SlideShare uma empresa Scribd logo
Sessão 1                                                                  Análise a Matriz




Formando: João Alves dos Reis

Análise à Matriz da colega Anabela Martins



Breve Introdução

   Escolhi analisar a matriz da colega Anabela Martins porque, com a minha falta de
experiência enquanto Professor Bibliotecário, optei por escolher a “opinião” de alguém
com bastantes anos de contacto com a realidade das bibliotecas, que conheça o seu
dia a dia e os seus constrangimentos.
   A minha falta de experiência ao nível das bibliotecas escolares aporta-me um
lirismo em excesso que, certamente, se reflectiu na minha matriz (como a colega
Anabela Martins apontou na sua análise, e bem). Espero não vir a perdê-lo
completamente, mas que a minha veia poética possa, doravante, ser mais pragmática
e real.


   Passando à análise da matriz, irei observar os diferentes itens e tentar apontar
caminhos que considere divergentes daqueles que eu próprio defendo.
Importa dizer que, no geral, concordo com a maioria dos pontos referenciados, embora
me pareça pertinente referir alguns que me levantaram algumas dúvidas ou com os
quais eu possa não estar completamente de acordo.
   Em relação às Competências do professor bibliotecário permaneço com algumas
dúvidas relativamente ao conceito de Apoio individualizado, no item “Pontos Fortes” –
Quererá a colega dizer que o PB enquadra a sua acção num apoio contínuo e
permanente ao seu território (a Biblioteca) e a tudo o que com ele interage?
   A primeira questão que me suscita algumas reticências (mas cada escola é uma
escola…) é quando refere, no ponto dedicado às competências do Professor
Bibliotecário, no item “fraquezas”, a falta de apoio do Director. Poderá sê-lo
circunstancialmente. No meu caso, não o sinto, e pressinto que as direcções escolares
irão ter, doravante, um interlocutor importante com poderes “legalmente” mais
abrangentes e um parceiro importante na gestão do currículo e do sucesso escolar.
   Nas “fraquezas”, ainda, não vejo citada a “falta de tempo”, que no meu caso, de
pouca ou nenhuma experiência bibliotecária, tem sido um verdadeiro calcanhar de
Aquiles (provavelmente por circunstâncias próprias do meu agrupamento).
   Relativamente às “oportunidades”, concordo que a formação profissional constitui
uma mais-valia importante e crucial (neste caso, decisiva para mim), a inovação e os



Formando: João Alves dos Reis                                                    Página 1
Sessão 1                                                                         Análise a Matriz




novos desafios que se prendem com uma questão muito cara à colega Anabela: os
novos desafios TIC e PTE.
   No item “ameaças”, ao contrário da colega, tenho sorte de contar com uma Técnica
Operacional bastante qualificada e interessada. Penso até que, neste caso, a ameaça
está no vazio de carreira para esses técnicos operacionais que, com formação, vão
deixando as escolas e procurando outras paragens.
   No que respeita à Organização e Gestão da BE, penso ser importante a
colaboração e a abertura das Bibliotecas Escolares à comunidade onde se inserem,
sobretudo tratando-se de meios pequenos – como é o caso de Pataias, e a criação de
uma equipa nesse âmbito, como sugere a colega. No mais, e neste subtema, deparo-
me também eu com um espaço reduzido, mas contrariamente à colega, tenho muita
colaboração dos diferentes colegas e departamentos curriculares.
   A falta de verba é uma questão transversal a todos nós, Professores Bibliotecários.
Importante, neste ponto, que a colecção vá ao encontro das necessidades do currículo
e da procura dos alunos.
   Quanto à “Gestão da Colecção”, observo, nesta ainda curta experiência e concordo
com a colega Anabela, quando ela se refere à falta de tempo para catalogação, à falta
de recursos humanos, sobretudo quando, os que há, são despejados na Biblioteca
para cumprimento de pequenas parcelas de tempo.
   Relativamente à “Formação Para a Leitura e Para as Literacias”, importa referir a
necessidade de educar para as novas tecnologias, em geral tão mal utilizadas pelos
nossos alunos e fazer a ponte entre a tecnologia e a leitura e as aprendizagens
significativas para a construção do conhecimento. (a “invasão” tecnológica deve ser
acompanhada e gerida com muitos cuidados – propositadamente no plural)
   No ponto BE e novos ambientes digitais, reparo que aponta a pouca formação e a
pouca integração das TIC nas práticas lectivas. Sempre me bati, ao longo dos últimos
anos, pelo combate contra os professores “info-auto-excluidos”, tentando adivinhar os
tempos que aí vinham e penso que a utilização das TIC nas práticas lectivas é agora
“quase” uma constante, bem como a preparação de materiais em formato digital e a
utilização de plataformas de comunicação e aprendizagem e-learning, como o
“Moodle”, que tanto poderão beneficiar as nossas bibliotecas.
   A resistência à inovação e à integração das novas tecnologias, como refere nos
“Obstáculos a Vencer”, já foi, portanto, muito maior, pelo menos nas realidades que
conheço melhor.
   Concordo        e    reforço   a   ideia   da   colega,   relativamente   á    gestão      de
evidências/avaliação, no que respeita à importância do Plano de Acção como factor de
medição de sucesso do papel dos intervenientes na Biblioteca e do Professor
Bibliotecário.


