SlideShare uma empresa Scribd logo
Semana.5 – Tarefa 1/parte 2                             O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização II




O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização II

Domínio / Sub-domínio

D. Gestão da Biblioteca Escolar
D.1. Articulação da Biblioteca Escolar com a Escola/Agrupamento. Acesso e Serviços Prestados pela Biblioteca Escolar


Acções Futuras – D.1
                                                                                         Sabemos que esta questão não é de fácil
                                                                                         resolução (e digo-o por experiência própria de
                                                                                         elemento de equipa de horários), contudo muitas
                                           Aceitar, sem condições, a colocação,          destas opções podem condicionar a dinâmica da
                                           pela Direcção, de um conjunto de              Biblioteca e a própria escolha da Equipa da
                                           professores colaboradores, sem                Biblioteca.
                                           auscultar a opinião do Professor              Para além deste problema, outro surge: o pouco
                                           Bibliotecário.                                tempo que um número alargado de professores
                                                                                         permanece na biblioteca, não lhe deixando
A Biblioteca Escolar deveria deixar de…                                                  margem para colaborar em alguns projectos que
                                                                                         necessitavam de mais recursos humanos.
                                                                                         A Biblioteca Escolar deve ser entendida de uma
                                                                                         forma positiva, uma mais valia para o alunos e
                                                                                         um local agradável para estar, um espaço de
                                           Ser encarada por alguns professores
                                                                                         trabalho e de construção de conhecimentos.
                                           como um pseudo local de castigo.
                                                                                         Deve ser, sempre, resultado de uma livre escolha
                                                                                         do aluno e não uma imposição, um castigo, uma
                                                                                         espécie de sítio de degredo.
                                           Cimentar o seu papel relevante de             A imagem da Biblioteca Escolar pode contribuir
                                           parceiro fundamental na construção do         para uma melhor ou pior escola. Mas para além
A Biblioteca Escolar deve continuar a…
                                           conhecimento e promover um marketing          desta imagem existe a prática diária, o diálogo
                                           positivo permanente.                          constante com os professores, os departamentos,


Formando: João Alves dos Reis                                                                                                             Página 1
Semana.5 – Tarefa 1/parte 2                         O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização II




                                                                                     os clubes, as áreas curriculares não disciplinares,
                                                                                     os diferentes parceiros educativos.
                                       Promover um equilíbrio entre o seu            É extremamente importante, dentro dos
                                       acervo documental (promovendo a sua           condicionalismos, do equilíbrio, das necessidades
                                       actualização e a novidade) e o                curriculares e das aprendizagens significativas, ir
                                       desenvolvimento do parque informático,        ao encontro das necessidades de quem
                                       por forma a que o primeiro não definhe        frequenta, com mais ou menos assiduidade, o
                                       às mãos do segundo e se torne seu             espaço da Biblioteca Escolar. Tornar esse
                                       escravo (é este, afinal, o grande desafio     frequentador exigente, dentro de certos padrões
                                       das Bibliotecas Escolares e dos               culturais, é também uma missão dos PB e da
                                       Professores Bibliotecários no dealbar do      Biblioteca Escolar.
                                       séc. XXI).
                                       Abrir cada vez mais as suas portas à          Os pais e encarregados de educação têm um
                                       comunidade escolar alargada e à               papel primordial na promoção da leitura dos seus
                                       comunidade local, promovendo                  educandos e no desenvolvimento cultural e social
                                       encontros e serões culturais e                dos mesmos. Só pais informados e interessados
                                       desenvolvendo parcerias e protocolos          produzem nos seus educandos os efeitos por nós
                                       com as Câmaras Municipais / Juntas de         (educadores) sonhados. Eles são o parceiro
                                       Freguesia e/ou empresas.                      primordial numa sociedade em transformação.
A Biblioteca Escolar deve começar a…                                                 Os meios postos à disposição das Bibliotecas
                                       Produzir receitas próprias recorrendo a       Escolares são sempre escassos (pelo menos
                                       sorteios, a rifas, a doações, a protocolos    para quem os tem de gerir em função das
                                       com empresas ou entidades oficiais            necessidades dos alunos, professores e pessoal
                                       potenciais utilizadoras das instalações       não docente). As verbas provenientes do PNL
                                       da Biblioteca Escolar.                        são empregues, na sua totalidade, na compra de
                                                                                     livros, ficando um largo conjunto de recursos não
                                                                                     abrangido: enciclopédias, dvd, cd áudio, jogos…




