SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Anatomia radiográfica da
maxila e da mandíbula
Maxila
Esmalte
É o mais radiopaco dos tecidos dentários e que reveste externamente toda a
coroa dental. Seu aspecto radiográfico, de contorno contínuo é um dos sinais
mais importantes para o diagnóstico precoce da cárie.
Dentina
É menos radiopaca que o esmalte. Representa a maior porção dos tecidos
duros do dente, sendo menos calcificada.
Polpa
Onde estão situados os elementos nutritivos do órgão. Corresponde a uma área
radiolúcida que se estende da porção coronária, adquirindo uma forma afilada
nas raízes, representada pelos condutos radiculares.
Cemento
É uma camada que reveste a dentina radicular. Sua radiopacidade é semelhante
à dentina, logo não pode ser diferenciado da dentina.
Câmara pulpar
É a parte da polpa que fica na coroa e é uma estrutura radiolúcida.
Canais radiculares
É a parte final da polpa, abaixo da câmara pulpar. É radiolúcida, assim como a
câmara pulpar.
Lâmina dura
É a cortical óssea que envolve a porção radicular. Aparece como uma linha
radiopaca contínua, contornando o espaço pericementário.
Crista óssea alveolar
Entre um dente e o outro, a continuidade da lâmina dura forma a crista óssea
alveolar. É uma estrutura radiopaca. Ela pode ter a forma de crista, forma de
bisel que é ligeiramente inclinada, ou a forma de mesa.
Espaço pericementário
Trata-se de um espaço entre a raiz e a lâmina dura que, por estar também
preenchido por tecidos moles, é totalmente transparente aos raios X,
mostrando-se como uma linha radiolúcida contínua entre ambos.
Osso alveolar
Apresenta-se como trabéculas ósseas radiopacas, limitadas por espaços
medulares radiolúcidos.
Seio maxilar
O seio maxilar aparece como uma área radiolúcida localizada acima dos pré-
molares e molares superiores. O assoalho do seio maxilar é composto como uma
cortical óssea densa e aparece como uma linha radiopaca.
Septo Nasal
A forma do seio maxilar pode apresentar variações anatômicas devido ao
aumento de volume, podendo prolongar-se para as partes ósseas vizinhas
(anterior, posterior e rebordo alveolar), constituindo, assim, os septos.
Na radiografia periapical o septo aparece, não freqüentemente, como uma linha
radiopaca no interior do seio maxilar. A presença e o número de septos no interior
do seio maxilar pode variar dependendo da anatomia individual.
Y Invertido de ENNIS
O Y invertido pode ser visualizado na radiografia periapical como
linhas radiopacas formadas pela intersecção da parede lateral da
fossa nasal e a borda anterior do seio maxilar. Ambas são
compostas por densa cortical óssea que se apresenta como uma
faixa ou linha radiopaca. Localiza-se acima do canino superior.
Forame Incisivo
O forame incisivo aparece entre os incisivos centrais ou
ligeiramente acima desses e na linha mediana, como
uma imagem radiolúcida de forma oval.
Hâmulo pterigóideo
Apresenta-se como uma imagem radiopaca em forma
de gancho, situada posteriormente à tuberosidade da
maxila.
Túber da Maxila
Radiograficamente apresenta-se como osso reticular
normal com radiopacidade menor, já que é mais esparso
e os espaços medulares, maiores.
Processo coronóide da mandibula
Apresenta-se como imagem radiopaca de contornos nítidos, forma
triangular, com base inferior e vértice súpero-anterior geralmente
superposto à tuberosidade da maxila em posições diversas, às vezes
chegando a prejudicar a interpretação radiográfica, principalmente
do terceiro molar.
Processo zigomático da maxila
Trata-se de uma área de forte condensação óssea, onde a maxila se
articula com o osso zigomático. Radiograficamente, apresenta-se
como uma sombra radiopaca, em forma de U ou V, geralmente
relacionado ao primeiro ou segundo molar superior.
Cavidade nasal
Acima dos ápices dos incisivos, observamos duas imagens
radiolúcidas, simétricas, separadas entre si por um traço
radiopaco. Trata-se respectivamente da imagem das fossas
nasais e do septo ósteocartilaginoso que as divide.
Sutura intermaxilar
Mostra-se como uma linha radiolúcida, entre os incisivos
centrais, cujo aspecto radiográfico jamais deverá se confundido
com traço de fratura.
Espinha nasal anterior
Aparece como uma crista radiopaca superposta ao forame
incisivo.
W sinusal
São linhas radiopacas no interior dos seios maxilares. Com aspecto de um
“W”, chamado de Wsinusal quando o interior do seio tem a presença de um
septo.
Mandíbula
Linha Oblíqua Externa
Imagem radiopaca localizada na altura do terço médio das raízes
dos molares.
Linha Milohioidea
Imagem radiopaca, nítida e precisa situada por baixo dos ápices
dos molares inferiores.
Fóvea Submandibular
Área de menor radiopacidade na região posterior da mandíbula .
Canal Mandibular
Sua imagem radiográfica apresenta-se como uma linha espessa radiolúcida
com bordos radiopacos, situada por baixo das raízes dos molares e pré-
molares, terminando no forame mentual.
Base da Mandíbula
Apresenta em radiografias periapicais como uma linha radiopaca compacta.
Forame Mentual
Apresenta como uma zona radiolúcida, que as vezes, encontra-se superposta
sobre o ápice de um dos pré-molares.
Processo ou Tubérculo Geni
Apresenta-se sobre a forma de um anel radiopaco por baixo dos ápices dos
incisivos centrais.
Forame Lingual
Apresenta-se como um ponto radiolúcido, no centro do anel radiopaco,
observado na região de incisivos.
Fosseta e Protuberância Mentual
Apresenta-se com uma imagem radiolúcida, ocupando a porção média e o
corpo da mandíbula, com a forma de uma pirâmide triangular, cuja a base
coincide com a borda inferior do osso.
Canais Nutritivos
Imagem radiolúcida, são pequenos e numerosos e são encontrados em todo
o corpo da mandíbula, porém, são mais visíveis nas regiões anteriores da
mandíbula
Acadêmicos: Cássia Villar
Cíntia Nascimento
Daniela Freitas
Jardelle Brito
Osias Graça
Paula Freitas
Rafaela Caetano
Ruben Boechat
Imaginologia e Radiologia – 2011 – 4º período
Docentes: Jairo Jogaib, Alcemar Netto e Roberta Caetano.
 
