SlideShare uma empresa Scribd logo
Módulo 2 I.  Iniciação à Vida Cristã...POR QUE?(2ª parte)www.meritocat.com.br
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                     Demonstração?Sim. Esta é apenas uma demonstração de um curso que você está convidado a fazer. É uma reflexão sobre a formação católica, com base no Estudo da CNBB 97 - Iniciação à vida cristã, um processo de inspiração catecumenalÉ transcrição do documento? Não, mas procura ser fiel a ele. Você poderá verificar esta fidelidade comparando o conteúdo estudado com o que está no documento original da CNBB, no número indicado na parte superior em cada slide. O documento você pode encontrar em www.meritoCat.com.br futuramente ou, em papel, publicado pela CNBB.
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                     Demonstração?   O que há de diferente aqui? É uma demonstração de como será o curso interativo, apenas online, produzido por MeritoCat. Nesta apresentação você não consegue interagir. É apenas um demonstrativo em Power Point de como será o estudo no curso a distância. Lá não será apenas leitura. Vai poder expressar sua opinião em fórum, haverá alguém para responder suas dúvidas na sala de bate-papo ou por email. Ali você vai poder estudar e refletir sobre o conteúdo do documento da CNBB, através de atividades, de respostas, de ligação entre o conteúdo e a prática, de comparação do documento com sua vida.      Algumas coisas serão possíveis demonstrar aqui. Outras, não. Quer ver? Será assim...
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                     Revisão do módulo anteriorRelembrando...Este é o módulo 2. No módulo 1, foi visto quemesmo sem saber, todo ser humano busca Deus, ainda que por caminhos tortuosos. (n. 7)a necessidade de Deus é inerente ao ser humano. É uma necessidade humana e antropológica. (n.1.2)a iniciação cristã no começo da Igreja era bem diferente de hoje. Era mais ativa e radical (n. 1.3)Agora vamos ver a segunda parte do capítulo 1, do Estudo da CNBB 97 Iniciação à vida cristã...
Ivc mod 2-cap1-2a-parte2003
1.4 Cristandade: evolução e declíniowww.meritocat.com.br
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (18)1. Iniciação menos ativaE aqui você tem  o número da parte do documento onde está o assunto do slidePara entender o slide:Aqui você tem o título do módulo (o mesmo do documento) Aqui o nome do capítulo dentro do módulo (o mesmo título do documento)Já este título é de item dentro do capítulo, criado para facilitar a contextualização do estudo.Agora, começando pra valer...
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (18)1. Iniciação menos ativaO ambiente de iniciação dentro da Igreja não era mais o mesmo. Veja por que:A fé se espalhou, gerou grandes realizações, produziu heróicos exemplos de santidade.
Durante muito tempo, em países de cultura cristã, o processo de iniciação explícita foi ficando menos ativo.
A tendência era essa mesmo. Afinal, todo mundo era batizado e religião se aprendia na família e na própria sociedade.Nessa clima cresceram as devoções cristãs. Já percebeu como, às vezes, muitas pessoas são mais devotas do santo do que de Deus?
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (19)2. DevocionismoEssa religião culturalmente disseminada foi campo fértil para devocionismos variados. Tente lembrar dois exemplos de devoção popular que você conhece:1 _____________________________________2 _____________________________________www.meritocat.com.br
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (19)2. DevocionismoOs devocionismos formavam discípulos de Jesus Cristo?                       Sim  (   )           Não (   )xOs devocionismos não formavam propriamente discípulos missionários de Jesus Cristo, mas apesar disso mantiveram a fé do povo.  A recepção dos sacramentos era também muito valorizada.
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (19)3. SacramentalizaçãoFoi outra característica da época da cristandade.Especificamente na colonização de nosso país, apesar de todo esforço de adaptação dos missionários, houve mais sacramentalização do que uma consistente iniciação. Priorizava-se a (    ) recepção dos sacramentos ou(    ) a vivência do que eles significam ?xFoi o que aconteceu.
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (19)3. SacramentalizaçãoAs pessoas eram batizadas, faziam a primeira comunhão, casavam na Igreja, mas gradativamente muitas iam deixando de perceber o que este compromisso de fato significava. Ainda existe sacramentalização?	       Sim (   )          Não  (   )x  Sim, ainda existe.  Sem maior engajamento no discipulado, o mundo começou a se afastar do pensamento cristão.
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (19)4. Religião como assunto privadoComo parte ainda deste contexto,um processo histórico favoreceu a descrença:a influência do iluminismoagnóstico e ateu,
os conflitos mal resolvidos entre ciência e fé,
Os conflitos entre a Igreja e intelectuais e classes dirigentes. Essa influência e conflitos, ainda acontecem no mundo de hoje?   (   )  Acontecem   (   )  Não acontecemx
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (19)4. Religião como assunto privadoIluminismo: Movimento filosófico do séc. XVIII que se caracterizava pela confiança no progresso e na razão, pelo desafio à tradição e à autoridade e pelo incentivo à liberdade de pensamentoAgnosticismoposição metodológica que só admite os conhecimentos adquiridos pela razão e evita qualquer conclusão não demonstrada.Iluminismo agnósticoPode-se concluir que seja a corrente dos pensadores que valoriza o conhecimento e evita tudo o que não seja demonstrável racionalmente.voltarwww.meritocat.com.br
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (19)4. Religião como assunto privadoO pensamento filosófico, artístico, literário, político e econômico começou a tomar novos rumos.A sociedade foi se tornando independente da influência da Igreja e a religião passou a ser vista como assunto privado, pessoal. Há mais vantagem ou desvantagem para a sociedade ser independente da influência da Igreja?(   )  Vantagem(   )  Desvantagem
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (20)5. Declínio percentual dos católicosRecentemente, as estatísticas mostram umdeclínio percentual no número de católicos.O que isso significa:   Perdemos católicos?.............  (   )ou simplesmente muitos que    nunca o foram assumiram    de fato tal situação?..............  (   ) É um questionamento que o documento em estudo deixa para pensar. E continua:
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (20)5. Declínio percentual dos católicosTalvez o público aparentemente garantido de outros tempos tenha contribuído para uma certa acomodação, no aspecto da fé. Vamos ver:Não sua opinião, se houvesse uma perseguição aos católicos hoje, você acha que a maioria declararia sua opção religiosa?       (   )a minoria?.....................................................  (   ) As opiniões divergem. Muito bem.E você, estaria em qual grupo?  __________________Dificil, não?
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (20)6. Pragmatismo da vida da igrejaPragmatismo é a corrente de pensamento que dá valor a alguma coisa  na medida em que tenha alguma utilidade prática.Entretanto, tudo o que traz utilidade imediata para a pessoa deve ser aceito como válido ou normal?   Sim  (   )        Não (   )xÉ disso que fala o Documento de Aparecida, citando o cardeal Ratzinger: "Nossa maior ameaça é omedíocre pragmatismo da vida cotidiana da Igreja, no qual, aparentemente, tudo procede com normalidade, mas na verdade a fé vai se desgastando e degenerando em mesquinhez". (DAp, n. 12).
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (20)6. Pragmatismo da vida da igrejaExemplos de pragmatismos dentro da vida da Igreja:O que a igreja ensina sobre a paternidade responsável  xa praticidade da pílula e do aborto A necessidade do compromisso com a comunidade católica  xir à igreja quando tenho vontade.Lembra de outro?  _____________________
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (22)7. Individualismo e relativismoIndividualismo e relativização das coisas e dos valores é uma realidade hoje.E o que fazer?Em vez de apenas censurar os tempos modernos, com seu individualismo e seu relativismo, a época atual  é uma oportunidade para se promover mais qualidade e entusiasmo na missão dos cristãos. Escolha as alternativas verdadeiras.O utilitarismo desvirtua o compromisso cristão, porque este      (   )  deixa de ser fidedigno ao seu espírito original.     (   )  passa a ter adaptações e permissões a gosto de              cada indivíduo.      (   )  passa a ser pequeno e mesquinho.xxx
8. Sociedade injusta e consumista1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (21)É preciso fidelidade à mensagem da salvação. O projeto de Jesus nada tem de pequeno ou mesquinho. Pelo contrário, somos chamados a um trabalho exigente e emocionante. Num mundo ferido por violência,
escravizado ao consumismo irresponsável,
numa sociedade construída sobre a injustiça,Você, em casa ou no seu trabalho, acha que participa de alguma dessas três características do mundo?Sim  (   )                  Não (   ) O mundo que abominamos, depende de cada um de nós, para tornar-se um sonho!
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (21)8. Sociedade injusta e consumistaÉ preciso fidelidade à mensagem da salvação. O projeto de Jesus nada tem de pequeno ou mesquinho. Pelo contrário, somos chamados a um trabalho exigente e emocionante. Num mundo ferido por violência,
escravizado ao consumismo irresponsável,
numa sociedade construída sobre a injustiça,Jesus nos impulsiona a viver a fraternidade,
a defender os fracos,
