SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
Mapeamento
Metodologia Passo a passo
Objetivos
o Reconhecer a comunidade – pessoas, espaços e sentimentos
o Articulação com a comunidade
o Construção de uma rede social para melhorar a qualidade do
ensino e evitar a evasão escolar, envolvendo diferentes atores:
poder público, iniciativa privada, meio
acadêmico, comunicadores, rede pública de ensino, líderes
comunitários, moradores e adolescentes;
o Facilitação de acessos e abertura de novos caminhos na
comunidade
o Localizar potenciais parceiros e os outros espaços educativos
o Construir um mapa que também seja de uso coletivo da
comunidade
Para isso é preciso:
Envolver toda escola e a comunidade no
planejamento e trabalho de campo:
o Educadores
o Diretores
o Coordenadores
o Estudantes
o Pessoas “amigas”, próximas da escola
o Líderes comunitários
Organização
Para garantir que o mapeamento dê certo, é
preciso organizar bem o tempo das atividades
PLANEJAMENTO
EXECUÇÃO
(Trabalho de
campo)
Análise e
divulgação dos
dados
CONSOLIDAR PARCERIAS, DIVULGAR OS ESPAÇOS
... FAZER USO DO QUE FOI MAPEADO
MAPA = FERRAMENTA
Atenção para a fase de
planejamento. Ela é a que
incorpora o maior número de
atividades do projeto
PLANEJAR É FUNDAMENTAL
COMUNICAÇÃO TAMBÉM
PLANEJAMENTO
FASE 1
Reunião do grupo de pesquisa para:
o Definir os objetivos do mapeamento (ex. articular potenciais do
bairro)
o Decidir e discutir qual local será mapeado
o Discutir qual a melhor forma de realizar esse mapeamento
(troca de idéias e sugestões)
o Definir as responsabilidades de cada um
o Identificar possíveis parceiros e líderes comunitários para que
participem das próximas etapas
o Cronograma básico para o início das ações/ atividades
Vocês dos grupos de pesquisa terão que juntos decidir quais ruas querem mapear e qual o tempo
real que terão para realizar as atividades.
Lembrem-se de que os mapeamentos podem e DEVEM ser refeitos periodicamente. As
pessoas, comércio e outros atores mudam constantemente e, de repente, podem ter algo novo a
oferecer. Esse mapeamento é só o começo das ações na comunidade.
PLANEJAMENTO
É preciso decidir quais as ferramentas necessárias para a realização do
mapeamento:
Quem participará do grupo? É fundamental chamar outras pessoas para
esta realização!
Questionário? Carta de apresentação? Quantas cópias?
Quantos espaços vocês esperam mapear?
Que materiais vão precisar? Vão colocar um cartaz avisando que o
mapeamento vai acontecer em determinado dia? Vai rolar algum tipo de
identificação de que um determinado espaço foi mapeado?
Adesivo desenvolvido pelos jovens do Ensino Fundamental do CEU Grajaú para
identificar os espaços mapeados. Cada lugar visitado que respondesse ao
questionário, ganhava um adesivo.
Carta de apresentação
do mapeamento à
comunidade
desenvolvida pelos
jovens do Ensino
Fundamental do CEU
Grajaú.
FASE 2
Reunião com escola e comunidade (parceiros, líderes) para:
oApresentar o projeto
oConversar sobre o que cada um espera da atividade
oTirar dúvidas sobre as atividades, objetivo e execução do projeto
oRealizar uma rodada de sugestões e mudanças
oDefinir os próximos passos junto à comunidade
oAtribuir responsabilidades aos líderes comunitários
oDefinir cronograma de reuniões
Definir as áreas de mapeamento: comércio e serviços? Arte e cultura? Lazer e esporte?
Saúde? Religião? Movimentos Sociais? Escolas? Meio ambiente? Moradores notórios?
Espaços de circulação?
PLANEJAMENTO
PLANEJAMENTO
Os mapas
o Para desenvolver/
organizar os mapas, vocês
podem partir de mapas
disponíveis na internet ou
pela aplicação
GoogleMaps
o Copie o mapa e recorte
aquilo que vocês
pretendem mapear
PLANEJAMENTO
É nessa etapa que vocês devem pensar nas possibilidades da comunidade e
determinar o que pretendem buscar no mapa.
Quais são os
ESPAÇOS DE
TROCA
(potenciais
educativos)
Quem pode
contribuir com a
escola?
Existem cursos, oficinas ou
atividades para os jovens? Ou
existem pessoas que
poderiam ajudar a formar os
jovens?
É importante definir o