Referências Bibliográficas
- MADEIRA,Miguel Carlos-“Anatomia da Face”,editora
SARVIER, ed 7-São Paulo,2010;
- WHAITES,Eric-“Princípios de Radiologia
Odontológica”,editora ARTMED,ed 3-Porto Alegre,2003;
- WHITE.Stuart C. -”Radiologia Oral Fundamentos e
interpretação”editora MOSBY.ed 5- Rio de Janeiro,2007.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Odontologia- Anestesia local
Odontologia- Anestesia localOdontologia- Anestesia local
Odontologia- Anestesia localItalo Gabriel
 
Anestesia local em odontologia
Anestesia local em odontologiaAnestesia local em odontologia
Anestesia local em odontologiaLucas Almeida Sá
 
Isolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo OperatórioIsolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo Operatórioprofcelsoklein
 
RESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIA
RESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIARESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIA
RESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIARayssa Mendonça
 
Técnicas anestésicas e soluções anestésicas 2013
Técnicas anestésicas e soluções anestésicas 2013Técnicas anestésicas e soluções anestésicas 2013
Técnicas anestésicas e soluções anestésicas 2013Guilherme Terra
 
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringelProteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringelCamilla Bringel
 
Nomenclatura e Classificação das Cavidades
Nomenclatura e Classificação das CavidadesNomenclatura e Classificação das Cavidades
Nomenclatura e Classificação das Cavidadesprofguilhermeterra
 
Principios de oclusão
Principios de oclusãoPrincipios de oclusão
Principios de oclusãoItalo Gabriel
 
Considerações gerais sobre Prótese Total
Considerações gerais sobre Prótese TotalConsiderações gerais sobre Prótese Total
Considerações gerais sobre Prótese TotalItalo Gabriel
 
Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013
Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013
Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013Guilherme Terra
 
Cárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à DentísticaCárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à Dentísticaprofguilhermeterra
 
Planos de Orientação em Prótese Total
Planos de Orientação em Prótese TotalPlanos de Orientação em Prótese Total
Planos de Orientação em Prótese TotalLorem Morais
 
Instrumentais odontologicos
Instrumentais odontologicosInstrumentais odontologicos
Instrumentais odontologicosRômulo Augusto
 

Mais procurados (20)

