SlideShare uma empresa Scribd logo
Programa de Participação nos Lucros ou Resultados da ECT – PLR 2013
1/7
CLÁUSULA 1: Objetivo da PLR
O Programa de Participação nos Lucros ou Resultados – PLR foi instituído para fortalecer o
comprometimento dos empregados com os resultados, incentivar uma postura empreendedora e
criativa e despertar a cultura da lucratividade, com qualidade, produtividade e eliminação dos
desperdícios.
Parágrafo Primeiro: O pagamento da PLR previsto neste instrumento está condicionado à
obtenção de lucro pela ECT, durante o exercício de 2013, não sendo considerado, para este
efeito, resultados passados ou projeções de receitas não recebidas.
Parágrafo Segundo: Os valores pagos a título de PLR não substituem, não complementam, não
se incorporam aos salários dos empregados e não constituem base de incidência de nenhum
encargo trabalhista ou previdenciário por serem desvinculados da remuneração, não se aplicando
o princípio da habitualidade, porém tributáveis para efeito de imposto de renda, conforme
legislação em vigor.
CLÁUSULA 02: Reserva Técnica
a) Será constituída Reserva Técnica que terá como finalidade o pagamento de diferenças
decorrentes de ajustes de situação cadastral do empregado.
b) O valor da Reserva Técnica corresponderá a 1% (um por cento) do montante a ser
distribuído a título de PLR.
c) A Reserva Técnica ficará à disposição para eventuais pagamentos por um período de 1
(um) ano contado a partir da data do pagamento da PLR.
d) O saldo remanescente retornará ao lucro operacional da ECT.
CLÁUSULA 03: Forma de Distribuição
A distribuição da PLR será de acordo com o montante destinado para este fim, sendo rateado em
uma vertente, a saber: Distribuição Geral.
b) Distribuição Geral
Do montante a ser distribuído a título de PLR, após a separação da Reserva Técnica, será
constituída parcela com o valor total remanescente, intitulada como Parcela Corporativa, que será
distribuída a todos os empregados que atendam aos critérios desta vertente, respeitada a
diferença, diferença – entre o menor e o maior valor pago, não superior a 5 (cinco) vezes, na
proporção de 1/365 dias de efetivo exercício, conforme Anexo 1.
b.1) Parcela Corporativa: Destinada a todos os empregados que atendam aos critérios, sendo
que o valor a ser distribuído será o somatório dos percentuais de cada indicador (meta a meta),
conforme quadro abaixo:
Quadro 2: Indicadores Avaliados
Item
Descrição do
Indicador
Abrangência
da meta
Meta
Resultado
Peso
A IDO Regional Por regional (*) (*) 33,33%
B DGV Regional Por regional (*) (*) 33,33%
C PSCR Nacional 49,14% 47,32% 33,34%
(*) A meta e o resultado por Diretoria Regional estão dispostos no Anexo 2.
Programa de Participação nos Lucros ou Resultados da ECT – PLR 2013
2/7
c) A apuração para cada indicador corporativo seguirá a sistemática do quadro a seguir, em
conformidade com os percentuais de alcance das respectivas metas:
Quadro 3: Regra de Distribuição Geral
Atingimento por Metas Pagamento de PLR
X > 100% Integral
99% < X < 100% 99 %
98% < X < 99% 98%
97% < X < 98% 97%
96% < X < 97% 96%
95% < X < 96% 95%
90% < X < 95% 75%
80% < X < 90% 50%
X < 80% Sem Pagamento
d) Após a distribuição da Parcela Corporativa, eventuais resíduos retornarão ao Lucro
Operacional da ECT.
CLÁUSULA 04: Condições de Elegibilidade
a) Empregados com vínculo empregatício durante o ano de 2013, respeitada a
proporcionalidade dos dias efetivamente trabalhados – 1/365.
b) Empregados liberados como Dirigentes Sindicais para as entidades representativas da
categoria, com e sem ônus.
c) Empregados demitidos sem justa causa, respeitada a proporcionalidade dos dias
efetivamente trabalhados, mediante requerimento do interessado, no prazo de até 1 (um)
ano após o pagamento da PLR.
d) Empregados desligados no período de experiência, respeitada a proporcionalidade dos
dias efetivamente trabalhados, mediante requerimento do interessado, no prazo de até 1
(um) ano após o pagamento da PLR.
e) Empregadas em Licença Maternidade/Adoção ou empregados em licença adoção.
f) Empregados em Licença Médica com afastamento por até 180 dias no ano de 2013, serão
considerados como de efetivo exercício para recebimento da PLR 2013. Após 180 dias
obedecer-se-á à proporcionalidade dos dias efetivamente trabalhados.
g) Assessores especiais com contrato com a ECT, respeitada a proporcionalidade dos dias
efetivamente trabalhados na empresa, durante o período de apuração.
h) Empregados da ECT cedidos a outros órgãos, com ou sem ônus, desde que não recebam
PLR na instituição de destino, respeitada a proporcionalidade dos dias efetivamente
trabalhados, durante o período de apuração.
i) Empregados de outros órgãos cedidos à ECT, desde que não recebam PLR na instituição
de origem e respeitada a proporcionalidade dos dias efetivamente trabalhados na ECT,
durante o período de apuração. Para efeitos de cálculo de remuneração média, conforme
Anexo 1, considerar-se-á somente as rubricas efetivamente pagas pela ECT.
Programa de Participação nos Lucros ou Resultados da ECT – PLR 2013
3/7
j) Em caso de falecimento, o pagamento da PLR 2013 será proporcional aos dias
trabalhados, mediante requerimento dos herdeiros legais no prazo de até 1 (um) ano após
o pagamento da PLR.
k) Todos os empregados em situações de afastamentos com Efetivo Exercício listados no
Manual de Pessoal – MANPES – Módulo 15 – Capítulo 4, com a vigência de 19/02/1999,
serão considerados Elegíveis ao pagamento da PLR, conforme Anexo 3.
CLÁUSULA 05: Outras disposições de operacionalização
a) Lei de Greve - Para fins de recebimento da PLR, as ausências ocorridas em função de