Formando: João Alves dos Reis                                                           Página 2

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Cartaz Cultural - Dezembro 09
Cartaz Cultural - Dezembro 09Cartaz Cultural - Dezembro 09
Cartaz Cultural - Dezembro 09
nuno.jose.duarte
 
Noemí Z
Noemí ZNoemí Z
Noemí Z
pertileivan
 
Comentário do João
Comentário do JoãoComentário do João
Comentário do João
claudinapires
 
Prestação de Contas- Julho
Prestação de Contas- JulhoPrestação de Contas- Julho
Prestação de Contas- Julho
guestb7d7568
 
Ano Novo 1
Ano Novo 1Ano Novo 1
Ano Novo 1
Maria Santos
 
Estrutura da Apresentação do MABE ao Cosnelho Pedagógico
Estrutura da Apresentação do MABE ao Cosnelho PedagógicoEstrutura da Apresentação do MABE ao Cosnelho Pedagógico
Estrutura da Apresentação do MABE ao Cosnelho Pedagógico
guest6316f6
 
Filmes
FilmesFilmes
Filmes
Scott Rains
 
Jovens Que Produzem VíDeos
Jovens Que Produzem VíDeosJovens Que Produzem VíDeos
Jovens Que Produzem VíDeos
Denise Vilardo
 
Oracao A Nossa Senhora Das Gracas
Oracao A Nossa Senhora Das GracasOracao A Nossa Senhora Das Gracas
Oracao A Nossa Senhora Das Gracas
JNR
 
Boletim informativo de Itapevi - Novembro de 2009
Boletim informativo de Itapevi - Novembro de 2009Boletim informativo de Itapevi - Novembro de 2009
Boletim informativo de Itapevi - Novembro de 2009
Governo do Estado de São Paulo
 
Boletim informativo de Caraguatatuba - Novembro 2009
Boletim informativo de Caraguatatuba - Novembro 2009Boletim informativo de Caraguatatuba - Novembro 2009
Boletim informativo de Caraguatatuba - Novembro 2009
Governo do Estado de São Paulo
 
Acçoes Futuras D3
Acçoes Futuras D3Acçoes Futuras D3
Acçoes Futuras D3
Cristina Felício
 
Boletim informativo de São Sebastião - Dezembro de 2009
Boletim informativo de São Sebastião - Dezembro de 2009Boletim informativo de São Sebastião - Dezembro de 2009
Boletim informativo de São Sebastião - Dezembro de 2009
Governo do Estado de São Paulo
 