que se quer descobrir
para colocar no
questionário
Por exemplo:
A Dona Dirce é uma vovó super bem disposta.
Ela adora fazer bolos, tortas e tem uma mão incrível para
quitutes!
Em um mapeamento, um grupo de jovens cadastrou a boa
velhinha. Ela era vizinha da escola, mas não tinha nenhum
comércio.
Mesmo assim, os jovens identificaram a Dona Dirce como uma
potencial parceira.
Meses depois, na véspera da festa anual da escola, os jovens
decidiram convidar a dona Dirce a fazer bolos para vender e
combinaram com ela que o lucro seria repartido entre ela e uma
comissão da escola, responsável pela pintura da quadra de
basquete.
LOGO ...
É preciso lembrar que os possíveis
parceiros nem sempre são donos de um
estabelecimento comercial ou pessoas
ativas na comunidade.
Muitas vezes, pessoas como a Dona
Dirce, quando identificadas têm MUITO a
contribuir.
FASE 3
Definição do plano de comunicação/divulgação:
o logo
o carta de apresentação
o Cartões
o adesivos
PLANEJAMENTO
FASE 3
Definição das atividades do dia do mapeamento junto aos apoiadores (escola e
comunidade), identificando:
As responsabilidades de cada membro da equipe
o Como será abordagem na comunidade
(o que vão falar, vão bater de porta em porta?)
o Os horários de início e término das atividades
o Definição da alimentação do dia (café da manhã e almoço)
o Definição do material necessário para o projeto
o Criação dos questionários
o Definições sobre a saída para campo, divisões dos grupos e subgrupos;
o Definições dos membros de cada grupo para a pesquisa de campo;
Vale até pensar em protetor solar/guarda-chuva, água para o trajeto,
kit de primeiro socorros.
PLANEJAMENTO
Trilhe seu próprio caminho e de acordo
com as condições e possibilidades do
grupo organizador.
EXECUÇÃO
Para o dia do mapeamento é preciso ter:
o Um kit organizado com todos os materiais necessários
o Material para registro: câmeras fotográficas, câmeras de
celular, papel e caneta para anotações, etc.
o Horário e cronograma definidos
o Grupos organizados e divididos por área
o Hora para começar e hora para encerrar a atividade
EXECUÇÃO
Os kits de mapeamento vão variar de acordo com o a sua comunidade e o que vocês
decidiram em grupo. Logo, esta é apenas uma sugestão de que o kit tenha:
o Mapa completo da comunidade
o Mapa da área dividida por grupos a explorar
o Crachá de identificação
o Questionários para auxílio na identificação dos locais
o Textos de divulgação da atividade para distribuição pela comunidade (ex.
cartas, logos, etc)
o Caneta
o Divisão dos membros do grupo nas atividades que precisam ser
desenvolvidas
o Se vocês fizerem crachás, é nessa hora que devem distribuí-los
o Saídas e definição dos trajetos da pesquisa em campo
o Entrevistas com a comunidade, utilizando o questionário
o Retorno e organização do material
EXECUÇÃO
o Ainda como parte da execução, é importante avaliar
como foi o mapeamento com os diferentes atores
envolvidos.
o Vale abrir uma “roda de discussões” para que as
pessoas contem como foi participar da atividade; como
foi a organização, etc.
o E ainda, é possível fazer cartões em que as pessoas
possam comentar: “que bom, que pena, que tal”.
EXECUÇÃO
Que
bom!
Que
pena!
Que
tal!
ENCERRAMENTO
Análise e discussão dos dados
DEVOLUTIVA PARA A COMUNIDADE: jornal mural, blog, cartaz
com resultados, mapa completo e atualizado
ATUALIZAÇÃO DO MAPA:
Colocar, indicar cada ponto mapeado no mapa
Digitar no Espaço Virtual todos os espaços mapeados, com a
informação de contato, dados sobre o espaço ou indivíduo e
potencial contribuição/ parceria
Organizar o registro: textos, fotos, vídeos e avaliações a
serem colocados no espaço virtual
Exemplo da área mapeada no Mapeamento do Grajaú: 5 grupos se dividiram
nessa grande extensão.
DICAS
o Resgate a história do seu bairro e da sua
comunidade
o Identifique quem são as pessoas, indivíduos
comprometidos com a educação na sua
comunidade
o Busque as lideranças políticas – elas podem e
DEVEM ajudar
Vamos ensaiar?
Hora da prática aqui na
Vila Madalena