a construir a paz + valorizando a honestidade e a dignidade               humana, 		+ sabendo perdoar e partilhar.
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (21)8. Sociedade injusta e consumistaJesus nos impulsiona para a  fraternidade
defesa dos fracos
pazAo mundo escravo
injusto
violento Através        +  da honestidade 		+  da dignidade  		+  do perdão		+  da partilha
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.4 Cristandade: evolução e declínio (22)9. Dificuldades e criatividadeAs dificuldades são provocações  a um santo e criativo crescimento. Por isso é indispensável promover nos dias de hoje uma consistente iniciação cristã. A evolução e o declínio  da época da cristandade alertam para a necessidade de mudanças. É  preciso investir na qualidade dos cristãos.
Iniciação  à vida cristã... Por que?                     1.5. Tudo isso é um apelo para uma igreja      melhorwww.meritocat.com.br
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.5 Apelo para uma igreja melhor (23)1. AcomodaçãoDizia o apóstolo Paulo, contemplando as perseguições e dificuldades que deveria encontrar:  "quando sou fraco, então sou forte" (2Cor 12,10). Isso é verdade, em múltiplas situações. Facilidades geram mais acomodação do que crescimento. Diga lá:Igreja acomodada se torna (   )  medíocre? (   )  morna? (   )  sem gosto?( )  os três acima?Os trêsx
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.5 Apelo para uma igreja melhor (23)2. Batizados que não encontraram Jesus?Sim. Ficamos espantados quando ouvimos alguém que passou anos na Igreja de repente dizer, geralmente a partir da participação em algum movimento (mas às vezes até mudando de Igreja): - "Encontrei Jesus!" E nos perguntamos: - Como pode ser isso? Jesus estava aqui o tempo todo, na Palavra, na Eucaristia, na Missão... Qual seu parecer:Quem está na igreja por muitos anos e não encontrou Jesus foi, de fato, iniciado na fé?           (   ) Sim			(    )  Nãox
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.5 Apelo para uma igreja melhor (23)Experimentar a missão de JesusEncontrar Jesus é fazer a experiência dos primeiros cristãos.  Formaram a igreja, aceitaram a missão recebida do próprio Jesus através dos que se tomaram seus seguidores. O Espírito Santo confirmou e sustentou os que receberam a missão. Isto é o que acontecerá também hoje. Não significa que não terão dificuldades.As dificuldades existiram e existirão.Dificuldades e perseguições, comumente, confirmam na fé ou levam a buscar outras soluções?           (   ) Confirmam		(    )  DesanimamAs respostas variam...E você, as dificuldades               		Aumentam sua fé?   (   )				fazem duvidar?        (   )
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.5 Apelo para uma igreja melhor (23)Comunidade transformadoraDificuldades e perseguições, em vez de gerar desânimo, produzem mais ardor missionário. As comunidades são incentivadoras, na medida em que vivem com entusiasmo a experiência do chamado.www.meritocat.com.br
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.5 Apelo para uma igreja melhor (24)Iniciação para batizados e não batizadosHoje esta é uma necessidade. Iniciados e não iniciados precisam viver esta experiência. É necessário criar estruturas pastorais que possibilitem um real processo de iniciação, tanto para não batizados como para batizados insuficientemente catequizados. Há necessidade permanente de um testemunho qualificado. Se houvesse um processo de iniciação  para os já batizados, abrangendo curso e atividades, você acha que a maioria dos católicos participaria?           Sim (   )  		Não (    )
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.5 Apelo para uma igreja melhor (24) Conversão de pastores e consagradosPara esse novo processo de iniciação, quem precisa se converter de modo especial?(   ) catequistas(   ) Sacerdotes(   ) Leigos em geral(   ) Os três acima  xOs que vão acompanhar os que se iniciam, sem exceção, terão que crescer também. É indispensável a renovação da conversão pastoral dos pastores e de todos os consagrados para que o testemunho coerente de vida se torne cimento pedagógico.
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.5 Apelo para uma igreja melhor (25)Compromisso qualificado do leigoIndique a alternativa que melhor expressa a participação do leigo no plano pastoral da igreja.O leigo deve estar preparado para(   ) ajudar os sacerdotes e bispos.(   ) executar o plano de pastoral estabelecidos pelos pastores      da Igreja(   ) participar da elaboração e execução dos planos pastorais.xDiz o texto da Conferência Episcopal Latino Americana (CELAM), A missão continental para uma igreja missionária:
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.5 Apelo para uma igreja melhor (25)Compromisso qualificado do leigo"Qualquer esforço missionário exige, de maneira particular, a participação ativa e comprometida dos fiéis leigos em todas as etapas do processo (. . .) Eles hão de ser parte ativa e criativa na elaboração e execução de projetos pastorais em favor da comunidade (. . .) É necessário que o leigo seja levado em consideração com um espírito de comunhão e participação.”
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                     1.6. a comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom www.meritocat.com.br
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (26)Jesus mostrou sua vida ao invés de apenas falar sobre elaQuando os discípulos perguntaram: “Mestre, onde moras?”Que respondeu Jesus (Jo 1,39)?  __________  e   ___________.VedeVindeMuito bem!Preencha os espaços em branco da frase abaixo. Arraste para cada um o verbo que melhor expresse a sequência do processo de iniciação dos discípulos:Foram – vivenciaram – aprenderam – partiram. Jesus respondeu aos que o buscavam: "Vinde e vede!". Eles    ....      viram, se encantaram com o que    ..... .....e depois    .....         em missão.foram,vivenciaram,aprenderam,partiram
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (26)Passar no teste do ‘vinde e vede’A iniciação à vida cristã supõe  que a pessoa passe no teste do ‘vinde e vede’. Iniciação não é só aprendizado de doutrina. É inserção na totalidade da experiência de fé dentro de uma comunidade cristã. De seguidor de movimento a integrante da igrejaVocê já ouviu falar do movimento da igreja católica chamado catecumenato?             Sim (   )          Não (   )EeExisteem alguns lugares
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (27)De seguidor de movimento a integrante da igrejaAqui não estamos tratando deste movimento. Estamos tratando de "vida cristã", como um todo. Então, aquele que se inicia nesse processo de vivência cristã, terá que ter um objetivo básico: Perceber em profundidade o que significa ser discípulo de Jesus. Quantos movimentos ou grupos de espiritualidade específica você conhece na Igreja?  Cite  dois.As espiritualidades específicas de um determinado instituto religioso ou de um movimento, divide a igreja.Certo? (   )              Errado? (   )x
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (27)De seguidor de movimento a integrante da igrejaA iniciação à espiritualidade deste ou daquele instituto religioso ou movimento são úteis, e cada pessoa pode  aderir ao grupo com o qual sente mais afinidade. Entretanto, estamos falando aqui daquilo que está além de determinada espiritualidade. Estamos falando do seguimento a Jesus, que é o objetivo de qualquer espiritualidade e da vivência cristã. O essencial é o comprometimento em ser discípulo e com a missão eclesial. www.meritocat.com.br
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (27)Compromissos do cristão em comunidadeA missão eclesial supõe grande ênfase nos aspectos catequéticos e litúrgicos, na formação e na  celebração.Veja agora as alternativas que são essenciais no compromisso cristão e indique, dentre elas, a que se enquadra mais como devoção católica. Ser cristão exige o compromisso (   ) com a missão em geral, (   ) com a transformação da sociedade, (   ) com a leitura orante da Bíblia, (   ) com o diálogo ecumênico e inter religioso, (   ) com a reza diária do terço(   ) com a promoção das diferentes vocações que,         em seu conjunto, permitem uma ação mais ampla         na vivência do evangelhoxacertou?
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (27)Compromissos do cristão em comunidadeTudo isso precisa ser vivido em comunidade, com diversidade de pastorais, para atender as diferentes dimensões da vida e da vivência evangelizadora.Comunidade Eclesial de Base é o exemploVocê sabe como se vive numa comunidade eclesial de base?              Sim (   )         Não (   )As Comunidades Eclesiais de Base são espaço de convivência, compromisso e educação da fé. Desenvolvem um jeito de ser Igreja que é uma verdadeira iniciação cristã. O Documento de Aparecida (. 178) lembra que elas "tem sido escolas que têm ajudado  aformar cristãos comprometidos com sua fé e missionários do Senhor ...” .
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (28)Planejamento  Pastoral ParticipativoTudo isso precisa ser vivido  em comunidade,
 com diversidade de pastorais,
 para atender as diferentes dimensões da vida e da vivência evangelizadora. Complete com cada uma das seguintes palavras que fazem parte de uma comunidade participativa. Participativo – vida - atitudesPara viver esta realidade a comunidade  precisará de planejamento
 renovará sua
 dependerá de novas pastorais por parte dos bispos,   presbíteros, pessoas consagradas e agentes de pastoral.participativovidaatitudes
1 Iniciação  à vida cristã... Por que?                      1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (29)Cuidar bem dos que chegamTudo isso precisa ser vivido  em comunidade,
 com diversidade de pastorais,