greve não terão impacto, desde que cumprido o estabelecido na Lei de Greve (Lei 7.783,
de 28 de junho de 1989).
b) Ao empregado que retornar ao quadro de pessoal da ECT, seja por decisão judicial e/ou
decisões de comissões de anistia, serão aplicadas, no que couber, as mesmas regras
cabíveis aos empregados elegíveis ao presente programa de PLR.
CLÁUSULA 06: Pagamento da PLR
O valor correspondente à PLR 2013 será pago em parcela única após a aprovação das contas
relativas a 2013 pela Assembléia Geral.
CLÁUSULA 07: Vigência do Programa de PLR 2013
O Programa tem validade de 12 meses, sendo seu período de apuração e abrangência de 1° de
janeiro 2013 a 31 de dezembro de 2013.
*****
Programa de Participação nos Lucros ou Resultados da ECT – PLR 2013
4/7
Anexo 1:
Parâmetro para Definição de Valor da Vertente Distribuição Geral
Faixas e Fórmulas para Distribuição da PLR – Distribuição Geral
Faixa
(n)
Remuneração
Média Anual ( RM )
EFi
PLR INICIAL
(PIn)
PLR FINAL
(PFn)
1 2.000RM0 <≤ EF1
∑=
= 7
1
1
_
n
nEF
PLRTOTAL
PI
FRPIPF .11 =
2 4.000RM000.2 <≤ EF2 1,1.12 PIPI = FRPIP .22 =
3 .0006RM000.4 <≤ EF3 2,1.23 PIPI = FRPIPF .33 =
4 8.000RM000.6 <≤ EF4 3,1.34 PIPI = FRPIPF .44 =
5 10.000RM000.8 <≤ EF5 4,1.45 PIPI = FRPIPF .55 =
6 000.10RM ≥ EF6 5,1.56 PIPI = FRPIPF .66 =
7 Funções de Nível 1 EF7 17 .5 PIPI = FRPIPF .77 =
Total ∑=
7
1n
nEF ∑=
7
1n
nPI ∑=
7
1n
nPF
∑=
= 7
1
.
_
n
nn EFPI
PLRTOTAL
FR
Onde:
a) n – Faixa de 1 a 7 variando de acordo com a remuneração média dos últimos 12 meses.
b) RM - Remuneração média (considerados os valores de salário base, função, complemento
de salário base e complemento de piso salarial) dos últimos 12 meses.
c) EFn – Efetivo na faixa de remuneração (considerando os empregados elegíveis ao
programa da vertente distribuição geral da PLR/2013).
d) TOTAL_PLR – Valor total da vertente distribuição geral da PLR/2013.
e) PIn – PLR Inicial.
f) PFn – PLR Final.
g) FR – Fator de Redistribuição.
h) As funções de nível 1 são especificadas no MANPES Mód. 34 Cáp.1 Anexo 3.
*****
Programa de Participação nos Lucros ou Resultados da ECT – PLR 2013
5/7
Anexo 2:
Metas e resultados dos índices IDO e DGV por Diretoria Regional
IDO DGV
DR
Meta % Resultado % % Ating. Meta Meta % Resultado % % Ating. Meta
AC (*) 94,57 94,04 99,44 100,00 90,19 90,19
ACR 95,91 86,11 89,78 100,00 91,64 91,64
AL 94,66 89,36 94,40 100,00 76,11 76,11
AM 96,2 93,75 97,45 100,00 89,06 89,06
AP 96,29 93,84 97,46 100,00 91,70 91,70
BA 96,48 89,23 92,49 100,00 86,64 86,64
BSB 95,87 93,85 97,89 100,00 97,10 97,10
CE 96,32 91,81 95,32 100,00 83,53 83,53
ES 95,14 93,78 98,57 100,00 102,61 102,61
GO 95,81 90,58 94,54 100,00 97,62 97,62
MA 96,91 90,86 93,76 100,00 89,42 89,42
MG 96,5 96,76 100,27 100,00 90,83 90,83
MS 96,34 94,2 97,78 100,00 92,19 92,19
MT 95,34 91,64 96,12 100,00 93,86 93,86
PA 96,92 87,83 90,62 100,00 88,95 88,95
PB 96,19 92,73 96,40 100,00 90,43 90,43
PE 96,4 90,5 93,88 100,00 89,77 89,77
PI 96,31 93,55 97,13 100,00 87,50 87,50
PR 96,44 95,23 98,75 100,00 90,09 90,09
RJ 95,24 92,11 96,71 100,00 89,37 89,37
RN 94,58 89,62 94,76 100,00 84,94 84,94
RO 93,25 91,06 97,65 100,00 77,23 77,23
RR 96,37 89,98 93,37 100,00 95,23 95,23
RS 96,57 94,56 97,92 100,00 93,81 93,81
SC 96,16 94,96 98,75 100,00 93,60 93,60
SE 96,66 94,45 97,71 100,00 86,36 86,36
SPI 96,67 95,37 98,66 100,00 91,52 91,52
SPM 94,28 95,49 101,28 100,00 87,59 87,59
TO 95,87 86,66 90,39 100,00 97,97 97,97
Fonte: Sistema de Monitoramento de Desempenho – SMD
(*) As metas e resultados dos índices IDO e DGV para a Administração Central, serão os mesmos
da ECT.
*****
Programa de Participação nos Lucros ou Resultados da ECT – PLR 2013
6/7
Anexo 3:
Licenças e Afastamentos constantes do Manual de Pessoal – MANPES – Módulo 15 – Capítulo 4
– Vigência 19/02/1999
CAPÍTULO 4: AFASTAMENTO EFETIVO EXERCÍCIO
1. EFETIVO EXERCÍCIO
1.1. São considerados, como efetivo exercício, as ausências ao trabalho:
a) por motivo de férias;
b) por 2 (dois) dias úteis, por motivo de falecimento de cônjuge, ascendentes, descendentes,
irmão ou pessoa que viva, comprovadamente, sob a dependência econômica do
empregado;
c) por 3 (três) dias úteis, em virtude de casamento;
d) por (cinco) dias úteis, em caso de licença-paternidade, contados após o nascimento do
filho;
e) por 1 (um) dia, em cada 12 (doze) meses de trabalho, em caso de doação voluntária de
sangue, devidamente comprovada;
f) até 2 (dois) dias úteis, consecutivos ou não, para fins de alistamento eleitoral ou
transferência de título;
g) por 1 (um) dia, para o Reservista colher o "visto" no Certificado, devidamente
comprovado;
h) por motivo de doença nos primeiros 15 (quinze) dias de licença; (Não se aplica, vide
Alínea “f” da Cláusula 04)
i) por motivo de treinamento, ainda que fora do âmbito da Empresa, quando o afastamento
se der por iniciativa da ECT;
j) por motivo de trânsito;
l) por motivo de licença-gestante;
m) por motivo de acidente do trabalho;
n) por motivo de participação em curso de Administração Postal da ESAP;
o) por motivo de participação em atividades de natureza esportiva, social, cultural e
recreativa, promovidas pela Empresa;
p) REVOGADO
1.2. Será também considerado como tempo de serviço efetivo à Empresa, todo o período em que
o empregado esteve ou venha a estar à sua disposição, aguardando, acatando ou executando
ordens.
*****
Programa de Participação nos Lucros ou Resultados da ECT – PLR 2013
7/7
Anexo 4:
Descrição dos Indicadores que compõem o Programa de PLR 2013
Sigla Descrição do Indicador
IDO Índice de Desempenho Operacional
DGV Desempenho Geral de Vendas
PSCR Participação do Segmento Concorrencial na Receita de Vendas
*****