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 01 noções de cartografia e geoprocessamento
Aula 01   noções de cartografia e geoprocessamentoAula 01   noções de cartografia e geoprocessamento
Aula 01 noções de cartografia e geoprocessamento
42549299272
 
REPRESENTAÇÃO DO RELEVO EM CARTA TOPOGRÁFICA - CURVAS DE NÍVE
REPRESENTAÇÃO DO RELEVO EM CARTA TOPOGRÁFICA - CURVAS DE NÍVEREPRESENTAÇÃO DO RELEVO EM CARTA TOPOGRÁFICA - CURVAS DE NÍVE
REPRESENTAÇÃO DO RELEVO EM CARTA TOPOGRÁFICA - CURVAS DE NÍVE
Renata Rodrigues
 

Mais procurados (20)

Símbolos Nacionais
Símbolos NacionaisSímbolos Nacionais
Símbolos Nacionais
 
Espaço geográfico
Espaço geográficoEspaço geográfico
Espaço geográfico
 
camadas da terra
camadas da terracamadas da terra
camadas da terra
 
Big Bang
Big BangBig Bang
Big Bang
 
Estação total: Tudo Que Você Precisa Saber a Respeito!
Estação total: Tudo Que Você Precisa Saber a Respeito!Estação total: Tudo Que Você Precisa Saber a Respeito!
Estação total: Tudo Que Você Precisa Saber a Respeito!
 
Incra: O novo Sistema Eletrônico de Cadastro Rural
Incra: O novo Sistema Eletrônico de Cadastro RuralIncra: O novo Sistema Eletrônico de Cadastro Rural
Incra: O novo Sistema Eletrônico de Cadastro Rural
 
GPS História e Aplicações
GPS História e AplicaçõesGPS História e Aplicações
GPS História e Aplicações
 
Aula 1 solos
Aula 1 solosAula 1 solos
Aula 1 solos
 
POVOS INDÍGENAS E COMUNIDADES TRADICIONAIS DO PARANÁ
POVOS INDÍGENAS E COMUNIDADES TRADICIONAIS DO PARANÁPOVOS INDÍGENAS E COMUNIDADES TRADICIONAIS DO PARANÁ
POVOS INDÍGENAS E COMUNIDADES TRADICIONAIS DO PARANÁ
 
Paisagens
PaisagensPaisagens
Paisagens
 
Constituição do sistema solar
Constituição do sistema solarConstituição do sistema solar
Constituição do sistema solar
 
Escalas: Conceitos e Aplicações
Escalas: Conceitos e AplicaçõesEscalas: Conceitos e Aplicações
Escalas: Conceitos e Aplicações
 
Festas religiosas no Brasil
Festas religiosas no BrasilFestas religiosas no Brasil
Festas religiosas no Brasil
 
Aula 01 noções de cartografia e geoprocessamento
Aula 01   noções de cartografia e geoprocessamentoAula 01   noções de cartografia e geoprocessamento
Aula 01 noções de cartografia e geoprocessamento
 
Ciencias as camadas da terra e seus elementos
Ciencias   as camadas da terra e seus elementosCiencias   as camadas da terra e seus elementos
Ciencias as camadas da terra e seus elementos
 
Curvas de nível
Curvas de nívelCurvas de nível
Curvas de nível
 
REPRESENTAÇÃO DO RELEVO EM CARTA TOPOGRÁFICA - CURVAS DE NÍVE
REPRESENTAÇÃO DO RELEVO EM CARTA TOPOGRÁFICA - CURVAS DE NÍVEREPRESENTAÇÃO DO RELEVO EM CARTA TOPOGRÁFICA - CURVAS DE NÍVE
REPRESENTAÇÃO DO RELEVO EM CARTA TOPOGRÁFICA - CURVAS DE NÍVE
 