Tarefa 6
Tarefa 6Tarefa 6
Tarefa 6
Isabel Rosa
 
Presentación1
Presentación1Presentación1
Presentación1
mara0683
 
Agosto
AgostoAgosto
Poster1 Grupo 7
Poster1 Grupo 7Poster1 Grupo 7

Destaque (18)

Cartaz Cultural - Dezembro 09
Cartaz Cultural - Dezembro 09Cartaz Cultural - Dezembro 09
Cartaz Cultural - Dezembro 09
 
Noemí Z
Noemí ZNoemí Z
Noemí Z
 
Comentário do João
Comentário do JoãoComentário do João
Comentário do João
 
Prestação de Contas- Julho
Prestação de Contas- JulhoPrestação de Contas- Julho
Prestação de Contas- Julho
 
Ano Novo 1
Ano Novo 1Ano Novo 1
Ano Novo 1
 
Sandro
SandroSandro
Sandro
 
Estrutura da Apresentação do MABE ao Cosnelho Pedagógico
Estrutura da Apresentação do MABE ao Cosnelho PedagógicoEstrutura da Apresentação do MABE ao Cosnelho Pedagógico
Estrutura da Apresentação do MABE ao Cosnelho Pedagógico
 
Filmes
FilmesFilmes
Filmes
 
Jovens Que Produzem VíDeos
Jovens Que Produzem VíDeosJovens Que Produzem VíDeos
Jovens Que Produzem VíDeos
 
Oracao A Nossa Senhora Das Gracas
Oracao A Nossa Senhora Das GracasOracao A Nossa Senhora Das Gracas
Oracao A Nossa Senhora Das Gracas
 
Boletim informativo de Itapevi - Novembro de 2009
Boletim informativo de Itapevi - Novembro de 2009Boletim informativo de Itapevi - Novembro de 2009
Boletim informativo de Itapevi - Novembro de 2009
 
Boletim informativo de Caraguatatuba - Novembro 2009
Boletim informativo de Caraguatatuba - Novembro 2009Boletim informativo de Caraguatatuba - Novembro 2009
Boletim informativo de Caraguatatuba - Novembro 2009
 
Acçoes Futuras D3
Acçoes Futuras D3Acçoes Futuras D3
Acçoes Futuras D3
 
Boletim informativo de São Sebastião - Dezembro de 2009
Boletim informativo de São Sebastião - Dezembro de 2009Boletim informativo de São Sebastião - Dezembro de 2009
Boletim informativo de São Sebastião - Dezembro de 2009
 
Tarefa 6
Tarefa 6Tarefa 6
Tarefa 6
 
Presentación1
Presentación1Presentación1
Presentación1
 
Agosto
AgostoAgosto
Agosto
 
Poster1 Grupo 7
Poster1 Grupo 7Poster1 Grupo 7
Poster1 Grupo 7
 

Semelhante a Joao Reis Análise Matriz Am SessãO1

Trabalho Escolhido
Trabalho EscolhidoTrabalho Escolhido
Trabalho Escolhido
guest0d6192
 
Tarefa1 Parte2
Tarefa1 Parte2Tarefa1 Parte2
Tarefa1 Parte2
guest32cf90
 
ComentáRio Ao Trabalho Realizado Pelo Colega JoãO Pedro Costa
ComentáRio Ao Trabalho Realizado Pelo Colega JoãO Pedro CostaComentáRio Ao Trabalho Realizado Pelo Colega JoãO Pedro Costa
ComentáRio Ao Trabalho Realizado Pelo Colega JoãO Pedro Costa
guest85a6f52
 
1ª SessãO Tarefa 2
1ª SessãO   Tarefa 21ª SessãO   Tarefa 2
1ª SessãO Tarefa 2
Maria Fernanda
 
Maabe reflexão final paula de oliveira
Maabe reflexão final paula de oliveiraMaabe reflexão final paula de oliveira
Maabe reflexão final paula de oliveira
paulafernandadiogo
 