Formando: João Alves dos Reis                                                                                                         Página 2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A C
A CA C
Perfis Profissionais Becre Theka Maio 2008 Mjv[1]
Perfis Profissionais Becre Theka Maio 2008 Mjv[1]Perfis Profissionais Becre Theka Maio 2008 Mjv[1]
Perfis Profissionais Becre Theka Maio 2008 Mjv[1]
Maria Jose Vitorino
 
Projecto final
Projecto finalProjecto final
Projecto final
IsabelPereira2010
 
Plano de Acção 2009-2013
Plano de Acção 2009-2013Plano de Acção 2009-2013
Plano de Acção 2009-2013
antoniogranjo
 
Profissão: Professor bibliotecário - síntese escrita da apresentação de 27 de...
Profissão: Professor bibliotecário - síntese escrita da apresentação de 27 de...Profissão: Professor bibliotecário - síntese escrita da apresentação de 27 de...
Profissão: Professor bibliotecário - síntese escrita da apresentação de 27 de...
Sandra Nunes
 
Joao Reis SessãO 1 Tabela Matriz
Joao Reis SessãO  1 Tabela MatrizJoao Reis SessãO  1 Tabela Matriz
Joao Reis SessãO 1 Tabela Matriz
João Alves Dos Reis
 
1.ª Tarefa SíLvia Baltazar
1.ª Tarefa SíLvia Baltazar1.ª Tarefa SíLvia Baltazar
1.ª Tarefa SíLvia Baltazar
Sílvia Baltazar
 
Tabela Matriz
Tabela MatrizTabela Matriz
Tabela Matriz
Sandra Alves
 
Plano de actividades da be09 010
Plano de actividades da be09 010Plano de actividades da be09 010
Plano de actividades da be09 010
cristianalopes
 
Tabela Matriz Novo Curso
Tabela Matriz   Novo CursoTabela Matriz   Novo Curso
Tabela Matriz Novo Curso
bibliotecasalir
 
Análise e comentário crítico, AEE
Análise e comentário crítico, AEEAnálise e comentário crítico, AEE
Análise e comentário crítico, AEE
anapaulasilvasanches
 
Boletim Informativo
Boletim InformativoBoletim Informativo
Directrizes da UNESCO/IFLA 02
Directrizes da UNESCO/IFLA 02Directrizes da UNESCO/IFLA 02
Directrizes da UNESCO/IFLA 02
FilipaNeves
 
Tabela sessao mod._escola-_trab_1
Tabela sessao mod._escola-_trab_1Tabela sessao mod._escola-_trab_1
Tabela sessao mod._escola-_trab_1
alexandranuneslopes
 
Grelha da Semana da Leitura 2012
Grelha da Semana da Leitura 2012Grelha da Semana da Leitura 2012
Grelha da Semana da Leitura 2012
BibliotecaDMFS
 
Plano de accao_2009-2013
Plano de accao_2009-2013Plano de accao_2009-2013
Plano de accao_2009-2013
João Alves Dos Reis
 
Reuniao concelhia porto_out_2012
Reuniao concelhia porto_out_2012Reuniao concelhia porto_out_2012
Reuniao concelhia porto_out_2012
IsabelPereira2010
 
Boletim Cr 1a
Boletim Cr 1aBoletim Cr 1a
Boletim Cr 1a
Julieta Silva
 
Operacionalização da Auto-Avaliação da BE- Planificação
Operacionalização da Auto-Avaliação da BE- PlanificaçãoOperacionalização da Auto-Avaliação da BE- Planificação
Operacionalização da Auto-Avaliação da BE- Planificação
Escola D.Inês de Castro
 