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução a folha de pagamento
Introdução a folha de pagamentoIntrodução a folha de pagamento
Introdução a folha de pagamento
Socorro Vasconcelos
 
2019 03 posposta_carreira_oficiais_justica
2019 03 posposta_carreira_oficiais_justica2019 03 posposta_carreira_oficiais_justica
2019 03 posposta_carreira_oficiais_justica
Do outro lado da barricada
 
PLR
PLRPLR
Boletim de fiscalidade 12015 - IRT
Boletim de fiscalidade 12015 - IRT Boletim de fiscalidade 12015 - IRT
Boletim de fiscalidade 12015 - IRT
José Bucassa
 
Projeto final folha de pagamento
Projeto final folha de pagamentoProjeto final folha de pagamento
Projeto final folha de pagamento
Élida Tavares
 
Curso de atualização trabalhista.
Curso de atualização trabalhista.Curso de atualização trabalhista.
Curso de atualização trabalhista.
B&R Consultoria Empresarial
 
Rh folha de pagamento
Rh folha de pagamentoRh folha de pagamento
Rh folha de pagamento
simuladocontabil
 
019330000101011
019330000101011019330000101011
019330000101011
RenanDantasdosSantos
 
Práticas de Recursos Humanos - Aulas 9 e 10
Práticas de Recursos Humanos - Aulas 9 e 10Práticas de Recursos Humanos - Aulas 9 e 10
Práticas de Recursos Humanos - Aulas 9 e 10
Wandick Rocha de Aquino
 
Aula 6 folha de pagamento e acessrios.pptx .:. www.tc58n.wordpress.com
Aula 6   folha de pagamento e acessrios.pptx .:. www.tc58n.wordpress.comAula 6   folha de pagamento e acessrios.pptx .:. www.tc58n.wordpress.com
Aula 6 folha de pagamento e acessrios.pptx .:. www.tc58n.wordpress.com
Claudio Parra
 
Accurate newsletter Outubro 2014
Accurate newsletter Outubro 2014Accurate newsletter Outubro 2014
Accurate newsletter Outubro 2014
Accurate
 
DP - Salários, Benefícios, Descontos
DP - Salários, Benefícios, DescontosDP - Salários, Benefícios, Descontos
DP - Salários, Benefícios, Descontos
Lucas Gheller
 
Previdência estadual: o Fundoprev como solução? - Thiago Andreis
Previdência estadual: o Fundoprev como solução? - Thiago AndreisPrevidência estadual: o Fundoprev como solução? - Thiago Andreis
Previdência estadual: o Fundoprev como solução? - Thiago Andreis
Fundação de Economia e Estatística
 
ANIP - Incentivos para o Investimento Privado na Indústria dos Materiais de C...
ANIP - Incentivos para o Investimento Privado na Indústria dos Materiais de C...ANIP - Incentivos para o Investimento Privado na Indústria dos Materiais de C...
ANIP - Incentivos para o Investimento Privado na Indústria dos Materiais de C...
Ministério de Obras Públicas
 
23º Encontro Regional | Portaria MPS 403
23º Encontro Regional | Portaria MPS 40323º Encontro Regional | Portaria MPS 403
23º Encontro Regional | Portaria MPS 403
APEPREM
 
Exercicios resolvidos calculo ir
Exercicios resolvidos calculo irExercicios resolvidos calculo ir
Exercicios resolvidos calculo ir
simuladocontabil
 
Departamento pessoal na prática noçoes ppt
Departamento pessoal na prática noçoes pptDepartamento pessoal na prática noçoes ppt
Departamento pessoal na prática noçoes ppt
Priscila Pincela
 
Lei dos incentivos fiscais em angola
Lei dos incentivos fiscais em angolaLei dos incentivos fiscais em angola
Lei dos incentivos fiscais em angola
João Manuel Juvandes
 
Alterações das Características das Ações PNC’s da CPFL Paulista
Alterações das Características das Ações PNC’s da CPFL PaulistaAlterações das Características das Ações PNC’s da CPFL Paulista
Alterações das Características das Ações PNC’s da CPFL Paulista
CPFL RI
 

Mais procurados (19)

Introdução a folha de pagamento
Introdução a folha de pagamentoIntrodução a folha de pagamento
Introdução a folha de pagamento
 
2019 03 posposta_carreira_oficiais_justica
2019 03 posposta_carreira_oficiais_justica2019 03 posposta_carreira_oficiais_justica
2019 03 posposta_carreira_oficiais_justica
 
PLR
PLRPLR
PLR
 
Boletim de fiscalidade 12015 - IRT
Boletim de fiscalidade 12015 - IRT Boletim de fiscalidade 12015 - IRT
Boletim de fiscalidade 12015 - IRT
 
Projeto final folha de pagamento
Projeto final folha de pagamentoProjeto final folha de pagamento
Projeto final folha de pagamento
 
Curso de atualização trabalhista.
Curso de atualização trabalhista.Curso de atualização trabalhista.
Curso de atualização trabalhista.
 