O lugar na Geografia
O lugar na GeografiaO lugar na Geografia
O lugar na Geografia
 
Conceito de Lugar na Geografia
Conceito de Lugar na GeografiaConceito de Lugar na Geografia
Conceito de Lugar na Geografia
 
Paisagem
PaisagemPaisagem
Paisagem
 

Destaque (7)

Ferramentas para metodologias participativas parte 1
Ferramentas para metodologias participativas parte 1Ferramentas para metodologias participativas parte 1
Ferramentas para metodologias participativas parte 1
 
Abordagem Participativa na gestão de projetos
Abordagem Participativa na gestão de projetosAbordagem Participativa na gestão de projetos
Abordagem Participativa na gestão de projetos
 
Instrumentos De Gestão Participativa Das águas
Instrumentos De Gestão Participativa Das águasInstrumentos De Gestão Participativa Das águas
Instrumentos De Gestão Participativa Das águas
 
Diagnostico social de Évora
Diagnostico social de ÉvoraDiagnostico social de Évora
Diagnostico social de Évora
 
Apresentação DRP CAFI 2008
Apresentação DRP CAFI 2008Apresentação DRP CAFI 2008
Apresentação DRP CAFI 2008
 
Metodologias Participativas -Slides Mini Curso, dez 2013
Metodologias Participativas -Slides Mini Curso, dez 2013Metodologias Participativas -Slides Mini Curso, dez 2013
Metodologias Participativas -Slides Mini Curso, dez 2013
 
Diagnostico Participativo
Diagnostico ParticipativoDiagnostico Participativo
Diagnostico Participativo
 

Semelhante a Mapeamento Participativo

Trabalho por projetos e formação dos jovens
Trabalho por projetos e formação dos jovensTrabalho por projetos e formação dos jovens
Trabalho por projetos e formação dos jovens
Instituto Crescer
 
Modelo de plano do projeto comunitário
Modelo de plano do projeto comunitárioModelo de plano do projeto comunitário
Modelo de plano do projeto comunitário
Eulália Mata
 
Profº Uilson - 8ª e Última Aula - Planejamento Comunicação Integrada
Profº Uilson - 8ª e Última Aula - Planejamento Comunicação IntegradaProfº Uilson - 8ª e Última Aula - Planejamento Comunicação Integrada
Profº Uilson - 8ª e Última Aula - Planejamento Comunicação Integrada
Rubens Fructuoso
 
Movimento Educativo Social
Movimento Educativo SocialMovimento Educativo Social
Movimento Educativo Social
polojequitiba
 
Retrospectiva Coisas Boas
Retrospectiva Coisas BoasRetrospectiva Coisas Boas
Retrospectiva Coisas Boas
SONIA BERTOCCHI
 
Retrospectiva Coisas Boas Minha Terra
Retrospectiva Coisas Boas   Minha TerraRetrospectiva Coisas Boas   Minha Terra
Retrospectiva Coisas Boas Minha Terra
SONIA BERTOCCHI
 

Semelhante a Mapeamento Participativo (20)

Projeto voluntariado
Projeto voluntariadoProjeto voluntariado
Projeto voluntariado
 
Plano de-aula-para-o-ensino-fundamental
Plano de-aula-para-o-ensino-fundamentalPlano de-aula-para-o-ensino-fundamental
Plano de-aula-para-o-ensino-fundamental
 
Plano de-aula-para-o-ensino-fundamental
Plano de-aula-para-o-ensino-fundamentalPlano de-aula-para-o-ensino-fundamental
Plano de-aula-para-o-ensino-fundamental
 
ASOCEU Portugal - Lesson 1- In-Class Exercise 1: Data Expedition
ASOCEU Portugal - Lesson 1- In-Class Exercise 1: Data ExpeditionASOCEU Portugal - Lesson 1- In-Class Exercise 1: Data Expedition
ASOCEU Portugal - Lesson 1- In-Class Exercise 1: Data Expedition
 
Módulo 1
Módulo 1Módulo 1
Módulo 1
 
Trabalho por projetos e formação dos jovens
Trabalho por projetos e formação dos jovensTrabalho por projetos e formação dos jovens
Trabalho por projetos e formação dos jovens
 