Mais procurados (19)

A C
A CA C
A C
 
Perfis Profissionais Becre Theka Maio 2008 Mjv[1]
Perfis Profissionais Becre Theka Maio 2008 Mjv[1]Perfis Profissionais Becre Theka Maio 2008 Mjv[1]
Perfis Profissionais Becre Theka Maio 2008 Mjv[1]
 
Projecto final
Projecto finalProjecto final
Projecto final
 
Plano de Acção 2009-2013
Plano de Acção 2009-2013Plano de Acção 2009-2013
Plano de Acção 2009-2013
 
Profissão: Professor bibliotecário - síntese escrita da apresentação de 27 de...
Profissão: Professor bibliotecário - síntese escrita da apresentação de 27 de...Profissão: Professor bibliotecário - síntese escrita da apresentação de 27 de...
Profissão: Professor bibliotecário - síntese escrita da apresentação de 27 de...
 
Joao Reis SessãO 1 Tabela Matriz
Joao Reis SessãO  1 Tabela MatrizJoao Reis SessãO  1 Tabela Matriz
Joao Reis SessãO 1 Tabela Matriz
 
1.ª Tarefa SíLvia Baltazar
1.ª Tarefa SíLvia Baltazar1.ª Tarefa SíLvia Baltazar
1.ª Tarefa SíLvia Baltazar
 
Tabela Matriz
Tabela MatrizTabela Matriz
Tabela Matriz
 
Plano de actividades da be09 010
Plano de actividades da be09 010Plano de actividades da be09 010
Plano de actividades da be09 010
 
Tabela Matriz Novo Curso
Tabela Matriz   Novo CursoTabela Matriz   Novo Curso
Tabela Matriz Novo Curso
 
Análise e comentário crítico, AEE
Análise e comentário crítico, AEEAnálise e comentário crítico, AEE
Análise e comentário crítico, AEE
 
Boletim Informativo
Boletim InformativoBoletim Informativo
Boletim Informativo
 
Directrizes da UNESCO/IFLA 02
Directrizes da UNESCO/IFLA 02Directrizes da UNESCO/IFLA 02
Directrizes da UNESCO/IFLA 02
 
Tabela sessao mod._escola-_trab_1
Tabela sessao mod._escola-_trab_1Tabela sessao mod._escola-_trab_1
Tabela sessao mod._escola-_trab_1
 
Grelha da Semana da Leitura 2012
Grelha da Semana da Leitura 2012Grelha da Semana da Leitura 2012
Grelha da Semana da Leitura 2012
 
Plano de accao_2009-2013
Plano de accao_2009-2013Plano de accao_2009-2013
Plano de accao_2009-2013
 
Reuniao concelhia porto_out_2012
Reuniao concelhia porto_out_2012Reuniao concelhia porto_out_2012
Reuniao concelhia porto_out_2012
 
Boletim Cr 1a
Boletim Cr 1aBoletim Cr 1a
Boletim Cr 1a
 
Operacionalização da Auto-Avaliação da BE- Planificação
Operacionalização da Auto-Avaliação da BE- PlanificaçãoOperacionalização da Auto-Avaliação da BE- Planificação
Operacionalização da Auto-Avaliação da BE- Planificação
 

Destaque

Doc1
Doc1Doc1
Resultados Eleitorais Feteira
Resultados Eleitorais FeteiraResultados Eleitorais Feteira
Resultados Eleitorais Feteira
maisfeteira
 
V
VV
Cartaz Astronomia
Cartaz AstronomiaCartaz Astronomia
Cartaz Astronomia
guest7e2b44
 
Boletim informativo de Guarulhos - Novembro de 2009
Boletim informativo de Guarulhos - Novembro de 2009Boletim informativo de Guarulhos - Novembro de 2009
Boletim informativo de Guarulhos - Novembro de 2009
Governo do Estado de São Paulo
 