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Catequese e Liturgia na Iniciação Cristã
Catequese e Liturgia na Iniciação CristãCatequese e Liturgia na Iniciação Cristã
Catequese e Liturgia na Iniciação Cristã
Sergio Cabral
 
Apostila preparacao catequese_de_adultos
Apostila preparacao catequese_de_adultosApostila preparacao catequese_de_adultos
Apostila preparacao catequese_de_adultos
Antonio Cardoso
 
Finalidade da catequese no DNC cj
Finalidade da catequese no DNC cjFinalidade da catequese no DNC cj
Finalidade da catequese no DNC cj
Catequista Josivaldo
 
Rica amostra
Rica amostraRica amostra
Rica amostra
Sergio Cabral
 
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristãItinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
lomes
 
Diretório Nacinal de Catequese
Diretório Nacinal de CatequeseDiretório Nacinal de Catequese
Diretório Nacinal de Catequese
Uéliton Duque
 
Catequese iniciacao a vida cristã ii
Catequese   iniciacao a vida cristã iiCatequese   iniciacao a vida cristã ii
Catequese iniciacao a vida cristã ii
Henrique Fernandes de Souza
 
DGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleberDGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleber
Kleber Silva
 
A iniciação à vida cristã os passos a serem dados
A iniciação à vida cristã   os passos a serem dadosA iniciação à vida cristã   os passos a serem dados
A iniciação à vida cristã os passos a serem dados
Liana Plentz
 
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
Liana Plentz
 
Catequese batismo-adultos-resumo
Catequese batismo-adultos-resumoCatequese batismo-adultos-resumo
Catequese batismo-adultos-resumo
Catequista Josivaldo
 
Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)
Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)
Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)
Jossadan Ventura
 
Apresentação inicial do ano da fé
Apresentação inicial do ano da féApresentação inicial do ano da fé
Apresentação inicial do ano da fé
Liana Plentz
 
Natureza,finalidade e tarefas da catequese
Natureza,finalidade e tarefas da catequeseNatureza,finalidade e tarefas da catequese
Natureza,finalidade e tarefas da catequese
Catequese Anjos dos Céus
 
Catequese com adultos doc 80 +
Catequese com adultos doc 80 +Catequese com adultos doc 80 +
Catequese com adultos doc 80 +
Catequista Josivaldo
 
Formação para catequistas
Formação para catequistasFormação para catequistas
Formação para catequistas
Alexandre Alves Rocha
 
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de CatequeseCNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
Luís Miguel Rodrigues
 
Documento 19 - CNBB
Documento 19 - CNBBDocumento 19 - CNBB
Documento 19 - CNBB
Flávia Valéria Duarte Silva
 
Formação com Catequistas
Formação com CatequistasFormação com Catequistas
Formação com Catequistas
José Vieira Dos Santos
 
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenalUma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
IRINEU FILHO
 

Mais procurados (20)

Catequese e Liturgia na Iniciação Cristã
Catequese e Liturgia na Iniciação CristãCatequese e Liturgia na Iniciação Cristã
Catequese e Liturgia na Iniciação Cristã
 
Apostila preparacao catequese_de_adultos
Apostila preparacao catequese_de_adultosApostila preparacao catequese_de_adultos
Apostila preparacao catequese_de_adultos
 
Finalidade da catequese no DNC cj
Finalidade da catequese no DNC cjFinalidade da catequese no DNC cj
Finalidade da catequese no DNC cj
 
Rica amostra
Rica amostraRica amostra
Rica amostra
 
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristãItinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
 
Diretório Nacinal de Catequese
Diretório Nacinal de CatequeseDiretório Nacinal de Catequese
Diretório Nacinal de Catequese
 
Catequese iniciacao a vida cristã ii
Catequese   iniciacao a vida cristã iiCatequese   iniciacao a vida cristã ii
Catequese iniciacao a vida cristã ii
 
DGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleberDGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleber
 
A iniciação à vida cristã os passos a serem dados
A iniciação à vida cristã   os passos a serem dadosA iniciação à vida cristã   os passos a serem dados
A iniciação à vida cristã os passos a serem dados
 
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
 
Catequese batismo-adultos-resumo
Catequese batismo-adultos-resumoCatequese batismo-adultos-resumo
Catequese batismo-adultos-resumo
 
Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)
Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)
Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)
 
Apresentação inicial do ano da fé
Apresentação inicial do ano da féApresentação inicial do ano da fé
Apresentação inicial do ano da fé
 
Natureza,finalidade e tarefas da catequese
Natureza,finalidade e tarefas da catequeseNatureza,finalidade e tarefas da catequese
Natureza,finalidade e tarefas da catequese
 
Catequese com adultos doc 80 +
Catequese com adultos doc 80 +Catequese com adultos doc 80 +
Catequese com adultos doc 80 +
 
Formação para catequistas
Formação para catequistasFormação para catequistas
Formação para catequistas
 
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de CatequeseCNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
 
Documento 19 - CNBB
Documento 19 - CNBBDocumento 19 - CNBB
Documento 19 - CNBB
 
Formação com Catequistas
Formação com CatequistasFormação com Catequistas
Formação com Catequistas
 
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenalUma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
 

Destaque

Cat08
Cat08Cat08
Cat06
Cat06Cat06
Cat07
Cat07Cat07
Cat02
Cat02Cat02
INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01
INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01
INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01
Helio Diniz
 
Cat04
Cat04Cat04
Cat05
Cat05Cat05
Cat09
Cat09Cat09
7º, 8º, 9º e 10º mandamentos (1)
7º,  8º, 9º e 10º mandamentos (1)7º,  8º, 9º e 10º mandamentos (1)
7º, 8º, 9º e 10º mandamentos (1)
catecumenatosaodimas
 
Cat03
Cat03Cat03
Agenda Anual 2012
Agenda Anual 2012Agenda Anual 2012
Agenda Anual 2012
Maria Dourisete Araujo
 
Catecumenato
CatecumenatoCatecumenato
Catecumenato
paroquiasaojose
 
Historia da catequese
Historia da catequese Historia da catequese
Historia da catequese
Ramon Gimenez
 

Destaque (13)

Cat08
Cat08Cat08
Cat08
 
Cat06
Cat06Cat06
Cat06
 
Cat07
Cat07Cat07
Cat07
 
Cat02
Cat02Cat02
Cat02
 
INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01
INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01
INICIAÇÃO CRISTÃ Nº01
 
Cat04
Cat04Cat04
Cat04
 
Cat05
Cat05Cat05
Cat05
 
Cat09
Cat09Cat09
Cat09
 
7º, 8º, 9º e 10º mandamentos (1)
7º,  8º, 9º e 10º mandamentos (1)7º,  8º, 9º e 10º mandamentos (1)
7º, 8º, 9º e 10º mandamentos (1)
 
Cat03
Cat03Cat03
Cat03
 
Agenda Anual 2012
Agenda Anual 2012Agenda Anual 2012
Agenda Anual 2012
 
Catecumenato
CatecumenatoCatecumenato
Catecumenato
 
Historia da catequese
Historia da catequese Historia da catequese
Historia da catequese
 

Semelhante a Ivc mod 2-cap1-2a-parte2003

Crerã©tambã©mpensar john stott
Crerã©tambã©mpensar john stottCrerã©tambã©mpensar john stott
Crerã©tambã©mpensar john stott
Antonia Fátima Fuini
 
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
LFKlein
 
Desafios da catequese no cenário da pós
Desafios da catequese no cenário da pósDesafios da catequese no cenário da pós
Desafios da catequese no cenário da pós
Aparecida Serafim
 
APOLOGÉTICA CRISTÃ - 2ª AULA - 2020.pdf
APOLOGÉTICA CRISTÃ  - 2ª AULA - 2020.pdfAPOLOGÉTICA CRISTÃ  - 2ª AULA - 2020.pdf
APOLOGÉTICA CRISTÃ - 2ª AULA - 2020.pdf
FabiFaculdadeBatista
 
Uma nova paroquia
Uma nova paroquiaUma nova paroquia
Uma nova paroquia
Pe Gil Medeiros
 
Crer é tambem pensar - John Stott
Crer é tambem pensar - John StottCrer é tambem pensar - John Stott
Crer é tambem pensar - John Stott
Igreja Vitória
 
Crer é-também-pensar-john-stott
Crer é-também-pensar-john-stottCrer é-também-pensar-john-stott
Crer é-também-pensar-john-stott
Fabio Araujo
 
Liideranca_ck.ppt
Liideranca_ck.pptLiideranca_ck.ppt
Liideranca_ck.ppt
Casi20
 
Dizimo e as_obras_de_misericordia
Dizimo e as_obras_de_misericordiaDizimo e as_obras_de_misericordia
Dizimo e as_obras_de_misericordia
Jonathan Santos
 
Introdução à doutrina social da igreja
Introdução à doutrina social da igrejaIntrodução à doutrina social da igreja
Introdução à doutrina social da igreja
Ricardo Castro
 
Dimensões da pastoral
Dimensões da pastoralDimensões da pastoral
Dimensões da pastoral
João Pereira
 
Tcc - Releitura da missão integral
Tcc - Releitura da missão integralTcc - Releitura da missão integral
Tcc - Releitura da missão integral
Diego Camilo
 
Estudo 107 da CNBB sobre os leigos
Estudo 107 da CNBB sobre os leigosEstudo 107 da CNBB sobre os leigos
Estudo 107 da CNBB sobre os leigos
MARLI COSTA
 
Estudo 107 leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADE
Estudo 107 leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADEEstudo 107 leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADE
Estudo 107 leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADE
Bernadetecebs .
 
A importância do discipulado
A importância do discipuladoA importância do discipulado
A importância do discipulado
Jessé Lopes
 
São as suas ovelhas vulneráveis as seitas?.ppt
São as suas ovelhas vulneráveis as seitas?.pptSão as suas ovelhas vulneráveis as seitas?.ppt
São as suas ovelhas vulneráveis as seitas?.ppt
JoaquimDeAndrade1
 
Liderança missional e igreja missional
Liderança missional e igreja missionalLiderança missional e igreja missional
Liderança missional e igreja missional
Arturo Menesses
 
Liderança cristã
Liderança cristãLiderança cristã
Liderança cristã
cesartheology-2012
 
OS DESAFIOS DO JOVEM CRISTÃO
OS DESAFIOS DO JOVEM CRISTÃO OS DESAFIOS DO JOVEM CRISTÃO
OS DESAFIOS DO JOVEM CRISTÃO
Karla Lopes
 
oficinajovem2019-190126015110.pdf
oficinajovem2019-190126015110.pdfoficinajovem2019-190126015110.pdf
oficinajovem2019-190126015110.pdf
Tiago Silva
 

Semelhante a Ivc mod 2-cap1-2a-parte2003 (20)

Crerã©tambã©mpensar john stott
Crerã©tambã©mpensar john stottCrerã©tambã©mpensar john stott
Crerã©tambã©mpensar john stott
 