Comvida agenda 21
Comvida agenda 21Comvida agenda 21
Comvida agenda 21
 
Curitiba Gov Jam 2017
Curitiba Gov Jam 2017Curitiba Gov Jam 2017
Curitiba Gov Jam 2017
 
Modelo de plano do projeto comunitário
Modelo de plano do projeto comunitárioModelo de plano do projeto comunitário
Modelo de plano do projeto comunitário
 
Profº Uilson - 8ª e Última Aula - Planejamento Comunicação Integrada
Profº Uilson - 8ª e Última Aula - Planejamento Comunicação IntegradaProfº Uilson - 8ª e Última Aula - Planejamento Comunicação Integrada
Profº Uilson - 8ª e Última Aula - Planejamento Comunicação Integrada
 
acolhimento noturno 2023 (1).pptx
acolhimento noturno 2023 (1).pptxacolhimento noturno 2023 (1).pptx
acolhimento noturno 2023 (1).pptx
 
Intervencao social modulo iii
Intervencao social modulo iiiIntervencao social modulo iii
Intervencao social modulo iii
 
Projeto do Jogo "Sivira" - Oficina II
Projeto do Jogo "Sivira" - Oficina IIProjeto do Jogo "Sivira" - Oficina II
Projeto do Jogo "Sivira" - Oficina II
 
Movimento Educativo Social
Movimento Educativo SocialMovimento Educativo Social
Movimento Educativo Social
 
Cidadonos provisório v3
Cidadonos provisório v3Cidadonos provisório v3
Cidadonos provisório v3
 
Annne
AnnneAnnne
Annne
 
Aula 3 Metodologia Instrumentos
Aula 3 Metodologia InstrumentosAula 3 Metodologia Instrumentos
Aula 3 Metodologia Instrumentos
 
Retrospectiva Coisas Boas
Retrospectiva Coisas BoasRetrospectiva Coisas Boas
Retrospectiva Coisas Boas
 
Retrospectiva Coisas Boas Minha Terra
Retrospectiva Coisas Boas   Minha TerraRetrospectiva Coisas Boas   Minha Terra
Retrospectiva Coisas Boas Minha Terra
 
FACEBOOK MARKETING: FERRAMENTAS DE DIVULGAÇÃO NA INTERNET. UMA ANÁLISE DO CA...
FACEBOOK MARKETING: FERRAMENTAS DE DIVULGAÇÃO NA  INTERNET. UMA ANÁLISE DO CA...FACEBOOK MARKETING: FERRAMENTAS DE DIVULGAÇÃO NA  INTERNET. UMA ANÁLISE DO CA...
FACEBOOK MARKETING: FERRAMENTAS DE DIVULGAÇÃO NA INTERNET. UMA ANÁLISE DO CA...
 

Mais de Gustavo Sousa (9)

Som, Ritmo e Movimento 2015
Som, Ritmo e Movimento 2015Som, Ritmo e Movimento 2015
Som, Ritmo e Movimento 2015
 
Música em Ação 2015
Música em Ação 2015Música em Ação 2015
Música em Ação 2015
 
Jovens de Ação 2015
Jovens de Ação 2015Jovens de Ação 2015
Jovens de Ação 2015
 
Família e Comunidade em Rede 2015
Família e Comunidade em Rede 2015Família e Comunidade em Rede 2015
Família e Comunidade em Rede 2015
 
Articulação Sociocultural Proac 2015
Articulação Sociocultural Proac 2015Articulação Sociocultural Proac 2015
Articulação Sociocultural Proac 2015
 
Oficina de Vídeo
Oficina de VídeoOficina de Vídeo
Oficina de Vídeo
 
Fotografia – câmera pinhole
Fotografia – câmera pinholeFotografia – câmera pinhole
Fotografia – câmera pinhole
 
Fotografia referências
Fotografia   referênciasFotografia   referências
Fotografia referências
 
Oficina de fotografia_técnica
Oficina de fotografia_técnicaOficina de fotografia_técnica
Oficina de fotografia_técnica
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
azulassessoria9
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 