Boletim informativo de Ubatuba - Dezembro de 2009
Boletim informativo de Ubatuba - Dezembro de 2009Boletim informativo de Ubatuba - Dezembro de 2009
Boletim informativo de Ubatuba - Dezembro de 2009
Governo do Estado de São Paulo
 
.
..
Tarefa 7 FóRum 2
Tarefa 7 FóRum 2Tarefa 7 FóRum 2
Tarefa 7 FóRum 2
guest39be69
 
BOLETIM SEMANAL EDIÇÃO ESPECIAL
BOLETIM SEMANAL EDIÇÃO ESPECIALBOLETIM SEMANAL EDIÇÃO ESPECIAL
BOLETIM SEMANAL EDIÇÃO ESPECIAL
imelriocasca
 
Protocolo De Fuba
Protocolo De FubaProtocolo De Fuba
Protocolo De Fuba
Luciana Oroz
 
Matías B
Matías BMatías B
Matías B
pertileivan
 
Apresentacao CCJF
Apresentacao CCJFApresentacao CCJF
Apresentacao CCJF
RioFilme
 
Rol De Juegos Fecha 9
Rol De Juegos Fecha 9Rol De Juegos Fecha 9
Rol De Juegos Fecha 9
Kuroneko Castañeda Verdugo
 
Comentário ao trabalho da colega Isabel Sousa
Comentário ao trabalho da colega Isabel SousaComentário ao trabalho da colega Isabel Sousa
Comentário ao trabalho da colega Isabel Sousa
claudinapires
 
Accoes_FUTURAS_D2_Teresa_Maia
Accoes_FUTURAS_D2_Teresa_MaiaAccoes_FUTURAS_D2_Teresa_Maia
Accoes_FUTURAS_D2_Teresa_Maia
Teresa Maia
 
Enquanto espero, eu tenho guardado o meu amor: o livro
Enquanto espero, eu tenho guardado o meu amor: o livroEnquanto espero, eu tenho guardado o meu amor: o livro
Enquanto espero, eu tenho guardado o meu amor: o livro
prgerio
 
Dia Nacional da Cultura Cientifica 2
Dia Nacional da Cultura Cientifica 2Dia Nacional da Cultura Cientifica 2
Dia Nacional da Cultura Cientifica 2
nuno.jose.duarte
 
Boletim informativo de São Bernardo do Campo - Novembro de 2009
Boletim informativo de São Bernardo do Campo - Novembro de 2009Boletim informativo de São Bernardo do Campo - Novembro de 2009
Boletim informativo de São Bernardo do Campo - Novembro de 2009
Governo do Estado de São Paulo
 
Ghent bot
Ghent botGhent bot
Ghent bot
yuriy2012
 

Destaque (19)

Doc1
Doc1Doc1
Doc1
 
Resultados Eleitorais Feteira
Resultados Eleitorais FeteiraResultados Eleitorais Feteira
Resultados Eleitorais Feteira
 
V
VV
V
 
Cartaz Astronomia
Cartaz AstronomiaCartaz Astronomia
Cartaz Astronomia
 
Boletim informativo de Guarulhos - Novembro de 2009
Boletim informativo de Guarulhos - Novembro de 2009Boletim informativo de Guarulhos - Novembro de 2009
Boletim informativo de Guarulhos - Novembro de 2009
 
Boletim informativo de Ubatuba - Dezembro de 2009
Boletim informativo de Ubatuba - Dezembro de 2009Boletim informativo de Ubatuba - Dezembro de 2009
Boletim informativo de Ubatuba - Dezembro de 2009
 
.
..
.
 