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
 
Desafios da catequese no cenário da pós
Desafios da catequese no cenário da pósDesafios da catequese no cenário da pós
Desafios da catequese no cenário da pós
 
APOLOGÉTICA CRISTÃ - 2ª AULA - 2020.pdf
APOLOGÉTICA CRISTÃ  - 2ª AULA - 2020.pdfAPOLOGÉTICA CRISTÃ  - 2ª AULA - 2020.pdf
APOLOGÉTICA CRISTÃ - 2ª AULA - 2020.pdf
 
Uma nova paroquia
Uma nova paroquiaUma nova paroquia
Uma nova paroquia
 
Crer é tambem pensar - John Stott
Crer é tambem pensar - John StottCrer é tambem pensar - John Stott
Crer é tambem pensar - John Stott
 
Crer é-também-pensar-john-stott
Crer é-também-pensar-john-stottCrer é-também-pensar-john-stott
Crer é-também-pensar-john-stott
 
Liideranca_ck.ppt
Liideranca_ck.pptLiideranca_ck.ppt
Liideranca_ck.ppt
 
Dizimo e as_obras_de_misericordia
Dizimo e as_obras_de_misericordiaDizimo e as_obras_de_misericordia
Dizimo e as_obras_de_misericordia
 
Introdução à doutrina social da igreja
Introdução à doutrina social da igrejaIntrodução à doutrina social da igreja
Introdução à doutrina social da igreja
 
Dimensões da pastoral
Dimensões da pastoralDimensões da pastoral
Dimensões da pastoral
 
Tcc - Releitura da missão integral
Tcc - Releitura da missão integralTcc - Releitura da missão integral
Tcc - Releitura da missão integral
 
Estudo 107 da CNBB sobre os leigos
Estudo 107 da CNBB sobre os leigosEstudo 107 da CNBB sobre os leigos
Estudo 107 da CNBB sobre os leigos
 
Estudo 107 leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADE
Estudo 107 leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADEEstudo 107 leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADE
Estudo 107 leigos - CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA IGREJA E NA SOCIEDADE
 
A importância do discipulado
A importância do discipuladoA importância do discipulado
A importância do discipulado
 
São as suas ovelhas vulneráveis as seitas?.ppt
São as suas ovelhas vulneráveis as seitas?.pptSão as suas ovelhas vulneráveis as seitas?.ppt
São as suas ovelhas vulneráveis as seitas?.ppt
 
Liderança missional e igreja missional
Liderança missional e igreja missionalLiderança missional e igreja missional
Liderança missional e igreja missional
 
Liderança cristã
Liderança cristãLiderança cristã
Liderança cristã
 
OS DESAFIOS DO JOVEM CRISTÃO
OS DESAFIOS DO JOVEM CRISTÃO OS DESAFIOS DO JOVEM CRISTÃO
OS DESAFIOS DO JOVEM CRISTÃO
 
oficinajovem2019-190126015110.pdf
oficinajovem2019-190126015110.pdfoficinajovem2019-190126015110.pdf
oficinajovem2019-190126015110.pdf
 