ComentáRio Ao Trabalho Realizado Pela Colega Carmo RomãO
ComentáRio Ao Trabalho Realizado Pela Colega Carmo RomãOComentáRio Ao Trabalho Realizado Pela Colega Carmo RomãO
ComentáRio Ao Trabalho Realizado Pela Colega Carmo RomãO
Sílvia Baltazar
 
Comentario Ao Trabalho De Conceicao Gomes[1]
Comentario Ao Trabalho De Conceicao Gomes[1]Comentario Ao Trabalho De Conceicao Gomes[1]
Comentario Ao Trabalho De Conceicao Gomes[1]
Macogomes
 
Comentário crítico
Comentário críticoComentário crítico
Comentário crítico
candidamatos
 
1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes
1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes
1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes
lurdesilva
 
Sessao2tarefa2
Sessao2tarefa2Sessao2tarefa2
Sessao2tarefa2
Rui Jorge
 
ComentáRio
ComentáRioComentáRio
ComentáRio
beloule
 
Pensar no futuro
Pensar no futuroPensar no futuro
Pensar no futuro
Escola D.Inês de Castro
 
Comentário à Tabela da Colega Carmo Romão
Comentário à Tabela da Colega Carmo RomãoComentário à Tabela da Colega Carmo Romão
Comentário à Tabela da Colega Carmo Romão
andretti26
 
Sessão 1 2ª Parte Da Tarefa
Sessão 1   2ª Parte Da TarefaSessão 1   2ª Parte Da Tarefa
Sessão 1 2ª Parte Da Tarefa
Gloria Lopes
 
Reflexão final
Reflexão finalReflexão final
Reflexão final
isabelsilvareis
 
Reflexão Final
Reflexão FinalReflexão Final
Reflexão Final
Sílvia Baltazar
 
Comentário Tabela Matriz
Comentário  Tabela  MatrizComentário  Tabela  Matriz
Comentário Tabela Matriz
anamariabpalma
 
Sessão 4 reflexao
Sessão 4 reflexaoSessão 4 reflexao
Sessão 4 reflexao
esperancasantos
 
Reflexão final - Ana S.
Reflexão final - Ana S.Reflexão final - Ana S.
Reflexão final - Ana S.
anapaulasilvasanches
 
Reflexão final Ana S.
Reflexão final Ana S.Reflexão final Ana S.
Reflexão final Ana S.
anapaulasilvasanches
 

Semelhante a Joao Reis Análise Matriz Am SessãO1 (20)

Trabalho Escolhido
Trabalho EscolhidoTrabalho Escolhido
Trabalho Escolhido
 
Tarefa1 Parte2
Tarefa1 Parte2Tarefa1 Parte2
Tarefa1 Parte2
 
ComentáRio Ao Trabalho Realizado Pelo Colega JoãO Pedro Costa
ComentáRio Ao Trabalho Realizado Pelo Colega JoãO Pedro CostaComentáRio Ao Trabalho Realizado Pelo Colega JoãO Pedro Costa
ComentáRio Ao Trabalho Realizado Pelo Colega JoãO Pedro Costa
 
1ª SessãO Tarefa 2
1ª SessãO   Tarefa 21ª SessãO   Tarefa 2
1ª SessãO Tarefa 2
 
Maabe reflexão final paula de oliveira
Maabe reflexão final paula de oliveiraMaabe reflexão final paula de oliveira
Maabe reflexão final paula de oliveira
 
ComentáRio Ao Trabalho Realizado Pela Colega Carmo RomãO
ComentáRio Ao Trabalho Realizado Pela Colega Carmo RomãOComentáRio Ao Trabalho Realizado Pela Colega Carmo RomãO
ComentáRio Ao Trabalho Realizado Pela Colega Carmo RomãO
 
Comentario Ao Trabalho De Conceicao Gomes[1]
Comentario Ao Trabalho De Conceicao Gomes[1]Comentario Ao Trabalho De Conceicao Gomes[1]
Comentario Ao Trabalho De Conceicao Gomes[1]
 