Tarefa 7 FóRum 2
Tarefa 7 FóRum 2Tarefa 7 FóRum 2
Tarefa 7 FóRum 2
 
BOLETIM SEMANAL EDIÇÃO ESPECIAL
BOLETIM SEMANAL EDIÇÃO ESPECIALBOLETIM SEMANAL EDIÇÃO ESPECIAL
BOLETIM SEMANAL EDIÇÃO ESPECIAL
 
Protocolo De Fuba
Protocolo De FubaProtocolo De Fuba
Protocolo De Fuba
 
Matías B
Matías BMatías B
Matías B
 
Apresentacao CCJF
Apresentacao CCJFApresentacao CCJF
Apresentacao CCJF
 
Rol De Juegos Fecha 9
Rol De Juegos Fecha 9Rol De Juegos Fecha 9
Rol De Juegos Fecha 9
 
Comentário ao trabalho da colega Isabel Sousa
Comentário ao trabalho da colega Isabel SousaComentário ao trabalho da colega Isabel Sousa
Comentário ao trabalho da colega Isabel Sousa
 
Accoes_FUTURAS_D2_Teresa_Maia
Accoes_FUTURAS_D2_Teresa_MaiaAccoes_FUTURAS_D2_Teresa_Maia
Accoes_FUTURAS_D2_Teresa_Maia
 
Enquanto espero, eu tenho guardado o meu amor: o livro
Enquanto espero, eu tenho guardado o meu amor: o livroEnquanto espero, eu tenho guardado o meu amor: o livro
Enquanto espero, eu tenho guardado o meu amor: o livro
 
Dia Nacional da Cultura Cientifica 2
Dia Nacional da Cultura Cientifica 2Dia Nacional da Cultura Cientifica 2
Dia Nacional da Cultura Cientifica 2
 
Boletim informativo de São Bernardo do Campo - Novembro de 2009
Boletim informativo de São Bernardo do Campo - Novembro de 2009Boletim informativo de São Bernardo do Campo - Novembro de 2009
Boletim informativo de São Bernardo do Campo - Novembro de 2009
 
Ghent bot
Ghent botGhent bot
Ghent bot
 

Semelhante a Joao Reis Tarefa 1 Parte 2 SessãO5 Ac Futuras

Tabela Matriz Novo Curso
Tabela Matriz   Novo CursoTabela Matriz   Novo Curso
Tabela Matriz Novo Curso
luinog
 
112
112112
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopesTabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
alexandranuneslopes
 
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopesTabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
alexandranuneslopes
 
AcçõEs Futuras.D.2 Pdf
AcçõEs Futuras.D.2 PdfAcçõEs Futuras.D.2 Pdf
AcçõEs Futuras.D.2 Pdf
dinadourado
 
Tabela Matriz
Tabela MatrizTabela Matriz
Tabela Matriz
BibliotecaRoque
 
Tabela Matriz Novo Curso
Tabela Matriz   Novo CursoTabela Matriz   Novo Curso
Tabela Matriz Novo Curso
bibliotecasalir
 
Formação BE 6b
Formação BE 6bFormação BE 6b
Formação BE 6b
isabelmariaribeiromendes
 
Tabela Matriz 2009
Tabela Matriz 2009Tabela Matriz 2009
Tabela Matriz 2009
guestf38751
 
Tabela Matriz 2009 Original
Tabela Matriz 2009  OriginalTabela Matriz 2009  Original
Tabela Matriz 2009 Original
NoemiaMaria
 
Sessao3tarefa2
Sessao3tarefa2Sessao3tarefa2
Sessao3tarefa2
Rui Jorge
 
Tabela Matriz Novo Curso[1]
Tabela Matriz   Novo Curso[1]Tabela Matriz   Novo Curso[1]
Tabela Matriz Novo Curso[1]
Macogomes
 
Tabela Matriz Novo Curso
Tabela Matriz   Novo CursoTabela Matriz   Novo Curso
Tabela Matriz Novo Curso
becrenm
 
Modelo Auto-avaliação BE
Modelo Auto-avaliação BEModelo Auto-avaliação BE
Modelo Auto-avaliação BE
lidia76
 
Plano acçao biblioteca_castelo
Plano acçao biblioteca_casteloPlano acçao biblioteca_castelo
Plano acçao biblioteca_castelo
Teresa Gonçalves
 
2ªTarefa 1ªParte
2ªTarefa 1ªParte2ªTarefa 1ªParte
2ªTarefa 1ªParte
isabelsousaalves
 