Rh folha de pagamento
Rh folha de pagamentoRh folha de pagamento
Rh folha de pagamento
 
019330000101011
019330000101011019330000101011
019330000101011
 
Práticas de Recursos Humanos - Aulas 9 e 10
Práticas de Recursos Humanos - Aulas 9 e 10Práticas de Recursos Humanos - Aulas 9 e 10
Práticas de Recursos Humanos - Aulas 9 e 10
 
Aula 6 folha de pagamento e acessrios.pptx .:. www.tc58n.wordpress.com
Aula 6   folha de pagamento e acessrios.pptx .:. www.tc58n.wordpress.comAula 6   folha de pagamento e acessrios.pptx .:. www.tc58n.wordpress.com
Aula 6 folha de pagamento e acessrios.pptx .:. www.tc58n.wordpress.com
 
Accurate newsletter Outubro 2014
Accurate newsletter Outubro 2014Accurate newsletter Outubro 2014
Accurate newsletter Outubro 2014
 
DP - Salários, Benefícios, Descontos
DP - Salários, Benefícios, DescontosDP - Salários, Benefícios, Descontos
DP - Salários, Benefícios, Descontos
 
Previdência estadual: o Fundoprev como solução? - Thiago Andreis
Previdência estadual: o Fundoprev como solução? - Thiago AndreisPrevidência estadual: o Fundoprev como solução? - Thiago Andreis
Previdência estadual: o Fundoprev como solução? - Thiago Andreis
 
ANIP - Incentivos para o Investimento Privado na Indústria dos Materiais de C...
ANIP - Incentivos para o Investimento Privado na Indústria dos Materiais de C...ANIP - Incentivos para o Investimento Privado na Indústria dos Materiais de C...
ANIP - Incentivos para o Investimento Privado na Indústria dos Materiais de C...
 
23º Encontro Regional | Portaria MPS 403
23º Encontro Regional | Portaria MPS 40323º Encontro Regional | Portaria MPS 403
23º Encontro Regional | Portaria MPS 403
 
Exercicios resolvidos calculo ir
Exercicios resolvidos calculo irExercicios resolvidos calculo ir
Exercicios resolvidos calculo ir
 
Departamento pessoal na prática noçoes ppt
Departamento pessoal na prática noçoes pptDepartamento pessoal na prática noçoes ppt
Departamento pessoal na prática noçoes ppt
 
Lei dos incentivos fiscais em angola
Lei dos incentivos fiscais em angolaLei dos incentivos fiscais em angola
Lei dos incentivos fiscais em angola
 
Alterações das Características das Ações PNC’s da CPFL Paulista
Alterações das Características das Ações PNC’s da CPFL PaulistaAlterações das Características das Ações PNC’s da CPFL Paulista
Alterações das Características das Ações PNC’s da CPFL Paulista
 

Semelhante a Programa de PLR 2013

Acordo de-participação-nos-lucros-ou-resultados-da-ect-2013-2014-2015
Acordo de-participação-nos-lucros-ou-resultados-da-ect-2013-2014-2015Acordo de-participação-nos-lucros-ou-resultados-da-ect-2013-2014-2015
Acordo de-participação-nos-lucros-ou-resultados-da-ect-2013-2014-2015
Esion Geber Do Sintect Sintect
 
13949
1394913949
13949
Vetor Mil
 
018376000101011 (15).pdf
018376000101011 (15).pdf018376000101011 (15).pdf
018376000101011 (15).pdf
Renandantas16
 
Teste de adequação de passivos susep
Teste de adequação de passivos   susepTeste de adequação de passivos   susep
Teste de adequação de passivos susep
Universidade Federal Fluminense
 
Apresentação déficit e cisão do ppsp
Apresentação déficit e cisão do ppspApresentação déficit e cisão do ppsp
Apresentação déficit e cisão do ppsp
Sindipetroce
 
Painel 2: O mercado em 2016 - CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2...
Painel 2: O mercado em 2016 - CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2...Painel 2: O mercado em 2016 - CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2...
Painel 2: O mercado em 2016 - CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2...
Câmara de Comercialização de Energia Elétrica
 
Apresentação pdv-2013-2014
Apresentação pdv-2013-2014Apresentação pdv-2013-2014
Apresentação pdv-2013-2014
José Francisco Moreira Neto
 
Alupar.pdf
Alupar.pdfAlupar.pdf
Alupar.pdf
Renandantas16
 
01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf
01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf
01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf
Renandantas16
 
Encargos previdenciarios
Encargos previdenciariosEncargos previdenciarios
Encargos previdenciarios
MarcosEli RochaAraujo
 
Circular SUSEP 338 - altera e consolida regras e critérios complementares de ...
Circular SUSEP 338 - altera e consolida regras e critérios complementares de ...Circular SUSEP 338 - altera e consolida regras e critérios complementares de ...
Circular SUSEP 338 - altera e consolida regras e critérios complementares de ...
Universidade Federal Fluminense
 
C.c.t hoteis bares restaurantes 2013,2014
C.c.t hoteis bares restaurantes 2013,2014C.c.t hoteis bares restaurantes 2013,2014
C.c.t hoteis bares restaurantes 2013,2014
maurommoraes
 
Convenção Coletiva de Trabalho
Convenção Coletiva de TrabalhoConvenção Coletiva de Trabalho
018376000101011 (5).pdf
018376000101011 (5).pdf018376000101011 (5).pdf
018376000101011 (5).pdf
Renandantas16
 
Contribuição conapra 017 cnap
Contribuição conapra 017   cnapContribuição conapra 017   cnap
Contribuição conapra 017 cnap
Federação Nacional de Práticos
 
018376000101011 (2).pdf
018376000101011 (2).pdf018376000101011 (2).pdf
018376000101011 (2).pdf
Renandantas16
 
Plano-de-Inspecao-e-Fiscalizacao-2020.pdf
Plano-de-Inspecao-e-Fiscalizacao-2020.pdfPlano-de-Inspecao-e-Fiscalizacao-2020.pdf
Plano-de-Inspecao-e-Fiscalizacao-2020.pdf
ssuser1ebe8c
 
TD - 2009 - Avaliação da Metodologia para Determinação do Fator X do Setor de...
TD - 2009 - Avaliação da Metodologia para Determinação do Fator X do Setor de...TD - 2009 - Avaliação da Metodologia para Determinação do Fator X do Setor de...
TD - 2009 - Avaliação da Metodologia para Determinação do Fator X do Setor de...
Delta Economics & Finance
 