Odontologia- Anestesia local
Odontologia- Anestesia localOdontologia- Anestesia local
Odontologia- Anestesia local
 
Cirurgia Odontológica - apostila
Cirurgia Odontológica - apostilaCirurgia Odontológica - apostila
Cirurgia Odontológica - apostila
 
Anestesia local em odontologia
Anestesia local em odontologiaAnestesia local em odontologia
Anestesia local em odontologia
 
Isolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo OperatórioIsolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo Operatório
 
Exodontia simples
Exodontia simplesExodontia simples
Exodontia simples
 
RESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIA
RESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIARESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIA
RESUMÃO DE CIRURGIA NA ODONTOLOGIA
 
Técnicas anestésicas e soluções anestésicas 2013
Técnicas anestésicas e soluções anestésicas 2013Técnicas anestésicas e soluções anestésicas 2013
Técnicas anestésicas e soluções anestésicas 2013
 
Dentição decídua
Dentição decíduaDentição decídua
Dentição decídua
 
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringelProteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
 
Nomenclatura e Classificação das Cavidades
Nomenclatura e Classificação das CavidadesNomenclatura e Classificação das Cavidades
Nomenclatura e Classificação das Cavidades
 
Principios de oclusão
Principios de oclusãoPrincipios de oclusão
Principios de oclusão
 
Endodontia (Revisão e resumo)
Endodontia (Revisão e resumo)Endodontia (Revisão e resumo)
Endodontia (Revisão e resumo)
 
Considerações gerais sobre Prótese Total
Considerações gerais sobre Prótese TotalConsiderações gerais sobre Prótese Total
Considerações gerais sobre Prótese Total
 
Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013
Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013
Princípios cirúrgicos e manobras fundamentais 2013
 
doença periodontal
doença periodontaldoença periodontal
doença periodontal
 
Livro: Anatomia do dente
Livro: Anatomia do dente Livro: Anatomia do dente
Livro: Anatomia do dente
 
Revisão anatômica dental
Revisão anatômica dentalRevisão anatômica dental
Revisão anatômica dental
 
Cárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à DentísticaCárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à Dentística
 
Planos de Orientação em Prótese Total
Planos de Orientação em Prótese TotalPlanos de Orientação em Prótese Total
Planos de Orientação em Prótese Total
 
Instrumentais odontologicos
Instrumentais odontologicosInstrumentais odontologicos
Instrumentais odontologicos
 

Semelhante a Maxila

4 Anatomia Radiográfica.ppt
4 Anatomia Radiográfica.ppt4 Anatomia Radiográfica.ppt
4 Anatomia Radiográfica.pptyasmingomes72
 
9 radiologia em endodontia pdf
9 radiologia em endodontia pdf9 radiologia em endodontia pdf
9 radiologia em endodontia pdfAlexRoberto13
 
Radiologia odontologica
Radiologia odontologicaRadiologia odontologica
Radiologia odontologicaRones Carvalho
 
Resumo de radiologia.pdf
Resumo de radiologia.pdfResumo de radiologia.pdf
Resumo de radiologia.pdfOdontoflixx
 
Anatomia aplicada a implantodontia
Anatomia aplicada a implantodontiaAnatomia aplicada a implantodontia
Anatomia aplicada a implantodontiaFunorte Resende
 
Anatomiaaplicadaaimplantodontia 140401094730-phpapp02
Anatomiaaplicadaaimplantodontia 140401094730-phpapp02Anatomiaaplicadaaimplantodontia 140401094730-phpapp02
Anatomiaaplicadaaimplantodontia 140401094730-phpapp02Eliziario Leitão
 
Anatomia membro superior
Anatomia membro superiorAnatomia membro superior
Anatomia membro superiorAdlem Dutra
 
Apostilaodontologicaatualcompleta (1)
Apostilaodontologicaatualcompleta (1)Apostilaodontologicaatualcompleta (1)
Apostilaodontologicaatualcompleta (1)Marcele Kizan
 
Semiologia 09 otorrinolaringologia - propedêutica orl pdf
Semiologia 09   otorrinolaringologia - propedêutica orl pdfSemiologia 09   otorrinolaringologia - propedêutica orl pdf
Semiologia 09 otorrinolaringologia - propedêutica orl pdfJucie Vasconcelos
 