Proposta de Workshop (MAABE)
Proposta de Workshop (MAABE)Proposta de Workshop (MAABE)
Proposta de Workshop (MAABE)
Suzana Marquês
 
Sessão 2 reflexão
Sessão 2  reflexãoSessão 2  reflexão
Sessão 2 reflexão
esperancasantos
 
Sessão 3 reflexao
Sessão 3 reflexaoSessão 3 reflexao
Sessão 3 reflexao
esperancasantos
 
127
127127

Semelhante a Joao Reis Tarefa 1 Parte 2 SessãO5 Ac Futuras (20)

Tabela Matriz Novo Curso
Tabela Matriz   Novo CursoTabela Matriz   Novo Curso
Tabela Matriz Novo Curso
 
112
112112
112
 
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopesTabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
 
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopesTabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
 
AcçõEs Futuras.D.2 Pdf
AcçõEs Futuras.D.2 PdfAcçõEs Futuras.D.2 Pdf
AcçõEs Futuras.D.2 Pdf
 
Tabela Matriz
Tabela MatrizTabela Matriz
Tabela Matriz
 
Tabela Matriz Novo Curso
Tabela Matriz   Novo CursoTabela Matriz   Novo Curso
Tabela Matriz Novo Curso
 
Formação BE 6b
Formação BE 6bFormação BE 6b
Formação BE 6b
 
Tabela Matriz 2009
Tabela Matriz 2009Tabela Matriz 2009
Tabela Matriz 2009
 
Tabela Matriz 2009 Original
Tabela Matriz 2009  OriginalTabela Matriz 2009  Original
Tabela Matriz 2009 Original
 
Sessao3tarefa2
Sessao3tarefa2Sessao3tarefa2
Sessao3tarefa2
 
Tabela Matriz Novo Curso[1]
Tabela Matriz   Novo Curso[1]Tabela Matriz   Novo Curso[1]
Tabela Matriz Novo Curso[1]
 
Tabela Matriz Novo Curso
Tabela Matriz   Novo CursoTabela Matriz   Novo Curso
Tabela Matriz Novo Curso
 
Modelo Auto-avaliação BE
Modelo Auto-avaliação BEModelo Auto-avaliação BE
Modelo Auto-avaliação BE
 
Plano acçao biblioteca_castelo
Plano acçao biblioteca_casteloPlano acçao biblioteca_castelo
Plano acçao biblioteca_castelo
 
2ªTarefa 1ªParte
2ªTarefa 1ªParte2ªTarefa 1ªParte
2ªTarefa 1ªParte
 
Proposta de Workshop (MAABE)
Proposta de Workshop (MAABE)Proposta de Workshop (MAABE)
Proposta de Workshop (MAABE)
 
Sessão 2 reflexão
Sessão 2  reflexãoSessão 2  reflexão
Sessão 2 reflexão
 
Sessão 3 reflexao
Sessão 3 reflexaoSessão 3 reflexao
Sessão 3 reflexao
 
127
127127
127
 

Mais de João Alves Dos Reis

Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015
Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015
Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015
João Alves Dos Reis
 
Plano de acção be 1ºciclo
Plano de acção be 1ºcicloPlano de acção be 1ºciclo
Plano de acção be 1ºciclo
João Alves Dos Reis
 
Regulamento da zonaweb da biblioteca argoncilhe
Regulamento da zonaweb da biblioteca argoncilheRegulamento da zonaweb da biblioteca argoncilhe
Regulamento da zonaweb da biblioteca argoncilhe
João Alves Dos Reis
 
Paa ano letivo 2012 2013_final
Paa ano letivo 2012 2013_finalPaa ano letivo 2012 2013_final
Paa ano letivo 2012 2013_final
João Alves Dos Reis
 
Grupo3 parceria e trabalho colaborativo
Grupo3 parceria e trabalho colaborativoGrupo3 parceria e trabalho colaborativo
Grupo3 parceria e trabalho colaborativo
João Alves Dos Reis
 