Último (20)

livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 

Mapeamento Participativo

  • 2. Objetivos o Reconhecer a comunidade – pessoas, espaços e sentimentos o Articulação com a comunidade o Construção de uma rede social para melhorar a qualidade do ensino e evitar a evasão escolar, envolvendo diferentes atores: poder público, iniciativa privada, meio acadêmico, comunicadores, rede pública de ensino, líderes comunitários, moradores e adolescentes; o Facilitação de acessos e abertura de novos caminhos na comunidade o Localizar potenciais parceiros e os outros espaços educativos o Construir um mapa que também seja de uso coletivo da comunidade
  • 3. Para isso é preciso: Envolver toda escola e a comunidade no planejamento e trabalho de campo: o Educadores o Diretores o Coordenadores o Estudantes o Pessoas “amigas”, próximas da escola o Líderes comunitários
  • 4. Organização Para garantir que o mapeamento dê certo, é preciso organizar bem o tempo das atividades PLANEJAMENTO EXECUÇÃO (Trabalho de campo) Análise e divulgação dos dados CONSOLIDAR PARCERIAS, DIVULGAR OS ESPAÇOS ... FAZER USO DO QUE FOI MAPEADO MAPA = FERRAMENTA
  • 5. Atenção para a fase de planejamento. Ela é a que incorpora o maior número de atividades do projeto
  • 8. PLANEJAMENTO FASE 1 Reunião do grupo de pesquisa para: o Definir os objetivos do mapeamento (ex. articular potenciais do bairro) o Decidir e discutir qual local será mapeado o Discutir qual a melhor forma de realizar esse mapeamento (troca de idéias e sugestões) o Definir as responsabilidades de cada um o Identificar possíveis parceiros e líderes comunitários para que participem das próximas etapas o Cronograma básico para o início das ações/ atividades Vocês dos grupos de pesquisa terão que juntos decidir quais ruas querem mapear e qual o tempo real que terão para realizar as atividades. Lembrem-se de que os mapeamentos podem e DEVEM ser refeitos periodicamente. As pessoas, comércio e outros atores mudam constantemente e, de repente, podem ter algo novo a oferecer. Esse mapeamento é só o começo das ações na comunidade.
  • 9. PLANEJAMENTO É preciso decidir quais as ferramentas necessárias para a realização do mapeamento: Quem participará do grupo? É fundamental chamar outras pessoas para esta realização! Questionário? Carta de apresentação? Quantas cópias? Quantos espaços vocês esperam mapear? Que materiais vão precisar? Vão colocar um cartaz avisando que o mapeamento vai acontecer em determinado dia? Vai rolar algum tipo de identificação de que um determinado espaço foi mapeado?
  • 10. Adesivo desenvolvido pelos jovens do Ensino Fundamental do CEU Grajaú para identificar os espaços mapeados. Cada lugar visitado que respondesse ao questionário, ganhava um adesivo.
  • 11. Carta de apresentação do mapeamento à comunidade desenvolvida pelos jovens do Ensino Fundamental do CEU Grajaú.
  • 12. FASE 2 Reunião com escola e comunidade (parceiros, líderes) para: oApresentar o projeto oConversar sobre o que cada um espera da atividade oTirar dúvidas sobre as atividades, objetivo e execução do projeto oRealizar uma rodada de sugestões e mudanças oDefinir os próximos passos junto à comunidade oAtribuir responsabilidades aos líderes comunitários oDefinir cronograma de reuniões Definir as áreas de mapeamento: comércio e serviços? Arte e cultura? Lazer e esporte? Saúde? Religião? Movimentos Sociais? Escolas? Meio ambiente? Moradores notórios? Espaços de circulação? PLANEJAMENTO
  • 13. PLANEJAMENTO Os mapas o Para desenvolver/ organizar os mapas, vocês podem partir de mapas disponíveis na internet ou pela aplicação GoogleMaps o Copie o mapa e recorte aquilo que vocês pretendem mapear
  • 14. PLANEJAMENTO É nessa etapa que vocês devem pensar nas possibilidades da comunidade e determinar o que pretendem buscar no mapa. Quais são os ESPAÇOS DE TROCA (potenciais educativos) Quem pode contribuir com a escola? Existem cursos, oficinas ou atividades para os jovens? Ou existem pessoas que poderiam ajudar a formar os jovens? É importante definir o que se quer descobrir para colocar no questionário