Aula 03 radiologia - anatomia do esqueleto apendicular - radio e ulna
Aula 03   radiologia - anatomia do esqueleto apendicular - radio e ulnaAula 03   radiologia - anatomia do esqueleto apendicular - radio e ulna
Aula 03 radiologia - anatomia do esqueleto apendicular - radio e ulnaHamilton Nobrega
 
Tecnicas de cranio tabalho faculdade unig
Tecnicas de cranio  tabalho faculdade unigTecnicas de cranio  tabalho faculdade unig
Tecnicas de cranio tabalho faculdade unigRenata Cristina
 
Semiologia - otorrinolaringologia
Semiologia - otorrinolaringologiaSemiologia - otorrinolaringologia
Semiologia - otorrinolaringologiaThaís Braga
 
Anatomia Cirúrgica da Face
Anatomia Cirúrgica da FaceAnatomia Cirúrgica da Face
Anatomia Cirúrgica da FaceBrunno Rosique
 
2 ANATOMIA E HISTOLOGIA DO PERIODONTO.pptx
2 ANATOMIA E HISTOLOGIA DO PERIODONTO.pptx2 ANATOMIA E HISTOLOGIA DO PERIODONTO.pptx
2 ANATOMIA E HISTOLOGIA DO PERIODONTO.pptxJohn Madson Silva
 

Semelhante a Maxila (20)

4 Anatomia Radiográfica.ppt
4 Anatomia Radiográfica.ppt4 Anatomia Radiográfica.ppt
4 Anatomia Radiográfica.ppt
 
9 radiologia em endodontia pdf
9 radiologia em endodontia pdf9 radiologia em endodontia pdf
9 radiologia em endodontia pdf
 
Radiologia odontologica
Radiologia odontologicaRadiologia odontologica
Radiologia odontologica
 
Resumo de radiologia.pdf
Resumo de radiologia.pdfResumo de radiologia.pdf
Resumo de radiologia.pdf
 
Anatomia aplicada a implantodontia
Anatomia aplicada a implantodontiaAnatomia aplicada a implantodontia
Anatomia aplicada a implantodontia
 
Anatomiaaplicadaaimplantodontia 140401094730-phpapp02
Anatomiaaplicadaaimplantodontia 140401094730-phpapp02Anatomiaaplicadaaimplantodontia 140401094730-phpapp02
Anatomiaaplicadaaimplantodontia 140401094730-phpapp02
 
Anatomia membro superior
Anatomia membro superiorAnatomia membro superior
Anatomia membro superior
 
13 liv rx s.p. mast oss temp 415 a 440
13  liv rx s.p. mast oss temp 415 a 44013  liv rx s.p. mast oss temp 415 a 440
13 liv rx s.p. mast oss temp 415 a 440
 
Apostilaodontologicaatualcompleta (1)
Apostilaodontologicaatualcompleta (1)Apostilaodontologicaatualcompleta (1)
Apostilaodontologicaatualcompleta (1)
 
Semiologia 09 otorrinolaringologia - propedêutica orl pdf
Semiologia 09   otorrinolaringologia - propedêutica orl pdfSemiologia 09   otorrinolaringologia - propedêutica orl pdf
Semiologia 09 otorrinolaringologia - propedêutica orl pdf
 
Anatomia Dental.pdf
Anatomia Dental.pdfAnatomia Dental.pdf
Anatomia Dental.pdf
 
Aula 03 radiologia - anatomia do esqueleto apendicular - radio e ulna
Aula 03   radiologia - anatomia do esqueleto apendicular - radio e ulnaAula 03   radiologia - anatomia do esqueleto apendicular - radio e ulna
Aula 03 radiologia - anatomia do esqueleto apendicular - radio e ulna
 
Tecnicas de cranio tabalho faculdade unig
Tecnicas de cranio  tabalho faculdade unigTecnicas de cranio  tabalho faculdade unig
Tecnicas de cranio tabalho faculdade unig
 
Semiologia - otorrinolaringologia
Semiologia - otorrinolaringologiaSemiologia - otorrinolaringologia
Semiologia - otorrinolaringologia
 
Anatomia Cirúrgica da Face
Anatomia Cirúrgica da FaceAnatomia Cirúrgica da Face
Anatomia Cirúrgica da Face
 
Atlas de Anatomia.pdf
Atlas de Anatomia.pdfAtlas de Anatomia.pdf
Atlas de Anatomia.pdf
 
Mandíbula oficial.pdf
Mandíbula oficial.pdfMandíbula oficial.pdf
Mandíbula oficial.pdf
 