Plano anual de actividades 2010 2011
Plano anual de actividades 2010 2011Plano anual de actividades 2010 2011
Plano anual de actividades 2010 2011
João Alves Dos Reis
 
Festival vozes de magaio 2011 programa maio
Festival vozes de magaio 2011   programa maioFestival vozes de magaio 2011   programa maio
Festival vozes de magaio 2011 programa maio
João Alves Dos Reis
 
Biblioteca
BibliotecaBiblioteca
Joao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais Especificos
Joao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais EspecificosJoao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais Especificos
Joao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais Especificos
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRioJoao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis Sessão 6 Tarefa1 Quadro
Joao Reis Sessão 6 Tarefa1 QuadroJoao Reis Sessão 6 Tarefa1 Quadro
Joao Reis Sessão 6 Tarefa1 Quadro
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2
Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2
Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3
Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3
Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5
Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5
Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5
João Alves Dos Reis
 
Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4
Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4
Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4
João Alves Dos Reis
 
Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3
Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3
Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis Workshopformativo SessãO2
Joao Reis Workshopformativo SessãO2Joao Reis Workshopformativo SessãO2
Joao Reis Workshopformativo SessãO2
João Alves Dos Reis
 
Joao Reis Análise Matriz Am SessãO1
Joao Reis Análise Matriz Am SessãO1Joao Reis Análise Matriz Am SessãO1
Joao Reis Análise Matriz Am SessãO1
João Alves Dos Reis
 

Mais de João Alves Dos Reis (19)

Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015
Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015
Aquedadamonarquia 1ªrepublica hgp2015
 
Plano de acção be 1ºciclo
Plano de acção be 1ºcicloPlano de acção be 1ºciclo
Plano de acção be 1ºciclo
 
Regulamento da zonaweb da biblioteca argoncilhe
Regulamento da zonaweb da biblioteca argoncilheRegulamento da zonaweb da biblioteca argoncilhe
Regulamento da zonaweb da biblioteca argoncilhe
 
Paa ano letivo 2012 2013_final
Paa ano letivo 2012 2013_finalPaa ano letivo 2012 2013_final
Paa ano letivo 2012 2013_final
 
Planta be argoncilhe
Planta be argoncilhePlanta be argoncilhe
Planta be argoncilhe
 
Grupo3 parceria e trabalho colaborativo
Grupo3 parceria e trabalho colaborativoGrupo3 parceria e trabalho colaborativo
Grupo3 parceria e trabalho colaborativo
 
Plano anual de actividades 2010 2011
Plano anual de actividades 2010 2011Plano anual de actividades 2010 2011
Plano anual de actividades 2010 2011
 
Festival vozes de magaio 2011 programa maio
Festival vozes de magaio 2011   programa maioFestival vozes de magaio 2011   programa maio
Festival vozes de magaio 2011 programa maio
 
Biblioteca
BibliotecaBiblioteca
Biblioteca
 
Joao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais Especificos
Joao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais EspecificosJoao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais Especificos
Joao Reis Sessao 7 Forum2 Gerais Especificos
 
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRioJoao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
Joao Reis Sessão 6 Tarefa2 ComentáRio
 
Joao Reis Sessão 6 Tarefa1 Quadro
Joao Reis Sessão 6 Tarefa1 QuadroJoao Reis Sessão 6 Tarefa1 Quadro
Joao Reis Sessão 6 Tarefa1 Quadro
 
Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2
Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2
Joao Reis Tarefa1 Parte2 SessãO2
 
Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3
Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3
Joao Reis AutoavaliaçãO Bib Pataias SessãO3
 
Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5
Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5
Joao Reis Tarefa 1 Parte 1 SessãO5
 
Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4
Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4
Joao Alves Reis C1 C1.2 C1.4 SessãO4
 
Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3
Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3
Jooa Reis Tarefa 1 Parte 2 ComentáRio SessãO3
 
Joao Reis Workshopformativo SessãO2
Joao Reis Workshopformativo SessãO2Joao Reis Workshopformativo SessãO2
Joao Reis Workshopformativo SessãO2
 