Morgan Stanley | Brazilian Utilities Corporate Access Day 2015
Morgan Stanley | Brazilian Utilities Corporate Access Day 2015Morgan Stanley | Brazilian Utilities Corporate Access Day 2015
Morgan Stanley | Brazilian Utilities Corporate Access Day 2015
CPFL RI
 
Apresentação 4T14 e 2014 - CCR
Apresentação 4T14 e 2014 - CCRApresentação 4T14 e 2014 - CCR
Apresentação 4T14 e 2014 - CCR
CCR Relações com Investidores
 

Semelhante a Programa de PLR 2013 (20)

Acordo de-participação-nos-lucros-ou-resultados-da-ect-2013-2014-2015
Acordo de-participação-nos-lucros-ou-resultados-da-ect-2013-2014-2015Acordo de-participação-nos-lucros-ou-resultados-da-ect-2013-2014-2015
Acordo de-participação-nos-lucros-ou-resultados-da-ect-2013-2014-2015
 
13949
1394913949
13949
 
018376000101011 (15).pdf
018376000101011 (15).pdf018376000101011 (15).pdf
018376000101011 (15).pdf
 
Teste de adequação de passivos susep
Teste de adequação de passivos   susepTeste de adequação de passivos   susep
Teste de adequação de passivos susep
 
Apresentação déficit e cisão do ppsp
Apresentação déficit e cisão do ppspApresentação déficit e cisão do ppsp
Apresentação déficit e cisão do ppsp
 
Painel 2: O mercado em 2016 - CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2...
Painel 2: O mercado em 2016 - CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2...Painel 2: O mercado em 2016 - CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2...
Painel 2: O mercado em 2016 - CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2...
 
Apresentação pdv-2013-2014
Apresentação pdv-2013-2014Apresentação pdv-2013-2014
Apresentação pdv-2013-2014
 
Alupar.pdf
Alupar.pdfAlupar.pdf
Alupar.pdf
 
01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf
01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf
01837600010fffffffffffffffffffffffffffff1011 (24).pdf
 
Encargos previdenciarios
Encargos previdenciariosEncargos previdenciarios
Encargos previdenciarios
 
Circular SUSEP 338 - altera e consolida regras e critérios complementares de ...
Circular SUSEP 338 - altera e consolida regras e critérios complementares de ...Circular SUSEP 338 - altera e consolida regras e critérios complementares de ...
Circular SUSEP 338 - altera e consolida regras e critérios complementares de ...
 
C.c.t hoteis bares restaurantes 2013,2014
C.c.t hoteis bares restaurantes 2013,2014C.c.t hoteis bares restaurantes 2013,2014
C.c.t hoteis bares restaurantes 2013,2014
 
Convenção Coletiva de Trabalho
Convenção Coletiva de TrabalhoConvenção Coletiva de Trabalho
Convenção Coletiva de Trabalho
 
018376000101011 (5).pdf
018376000101011 (5).pdf018376000101011 (5).pdf
018376000101011 (5).pdf
 
Contribuição conapra 017 cnap
Contribuição conapra 017   cnapContribuição conapra 017   cnap
Contribuição conapra 017 cnap
 
018376000101011 (2).pdf
018376000101011 (2).pdf018376000101011 (2).pdf
018376000101011 (2).pdf
 
Plano-de-Inspecao-e-Fiscalizacao-2020.pdf
Plano-de-Inspecao-e-Fiscalizacao-2020.pdfPlano-de-Inspecao-e-Fiscalizacao-2020.pdf
Plano-de-Inspecao-e-Fiscalizacao-2020.pdf
 
TD - 2009 - Avaliação da Metodologia para Determinação do Fator X do Setor de...
TD - 2009 - Avaliação da Metodologia para Determinação do Fator X do Setor de...TD - 2009 - Avaliação da Metodologia para Determinação do Fator X do Setor de...
TD - 2009 - Avaliação da Metodologia para Determinação do Fator X do Setor de...
 
Morgan Stanley | Brazilian Utilities Corporate Access Day 2015
Morgan Stanley | Brazilian Utilities Corporate Access Day 2015Morgan Stanley | Brazilian Utilities Corporate Access Day 2015
Morgan Stanley | Brazilian Utilities Corporate Access Day 2015
 
Apresentação 4T14 e 2014 - CCR
Apresentação 4T14 e 2014 - CCRApresentação 4T14 e 2014 - CCR
Apresentação 4T14 e 2014 - CCR
 

Mais de Jose Carlos

Por dentro da reforma trabalhista diap
Por dentro da reforma trabalhista   diapPor dentro da reforma trabalhista   diap
Por dentro da reforma trabalhista diap
Jose Carlos
 
Proposta de custeio correios saúde 05-01-17- revisada
Proposta de custeio correios saúde  05-01-17- revisadaProposta de custeio correios saúde  05-01-17- revisada
Proposta de custeio correios saúde 05-01-17- revisada
Jose Carlos
 
Nomes representantes-findect-mesa-paritaria
Nomes representantes-findect-mesa-paritariaNomes representantes-findect-mesa-paritaria
Nomes representantes-findect-mesa-paritaria
Jose Carlos
 
Nomes representantes-fentect-mesa-paritaria
Nomes representantes-fentect-mesa-paritariaNomes representantes-fentect-mesa-paritaria
Nomes representantes-fentect-mesa-paritaria
Jose Carlos
 
Relator muda entendimento e sdc da 15ª determina que associados e não associa...
Relator muda entendimento e sdc da 15ª determina que associados e não associa...Relator muda entendimento e sdc da 15ª determina que associados e não associa...
Relator muda entendimento e sdc da 15ª determina que associados e não associa...
Jose Carlos
 
Tabela referencias salariais
Tabela referencias salariaisTabela referencias salariais
Tabela referencias salariais
Jose Carlos
 
Act 2016-2017-assinado
Act 2016-2017-assinadoAct 2016-2017-assinado
Act 2016-2017-assinado
Jose Carlos
 
Ata registro contra a privatizacão
Ata registro contra a privatizacãoAta registro contra a privatizacão
Ata registro contra a privatizacão
Jose Carlos
 
Fentect - Informe 008 da Campanha Salarial
Fentect - Informe 008 da Campanha SalarialFentect - Informe 008 da Campanha Salarial
Fentect - Informe 008 da Campanha Salarial
Jose Carlos
 
Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 - 13-09-2016
Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 - 13-09-2016Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 - 13-09-2016
Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 - 13-09-2016
Jose Carlos
 
Plantão da negociação permanente 12 9 2016
Plantão da negociação permanente   12 9 2016Plantão da negociação permanente   12 9 2016
Plantão da negociação permanente 12 9 2016
Jose Carlos
 
Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 12-09-2016
Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 12-09-2016Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 12-09-2016
Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 12-09-2016
Jose Carlos
 
Quadro das assembleias_de_avaliação_da_campanha_1
Quadro das assembleias_de_avaliação_da_campanha_1Quadro das assembleias_de_avaliação_da_campanha_1
Quadro das assembleias_de_avaliação_da_campanha_1
Jose Carlos
 
Clausulas econômicas - Correios
Clausulas econômicas - CorreiosClausulas econômicas - Correios
Clausulas econômicas - Correios
Jose Carlos
 
Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16
Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16
Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16
Jose Carlos
 
Mecanizacao triagem
Mecanizacao triagem Mecanizacao triagem
Mecanizacao triagem
Jose Carlos
 
07 ata reunião act 2016 2017 - 30-08-2016f inal
07 ata reunião act 2016 2017 - 30-08-2016f inal07 ata reunião act 2016 2017 - 30-08-2016f inal
07 ata reunião act 2016 2017 - 30-08-2016f inal
Jose Carlos
 
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - Questoes Economicas
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios -  Questoes EconomicasAct 2016-2017 - Proposta dos Correios -  Questoes Economicas
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - Questoes Economicas
Jose Carlos
 
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - Condições de Trabalho
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - Condições de TrabalhoAct 2016-2017 - Proposta dos Correios - Condições de Trabalho
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - Condições de Trabalho
Jose Carlos
 
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - Beneficios
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - BeneficiosAct 2016-2017 - Proposta dos Correios - Beneficios
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - Beneficios
Jose Carlos
 

Mais de Jose Carlos (20)

Por dentro da reforma trabalhista diap
Por dentro da reforma trabalhista   diapPor dentro da reforma trabalhista   diap
Por dentro da reforma trabalhista diap
 
Proposta de custeio correios saúde 05-01-17- revisada
Proposta de custeio correios saúde  05-01-17- revisadaProposta de custeio correios saúde  05-01-17- revisada
Proposta de custeio correios saúde 05-01-17- revisada
 
Nomes representantes-findect-mesa-paritaria
Nomes representantes-findect-mesa-paritariaNomes representantes-findect-mesa-paritaria
Nomes representantes-findect-mesa-paritaria
 
Nomes representantes-fentect-mesa-paritaria
Nomes representantes-fentect-mesa-paritariaNomes representantes-fentect-mesa-paritaria
Nomes representantes-fentect-mesa-paritaria
 
Relator muda entendimento e sdc da 15ª determina que associados e não associa...
Relator muda entendimento e sdc da 15ª determina que associados e não associa...Relator muda entendimento e sdc da 15ª determina que associados e não associa...
Relator muda entendimento e sdc da 15ª determina que associados e não associa...
 
Tabela referencias salariais
Tabela referencias salariaisTabela referencias salariais
Tabela referencias salariais
 
Act 2016-2017-assinado
Act 2016-2017-assinadoAct 2016-2017-assinado
Act 2016-2017-assinado
 
Ata registro contra a privatizacão
Ata registro contra a privatizacãoAta registro contra a privatizacão
Ata registro contra a privatizacão
 
Fentect - Informe 008 da Campanha Salarial
Fentect - Informe 008 da Campanha SalarialFentect - Informe 008 da Campanha Salarial
Fentect - Informe 008 da Campanha Salarial
 
Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 - 13-09-2016
Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 - 13-09-2016Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 - 13-09-2016
Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 - 13-09-2016
 
Plantão da negociação permanente 12 9 2016
Plantão da negociação permanente   12 9 2016Plantão da negociação permanente   12 9 2016
Plantão da negociação permanente 12 9 2016
 
Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 12-09-2016
Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 12-09-2016Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 12-09-2016
Proposta de acordo coletivo de trabalho 2016 2017 12-09-2016
 
Quadro das assembleias_de_avaliação_da_campanha_1
Quadro das assembleias_de_avaliação_da_campanha_1Quadro das assembleias_de_avaliação_da_campanha_1
Quadro das assembleias_de_avaliação_da_campanha_1
 
Clausulas econômicas - Correios
Clausulas econômicas - CorreiosClausulas econômicas - Correios
Clausulas econômicas - Correios
 
Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16
Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16
Apresent vigep-clausulas-economicas-01-09-16
 
Mecanizacao triagem
Mecanizacao triagem Mecanizacao triagem
Mecanizacao triagem
 
07 ata reunião act 2016 2017 - 30-08-2016f inal
07 ata reunião act 2016 2017 - 30-08-2016f inal07 ata reunião act 2016 2017 - 30-08-2016f inal
07 ata reunião act 2016 2017 - 30-08-2016f inal
 
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - Questoes Economicas
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios -  Questoes EconomicasAct 2016-2017 - Proposta dos Correios -  Questoes Economicas
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - Questoes Economicas
 
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - Condições de Trabalho
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - Condições de TrabalhoAct 2016-2017 - Proposta dos Correios - Condições de Trabalho
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - Condições de Trabalho
 
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - Beneficios
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - BeneficiosAct 2016-2017 - Proposta dos Correios - Beneficios
Act 2016-2017 - Proposta dos Correios - Beneficios
 