Último

FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 

Ivc mod 2-cap1-2a-parte2003

  • 1. Módulo 2 I. Iniciação à Vida Cristã...POR QUE?(2ª parte)www.meritocat.com.br
  • 2. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? Demonstração?Sim. Esta é apenas uma demonstração de um curso que você está convidado a fazer. É uma reflexão sobre a formação católica, com base no Estudo da CNBB 97 - Iniciação à vida cristã, um processo de inspiração catecumenalÉ transcrição do documento? Não, mas procura ser fiel a ele. Você poderá verificar esta fidelidade comparando o conteúdo estudado com o que está no documento original da CNBB, no número indicado na parte superior em cada slide. O documento você pode encontrar em www.meritoCat.com.br futuramente ou, em papel, publicado pela CNBB.
  • 3. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? Demonstração? O que há de diferente aqui? É uma demonstração de como será o curso interativo, apenas online, produzido por MeritoCat. Nesta apresentação você não consegue interagir. É apenas um demonstrativo em Power Point de como será o estudo no curso a distância. Lá não será apenas leitura. Vai poder expressar sua opinião em fórum, haverá alguém para responder suas dúvidas na sala de bate-papo ou por email. Ali você vai poder estudar e refletir sobre o conteúdo do documento da CNBB, através de atividades, de respostas, de ligação entre o conteúdo e a prática, de comparação do documento com sua vida. Algumas coisas serão possíveis demonstrar aqui. Outras, não. Quer ver? Será assim...
  • 4. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? Revisão do módulo anteriorRelembrando...Este é o módulo 2. No módulo 1, foi visto quemesmo sem saber, todo ser humano busca Deus, ainda que por caminhos tortuosos. (n. 7)a necessidade de Deus é inerente ao ser humano. É uma necessidade humana e antropológica. (n.1.2)a iniciação cristã no começo da Igreja era bem diferente de hoje. Era mais ativa e radical (n. 1.3)Agora vamos ver a segunda parte do capítulo 1, do Estudo da CNBB 97 Iniciação à vida cristã...
  • 6. 1.4 Cristandade: evolução e declíniowww.meritocat.com.br
  • 7. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (18)1. Iniciação menos ativaE aqui você tem o número da parte do documento onde está o assunto do slidePara entender o slide:Aqui você tem o título do módulo (o mesmo do documento) Aqui o nome do capítulo dentro do módulo (o mesmo título do documento)Já este título é de item dentro do capítulo, criado para facilitar a contextualização do estudo.Agora, começando pra valer...
  • 8. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (18)1. Iniciação menos ativaO ambiente de iniciação dentro da Igreja não era mais o mesmo. Veja por que:A fé se espalhou, gerou grandes realizações, produziu heróicos exemplos de santidade.
  • 9. Durante muito tempo, em países de cultura cristã, o processo de iniciação explícita foi ficando menos ativo.
  • 10. A tendência era essa mesmo. Afinal, todo mundo era batizado e religião se aprendia na família e na própria sociedade.Nessa clima cresceram as devoções cristãs. Já percebeu como, às vezes, muitas pessoas são mais devotas do santo do que de Deus?
  • 11. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (19)2. DevocionismoEssa religião culturalmente disseminada foi campo fértil para devocionismos variados. Tente lembrar dois exemplos de devoção popular que você conhece:1 _____________________________________2 _____________________________________www.meritocat.com.br
  • 12. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (19)2. DevocionismoOs devocionismos formavam discípulos de Jesus Cristo? Sim ( ) Não ( )xOs devocionismos não formavam propriamente discípulos missionários de Jesus Cristo, mas apesar disso mantiveram a fé do povo. A recepção dos sacramentos era também muito valorizada.
  • 13. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (19)3. SacramentalizaçãoFoi outra característica da época da cristandade.Especificamente na colonização de nosso país, apesar de todo esforço de adaptação dos missionários, houve mais sacramentalização do que uma consistente iniciação. Priorizava-se a ( ) recepção dos sacramentos ou( ) a vivência do que eles significam ?xFoi o que aconteceu.
  • 14. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (19)3. SacramentalizaçãoAs pessoas eram batizadas, faziam a primeira comunhão, casavam na Igreja, mas gradativamente muitas iam deixando de perceber o que este compromisso de fato significava. Ainda existe sacramentalização? Sim ( ) Não ( )x Sim, ainda existe. Sem maior engajamento no discipulado, o mundo começou a se afastar do pensamento cristão.
  • 15. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (19)4. Religião como assunto privadoComo parte ainda deste contexto,um processo histórico favoreceu a descrença:a influência do iluminismoagnóstico e ateu,
  • 16. os conflitos mal resolvidos entre ciência e fé,
  • 17. Os conflitos entre a Igreja e intelectuais e classes dirigentes. Essa influência e conflitos, ainda acontecem no mundo de hoje? ( ) Acontecem ( ) Não acontecemx
  • 18. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (19)4. Religião como assunto privadoIluminismo: Movimento filosófico do séc. XVIII que se caracterizava pela confiança no progresso e na razão, pelo desafio à tradição e à autoridade e pelo incentivo à liberdade de pensamentoAgnosticismoposição metodológica que só admite os conhecimentos adquiridos pela razão e evita qualquer conclusão não demonstrada.Iluminismo agnósticoPode-se concluir que seja a corrente dos pensadores que valoriza o conhecimento e evita tudo o que não seja demonstrável racionalmente.voltarwww.meritocat.com.br
  • 19. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (19)4. Religião como assunto privadoO pensamento filosófico, artístico, literário, político e econômico começou a tomar novos rumos.A sociedade foi se tornando independente da influência da Igreja e a religião passou a ser vista como assunto privado, pessoal. Há mais vantagem ou desvantagem para a sociedade ser independente da influência da Igreja?( ) Vantagem( ) Desvantagem
  • 20. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (20)5. Declínio percentual dos católicosRecentemente, as estatísticas mostram umdeclínio percentual no número de católicos.O que isso significa: Perdemos católicos?............. ( )ou simplesmente muitos que nunca o foram assumiram de fato tal situação?.............. ( ) É um questionamento que o documento em estudo deixa para pensar. E continua:
  • 21. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (20)5. Declínio percentual dos católicosTalvez o público aparentemente garantido de outros tempos tenha contribuído para uma certa acomodação, no aspecto da fé. Vamos ver:Não sua opinião, se houvesse uma perseguição aos católicos hoje, você acha que a maioria declararia sua opção religiosa? ( )a minoria?..................................................... ( ) As opiniões divergem. Muito bem.E você, estaria em qual grupo? __________________Dificil, não?
  • 22. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (20)6. Pragmatismo da vida da igrejaPragmatismo é a corrente de pensamento que dá valor a alguma coisa na medida em que tenha alguma utilidade prática.Entretanto, tudo o que traz utilidade imediata para a pessoa deve ser aceito como válido ou normal? Sim ( ) Não ( )xÉ disso que fala o Documento de Aparecida, citando o cardeal Ratzinger: "Nossa maior ameaça é omedíocre pragmatismo da vida cotidiana da Igreja, no qual, aparentemente, tudo procede com normalidade, mas na verdade a fé vai se desgastando e degenerando em mesquinhez". (DAp, n. 12).
  • 23. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (20)6. Pragmatismo da vida da igrejaExemplos de pragmatismos dentro da vida da Igreja:O que a igreja ensina sobre a paternidade responsável xa praticidade da pílula e do aborto A necessidade do compromisso com a comunidade católica xir à igreja quando tenho vontade.Lembra de outro? _____________________
  • 24. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (22)7. Individualismo e relativismoIndividualismo e relativização das coisas e dos valores é uma realidade hoje.E o que fazer?Em vez de apenas censurar os tempos modernos, com seu individualismo e seu relativismo, a época atual é uma oportunidade para se promover mais qualidade e entusiasmo na missão dos cristãos. Escolha as alternativas verdadeiras.O utilitarismo desvirtua o compromisso cristão, porque este ( ) deixa de ser fidedigno ao seu espírito original. ( ) passa a ter adaptações e permissões a gosto de cada indivíduo. ( ) passa a ser pequeno e mesquinho.xxx
  • 25. 8. Sociedade injusta e consumista1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (21)É preciso fidelidade à mensagem da salvação. O projeto de Jesus nada tem de pequeno ou mesquinho. Pelo contrário, somos chamados a um trabalho exigente e emocionante. Num mundo ferido por violência,
  • 26. escravizado ao consumismo irresponsável,
  • 27. numa sociedade construída sobre a injustiça,Você, em casa ou no seu trabalho, acha que participa de alguma dessas três características do mundo?Sim ( ) Não ( ) O mundo que abominamos, depende de cada um de nós, para tornar-se um sonho!