2 ossos da cabeça
2   ossos  da  cabeça2   ossos  da  cabeça
2 ossos da cabeça
 
Anatomia radiológica
Anatomia radiológicaAnatomia radiológica
Anatomia radiológica
 
2 ANATOMIA E HISTOLOGIA DO PERIODONTO.pptx
2 ANATOMIA E HISTOLOGIA DO PERIODONTO.pptx2 ANATOMIA E HISTOLOGIA DO PERIODONTO.pptx
2 ANATOMIA E HISTOLOGIA DO PERIODONTO.pptx
 

Mais de Lucas Almeida Sá

Emergências em estomatologia 2011
Emergências em estomatologia 2011Emergências em estomatologia 2011
Emergências em estomatologia 2011Lucas Almeida Sá
 
Técnicas anestésicas dentistica uni foa 2012-01-pedro
Técnicas anestésicas   dentistica uni foa 2012-01-pedroTécnicas anestésicas   dentistica uni foa 2012-01-pedro
Técnicas anestésicas dentistica uni foa 2012-01-pedroLucas Almeida Sá
 
Apostila de radiologia odontológica
Apostila de radiologia odontológicaApostila de radiologia odontológica
Apostila de radiologia odontológicaLucas Almeida Sá
 
Slm.ins.m3 00-manual-anestesiologia-e-terapeutica
Slm.ins.m3 00-manual-anestesiologia-e-terapeuticaSlm.ins.m3 00-manual-anestesiologia-e-terapeutica
Slm.ins.m3 00-manual-anestesiologia-e-terapeuticaLucas Almeida Sá
 
Farmacologia dos anestesicos locais
Farmacologia dos anestesicos locaisFarmacologia dos anestesicos locais
Farmacologia dos anestesicos locaisLucas Almeida Sá
 
Suturas em odontologia_-_silverstein_-_2003
Suturas em odontologia_-_silverstein_-_2003Suturas em odontologia_-_silverstein_-_2003
Suturas em odontologia_-_silverstein_-_2003Lucas Almeida Sá
 
Como escolher adequado_anestesico
Como escolher adequado_anestesicoComo escolher adequado_anestesico
Como escolher adequado_anestesicoLucas Almeida Sá
 
Anestésicos locais em odontologia uma revisão de literatura
Anestésicos locais em odontologia   uma revisão de literaturaAnestésicos locais em odontologia   uma revisão de literatura
Anestésicos locais em odontologia uma revisão de literaturaLucas Almeida Sá
 
Inteligencias multiplas copia
Inteligencias multiplas   copiaInteligencias multiplas   copia
Inteligencias multiplas copiaLucas Almeida Sá
 
Larva migrans cutânea mucosa
Larva migrans cutânea mucosaLarva migrans cutânea mucosa
Larva migrans cutânea mucosaLucas Almeida Sá
 
Aula 15 ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1
Aula 15   ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1Aula 15   ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1
Aula 15 ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1Lucas Almeida Sá
 
Plano de aula parasitologia odontologia 2012-2
Plano de aula    parasitologia odontologia 2012-2Plano de aula    parasitologia odontologia 2012-2
Plano de aula parasitologia odontologia 2012-2Lucas Almeida Sá
 

Mais de Lucas Almeida Sá (20)

Emergências em estomatologia 2011
Emergências em estomatologia 2011Emergências em estomatologia 2011
Emergências em estomatologia 2011
 
Técnicas anestésicas dentistica uni foa 2012-01-pedro
Técnicas anestésicas   dentistica uni foa 2012-01-pedroTécnicas anestésicas   dentistica uni foa 2012-01-pedro
Técnicas anestésicas dentistica uni foa 2012-01-pedro
 
Cistos orais e para orais
Cistos orais e para oraisCistos orais e para orais
Cistos orais e para orais
 
Imagiologia
ImagiologiaImagiologia
Imagiologia
 
Apostila de radiologia odontológica
Apostila de radiologia odontológicaApostila de radiologia odontológica
Apostila de radiologia odontológica
 
Slm.ins.m3 00-manual-anestesiologia-e-terapeutica
Slm.ins.m3 00-manual-anestesiologia-e-terapeuticaSlm.ins.m3 00-manual-anestesiologia-e-terapeutica
Slm.ins.m3 00-manual-anestesiologia-e-terapeutica
 
Farmacologia dos anestesicos locais
Farmacologia dos anestesicos locaisFarmacologia dos anestesicos locais
Farmacologia dos anestesicos locais
 