Programa de PLR 2013

  • 1. Programa de Participação nos Lucros ou Resultados da ECT – PLR 2013 1/7 CLÁUSULA 1: Objetivo da PLR O Programa de Participação nos Lucros ou Resultados – PLR foi instituído para fortalecer o comprometimento dos empregados com os resultados, incentivar uma postura empreendedora e criativa e despertar a cultura da lucratividade, com qualidade, produtividade e eliminação dos desperdícios. Parágrafo Primeiro: O pagamento da PLR previsto neste instrumento está condicionado à obtenção de lucro pela ECT, durante o exercício de 2013, não sendo considerado, para este efeito, resultados passados ou projeções de receitas não recebidas. Parágrafo Segundo: Os valores pagos a título de PLR não substituem, não complementam, não se incorporam aos salários dos empregados e não constituem base de incidência de nenhum encargo trabalhista ou previdenciário por serem desvinculados da remuneração, não se aplicando o princípio da habitualidade, porém tributáveis para efeito de imposto de renda, conforme legislação em vigor. CLÁUSULA 02: Reserva Técnica a) Será constituída Reserva Técnica que terá como finalidade o pagamento de diferenças decorrentes de ajustes de situação cadastral do empregado. b) O valor da Reserva Técnica corresponderá a 1% (um por cento) do montante a ser distribuído a título de PLR. c) A Reserva Técnica ficará à disposição para eventuais pagamentos por um período de 1 (um) ano contado a partir da data do pagamento da PLR. d) O saldo remanescente retornará ao lucro operacional da ECT. CLÁUSULA 03: Forma de Distribuição A distribuição da PLR será de acordo com o montante destinado para este fim, sendo rateado em uma vertente, a saber: Distribuição Geral. b) Distribuição Geral Do montante a ser distribuído a título de PLR, após a separação da Reserva Técnica, será constituída parcela com o valor total remanescente, intitulada como Parcela Corporativa, que será distribuída a todos os empregados que atendam aos critérios desta vertente, respeitada a diferença, diferença – entre o menor e o maior valor pago, não superior a 5 (cinco) vezes, na proporção de 1/365 dias de efetivo exercício, conforme Anexo 1. b.1) Parcela Corporativa: Destinada a todos os empregados que atendam aos critérios, sendo que o valor a ser distribuído será o somatório dos percentuais de cada indicador (meta a meta), conforme quadro abaixo: Quadro 2: Indicadores Avaliados Item Descrição do Indicador Abrangência da meta Meta Resultado Peso A IDO Regional Por regional (*) (*) 33,33% B DGV Regional Por regional (*) (*) 33,33% C PSCR Nacional 49,14% 47,32% 33,34% (*) A meta e o resultado por Diretoria Regional estão dispostos no Anexo 2.
  • 2. Programa de Participação nos Lucros ou Resultados da ECT – PLR 2013 2/7 c) A apuração para cada indicador corporativo seguirá a sistemática do quadro a seguir, em conformidade com os percentuais de alcance das respectivas metas: Quadro 3: Regra de Distribuição Geral Atingimento por Metas Pagamento de PLR X > 100% Integral 99% < X < 100% 99 % 98% < X < 99% 98% 97% < X < 98% 97% 96% < X < 97% 96% 95% < X < 96% 95% 90% < X < 95% 75% 80% < X < 90% 50% X < 80% Sem Pagamento d) Após a distribuição da Parcela Corporativa, eventuais resíduos retornarão ao Lucro Operacional da ECT. CLÁUSULA 04: Condições de Elegibilidade a) Empregados com vínculo empregatício durante o ano de 2013, respeitada a proporcionalidade dos dias efetivamente trabalhados – 1/365. b) Empregados liberados como Dirigentes Sindicais para as entidades representativas da categoria, com e sem ônus. c) Empregados demitidos sem justa causa, respeitada a proporcionalidade dos dias efetivamente trabalhados, mediante requerimento do interessado, no prazo de até 1 (um) ano após o pagamento da PLR. d) Empregados desligados no período de experiência, respeitada a proporcionalidade dos dias efetivamente trabalhados, mediante requerimento do interessado, no prazo de até 1 (um) ano após o pagamento da PLR. e) Empregadas em Licença Maternidade/Adoção ou empregados em licença adoção. f) Empregados em Licença Médica com afastamento por até 180 dias no ano de 2013, serão considerados como de efetivo exercício para recebimento da PLR 2013. Após 180 dias obedecer-se-á à proporcionalidade dos dias efetivamente trabalhados. g) Assessores especiais com contrato com a ECT, respeitada a proporcionalidade dos dias efetivamente trabalhados na empresa, durante o período de apuração. h) Empregados da ECT cedidos a outros órgãos, com ou sem ônus, desde que não recebam PLR na instituição de destino, respeitada a proporcionalidade dos dias efetivamente trabalhados, durante o período de apuração. i) Empregados de outros órgãos cedidos à ECT, desde que não recebam PLR na instituição de origem e respeitada a proporcionalidade dos dias efetivamente trabalhados na ECT, durante o período de apuração. Para efeitos de cálculo de remuneração média, conforme Anexo 1, considerar-se-á somente as rubricas efetivamente pagas pela ECT.