Joao Reis Análise Matriz Am SessãO1
Joao Reis Análise Matriz Am SessãO1Joao Reis Análise Matriz Am SessãO1
Joao Reis Análise Matriz Am SessãO1
 

Último

Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 

Último (20)

Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 

Joao Reis Tarefa 1 Parte 2 SessãO5 Ac Futuras

  • 1. Semana.5 – Tarefa 1/parte 2 O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização II O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização II Domínio / Sub-domínio D. Gestão da Biblioteca Escolar D.1. Articulação da Biblioteca Escolar com a Escola/Agrupamento. Acesso e Serviços Prestados pela Biblioteca Escolar Acções Futuras – D.1 Sabemos que esta questão não é de fácil resolução (e digo-o por experiência própria de elemento de equipa de horários), contudo muitas Aceitar, sem condições, a colocação, destas opções podem condicionar a dinâmica da pela Direcção, de um conjunto de Biblioteca e a própria escolha da Equipa da professores colaboradores, sem Biblioteca. auscultar a opinião do Professor Para além deste problema, outro surge: o pouco Bibliotecário. tempo que um número alargado de professores permanece na biblioteca, não lhe deixando A Biblioteca Escolar deveria deixar de… margem para colaborar em alguns projectos que necessitavam de mais recursos humanos. A Biblioteca Escolar deve ser entendida de uma forma positiva, uma mais valia para o alunos e um local agradável para estar, um espaço de Ser encarada por alguns professores trabalho e de construção de conhecimentos. como um pseudo local de castigo. Deve ser, sempre, resultado de uma livre escolha do aluno e não uma imposição, um castigo, uma espécie de sítio de degredo. Cimentar o seu papel relevante de A imagem da Biblioteca Escolar pode contribuir parceiro fundamental na construção do para uma melhor ou pior escola. Mas para além A Biblioteca Escolar deve continuar a… conhecimento e promover um marketing desta imagem existe a prática diária, o diálogo positivo permanente. constante com os professores, os departamentos, Formando: João Alves dos Reis Página 1
  • 2. Semana.5 – Tarefa 1/parte 2 O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização II os clubes, as áreas curriculares não disciplinares, os diferentes parceiros educativos. Promover um equilíbrio entre o seu É extremamente importante, dentro dos acervo documental (promovendo a sua condicionalismos, do equilíbrio, das necessidades actualização e a novidade) e o curriculares e das aprendizagens significativas, ir desenvolvimento do parque informático, ao encontro das necessidades de quem por forma a que o primeiro não definhe frequenta, com mais ou menos assiduidade, o às mãos do segundo e se torne seu espaço da Biblioteca Escolar. Tornar esse escravo (é este, afinal, o grande desafio frequentador exigente, dentro de certos padrões das Bibliotecas Escolares e dos culturais, é também uma missão dos PB e da Professores Bibliotecários no dealbar do Biblioteca Escolar. séc. XXI). Abrir cada vez mais as suas portas à Os pais e encarregados de educação têm um comunidade escolar alargada e à papel primordial na promoção da leitura dos seus comunidade local, promovendo educandos e no desenvolvimento cultural e social encontros e serões culturais e dos mesmos. Só pais informados e interessados desenvolvendo parcerias e protocolos produzem nos seus educandos os efeitos por nós com as Câmaras Municipais / Juntas de (educadores) sonhados. Eles são o parceiro Freguesia e/ou empresas. primordial numa sociedade em transformação. A Biblioteca Escolar deve começar a… Os meios postos à disposição das Bibliotecas Produzir receitas próprias recorrendo a Escolares são sempre escassos (pelo menos sorteios, a rifas, a doações, a protocolos para quem os tem de gerir em função das com empresas ou entidades oficiais necessidades dos alunos, professores e pessoal potenciais utilizadoras das instalações não docente). As verbas provenientes do PNL da Biblioteca Escolar. são empregues, na sua totalidade, na compra de livros, ficando um largo conjunto de recursos não abrangido: enciclopédias, dvd, cd áudio, jogos… Formando: João Alves dos Reis Página 2