Anatomia anestesica
Anatomia anestesicaAnatomia anestesica
Anatomia anestesica
 
Centro cirurgico
Centro cirurgicoCentro cirurgico
Centro cirurgico
 
Suturas em odontologia_-_silverstein_-_2003
Suturas em odontologia_-_silverstein_-_2003Suturas em odontologia_-_silverstein_-_2003
Suturas em odontologia_-_silverstein_-_2003
 
Como escolher adequado_anestesico
Como escolher adequado_anestesicoComo escolher adequado_anestesico
Como escolher adequado_anestesico
 
Anestésicos locais em odontologia uma revisão de literatura
Anestésicos locais em odontologia   uma revisão de literaturaAnestésicos locais em odontologia   uma revisão de literatura
Anestésicos locais em odontologia uma revisão de literatura
 
Inteligencias multiplas copia
Inteligencias multiplas   copiaInteligencias multiplas   copia
Inteligencias multiplas copia
 
Identidade
IdentidadeIdentidade
Identidade
 
Grupos
GruposGrupos
Grupos
 
3 vida afetiva
3 vida afetiva3 vida afetiva
3 vida afetiva
 
Behaviorismo certo
Behaviorismo certoBehaviorismo certo
Behaviorismo certo
 
Larva migrans cutânea mucosa
Larva migrans cutânea mucosaLarva migrans cutânea mucosa
Larva migrans cutânea mucosa
 
Aula 15 ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1
Aula 15   ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1Aula 15   ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1
Aula 15 ectoparasitos ii- pulgas - odontologia - unifoa - 2012-1
 
Plano de aula parasitologia odontologia 2012-2
Plano de aula    parasitologia odontologia 2012-2Plano de aula    parasitologia odontologia 2012-2
Plano de aula parasitologia odontologia 2012-2
 