  • 28. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (21)8. Sociedade injusta e consumistaÉ preciso fidelidade à mensagem da salvação. O projeto de Jesus nada tem de pequeno ou mesquinho. Pelo contrário, somos chamados a um trabalho exigente e emocionante. Num mundo ferido por violência,
  • 29. escravizado ao consumismo irresponsável,
  • 30. numa sociedade construída sobre a injustiça,Jesus nos impulsiona a viver a fraternidade,
  • 31. a defender os fracos,
  • 32. a construir a paz + valorizando a honestidade e a dignidade humana, + sabendo perdoar e partilhar.
  • 33. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (21)8. Sociedade injusta e consumistaJesus nos impulsiona para a fraternidade
  • 37. violento Através + da honestidade + da dignidade + do perdão + da partilha
  • 38. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.4 Cristandade: evolução e declínio (22)9. Dificuldades e criatividadeAs dificuldades são provocações a um santo e criativo crescimento. Por isso é indispensável promover nos dias de hoje uma consistente iniciação cristã. A evolução e o declínio da época da cristandade alertam para a necessidade de mudanças. É preciso investir na qualidade dos cristãos.
  • 39. Iniciação à vida cristã... Por que? 1.5. Tudo isso é um apelo para uma igreja melhorwww.meritocat.com.br
  • 40. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.5 Apelo para uma igreja melhor (23)1. AcomodaçãoDizia o apóstolo Paulo, contemplando as perseguições e dificuldades que deveria encontrar: "quando sou fraco, então sou forte" (2Cor 12,10). Isso é verdade, em múltiplas situações. Facilidades geram mais acomodação do que crescimento. Diga lá:Igreja acomodada se torna ( ) medíocre? ( ) morna? ( ) sem gosto?( ) os três acima?Os trêsx
  • 41. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.5 Apelo para uma igreja melhor (23)2. Batizados que não encontraram Jesus?Sim. Ficamos espantados quando ouvimos alguém que passou anos na Igreja de repente dizer, geralmente a partir da participação em algum movimento (mas às vezes até mudando de Igreja): - "Encontrei Jesus!" E nos perguntamos: - Como pode ser isso? Jesus estava aqui o tempo todo, na Palavra, na Eucaristia, na Missão... Qual seu parecer:Quem está na igreja por muitos anos e não encontrou Jesus foi, de fato, iniciado na fé? ( ) Sim ( ) Nãox
  • 42. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.5 Apelo para uma igreja melhor (23)Experimentar a missão de JesusEncontrar Jesus é fazer a experiência dos primeiros cristãos. Formaram a igreja, aceitaram a missão recebida do próprio Jesus através dos que se tomaram seus seguidores. O Espírito Santo confirmou e sustentou os que receberam a missão. Isto é o que acontecerá também hoje. Não significa que não terão dificuldades.As dificuldades existiram e existirão.Dificuldades e perseguições, comumente, confirmam na fé ou levam a buscar outras soluções? ( ) Confirmam ( ) DesanimamAs respostas variam...E você, as dificuldades Aumentam sua fé? ( ) fazem duvidar? ( )
  • 43. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.5 Apelo para uma igreja melhor (23)Comunidade transformadoraDificuldades e perseguições, em vez de gerar desânimo, produzem mais ardor missionário. As comunidades são incentivadoras, na medida em que vivem com entusiasmo a experiência do chamado.www.meritocat.com.br
  • 44. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.5 Apelo para uma igreja melhor (24)Iniciação para batizados e não batizadosHoje esta é uma necessidade. Iniciados e não iniciados precisam viver esta experiência. É necessário criar estruturas pastorais que possibilitem um real processo de iniciação, tanto para não batizados como para batizados insuficientemente catequizados. Há necessidade permanente de um testemunho qualificado. Se houvesse um processo de iniciação para os já batizados, abrangendo curso e atividades, você acha que a maioria dos católicos participaria? Sim ( ) Não ( )
  • 45. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.5 Apelo para uma igreja melhor (24) Conversão de pastores e consagradosPara esse novo processo de iniciação, quem precisa se converter de modo especial?( ) catequistas( ) Sacerdotes( ) Leigos em geral( ) Os três acima xOs que vão acompanhar os que se iniciam, sem exceção, terão que crescer também. É indispensável a renovação da conversão pastoral dos pastores e de todos os consagrados para que o testemunho coerente de vida se torne cimento pedagógico.
  • 46. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.5 Apelo para uma igreja melhor (25)Compromisso qualificado do leigoIndique a alternativa que melhor expressa a participação do leigo no plano pastoral da igreja.O leigo deve estar preparado para( ) ajudar os sacerdotes e bispos.( ) executar o plano de pastoral estabelecidos pelos pastores da Igreja( ) participar da elaboração e execução dos planos pastorais.xDiz o texto da Conferência Episcopal Latino Americana (CELAM), A missão continental para uma igreja missionária:
  • 47. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.5 Apelo para uma igreja melhor (25)Compromisso qualificado do leigo"Qualquer esforço missionário exige, de maneira particular, a participação ativa e comprometida dos fiéis leigos em todas as etapas do processo (. . .) Eles hão de ser parte ativa e criativa na elaboração e execução de projetos pastorais em favor da comunidade (. . .) É necessário que o leigo seja levado em consideração com um espírito de comunhão e participação.”
  • 48. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6. a comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom www.meritocat.com.br
  • 49. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (26)Jesus mostrou sua vida ao invés de apenas falar sobre elaQuando os discípulos perguntaram: “Mestre, onde moras?”Que respondeu Jesus (Jo 1,39)? __________ e ___________.VedeVindeMuito bem!Preencha os espaços em branco da frase abaixo. Arraste para cada um o verbo que melhor expresse a sequência do processo de iniciação dos discípulos:Foram – vivenciaram – aprenderam – partiram. Jesus respondeu aos que o buscavam: "Vinde e vede!". Eles .... viram, se encantaram com o que ..... .....e depois ..... em missão.foram,vivenciaram,aprenderam,partiram
  • 50. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (26)Passar no teste do ‘vinde e vede’A iniciação à vida cristã supõe que a pessoa passe no teste do ‘vinde e vede’. Iniciação não é só aprendizado de doutrina. É inserção na totalidade da experiência de fé dentro de uma comunidade cristã. De seguidor de movimento a integrante da igrejaVocê já ouviu falar do movimento da igreja católica chamado catecumenato? Sim ( ) Não ( )EeExisteem alguns lugares
  • 51. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (27)De seguidor de movimento a integrante da igrejaAqui não estamos tratando deste movimento. Estamos tratando de "vida cristã", como um todo. Então, aquele que se inicia nesse processo de vivência cristã, terá que ter um objetivo básico: Perceber em profundidade o que significa ser discípulo de Jesus. Quantos movimentos ou grupos de espiritualidade específica você conhece na Igreja? Cite dois.As espiritualidades específicas de um determinado instituto religioso ou de um movimento, divide a igreja.Certo? ( ) Errado? ( )x
  • 52. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (27)De seguidor de movimento a integrante da igrejaA iniciação à espiritualidade deste ou daquele instituto religioso ou movimento são úteis, e cada pessoa pode aderir ao grupo com o qual sente mais afinidade. Entretanto, estamos falando aqui daquilo que está além de determinada espiritualidade. Estamos falando do seguimento a Jesus, que é o objetivo de qualquer espiritualidade e da vivência cristã. O essencial é o comprometimento em ser discípulo e com a missão eclesial. www.meritocat.com.br
  • 53. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (27)Compromissos do cristão em comunidadeA missão eclesial supõe grande ênfase nos aspectos catequéticos e litúrgicos, na formação e na celebração.Veja agora as alternativas que são essenciais no compromisso cristão e indique, dentre elas, a que se enquadra mais como devoção católica. Ser cristão exige o compromisso ( ) com a missão em geral, ( ) com a transformação da sociedade, ( ) com a leitura orante da Bíblia, ( ) com o diálogo ecumênico e inter religioso, ( ) com a reza diária do terço( ) com a promoção das diferentes vocações que, em seu conjunto, permitem uma ação mais ampla na vivência do evangelhoxacertou?
  • 54. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (27)Compromissos do cristão em comunidadeTudo isso precisa ser vivido em comunidade, com diversidade de pastorais, para atender as diferentes dimensões da vida e da vivência evangelizadora.Comunidade Eclesial de Base é o exemploVocê sabe como se vive numa comunidade eclesial de base? Sim ( ) Não ( )As Comunidades Eclesiais de Base são espaço de convivência, compromisso e educação da fé. Desenvolvem um jeito de ser Igreja que é uma verdadeira iniciação cristã. O Documento de Aparecida (. 178) lembra que elas "tem sido escolas que têm ajudado aformar cristãos comprometidos com sua fé e missionários do Senhor ...” .