  • 15. Por exemplo: A Dona Dirce é uma vovó super bem disposta. Ela adora fazer bolos, tortas e tem uma mão incrível para quitutes! Em um mapeamento, um grupo de jovens cadastrou a boa velhinha. Ela era vizinha da escola, mas não tinha nenhum comércio. Mesmo assim, os jovens identificaram a Dona Dirce como uma potencial parceira. Meses depois, na véspera da festa anual da escola, os jovens decidiram convidar a dona Dirce a fazer bolos para vender e combinaram com ela que o lucro seria repartido entre ela e uma comissão da escola, responsável pela pintura da quadra de basquete.
  • 16. LOGO ... É preciso lembrar que os possíveis parceiros nem sempre são donos de um estabelecimento comercial ou pessoas ativas na comunidade. Muitas vezes, pessoas como a Dona Dirce, quando identificadas têm MUITO a contribuir.
  • 17. FASE 3 Definição do plano de comunicação/divulgação: o logo o carta de apresentação o Cartões o adesivos PLANEJAMENTO
  • 18. FASE 3 Definição das atividades do dia do mapeamento junto aos apoiadores (escola e comunidade), identificando: As responsabilidades de cada membro da equipe o Como será abordagem na comunidade (o que vão falar, vão bater de porta em porta?) o Os horários de início e término das atividades o Definição da alimentação do dia (café da manhã e almoço) o Definição do material necessário para o projeto o Criação dos questionários o Definições sobre a saída para campo, divisões dos grupos e subgrupos; o Definições dos membros de cada grupo para a pesquisa de campo; Vale até pensar em protetor solar/guarda-chuva, água para o trajeto, kit de primeiro socorros. PLANEJAMENTO
  • 19. Trilhe seu próprio caminho e de acordo com as condições e possibilidades do grupo organizador.
  • 20. EXECUÇÃO Para o dia do mapeamento é preciso ter: o Um kit organizado com todos os materiais necessários o Material para registro: câmeras fotográficas, câmeras de celular, papel e caneta para anotações, etc. o Horário e cronograma definidos o Grupos organizados e divididos por área o Hora para começar e hora para encerrar a atividade
  • 21. EXECUÇÃO Os kits de mapeamento vão variar de acordo com o a sua comunidade e o que vocês decidiram em grupo. Logo, esta é apenas uma sugestão de que o kit tenha: o Mapa completo da comunidade o Mapa da área dividida por grupos a explorar o Crachá de identificação o Questionários para auxílio na identificação dos locais o Textos de divulgação da atividade para distribuição pela comunidade (ex. cartas, logos, etc) o Caneta
  • 22. o Divisão dos membros do grupo nas atividades que precisam ser desenvolvidas o Se vocês fizerem crachás, é nessa hora que devem distribuí-los o Saídas e definição dos trajetos da pesquisa em campo o Entrevistas com a comunidade, utilizando o questionário o Retorno e organização do material EXECUÇÃO
  • 23. o Ainda como parte da execução, é importante avaliar como foi o mapeamento com os diferentes atores envolvidos. o Vale abrir uma “roda de discussões” para que as pessoas contem como foi participar da atividade; como foi a organização, etc. o E ainda, é possível fazer cartões em que as pessoas possam comentar: “que bom, que pena, que tal”. EXECUÇÃO Que bom! Que pena! Que tal!
  • 24. ENCERRAMENTO Análise e discussão dos dados DEVOLUTIVA PARA A COMUNIDADE: jornal mural, blog, cartaz com resultados, mapa completo e atualizado ATUALIZAÇÃO DO MAPA: Colocar, indicar cada ponto mapeado no mapa Digitar no Espaço Virtual todos os espaços mapeados, com a informação de contato, dados sobre o espaço ou indivíduo e potencial contribuição/ parceria Organizar o registro: textos, fotos, vídeos e avaliações a serem colocados no espaço virtual
  • 25. Exemplo da área mapeada no Mapeamento do Grajaú: 5 grupos se dividiram nessa grande extensão.
  • 26. DICAS o Resgate a história do seu bairro e da sua comunidade o Identifique quem são as pessoas, indivíduos comprometidos com a educação na sua comunidade o Busque as lideranças políticas – elas podem e DEVEM ajudar
  • 27. Vamos ensaiar? Hora da prática aqui na Vila Madalena