Maxila

  • 3. Esmalte É o mais radiopaco dos tecidos dentários e que reveste externamente toda a coroa dental. Seu aspecto radiográfico, de contorno contínuo é um dos sinais mais importantes para o diagnóstico precoce da cárie. Dentina É menos radiopaca que o esmalte. Representa a maior porção dos tecidos duros do dente, sendo menos calcificada.
  • 4. Polpa Onde estão situados os elementos nutritivos do órgão. Corresponde a uma área radiolúcida que se estende da porção coronária, adquirindo uma forma afilada nas raízes, representada pelos condutos radiculares. Cemento É uma camada que reveste a dentina radicular. Sua radiopacidade é semelhante à dentina, logo não pode ser diferenciado da dentina. Câmara pulpar É a parte da polpa que fica na coroa e é uma estrutura radiolúcida.
  • 5. Canais radiculares É a parte final da polpa, abaixo da câmara pulpar. É radiolúcida, assim como a câmara pulpar. Lâmina dura É a cortical óssea que envolve a porção radicular. Aparece como uma linha radiopaca contínua, contornando o espaço pericementário. Crista óssea alveolar Entre um dente e o outro, a continuidade da lâmina dura forma a crista óssea alveolar. É uma estrutura radiopaca. Ela pode ter a forma de crista, forma de bisel que é ligeiramente inclinada, ou a forma de mesa.
  • 6. Espaço pericementário Trata-se de um espaço entre a raiz e a lâmina dura que, por estar também preenchido por tecidos moles, é totalmente transparente aos raios X, mostrando-se como uma linha radiolúcida contínua entre ambos. Osso alveolar Apresenta-se como trabéculas ósseas radiopacas, limitadas por espaços medulares radiolúcidos.
  • 7. Seio maxilar O seio maxilar aparece como uma área radiolúcida localizada acima dos pré- molares e molares superiores. O assoalho do seio maxilar é composto como uma cortical óssea densa e aparece como uma linha radiopaca.
  • 8. Septo Nasal A forma do seio maxilar pode apresentar variações anatômicas devido ao aumento de volume, podendo prolongar-se para as partes ósseas vizinhas (anterior, posterior e rebordo alveolar), constituindo, assim, os septos. Na radiografia periapical o septo aparece, não freqüentemente, como uma linha radiopaca no interior do seio maxilar. A presença e o número de septos no interior do seio maxilar pode variar dependendo da anatomia individual.
  • 9. Y Invertido de ENNIS O Y invertido pode ser visualizado na radiografia periapical como linhas radiopacas formadas pela intersecção da parede lateral da fossa nasal e a borda anterior do seio maxilar. Ambas são compostas por densa cortical óssea que se apresenta como uma faixa ou linha radiopaca. Localiza-se acima do canino superior.
  • 10. Forame Incisivo O forame incisivo aparece entre os incisivos centrais ou ligeiramente acima desses e na linha mediana, como uma imagem radiolúcida de forma oval.
  • 11. Hâmulo pterigóideo Apresenta-se como uma imagem radiopaca em forma de gancho, situada posteriormente à tuberosidade da maxila.
  • 12. Túber da Maxila Radiograficamente apresenta-se como osso reticular normal com radiopacidade menor, já que é mais esparso e os espaços medulares, maiores.
  • 13. Processo coronóide da mandibula Apresenta-se como imagem radiopaca de contornos nítidos, forma triangular, com base inferior e vértice súpero-anterior geralmente superposto à tuberosidade da maxila em posições diversas, às vezes chegando a prejudicar a interpretação radiográfica, principalmente do terceiro molar.
  • 14. Processo zigomático da maxila Trata-se de uma área de forte condensação óssea, onde a maxila se articula com o osso zigomático. Radiograficamente, apresenta-se como uma sombra radiopaca, em forma de U ou V, geralmente relacionado ao primeiro ou segundo molar superior.
  • 15. Cavidade nasal Acima dos ápices dos incisivos, observamos duas imagens radiolúcidas, simétricas, separadas entre si por um traço radiopaco. Trata-se respectivamente da imagem das fossas nasais e do septo ósteocartilaginoso que as divide.
  • 16. Sutura intermaxilar Mostra-se como uma linha radiolúcida, entre os incisivos centrais, cujo aspecto radiográfico jamais deverá se confundido com traço de fratura.
  • 17. Espinha nasal anterior Aparece como uma crista radiopaca superposta ao forame incisivo.
  • 18. W sinusal São linhas radiopacas no interior dos seios maxilares. Com aspecto de um “W”, chamado de Wsinusal quando o interior do seio tem a presença de um septo.
  • 20. Linha Oblíqua Externa Imagem radiopaca localizada na altura do terço médio das raízes dos molares.
  • 21. Linha Milohioidea Imagem radiopaca, nítida e precisa situada por baixo dos ápices dos molares inferiores.
  • 22. Fóvea Submandibular Área de menor radiopacidade na região posterior da mandíbula .
  • 23. Canal Mandibular Sua imagem radiográfica apresenta-se como uma linha espessa radiolúcida com bordos radiopacos, situada por baixo das raízes dos molares e pré- molares, terminando no forame mentual.
  • 24. Base da Mandíbula Apresenta em radiografias periapicais como uma linha radiopaca compacta.
  • 25. Forame Mentual Apresenta como uma zona radiolúcida, que as vezes, encontra-se superposta sobre o ápice de um dos pré-molares.
  • 26. Processo ou Tubérculo Geni Apresenta-se sobre a forma de um anel radiopaco por baixo dos ápices dos incisivos centrais.
  • 27. Forame Lingual Apresenta-se como um ponto radiolúcido, no centro do anel radiopaco, observado na região de incisivos.
  • 28. Fosseta e Protuberância Mentual Apresenta-se com uma imagem radiolúcida, ocupando a porção média e o corpo da mandíbula, com a forma de uma pirâmide triangular, cuja a base coincide com a borda inferior do osso.
  • 29. Canais Nutritivos Imagem radiolúcida, são pequenos e numerosos e são encontrados em todo o corpo da mandíbula, porém, são mais visíveis nas regiões anteriores da mandíbula
  • 30. Acadêmicos: Cássia Villar Cíntia Nascimento Daniela Freitas Jardelle Brito Osias Graça Paula Freitas Rafaela Caetano Ruben Boechat Imaginologia e Radiologia – 2011 – 4º período Docentes: Jairo Jogaib, Alcemar Netto e Roberta Caetano.
  • 31.   Referências Bibliográficas - MADEIRA,Miguel Carlos-“Anatomia da Face”,editora SARVIER, ed 7-São Paulo,2010; - WHAITES,Eric-“Princípios de Radiologia Odontológica”,editora ARTMED,ed 3-Porto Alegre,2003; - WHITE.Stuart C. -”Radiologia Oral Fundamentos e interpretação”editora MOSBY.ed 5- Rio de Janeiro,2007.