  • 55. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (28)Planejamento Pastoral ParticipativoTudo isso precisa ser vivido em comunidade,
  • 56. com diversidade de pastorais,
  • 57. para atender as diferentes dimensões da vida e da vivência evangelizadora. Complete com cada uma das seguintes palavras que fazem parte de uma comunidade participativa. Participativo – vida - atitudesPara viver esta realidade a comunidade precisará de planejamento
  • 59. dependerá de novas pastorais por parte dos bispos, presbíteros, pessoas consagradas e agentes de pastoral.participativovidaatitudes
  • 60. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (29)Cuidar bem dos que chegamTudo isso precisa ser vivido em comunidade,
  • 61. com diversidade de pastorais,
  • 62. para atender as diferentes dimensões da vida e da vivência evangelizadora. Indique a alternativa que não combina com uma comunidade comprometida com a firme iniciação cristã.Cuidando bem dos que chegam, a comunidade acaba cuidando melhor de si mesma porque ( ) se esforça para oferecer boa imagem como resultado do empenho em ser uma comunidade de convertidos( ) se esforça para dar bom exemplo( ) se esforça para abrir-se ao diálogo( ) se esforça para testemunhar a comunhão de todos, ainda que apenas de aparência.acertou?x
  • 63. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (30)Cuidar bem dos que chegamHoje, mais do que nunca, o testemunho de comunhão e de santidade são uma urgência pastoral. Abandonar estruturas ultrapassadasO Documento de Aparecida (n. 365) ensina:Nenhuma comunidade deve isentar-se de entrar decididamente, nos processos constantes de renovação “e de abandonar as ultrapassadas estruturas que não favoreçam a transmissão da fé" .   Complete os compromissos que devem ser assumidos pela comunidade eclesial, conforme os itens 28 a 30. Deve 1. ter um planejamento pastoral ..... 2. ..... dos que chegam 3. ser uma comunidade dos ....... 4. abandonar estruturas .....  participativocuidarconvertidosMuito bem!ultrapassadas
  • 64. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (31)Características da comunidade cristã comprometida Uma comunidade comprometida com um processo de iniciação é aquela onde quem chega se sente em casa,
  • 65. se sente acolhido num ambiente de fraterna cooperação,
  • 66. se sente estimulado a servir com alegria
  • 67. deseja poder fazer a diferença em meio aos que sofrem e são injustiçados.   
  • 68. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.7. a comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom www.meritocat.com.br
  • 69. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (32)Religião como escolha e não como tradição  Você é um católico Mais por tradição?....... ( ) Ou mais por escolha?.. ( )  A iniciação cristã é hoje uma urgente necessidade da Igreja.Assinale as alternativas condizentes com a necessidade de investimento no processo de iniciação cristã. Investir na iniciação cristã hoje é uma exigência da Igreja para:( ) formar cristãos firmes e conscientes( ) tornar a opção religiosa uma escolha e não simples tradição( ) crescer na fé evangelizados e toda a comunidade.xxxÉ isto!
  • 70. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (33)Para tanto, se faz necessária Conversão dos agentes de pastoral A Igreja precisa também promover "promover a profunda conversão pessoal e pastoral de todos os agentes de pastoral e evangelizadores, para que, com atitudes de discípulos, possam recomeçar com vida nova em Cristo. É uma proposta com benefícios para todos: iniciantes, iniciadores, comunidade eclesial e a sociedade. www.meritocat.com.br
  • 71. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (34)Para tanto, se faz necessária Contexto de iniciação cristãMotivados para esse novo desafio, é necessário refletir mais sobre o que é de fato a iniciação cristã, o processo a ser desenvolvido, os interlocutores estarão nessa caminhada, os agentes que devem se envolver nessa tarefa e as situações em que todos somos chamados a atuar. É o que se verá no próximo módulowww.meritocat.com.br
  • 72. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (34)Revendo ....Vimos neste módulo que:1.4 O período do cristandade teve sua evolução e declínio, por falta de uma iniciação mais consistente.1.5 A acomodação de muitos cristãos, e católicos que nem sequer encontraram Jesus, são apelos para uma igreja melhor.1.6 Cristão comprometido com a fé e comunidade participativa, serão sinais de algo muito bom.1.7 É necessário crescimento e alegria ao fazer o que Deus nos pede.É isto .... Qual destes itens chamou mais sua atenção? Escolha um deles.
  • 73. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (34)Enfim...Interiorize-se por um instante e peça o Senhor que ajude você a ser um cristão discípulo.É isto .... Até o próximo módulo.Ah! não se esqueça: Aqui você apenas assistiu. No curso de verdade, VOCÊ fará as escolhas, VOCÊ escreverá.Se desejar fazer um curso nestes moldeswww.meritocat.com.br
  • 75. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? Revendo .... Escolha a alternativa que não condiz com o ensinamento da igreja sobre a busca de Deus:( ) existe hoje uma forte perda do transcendente, fugas perigosas, questionamentos constantes ( ) fé e razão são como duas asas para o conhecimento da verdade( ) é necessário mais do que curso ou doutrina, é preciso o envolvimento no mistério de Deus( ) o desejo de Deus está no coração de alguns seres humanosxEnsina a Igreja: O desejo de Deus está inscrito no coração do ser humano.
  • 76. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? RevendoRevendo .... Indique as 4 alternativas que revelam uma necessidade religiosa e antropológica do ser humano:( ) Celebrações de acontecimentos, mediante ritos e símbolos( ) Assumir as características do grupo ou da tradição de que participa( ) Sentir-se pertencente( ) Envolvimento ( ) Primeiro aprender tudo o que for possível, para depois decidir se irá envolver-sexxxx
  • 77. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (34)Revendo .... Escolha a alternativa que não condiz com o ensinamento da igreja sobre a busca de Deus:( ) existe hoje uma forte perda do transcendente, fugas perigosas, questionamentos constantes ( ) fé e razão são como duas asas para o conhecimento da verdade( ) é necessário mais do que curso ou doutrina, é preciso o envolvimento no mistério de Deus( ) o desejo de Deus está no coração de alguns seres humanosx
  • 78. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? RevendoRevendo .... Indique as alternativas que trazem características de como foi a iniciação no começo da Igreja:( ) Formação lenta dos discípulos( ) As crianças eram as preferidas para a evangelização( ) Firmeza da iniciação( ) Superação das diferenças sociais( ) Unidade dos cristãosxxxx
  • 79. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (34)Revendo .... Escolha as duas opção mais condizentes com o aprendizado da evolução e declínio da cristandade.A evolução e declínio da época da cristandade alertam para a( ) necessidade de mudança no processo de iniciação cristã( ) necessidade de um processo de iniciação cristã mais consistente( ) necessidade de mais pregaçãoxxacertou?Parabéns!
  • 80. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (34)Revendo .... Escolha as duas opções mais condizentes com o aprendizado na evolução e declínio da cristandade:A evolução e declínio da época da cristandade alertam para a( ) necessidade de mudança no processo de iniciação cristã( ) necessidade de um processo de iniciação cristã mais consistente( ) necessidade de mais pregaçãoxx
  • 81. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (34)Revendo .... Escolha a alternativa que não está de forma explícita no item “tudo isso é um apelo para uma Igreja melhor”, neste módulo:( ) Acomodação( ) Batizados que não encontraram Jesus( ) Agostinho e Foucauld como exemplos de busca de Deus( ) Falta de boa iniciação( ) Iniciação para batizados e não batizadosx
  • 82. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (34)Revendo .... Escolha a alternativa que não está de forma explícita no item A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom:( ) Jesus não apenas falou sobre sua vida, mas a mostrou( ) É preciso passar no teste do “vinde e vede”( ) Passar do “ir à missa” para ser integrante da Igreja( ) A cristandade teve sua evolução e declínio( ) Existem características que identificam a comunidade comprometidax
  • 83. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (34)Revendo .... Escolha as duas alternativas que melhor se manifestam como meios para boa iniciação cristã:( ) Religião como escolha e não como tradição( ) Conversão também dos agentes de pastoral( ) Promoção de bons cursos para catequistasxx
  • 84. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? 1.6 A comunidade inteira vai ser sinal de algo muito bom (34)Revendo .... Com base nos últimos 5 anos, você considera que sua vivência cristã está ( ) em evolução( ) em manutenção, não mudou para melhor, nem pior( ) em declínio
  • 85. 1 Iniciação à vida cristã... Por que? Até o próximo!