Comentário crítico
Comentário críticoComentário crítico
Comentário crítico
 
1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes
1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes
1ª Tarefa ComentáRio Zulmira Fernandes
 
Sessao2tarefa2
Sessao2tarefa2Sessao2tarefa2
Sessao2tarefa2
 
ComentáRio
ComentáRioComentáRio
ComentáRio
 
Pensar no futuro
Pensar no futuroPensar no futuro
Pensar no futuro
 
Comentário à Tabela da Colega Carmo Romão
Comentário à Tabela da Colega Carmo RomãoComentário à Tabela da Colega Carmo Romão
Comentário à Tabela da Colega Carmo Romão
 
Sessão 1 2ª Parte Da Tarefa
Sessão 1   2ª Parte Da TarefaSessão 1   2ª Parte Da Tarefa
Sessão 1 2ª Parte Da Tarefa
 
Reflexão final
Reflexão finalReflexão final
Reflexão final
 
Reflexão Final
Reflexão FinalReflexão Final
Reflexão Final
 
Comentário Tabela Matriz
Comentário  Tabela  MatrizComentário  Tabela  Matriz
Comentário Tabela Matriz
 
Sessão 4 reflexao
Sessão 4 reflexaoSessão 4 reflexao
Sessão 4 reflexao
 
Reflexão final - Ana S.
Reflexão final - Ana S.Reflexão final - Ana S.
Reflexão final - Ana S.
 
Reflexão final Ana S.
Reflexão final Ana S.Reflexão final Ana S.
Reflexão final Ana S.
 

Mais de João Alves Dos Reis

Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015
Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015
Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015
João Alves Dos Reis
 
Plano de acção be 1ºciclo
Plano de acção be 1ºcicloPlano de acção be 1ºciclo
Plano de acção be 1ºciclo
João Alves Dos Reis
 
Regulamento da zonaweb da biblioteca argoncilhe
Regulamento da zonaweb da biblioteca argoncilheRegulamento da zonaweb da biblioteca argoncilhe
Regulamento da zonaweb da biblioteca argoncilhe
João Alves Dos Reis
 
Paa ano letivo 2012 2013_final
Paa ano letivo 2012 2013_finalPaa ano letivo 2012 2013_final
Paa ano letivo 2012 2013_final
João Alves Dos Reis
 
Grupo3 parceria e trabalho colaborativo
Grupo3 parceria e trabalho colaborativoGrupo3 parceria e trabalho colaborativo
Grupo3 parceria e trabalho colaborativo
João Alves Dos Reis
 
Plano anual de actividades 2010 2011
Plano anual de actividades 2010 2011Plano anual de actividades 2010 2011
Plano anual de actividades 2010 2011
João Alves Dos Reis
 
Festival vozes de magaio 2011 programa maio
Festival vozes de magaio 2011   programa maioFestival vozes de magaio 2011   programa maio
Festival vozes de magaio 2011 programa maio
João Alves Dos Reis
 
Biblioteca
BibliotecaBiblioteca
Plano de accao_2009-2013
Plano de accao_2009-2013Plano de accao_2009-2013
Plano de accao_2009-2013
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais Especificos
Joao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais EspecificosJoao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais Especificos
Joao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais Especificos
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo Descritivo
Joao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo DescritivoJoao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo Descritivo
Joao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo Descritivo
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRioJoao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis Sessão 6 Tarefa1 Quadro
Joao Reis Sessão 6 Tarefa1 QuadroJoao Reis Sessão 6 Tarefa1 Quadro
Joao Reis Sessão 6 Tarefa1 Quadro
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2
Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2
Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3
Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3
Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5
Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5
Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis Tarefa 1 Parte 2 SessãO5 Ac Futuras
Joao Reis Tarefa 1 Parte 2 SessãO5 Ac FuturasJoao Reis Tarefa 1 Parte 2 SessãO5 Ac Futuras
Joao Reis Tarefa 1 Parte 2 SessãO5 Ac Futuras
João Alves Dos Reis
 
Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4
Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4
Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4
João Alves Dos Reis
 
Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3
Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3
Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3
João Alves Dos Reis
 

Mais de João Alves Dos Reis (20)

Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015
Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015
Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015
 
Plano de acção be 1ºciclo
Plano de acção be 1ºcicloPlano de acção be 1ºciclo
Plano de acção be 1ºciclo
 
Regulamento da zonaweb da biblioteca argoncilhe
Regulamento da zonaweb da biblioteca argoncilheRegulamento da zonaweb da biblioteca argoncilhe
Regulamento da zonaweb da biblioteca argoncilhe
 
Paa ano letivo 2012 2013_final
Paa ano letivo 2012 2013_finalPaa ano letivo 2012 2013_final
Paa ano letivo 2012 2013_final
 
Planta be argoncilhe
Planta be argoncilhePlanta be argoncilhe
Planta be argoncilhe
 
Grupo3 parceria e trabalho colaborativo
Grupo3 parceria e trabalho colaborativoGrupo3 parceria e trabalho colaborativo
Grupo3 parceria e trabalho colaborativo
 
Plano anual de actividades 2010 2011
Plano anual de actividades 2010 2011Plano anual de actividades 2010 2011
Plano anual de actividades 2010 2011
 
Festival vozes de magaio 2011 programa maio
Festival vozes de magaio 2011   programa maioFestival vozes de magaio 2011   programa maio
Festival vozes de magaio 2011 programa maio
 
Biblioteca
BibliotecaBiblioteca
Biblioteca
 
Plano de accao_2009-2013
Plano de accao_2009-2013Plano de accao_2009-2013
Plano de accao_2009-2013
 
Joao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais Especificos
Joao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais EspecificosJoao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais Especificos
Joao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais Especificos
 
Joao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo Descritivo
Joao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo DescritivoJoao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo Descritivo
Joao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo Descritivo
 
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRioJoao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
 
Joao Reis Sessão 6 Tarefa1 Quadro
Joao Reis Sessão 6 Tarefa1 QuadroJoao Reis Sessão 6 Tarefa1 Quadro
Joao Reis Sessão 6 Tarefa1 Quadro
 
Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2
Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2
Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2
 
Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3
Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3
Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3
 
Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5
Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5
Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5
 
Joao Reis Tarefa 1 Parte 2 SessãO5 Ac Futuras
Joao Reis Tarefa 1 Parte 2 SessãO5 Ac FuturasJoao Reis Tarefa 1 Parte 2 SessãO5 Ac Futuras
Joao Reis Tarefa 1 Parte 2 SessãO5 Ac Futuras
 
Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4
Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4
Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4
 
Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3
Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3
Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3
 

Último

Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 

Último (20)

Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 

Joao Reis Análise Matriz Am SessãO1

  • 1. Sessão 1 Análise a Matriz Formando: João Alves dos Reis Análise à Matriz da colega Anabela Martins Breve Introdução Escolhi analisar a matriz da colega Anabela Martins porque, com a minha falta de experiência enquanto Professor Bibliotecário, optei por escolher a “opinião” de alguém com bastantes anos de contacto com a realidade das bibliotecas, que conheça o seu dia a dia e os seus constrangimentos. A minha falta de experiência ao nível das bibliotecas escolares aporta-me um lirismo em excesso que, certamente, se reflectiu na minha matriz (como a colega Anabela Martins apontou na sua análise, e bem). Espero não vir a perdê-lo completamente, mas que a minha veia poética possa, doravante, ser mais pragmática e real. Passando à análise da matriz, irei observar os diferentes itens e tentar apontar caminhos que considere divergentes daqueles que eu próprio defendo. Importa dizer que, no geral, concordo com a maioria dos pontos referenciados, embora me pareça pertinente referir alguns que me levantaram algumas dúvidas ou com os quais eu possa não estar completamente de acordo. Em relação às Competências do professor bibliotecário permaneço com algumas dúvidas relativamente ao conceito de Apoio individualizado, no item “Pontos Fortes” – Quererá a colega dizer que o PB enquadra a sua acção num apoio contínuo e permanente ao seu território (a Biblioteca) e a tudo o que com ele interage? A primeira questão que me suscita algumas reticências (mas cada escola é uma escola…) é quando refere, no ponto dedicado às competências do Professor Bibliotecário, no item “fraquezas”, a falta de apoio do Director. Poderá sê-lo circunstancialmente. No meu caso, não o sinto, e pressinto que as direcções escolares irão ter, doravante, um interlocutor importante com poderes “legalmente” mais abrangentes e um parceiro importante na gestão do currículo e do sucesso escolar. Nas “fraquezas”, ainda, não vejo citada a “falta de tempo”, que no meu caso, de pouca ou nenhuma experiência bibliotecária, tem sido um verdadeiro calcanhar de Aquiles (provavelmente por circunstâncias próprias do meu agrupamento). Relativamente às “oportunidades”, concordo que a formação profissional constitui uma mais-valia importante e crucial (neste caso, decisiva para mim), a inovação e os Formando: João Alves dos Reis Página 1
  • 2. Sessão 1 Análise a Matriz novos desafios que se prendem com uma questão muito cara à colega Anabela: os novos desafios TIC e PTE. No item “ameaças”, ao contrário da colega, tenho sorte de contar com uma Técnica Operacional bastante qualificada e interessada. Penso até que, neste caso, a ameaça está no vazio de carreira para esses técnicos operacionais que, com formação, vão deixando as escolas e procurando outras paragens. No que respeita à Organização e Gestão da BE, penso ser importante a colaboração e a abertura das Bibliotecas Escolares à comunidade onde se inserem, sobretudo tratando-se de meios pequenos – como é o caso de Pataias, e a criação de uma equipa nesse âmbito, como sugere a colega. No mais, e neste subtema, deparo- me também eu com um espaço reduzido, mas contrariamente à colega, tenho muita colaboração dos diferentes colegas e departamentos curriculares. A falta de verba é uma questão transversal a todos nós, Professores Bibliotecários. Importante, neste ponto, que a colecção vá ao encontro das necessidades do currículo e da procura dos alunos. Quanto à “Gestão da Colecção”, observo, nesta ainda curta experiência e concordo com a colega Anabela, quando ela se refere à falta de tempo para catalogação, à falta de recursos humanos, sobretudo quando, os que há, são despejados na Biblioteca para cumprimento de pequenas parcelas de tempo. Relativamente à “Formação Para a Leitura e Para as Literacias”, importa referir a necessidade de educar para as novas tecnologias, em geral tão mal utilizadas pelos nossos alunos e fazer a ponte entre a tecnologia e a leitura e as aprendizagens significativas para a construção do conhecimento. (a “invasão” tecnológica deve ser acompanhada e gerida com muitos cuidados – propositadamente no plural) No ponto BE e novos ambientes digitais, reparo que aponta a pouca formação e a pouca integração das TIC nas práticas lectivas. Sempre me bati, ao longo dos últimos anos, pelo combate contra os professores “info-auto-excluidos”, tentando adivinhar os tempos que aí vinham e penso que a utilização das TIC nas práticas lectivas é agora “quase” uma constante, bem como a preparação de materiais em formato digital e a utilização de plataformas de comunicação e aprendizagem e-learning, como o “Moodle”, que tanto poderão beneficiar as nossas bibliotecas. A resistência à inovação e à integração das novas tecnologias, como refere nos “Obstáculos a Vencer”, já foi, portanto, muito maior, pelo menos nas realidades que conheço melhor. Concordo e reforço a ideia da colega, relativamente á gestão de evidências/avaliação, no que respeita à importância do Plano de Acção como factor de medição de sucesso do papel dos intervenientes na Biblioteca e do Professor Bibliotecário. Formando: João Alves dos Reis Página 2