  • 3. Programa de Participação nos Lucros ou Resultados da ECT – PLR 2013 3/7 j) Em caso de falecimento, o pagamento da PLR 2013 será proporcional aos dias trabalhados, mediante requerimento dos herdeiros legais no prazo de até 1 (um) ano após o pagamento da PLR. k) Todos os empregados em situações de afastamentos com Efetivo Exercício listados no Manual de Pessoal – MANPES – Módulo 15 – Capítulo 4, com a vigência de 19/02/1999, serão considerados Elegíveis ao pagamento da PLR, conforme Anexo 3. CLÁUSULA 05: Outras disposições de operacionalização a) Lei de Greve - Para fins de recebimento da PLR, as ausências ocorridas em função de greve não terão impacto, desde que cumprido o estabelecido na Lei de Greve (Lei 7.783, de 28 de junho de 1989). b) Ao empregado que retornar ao quadro de pessoal da ECT, seja por decisão judicial e/ou decisões de comissões de anistia, serão aplicadas, no que couber, as mesmas regras cabíveis aos empregados elegíveis ao presente programa de PLR. CLÁUSULA 06: Pagamento da PLR O valor correspondente à PLR 2013 será pago em parcela única após a aprovação das contas relativas a 2013 pela Assembléia Geral. CLÁUSULA 07: Vigência do Programa de PLR 2013 O Programa tem validade de 12 meses, sendo seu período de apuração e abrangência de 1° de janeiro 2013 a 31 de dezembro de 2013. *****
  • 4. Programa de Participação nos Lucros ou Resultados da ECT – PLR 2013 4/7 Anexo 1: Parâmetro para Definição de Valor da Vertente Distribuição Geral Faixas e Fórmulas para Distribuição da PLR – Distribuição Geral Faixa (n) Remuneração Média Anual ( RM ) EFi PLR INICIAL (PIn) PLR FINAL (PFn) 1 2.000RM0 <≤ EF1 ∑= = 7 1 1 _ n nEF PLRTOTAL PI FRPIPF .11 = 2 4.000RM000.2 <≤ EF2 1,1.12 PIPI = FRPIP .22 = 3 .0006RM000.4 <≤ EF3 2,1.23 PIPI = FRPIPF .33 = 4 8.000RM000.6 <≤ EF4 3,1.34 PIPI = FRPIPF .44 = 5 10.000RM000.8 <≤ EF5 4,1.45 PIPI = FRPIPF .55 = 6 000.10RM ≥ EF6 5,1.56 PIPI = FRPIPF .66 = 7 Funções de Nível 1 EF7 17 .5 PIPI = FRPIPF .77 = Total ∑= 7 1n nEF ∑= 7 1n nPI ∑= 7 1n nPF ∑= = 7 1 . _ n nn EFPI PLRTOTAL FR Onde: a) n – Faixa de 1 a 7 variando de acordo com a remuneração média dos últimos 12 meses. b) RM - Remuneração média (considerados os valores de salário base, função, complemento de salário base e complemento de piso salarial) dos últimos 12 meses. c) EFn – Efetivo na faixa de remuneração (considerando os empregados elegíveis ao programa da vertente distribuição geral da PLR/2013). d) TOTAL_PLR – Valor total da vertente distribuição geral da PLR/2013. e) PIn – PLR Inicial. f) PFn – PLR Final. g) FR – Fator de Redistribuição. h) As funções de nível 1 são especificadas no MANPES Mód. 34 Cáp.1 Anexo 3. *****
  • 5. Programa de Participação nos Lucros ou Resultados da ECT – PLR 2013 5/7 Anexo 2: Metas e resultados dos índices IDO e DGV por Diretoria Regional IDO DGV DR Meta % Resultado % % Ating. Meta Meta % Resultado % % Ating. Meta AC (*) 94,57 94,04 99,44 100,00 90,19 90,19 ACR 95,91 86,11 89,78 100,00 91,64 91,64 AL 94,66 89,36 94,40 100,00 76,11 76,11 AM 96,2 93,75 97,45 100,00 89,06 89,06 AP 96,29 93,84 97,46 100,00 91,70 91,70 BA 96,48 89,23 92,49 100,00 86,64 86,64 BSB 95,87 93,85 97,89 100,00 97,10 97,10 CE 96,32 91,81 95,32 100,00 83,53 83,53 ES 95,14 93,78 98,57 100,00 102,61 102,61 GO 95,81 90,58 94,54 100,00 97,62 97,62 MA 96,91 90,86 93,76 100,00 89,42 89,42 MG 96,5 96,76 100,27 100,00 90,83 90,83 MS 96,34 94,2 97,78 100,00 92,19 92,19 MT 95,34 91,64 96,12 100,00 93,86 93,86 PA 96,92 87,83 90,62 100,00 88,95 88,95 PB 96,19 92,73 96,40 100,00 90,43 90,43 PE 96,4 90,5 93,88 100,00 89,77 89,77 PI 96,31 93,55 97,13 100,00 87,50 87,50 PR 96,44 95,23 98,75 100,00 90,09 90,09 RJ 95,24 92,11 96,71 100,00 89,37 89,37 RN 94,58 89,62 94,76 100,00 84,94 84,94 RO 93,25 91,06 97,65 100,00 77,23 77,23 RR 96,37 89,98 93,37 100,00 95,23 95,23 RS 96,57 94,56 97,92 100,00 93,81 93,81 SC 96,16 94,96 98,75 100,00 93,60 93,60 SE 96,66 94,45 97,71 100,00 86,36 86,36 SPI 96,67 95,37 98,66 100,00 91,52 91,52 SPM 94,28 95,49 101,28 100,00 87,59 87,59 TO 95,87 86,66 90,39 100,00 97,97 97,97 Fonte: Sistema de Monitoramento de Desempenho – SMD (*) As metas e resultados dos índices IDO e DGV para a Administração Central, serão os mesmos da ECT. *****
  • 6. Programa de Participação nos Lucros ou Resultados da ECT – PLR 2013 6/7 Anexo 3: Licenças e Afastamentos constantes do Manual de Pessoal – MANPES – Módulo 15 – Capítulo 4 – Vigência 19/02/1999 CAPÍTULO 4: AFASTAMENTO EFETIVO EXERCÍCIO 1. EFETIVO EXERCÍCIO 1.1. São considerados, como efetivo exercício, as ausências ao trabalho: a) por motivo de férias; b) por 2 (dois) dias úteis, por motivo de falecimento de cônjuge, ascendentes, descendentes, irmão ou pessoa que viva, comprovadamente, sob a dependência econômica do empregado; c) por 3 (três) dias úteis, em virtude de casamento; d) por (cinco) dias úteis, em caso de licença-paternidade, contados após o nascimento do filho; e) por 1 (um) dia, em cada 12 (doze) meses de trabalho, em caso de doação voluntária de sangue, devidamente comprovada; f) até 2 (dois) dias úteis, consecutivos ou não, para fins de alistamento eleitoral ou transferência de título; g) por 1 (um) dia, para o Reservista colher o "visto" no Certificado, devidamente comprovado; h) por motivo de doença nos primeiros 15 (quinze) dias de licença; (Não se aplica, vide Alínea “f” da Cláusula 04) i) por motivo de treinamento, ainda que fora do âmbito da Empresa, quando o afastamento se der por iniciativa da ECT; j) por motivo de trânsito; l) por motivo de licença-gestante; m) por motivo de acidente do trabalho; n) por motivo de participação em curso de Administração Postal da ESAP; o) por motivo de participação em atividades de natureza esportiva, social, cultural e recreativa, promovidas pela Empresa; p) REVOGADO 1.2. Será também considerado como tempo de serviço efetivo à Empresa, todo o período em que o empregado esteve ou venha a estar à sua disposição, aguardando, acatando ou executando ordens. *****
  • 7. Programa de Participação nos Lucros ou Resultados da ECT – PLR 2013 7/7 Anexo 4: Descrição dos Indicadores que compõem o Programa de PLR 2013 Sigla Descrição do Indicador IDO Índice de Desempenho Operacional DGV Desempenho Geral de Vendas PSCR Participação do Segmento Concorrencial na Receita de Vendas *****