 ) OBS: Para os meses anteriores a 06/2011 o Sinistro Retido deve ser obtido diretamente do Cmpid 6566, sem a necessidade de consolidar os campos acima Os valores apurados no quadro 23R representam o acumulado durante o ano. Portanto, para se obter o prêmio e o sinistro retido de um certo mês, é necessário subtrair o valor encontrado nesse mês pelo valor do mês anterior, com exceção de janeiro, cujo valor é apenas o do próprio mês. OBS: No caso de ter havido fusão, cisão, incorporação ou transferência de carteira nos últimos 12 meses, o cálculo do CRsubs deverá observar também a Circular SUSEP nº 413.